Fóruns Gráficos
3
Créditos
» Skin obtida de The Captain Knows Best criado por Neeve, códigos acrescentados por Weird e baseado no tema The Walking Dead Theme criado por Hardrock. Graças aos suportes e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foractivo.
» Versão Elysium adaptada por Hurricane, Rossin e Persephone.
Narradores
6
Personagens Ativos
40 Personagens Ativos
Últimos assuntos
» Capítulo 8
Ontem à(s) 11:17 pm por Kim Sun-Hee

» Episódio 1
Ontem à(s) 9:17 pm por Kasumi Sanada

» Sons of Neptune
Ontem à(s) 8:05 pm por Starry Night

» [DADOS] Onde estrelas nascem ou morrem
Ontem à(s) 6:12 pm por Starry Night

» Golden Boys
Ontem à(s) 1:47 pm por Starry Night

» @ohmygyuri
Ontem à(s) 10:54 am por Nam Gyuri

» @ommagyuri
Ontem à(s) 10:42 am por Nam Gyuri

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:52 am por Moon Jae-Eun

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:42 am por Moon Jae-Eun


Capítulo 6

Página 1 de 15 1, 2, 3 ... 8 ... 15  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Capítulo 6

Mensagem por The Crown RPG em Seg Jul 09, 2018 2:30 am

CAPÍTULO 6 - Now I dunno me. Who are you?


Os pés calçados pela sapatilha gasta, se arrastavam até o centro da sala de treino especialmente adaptada na cobertura de um dos luxuoso prédios de Gangnam. De costas para o paredão de espelhos, Eun Bi tinha os olhos focados na janela que ia do chão ao teto do ambiente.

Abre e fecha. Deixa a musica fluir pelo turno:

Seul ficava aos seus pés daquele ângulo. Por morar no ponto mais alto do edifício, ela tinha uma vista panorâmica da cidade ao amanhecer. Seria uma imagem lindíssima para qualquer pessoa até mesmo para ela. Contudo, nem ao menos o amanhecer parecia tirá-la daquela angústia diurna.

Fechou os olhos conforme o sol foi nascendo e cegando seus olhos.

A música clássica para a rotina que ia das 5h às 6h tinha dado lugar a uma playlist contemporânea, mas que ela usava apenas para relaxar. O estúdio era à prova de som e não havia quartos embaixo desse cômodo. Tudo tinha sido pensado para que ela pudesse se esforçar ao máximo em aprimorar sua dança. E todo o esforço parecia ser em vão.

Desde as últimas férias, o amor pelo ballet tinha sofrido um duro golpe. Apesar de ser a coisa que ela mais gostava na vida, seus pais tinham transformado uma paixão numa obrigação e cobrança que dividiu os dois. Sua mãe queria que ela fosse a melhor, a mais bonita, a mais perfeita, como se a perfeição existisse. Transformava algo prazeroso numa tortura graças aos extremos. Já o pai, ao invés de tentar apoiá-la e permitir que ela seguisse o próprio gosto, a forçou permanecer no colégio mais difícil que ela já tinha frequentado em sua vida.

E para que?

Foi por conta dessa busca por respostas e vontade de fazer algo por si mesma que ela pediu para ir no lugar de sua unnie, Kim Minah, dar aulas de ballet. Ela tinha adorado cada instante e aquelas garotinhas cheias de sonhos eram inspiradoras. Por um momento achou que tivesse reencontrado o gosto.

Contudo…

Ela se sentia tão vazia.

E depois das coisas que ouviu, nem ao menos conseguia olhar para o espelho, apesar de ser necessário. Preferia buscar pelos céus, como se fosse capaz de alcançá-los, mas só estava no meio do caminho entre ele e a grande Seul.

Os pés já estavam doendo por conta dos repetitivos esforços. Em teoria, isso era bom porque criaram os calos necessários para suportar toda uma rotina de ensaios e apresentações. A vida era feita de sacrifícios, todos diziam isso. Mas quanto mais ela precisaria suportar?

Por que algo que era para deixá-la feliz, passava a tomar um ar de infelicidade?

Como se não bastasse isso, ainda havia a maior provação de todas: sempre fingir que estava tudo bem.


O fingimento não era uma exclusividade de Eun Bi. Diariamente, a maioria das pessoas são obrigadas a esconderem o que realmente sentem. Seja por não ser socialmente aceito, para proteger as pessoas que amam ou simplesmente porque estão confusos demais para admitirem para si mesmo o que está acontecendo, afinal.

Os despertadores tocavam anunciando o início de mais uma segunda-feira. A claridade já era um pouco incômoda em algumas janelas com cortinas mais finas, mas apenas o som estridente era capaz de tirar as pessoas da cama de verdade.

Chaeyoung nem acreditou que sua noite tinha passado tão rápido. Parecia que mal tinha fechado os olhos e já tinha que lidar com mais um dia começando. O corpo queria continuar deitado, apesar dela não ter problemas em acordar cedo. Geralmente não tinha problemas nisso, mas naquela manhã, ela bem que queria dormir mais um pouco.

A mão tateou o celular, cancelando o alarme e suspirou preguiçoso escapou de seus lábios. Sentou-se na cama, sentindo um arrepio percorrendo pelo corpo e precisou respirar fundo umas três vezes. Esfregou o rosto e buscou pela garrafinha d’água e as cartelas de remédios que ficava em seu criado mudo. Pegou um de cada e engoliu com a ajuda da água.

O copo permaneceu entre seus dedos ligeiramente trêmulos enquanto ela continuava sentada na cama. Virou a cabeça na direção da janela, observando suas cortinas alaranjadas.

Parecia que seria um dia muito bonito.

E Stella também concordava.


A jovem canadense tinha como hábito sempre manter um caderno perto de sua cama. Às vezes tinha uns sonhos que rendiam reflexões e desabafos no diário. Dessa vez tinha sido tão lúcido que ela precisava anotar o máximo de detalhes enquanto se lembrava. Claro que tinha todo aquele ar de magia que os sonhos geralmente tem, mas...Quem sabe não fosse a premonição de algo que estava por vir.

Nunca tinha acontecido uma coisa dessas, mas não custava nada acreditar.

Um sorrisinho meio bobo escapou de seus lábios, mas a porta logo foi batida, cortando seu raciocínio. A mãe entrou logo em seguida e ficou surpresa por ver que a primogênita estava acordada. Ellen já estava nas últimas semanas de gestação, mas simplesmente não conseguia parar quieta. Mostrou o kit com o medidor de glicose e a insulina que ela tomava logo de manhã.

Stella sorriu para a mãe, observando o rosto dela. Achava que a mãe estava cada dia mais bonita e imaginava que fosse a cara que a felicidade tinha. A gravidez estava ótima, seu irmãozinho logo chegaria e com a graça de Deus, seria canceriano e não geminiano - era a única coisa que ela implorava ao pequeno Benjamin.

Enquanto a mãe media sua glicose e preparava a insulina, Stella ficava pensando nas coisas que gostaria de dizer a ela e, muitas vezes, deixava passar. Será que era uma filha carinhosa o suficiente? Gostaria de dizer que amava muito sua mãe e que não a culpava pelas coisas que aconteciam na escola. Nunca contava as histórias do colégio ou porque às vezes aparecia com o uniforme acabado ou machucados. Nunca explicou porque vivia infeliz, mas agora parecia mais animada graças às amizades que fazia.

Não achava que devia levar esse tipo de preocupação para ela, ainda mais agora que estava prestes a ter o bebê.

Quando a mãe injetou a insulina, ela fez um som de manha apenas para chamar a atenção dela. Tão logo a mãe a encarou, ela pulou em seu pescoço e deu um gostoso beijo na bochecha.

Tudo ficaria bem…

Mas às vezes...Não ficava.

Alguns remédios trazem a cura ou tentam manter uma doença sob controle. Na dose certa, eles trazem benefícios à saúde. Contudo, existem pessoas que buscam a dose a mais, aquela que traz o torpor…

Porque apenas quando estão entorpecidas, as dores parecem mais fáceis de lidar.


Eun Na tinha perdido o sono no meio da noite porque sentia mãos invisíveis tentando sufocá-la. Nem ao menos seus gritos de desespero foram o suficiente para atrair alguém de sua família.

Família? Que família?!

Aquele apartamento vivia sozinho porque todos achavam mais fácil olhar para o próprio umbigo e seguir com a vida. Se um dia ela caísse desmaiada no chão, provavelmente morreria e levariam semanas até darem falta ou encontrar o corpo.

Um acesso de riso e choro começou a tomar posse dela quando finalmente acordou e se deparou com o vazio do quarto. Sem pensar muito, ela seguiu até o banheiro e procurou pelo frasco especial que ganhava de sua fornecedora há alguns meses. Não precisava nem de água porque conseguia morder aquelas pílulas que já deixavam sua língua dormente em alguns minutos.


O frasco acabou no chão sem que ela percebesse, espalhando alguns comprimidos pelo chão. Procurou por um cantinho de seu banheiro e por lá ficou. Os olhos voltaram-se para o teto e ela só queria que aquela maldita música parasse de tocar em sua cabeça. Também gostaria de não sentir mais que seu corpo recebia toques indesejados. Aquilo podia fazer efeito logo.

Com sorte, para sempre.

Porém, Eun Na estava sempre lidando com o azar.

Às vezes parecia ser algum tipo de castigo divino pelas pessoas que perseguia no colégio. Mas diferente de simplesmente deixar as pessoas em paz, geralmente ela acordava com a necessidade de transformar os outros tão infelizes quanto ela. Quando abriu os olhos, horas depois, precisando vomitar e meio atrasada, ela sentiu muita raiva de si mesma e do mundo todo.

Precisava ir pelo menos para não preocupar as amigas. Já tinha faltado muito, se faltasse mais uma vez, podia ser um problema.

E por falar em problemas, o que é que Kai ia fazer com aquelas marcas que tomou?


Além de não ter dormido por ter virado a noite com a gangue, ainda teria que lidar com aqueles ferimentos pelo rosto? Uns analgesicos também cairiam bem, por isso já foi catando o que achou pelo caminho. No freezer, encontrou o saco de gel para tacar na cara.

Jazz conseguia ter uma imagem pior do que a dele e foi o suficiente para que May decidisse começar seus discursos logo pela manhã. Era para ter sido algo simples, mas deu muito errado. Se meteram numa briga e rodaram quase todos os bairros de Seul por conta da briga e dos policiais.

Ninguém foi preso, mas agora precisavam arranjar desculpas para “suas vidas civis”. May era a mais responsável dos três, justamente por ser a mais velha. Sentia-se responsável pelos imbecis dos irmãos que só sabiam lhe dar mais problemas. Kai estava cansado de ouvir, queria que ela calasse a boca, apesar de achar bonitinha toda aquela preocupação.

Não podia ser um irmão muito rebelde. May fazia o que podia, assim como a mãe deles que fazia plantão atrás de plantão nos hospitais. Talvez nem ela, nem a mãe merecessem filhos e irmãos como ele e Jazz. Tudo bem que May não era um exemplo de pessoa, mas pelo menos ela não estava com a cara quebrada. E ele ainda teria que aturar aqueles babacas de WangJo.

Pediu um tempo no sermão para tomar banho e ver o que podia fazer no rosto. Esperava que no banheiro, pudesse ter um pouco de paz. O vapor do chuveiro logo começou a embaçar o espelho e a umedecer os azulejos.

Enquanto algumas pessoas buscavam fugir do espelho, outras precisavam dele para se arrumarem ou simplesmente se encararem.

Cinco espelhos trouxeram cinco reflexos diferentes.

Na residência Do, Taemin tinha acabado de passar o braço pelo espelho embaçado após o seu banho. Olhou para o próprio rosto por alguns segundos, passando a mão pelo cabelo, como se estivesse botando para cima.

O que será que ele via e achava de si mesmo naquele momento?

Jung Mi arrumava sua gravata sem nem ao menos olhar para os movimentos. Tudo era tão simétrico e certinho que ele parecia, de fato, ser perfeito. Após alinhar seu uniforme, voltou a atenção para sua imagem. O cabelo estava para baixo, como um rapaz certinho.

Um sorriso torto surgiu em seus lábios.

Você está orgulhoso de si mesmo e seus feitos?

Yewon passou o rímel mais uma vez e recuou em sua cadeira acolchoada. Estava diante de sua penteadeira com as maquiagens que havia adquirido. Prestes a terminar sua rotina de maquiagem, ela alinhou sua postura.

Achou, naquele instante que alguém como ela não precisava ser seguidora. Deveria ser seguida.

Gostou do som que isso tinha, muito embora a mente acabasse levando até Jung Mi e para diálogos que só aconteciam em sua imaginação. Piscou mais uma vez diante da própria imagem.

Por que não era a rainha dele?


Hayoung desviou o olhar do espelho ao ouvir passos do lado de fora do seu quarto. Franziu as sobrancelhas, voltando a olhar para a frente afim de terminar de completar o suave batom em seus lábios.

Assim como no xadrez, sentia-se em xeque. Hee Kyung havia dado um golpe de mestre que culminou em mais humilhação para ela no último domingo. Mal tinha conseguido dormir de tanto ódio que estava sentindo naquele momento. Porém, isso acabou por motivá-la...Era bom que ele estivesse indo bem no xadrez.

Porque quem daria o xeque-mate seria ela.

Era o que a nova Hayoung prometia à velha e que levava à uma nova pergunta: quem era a nova?

As pessoas mudam e essa era uma verdade que Joo Hyuk conhecia bem. Para o melhor ou pior, apenas o tempo poderia dizer.

Quando ele chegou em WangJo, descobriu que ela havia mudado para pior. Não estava fazendo questão de retomar absolutamente nada, embora as lembranças ainda fossem muito vivas para ele. Para sua surpresa, foi quando se afastou que ele se sentiu um pouco mais próximo.

Sua mãe contou o que tinha visto na sexta-feira e quando a viu no sábado, ele sentiu que, definitivamente, algo estava errado. Para quem estava tão animada com um jantar, ela parecia extremamente infeliz naquele carro. Sabia o que o vidro fechado tinha significado, mas isso não impedia que sua mente deixasse de se preocupar.

Teria mudado tanto assim, afinal?

Ele, pelo menos, ainda era capaz de se reconhecer quando olhava para o espelho.


Quem estava difícil de reconhecer era Bomi. Gyu Sik observava sua irmã à mesa. Os pais estavam conversando, como de costume, mas ela se mantinha ausente, com uma expressão distante e sem ânimo para participar. Quando percebia que a palavra era dirigida a ela, ela atenuava a expressão, dando um sorrisinho ou dois e falava em tom baixo.

Porém, quando os pais não a olhavam, o sorriso sumia com a mesma velocidade que aparecia.

Gyu estava ciente do que acontecia em sua família, mas não imaginava que a irmã fosse ficar tão afetada. Talvez ela gostasse mesmo daquele garoto. Como irmão mais velho e melhor amigo, ele tentou animá-la no domingo e ainda estava tentando. Até tinha aceitado a festa de aniversário do jeitinho que ela tinha pedido antes.

Mas isso não pareceu o bastante ainda.

Bomi já estava sentada à mesa antes de todos para aquele café da manhã. Normalmente, era a última a chegar porque vivia atualizando status nas redes sociais e não sossegava até ver a última novidade. No momento, ela nem ao menos mexia no celular. Quando chegou até a sala de jantar, ela sentiu um peso no peito e no estômago.

Não devia levantar desconfianças de seus pais, mas simplesmente não conseguia voltar a ser animada e fofa como sempre depois de ver Won chorando. Ele não estava mentindo e isso significava que alguém estava. A verdade é apenas uma, não tinha como os dois pólos falarem a verdade.

Queria acreditar completamente nos pais, mas por que estava sofrendo tanto por Won? Nem ao menos sua festa de aniversário parecia animá-la mais. Porém, diante do esforço do irmão, ela só podia levar aquilo adiante.

Até porque...nenhum sofrimento era eterno, não é?

Alguns só eram mais duradouros e fortes do que outros.


Porque às vezes, quem fez o mal levava parte da pessoa consigo...E nem parecem lamentar por isso.

Já outros tinham suas almas e corpos constantementes feridos, mas encontravam forças em quem lhe cercava. Fosse uma garotinha de 7 anos ou uma gatinha preta de olhos amarelados.


Três emojis de gatinho com olhos de coração e todos seriam salvos.

Seriam mesmo?

Yerin não sabia dizer, mas enquanto aqueles olhos - amarelos e ônix como os seus - olhassem para ela, ela encontraria forças para persistir. Afinal, ninguém precisava saber o quanto doía, o importante era que vissem quantas vezes ela conseguia se levantar e aprender com isso.

Não era a rainha do gelo à toa.

O som do salto alto ecoava pelo taco enquanto Yerin se afastava de Pandora e passava por sua irmã do meio. A garotinha segurou em sua mão e as duas seguiram na direção da saída para mais um dia de aula.




10 DE JUNHO DE 2019 - SEGUNDA FEIRA - 9:50 A.M


Durante o clima aprazível da primavera, algumas aulas de educação física ocorriam na quadra aberta de futebol. Era a segunda semana que tanto meninos quanto meninas estavam treinando hockey na grama. O grupo que não estivesse jogando, fazia um aquecimento ou pagava um exercício - e eles ficavam revezando o campo em jogos de vinte minutos. Outra mudança foi que ao invés de 11 jogadores para cada lado, havia 7 para cada time e 1 na “de fora”, que era trocado.

Quando a aula de educação física chegou ao fim, muita gente agradeceu e simplesmente se jogou no chão.

Woo Jin era uma dessas pessoas, obviamente. Não aguentava mais correr atrás de uma bola com um taco. Em dado momento, ele nem sabia mais se seu time tinha ganhado ou não. Os times masculinos foram: Jung Mi, Hyun Hee, Won, Jae Ki, Joo Hyuk, Woo Jin, Hee Kyung x Taemin, Ji Ran, Ryu Ji, Min Ho, Gyu Sik, Hyo Shin e Beom Su. Ui Jin na de fora, trocando às vezes. Já as meninas, foram: Eun Bi, Misoo, Bomi, Hyemin, Sejeong, Stella, Sunny x Mi Ran, Yewon, Nana, Yerin, Hayoung, Ye Ji e Ye Sol. Nayeon ficou na de fora. E foram escolhidos nessa ordem.

Foram seis jogos, três para cada time. O time de Jung Mi ganhou de 2 x 1 e o time de Eun Bi ganhou de 3 x 0.

O curioso no time feminino era como as meninas conseguiram se dar bem, mesmo sendo tão diferentes. A competição as motivou a jogar juntas, ainda que elas tivessem suas divergências. Apesar a atuação pífia de Nana chamou muita atenção das amigas. Ela não parecia muito bem, mas também não se justificou.

A turma do primeiro ano foi dispensada para o banho e os professores ficaram em cima para que meninos e meninas não ficassem de muita gracinha e seguissem para os respectivos vestiários.

Como já era normal, eles chegariam mais cedo no refeitório - cerca de dez minutos antes.

Hyun Hee tinha seus motivos para estar animado. Foi a primeira vez que havia jogado com seu irmão sendo o primeiro a ser escolhido. Aquilo foi uma verdadeira surpresa para os outros, mas indicava que algo estava mudando entre eles. Algo que Misoo, a “namorada”, não tinha entendido ainda e podia ficar encucada.

Joo Hyuk não ficou muito tempo com os amigos, nem esperou por eles porque precisava ir para a rádio. Era seu turno e o de Yeun Bomi, mas ele não pressionaria a menina, indo primeiro. Acabou que isso nem adiantou muito porque a própria fez questão de acelerar os passos.

Misoo e Eun Bi vinham atrás dela depois do banho e veriam que a amiga por muito pouco não cruzou com Won. Os dois obviamente tinham se visto, mas Bomi desviou o olhar, focando no prédio e andando um pouco mais rápido que o habitual.

Hee Kyung teria que pensar à respeito do que ele e seus amigos diriam ao diretor na reunião de mais tarde e não podia contar por Kim, por hora. Ainda havia Sunny e Stella, mas ele estava evitando colocar as meninas nessa história.

Elas, por sinal, estavam de braços dados, caminhando sem muitos problemas na direção do refeitório. Diferente do que Taemin havia dito no domingo, ele ainda estava bem tranquilo em relação a ela e não a provocou nem nada. Sunny também poderia ver Jae Ki. O menino havia se preocupado com ela na sexta-feira e essa seria a primeira oportunidade deles se falarem depois do fim de semana.

Won, Jae Ki e Kang estavam reunidos como sempre. Tinha sido uma vitória para eles porque foram adversários do time de Ryu Ji e Taemin - de modo curioso, o loiro oxigenado não parecia ligar por ter perdido. Quase como se ele não estivesse completamente focado ou interessado naquela disputa mais. Os três poderiam ver Bomi saindo primeiro do banheiro e hesitando no caminhar. A garota olhou brevemente para eles, mas desviou o olhar e caminhou até o predio central. Eun Bi e Misoo vinham um pouco atrás. Depois delas, Sunny e Stella também conversavam de modo distraído.

Hyemin logo perceberia que Hayoung não estava muito normal naquele dia. Parecia mais soturna, sem os sorrisos de sempre. Disse às meninas que demoraria um pouco porque tinha uma coisa para resolver, mas depois queria saber como foi o fim de semana delas. Yerin foi uma das últimas a tomar banho  -e agora Hye entendia muito bem o motivo.

Yewon e Mi Ran estavam muito irritadas para trocarem palavras com elas e saíram do banheiro. Nana foi atrás de água porque estava morrendo de dor de cabeça.

Quando Yerin estivesse pronta, as duas seguiriam até os armários para guardarem suas coisas. E quando Hyemin chegasse até seu armário, perceberia que havia uma flor presa com um durex.

Era um hibisco rosa claro.

[Então, pessoal, espero que tenham gostado do turno dos npcs. Alguns foram mais detalhados do que outros, por motivos de “xablau”.

Agora vocês estão no intervalo porque pulei toda aula de educação física. Existe uma pequena muvuquinha ali de gente porque todos estão meio que próximos - com exceção de Hyemin, Yerin, Nana, Kim, Bomi, Yewon e MiRan. Hyemin e Yerin foram pro armário, Nana, Yewon e MiRan pro refeitório e Kim e Bomi para o rádio.

Os outros ainda estão em grupinhos: ou indo para o refeitório ou saindo do banho ou enfim, vocês decidem. Qualquer dúvida, ja sabem onde me encontrar ;p ]
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Won-Bin em Seg Jul 09, 2018 3:34 am




Foi onde menos esperava que Won-bin encontrou forças para lutar com a dor e o vazio daquela tarde. Reviver aqueles momentos de filmes com o pai não tinha sido apenas divertido, mas trazia cura de certa forma.

A solidão era diminuída com a ajuda do pai e as mensagens dos amigos que já tinham provado seu valor muitas vezes.

Mas ainda estaria sozinho quando deitasse a cabeça no travesseiro e ficava ali com o celular ligado, vendo a foto dos dois juntos: seu maior medo tinha se tornado realidade afinal. Aquela noite foi um sonho. O mais belo dos sonhos onde ele tinha a garota que amava e nada e nem ninguém poderiam tira-los daquela Roda Gigante.

Won tinha a esperança de sonhar mais um sonho perfeito essa noite. Pelo menos essa noite antes de cortar o laço.

O domingo não ia ser dos melhores.



Não tinha vontade de levantar mas juntou forças. Tinha de dar o fim na sua jornada no Café.

Hyesang era uma chefe que o assustou muitas vezes e suas exigências não eram leves. Mas assim como ela havia se afeiçoado dele, ele também havia se apegado a ela de alguma forma: ele nunca teve uma figura feminina mais velha na maior parte de sua vida.

Assentiu com a cabeça quando ela disse para manterem contato.

-Você ainda vai falar de mim, chefinha - disse o "chefinha" como uma forma de tratamento formal que havia se tornado um apelido. Ia chama-la assim mesmo que não trabalhasse mais pra ela. Forçou um sorriso apesar da melancolia no peito.

Não havia dito os detalhes do porque de sua decisão: apenas de que havia ponderado sobre aquela conversa com ela e que tinha falado com Bomi também e que a decisão era a melhor.

Também deixou a indicação do amigo Jae-ki para ela.

-Ele é tipo...bem diferente de mim, mas é esforçado. Eu acho que ele pode me substituir, vou dizer pra ele deixar o currículo dele aqui

Se despediu só de Hyesang. Teria se despedido da colega também se pudesse mas acabou não podendo.

Sorriu uma última vez para a chefe e para o Café que tinha aprendido a gostar. Respirou fundo para sentir mais uma vez aquele aroma gostoso de café e abriu a porta para fora.

Sabia que cada passo que dava era o último que dava naquele condomínio. Estava cada passo mais longe de Bomi e de seu destino como "fantasma" dela.

Não sentia alívio. Na verdade não sentia quase nada. Se pegou encarando os carros e a cidade no meio do caminho a pé pra casa.

Ia ter de conviver com esse sentimento. O brilho de empolgação tinha se apagado mas tinha de seguir em frente.
Se não fosse por ele que fosse pelo pai, pelos amigos...ia encontrar o brilho novamente.

Pelo menos era a esperança.




A segunda-feira veio. Won também não teve vontade de levantar aquele dia, mas se forçava como se levantasse toneladas no peito para se sentar na cama.

Era segunda, seu dia favorito por ser educação física mas nem isso lhe animava. Hoje não havia escapatória: ia acabar vendo ela, quisesse ou não.

Um jogo competitivo, o tipo favorito de jogo para Won. Não era bem seu tipo de esporte mas definitivamente era algo muito divertido.
Talvez se fosse com o antigo Won.

Os amigos e colegas mais próximos perceberiam como o brilho no olhar, e no agir, de Won havia sumido. Participou mas não tinha empolgação ou vontade de ganhar, metade do tempo só passava a bola com o taco por instinto e nem pensava muito. Apenas se concentrava para não cruzar com o olhar dela. Ignorou por completo a rivalidade com Ryu-ji: aquilo não tinha mais importância.

Nem a vitória tinha trazido muito animo, apenas sorriu um pouco e distribuiu uns "muito bem" aos amigos a caminho do vestiário.

Não estava no clima para muita coisa, os amigos perceberiam, mas cruzar o olhar por um breve instante com Bomi não tornavam nada mais fácil.
Desviou o olhar e ela sumiu, como um raio, para longe. Ficou olhando para baixo enquanto isso.

Suspirou.

"Vai ser assim todo dia a partir de agora?"

Depois de uma rápida ducha estariam no intervalo: aquela muvuca de sempre, todos atentos a próxima grande polêmica da Wangjo.

Won não sentia fome, apenas ia pegar uma maçã pra acompanhar os amigos mas nem ia começar a comer ela quando se sentassem em alguma mesa.
A cabeça longe dali, ainda tinha um olhar meio vazio.


Bad Vibe in Wangjo

— Ross


Última edição por Won-Bin em Seg Jul 09, 2018 10:56 am, editado 2 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Dong Hee Kyung em Seg Jul 09, 2018 10:36 am



Após um agradável final de semana ele já receber o anuncio das maravilhosas aulas de calistenia. Que maravilha de aulas, exercitar o corpo pela manhã fazia muito bem aos músculos, ao cérebro, até para o espírito, pra quem acreditasse em espirito pelo menos. Hockey na grama, melhor do que futebol! Hee Kyung queria vencer e ele estava animado para competir por mais que seu corpo dissesse o total oposto.

Uma lesma tentando acompanhar gafanhotos? Seria comido se não fosse trágico. Seus adversários certamente já sabem da desvantagem atlética dele mas eles pareciam tão cheio de si, que acabam não percebendo a virada que levara do time de Jung Mi.

Era estranho como Won estava desanimado geralmente ele parecia mais competitivo. Como eles não eram tão proximos Dong resolveu deixar os reais amigos cuidarem disso, afinal, ninguem precisa de outros amolando sua cabeça logo de manhã.


- Mandaram muito bem time, parabéns! Lutamos como legítimos Cavaleiros! Tirando aquelas confusões com o árbitro mas... enfim vocês entenderam.

As menina pareciam ter dado uma sova nas outras, o que parecia um legitimo milagre. Por pouco Dong não nomeia um time Bullying contra o Anti Bullying.

Os professores nem precisaram ficar na cola de Hee Kyung que já andou quase arrastado para o vestiário, onde ia se lavar e se trocar de maneira apropriada.

Depois com os cabelos ainda meio umedecidos, a mente estava mais fresca e focada, mesmo que estivesse sentindo as dores do jogo pelos grupos musculares que não lhe era bem agraciados. - Precisamos nos organizar, sem conversinha wodalchis. Min-Ho você jogou muito bem, até parecia que estava me focando mas creio que era uma leda impressão minha hah, rah há. Riu de um jeito estranho mostrando os dentes da frente.

Avisou a Min-Ho e Ui-Jin para irem direto com ele até o refeitório. Do jeito que Dong falava até parecia que o grupo realmente tinha outra coisa mais elaborada para fazer, como por exemplo, se esbarrar e flertar com uma bela menina. (insira risadas Plateia Chaves)

Quem demorava mesmo era Hee Kyung que perdeu minutos extras arrumando suas coisas e o armário que parecia ligeiramente bagunçado. Não estava, mas ao seus olhos miopes sim. Quando se sentiu satisfeito, (provavelmente os dois amigos já estavam suspirando) foi indo até o refeitório. Em seu trajeto não chegou a esbarrar ou procurar por Stella, Sunny ou até mesmo a prima.

No refeitório ele optou por Café forte, sem açúcar e uma tipo de ensopado com legumes e anchovas, o nome era beanpaste stew talvez não fosse a mais agradável das combinações, pelo menos, Ui-Jin sentiria o estomago revirar só de ver os hábitos alimentares dele por mais que não lhe fosse surpresa. - Jin você que me avisou do e-mail, comece falando. Está bem descansado deve ter pensado o jogo inteiro não é? Ótimo, manda.


Pegou uma rodela de cenoura e pimentão sopa com os hashis metálicos, porém, ele percebe que eles não eram do exato mesmo tamanho e para de usar, deixando o lado da tigela. - Alguém me empresta uma colher, por favor?

O cheiro das anchovas começaria a subir e açoitar as narinas e faces dos amigos com aquele vaporzinho.



Refeitório

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
112

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Seo Hyemin em Seg Jul 09, 2018 10:40 am



A vida de Hyemin voltou à normalidade: segredos, futilidades para disfarçar um clima alegre. A diferença é que dessa vez o pai poderia ver bem de perto como a garota que estava em prantos por causa de um problema grave no minutos seguinte estava encantada com o filme. Depois de saber a verdade, não era mais tão convincente, mas o detalhe é que ela não tinha mudado, só a percepção dele.

O novo dia começou com os rituais de sempre. A única diferença era que Hyemin olhava um pouco mais o celular do que o normal e tinha colocado uma luz roxa para piscar quando a mensagem fosse de Yerin. Precisava estar sempre pronta.

Apesar de saber que toda aquela maquiagem no rosto se transformaria em suor e sairia com o banho nas primeiras aulas, Hyemin não era nada prática e tratou de ir bem charmosa para a escola. O preto tinha dado lugar ao rosa, ainda que o luto delas não tivesse morrido completamente.

A educação física, que era uma de suas aulas favoritas, tinha virado uma caixa de surpresas e uma dor de cabeça naquele ano. Isso porque tinha a maldita passarinha que poderia se tornar sua parceira ou adversária a qualquer momento. Não era raro que logo nas primeiras aulas após o incidente ela resolvesse fingir uma cólica algumas vezes para não ter que aturá-la, mas esse período de luto tinha passado.

Hyemin vestiu-se para a guerra, com seus tênis Adidas rosados caríssimos anunciados em nova campanha do Twice logo no fim de semana. Estava pronta para uma vitória esmagadora fosse o esporte que fosse, só não esperava que aquela criaturinha fosse colocada em seu time, enquanto Yerin foi excluída de novo.

- Aigooo, Seonsaengnim (professora)!!!   - fez bico.   - Isso não é justo, eu quero trocar!!!  - choramingou, mas não foi atendida.

Ficou resmungando mais alguns minutos, mas arrumou a expressão para que não parecesse desfeita com Bomi e as amigas, que não tinham nada a ver com isso. Passariam a ter após o começo do jogo. Quando Sunny chegava perto de Yerin, ela já corria em sua direção, na intenção de tomar seu lugar para marcar a amiga, não permitindo que ela “lhe fizesse mal” (deveria se preocupar com o contrário, não é mesmo?). Em outros momentos, a incapacidade física da garota a irritava profundamente e Hyemin acabou por dar ombradas da própria colega de equipe para roubar-lhe a bola e “fazer direito”. Como existia uma pessoa de 16 anos que parecia tanto com um idoso???

Após o segundo encontrão “por acaso”, ela acabou tomando raiva das caras afrontosas que Sunny a olhava. Quem ela pensava que era???? Hyemin fazia caretas para ela, parando o jogo por segundos e culpando a garota quando Yewon conseguia roubar a bola.

- Aish!!! Olha o que você fez, sua lerda

A herdeira colocou como objetivo pessoal não deixar que ela ficasse com a bola,  mas de repente foi ela quem ouviu berros de Misoo e Eunbi, com ameaças de que ELA seria colocada de fora. Hyemin só parou quando ficou de “castigo” no lugar da.. Quem? Cruzou os braços, nervosa, ficando no cantinho da Supernanny por longos minutos até que a própria Misoo pediu pra trocar a menina mais lenta do time de novo e ela conseguiu se comportar até o final, embora continuasse competindo secretamente com a garota e olhando-a cada vez que conseguia fazer algo legal em campo, como se estivesse se exibindo para ela.

A própria vitória foi conquistada como se fosse contra ela e ela comemorou com vigor, dando toquinho nas mãos das garotas, menos, claro, Sunny e Stella (Que, se antes não era alguém que importava para ela, agora era aliada da inimiga). O terrível dia no qual perdeu para aquela descoordenada ficou para trás e ela foi tomar o banho dos campeões - ela ignorou o fato de estarem no mesmo time, para ela tinha sido uma vitória pessoal.

Hyemin ficou todo o tempo necessário para que Yerin saísse do banho. Fez a escova mais perfeita e longa de sua vida, completando com uma tiarinha graciosa rosa, bem patricinha. Usava sapatos de salto rosados com um detalhe de lacinho.

Enquanto se arrumava, ela também notou a preocupação de Yerin com Nana, que até então passou despercebido pela garota, que só queria ganhar da rival. Hyemin sabia dos problemas que a amiga enfrentava, mas já fazia tanto tempo… Era um pouco desmotivador não ser capaz de ajudar, apesar de todos os esforços em levantar o humor dela. Outra que também estava estranha era Hayoung. Hyemin quis saber de seu castigo e achou que era esse o motivo e a deixou em paz nesse assunto, dizendo que logo as coisas voltavam ao normal e elas comemorariam fazendo compras. Contou do fim de semana descrevendo-o como “lindo”, disse que ganhou flores e que eles foram ao Aquário, mas que da próxima eles iriam de novo para tirar fotos com ela lá -- não que tivesse intenção real disso, mas estava sendo legal.

Quando a amiga acabou, ela a acompanhou até o armário um pouco distraída. Não falava o quanto estava preocupada com Yerin, mas seu olhar protetor já indicava que de alguma forma ela tinha mudado a postura. Mesmo assim, resolveu falar das outras.

- Nana está estranha hoje. O que será que aconteceu? Até a Pika-pi está esquisita. Aigoo…   - fez um biquinho e virou o rosto para o próprio armário.

Na primeira batida de olho, ela achou até que era armário de outra pessoa e olhou de volta para a amiga, como se ela estivesse no armário errado, mas não estava.

- Ommo..? AH!   - deu um berro bem agudo, cobriu a boca e virou-se para Yerin novamente, tocando-a e depois apontando para a flor, esbaforida.


- RI-RIN!!! OLHA. OLHA.

Seu coração tinha disparado, afinal, era sua flor favorita, com sua cor favorita. Levou a mão ao peito e a outra continuava apontando. Olhou em volta. Esquerda, direita, atrás, flor.

-  Uwa… que linda…. - soltou um suspiro quase apaixonado, removendo a flor do armário com cuidado e girando-a na mão. Estava tão embasbacada com o presente que sua mente não trabalhou em possibilidades de remetentes. Afinal, só havia uma pessoa que ela conhecia que lhe mandava flores.

Foi bem aos pouquinhos mesmo que a razão foi dando um “olá” para o fato de que aquilo era muito esquisito, porque estavam na escola, porque não havia nada de manhã, e porque....  Bem, aquela pessoa  não sabia que ela gostava de hibiscos. Coincidência? Aquele presente começava a lhe dar uma sombra de dúvida, e um sentimento agridoce.

- Que esquisito… Oppa não sabe que eu gosto de hibiscos… Como ele fez isso?   - pendeu a cabeça de um lado ao outro, ‘analisando’ a flor, mas quanto mais a olhava, girando o cabinho, mais suas bochechas se enchiam. - Ahhh~~  Mas é tão lindaaaa~~~


- Tenho um admirador secreto!!! Hahaha~ - brincou, ainda sem saber a resposta para aquilo, mas o que gritava mais em sua cabeça era sua alegria por ter recebido um presentinho, dando um sorriso toda boba. -  Vou usar no cabelo, que tal?  Fez uma graça, e colocou a flor presa com a tiara ao lado da cabeça


Wangjo |{LOOK: Tiara | Sapatos }

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Yeun Misoo em Seg Jul 09, 2018 11:54 am


Misoo  levou um belo de um susto quando viu o presentinho da irmã para ela. Ficou esperando sair algum palhaço de dentro da caixinha ou alguma coisa explodir. Nada. Era só um colar, muito bonito por sinal, de uma raquete, que era algo que ela gostava mesmo.  Inacreditável. Inexplicável.

Ela quase, e apenas quase, saiu do quarto para agradecer, mas a irmã estava ocupada demais sendo paparicada pela mãe. Nah, para que  passar por isso?

O dia tinha acabado de forma tão harmônica, apesar de tudo. Será que dar um passo para fora dos problemas das amigas era saudável daquela forma? Apesar de elas estarem sofrendo, uma que ela presumiu por ser por causa do ciume do namoradinho, e a outra, pasme, também iniretamente por causa de namorado, Misoo não tinha se metido mais porque não vivia esses problemas, não tinha como alcançá-las, não queria mexer com isso, achava, mas era apenas algo superficial porque não pensou a respeito.

Tinha um jardinzinho para montar.

Na manhã daquela segunda-feira, Misoo regou os vasos e deixou as cortinas abertas para que suas plantinhas futuras tomassem sol. Faria isso todas as manhãs. Ter algo para cuidar era gratificante.

Tentou evitar o café da manhã em família,  mas como perdeu tempo cuidando das plantas, a família já estaria perambulando pela casa. Por esse motivo não comeu nada antes de sair, apenas passando reto pela porta já com a roupa da educação física e mochila esportiva. O que a irmã talvez percebesse é que ela estava usando o colar.

Misoo encontrou as amigas com bom humor e sem climão, tentando trazê-las para a aula. Deu sugestões para a montagem de um time campeão e estava animada para jogarem, apesar de estar com fome. Talvez isso a deixou mais furiosa quando notou que havia um empurra-empurra no time dela! Quis pendurar aquelas duas no varal e prontamente começou a gritar.

- YAAAAAAAAAAA. O que estão fazendo???? Separa, separa, separa. Fala pra Nayoung entrar   - falou para Eunbi.

A escolha foi de impulso e o time agora tinha duas pessoas bem lentas. Quando quase tomaram um gol, ela berrou de novo.

- Não, não! Troca, troca de novo!! - pegou o taco  e brincou de sacudi-lo no ar. - Olha aqui, eu vou te bater se você não jogar direito, ok? - disse para Hyemin, que se comportou relativamente bem até o fim do jogo, quando foram campeãs.

Ela pulou com as amigas, bateu mãozinhas com Hyemin e com o resto do time todo, saindo animada para o vestiário com a amiga. Observou Bomi ir na frente, mas não tinha o que fazer. Se fosse antes, ficaria chateada, mas isso tinha virado um hábito da geminiana e Misoo tinha cansado de se queimar com ela quando estava aborrecida, então só deixou que ela fosse.

Para não ficar tão climão, ela tentou dar “oi” para Won, mas ele também parecia tão abatido que passou reto. É… O climão estava bem vivo entre eles.

- Aigo… O que será que realmente aconteceu? Será que ela contou algo para ele que não sabemos?

Vai saber se ela estava de graça com Ryuji ou alguma coisa assim? Ou vai que ele não aceitou esse fato e a ofendeu de alguma forma? Era complicado… aish, relacionamentos eram complicado --- e um saco. Não queria isso par ela. Se até um falso deu toda aquela confusão…

Após o banho, ela voltou para o armário, para guardar as coisas, apenas tirando um boné de dentro da bolsa.

- Você vai reservando mesa, por favor? Eu vou lá devolver isso aqui para o Jung Mi e já venho

Ela saiu procurando o herdeiro Park, dando uma passadinha na porta do vestiário masculino primeiro e perguntando para o primeiro garoto que saísse de lá se Jung Mi já tinha saído. Ela se tocou que talvez ficar parada na frente do vestiário fosse algo bem esquisito, então, com vergonha, saiu de lá, tornando a procurá-lo caso dissessem que ele havia saído ou simplesmente o esperando na viradinha do corredor, caso contrário.

 
Jung Mi

MiSoo
Oiee… Estou com o seu boné!
MiSoo
Onde você tá?



Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
132

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Park Hyun Hee em Seg Jul 09, 2018 12:34 pm


Ficar sozinho nunca teve um significado tão diferente. Hyun Hee sentia que estava em casa, mesmo fora dela. O quão bizarro era isso? Mandou mensagem para o secretário mais cedo, perguntando do avô. Ficou impressionado como Han Jae era ponta firme. Tudo bem que era seu trabalho, mas ele poderia ser frio e profissional, pedindo um adicional por aquilo, ou simplesmente aparecendo ali nos horários de visita, não precisava dormir lá.

Acordou bem cedo para preparar um café da manhã coreano para a tia e o primo, deixando a mesa pronta para eles antes de sair. Não queria incomodar ou aparecer na escola de carona com o professor, para levantar conversinhas. Para falar a verdade mesmo, ele só estava com vergonha de mostrar a marmitinha que pediu para pegar emprestada na noite anterior: um caprichado almoço para sua joaninha estava montado ali dentro.

Partiu cedo com sua marmitinha, também queria um tempo para relaxar a cabeça e o fez pegando condução para o colégio. O mundo continuava rodando lá fora, mesmo quando ele sentia que estava parado em um problema. O mais estranho é que agora, que tinha mais preocupações que antes, tudo parecia mais correto, mais acertado. Talvez sua revolta era por querer sentir-se normal e agora se achava bem comum: um vovô doentinho que precisa de cuidados, um irmão preocupado e com sua rebeldia de adolescente, uma namorada carinhosa linda e gentil, uma família para quem cozinhar de manhã… Pegar o ônibus, se misturar com os outros...

Quão bom era isso?

Ele continuava no ponto baixo de seu humor, mas podia-se dizer estável, no limite da corda, mais infeliz do que feliz, mas ainda assim ok. Tinha um zumbidinho na cabeça, talvez proporcionado pelo remédio, e de certa forma sentia que estava começando a conhecer uma terceira pessoa nele por causa da medicação. Alguém que não era nem tão feliz, nem tão triste, nem tão raivosa. Alguém meio apático e estranho, talvez porque tomava o remédio só por alguns dias e isso significaria que ainda estava se equilibrando quimicamente.

Mesmo assim não era ruim. Seu visual também estava uma mistura: os cabelos levemente bagunçados, mas não tão rebeldes, anéis e pulseiras, mas sem lápis de olho, estava com a camisa meio aberta, mas o blazer alinhado… Era uma bagunça ordenada.

Naquele dia, não podia dizer que estava em plena forma, mas não estava tão ruim quanto o dia em que estava com a costela chutada. Não estava competitivo como antes, com raiva dos adversários. Na verdade, ele era um hyung jogando hóquei de grama com seu irmão mais novo. Era exatamente essa sua postura: adulta, com alguns sorrisos e brincadeiras de sempre - gritando incentivos para seu time, batendo palma, e, quando começou a gostar do jogo, ficou debochando dos adversários assim que possível - “Então é isso que faz o seu clube?” “É o melhor que pode fazer?” “Uhhh quase, só que não!”.

Quando terminaram, foi direto para o chuveiro e passou um perfume agradável para encontrar sua namorada. Deixou o irmão em paz e os outros garotos também. Claro que notou que os humores estavam estranhos naquele meio, mas não era problema dele. Assim que deixou o armário, ele foi rapidamente em direção não ao terraço, como de costume, mas à sala do segundo ano, onde se apoiou na porta e espiou lá dentro, esperando que ela o visse, pelo menos quando as vozes ali dentro começassem a cochichar sobre ele.

Humor: estável /---++

— Ross

avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Kim Sun-Hee em Seg Jul 09, 2018 4:45 pm

A conversa com Lee-Hi foi mais difícil do que Sunny imaginou. Nunca – nunca mesmo – teria cogitado aquilo ou algo próximo... E por conta da assombrosa surpresa diante da revelação completamente inesperada, ela reagiu de um jeito impulsivo demais e até indelicado. Não quis deixar a amiga pior, mas não conseguiu se controlar. Até porque, de verdade, Lee-Hi precisava sim de uma chamada, por mais que machuque... Não existe maneira de voltar no tempo e a forma que Ha Yi vinha lidando com a situação apenas aumentou o problema, o que a afetava em diversos pontos também. Então... ela brigou, a sacudiu e, no fim, chorou, chorou bastante, temendo pela amiga. Mas como prometeu, não abandonaria Lee-Hi. Entretanto, antes de enfrentarem as próximas etapas, era necessário resolver uma... uma muitíssimo importante e que poderia mudar a trajetória das coisas.

Um teste de gravidez.

Não sabia se era uma atitude precipitada ou não, porém Sun-Hee preferia eliminar todas as possibilidades complexas daquela equação. Pena que... Lee-Hi... não estava tão de acordo assim...

Quando ela negou, Sunny ficou sem palavras, encarando-a com os olhos arregalados e, inicialmente, não pensou em argumentos suficientes para desfazer a avalanche de desculpas utilizadas pela menina. Tarde demais, até tentou convencê-la, mas Lee-Hi bateu o pé e fechou-se de novo. Sunny usou de tudo... todo um arsenal de motivos, só que a amiga encontrava-se mesmo intransigente. E no momento que se ofereceu para ajudá-la a comprar, Ha Yi ficou ainda mais bloqueada e decidiu ir embora. Não a impediu, apesar da infelicidade se mostrar nítida em sua expressão... Pensava nela sozinha, carregando aquela angústia no peito... Uma provável dúvida, pois independente das tentativas de afirmar que não, não tinha chances de... Sunny estava certa de que nem Lee-Hi acreditou nas próprias palavras.

Desesperada e triste, após a saída da amiga, ela correu para o quarto, pegou um dos vários fones e quase explodiu os tímpanos com o som do violino à medida que chorava copiosamente, encolhida no meio da cama.

Pelo menos, dessa vez, a música funcionou como rota de fuga...

Dormiu sem perceber e apenas acordou com o barulho do chuveiro... Sun-Hee demorou para entender o que estava acontecendo e ao levantar e abrir a porta, foi surpreendida por um cheiro... esquisito. Porque era dessa forma que Sunny definia o aroma de Taemin:

Esquisito.

Suspirando enquanto encostava-se no batente, ela pressionou as têmporas doloridas conforme um pequeno sorriso se alojava no cantinho dos lábios.

Do Taemin... Quem diria...

Isso lembrava que ainda precisava fazer os exercícios dele... Rapidamente, o sorriso desapareceu, substituído por um bico quilométrico. Se ele queria continuar burro, a culpa não era de Sunny! Achava o preço injusto, mas não havia escolha. Ele a salvou, afinal. Cruzou os braços e resmungou baixinho enquanto se recordava detalhe por detalhe do episódio.

- Humpf... É um metido mesmo...

Mas as ofensas perderam a seriedade de semanas atrás. Porque, a partir daquele sábado, Sunny enxergaria Taemin de um jeito diferente... Um novo ângulo por trás da pose de badboy mal-encarado, durão e arrogante. Não que ele tenha perdido esses traços horríveis, mas ganhou alguns menos... agressivos.

Ainda era insano pensar que de todas as pessoas do mundo...

Logo ele... Logo ELE a ajudou.

De fato, estava em dívida com o... demônio.

Um diabinho que descoloria o cabelo, dono de sorriso perversamente torto e um olhar debochado.

Irritante de mil e uma maneiras...

O domingo não teve grandes acontecimentos. Ela mandou uma mensagem para Chae, perguntando como estavam as coisas e avisou que não esqueceu a conversa sobre os “detalhes mais detalhados” do encontro dela com Hyun. Enviou mensagens no grupo também, mas a maior parte do domingo ela tirou para descansar e terminar as lições, trabalhos, além de revisar algumas matérias mais complexas, principalmente aquelas da sexta-feira que perdeu as explicações. Precisava retomar a rotina...

[...]

Segunda-feira.

Sunny já sentiu dores de cabeça antes mesmo dela começar por completo.

Segunda-feira era um dia chato porque marcava o início da semana.

Segunda-feira era dia de educação física.

E...

Segunda-feira era dia de “atormentar Sunny e suas amigas”.

Saiu de casa com um enorme desânimo, antecipando modos de se defender e defender também as amigas dos ataques da Gremlin e da Rainhazinha insuportável.  

Já no colégio, dentro do vestiário, Sun-Hee tinha a ligeira impressão de que levava a cama nas costas. Trocou o uniforme habitual pelo da educação física e prendeu o cabelo num coque bem apertado para não correr o risco de alguma mecha lhe atrapalhar a visão.

Porque, ALÉM DE TUDO, segunda-feira também era dia de... GUERRA.

Mais uma vez, o esporte escolhido foi hockey.

Preferia o queimado ou qualquer outra coisa mais fácil do que aquele troço!

Enquanto lamentava a atividade da aula, mal percebeu a separação dos times até a voz enjoada de Hyemin se destacar. Sunny automaticamente revirou os olhos, demorando a entender o motivo da frustração da rival.

UKÊ?!?!?!?!?!

Que saco.

Mas fingiu ser madura e aceitou a decisão, mas os olhos faiscavam na direção da princesinha Gremlin. Sunny não estava afim de arranjar problemas e até tentou se comportar, mas na primeira trombada de Hyemin, o sangue esquentou. Ignorando a existência de Yerin, ela encarou Hye com a raiva estampada na cara e conforme se afastava, o pescoço quase não acompanhou a movimentação. Mas... ok. Respira fundo, Sunny e conta até dez. Pronto. Funciona, viu? Funciona direitinho. Determinada a não permitir que fosse afetada por ela, buscou ajudar o time do jeito que dava, porém era péssima. Terrível. Horrorosaaaaa. Não tinha fôlego, coordenação e velocidade. Nas tentativas de jogar a bola para as companheiras, errava a tacada. Óbvio que a Srta. Seo aproveitava as deixas e descontava uma dose de “elogios” nela – nem tinha como criticá-la, pois ela possuía mais desenvoltura do que Sunny. Ridículaaaaaaaaaaaa. A bola voltou a parar no seu taco e prestes a acertá-la, Heymin se intrometeu, empurrando-a para novamente tomar a sua vez, só que Sunny não deixou barato agora. Ela caiu de joelhos na grama, ficando com capim na testa, mas não permitiu que Hyemin terminasse a ação, enfiando o taco contra o dela.

- É MINHA! SAI!!!!!!!! SUA INSUPORTÁVEL! EXIBIDA!

Continuaram nessa rixa pessoal, até Hyemin ser colocada para fora, no cantinho da disciplina. Mas Sunny nem teve como comemorar porque recebeu uma bela chamada, dizendo que seria a próxima.

A aula transcorreu entre caretas e olhares com um armamento capaz de explodir toda a Coreia. As duas, tanto Sunny quanto Hyemin, pareciam mais preocupadas com a disputa interna do que com aquela que realmente acontecia fora da rivalidade dividida por ambas. Ao fim, o time delas venceu por 3 x 0 e Sunny estava morta de cansaço, quase não aguentando o peso do corpo. Mas tratou de endireitar a postura quando Hyemin soltava uma comemoração exagerada e a olhava como se vitória tivesse ocorrido em cima da adversária. Sunny apenas arqueou a sobrancelha e estreitou as pálpebras em seguida. Também cumprimentou as outras colegas antes de se juntar a Stella e seguirem ao banheiro. Resmungou o caminho inteeeeeeirinho.

- Chata! Chata! Chaaaaata! Aquela menina me tira do sério, Stella! Você viu a cara dela??? Comemorando...? Comemorando nada! Ela estava zombando de mim! Mas essa Gremlin boboca vai ver só... Eu vou treinar! Nem que eu precise virar uma atleta! Não me olhe assim! – advertiu Stella – Não me olhe com essa cara de “enlouqueceu?!”, não, não, não... Você vai ver... – deu um soquinho na mão, determinada – Irei melhorar na educação física... QUESTÃO DE HONRA!

Fez um fighting e sorriu.

Ela e Stella tomaram um banho rápido porque não queriam perder o intervalo. Sunny estava com sede, mas queria algo mais doce do que água. Se arrumou do jeito de sempre, sem qualquer preocupação em secar o cabelo. O clima nem estava tão frio para se preocupar com um possível resfriado. Como de costume, só aplicou um brilho labial para trazer um pouco de cor ao rosto habitualmente meio pálido. Enfim, após Stella terminar os últimos retoques, elas caminharam de braços dados pelo longo corredor que as levaria até o refeitório.

- Como foi o seu final de semana, miga?

Conversavam sobre assuntos comuns e leves. Sunny planejava comentar a respeito do seu sábado inusitado – mas sem incluir Lee-Hi. Confiava em Stella, porém aquele segredo era de outra pessoa... Seria uma grave quebra na confiança que a amiga colocou em seus ombros. E Sunny ainda tinha algumas... dívidas... para pagar... no entanto, não havia qualquer pressa em quitá-las. Até porque, ainda não viu o “diabo”... apenas na hora da educação física e foi muito rápido.

Mais adiante, os olhinhos apertados avistaram JaeKi com os amigos. Sunny suspirou... Tinha prometido a si mesma que enviaria uma mensagem para ele e acabou esquecendo. Era algo “bobo”, mas estava certa que o deixaria bastante feliz. Hmm... Mandaria depois e...

Espera.

Ela parou de andar, forçando Stella a interromper os passos e disse, de repente:

- Chega disso, já passou da hora, na verdade. Vem, Stella... Eu tenho que falar com uma pessoa e vai ser agora.

Segurou o punho da amiga e saiu a arrastando pela multidão até alcançar JaeKi. Quando passou por EunBi e MiSoo, Sunny balançou o queixo de modo educado, cumprimentando-as e, por sorte, estava mesmo com pressa. As pernas curtas lhe davam desvantagem, porém, assim que se aproximou o suficiente, Sun-Hee cutucou o ombro de JaeKi. Deduzindo que ele pararia, ela o brindou com um sorriso simpático e o gesto se estendeu aos amigos dele, Won e Kang.

- Oi, meninos, tudo bem com vocês?

Depois das respostas, ela acenaria e só então concentraria o olhar em JaeKi.

- JaeKi, obrigada pelas anotações! Elas me ajudaram muito! E, em troca, pensei numa coisinha que, com certeza, vai te animar mais. Talvez... E não estou dizendo que sim... Maaaaas... Talveeeeez... Eu tenha comentado sobre você com alguém...

Não era difícil adivinhar esse “quem”, mas Sunny falava naquele tom de mistério, para implicar e porque não sabia até que ponto JaeKi queria expor aquela relação que ele tinha com o appa dela. Independente de sim ou não, Sunny fazia questão que todo mundo visse, pois achava uma besteira esconder essa amizade complicada que existia entre os dois. Que não tinha chance de se desenvolver por culpa de preconceitos e medos infundados. Não armava um escândalo, porém não estava sendo necessariamente discreta.
WangJo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Jae-ki em Seg Jul 09, 2018 8:55 pm


Jae-ki passou o fim de semana mantendo segredo da sua demissão para halmoni e Soo-ji. Infelizmente a avó não quis ir ao médico, era muito teimosa, mas ao menos parecia melhor. Jae ficaria de olho nela o quanto podia nesses dias, fez um desenho para a irmã e teve tempo de assistir desenhos com ela domingo de manhã. A noite se encontrou com os hyungs para treinar e contar as novidades, claro que eles o zoaram, mas Jae estava bobo de tão feliz. Apesar dos problemas, ele conseguia sonhar acordado pensando em uma bailarina. Algumas vezes olhava para o nada sorrindo lembrando do abraço e do beijo dela. Dava até certo receio que isso tudo poderia desaparecer. Jae-ki já havia perdido muitas coisas, por isso era um receio que o acompanhava.

Chegou a imaginar como seria bom acordar com ela do lado. Tudo por causa daquele sempre que ela disse. Parecia tão perfeito, seria possível feliz assim um dia? Jae-ki tentava desfazer esses pensamentos, a vida o tinha ensinado a não fazer planos demais, porém seu lado adolescente era mais forte algumas vezes.

(...)


Ele acordou no meio de uma bagunça de lençóis já bem gastos. Estava dormindo no futon com sua irmã do lado como sempre. As pernas estavam descobertas e a outra parte coberta. Depois de desligar o despertador do celular, jogou água no rosto para limpar as remelas, mas não tomou banho, sabia que tomaria da educação física depois. Se tivesse arroz, encheria as boca dele antes de sair. Não demorou para se despedir. Dessa vez tinha uma motivação pra ir a escola, embora segunda-feira não fosse dos melhores dias. Ainda teria que enfrentar a procura de emprego.

Era dia de educação física, Jae-ki não gostava de Hockey, achava que era um esporte muito fresco, mas como era competitivo se esforçava o máximo para aprender essas coisas, odiava perder. Além disso, era meio perigoso ter um taco na mão quando queria acertá-lo na cabeça de alguém. Ele começou o jogo com aquele olhar assassino para seu inimigo, Taemin.


Quando o jogo ficou empatado, Jae-ki ficou realmente tenso, durante o jogo se esforçava para vencer, incentivando todos a dar o máximo de si como se esse jogo valesse uma competição nacional. Percebeu que Hyun também incentivava os outros. Quando venceram, ele comemorou como se tivesse mesmo ganhado um campeonato, vencer Taemin era impagável depois de tantas humilhações:

- Yeahhhhh - Gritou quando terminou o jogo.


Ele até se ajoelhou no chão comemorando. Pulou até nas costas de Kang. Virou sorrindo para o Hyun também:

- Vencemos!!!

Dong parabenizava o time, Jae estava feliz por isso não o ignorou, o garoto tinha um jeito estranho de falar chamando eles de cavaleiros. Jae-ki fez um sinal para ele enquanto passou por ele:


- Eohh, destruímos geral, valeu.

Quando o outro time passasse perto deles, Jae não se seguraria, logo provocou também:


- Yaaa! Perdedores!

Foi preciso os professores ficarem em cima para ele se acalmar um pouco. Quando entrou no vestiário Jae estava empolgadíssimo, tomou seu banho cantando um rap, não tinha uma voz agradável de ouvir e sua pronúncia em inglês era péssima, embora entendesse o que cantava. Em algumas partes fazia movimentos com os braços.

" - Okey Dokey yoo! Its thaty truue? Yeah okey dokey yo! Jeongmallo? yes, okey dokey yo! Lara lara..."

Jae-ki estava mesmo animado com a vitória e achava que o desinteresse de Taemin era porque não queria admitir que estava irritado por perder. Porém notou o olhar de Won. Depois de se vestir, tentou ser mais empático.

- Você foi o cara no jogo Won, mandou muito bem, ninguém pode vencer os dragões quando estamos juntos - Disse tentando animá-lo - Né não Kang?

Ele suspirou de fome, toda essa competição fazia seu estômago roncar, até o banho lhe dava fome:

- Uwa que fome!

Eles cruzaram então com as meninas, Jae notou que Bo-mi e Won fingiram não se ver. Ele sabia bem como era isso, MiSoo até tentou cumprimentar Won. Jae-ki sorriu ao ver Eun-bi, já ia falar com ela, estava doido para contar sua vitória e se gabar:

- Bibi!

Porém uma mocinha conhecida veio até ele e o cutucou. Jae-ki arregalou espantado. Demorou alguns segundos para que a respondesse:


- Ahn...... E aí? - Disse coçando a cabeça, sem a deixar no vácuo.

Essa menina era mesmo teimosa, eles tinham combinado não se falarem para não trazer problemas para ela.  A garota começava a agradece-lo pelas anotações, era bom ouvir que finalmente a tinha ajudado em algo, mas não era como se esperasse reconhecimento. Já ia se despedir dela para não prolongar isso, porém a garota começou a falar cheia de mistérios que deixaram Jae-ki intrigado.

Ele suspirou pensando que talvez não fosse tão ruim falar um pouco com ela, não era como se fossem se grudar mesmo. Ele estava curiosíssimo para saber se era do professor que ela falava:

- Mwo? Quem? Seonsaengnim Kim?.... Falou o que de mim? O que ele disse? - Perguntou cheio de curiosidade.
Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por The Crown RPG em Ter Jul 10, 2018 2:14 am

ÁREA EXTERNA - 10 DE JUNHO. 9:50 A.M.


A segunda-feira tinha uma conotação bastante diferente para os três Dragões. Para Won era o dia da melhor aula de WangJo: educação física. Jae Ki via como um constante desafio porque independente do que acontecia em sua vida, uma coisa era simples: precisava ganhar de Do Taemin em todos os ramos de sua vida. Já para Woo Jin, era um dia de morte. Apesar de ser um rapaz com bastante energia, ele não tinha condicionamento físico para aturar aquelas aulas, por isso geralmente morria.

Contudo, aquela manhã em especial, estava bastante atípica. Como sempre, Kang teve a ajuda de sua empatia para notar como Won estava mal. Não havia a mesma alegria de sempre e disposição para seguir com as aulas. Nem ao menos o seu instinto competitivo estava em alta.

Jae Ki não se atentou muito à isso no início porque estava focado em seus objetivos. Aparentemente, Jung Mi tinha conseguido criar um bom time. Ao invés de focar em suas amizades e afinidades, ele pensou na estratégia. Com exceção do irmão que havia sido o primeiro a ser escolhido, nenhum dos outros rapazes eram próximos dele. Seus amigos estavam do outro lado.

E ele nem ao menos pareceu lamentar por isso, visto que foi ele mesmo quem escolheu. Num primeiro momento, essa questão podia ser vista como algo normal. Porém, ele teve chance de escolher Ryu Ji ou Gyu Sik, mas optou por Won Bin e Jae Ki, respectivamente. Os dragões não estavam muito focados nisso, mas os amigos perceberam que houve algo acontecendo ali.

De todo modo, bom para o time dele, porque eles ganharam!

Jae Ki mal se aguentava de tanta felicidade, chegando a pular nas costas de Kang e derrubando o amigo de vez, no processo. Won só dava parabéns contidos. Hee Kyung foi bastante polido para com o grupo e Hyun Hee saiu como o hyeong que ajudou a levar o time à vitória.

Pouco ou quase nada foi visto do time feminino - só muitos, muitos berros. Algo normal das meninas, mas aqueles foram exagerados porque duas garotas do mesmo time pareciam se desentender e tiravam Eun Bi e Misoo do sério. A bailarina não era apenas boa com dança, ela também gostava de esportes e a melhor amiga era a incarna das Olimpiadas - adorava gastar suas energias com jogos.

Ambas eram competitivas e foi irritante ter que bancar a babá para conter Sunny e Hyemin. Toda educação física era assim, mas pareceu ainda pior botar as duas no mesmo time. Eun Bi foi bem ríspida com as duas, mas dava para ver que não era pessoal - era coisa de capitã.

Felizmente, elas também venceram e, no fim, Choi Eun Bi usou um tom de voz bem mais aprazível e elas deram um abraço coletivo, comemorando a vitória. Estava de volta ao normal. Não tinha nada contra elas, muito pelo contrário. Só fazia parte de um nicho diferente que vivia de modo harmônico com os outros grupos.

Os professores guiaram os grupos de meninos e meninas até os banheiros. Todos pareciam com os nervos aflorados, sendo algo bastante comum em adolescentes com hormônios elevados. Não queriam ver ninguém de gracinha pelo caminho porque fechariam a quadra também.

Os dragões sempre andavam em trio. Tinham aprendido desde o primeiro dia que eram mais fortes juntos. Por isso eles esperavam de modo paciente e seguiam para os lugares, caso não tivessem algum compromisso - geralmente clube - para se apresentar. Kang não tinha esquecido do que combinara com Jae Ki e estava com a roupa extra em sua bolsa para emprestar ao amigo no fim da aula. Ainda gastariam um tempo fazendo a bainha com durex, mas estava tudo sob controle.

Não tinham demorado muito no banheiro, mas também não foram extremamente rápidos - o grupo de Dong tinha sido o primeiro a sair. As provocações de Jae  Ki para Taemin foram ignoradas. O loiro nem estava com mau humor por ter perdido e parecia que a mente dele estava em outro lugar. Não que isso importasse para Jae Ki que continuaria enchendo bastante o saco dele e dos amigos. Ji Ran olhava com mais ódio e Ryu Ji também teve certo grau de rancor com as brincadeiras excessivas.

Fato era que eles começariam a caminhar juntos na direção do refeitorio e Jae Ki ainda falava do jogo. Começou exaltando Won e Kang só concordou.

- É verdade. Você mandou muito bem, apesar de não estar legal. - Woo Jin comentou sem medo das indiscrições.

Chegaria até mesmo encarar Won e foi nesse momento que Bomi passaria por eles. A garota estava com as mãos apoiadas nas alças de sua mochila e pararia porque teve a impressão que trombaria em alguém. Ao erguer o olhar, viu que quase foi em Won Bin. Ficou um pouco mais aflita e desviou o olhar no mesmo instante, virando a cabeça no processo e andando um pouco mais rápido até o prédio principal.

Kang encheu as bochechas de ar e começou a soprar. Virou-se para ver se as meninas estavam por ali. Misoo e Eun Bi estavam. Elas comentavam alguma coisa, olhando na direção de Bomi, mas logo a tenista parecia apontar na direção dos vestiários. Antes que ela fosse, duas meninas começaram a se destacar enquanto passavam por elas. Eun Bi encarou Sunny e Stella, dando um pequenino sorriso.

Ouviu o chamado de Jae Ki, erguendo o olhar para ele e estava prestes a responder até que viu que...aquela pequena menina encrenqueira que havia passado por ela, estava voltando para falar com Jae Ki. E não estava apenas falando com a boca, ela o cutucou para chamar sua atenção.

A expressão da bailarina mudou tão rápido que ela nem percebeu. De repente, estava com as sobrancelhas franzidas e um palmo de bico.


[...]

Depois que a aula terminou, Stella quase agradeceu aos céus. Não estava muito preocupada com a segunda-feira do mal daquela vez. Até porque tinha a impressão que já tinham descontado absolutamente tudo naquela rinha em campo. A comemoração de Hyemin foi bastante...doida.

Stella não deu muita moral, chegando a fazer uma expressão de “o que será que ela tomou no café?”. Meneou negativamente e apenas deu o seu melhor para tirar Sunny dali. A amiga foi reclamando o caminho inteiro e a canadense só conseguia menear negativamente.

- Vi...Eu também não entendi o que exatamente ela estava comemorando. - Ponderou. - A gente estava no time dela. - Disse num tom de quase riso. O riso veio mesmo quando Sunny declarou que se dedicaria aos exercícios físicos e viraria uma atleta.

Os olhinhos mel ficaram marejados por conta das lagriminhas da risada. Tapou a boca com a mão livre, mas não foi o suficiente. Explodiu numa gostosa gargalhada, achando muita graça daquela tentativa de Sunny. Parou de rir, olhou de novo e tombou o corpo para a frente.


- Você!? Atleta?! HAAHAHAH...Amiga, a gente tava morrendo nos primeiros segundos do jogo. Você não conseguia coordenar a bolsa com a corrida. Pelo menos eu estava no gol! - E não precisou passar por isso. - Aigoo..Deixa isso para lá.

Fez um carinho no braço dele.

- Esquece isso, hm? Vamos tomar banho antes que elas cheguem e bom, eu espero que fique tudo bem hoje.

E realmente correu tudo bem. O grupo de Hyemin chegou depois delas, mas elas estavam mau humoradas por terem perdido ou com problemas demais para focar em Stella ou Sunny. A dupla saiu um pouco depois do trio de Misoo, sem maiores problemas. Assim como Sunny, Stella manteve o cabelo molhado e em ordem. Nunca era bom ficar tempo demais no banheiro quando podia ter um ataque daquele grupo.

Ao ouvir sobre seu fim de semana, as bochechas coraram um pouco.

- Foi ahm...legal, eu diria. - Conteve o sorriso. - Mas acho que preciso sentar para pensar no que aconteceu antes de conseguir contar de modo claro. E o seu, como foi?

Sunny tinha acumulado noticias dos outros naquele fim de semana e tinha uma novidade propria para contar também. Chaeyoung tinha respondido ao sms dela pedindo desculpas por não ter combinado nada, mas ela não estava se sentindo bem. Disse estar com cólica e pediu para saírem durante a semana ou conversarem em algum momento na segunda mesmo. Já Lee Hi, tinha agradecido ao apoio dela, apesar de tudo e prometeu que ficaria bem.

A menina não conseguiria entrar em nenhum dos assuntos porque logo teve a imagem de Jae Ki e seus amigos. Antes de chegar até eles, ela passou por Misoo e Eun Bi que tinham parado para conversar. O discreto cumprimento dela foi notado e correspondido por Eun Bi.


Sunny veria que Jae Ki tinha se virado para chamar por alguém com o apelido de “Bibi”, mas antes que a pessoa respondesse, ela iniciou a conversa uma conversa por códigos. Stella ficou um pouco travada diante de meninos que não conhecia, mas olhou para os três dando um sorriso gentil.

- Olá, meninos. Como vão? - Abaixou de levinho a cabeça. Jae Ki parecia um menino um pouco mau encarado à primeira vista, mas a presença de Woo Jin e Won Bin equilibrava isso. E, bom, se Sunny não via problemas em falar com ele, deveria ser gente boa mesmo.

A conversa não dava para ser completamente compreendida por Kang, Won ou Stella. Os três ficariam ligeiramente perdidos, mas a aluna estrangeira parecia uma companhia agradável. Os três perceberam a aproximação felina de Eun Bi e Stella arqueou uma das sobrancelhas enquanto Kang agarrava o blazer de Won.


Perigo. Perigo. Ele queria dizer.


Eun Bi caminhava com os braços cruzados e uma expressão bem fechada e passos ritmados, lentos. Para o azar de Jae Ki, eles falavam alto o suficiente para que ela ouvisse. E o olhar concentrado - e sorridente - de Sunny, abria margem para uma interpretação que a ciumenta escorpiana - um pleonasmo, sabemos disso - não gostava nem um pouco.

- Hm. Quer dizer que você está famoso, Jae Ki? Ele é realmente ótimo com anotações...Não sabia que também esteve te ajudando, Sun Hee.

- E aíí, Bibi? - Kang ergueu a mão, mas quando recebeu o olhar odioso dela, bateu na mão de Won e improvisou um toque louco. - Bom dia para você também.


- Ótimo dia. - Disse entre os dentes, mas focou o olhar em Jae Ki.

Explicações seriam boas. Agora.

Nem mesmo os olhos arredondados de Stella conseguiam ficar mais arregalados do que aquilo. O que é isso? Por que Eun Bi foi da gentileza ao coice em meio segundo? Por que Sunny tinha o dom de aborrecer as pessoas daquele jeito? Ela nem tinha feito nada...não é?


Kang olhou de banda para o Won, tentando traçar um plano por telepatia.



Apesar de tudo, a educação física tinha sido divertida ao seu modo. Além de conseguirem reunir o grupo no mesmo time, elas também tinham vencido. Eun Bi era uma capitã louca, mas competente e Misoo tinha um espírito de liderança que ficava mais evidente em esportes coletivos também.

O abraço coletivo foi um castigo para Hyemin e Sunny, mas elas nem quiseram saber disso. Logo começaram a se retirar para o vestiário. Bomi estava com uma expressão um pouco cabisbaixa, mas ainda era capaz de sorrir com a amiga.

Gostaria de ter agradecido por todo o apoio que ela havia dado e até mesmo contado com mais detalhes o que tinha acontecido. Provavelmente faria isso no almoço, visto que agora estava com o horário apertado para se apresentar na Rádio durante o intervalo. As amigas tomaram uma ducha breve e saíram às pressas. Logo que saíram, Bomi comentou que precisava correr e ver a pauta do dia.

Despediu-se das amigas com um sorriso, mas foi realmente estranho como ela empacou antes de acelerar ao ver Won. Eun Bi fez um bico ao lado de Misoo.

- Deve ter sido, ela ainda não contou nada pra gente, né? Tudo bem que agora tem o clube dela, mas enfim.... - Revirou os olhos. - Que colar bonitinho, amiga. Adorei.

Não perguntou quem tinha dado porque recebeu as primeiras instruções dela. Foi meneando positivamente, prometendo que encontraria um lugar legal para o grupinho. Antes que Misoo saísse, Sunny e Stella passaram pelas duas e deram um discreto cumprimento que foi correspondido por Eun Bi. Misoo não viu o resto porque precisava entregar o tal boné a Jung Mi.

O vestiário masculino ainda estava cheio ao seu modo. Os meninos falavam muito, principalmente o grupo que ainda estava lá dentro. Apesar de terem perdido, havia uma energia que explodiria a qualquer momento.

A voz de Jung Mi não ecoou lá dentro, indicando que, talvez, ele já tivesse saído. Podia ouvir as risadas de Taemin com Ji Ran e até mesmo Gyu Sik falando. Logo Misoo percebeu que talvez não fosse uma boa ideia esperar ali e ela buscou um lugar onde pudesse esperar sem que ficasse esquisito para ela.

Cerca de trinta segundos depois, ela pôde ouvir uma conversa um pouco mais nítida.

- Então quer dizer que eu estou mesmo convidado para sábado?

- Eoh. Os convites com o horário devem ser entregues amanhã.

- Hm...Posso, concluir, então que você e Ryu Ji finalmente perceberam o mesmo que eu.

- O que exatamente?

- Que eu tive meus motivos para me desvincular do rei. - Taemin disse o apelido num tom debochado. - E que eu não sou tão ruim quanto ele gosta de falar por aí.

- Vamos combinar que jogar pessoas no lago não é o ideal de pessoa legal.

- E ficar com a garota que o melhor amigo gosta, é algo legal?

Misoo apenas ouvia, mas podia visualizar o momento que Gyu Sik parou de andar e talvez imaginasse a expressão dele naquele momento.

- Taemin...Não faça com que eu me arrependa de voltar a falar com você e convidá-lo para o meu aniversário.

- Miane, eu não quis ser rude. Mas não é mentira, né?

- Isso não importa mais…Eu tive minha chance, mas perdi a oportunidade e não é como se eu pudesse mandar nos sentimentos das pessoas. Ela nunca gostou de mim do mesmo jeito que eu gosto...gostava dela.

- Você nem ao menos tentou.

- E você tentou e perdeu a amizade, não é?

- E você que não tentou e perdeu a amizade mesmo assim? Eu sou burro, mas sou observador.

- Você...ficou mais insuportável e eu nem percebi.

- Eu também senti sua falta.

- Tsc…

Os dois não viraram na direção em que Misoo estava, eles seguiram direto sem reparar muito no que acontecia ao redor. Taemin continuou falando algumas coisas que faziam Gyu reagir com cotoveladas e implicâncias típicas de amigos que, pouco a pouco retomavam a amizade. Tanto que algo fez Gyu rir meio sem graça e gerar uma risada de Taemin também.


O celular de Misoo teve resposta de Jung Mi.

Jung Mi

Jung Mi
Bom dia!
Vim direto para o refeitório porque estava faminto. Obrigado por ter cuidado de meu boné.
Na verdade, eu precisava conversar contigo. Sei que estive ausente no fim de semana, mas aconteceu algo em casa.
Conto com sua discrição, mas é importante que saiba.
(C) Ross



REFEITÓRIO. 10 DE JUNHO. 9:55 A.M.


Hee Kyung tinha acordado bem animado, apesar do primeiro tempo. Talvez se a aula de educação física estivesse com o foco em natação, o ânimo dele não fosse o mesmo - ou talvez ele arranjasse uma desculpa para ficar na arquibancada vendo os treinos das meninas.

Nunca, né? Esse não era o tipo de conduta que se esperava de um lord como Hee Kyung.

O esperado era o tratamento cordial, parabenizando todo o time com aquele vocabulário mais polido e certinho dele. A resposta que ele recebeu de Jae Ki foi um verdadeiro contraste de linguajar. Mas era essa diferença que fazia com que Dong se sentisse mais interessado em tentar ajudar os bolsistas e qualquer minoria que ali existisse - e eram muitas.

O grupo dele foi o primeiro a sair do vestiário. Min Ho estava com a expressão emburrada de sempre, mas não parecia chateado por ter perdido. Já Ui Jin estava bastante feliz porque só jogou um jogo e seu péssimo desempenho o fez voltar para o banco. Pelo menos o time de Dong tinha vencido e agora todos estavam em paz.

Min Ho ficou aliviado por ver que Hee Kyung não esperaria por nenhuma das meninas. Não queria começar a relembrar da noite de sexta-feira, apesar de ter sentido falta do cão. Tinha gostado mesmo dele, à ponto de cogitar pedir um bichinho de aniversário. Mas era um pensamento passageiro.

Ao ouvir o comentário de Dong, Min Ho ajeitou os óculos e o encarou.

- Não foi impressão, foi de propósito. Chama-se marcação. Você era o mais fácil de marcar no time. Você e o Kang, mas você é mais lento que ele. - Disse sem nem pestanejar. - Não marcaria o Joo Hyuk, muito menos os outros. Muito fortes, muito grandes. Você. E você merecia depois das mentiras que me contou.

- E olha que você é nosso amigo, imagine se fosse inimigo.

- Aí eu bateria com o bastão em vocês, sem sombra de dúvidas.

- Cruzes, Min Ho.

- Pelo menos, eu não minto.


- Aigoo, lá vamos nós de novo.


Seguiram com Hee Kyung até os armários para guardarem tudo. Min Ho e Ui Jin sentiram que envelheceram 5 anos nos 5 minutos que Hee Kyung demorou para ajeitar milimetricamente suas coisas. Ui Jin estava limpando os óculos enquanto Min Ho o encarava com os braços cruzados.

- TOC é uma doença. Tem tratamento.

- Shhh. - Ui Jin deu uma ombrada em Min Ho e seguiram para o refeitório.

O lugar ainda estava vazio, com exceção de Jung Mi que já tinha escolhido sua bebida e comida. O garoto sentou-se, isolado com os fones de ouvido e começou a enviar uma mensagem. Ui Jin queria comer algum doce, mas quando retornou para a mesa e viu o que Hee Kyung escolheu, sentiu um soco no estômago.

- Que cheiro horrível.

- Coma, Hee Kyung. Tenho certeza de que nenhum inconveniente ousará se aproximar de nós. O cheiro é pavoroso.


Ui Jin ainda sofria com a visão e com o odor, mas parou de julgar os hábitos alimentares do amigo. Retirou o seu bolinho principal do blazer, deixando o de Hyemin e o extra ali. Desde que passaram a andar com mais meninas, ele passou a colocar dois bolinhos extras: o de Hyemin e o que animava a pessoa triste do dia.

Impressionante como sempre, sempre, sempre tinha alguém infeliz andando com eles. Principalmente nas segundas-feiras: ou era Sunny ou Stella ou Lee Hi. Uma das três sempre aparecia chateada ou aborrecida com algum evento que não explicavam bem o que era. Então, Ui Jin dava um bolinho, elas ficavam ligeiramente mais felizes e tudo sossegava.

Desconhecia os eventos que ocorriam às segundas-feiras.

- Estou descansado, mas não menos preocupado. - Mordeu um pedaço do bolinho. - Você sabia que isso é totalmente industrializado e vai te fazer mal?

- Esse aí não é da sua família?

- Não, é da concorrência, por isso tô dizendo que faz mal.

- E o da sua família faz bem?

- Também deve fazer mal, mas esse aí com certeza faz. - Tentou se controlar e respeitar os hábitos alimentares, mas não conseguiu se conter. - Então, estou preocupado. Não conseguirei manter um discurso eloquente se for com a Srta. Yang. Está tudo na minha cabeça, eu não fiz um rascunho.

Min Ho levantou-se e foi até o buffet que estava vazio para mexer na gaveta de talheres. Só tinha colheres e hashis, sem objetos cortantes. Entregou para Hee Kyung e ficou quietinho. O refeitório enchia cada vez mais, como era o esperado. Pessoas como Yewon, MiRan e Nana já podiam ser vistas por ali.

Logo, logo, Hayoung deveria aparecer também.

- De todo modo, acho que devemos ser sucintos em nossa apresentação, para que maiores explicações venham durante as perguntas do diretor. Corremos o risco de nos alongarmos em trechos que não seja o foco dele. Talvez seja mais prático aguardar as perguntas porque aí saberemos o que ele tem mente também.

Não demoraria para o sinal tocar e o lugar encher de vez. Logo teriam a companhia de Ha Neul e os outros, assim como a rádio comandada por Kim Joo Hyuk.
(C) Ross



PRIMEIRO ANDAR - 10 DE JUNHO. 9:55 A.M.

Yerin não tinha gostado nem um pouco de ter ficado no time oposto ao de Hyemin. Nunca gostava de jogar contra ela, mas o bico foi maior ainda ao ver que Sun Hee e Stella estariam com ela. Esperava que não aprontassem muito.

Conforme o jogo evoluiu, ela percebeu que o time não tinha sido de todo ruim, para Hyemin. Muito embora fosse uma pessoa competitiva, ela não estava focada no jogo. Tinha muita coisa acontecendo ao mesmo tempo e ela tentava se dividir. Sentiu certo gosto de ver como a amiga conseguia se impor e colocar ordem no jogo. Sun Hee atrapalhava muito mesmo. Mas a verdade é que não estava muito disposta a gastar energias provocando a garota naquele dia.

Talvez Hyemin tivesse o suficiente naqueles jogos e pudessem focar em outras coisas. Como Nana que parava do nada e ainda tinha o olhar aéreo. Não era a primeira vez que Yerin a pegava agindo assim e começava a desconfiar do que a garota estava fazendo com o próprio corpo.

Nem ao menos lamentou quando perderam de 3x0. Elas mereceram e não nutria simpatias por Mi Ran para tentar honrá-la como capitã - o ódio começou após o evento do sábado que culminou na derrocada de Eun Na. Além disso, havia a sonsa da Ye Ji, a mosca morta da sapo e Hayoung irritada sabe-se lá com o que. Ainda bem que aquela droga tinha acabado e elas podiam seguir com a vida.

Às vezes, a educação física parecia uma perda de tempo. O grupo chegou ao vestiário quando as coisas estavam mais tranquilas e Yerin foi a última a tomar banho. Saiu da ducha usando um roupão preto com detalhes em rosa - a toalha que prendia seu cabelo era rosa, conjunto do roupão. Nana tinha tinha saído um pouco antes, reclamando de sede. Hayoung ainda estava se arrumando e permaneceria ao lado delas, pelo menos até a hora de guardarem as coisas.

O armário de Hayoung não ficava colado ao de Hyemin, de modo que precisariam se separar e depois ela resolveria o próprio problema.

Hyemin podia perceber que Yerin não estimulou e nem demonstrou interesse em perturbar a paz de Sunny ou Stella. Depois que estivessem devidamente arrumadas, seguiriam até o armário. A mochila de Yerin era preta e rosa e ela usava pulseira com detalhes em rosé e uma tiara também rosa. Não gostava da cor, mas tentava se esforçar para manter a cor.

As duas amigas perceberam que terminaram sozinhas no percurso, mas isso estava longe de ser ruim. Pareciam mais felizes assim. Yerin olhou para Hyemin e meneou positivamente.

- Ung, percebi. Acho que tem algo estranho acontecendo com ela, Min… - Disse num tom preocupado. - Ela foi ao banheiro algumas vezes no dia que dormi lá e sempre que voltava, parecia ahm...anestesiada, sabe? Estou com receio que ela esteja fazendo alguma besteira…

Sentia-se culpada, ainda que não fosse sua responsabilidade.

- A Hayoung, eu não faço ideia. Talvez seja o castigo...Ela realmente caiu bastante. - Comentou o que reparou.

De repente, o silêncio do corredor foi quebrado com o grito que Hyemin dava ao se deparar com a única flor de hibisco presa ao seu armário. Yerin pulou no mesmo lugar e olhou para onde ela apontava, arregalando os olhos.


- Uwa...Que cor bonita. - Até mesmo ela achou a cor daquele hibisco bela. - Muito bonita mesmo. Quem pode ter colocado aí?

Do jeito que falava, podia soar que tinha sido ela, por isso mesmo, ela já foi erguendo as mãos e negando.

- Não fui eu. Mas quem quer que tenha sido, pesquisou um pouco sobre você. Hibisco não é a flor que uma menina geralmente pensa. É bem particular…

Fez um bico quando ouviu sobre Miwoo e virou a cabeça na direção dela. Até chegou a ver se ele não surgiria de algum lugar, mas finalmente pousou os olhos sobre a amiga e comentou o óbvio.


- Eu acho improvável que tenha sido Wang Miwoo. Deve ser um admirador secreto. - Ponderou. - Sera que foi Lee Ui Jin? Ele já te dá bolinhos quase todos os dias, vai ver que mudar um pouco e te dar uma flor.

Tão logo ela colocasse a flor no cabelo, Yerin daria um jeitinho de arrumar o cabelo dela. Esboçou um pequeno sorriso diante da beleza dela.


- Quem quer que tenha sido, foi bom gosto. Você está linda assim.

- Oooi… - Beom Su chegou meio se arrastando.


O charmoso integrante masculino do grupo tinha um perfume gostoso pós-banho, estava bem alinhado, porém sua cara era de puro tédio.

- Que aula horrorosa. Ainda bem que acabou. Perdemos, pra variar. Um dia param de me escolher para essa droga. - Comentou de um jeito bem humorado. - Como vocês estão? Flores? Achou no jardim, Hyemin-ah?

- Ela ganhou de algum admirador secreto.

- Uaaau...Mas que poderosa, hein? Eu acho que tem um pé de hibisco no jardim. Deve ter pego de lá.

- Provável. Quem é que ficaria trazendo uma única flor pro colégio assim? As pétalas estão muito bonitas e recentes para ter passado por um trajeto grande.

- Não sabia que você conhecia botânica, Yerin-ah.

- Não conheço, mas estou falando algo óbvio. Enfim, vamos comer? Nana está no refeitório…
(C) Ross


SEGUNDO ANDAR. 10 DE JUNHO. 10 A.M.


Han Jae realmente era o melhor funcionário que alguém poderia querer. Prestativo e preocupado, ele aceitou permanecer como acompanhante em tempo integral do velho Sr. Hong. As acomodações do hospital podiam ajudar, mas mesmo assim, não havia muito descanso para ele. E o segurança era incapaz de reclamar. Pelo contrário, se mostrava atento aos passos do garoto também.

Na resposta, ele tirou uma selca com o Sr. Hong - os dois estavam vendo um documentário aleatório. As expressões estavam boas, apenas de cansados. Queriam voltar logo para casa, mas fora isso, estava tudo bem. Han Jae também perguntou se Hyun estava comendo, dormindo e tomando os remédios. Desejava que ele tivesse uma boa aula e que aproveitasse a folga enquanto podia porque logo retornaria à vida dele para atormentá-lo.

E isso não parecia nem um pouco ruim.

Pela primeira vez, depois de dois anos, Hyun novamente sentia aquela sensação familiar de ter uma casa e pertencer a um lugar. A tia não ficava pegando no pé dele, cedendo aquela liberdade acompanhada. Claro que esperava que ele dissesse para onde iria, caso saísse, mas não cobrava maiores explicações. Parecia sempre dar a chance de confiar antes de criticá-lo ou tentar impor alguma ordem.

O primo também era uma boa companhia. A diferença de idade trazia todo o respeito, mas Chang Wook era jovem o suficiente para que Hyun se sentisse confortável. O curioso era que não sentiria o mesmo conforto que tinha com Han Jae. Eram sentimentos diferentes e talvez fosse justificado porque Han Jae era seu segurança, no fim das contas.

Como Hyun foi o primeiro a sair de casa, ele nem recebeu os elogios merecidos por aquele café da manhã. Hae Sook faria uma verdadeira festa com tamanha fartura e teria um café da manhã muito gostoso com seu filho.

Hyun comeu mais rápido e foi encarar o transporte público para cruzar Seul. O colégio ficava do outro lado da cidade, mas ele faria o percurso em excelente tempo. Pôde ponderar bastante pelo caminho, tendo suas próprias conclusões nas introspecções que realizava. Ainda havia muita coisa para que ele trabalhasse, mas os primeiros passos, em todos os ramos de sua vida, tinham sido dados. Só precisava continuar seguindo.

No colégio, ele ainda teria que passar pela educação física com as crianças antes de passar pelos desafios sociais do intervalo.

Para sua surpresa, contudo, a aula começou com ele sendo a primeira escolha de Jung Mi para o time. Era algo impactante, para dizer o minimo. Talvez tenha sido o gás necessário para que ele desse o seu melhor e levasse o time à vitória. O irmão e o time inteiro o parabenizou e logo ele seguiu para o vestiário.

Diferente dos outros, ele marchou até o segundo andar para dar uma espiada na sala do 2º ano. A sala era ampla como a dele e agora parecia haver mais grupinhos do que antes: o grupinho de Eun Joo, Jong In com seus antigos amigos, o grupo das meninas que se “uniam” contra Eun Joo - liderados por Kim Minah -; os meninos que não eram tão insuportáveis quanto os amigos dele - liderados por Han Minhyun; e os avulsos nerds que, para sua surpresa, pareciam fazer parte do grupo de Chaeyoung, visto que Han Sona e Ha Neul estavam perto de Chae.

A joaninha estava sentada na fileira que antecede a fileira da janela - do outro lado da sala. Estava no terceiro lugar, atrás de Lee Ha Yi que estava atrás de Hyewon. Han Sona sentava-se ao lado de Hyewon e Ha Neul atrás de Sona. Em seguida viria o garoto de cabelo descolorido que começava a usar tons mais corretos. Ele estava bem ao lado de Chaeyoung e com o rosto com alguns roxos.

Chaeyoung estava usando óculos de leitura, mas olhava bem para a cara dele. Aquela tipica expressão de quem chamaria atenção do filho por ter feito alguma coisa errada. O garoto a encarou com uma cara emburrada e deu de ombros.

Os primeiros a notá-lo foram justamente seus antigos grupos. Eun Joo até mesmo se ajeitou em sua carteira, mas fingiu não vê-lo. Jimin e Hyejeong eram mais descaradas. Jong In estava distraído olhando para o cabelo de Eun Joo, mas logo lançou um olhar para a porta também enquanto passava a ponta da caneta pelos fios castanhos.

Essas movimentações chamaram a atenção de Chaeyoung que finalmente olhou para a janela. Abaixou um pouco os óculos de leitura e sorriu de modo fofinho para ele.

O sinal bateu, indicando o fim da aula. O segundo e o terceiro ano faziam educação física juntos, por isso os alunos saíam com seu material. Os grupos que não eram centrais, passavam por ele dando um sorrisinho ou cumprimentando, perguntando “tudo bem?” e essas coisas.

A sala estava um pouco mais vazia, mas os grupos de Eun Joo, Jong In e Chaeyoung ainda estavam lá dentro. Ha Neul e Sona avisaram que estavam indo e Chae continuou escrevendo. Lee Hi virou de costas para para a porta, incapaz de olhar na direção de Jong In e companhia.

Eun Joo também estava terminando de anotar alguma coisa do quadro enquanto Jong In só estava enrolando mesmo. Começou a caminhar meio preguiçoso, fazendo um cafuné no cabelo de Joonie até que viu Hyun - como se não tivesse visto antes.

- Bom dia, chingu!! Como foi seu fim de semana?

As amigas de Eun Joo e o grupinho de Jong In olharam com curiosidade. Chaeyoung estava acelerando a caneta e Hyewon olhava sem perceber. Kai também não parecia ter pressa e Lee Hi ignorou completamente.
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Jae-ki em Ter Jul 10, 2018 10:35 am


Jae-ki estava muito curioso para saber o que Sunny tinha a dizer, ele até deixou um pouco de lado aquele combinado de não se falarem. Também já fazia dois meses, as coisas estavam diferentes de qualquer forma. Porém Eun-bi chegou interrompendo a conversa e falando de um jeito estranho. Jae franziu as sobrancelhas ao ouvir o comentário dela, ela tinha o rosto invocado.

- Eu famoso?! - Repetiu confuso.

A forma como ela falava das suas anotações não parecia um simples elogio, seria ciúmes? A encarada que Eun-bi o deu depois de responder Kang ajudava a confirmar um pouco isso. Será? Jae até achava isso bonitinho, ao menos enquanto não a tinha visto brigar verdade, ainda não sabia as proporções dos ciúmes dela.

- Não foi nada, Sun-hee faltou e eu só mandei as coisas do dia pra ela - Respondeu a bailarina com naturalidade.

Até porque Jae sabia que Sun-Hee não precisava de muita ajuda com as notas, então para ele tinha sido mesmo pouca coisa. Depois olhou para Eun-bi preocupado e perguntou:

- Você tá bem?

Ele aproximou sua mão da dela a tocando de leve, pegaria na mão dela se Eun-bi não se afastasse. Se Sunny fosse um pouco observadora, notaria que havia um olhar diferenciado de Jae-ki para Eun-bi. Ele estava mesmo interessado em saber, o pé dela ainda o preocupava.

- Vocês já se conhecem né? - Perguntou pra elas, depois falou para Eun-bi - Vamos pro refeitório juntos? A gente já tava indo,  eu tô morrendo de fome e tenho várias paradas pra te contar.

Jae estava animado, porque queria contar da sua vitória na educação física também. Independente se a bailarina negasse sua mão, ele continuaria agindo normalmente, porque acharia que devia ser raivinha de ciúmes. Mas se ela deixasse, não soltaria a mão dela. Pretendia explicar tudo a ela depois.

-Só espera rapidinho a Sun-Hee me confirmar uma parada, depois eu te explico. - Disse para a bailarina.

Jae-ki não se importava que a bailarina ouvisse, não queria ficar escondendo as coisas dela. Mas explicar tudo ali no meio do corredor não era uma boa coisa, não queria espalhar essa sua história pra toda Wangjo, estragaria seus planos. Ele sabia que seria melhor esperar outra hora, mas ao menos queria confirmar isso, se não sentia que ia morrer de curiosidade. Voltou a olhar para Sunny esperando que ela dissesse o que ele queria saber:


- Então? Só confirma, foi pro senhor Kim?

Talvez Eun-bi notasse que Jae-ki estava ansioso por essa resposta.


Wangjo/ Curioso

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Dong Hee Kyung em Ter Jul 10, 2018 12:17 pm


Aquela frase ficou passeando na cabeça de Dong, "destruimos!" disse Jae-ki, era um termo realmente bem diferente mas graças aos céus Won estava lá para esse jogo não ser um desastre. Min-Ho aproveitou para descascar o amigo, se aproveitando de sua nobreza e maneira polida de reagir. Hee Kyung não iria tecer comentários tóxicos ou ácidos mesmo se provocado (ou trolado) desta maneira. Muitos poderiam ver a conduta como covarde ou até branda, mas este era o jeito dele, metódico e sem gritos.

Mingué-Ho escreveu:"Não marcaria o Joo Hyuk, muito menos os outros. Muito fortes, muito grandes. Você. E você merecia depois das mentiras que me contou."

- A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena. Logo a sua, que é tão bonita e colorida. - Ergueu seu indicador direito, fino, meneando em negativa pelo que o amigo disse. - Mentir é errôneo, faltou me solidariedade ao pensar nos sentimentos do próximo, todavia, você sorriu e fez novos contatos sociais e até canídeos.

A frase foi acompanhado do "lá vamos nós" enquanto eles iam se sentando para bolar o que fazer. - Sou grato por me lembrar Doutor Ho. - Sorriu de canto, de maneira áspera e ligeiramente debochada. Quando foi comer a sopa seus amigos pareceram incomodados com o aroma, era saboroso, nem muito pesado ou gorduroso. Dong iria sugerir para eles comerem também mas Min Ho deve ter uma boa alimentação por conta do seu porte e estilo meio militar, a sua família deve dar um jeito no cardápio certamente, e Ui Jin, nutrientes provavelmente não lhe faltavam.

- Obrigado. Em minha perspectiva anseio por uma mudança alimentar coerente com a quantia enérgica que ando gastando, física e mentalmente. - Completou, enquanto esperou pela colher. Depois de pegar o talher que o amigo lhe deu, Hee Kyung uniu as palmas no intuito de gesticular agradecimento em relação à atitude.  - Correto, iremos dirimir e suscitar todos os esclarecimentos que o diretor e mais envolvidos mencionarem. Podemos ter problemas se fizerem muitos argumentos, é preciso trabalhar o motivo da conversa ao nosso favor.

Fez um sinal de pausa para mergulhar a colher na sopa, a soprando algumas vezes antes de saborear. Só depois de mastigar os pedaços de legume e anchova com pimentão, que prosseguiu. - A melhor oratória cabe a Ui-Jin, esse papel é vital para a compreensão otimista do projeto, mas mesmo o nosso herói tem seu calcanhar de Aquiles. - Sobre as mulheres atraentes ou que ficam encarando com intensidade. - Devemos esclarecer com confiança, aguardemos Ha-Neul para checarmos como está sua psique dele hoje. A de Kim já tive uma prévia mais cedo.

Deu uma risadinha ao se recordar desse ultimo, e voltou a degustar sua sopa.

Refeitório

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
112

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Kim Sun-Hee em Ter Jul 10, 2018 12:17 pm

Apesar dos constantes bicos, ao menos com Sunny, Stella mostrava uma paciência que não era digna desse mundo e certamente possuía um coração de ferro, considerando o quanto a amiga se enfiava em problemas, ativando uma série de infartos. Mesmo que não fosse bolsista, ainda assim, Sun-Hee seria capaz de causar uma avalanche de confusões porque as tretas pareciam flertar com ela de modo frequente. Tinham um verdadeiro crush na menina, era a única explicação. De toda a forma, Stella se comportava como uma ótima amiga e escutava as reclamações de Sunny. Porém, ficou particularmente OFENDIDA com os risos de Stella. QUE FALTA DE CREDIBILIDADE! Saiu andando na frente feito um soldadinho, o que apenas pioraria a crise de risos da canadense. Sun-Hee era bastante madura, mas, às vezes, também agia como uma criancinha... Ainda mais quando tratava-se da Srta. Seo. Aquela rixa entre as duas ia além da história de bolsistas x herdeiros.

Era uma antipatia natural.

- É, né... Não consigo... Você é má, Stella... MÁ!

Mas a irritação e o bico não duraram muito, pois logo Sunny cedia e ria junto dela. Mais tarde, depois de desfrutarem de uma rara tranquilidade pós educação física, ela e Stella caminhavam pelo corredor, na área externa, seguindo o fluxo. Quando perguntou sobre o fim de semana de Stella, não esperava aquele tipo de reação. Bochechas coradas? Parar para pensar? Sunny sorriu de um jeitinho capcioso... – Pois você tem o caminho inteiro, dona Stella... – e a acertou na altura da costela com uma cotoveladinha bem leve. Enfim, quando ia respondê-la, Sunny viu JaeKi com os amigos e achou aquela uma oportunidade perfeita para cumprimentá-lo e contar sobre o appa.

Queria conversar com Chae também... E Lee-Hi...

Chae deveria estar com o namorado e Ha Yi... Bem, não sabia. Mas assim que terminasse ali, enviaria uma mensagem no grupo.

Conforme arrastava Stella, elas passaram por EunBi e MiSoo e Sunny as cumprimentou. O tom mais retraído era por causa da tenista, até porque, não compartilhava intimidade com as meninas. E... Independente de nunca ter tido qualquer problema, Sunny não queria uma proximidade com a namorada de Jung-Mi, embora saiba que ela é uma pessoa muito legal e animada. Entretanto, precisaria portar uma veia extremamente sádica para se sujeitar a tamanha tortura...

Ela cutucou JaeKi, querendo provocar um “buuuuu!” e começou a falar ao mesmo tempo em que ele gritava por alguém. Bibi. Até olhou para trás, mas a confusão de pessoas a impediu de reconhecer EunBi e sua expressão nada feliz. Na verdade, nem teria como relacioná-la ao apelido.

Stella ficou mais tímida ao falar com os meninos. Acreditava que não havia necessidade para apresentações, pois todos eram da mesma sala.

JaeKi parecia meio retraído também, monossilábico, mas isso não diminuiu a determinação de Sun-Hee... E ela acertou em cheio. As insinuações atiçaram a curiosidade dele... Sunny sorriu mais, achando graça. Pronta para confirmar, uma presença dominou a interação, cortando-a antes mesmo da bolsista ter a chance de responder. Ficou surpresa ao ver EunBi e... ela estava brava? Ué...?


Bugou por alguns instantes enquanto dividia olhares – Ahn... Eu... – do nada, Kang ergueu a mão, ensaiando um cumprimento que não funcionou. Ahhhhhh, então foi ela quem o JaeKi chamou? Espera... Espera aí... Sunny se afastou um passo, como se para analisar a situação de um ângulo diferente. Mais... minucioso. Observou a maneira que JaeKi tratava a menina, como falava com ela e tentava segurar sua mão... Não precisava ser um gênio para entender a relação dos dois.

Se Bibi carregava uma linda carinha de bunda, de repente, uma nuvem densa apareceu acima da cabeça de Sunny conforme a bolsista estreitava os olhos.

Porque Sunny chegava numa conclusão não muito... maneira.

- Passei mal na sexta-feira e o JaeKi foi gentil ao enviar as anotações do dia para que eu não ficasse atrasada nas matérias, assim como a Stella e o Kim também tiveram a mesma ideia.

Mas...

- Mas... Qual é o problema? – Sunny cruzou os braços – Não vejo nada de errado. Somos apenas amigos. Ou pensei que sim – dessa vez, encarou JaeKi – Era por causa... dela?

Talvez isso piorasse as coisas, porém JaeKi entenderia perfeitamente. Ele disse que não queria que o nome de Sunny fosse ligado ao dele para que a menina não sofresse retaliações. No entanto, diante dessa cena, a bolsista concluiu que Choi Eun Bi era o motivo.

- "Rapidinho te confirmo..." – repetiu a frase do garoto - Sim, foi ele mesmo. Ele ficou feliz com a sua evolução e disse que se sente orgulhoso do homem que você está virando. Do homem que acredita que se tornará. Desculpa se provoquei algum desentendimento, não foi de propósito – fitou Stella, aborrecida – Vamos, amiga?

Porém, não sairia a arrastando de novo, apenas andaria na frente, marchando, quase esquecendo de acenar para Kang e Won.
WangJo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Seo Hyemin em Ter Jul 10, 2018 1:41 pm



- E agora…? O que a gente pode fazer?   - perguntou sofrida a Yerin, em relação a Nana. Já tinha esgotado as suas formas próprias de ajudar, mas não fazia ideia do tipo de coisa que a amiga estaria fazendo consigo. Queria sentar e conversar com ela, mas do que adiantaria? Seus olhos buscaram alguma esperança em Yerin. Mesmo sabendo de sua condição, ela ainda era referência dela. - É, acho que a Hayoung está brava é com o castigo - com essa ela se conformou mais facilmente.

O hibisco logo ganhou protagonismo naquela conversa e a menina não conseguia largá-lo, de tanta felicidade. É mesmo, quem poderia ter colocado? Yerin também achava improvável que fosse o noivo, desfazendo parte de sua fantasia. E, realmente, o normal seria pensar em rosas. Porque foi nisso que Miwoo pensou e nem desconfiava de suas flores favoritas. Tinha dúvidas até se o próprio pai sabia de seus gostos, ou a tia. Era algo muito particular.

Então ela sugeriu Lee UiJin, fazendo com que a menina começasse a pensar. Será que o nerd dos bolinhos gostava dela????? Uwa… Isso seria tão estranho. Ela nunca imaginou isso. Achava que ele era só muito gentil. Não era impossível, afinal. Começou a fazer uma historinha das vezes todas que ele perdeu a voz perto dela, entregando bolinhos e sendo extremamente tímido. Eles nunca tinha conversado direito, mas ela era legal com ele nas aulas de culinária. O rapaz falava sempre com um fiozinho de voz. Será que esse tempo todo tinha gostado dela? Mas por que decidiu dar um presente justo agora? E como tinha descoberto que gostava de hibiscos??? Inclinou o rosto para o lado. Era igualmente misterioso, mas a flor era tão linda!

Sorriu para amiga quando ela ajeitou a florzinha em seu cabelo. Não pretendia ficar com ela assim o tempo todo, mas gostou da brincadeira.

- BOMBOM!!! Oooolha~ - ela girou nos calcanhares, exibindo a florzinha na cabeça.

Com o comentário dele, de que a flor teria vindo do jardim, a menina tirou o cabinho preso na tiara, fazendo um biquinho, mas continuou com ela na mão e foi concordando com a cabeça conforme Yerin explicava. Ela colocou a flor bem à altura dos olhos, observando os detalhes e como estava perfeita e “nova”. Como eles eram espertos!!!!

- Oh… Vocês têm razão... Mas… como será que ele descobriu?  - perguntou intrigada. - Bem, vamos comer, claro!!  - deu o braço para a amiga  e saiu andando com a florzinha na mão.

Assim que avistou o colega de sala gordinho e o respectivo bolinho em cima da mesa, ela rodopiou no salto e girou a florzinha ao lado de seu rosto.


- UI-JIN-SSI!    - falou alto, com um sorriso de orelha a orelha e saltitou até a mesa dos meninos, onde acenou muito brevemente para os demais nerds, mas focou sua atenção nele, fazendo uma mesura respeitosa. -  Komawoyo. Não sabia que podia ser tão sensível~~   -  ela girou a florzinha na mão - Eu gostei muuito!! - deu um sorriso largo, com olhinhos em meia lua e piscou assim que viu “seu” bolinho, pegando-o. - Ah! Meu bolinho! - sorriu, ocupando as mãos.- Komawoyo. - fez uma reverência breve e estava prestes a sair, mas, antes, ela o olhou curiosa. - Mas... fiquei curiosa com uma coisa. Como foi que adivinhou que essa era minha flor favorita?? Eu realmente gostei muito! E eu amo a cor rosa também!


Wangjo |{LOOK: Tiara | Sapatos }

— Ross


Última edição por HyeMin em Ter Jul 10, 2018 5:14 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por The Crown RPG em Ter Jul 10, 2018 3:28 pm

REFEITÓRIO. 10 DE JUNHO. 9:55 - 10 A.M.


- Certo. Nesse caso, suponho que eu deva agradecê-lo por isso. Visto que assumiu sua culpa por mentir para mim, eu agradeço por ter me levado até lá. Acho que assim chegamos a um ponto em comum. - Min Ho declarou. - Porém, não minta para mim de novo. Gosto das coisas literais e transparentes, hm?


Isso era verdade. O rapaz era até mesmo literal demais. Não entendia muito de deboches e essas coisas porque interpretava com o sentido da frase e não do tom. Tanto que quando comentou sobre o TOC e Dong agradeceu, ele disse um “por nada” e nem foi no tom cínico, foi sincero.

Ui Jin agradeceu por finalmente chegarem até a mesa do refeitório. Min Ho pegou leite de banana e Hee Kyung optou por aquele almoço esquentado no microondas com uma quantidade x de água*. Ui Jin até que tentou ignorar, mas como alguém que tinha a alma voltada para culinária, precisava criticar aquela comida pronta.

Sua família era do ramo alimentício. Seus bilhões eram frutos de comida assim, mas isso não quer dizer que ele concordasse com o modo que era feito. Sua ética dizia que precisava alertar pelo menos os seus amigos.

Min Ho não se incomodou em pegar uma colher para Dong antes de começar a tomar seu leite e quando ficaram agrupados, começaram a esquematizar a conversa com o diretor. Ui Jin deu seu ponto de vista e Hee Kyung pareceu concordar - eles eram das exatas mesmo, discursos longos não eram muito práticos para eles.

- Tudo bem, eu já disse que posso falar com o diretor. Porém, eu também creio que você tenha uma boa oratória. Querendo ou não, esse projeto também é seu. Você que é o nosso líder e começou com isso.

- Eu fiz os slides que você pediu. - Min Ho não fazia questão de falar lá na frente. Era péssimo com apresentações. - Está na nuvem que criamos, mas também está no meu pendrive, por precaução.

- Sim, vamos aguardar o Ha Neul para decidirmos, então. Mas é como falei, o aplicativo teve a ideia com o episódio da ovada, mas talvez seja útil para a escola toda em si, não apenas para….


Ui Jin foi diminuindo o tom conforme foi vendo as pessoas que entravam ali. Principalmente Yewon, MiRan e Nana - a última parecia bastante ausente há algum tempo, mas era uma das pessoas que mais infernizavam as meninas. Quando tentou abrir a boca de novo, Hayoung entrou no refeitório. A prima de Hee Kyung estava fisicamente diferente  - não apenas mentalmente. Mais vaidosa do que antes, ela sempre estava com o cabelo escovado e a pele preparada. Rímel e batom suave eram indispensáveis para ela. Podia-se dizer que estava mais bonita do que antes ou que tinha realçado a beleza que geralmente escondia.

Mas a expressão…

Ela parecia meio brava enquanto olhava pelo refeitório. Parou com o olhar na mesa de Hee Kyung e a cara ficou ainda mais severa. Contudo, antes que ela completasse o passo, outro trio entrou.

Para Hee Kyung, talvez ainda fosse dificil conter a expressão quando Oh Yerin entrava nos lugares e, principalmente, quando se dirigia até sua mesa. Ui Jin olhava para Hyemin que crescia cada vez mais em sua direção. O garoto arregalou os olhos e engoliu todo o discurso antibullying que tinha em mente. Eles mal piscaram e estavam diante de Hyemin e Yerin.

Beom Su tinha seguido até Nana e Hayoung começou a andar com um pouco menos de determinação do que antes.

[...]

Yerin não tinha uma resposta exata sobre o que poderiam fazer em relação a Nana. Suas ideias estavam acabando e ela precisava coletar mais informações e ter mais certezas antes de tomar qualquer decisão. Quanto à Hayoung, achavam que tinha sido o castigo mesmo, mas que era algo mais fácil de lidar.

O misterioso hibisco logo roubou a atenção das duas. Elas deixaram as preocupações de lado para focar em quem poderia ser o admirador secreto de Hyemin.

A amiga elogiou tanto a flor quanto a combinação que teve no penteado de Hyemin, porém discordou que seria de Miwoo. Ela não sabia das flores que ele enviara - muito menos o motivo por ele ter enviado rosas. Porém, ela sabia que hibisco era a flor favorita de Min e que era incomum que meninas pensassem nela logo de cara. Por isso mesmo havia decorado.

Beom Su aproximou-se das duas com aquela cara de enterro típica de segunda-feira. Ele detestava as aulas de educação física porque tinha preguiça das disputas masculinas. Era muito sedentário e não entendia porque as pessoas faziam tanta questão de jogarem aquelas besteiras coletivas. Era um bando de exibicionista. A única atividade que gostava de fazer mesmo era dança porque pelo menos tinha música - e ele era um bom dançarino. Perdia todo aquele ar de “preguiçoso” ou até mesmo “feminino” para ganhar uma presença de palco que o fazia ser a dupla de uma garota como Nana. Pelo menos foi assim no ano passado.

Os dois concluíram que a flor devia ser do jardim e de alguém do colégio, não de fora. O nome de Lee Ui Jin foi sondado por Yerin porque era o mais óbvio. Mas, de todo modo, eles estavam mesmo era com fome.

O trio chegou até a porta do refeitório que começava a ficar mais cheio e se depararam com Hayoung. A garota estava olhando com determinação na direção da mesa do primo, mas hesitou quando Hyemin correu para lá. Yerin até chegou a olhá-la uma vez, mas caminhou até Hyemin. Beom Su sorriu para ela, mas seguiu até a mesa de Eun Na.

Ui Jin arregalou os olhos e foi ficando com as bochechas bem vermelhas quando Hyemin cresceu daquele jeito. Min Ho virou-se um pouco para entender que algazarra era aquela e precisou ajustar os óculos duas vezes ao se ver diante daquelas duas meninas. Ainda bem que não tinham dito nomes. O pendrive pareceu mais pesado no interior de seu blazer.

Se elas descobrissem...Eles estariam mortos.

O sorriso cativante e ensolarado de Hyemin poderia distraí-los um pouco. Ui Jin já estava completamente atônito.

- M-m-m-mwo? - Não entendeu nada.

Por que ele era sensível e por que ela agradecia? Ele sempre levava os bolinhos mesmo desde a 6ª série. O que tinha demais nisso agora? Olhou para Dong e para Min Ho antes de olhar para Hyemin de novo. Yerin já percebia a expressão deles.

- Olá. - Disse a rainha. - Como vão?

- Bem. - Min Ho respondeu sem perguntar “e você?”

- Que bom. Parabéns pela posição de vocês no ranking. - Era um assunto que feria o ego dela, mas estava tentando jogar verdes para colher maduros. - Especialmente para você, Lee Ui Jin-ssi. Além de inteligente, é um cavalheiro.


- Ahm...Komawoyo… - Murmurou a resposta num fiozinho de voz e abaixou o olhar.

Hyemin tinha tanta certeza no discurso dela que era um pouco dificil de desmentir, mas era necessário. Ui Jin entregou o bolinho extra e falou, no mesmo tom.

- A f-f-lor é muito bonita…como você - Uma pequena pausa dramática. - M-mas não fui eu.

- É verdade. - Min Ho confirmou. - Estivemos juntos desde a manhã e o Ui Jin não chegou perto de uma… - Ponderou. - Papoula?

- Hibisco. - Ui Jin corrigiu na mesma hora e ajeitou o óculos, sem conseguir encarar as meninas.


- Hmmm… - Yerin tombou de leve a cabeça. - Compreendo. Foi um engano, então. - Voltou o olhar na direção de Hee Kyung e olhou para a sopa dele com certa curiosidade pelo horário, mas sem julgá-lo por isso.


Enquanto ponderavam, Hayoung finalmente se aproximava da mesa do primo. Hee Kyung teve a sensação de que Yerin diria algo para ele, mas foi a prima quem chamou sua atenção.

- Com licença. Hee Kyung-ssi...Posso falar contigo um instante? - Perguntou com uma carinha bem séria e esperando pelo sim.


O sinal tocou, indicando que logo, logo, os alunos do 2º e 3º ano também seriam presentes ali. E não apenas isso, a transmissão da rádio começaria com uma geral sobre as notícias daquela manhã e do fim de semana e as informações mais importantes do colégio. Ui Jin olhou na direção de um dos alto falante e um click se fez presente em sua mente.

Não era a primeira vez que ouvia o nome daquela flor naquele dia.

[Como não é horário do almoço e eles não servem comida para o intervalo, eu considerei que o Hee Kyung pegou uma refeição pronta - também tem lamen nas máquinas - só para não perder sua ação, ok? u.u por isso o Ui Jin, que é herdeiro de alimentos, está falando =x Só uma explicação mesmo]
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Yeun Misoo em Ter Jul 10, 2018 5:01 pm

 

- É, eu nunca sei se ela está falando a verdade ou dando uma desculpa     - admitiu para Eunbi. Foi aí que notou o próprio colar e fez um muxoxo. - Foi a MinJi. Eu achei que tivesse alguma pegadinha, cola, maria-fedida… Mas não. Era só um colar mesmo. A desgraçada tem bom gosto. Eu não resisti…

Apesar de ter “falado mal” de Bomi, ela foi divertida o tempo todo em que a menina esteve com elas, só que estava meio angustiada por querer resolver o problema logo entre ela e Won, mas pela primeira vez em anos sentia que aquele assunto não só não lhe dizia respeito como ela não conseguia criar conselhos porque, bem, não era experiente no amor e nem pensava nessas coisas com tanta frequência.

Quando a cena começou a se desenrolar entre Sunny e o grupinho, Misoo já estava de saída, então acenou simpática, como uma boa colega de sala, e continuou. Ela foi para a área de vestiários e até que ficou ali por belos 5 minutos até achar que tinha visto umas costinhas desnudas e concluir que não era MESMO um lugar para ela.

Misoo então foi aguardar no corredor, mas ouviu vozes bem conhecidas e ficou quieta prestando atenção. Recebeu uma raquetada no peito ao ouvir especificamente a indireta sobre ela. Ah, não, estava criando um mal entendido de novo? Ele achava que era verdadeiro aquele namoro? Mas… ela deixou tão claro para Jung Mi que a condição era que ele contasse a verdade… Ele sabia, não sabia? Jung Mi não tinha por que ter mentido.

Bem, Taemin estava ali perto, ele não sabia sobre isso, mas Gyu Sik falava com tanta mágoa que parecia não acreditar.  Tinha vontade de entrar ali no meio e falar “espera, não é verdade”. O que não era verdade? Que não gostava dele como algo além de um amigo? Sentiu o coração apertar. Era verdade sim, não era? Porque nunca tinha o visto de forma diferente. Mas… tinha tido tempo de pensar? Levou a mão ao  peito e tentou controlar a respiração, sentindo-se uma espiã.

Misoo abaixou o rosto, sentindo aquela necessidade tremenda de se explicar para alguém, mas não tinha para quem fazer isso, porque tinha ouvido uma conversa. Gostava de Gyu Sik. Gostava mesmo e ficava triste toda vez que ele aparecia agora. Era muito ruim ser tratada daquele jeito, com frieza, e ela achava que não conseguia passar uma barreira invisível dele, mas… Gostava gostava dele? A ideia comprimiu mais seu peito e ela teve vontade de chorar de ansiedade, de sair gritando que não sabia. Era algo tão confuso e cheio de culpa que sentia por aquele menino… Mas ao mesmo tempo era tão bom e nostálgico. Não queria magoar os sentimentos dele, não queria usar as pessoas e ser horrível. Não queria que ele pensasse mal dela, mas podia dizer que não gostava dele? Achava que não gostava. Mas e se gostasse? Era melhor gostar de alguém que gosta de você, não era? E se simplesmente não fosse apta a gostar de ninguém? Não era romântica, provavelmente não gostaria de ninguém, nem conseguiu gostar de Jung Mi, o garoto mais perfeito daquela escola… O problema era definitivamente com ela, mas ainda assim ela fazia os outros sofrerem. Queria lhe pedir desculpas, porque não queria fazê-lo sofrer daquele jeito. Se não fosse o aniversário de sua melhor amiga, talvez nem fosse naquela festa…

Quando estava quase aos prantos, sentiu o celular reagindo e observou a mensagem de Jung Mi e… Sentiu raiva. A mesma raiva que teve antes, por ele ter dito antes para a escola inteira que estavam namorando. Quem ele achava que era??? Ele bagunçou completamente a vida dela e ela, como uma tonta, decidiu namorá-lo de mentira? Por quê??? Para não magoá-lo… Para não magoar ninguém… De novo.  Ele tinha muita sorte de não estar a sua frente de novo ou ela teria dito, em um impulso, para terminarem naquele dia mesmo. Queria estar LIVRE dessas preocupações. Não fazia sentido! Mas a mensagem que leu tocou seu coração. Estava viajando, por que ultimamente tinha começado a se irritar com as pessoas que sempre gostou de ajudar? Balançou a cabeça e voltou à normalidade.

Jung Mi

MiSoo
Estou indo aí então. Também quero conversar uma coisa.
MiSoo
Escuta, você contou direito para o Gyu Sik que a gente não namora de verdade?


Quando viu, tinha ignorado o tom de preocupação dele e mandou na lata, com os dedos em chamas e saiu andando. Pelo celular o filtro ficava ainda mais fino. Ela rumou direto ao refeitório. Estava faminta, e parou na frente de uma maquina para pegar leite de banana, tomando ali no cantinho antes de ir até a mesa de Jung Mi.

- Oi    - comentou sem muita animação. Sem perceber, aquela conversa que tinha ouvido a tinha azedado um pouco. - Seu boné   - forçou um sorriso.
Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
132

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Park Hyun Hee em Ter Jul 10, 2018 5:34 pm


Hyun adorou aquela aula. Foi um hyeong para todos eles. Olhava para Jaeki com confiança. Tinha muita coisa para contar para ele no clube de mecânica! Tinha que falar que se deu bem com a garota de quem ele tanto falava. Mas embora a escola ficasse sabendo das fofocas, queria um papo mais cara a cara com Jaeki.

Enfim, com a vida dando bastante certo, ele foi ao segundo andar. A primeira coisa que encontrou ali foi a ex-namorada, tão sonsa, tão sempre pura e correta. O estranho era o lobo atrás dela, seu tão mal intencionado amigo. Mas era ex de amigo, certo? Não faria nada, pensou. Pensou também em Jimin, que inclusive lhe dava tchauzinhos. Ele sorriu para ela e a amiga, simpaticíssimo, mas teatrólogo. Foi só quando viu sua joaninha que ele sentiu-se bem, por segundos, quando já queria tirar satisfação com aquele projeto de delinquente.

Sua expressão estava mais fechadinha quando a namorada o notou ali, e ele caprichou no sorriso de príncipe, mas não estava tão lindo quanto antes. O convivio com tantas mais pessoas estragava um pouco a perfeição deles.

Quando os primeiros alunos saíram, Hyun Hee entrou e deu uma olhada em Lee Hi. Foi o mesmo tipo de olhar que dava para Nana. Era discreto, mas observador. Ela foi tipo uma sombra de culpa que apareceu naquela vida nova que estava começando a construir. Imaginava o inferno que deveria ser estudar na mesma sala que aquele verme que era seu amigo. Caso ela se sentisse observada e o olhasse, ele sustentaria um olhar de quem sabia de tudo, embora não fosse verdade, mas não transmitia julgamento, apenas informação.

Também não conseguiu ignorar o fato de que Eun Joo deixou que Jong In fizesse carícias esquisitíssimas em seu cabelo. Ah, JongIn….

Não tinha mais uma relação com com Moon Eun Joo, mas ver aquilo o deixou irritado. Ex mulher de amigo estava liberado então?

Ele encarou o amigo, que merecia tantos socos que ele nem podia contar. Da última vez ficou irritado por causa da tal da aposta e coitada da menina que era amiga de Chaeyoung, mas como tinha conseguido um jantar ótimo com ela, ele meio que deixou esse assunto de lado. Só que vê-lo o irritava pelo simples fato de que ele parecia esforçar-se constantemente para provocá-lo de todas as maneiras.

- Foi ótimo - concluiu, um pouco na defensiva desnecessariamente. Porque ele sempre parecia saber algo mais do que ele. Mas um alerta nele apitou, avisando que ele precisava parar de ser estúpido e ser mais ator - Mas senti sua falta - sorriu de leve. - Você ficou triste que não fui ao nosso compromisso? Mianhae, oppa - fez um biquinho para ele e olhou Chaeyoung, apenas esperando que ela se levantasse e se aproximasse dele, para que fossem comer juntos. Cortaria a conversa tão logo ela se aproximasse.

Humor: estável /--+++

— Ross

avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Won-Bin em Ter Jul 10, 2018 7:05 pm

Se Won não conseguia se animar diante da competição, Jae-ki era o oposto e estava elétrico por conta da vitória. Principalmente pelo fato de ser uma vitória contra Taemin.

Não ia cortar o clima dele então apenas sorriu quando disse que os dragões eram imbatíveis juntos. Assentiu com a cabeça pra concordar. Mas sabia que parte do mérito da vitória estava em Jung Mi ter montado um time forte também.
Aliás era uma composição interessante…

Assentiu diante da parabenização de Dong também e dos outros colegas. Teria dito mais algo pra eles num dia melhor, mas restava só ser educado e agir da forma mais normal possível.

- É verdade. Você mandou muito bem, apesar de não estar legal.

Não era muito discreto mas Won apreciava a sensibilidade do amigo e assentiu com a cabeça.

Ainda sentia o abismo no peito quando desviou o olhar de Bomi. Era tão óbvio que estavam se evitando, aquilo ia ter de durar os anos de escola…

Diante de sua própria distração Won nem imaginava que o esquadrão antibomba ia precisar ser acionado tão cedo.

Olhou um tanto surpreso pela aproximação de Sunny e a amiga dela, Stella. As meninas raramente falavam com eles, principalmente quando estavam em trio. Mas Jae-ki tinha chamado Eun-bi no meio tempo então aquilo ficava…

Esquisito.

-Olá Sunny - respondeu educado - Oi Stella - disse com um sorriso também educado pra ela.
Era um tanto legal interagir com ela pela primeira vez que não fosse em uma briga ou em um caso de bullying como da última vez, ela parecia diferente agora.
Won se lembrou do dia que pegou o celular dela no chão e que ela parecia tão triste, as coisas se resolveram pelo menos um pouco ou pelo menos por hoje.

-Deu tudo certo na competição da educação física de vocês? - disse mais pra Stella que pra Sunny já que estavam meio de lado enquanto Sunny falava com Jae-ki com muita intimidade. Mas também tinha a leve preocupação por conta dos relatos das “segundas infernais” que tinha recebido de Ye-Ji. Será que já tinha rolado?

Ué o plano do Jae-ki não era ficar longe pra proteger ela ou algo do tipo? Talvez ele tivesse esquecido de avisar ela sobre o plano. Kang já sacava do sexto sentido para confusão e segurava seu blazer.
Até Stella parecia não esperar o que vinha pela frente.

Eun-bi se aproximava como o verdadeiro Tubarão. Não tinha frango que ia salvar eles dessa treta.

- Hm. Quer dizer que você está famoso, Jae Ki? Ele é realmente ótimo com anotações...Não sabia que também esteve te ajudando, Sun Hee.

”Putz...falta grave. Isso é ciúme puro!”

Kang tentou cumprimentar Eun-bi mas sua mão voou pra sua num cumprimento louco.

-Oi Eun-bi - disse enquanto segurava a mão de Kang naquele toque improvisado.
Pra falar a verdade ele queria evitar ela, já que evitar o grupo de Bomi implicava evitá-la, mas não podia achar que seu amigo ia querer ficar longe da namorada (ou quase namorada).
Se Bomi chegasse ele arranjaria um jeito de sair, então bastava apenas aceitar que a proximidade ainda existiria.
De qualquer forma não era a Eun-bi de bom humor que estava ali.

A troca de olhares entre Kang e Won já fazia parte do idioma dragones. Won dizia “não entre em pânico, vai na minha” com seu arquear de sobrancelhas.
Viu Stella com os olhos arregalados também.


”Seus amigos também te deixam nessas situações complicadas, não é?”se identificou um pouco com aquela expressão dela.

Não era fluente naquele jeito de falar dos dragões mas talvez Stella entendesse o que Won queria dizer com o arquear de sobrancelhas: ”Você tá entendendo alguma coisa!?”

Ia esperar a resposta de Jae-ki antes de intervir.

- Não foi nada, Sun-hee faltou e eu só mandei as coisas do dia pra ela


”Espera, isso nem eu sabia” olhou meio confuso mas voltou ao olhar normal a tempo.


”Boa Jae, pega na mão dela, mostra que é a sua namorada...isso se ela não arrancar sua mão” achou boa a atitude dele apesar de não ter achado que o amigo percebeu o nível do ciúme.

Por experiência própria Won sabia como o sentimento podia cegar.

Vamos pro refeitório juntos? A gente já tava indo,  eu tô morrendo de fome e tenho várias paradas pra te contar.


Won assentiu com a cabeça. Saída para a comida era o que costumava resolver. Mas Jae-ki ainda queria saber o que Sunny queria contar.


”Nãaaaao!” Won estava morrendo já imaginando como controlar aquela treta. Já podia sentir as chamas saindo dos olhos de Eun-bi.

- Mas... Qual é o problema? – Sunny cruzou os braços – Não vejo nada de errado. Somos apenas amigos. Ou pensei que sim – dessa vez, encarou JaeKi – Era por causa... dela?

Won arregalou os olhos dessa vez.


”Sua amiga é algum tipo de terrorista, Stella? Nem eu consigo desarmar isso agora!”

- "Rapidinho te confirmo..." – repetiu a frase do garoto - Sim, foi ele mesmo. Ele ficou feliz com a sua evolução e disse que se sente orgulhoso do homem que você está virando. Do homem que acredita que se tornará. Desculpa se provoquei algum desentendimento, não foi de propósito – fitou Stella, aborrecida – Vamos, amiga?

O senhor que ela se referia com certeza era o professor que Jae-ki já havia comentado algumas vezes. Mas Eun-bi sabia disso? Pelo olhar venenoso: não parecia.

Won sabia que era sua deixa.


-Hahaha é, o Jae-ki salvou a gente nessas provas - seu treinamento de ator tinha de servir pra algo, deu uma risada convincente - Ele emprestou as anotações dele pra mim e pro Kang. Se bobear a sala toda foi ajudada por ele haha - colocou o braço sobre o pescoço de Jaeki numa chave de pescoço de amigo.

Tentava com isso dar menos “exclusividade” nessa ajuda que ele deu pra Sunny, havia a ínfima chance de que isso acalmaria um pouco Eun-bi.


-Sem problemas Sunny - sorriu e tentou deixar o dano mínimo. Não entendeu exatamente por que ela quis dizer aquilo bem agora e ainda aquelas coisas bem na frente da Eun-bi. Será que havia mais algo implícito naquela conversa?


”Já sei!? Mas será que é uma boa…”


-Já vão pro intervalo, não? Manda um oi pro Kim, parabéns pelo jogo pra ele também. Acabei nem conseguindo falar com ele depois da partida - disse pra Sunny.
A cabeça de Won tinha feito um plano maluco: ela e Kim pareciam ser amigos bem próximos, namorados aparentemente. Não sabia se Eun-bi sabia desse fato mas se falasse de outro garoto talvez, e bem talvez, a garota de Jae-ki somasse 1+1 e diminuísse o ciúme

Era um tiro bem longo.

-Até mais Sunny, Stella - disse fazendo um aceno breve. A primeira nem parecia muito interessada em falar, apenas cair fora. Já Stella podia responder melhor.


”Aish, eu tentei”
WangJo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por The Crown RPG em Ter Jul 10, 2018 8:47 pm

ÁREA EXTERNA - 10 DE JUNHO. 9:55 A.M.


Stella notou que Won Bin sabia seu nome e deu um sorriso um pouco mais gentil na direção dele. Para ele talvez não fosse estranho estar na presença de Sun Hee, visto que eles dois faziam parte do “coro” do clube de teatro. Mas Stella, bom, ela não cruzava em nenhum clube e, mesmo assim, ficou marcada por conta do evento no corredor.

A expressão atual dela nem ao menos remetia à tristeza daquele dia. De algum modo, tanto ela quanto sunny pareciam mais forte, seguras e unidas. Talvez por isso mesmo, a “anônima amiga de Jae Ki” tenha resolvido se revelar dessa forma.

- Foi tudo bem na educação física sim. Quer dizer… - Hesitou por um segundo quando lembrou da cena espetacular que Hyemin tinha protagonizado com sua amiga, mas não tinha motivos para contar para Won. - É, foi tudo bem. E vocês? Hockey na grama é um pouco difícil, né? Eu sou péssima.

- Eu também sou. Não tenho coordenação para esse jogo. - Woo Jin emendou a conversa, dando uma risada ao se lembrar como terminou o jogo.

Ainda doía o corpo, mas ele era ótimo para começar conversas. Não que eles fossem o foco, mas era bom entrar em contato com novas pessoas. Kang sabia que Stella era muito amiga de Hee Kyung e, bom, ele gostava do garoto também.

Contudo, para o grande azar do trio e da dupla que estavam ali, Jae Ki tinha assumido um relacionamento sério com uma menina bastante ciumenta - para dizer o mínimo.

Eun Bi não gostou nem um pouco do modo que eles pareciam próximos. Até então, ela não tinha nada contra Sun Hee. Era apenas uma menina inteligente, bonita e gentil - com exceção da aula de educação física - que estava em sua turma. Infelizmente, ela sofria bullying, o que não era muito legal, mas Eun Bi também não colocava sua mão no fogo ou se intrometia - não via também quando as agressões ocorriam.

Agora, contudo, havia uma diferença. Sunny estava de papinhos com Jae Ki.

Woo Jin e Stella ficaram tensos com aquela aproximação. Enquanto K-Dragon começava uma conexão mental com Won, Stella travava uma batalha solo porque estava vendo de um ângulo diferente e já tinha identificado o motivo para tamanho bico que a bela garota carregava. Kang não estava muito otimista, mas decidiu confiar nas habilidades de Won.O problema é que eles só conheciam Jae Ki e não o temperamento explosivo da pequena Sun Hee - motivo que preocupava Stella.


Seria mais um teste para cardíaco, aparentemente.

- Ung. Você. Famoso. - Eun Bi repetiu tudo bem pontuado, olhando diretamente para Jae Ki à espera de explicações. - Ah é? Não sabia que você era tão solícito e preocupado. Nem que eram amigos.

Dessa vez, olhou na direção de Sun Hee como se a medisse. Não era o mesmo olhar de desdém que Yerin lançava, por exemplo. Eun Bi era movida pela competição, quiçá um motivo para se preocupar. Ela era bonita, apesar de não ter nenhum tipo de vaidade e zero noção de moda. Quem usava um tênis grosseiro como aquele para um uniforme fino como o deles?

O tipo de coisa que ela nunca avaliava em Jae Ki porque, de certo modo, combinava com ele aquele estilo largado. E o amor também cega as pessoas.

- Tô ótima. Por que? - Quando Jae Ki tentou pegar sua mão, ela cruzou os braços e puxou o ar de um jeito um tanto quanto impaciente.

Não estava ótima. Estava irada, brava, enciumada. Queria avançar na jugular dele!

Won também tentou ajudar dizendo que Jae Ki ajudou muito gente. Foi quando os dois estavam brigados e ela não olhava para cara dele. Mas mesmo assim, ele tinha decidido manter o contatinho mesmo depois das provas?! Kang confirmava com bastante veemência o que ele dizia, mas ele não tinha credibilidade com Eun Bi. Sunny também se explicou  -de repente todos tinham a mesma história contada aos pedacinhos! Isso só irritava mais.

Eun Bi voltou a encará-la, ainda de braços cruzados. Depois de se explicar, Sunny repetiu o gesto dela e gerou uma arqueada de sobrancelha de Eun Bi.

- Eu não sabia que vocês eram amigos. Por que não disse antes ou apresentou sua amiga, Jae Ki-ssi? - Olhou para ele. - E sim, claro que conheço. Somos da mesma sala.


Que pergunta óbvia!

Porém, quando Sunny voltava a falar, perguntando se tinha sido por conta dela, Eun Bi não entendeu nada.


- Eu o que? - Franziu as sobrancelhas e a história ficou muito confusa. Quem era esse homem que parecia gostar tanto de Jae Ki? Eles se conheciam fora da escola? De outra escola? Há quanto tempo? Por que Sun Hee se sentia ofendida quando ELA que tinha direito de se sentir ofendida?

Que menina atrevidinha!!

Stella estava sofrendo em silêncio. Sua mente tinha se apagado para qualquer saída que pudesse ter ali. A “conversa” era muito rápida e quando Won a encarou, ela também fez uma carinha meio desesperada.

No fim, só conseguiu concordar em sair. Não era como se Eun Bi fosse tentar impedi-las de sair, o problema da bailarina era com Jae Ki, afinal. Travaram com a pergunta de Won. Stella pigarreou.

- Ung. Komawoyo, Won Bin-ssi. Avisaremos ao Kim depois da Rádio… Vamos…

Stella insistiu, empurrando de levinho Sunny, caso ela tivesse parado para responder. Era melhor saírem antes que tivessem mais problemas de verdade. Contudo, Won, Jae Ki, Eun Bi e Kang veriam uma determinada dupla que se aproximava. E não demorou para que Sunny colidisse justamente com a pessoa que Jae Ki mais temia.

Taemin e Gyu Sik conversavam de modo distraído e também estavam caminhando na direção da entrada lateral do prédio. Depois de ter dito algo implicante, Gyu respondeu empurrando Taemin de leve, mas foi o suficiente para que desse dois passos e sentisse o impacto de alguém batendo nele.

- Aigo… - Era hoje que Stella infartaria. - Miane, miane…

Já pedia desculpas por ela e Sunny, mas para sua surpresa, Taemin não olhou de modo aborrecido. O loiro parou de andar com Gyu Sik e virou-se, encarando Sunny e a amiga dela.


- Ora, ora...Parece que isso já virou um hábito, não é mesmo,...Sunny? - E o sorriso torto surgiu nos lábios dele.

Não estavam longe do grupo - era questão de uns seis passos. Eun Bi foi descruzando os braços e se surpreendendo com aquela relação também. Taemin virou a cabeça para o grupo, olhando os “três isekyas” e Choi Eun Bi. Deixava aquele garoto ignorante se divertir com a mínima vitória, mas não deixou de lançar um olhar mais demorado em Eun Bi.

Eun Bi sabia que não era o de sempre. Era quase distante porque Taemin parecia mais interessado em olhar para Sun Hee.


Stella estava ligeiramente chocada pelo modo que ouviu Taemin chamando por Sunny. Gyu Sik também tentou se recompor e ele olhou para Won, ciente de tudo o que tinha acontecido no último fim de semana entre ele e sua família. Assim como Bomi, a expressão dele não foi das melhores - não que fosse muito amigo dele, mas mesmo assim, acreditava em sua família.


Kang chegou um pouquinho de perto de Won e murmurou.


- O que...tá acontecendo aqui?
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Won-Bin em Ter Jul 10, 2018 9:30 pm




Enquanto o papo ainda tinha um ar de paz ele conseguiu sorrir de volta para Stella já que ela parecia gentil à sua maneira. Sunny e ela pareciam pessoas legais, talvez seus grupos não se cruzassem tanto quando o das outras meninas por exemplo e por isso não tiveram muito contato com as duas.

Pelo menos não tinha a tristeza do outro dia. Won não achava que fosse o responsável por ajudar em nada nesse sentido mas era legal ver ela e Sunny bem. Aliás a evolução nas duas era um tanto aparente: de vítimas de bullying a duas pessoas bem mais confiantes.

O problema estava na falta de evolução de outros.

- Foi tudo bem na educação física sim. Quer dizer…

Ela hesitou por um instante, Won já imaginava que algo ruim teria acontecido.

- É, foi tudo bem. E vocês? Hockey na grama é um pouco difícil, né? Eu sou péssima.

Hmmm então foi tudo bem?

-Ha, é mesmo. Eu preferia que fosse um futebol ou algo do tipo, mas a gente ganhou pelo menos - respondeu.

- Eu também sou. Não tenho coordenação para esse jogo.

-Eu juro que eu um dia eu vou achar o seu esporte Kang. Juro - brincou colocando a mão sobre o ombro dele, se disfarçando um pouco do seu próprio desânimo pro jogo.

-Treinando muito e vocês um dia ficam profissionais - lembrou que a garota era canadense de acordo com o que Dong tinha falado aquele dia. Será que ela achava legal o esporte de lá?
-Hockey no gelo que deve ser legal, um dia eu vou experimentar

Não que soubesse patinar, seria uma boa oportunidade para passar vergonha. Um tanto engraçado de se imaginar, aquele papo estava ajudando um pouco a se distrair...

Mas o fluxo da conversa paralela ia parar por conta das bombas armadas na discussão regada de ciúmes.
Cada amigo carregava o amigo problemático que podia. Stella parecia preocupada também com a amiga.

Eun-bi mediu Sunny de cima a baixo. Won viveu muito no dojo pra reconhecer o que era uma avaliação de rival: esse tipo de coisa acabava sempre em duas pessoas lutando até o mestre Baek separar.

- Eu não sabia que vocês eram amigos. Por que não disse antes ou apresentou sua amiga, Jae Ki-ssi? - Olhou para ele. - E sim, claro que conheço. Somos da mesma sala.

Won fez uma careta rápida. Essa tinha doído, jab direito.

Suas tentativas de desarmar a situação não estavam ajudando muito e a amiga de Sunny também não parecia ter ideia de como evitar aquilo tudo.

As duas começavam a sair um tanto apressadas e Stella começava a responder sua pergunta criada pra distrair o assunto.

O problema foi que a distração foi grande demais, elas esbarraram em dores de cabeça maiores.

Era esquisito ver Gyu e Taemin conversando de forma amigável e com uma provocação. Estariam as relações entre os dois se refazendo? Sabia que os dois eram amigos no passado mas que nesse ano as coisas tinham mudado um pouco.

Sunny colidiu direto no Vassoura Demoníaca. Que tipo de azar é esse?

"Aish e eu achando que eu ia desarmar uma bomba. Isso agora é nuclear"

Won já se preparou para intervir de forma agressiva por já conhecer o loiro mas a resposta foi...

"Que?"

Olhou confuso para Kang e Jae-ki. Aquele cara era o Taemin mesmo? Ele era rico o suficiente pra ter um clone indo pra escola?

Ele parecia intimo de Sunny para surpresa até de Stella que também olhava com uma cara chocada.

Foi então que encarou Gyu Sik. Aqueles sentimentos ruins aflorando novamente: por mais que tentasse fugir daquele abismo o abismo puxava de volta e dessa vez era outro membro da família que era responsável.
Teria ele sido um dos que disse aquelas mentiras pra Bomi? Que fosse, o encarou de volta com a mesma intensidade.

Kang escreveu:- O que...tá acontecendo aqui?

-Eu não sei. Eu não sei e não gosto - respondeu murmurando também.

Um Won normal tentaria uma saída diplomática e pacífica, mas ele já não se sentia o mesmo Won.
Era o covarde que tinha quebrado sua mão que estava parado ali sua frente.

Deu um passo para frente, como instinto, pronto pro que viria em seguida. Sua postura era um pouco diferente, mais sério dessa vez. Talvez aquela encarada do Gyu Sik tivesse despertado algo ruim.

-Anda esbarrando em muita gente, Taemin? - perguntou numa mistura de seriedade com sarcasmo. Sabia que Jae-ki iria querer explodir com o cara: ele parecia ter algo com a garota que ele prometeu proteger para seu professor.
Não ia segurar Jae-ki, na verdade estava mais inclinado a ajuda-lo. Mas nem por isso perdeu o juízo pra partir pra cima dele.

Como no clímax de um faroeste Won estava pronto para o que fosse explodir, explodisse.

-Melhor tomar cuidado, não é mesmo?

WangJo Fight Club

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Jae-ki em Ter Jul 10, 2018 10:18 pm


Jae-ki continuou com as sobrancelhas franzidas para Eun-bi quando ouviu aqueles comentários dela. Nunca tinha passado por isso antes. Contorceu os lábios quando ela se esquivou da sua mão. "Aishh essa garota..."

- Porque fiquei preocupado com o seu pé... - Respondeu a Eun-bi.

Mas Jae não estava dando tanta importância para isso, na sua consciência estava tranquilo até, não estava traindo Eun-bi, parecia bobo para ele. Eun-bi então perguntou porque ele não tinha apresentado eles. Jae não tinha como responder a história toda nesse lugar, mas não era como quisesse esconder algo dela, simplesmente não tinha haver com a bailarina. Mas não a deixou sem resposta. Suspirou e respondeu:

- Aigo, que que te deu? Eu não sou de ficar apresentando ninguém, não sabia que isso era importante pra você. 

Porém quando Sunny o respondeu daquele jeito, sentiu algo estranho no ar. Aquela pergunta dela o deixou confuso por um momento tanto que quando ela respondeu sobre o senhor Kim, Jae nem conseguiu reagir direito. Eram muitas coisas pra entender ao mesmo tempo. Sunny estava brava com ele? "Como assim por causa dela?? Mas que... Aigoo... " Até Eun-bi ficou confusa.

- Eu não sei, não entendi... Vamos comer, eu tô fome, aí te falo tudo que você quiser, ok Eun-bi?  

Won de repente ficou tentando disfarçar as coisas, Jae-ki não entendeu inicialmente, mas pelo jeito dos amigos sabia que era alguma ajuda para não acontecer uma briga ali. Jae estava distraído que nem se despediu de Stella e Sunny, ainda tentava absorver o que Sunny tinha entendido, agora que entendia, pra ele isso era um absurdo! Eun-bi não era uma ameaça para Sunny, mas sim o Taemin. Ao menos era o que ele achava até agora.

Quando as duas estavam indo embora, para piorar uma dupla de garotos chegou, um deles Taemin. Jae-ki viu quando Sunny acabou esbarrando no loiro de novo. Por que tudo tinha acontecer na mesma hora? Porém não fez nada inicialmente, o loiro ainda não tinha tentado nada. Pretendia fazer igual da vez do refeitório, pelo menos ele não tinha chegado antes pra ouvir toda a conversa. Entretanto quando o ouviu chamar a garota de Sunny, sentiu seu sangue começar a ferver. Quem era ele para falar assim? Taemin vinha implicando com Sunny antes? Sunny não contou as coisas pra ele? Piorou quando notou que o cretino loiro lançou um olhar pra eles demorando em Eun-bi, Jae-ki não aguentou:


- Ya! O que tá olhando?!  

Kang estava confuso também e perguntava o que tinha acontecido. Estranhamente dessa vez Won acabou indo falar Taemin. Jae-ki não entendeu nada, Won era sempre o que separava brigas, mas isso era até interessante aos seus olhos. Jae-ki não deixou de falar também:

- Acho que perder hoje fez ele perder a noção das coisas... Por que ainda tá parado aqui? Perdeu alguma coisa?


Wangjo/ Curioso

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 15 1, 2, 3 ... 8 ... 15  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum