Fóruns Gráficos
3
Créditos
» Skin obtida de The Captain Knows Best criado por Neeve, códigos acrescentados por Weird e baseado no tema The Walking Dead Theme criado por Hardrock. Graças aos suportes e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foractivo.
» Versão Elysium adaptada por Hurricane, Rossin e Persephone.
Narradores
6
Personagens Ativos
40 Personagens Ativos
Últimos assuntos
» Capítulo 8
Ontem à(s) 11:17 pm por Kim Sun-Hee

» Episódio 1
Ontem à(s) 9:17 pm por Kasumi Sanada

» Sons of Neptune
Ontem à(s) 8:05 pm por Starry Night

» [DADOS] Onde estrelas nascem ou morrem
Ontem à(s) 6:12 pm por Starry Night

» Golden Boys
Ontem à(s) 1:47 pm por Starry Night

» @ohmygyuri
Ontem à(s) 10:54 am por Nam Gyuri

» @ommagyuri
Ontem à(s) 10:42 am por Nam Gyuri

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:52 am por Moon Jae-Eun

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:42 am por Moon Jae-Eun


Capítulo 6

Página 13 de 15 Anterior  1 ... 8 ... 12, 13, 14, 15  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Won-Bin em Ter Ago 14, 2018 11:07 pm



Aquele argumento de Sunny não convenceu Won, que apenas arqueou as sobrancelhas e pareceu aceitar que ela não se lembrava. Jae até insistia um pouco em como era importante prestar atenção, talvez ele não tivesse a impressão que ela estava escondendo algo.

Tinha a impressão que ela estava era se segurando. Mas não ia pressionar, afinal ela já tinha coisas pra resolver com Jaeki.

-Tudo bem, eu devo ter imaginado - respondeu simpático, mas mente continuava maquinando feito um relógio em alta velocidade.

Sunny era educada em até insistir que pedissem algo pra beber. Manteve o pedido do café expresso, nada complexo.

Ficou acompanhando a conversa ao lado de Kang, sem opinar já que falavam do professor que é pai dela e parecia próximo de Jaeki.

A sós por um instante, Jae-ki mostrava que sim tinha achado estranho aquele papo de não lembrar do senhor Hwang.

@Jae-Ki escreveu:- Ela é teimosa... Não acharam estranho ela não saber do seu aboji? Olha, eu tô querendo contar tudo do Taemin para ela, até do seu braço Won... É pra segurança dela. Sem problemas para você certo?

-Eu também achei esquisito. Mas ok, não é algo tão sério. E, sim, pode falar Jaeki se você confia nela pra falar tudo...eu não faria isso, não sei porque eu tive uma impressão esquisita agora - não sabia bem definir isso, talvez a desconfiança de Jae fosse contagiosa - Enfim, vai fundo J-Dragon! - encerrou confiante de que o amigo poderia lidar com aquilo.

@Jae-ki escreveu:-Eu não tô ligando mais do professor Kim saber que eu andei brigando, isso se ela contar. Ele já sabe mesmo como eu sou, só não posso deixar a Sunny desprotegida, ela tem que saber com quem ta falando.

"Agora eu entendo porque a Eunbi estava tão enciumada"

-Eu não acho que a Sunny é boba de não saber que o Taemin é um cara...daquele jeito que a gente conhece. Sei lá, eu sei que você prometeu pro pai dela proteger a Sunny mas não tem umas coisas estranhas nessa história? Tipo, ela não tinha um namorado, o Kim?
- se recordava das primeiras semanas em que os viu se abraçando, tinha interpretado que eram próximos assim mesmo.
-Onde esse cara se encaixa nessa história? Será que ele sabe desse envolvimento dela com o Vassoura? Aish, desculpa, eu to enchendo sua cabeça de mais dúvidas e não soluções

Respirou fundo, adotando a postura de líder responsável mais uma vez.

-Explique tudo o que rolou pra ela, a Sunny é esperta e vai concluir por ela mesma depois disso que o cara não presta

Disse num tom de apaziguar os animos.

Sunny ia voltar com o café, Won ia agradecer de forma educada e começar a beber.

Quase cuspiu o café quando ouviu a pergunta direta de Jaeki.

"Ahhhh, ele foi na jugular!"

Aguardou a resposta dela, não ia intervir ainda.

Wangjo Coffee of Treta

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Kim Sun-Hee em Ter Ago 14, 2018 11:15 pm



As recomendações de JaeKi foram respondidas com um “ne, ne... okaaaaaaay, vou prestar...”, da mesma maneira que ela fazia quando os irmãos mais velhos mandavam nela. Não queria mais se alongar naquele tema ou eles acabariam notando que ela sabia sim alguma coisa, mas preferiu não contar. Talvez não fosse nada demais, só que Sunny não ia correr o risco de colocar sua chefa em apuros. Continuaria pedindo desculpas até responder e comentar os outros assuntos que JaeKi inseriu na conversa. Ficou muito feliz pelo sucesso dele em conseguir um novo serviço, e curiosa para saber o motivo de sair do antigo. Porém, não perguntou. Aparentemente estava tudo bem agora.

O problema dos dois logo foi jogado sobre a mesa.

Sunny, assim como JaeKi, também deseja resolver aquelas questões, mas antes “sugeriu” as bebidas.

Prestes a negar de novo, JaeKi receberia um olhar sério da bolsista acompanhado de um princípio de bico... No entanto, ele teve a sabedoria de se render. Sunny abriu um sorriso, satisfeita e vitoriosa. Deixou que os três ficassem à vontade para escolher o que quisessem e conforme falavam os pedidos, Sunny anotava-os. Encarou a opção que JaeKi apontava... Era uma das mais simples frente outras mais elaboradas e gostosas. Ela balançou a cabeça assim que terminou e encarou o trio de Dragões – Ceeeerto. Já volto, meninos!

Pediu licença e se afastou para buscar as bebidas. Enquanto isso, eles poderiam conversar entre si. Sun-Hee demorou cerca de dez minutos. Se no papel as combinações eram chamativas, agora então... sem contar o aroma! E Sunny pediu para que caprichassem no creme. Distribuiu as canecas, tomando cuidado para não derrubar nada.

- Pronto. Espero que gostem!


Nem bebeu o primeiro gole direito, e JaeKi já soltou a metralhadora. No caso, a língua. O coração dela acelerou, mesmo que soubesse que em algum momento o nome de Taemin surgiria. Mas não tão rápido! Porém, deixaria-o completar o raciocínio. Sunny encolheu os lábios, entretanto, não demonstrava desagrado ou qualquer sentimento do tipo. Enfim, assim que ele finalizou - por ora -, ela respirou fundo, iniciando...

- Vamos por parte – dividiu olhares pelos três até se concentrar em JaeKi – Sim, você me explicou e eu nunca concordei, mas... respeitei sua posição. Sei como é difícil proteger as pessoas que queremos bem, ainda mais num lugar onde a maioria... Aiiiish... Vocês entendem, né? – coçou a nuca enquanto escolhia as melhores e mais claras palavras... Não daria margens para erros dessa vez – Quando Choi Eun Bi apareceu naquela hora, lá no corredor... Só um cego não enxergaria a forma que ela se incomodou em nos ver... Eu... Eu acabei tirando conclusões equivocadas. Poxa... Pensei que, na verdade, você me evitava por causa dela, e não pelas razões que disse. Que confusão... – acertou alguns tapinhas na testa – Fiquei muito zangada! Porque nunca te pedi proteção e cuidado... Essas são coisas que surgem conforme a amizade vai se desenvolvendo. E era o que eu queria... O que eu quero: ser uma boa amiga. Daí me senti brava e decepcionada.



- Você não é mentiroso... Lógico que não. Pelo contrário, é incrivelmente sincero, JaeKi – Sunny sorriu – Muitíssimo. E... Por isso mesmo, gostaria de pedir para que pare de fingir que não me conhece. Não precisamos ficar 24 horas grudados, não é isso que estou dizendo, e também não quero causar problemas entre você e a sua... namorada. Mas, só aceitarei sua ajuda se você for meu amigo. É a minha condição. Alguém me falou que “juntos somos mais fortes” – olhou para Kang nesse instante, rindo - E concordo completamente.      

Porém, prosseguiu por meio de uma possível - e triste - opção:

- Bem... Você não tem responsabilidades comigo, JaeKi. E nem dívidas com meu appa. Aceito sua amizade, mas não a quero se isto representar uma obrigação e não uma vontade.

Tratou de pontuar.
 
Café Literário

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Jae-ki em Qua Ago 15, 2018 5:23 pm


Jae-ki ficou meio receoso quando viu Won ficar desconfiado sobre contar tudo para Sunny. Won não costumava ser assim, então era estranho.

- Que estranho... - Comentou pensativo.

Won falava o que achava sobre contar sobre o Taemin, só que as coisas que ele disse deixaram Jae-ki confuso. Kim era namorado dela? Se fosse, era estranho mesmo ver Sunny perto do Taemin.

- Aigoo.. Que confuso...

Concordou que Won realmente o deixou com mais dúvidas. E era mesmo o que ele esperava fazer, contar sobre Taemin e deixar que Sunny tomasse as decisões.

- Tomara que sim, mas sei lá, eu não entendo as garotas.

Jae queria tanto resolver tudo, que quando ela voltou com o café, Jae-ki não conseguiu se segurar e fez logo suas perguntas. Ficou encarando Sunny curioso para o que ela tinha a dizer. Estava cansado de não acreditarem nele, para ele era isso que Sun-Hee tinha feito. Quando a garota mencionou sobre o que achou depois do encontro com Eun-bi, Jae arregalou os olhos. Era um insulto que ela pensasse isso dele!

Também ficou meio chateado de ouvir que ela não tinha pedido proteção. Ajudar era sua única forma de poder retribuir o que faziam por ele, então quando rejeitavam isso, se sentia ofendido, como se sua ajuda fosse como um lixo qualquer. Mas Jae-ki ficou mais aliviado ao ouvir ela dizer que não o achava mentiroso. Porém então por que ela chegou a duvidar? Por que ficou perto do Taemin?

Jae-ki tomou um pouco do café enquanto a ouvia, chegando a sujar a boca de creme. Ouvir ela falando como queria que fossem amigos e outras coisas do tipo o deixavam meio cansado, não porque não queria isso, mas porque dificultava as coisas. Eles já não eram amigos?


No começo Jae achou que seria simples só vigiar, parecia fácil de dar certo. Bastava ela avisar que ele ia lá, seria os olhos do professor Kim na escola. Gostava da sua irmã e se pudesse ficaria protegendo ela na escola, então pensou que seria uma boa coisa proteger a filha do professor. Mas Sunny tornava isso mais complexo, criava condições, queria ser amiga de perto, dava para ver que ela estava chateada também, garotas eram tão complicadas.

- Sun-Hee...- Começou a dizer, limpou a boca com o pulso e continuou - Nunca foi uma obrigação. Você me deu café para agradecer as anotações, foi obrigação para você?

Jae-ki encheu as bochechas de ar e continuou:

- Eu achei que fosse o melhor ficar longe, na outra escola, era normal irem para cima dos meus amigos. Eu não ia me perdoar se acontecesse com você, a filha do professor Kim.

Jae-ki suspirou antes de falar mais:

- Mas se você acha mesmo isso ruim, não tem porque eu continuar esse cuidado todo... Até porque minha maior preocupação era Taemin te machucar... E agora meio que né...  

Jae-ki ajeitou o boné de novo, não conseguia ficar quieto e o boné não tinha a mesma sensação do gorro.

- Nós já eramos amigos Sun-Hee, eu vou continuar sendo sem o trato de antes. Mas se quer continuar sendo minha amiga tem que acreditar no que eu falo. Você não confiou em mim quando eu falei do Taemin... E sobre a Bibi, ela é minha namorada desde sábado, acho que não vai ter problemas com ela... 

Jae bebeu o resto do café de uma vez só, esperou Sunny falar o que queria e fez sua próxima pergunta:


- Mas Sun- Hee, porque você tava falando com o Taemin? O Kim é mesmo seu namorado? Ele não se importa? Ele sabe quem esse cara é? Eu já avisei, mas agora vou te falar quem é o Taemin, não é só um cara chato, mas tem que prometer não contar pra ninguém, nunca, não importa o que eu fale. Ele é rico e vai ser a minha palavra contra a dele, então já sabe quem vai perder se isso vazar.


Café da Sunny

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por The Crown RPG em Qua Ago 15, 2018 7:39 pm

HEE KYUNG. 10 DE JUNHO. 3:05 P.M. SALA DE REUNIÃO

- Um protótipo de um mês seria excelente, poderíamos fazer algumas simulações durante as férias. Fora que até lá, já terei o perfil que preciso. - Tae Song comentou. - É uma pena que não exista até o baile de máscaras, mas funcionará para Agosto, o que já me deixa bastante satisfeito. Dito isto, meus bons rapazes…


Fechou seu rascunho e os encarou.

- Gostaria de dizer que o projeto está aprovado. O Colégio está em fase de entrevistas com um novo psicólogo, que tenha uma visão um pouco mais ocidental e atualizada sobre essas questões que citamos aqui - Bullying, cyberbullying, mas também os motivos que levavam os agressores a se tornarem isso.

Eles não eram tolos de achar que todos aqueles alunos faziam só pela maldade. Havia algum problema familiar e isso era uma área extremamente complicada, considerando que tratavam-se de herdeiros. Com famílias tão fechadas, um diagnostico poderia ser dificil, mas eles tentariam ao máximo.

- Vocês não se preocupem com essas questões porque darem todo o suporte necessário. Vocês precisam se sentir seguros no colégio, não é mesmo? O protótipo começará com o Ensino Fundamental, pois acreditem ou não… - Parou por um instante. - Na verdade, os dados mostram, mas os índices estão mais preocupantes no ensino fundamental. Portanto, os testes começarão por lá e depois traremos para esse bloco. Acredito que quando o definitivo estiver pronto, poderemos usar o final em Agosto. Mas como dizia, vocês fiquem tranquilos, estarão amparados e seus nomes protegidos. Para todos efeitos, vocês não estão envolvidos nisso para que não haja qualquer tipo de perseguição.

Fez uma pausa por mais um instante.

- Ah, mas eu tenho uma pergunta pertinente…

Olhou os rapazes.


- Qual é o nome do aplicativo, afinal? Eu não encontrei nos documentos…

Era uma dúvida que Srta Yang e Sunwoo também tinham. As duas encararam o grupo e Ha Neul olhou para Dong. Ele disse que cuidaria desse nome, para que eles não se preocupassem. Será que ele tinha esquecido de colocar?


Depois de respondido, eles tirariam algumas dúvidas pontuais, envolvendo custos, além de confirmarem que a professora de informática revisaria todo painel de controle e segurança do mesmo. Questões sobre imagem e afins, eles veriam depois, o foco era o funcionamento mesmo. A reunião duraria um pouco mais de uma hora e podia-se dizer que foi um sucesso. O projeto estava aprovado pelo diretor.
(C) Ross


SUNNY, JAEKI E WON. 10 DE JUNHO. 4:45 P.M. CAFÉ


Tão logo entrou naquele Café, Kang adotou o modo silencioso. Apesar de ser um garoto divertido e sociável, ele também tinha seu modo observador. Antes de conhecer os Dragões, ele sempre agiu assim, principalmente por não ter amigos. Por isso teve um pouco de dificuldades de controlar as informações no começo - não sabia lidar e atropelava as etapas.

Agora, contudo, ele conseguia se policiar mais e ficou ouvindo.

Encarou Sunny quando ela falou que não se lembrava do homem que tinha acabado de sair. Achou um pouco estranho também, mas considerando o movimento mediano no salão e a quantidade de funcionários que tinha ali, não era impossível que ela estivesse ausente ou coisa do tipo. Não era como se ela fosse caixa ou trabalhasse no balcão como ele e os meninos - aí sim seria mais difícil dela não ter reconhecido.

Chegou a negar a bebida, mas quando ela insistiu muito, ele pediu um chá gelado porque estava com calor depois de toda corrida até ali. Enquanto esperava, ouviu as opiniões dos amigos. Não era contra que falassem de Taemin, pelo contrário, ele era a favor de que as coisas ficassem o mais clara possíveis. Quanto menos segredos tivessem, melhor. Ele até mesmo trocou um olhar com Won Bin porque parte do que precisava conversar com o líder tinha a ver com Sun Hee.

Sabia bem quem Taemin era, mas depois de testemunhas duas interações distintas, ele tinha certeza de que o garoto loiro não era o problema. Afinal, Sunny não pareceu negativamente abalada com as provocações dele e ele tampouco foi ameaçador. Já com Go Eun Na...bom, aí a conversa mudou de tom.

Não fez nenhum comentário, contudo, porque ainda ia esperar que começassem a falar. Quando sua bebida chegou, ele agradeceu com um sorriso, mas mal deu um gole e Jae Ki começou com sua metralhadora.

Parte da bebida tinha saído pelo nariz dele, fazendo com que encarasse o amigo com uma mega interrogação na testa.

Era assim que queria resolver as coisas? Aigo…

Felizmente, Sunny foi bem mais moderada e chegou a citar seu comentário. Os amigos facilmente reconheceriam aquela fala como a de Kang. Parecia bem típico dele. Ficou ouvindo e observando as expressões. O que ela pedia era bastante simples, mas Jae Ki não parecia receber isso muito bem num primeiro momento. Umedeceu os lábios quando ele terminou de falar e então ergueu de leve a mão.

- Com licença, eu fiquei ouvindo esse tempo todo, mas acho que preciso pontuar algumas questões aqui. - Ajeitou-se. - Posso não ser um expert em amizades, mas acho que vocês deveriam se perguntar o peso que essa palavra tem para vocês. Sabe o que acontece, Jae? A Sunny está falando o que Won e eu falamos para você há meses: não adianta proteger à distância e agora será que você entende que de nada adiantou esse distanciamento? Do Taemin se aproximou dela mesmo assim e não foi o único…

Mordeu a própria lingua nesse momento. Arregalou um pouco os olhos e cruzou os braços, suspirando.

- Ser amigo assim não funciona mesmo não. - Fez um bico. - Mas entenda o Jae também, Sunny, nós quatro somos parecidos em um aspecto: sabemos o que é ser sozinho, isolado ou marginalizado. Ainda estamos aprendendo, então, nossos erros são tentativas de acerto, mas às vezes não dá mesmo. - Suspirou. - Agora que esse ponto ficou entendido, acho que podemos fazer um futuro diferente, não é?

Deu um gole em sua bebida.

- Mas você precisa prestar atenção no que temos a dizer sobre o Do Taemin. Se você não conhece a fama dele ainda, apenas escute o que temos a dizer e tire suas próprias conclusões depois do porquê ficamos tão exaltados diante da presença dele…


Relaxou em seu lugar, trocando um breve olhar com Won Bin. Era quase como se esperasse um feedback - aprovando ou desaprovando - seu comportamento. Caso Won quisesse acrescentar alguma coisa, também seria um bom momento. Mas Kang tinha a impressão de que a mente dele não tinha parado de coletar dados e ampliando seu painel mental. Provavelmente as considerações ficariam para outro momento.

[Não tem uma ordem de turno exata, mas peço para que Jae Ki espere por Sunny ou Won, pelo menos, para reagir aos comentários deles]
(C) Ross


HYEMIN. 10 DE JUNHO. 5 P.M. WANGJO


Aparentemente, Yuha aceitou muito bem aquele desafio para o primeiro evento do clube. Era seu primeiro ano como capitã - alunos do 1º ano nunca recebiam esse título. Era quase como retroceder, visto que enquanto estavam no último ano do ensino fundamental, eles lideravam, mas chegava no ensino médio e precisavam aprender a obedecer de novo. Não eram os mais velhos, afinal.

Felizmente, no 2º ano, isso podia mudar porque havia muitos capitães dali. Ocorria quando eles se provavam melhores do que os alunos mais velhos ou quando o antigo capitão se formava para o Médio Especializado. Com Yu Ha foi assim, pois a única unnie do 3º ano era Park So Hee e ela ainda estava aprendendo. So Hee tinha mudado de clube na metade do ano passado, mas tinha um desempenho bom.

Todos ali tinham. Era a grande vantagem de ter vagas limitadas, a aula conseguia fluir com mais qualidade e a professora conseguia transitar entre as bancadas e corrigir o que via de errado ou simplesmente avaliá-los. Ela era muito satisfeita com todas suas equipes. O ensino fundamental estava surpreendendo muito, mas o ensino médio sempre tinha os alunos mais aplicados. Verdade que o Prédio 3 também estava muito bom, mas ela tinha um carinho especial pelo ensino médio - eles não carregavam a sensação de despedida e levavam mais à sério porque não sentiam a mesma pressão dos mais velhos que estavam à um passo da vida adulta.

Yuha não falou com sua equipe no momento porque logo começaram a fazer uma nova receita. As duplas se formavam - teriam sido trios e a receita seria outra, mas a professora decidiu adaptar assim que viu como a turma estava vazia. Apenas ⅔ presente. A professora esperou que os alunos se posicionassem antes de dar o passo a passo.

So Hee olhou para Hyemin com um sorriso gentil.


- Claro! Eu que agradeço. - A mesura foi por conta da experiência de Hyemin, não pela idade. Aproximou-se. - Qual parte você prefere fazer?

Perguntou porque cada um ficaria responsável por metade da receita - uma cuidaria da carne e de um dos acompanhamentos e a outra ficaria com o tempero da carne um segundo acompanhamento. Era sempre mais difícil mexer com a carne porque o ponto era muito importante e fazia toda a diferença entre o sucesso e o fracasso do prato. So Hee não se incomodava em fazer essa parte, mas atenderia ao que Hyemin recomendasse - as duas sabiam que a herdeira Seo era melhor, mas não estaria cozinhando sozinha porque a unnie era interessada e proativa.

As outras duplas também pareciam se dar bem. Hayoung já estava cortando os legumes - e isso foi algo que ela vinha aprimorando porque seus cortes estavam cada vez mais padronizados e simetricamente perfeitos enquanto Ui Jin preparava-se para limpar a carne e temperá-la.

Yu Ha e Hyejeong também tinham sua sintonia. Apesar de Hyejeong ter uma postura meio abusada e arrogante, ela era dedicada nos clubes que participava e era a capitã do clube de hipismo - talvez por pouco tempo, considerando que Yerin era desse clube também e era uma boa amazona.

Depois de passar a receita, a professora caminharia bancada por bancada, tirando as dúvidas e ouvindo como eles pensavam em preparar. As receitas parecia muito boa - no fim, todos provavam os pratos de todos, numa degustação para comparar onde tinham errado ou acertado mais do que os outros.

A aula fluiu bem e, apesar de alguns errinhos terem ocorridos, tudo foi consertado. No fim, os três pratos foram colocados na bancada da professora e eles puderam experimentar. Eles tinham seguido o mesmo passo a passo, mas dava para sentir as nuances. O de Yuha tinha um tom mais suave, o de Ui Jin era um pouco mais forte e o de Hyemin seguia seu estilo. Os três estavam no ponto e eram muito bons. A professora estava francamente satisfeita com o resultado.

Restava limpar as bancadas - e essa era uma ordem dada porque fazia parte da culinária também.

Yuha aproveitou esse momento para falar.


- Pessoal, eu vou criar um grupo no kakao para que possamos conversar sobre as receitas. Podemos combinar de cada um trazer três sugestões e depois selecionamos as melhores ideias.

Dito isto, os alunos podiam terminar de limpar suas coisas e partirem. O motorista de Hyemin estaria esperando por ela, no lugar de sempre. Após o fim da aula, Hayoung continuou um pouco distante de Hyemin, arrumando suas coisas e com uma expressão satisfeita. Seu trabalho com Ui Jin tinha sido bom. Do lado de fora, o namorado de Yuha, Ahn Kyung Soo, esperava por ela enquanto mexia no celular. Hyemin o conhecia do clube de Tênis, pois ele fazia parte do time masculino.


O rapaz a encararia por um instante quando passasse, mas o foco dele estava na espera pela namorada.
(C) Ross


MISOO. 10 DE JUNHO. 5 P.M. SALA DE DANÇA


Apesar dos métodos nada ortodoxos de Eun Bi, Bomi parecia mais aliviada depois das informações que a amiga dava. Mudava alguma coisa na situação deles? Não, mas ainda dava um pouco de esperanças. A parte ruim foi que foram pegos no flagra pela capitã do clube, enquanto faziam cócegas uma da outra e formavam uma verdadeira bagunça no piso encerado da sala de dança.

Elas se levantaram como conseguiram, fazendo várias respeitosas e longas reverências para os quatro alunos que chegaram. As maiores foram para Han Minhyun e Seok Min, pois eram os meninos presentes. Os dois, principalmente, Minhyun, pareceram se divertir com o que viram - não a humilhação, mas a energia das meninas.

As bochechas de Bomi coraram com o comentário sobre chamar pessoalmente Won Bin. Ela respondeu com um simples.

- Ne… - E pigarreou, começando o aquecimento.

O clube de dança era um dos mais cheios, mas naquela segunda-feira até ele parecia mais vazio. Além de Kang Woo Jin e Jae Ki, outras ausências marcantes foram as de Go Eun Na e Do Jimin. Uma das bolsistas do 2º ano, chegou a entrar na sala, mas logo se encaminhou até Kim Mina e após conversar por um instante, levando a mão até o estômago, foi dispensada. Seria mais uma ausência, aparentemente. Um menino do 2º ano - um hyeong de Dong Hee Kyung, mais especificamente, Ha Neul - também não chegou à tempo. Em compensação, Do Taemin, Ryu Ji, Beom Su e Miran - para a infelicidade de Bibi - estavam marcando presença. Assim como vários oppas e unnies do 2º e 3ºano, incluindo o irmão de Milly - Won Min Ki. Muitas meninas suspiravam por ele e, bom, considerando sua aparência não era para menos.

Taemin estava com a cara mais fechada do que o normal, provavelmente pelo que soube de sua irmã. Ele não deixou de ir aos clubes por conta dela, mas elas já tinham uma noção de como os Do eram...esquisitos. Às vezes a relação dele com a irmã parecia muito parecida com a que Misoo vivia em casa.

Não quis conversa com ninguém, ficando na dele. Inclusive, ignorou a existência de Eun Bi e isso sim foi uma surpresa para as meninas  - ele geralmente cumprimentava, mas nesse dia, simplesmente foi para o canto dele e ficou aquecendo em silêncio. O cabelo estava molhado porque tomou uma ducha após a aula de natação, mas já tinha energia para outra atividade física. O que Taemin tinha de preguiça para estudar, sobrava na disposição para os esportes.

Eun Bi o encarou por um momento e então trocou um olhar com Misoo, indicando o menino. Por um instante, ela se perguntou se ele também ignoraria se Kim Sun Hee estivesse ali. Não soube dizer porque isso a incomodou. Pigarreou e focou-se na porta da sala.

A cara da professora quando entrou na sala foi de verdadeiro espanto ao ver vários espaços vazios. Pelo menos bons dançarinos estavam ali e poderia arrancar o sangue deles na aula. Mandou que todos fossem para suas posições e começou o verdadeiro alongamento.

- Hoje vamos aprender uma nova coreografia. Façam o favor de passar para seus amiguinhos faltantes e avisem que três faltam significam expulsão do clube. - Lembrou a eles. - Eu tenho um desafio de mashup para vocês no fim da aula, é bom que prestem muita atenção.

O fato de ter tantos espaços vazios parece ter mexido no orgulho da mulher, como se os alunos não estivessem prestigiando sua aula. Por isso mesmo, o treino foi...exaustivo.  Não teve uma pessoa que não tivesse pedido um instante para beber água. Eles teriam a experiência de “trainee por uma hora” e ainda teriam que passar pelo mashup que misturava momentos aleatórios, mas com transição de todas as coreografias que tinham aprendido até então.

No fim, Bomi só foi tateando a parede e se sentando um pouco, com as pernas esticadas. Estava sentindo um princípio de cãibra. Eun Bi precisou se apoiar nas barras de ferro e respirava de modo ofegante. Sentia-se até meio zonza porque comeu quase nada naquele dia e já tinha começado o dia se exercitando.

Para Misoo, apesar do cansaço, o real desafio não tinha nem começado. Agora que as aulas tinham chegado ao fim,ela teria que ia para casa. Min Ji ainda estava na Coreia e agora que ela tinha terminado com Jung Mi, seria apenas uma questão de tempo que sua mãe parasse de ser...mãe como vinha sendo.

Era quase triste ter terminado a aula “tão cedo”
(C) Ross


HYUN HEE. 10 DE JUNHO. 5:05 P.M. HOSPITAL


- Kure… - Han Jae concordou. - Parece o certo a ser feito.

O que indicava que o julgamento de Hyun Hee estava melhorando nesse sentido. O secretário parecia orgulho das decisões que seu protegido patrãozinho estava tomando. Acabou por dar uma risada até que divertida com a história de férias.

- Adultos não podem tirar férias. Que tipo de sombra sua eu seria se tirasse férias? Mas obrigado por se importar. - Reverenciou o seu padrão. - Eu estou bem.

E estava mesmo, apesar de super cansado.

- Vá com cuidado para a casa da sua tia. Amanhã nos veremos de novo.

Esboçou um sorriso e o observou saindo. Não parecia mais um moleque, ele já era um homem feito. Han Jae deu um pequeno suspiro depois que o perdeu de vista e retornou até o quarto de seu patrão.

A mensagem para Jae Ki demoraria um pouco para ser lida ou respondida - o menino já tinha perdido o wifi e também estava ocupado com outras situações, no momento. Já Chaeyoung, ainda estava online e logo mostrou que estava “gravando um audio”.

“Wae? Eu só preciso apertar um botão com a mão boa e falar. Não estou cansada! Estou cheia de energia, poderia correr uma maratona hoje...se bem que...nah, deixa. Você está com ciúmes, é? Pois saiba que eu estava gravando um audio para você quando você chegou no quarto. Pelo menos agora fica registrado e será beeem grande para você se aborrecer e reclamar só mais um pouquinho…”

E o audio continuava por uns trinta segundos em silêncio.

“Você já parou de ouvir? Eu tinha algo meio importante para dizer…”

Risadinhas ao fundo e mais dez segundos até que ela disse.

“É realmente importante!....Neol joahaeee...really really really reallyieee...Saranghae, Hyunie…”

Depois do áudio de 3 minutos, ele também receberia uma foto aegyo dela.


“Esqueci de mostrar meu novo cabelo. Chegou no sábado, mas como vovô estava mal, não quis encher com isso. O que acha dele para o nosso próximo passeio? =p”

Depois disso, ela pararia de perturbá-lo. Ela mandou várias mensagens quase como para provocá-lo por ter mandado que ela parasse. Era uma afronta, mas também uma tentativa de mostrar que estava tudo bem.

Nenhuma intercorrência ocorreria até a casa da tia. Quando ele chegasse, poderia perceber que a “loja/garagem” do primeiro andar estava acesa e havia uma movimentação ali. Hae Sook estava sentada diante de sua mesa de trabalho, terminando os últimos detalhes de um ecossistema em vidro que entregaria no dia seguinte. Ela tinha feito cerca de cinco naquele dia e era um trabalho terapêutico, porém muito detalhista. Havia uma sujeirinha considerável de terra, pedras e folhas espalhadas pelo chão, mas que ela limparia depois. Estava usando roupas bem simples e, apesar do cansaço, parecia muito bem.


O lugar também servia de depósito para caixas velhas. Lá no fim, havia uma estante com caixas grandes com estampas de fotografias, provavelmente indicando o conteúdo que havia dentro delas. Além de outras coisas que não cabiam no apartamento. No fim, o estúdio de criação dela também era sua pequena bagunça por falta de espaço.

E, mesmo assim, ela parecia feliz. Mesmo tendo nascido uma herdeira, ela parecia confortável com quem era hoje em dia.
(C) Ross


Última edição por The Crown RPG em Qua Ago 15, 2018 10:56 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Seo Hyemin em Qua Ago 15, 2018 10:25 pm



Hyemin foi bastante paciente e gentil com So Hee, primeiro porque ela era sua unnie, mas também porque ela tinha adquirido um ar quase de professora dentro daquele clube no fundamental e adorava aparecer para a real professora.

- Hmm... Com o que tem mais afinidade? Quero fazer o molho. Vamos olhar o tempo da carne juntas? Não é minha especialidade - Hyemin admitiu e deu risada.

Seguiu as recomendações da receita e perguntou a opinião da mais velha sobre a cor da carne antes de retirá-la. Juntas conseguiram fazer com que não desse errado. Mais um pratinho para a lista de delicias que faria seu futuro marido comer! Ou tentar servir para o pai, para surpreendê-lo. Bateu uma foto, orgulhosa de seu feito.

Achava curioso como os pratos refletiam as pessoas. Achou muito esquisito como Hayoung parecia uma pessoa completamente diferente, mas como não sabia lidar com isso, só ignorou mesmo.

- Foi um ótimo trabalho. Obrigada, unnie - sorriu para ela. Logo se aproximou de Yuha. -  Sunbae, por favor, fique com meu número. Quero muito ajudá-la em tudo que precisar neste grupo! Eu fui capitã no último ano, então saiba que pode contar comigo para qualquer coisa. Para mim é muito importante que tudo saia perfeito no evento e sei como pode ser pesado levar tudo isso sozinha. Então não hesite em me procurar    - curvou-se, bastante educada, e deu seu número a ela.

Depois disso, recolheu suas coisas, notou que Hayoun continuava abduzida e saiu da sala, não sem antes sorrir para o oppa de forma meiga e fazer uma nova reverência quando foi observada.

- Boa tarde, oppa! Veio buscar a sunbae? Ela está recolhendo os números do pessoal, mas já está saída ~ Até mais. - sorriu, corando de leve, e saindo. Eram tão românticos aqueles dois!


O relacionamento deles era um verdadeiro sonho de princesa. Assim que recolheu todas as suas coisas no armário, foi para o carro, onde pegou seu celular, inspirada pelo casal 20 da escola.
Quando fez isso, no entanto, ainda havia a mensagem daquele orelhudo sujando sua tela. Fechou a cara, fez um bico e começou a escrever e apagar várias vezes. Ainda não conseguia entender direito aquela mensagem, o sorriso e como estavam se tratando. Acabou corando de raiva.

Não esqueceu que ele a chamou de Samara. Então bufou de raiva e cuidadosamente subiu outra foto de perfil antes de mandar mensagem para ele.

Spoiler:


 
Orelhudo

Hyemin
Você é ridículo.
Hyemin
(emoji do macaco)


Emoji:

Tirou aquilo da frente e abriu um chat com Nana, Yerin e Beom-Su.

 
BLACKPINK

Hyemin
Hayoung não come mais com a gente.
Hyemin
Ela está muito metida. Nem sei quem é mais. Hoje veio falar da bolsista sei lá eu por que e teve um chiliquinho. Nem fez dupla comigo e foi super ignorante. Vi que ela está evitando a gente pra falar com o primo e nem quis fazer meu relatório de palestra. Está se achando muito. Por mim chamava a Yeji no lugar dela. Hahahaha.


Terminado esse problema, ela balançou a cabeça, botou uma música bem fofinha e romântica do GFriend para tocar e começou a escrever. A cada palavra precisava reler para ver se estava tudo certo.

 
Oppa

Hyemin
Oppa. Tudo bem? Espero que esteja melhor
Hyemin
Eu sei que provavelmente isso não o interessa muito. Mas vai ter o Baile de Máscaras no fim do mês… i.i


Ela ficou uns 5 minutos sem escrever, arrependidíssima de ter mandado a mensagem. Quem achava que era? Que vergonha!! Mas agora não podia voltar atrás. Não era segredo para ninguém que ela gostava dele. Mesmo que não fossem noivos de verdade, ela se esforçava bastante para isso .Não seria natural que esperasse algo assim? Mas era mais nova… Não era bem bobo chamá-lo? Ele provavelmente achava isso infantil.

Choramingou baixo. E agora? Já tinha enviado. Sentiu-se bem tonta de novo e jogou o celular na bolsa, vendo seu hibisco. Aigooo.. Respirou fundo e escreveu.

 
Oppa

Hyemin
Se quisesse ir seria legal
Hyemin
Se não, tudo bem tambem. Só isso. Boa tardeee


Wangjo |{LOOK: Tiara | Sapatos | Capinha  }

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Won-Bin em Qua Ago 15, 2018 10:54 pm



Infelizmente suas observações tinham deixado Jaeki confuso também.

@Jae-Ki escreveu:- Tomara que sim, mas sei lá, eu não entendo as garotas.

-Ninguém entende amigo. Ninguém entende - comentou antes dela voltar.

A conversa ficava cada vez mais tensa. Won tinha decidido ficar calado na maior parte dela porque era uma questão que Jae precisava resolver. Mas até Kang sentiu a necessidade de intervir.

Kang escreveu:- Com licença, eu fiquei ouvindo esse tempo todo, mas acho que preciso pontuar algumas questões aqui. - Ajeitou-se. - Posso não ser um expert em amizades, mas acho que vocês deveriam se perguntar o peso que essa palavra tem para vocês. Sabe o que acontece, Jae? A Sunny está falando o que Won e eu falamos para você há meses: não adianta proteger à distância e agora será que você entende que de nada adiantou esse distanciamento? Do Taemin se aproximou dela mesmo assim e não foi o único…

Won assentiu com a cabeça, concordando com o amigo. Tinham batido nessa tecla tantas vezes, talvez só agora Jae tinha entendido.

Kang tocava num ponto importante: os quatro eram bolsistas e entendiam o que significava a solidão. Won apenas não sabia se Sunny também já sofreu disso já que desde o primeiro dia ela sempre esteve cercada de amigas e dos amigos nerds mas pelas palavras de Kang ela também sabia estar só.

Won assentiu com a cabeça para Kang: ele realmente tinha pontuado muito bem aquela situação. A amizade ali para que realmente pudessem se ajudar envolvia confiar na palavra e Sunny não podia ser tola em achar que Taemin era alguém inocente.

Na verdade Sunny nem defendeu nem o citou direito. Ela se esquivava do assunto com a proficiência de um artista marcial.

-Hmmm. Você realmente quer saber por que a gente não gosta do Taemin, Sunny? - disse colocando o copo de café na mesinha. A expressão mudava de simpático para sério, a postura que Sunny só teria visto quando ele discutiu com Taemin e Gyu mais cedo.

Won estendeu a mão esquerda e meio que fechou os punhos, mostrando as cicatrizes que ficaram ao fraturar os dedos.
-Isso aqui foi ele. Na verdade, quatro capangas dele - tinha dado a informação com o maior impacto possível. Voltaria com o braço em seguida.

-Taemin agrediu Eunbi no começo do ano, jogando ela no lago. Você deve ter visto a cena, ou ouvido falar, do Jae-ki levando Eunbi nos braços pra enfermaria

Parecia que tinha acontecido milhões de anos atrás.

-Acontece que o Jae queria tirar as coisas a limpo com ele. Eles marcaram uma briga. Foi tolo, eu sei, e eu fui pra garantir que ia ser uma luta justa pelo menos. Não foi... - seu olhar era sério mas carregava desprezo por quem Taemin era - Ele gritou e surgiram quatro capangas dele pra cima de mim. Talvez se eu não estivesse lá, o Taemin os mandaria contra o Jaeki sozinho e ele nem estaria aqui pra contar a história

Que tipo de pessoa anda com adultos dispostos a bater em adolescentes a ponto de fraturar um deles? Ele era o verdadeiro gangster.

-Esse é o tipo de pessoa que você está defendendo ao não dizer nada, Sunny. E é por isso que Jaeki fica preocupado com você. A gente imagina um monte de coisas

Estaria ela obrigada a andar com ele? Não parecia muito na verdade.

"Que sensação esquisita"

-E eu me pergunto se o Kim não curte você andar com o Taemin também. Desculpe a indiscrição, mas vocês pareciam bem próximos no começo do ano, até pareciam namorados - disse já colocando a segunda dúvida na mesa. Não era um assunto pertinente a ele, mas Kim era um cara legal e se ele estivesse sendo enganado ia querer deixar isso a limpo.

-Mas como o Kang disse, você tem de tirar as próprias conclusões. Eu sei que não tem sido um semestre fácil. A Ye Ji já me contou o que as meninas fazem vocês passar - disse se referindo ao bullying - E cada um tem um jeito de lidar com essas coisas

Algo no olhar de Won era diferente. Como uma chama. Uma vontade.

-Entretanto eu não quero ficar sentado vendo as pessoas inocentes da nossa sala sofrendo. Eu sei que Jaeki e Kang compartilham do sentimento de querer fazer diferente, ser diferente do restante desses alunos que odeiam a gente

Cruzou os braços. Olharia meio que pedindo desculpas para Jaeki, tinha acabado tomando a conversa pra outro rumo.

-Não é uma obrigação te ajudar e ajudar outros. É o nosso jeito de sermos os Dragões de Wangjo - encerrou.

Wangjo Coffee of Treta

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por The Crown RPG em Qui Ago 16, 2018 1:15 am

HYEMIN. 10 DE JUNHO. 5:13 P.M. ESTACIONAMENTO


Junto de So Hee, Hyemin conseguiu apresentar um prato bastante gostoso. Chegava ser difícil decidir qual era o melhor dos três, porque cada um tinha um paladar que complementava o outro. Todos estavam muito orgulhosos do trabalho e confiantes que, desse jeito, formariam uma excelente equipe no futuro.

No fim da aula, Yuha falou sobre o grupo e observou a aproximação de Hyemin. A unnie era uma menina bastante gentil e, talvez, a mais querida do grupo de Eun Joo. Eram amigas há muito tempo, mas ela não era dada a escândalos como Joonie, tampouco tinha comportamento duvidosos como Jiminie e Hyejeongie. Sorriu para Hyemin e agradeceu.

- Ung! Eu me lembro bem, trabalhamos juntas ano passado quando eu ainda não era capitã. Você fez uma entrada muito saborosa, não foi? Agora, contudo, precisamos de um cardápio com mais variedades. Realmente estou contando com você e com todos os alunos. Obrigada pelo apoio e não hesitarei em chamá-la. Aliás, parabéns pelo prato de hoje, estava muito gostoso.

Terminou a conversa. Outra pessoa poderia achá-la um pouco atrevida ainda mais porque se exaltou como antiga capitã. Mas Yuha não era assim e não via como uma competição. Ela gostava de cozinhar com a alma e com harmonia. O maior problema, na verdade, seria Joonie, Chaeyoung e Hyun Hee na mesma cozinha e com facas à disposição. Era disso que ela tinha medo.

Do lado de fora, Kyung Soo a olhou uma segunda vez ao ver o cumprimento. Esboçou um sorriso de volta para ela e também reverenciou moderadamente.

- Ah sim, não tem problema. Eu espero. Obrigado.- Acenou e guardou o celular, esticando um pouquinho o pescoço para ver a namorada.

Os dois formavam um casal muito fofinho mesmo, o verdadeiro casal 20. Eram amigos há muitos anos, mas começaram o relacionamento - com apoio das famílias, visando alianças econômicas - há dois anos. Kyung Soo sempre era presente, cavalheiro e companheiro dela. Andavam de mãozinhas dadas e nunca foram vistos em momentos constrangedores ou escandalosos. Eram realmente a meta ideal de namoro e respeitavam o espaço um do outro quando necessário.

Inspirada pela imagem do casal, Hyemin levou um tempinho até seu chegar em seu carro. O motorista querido abriu a porta para ela e deu a volta para dar a partida.

Joo Hyuk estava online e, mais do que isso, estava descendo as escadas do salão principal. Leu a mensagem dela e fez um bico meio chateado.

JOO HYUK

JOO HYUK
Quem é mais ridículo aqui?
JOO HYUK
Aish, não fiz nada demais dessa vez para a sua guarda-costas vir atrás de mim. Eu não tenho medo dela, que fique bem claro, mas você parece adorar chorar pra ela, né?
JOO HYUK
Por que não jogou a flor fora, se não gostou? Ainda bem que não comprei as que vi, não tô podendo gastar won com quem não merece


A cara dele não parecia feliz com as coisas que dizia. Na verdade, ele estava triste e cansado. Começou a caminhar na direção da saída enquanto o carro dela dava a partida - caso ela mandasse o motorista parar, ele o faria.

Já no grupo Blackpink, as notícias dela vieram como uma bomba, mas talvez, ela que ficasse realmente surpresa com as respostas.

BLACKPINK

Beom Su
Por que? O.o
Yerin
Hm. Você acha que vale fazer tudo isso só porque ela não quis fazer o relatório para você? Ela disse que não quer ir nessa palestra.
Beom Su
Eoh. Hoje estávamos comentando como o refeitório estava vazio e a “bolsista” não apareceu. Hayoung se preocupou que você e Eun Na tivessem encontrado com ela no caminho, talvez.
Yerin
E eu disse que não era provável e que ela ficasse tranquila quanto a isso. Hayoung teve um fim de semana difícil em casa. Ela comentou pouco porque é discreta quanto a isso, mas nem com o celular está. Você perguntou algo a ela? Olha que eu sou uma pessoa grossa, mas não acho que ela mereça expulsão ainda. Min. Nem a Yewon foi expulsa, só a Miran.
Beom Su
=/
Yerin
Mas se ela fizer algo ruim, serei a primeira a dar cabo dela.


As mensagens estavam se acumulando. Mas uma coisa não tinha mudado ainda: suas mensagens chegaram para Miwoo, mas os risquinhos não ficaram azul. A última vez que ele foi visto online foi há meia hora.
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Seo Hyemin em Qui Ago 16, 2018 8:37 am



Para deixá-la mais ansiosa, o noivo não respondia. Já estava arrependida de ter mandado aquela mensagem. Teve muita vontade de apagar, mas aí como justificaria? Mordeu o lábio, mas para sua salvação o celular estava bastante animado com mensagens do grupo.

Não ficou infeliz, pelo contrário. Estava em um dia tão estressante, mas agradeceu que os amigos a impedissem de fazer uma bobeira só porque era mimada. Sorriu de leve. Pôde refletir naquele momento que Hayoung tinha mesmo virado outra pessoa. Até Yerin, que antes a considerava uma pet e a tolerava no grupo a seu pedido, de repente estava cheia de empatia e defesas para com a menina. Isso era ótimo. Porque eram mais como um grupo mesmo.

Beom-Su não estava acostumado às regras do grupo e já tinha entrado quando todos se tratavam como inseparáveis amigos. Eles abriram seus olhos que talvez a bronca a tivesse transformado completamente mesmo. Sabia como alguns pais podiam ser especialmente cruéis. Yerin era um exemplo disso e talvez por isso mesmo estivesse compreendendo Hayoung? Os amigos suspeitavam que ela estivesse sofrendo muito, o que a fez ficar preocupada e começou a digitar como uma louca, acompanhando as mensagens de todos.

 
BLACKPINK

Hyemin
Poxa, será?? Eu não pensei nisso. Na hora não liguei, mas juntei os pontos e achei que fosse de propósito... Acham mesmo que está com problemas sérios, pessoal? Será que é por isso que ela está tão fria??? Até a cara dela mudou.
Hyemin
.   Ela não falou disso o dia todo. Como acham que a gente pode ajudar? Komawo, gente. Vou lá falar com ela e aviso vocês. TT_TT


Abriu a mensagem da colega e já começou a escrever para ela.

 
Hayoung

Hyemin
Poxa, o castigo ainda está te incomodando? Desculpa, não tive um dia legal também. T_T (emoji triste)


Ela queria escrever mais, mas a notificação de Joo Hyuk, o motivo de seu dia ser ruim, a fez interromper a segunda parte e ela ergueu o rosto alarmada, pedindo para o motorista parar o carro tão repentinamente que nem sabia o que estava fazendo.

Abriu a janela, como da última vez e ficou olhando, bastante confusa, o trajeto do menino. .


- YA!  - chamou, com o vidro aberto, e se pendurou na janela. -  Por que você me compraria uma flor? Você não fez isso só para rir de mim? Aigo, não importa… - saiu do vidro, se ajeitou, e abriu a porta do carro, ficando em pé perto dele, mas deixando as coisas lá dentro. -  O que foi que… a Yerin disse pra você? - perguntou em um tom mais ansioso e preocupado, mas bem mais baixo. Estava agindo de forma muito cuidadosa, porque não sabia qual era sua reação, nem o que possivelmente sua amiga tinha feito.


Aquela a informação a estava matando por dentro. O que Yerin tinha feito? O que tinha contado para ele? Não sabia se ficava com vergonha, se tinha medo do que viria ou se entrava de novo no carro e fugia. Só sabia que se tivesse feito isso, seu coração estaria batendo ainda mais forte e ela estaria tão confusa quanto antes da aula, quando ele lhe revelou que tinha dado a flor. Não sabia por que estavam falando normalmente, mas algo naquela expressão nada arrogante a fez sentir que era um território mais conhecido.

Mesmo assim, tendo em vista tudo o que passaram naqueles meses, ela não conseguia entender mais o tom que saíam aquelas mensagens. E por que ele parecia triste e cansado? E em outro momentos arrogante e ria dela? O que ele queria dizer com aquilo? Não gostava daquela confusão de emoções.

Wangjo |{LOOK: Tiara | Sapatos | Capinha  }

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Park Hyun Hee em Qui Ago 16, 2018 6:37 pm



- Droga. Achei que podia me livrar dessa vez... - deu um meio sorriso.

Era uma pena que ele não quisesse tirar férias, mas, no fundo, acreditava que era isso mesmo que ele faria desde o início e até o respeitou mais. Ele era do tipo que sentia orgulho de quem trabalhava muito. Talvez porque fosse um vadio.

No caminho para casa, ouviu o áudio gigantesco da namorada, mudando de expressões. Indo de aborrecimento, para surpresa e um sorriso discreto. Ele ouviu mais uma vez a voz dela antes de respondê-la, mas aí já tinham vários áudios novos, o que o fez franzir a testa.

Aishh.. Essa garota…

Riu um pouco daquela música irritante, mas não esperava por uma declaração no final.

Ela o fazia sentir de forma muito estúpida. Mas ao mesmo tempo ele queria sentir mais daquilo.

Quando viu, lá tinha uma foto que ela tinha mandado para ele. Não era a mesma coisa que olhar na rede social. Tinha um tom diferente recebê-la direto.

Foi a vez de mandar um VÍDEO de si mesmo, com filtro de gato na cara, fazendo micagem, meio que mostrando sua reação à foto dela e aos áudios. Além de sinalizar que estava no ônibus.
(ref: https://www.instagram.com/p/BaDK67_h1u3/?hl=en&taken-by=jj_1986_jj )

Foi bastante inusitado porque estava no meio do ônibus, mas conseguiu ser tonto daquele jeito.

Joaninha

Hyun
No próximo encontro eles vão acabar tão bagunçados, por que se importa? : ]
Hyun
(... está digitando)


Hyun deixou uma pausa dramática com aquele duplo sentido e completou.

Joaninha

Hyun
No próximo encontro eles vão acabar tão bagunçados, por que se importa? : ]
Hyun
Vamos de moto ao Monte Jung Mi.


Com isso, estava satisfeito que ela parecia alegre novamente. Ela era capaz de lhe trazer muita paz de espírito. Foi assim, tranquilo que chegou naquele lar tão mais aconchegante que sua casa.

Estava acostumado a espaços grandes, mas era mais um hábito do que um gosto. Quando foi morar nos EUA, acabou abrindo os olhos para outros tipos de lugares e, hoje, achava que aquilo sim era uma vida tranquila.

Bateu na porta anunciando sua chegada.

- Isso é bastante interessante. É preciso bastante delicadeza… - observou, chegando perto e olhando uma melhor.

Havia alguém que com certeza adoraria aquilo.

- Como está? - reverenciou. - Vim do hospital. Vovô terá alta amanhã - anunciou, analisando sua reação. - Obrigado por me receberem tão bem. Vou sentir falta desta casa…

Olhou o ambiente ao redor antes e observar a tia.

- O café da manhã estava bom? Posso voltar para cozinhar. Inclusive, gostaria de fazer a janta hoje. Um tipo de celebração em família - sorriu.

Não queria entrar em assuntos profundos com a parente distante, porque não sabia muito bem fazer isso, mas fez um gesto em direção ao ecossistema.

- Dá para colocar uma joaninha aí dentro? De mentira. Eu queria dar um presente para alguém. - foi a forma que teve de criar um link com a tia e ao mesmo tempo apreciar seu trabalho, de forma indireta.

Humor: estável/--+++

— Ross

avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Yeun Misoo em Qui Ago 16, 2018 7:02 pm

 

Misoo ficou satisfeita com a reação de Bomi. No fim, só queria que as amigas fossem felizes, e seus conselhos eram sempre na intenção de ajudá-las a ficarem menos chateadas, muito mais do que ser apenas um golpe de sinceridade mortal.

Ela conseguiu se exercitar bem naquela aula, porque o trio parecia normal. Apesar das dificuldades, elas nao tinham mais uma crise interna. Era novamente elas contra os problemas de fora. Era muito menos assustador e a fazia sentir-se amada.

Fez uma cara de “que pena” quando Miran apareceu, somente par aconspirar com Eunbi e deu risada. Não tinha nada muito contra ela, mas quando estavam em grupo, queria animá-las. Porém, a expressão da amiga se desmanchou quando viu Taemin entrar daquele jeito. Era estranhíssimo. E, embora ela não gostasse dos assédios dele, era muito pior quando ele a desprezava assim.

Fez um bico pra ela e balançou a mão, em um “deixa isso pra lá”, mas não conseguia adivinhar o que estava por trás daquilo. Será que a conversa que ele teve com Gyu tinha algo com isso? Achava que não, mas não tinha como saber.

Três faltas e eram expulsos do clube…

Isso era muito rígido. Achava que dança era uma forma de diversão, mas Wangjo levava tudo a ferro e fogo. E dessa vez, Misoo suou na aula. Gostava bastante dos exercícios e estava ansiosa para brincar com Kang na rua de novo. Ela o desafiaria novamente, com essa carta na manga.  Ela se apoiou nas barras, ao lado de Eunbi. Tinha comido, mas colocado tudo pra fora. Sentia um tipo de dor no estômago fazendo tanto exercício. Mal sabia que Eunbi passava a mesma coisa e como elas estavm em sintonia naquilo.

Ao final, fez uma horinha com as amigas e voltou com elas para casa. Era realmente uma pena ter voltado tão cedo.

- Se quiserem fazer algo mais tarde, farei com prazer. Estou cheia de energia. Aigoo.. Mentira, não estou - admitiu, rindo. Mas gostaria.

Quando voltou para casa, o colar de raquete parecia pesar no pescoço. Ela chegou e foi direto para o quarto, para tomar um banho e se fechar lá. Já estava se sentindo como uma filha indesejada novamente. A presença da irmã era um prólogo do que ouviria por ter terminado com Jung Mi.


Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
132

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Kim Sun-Hee em Qui Ago 16, 2018 9:37 pm



Era novamente a vez de JaeKi falar e Sunny torcia para que ele não tivesse ficado chateado com alguma coisa. Ela procurou ser o mais serena possível sem que isso afetasse a verdade. Não desejava novos mal-entendidos entre os dois, independente dos resultados da conversa. Respirou fundo e o acompanhou em silêncio, chegando a exibir um discreto sorriso quando o garoto afirmou que não via a amizade deles como uma obrigação, porém o gesto foi substituído por um biquinho no canto dos lábios diante da continuidade. Ora... Claro que não! E o choque momentâneo a fez compreender um pouco mais a qual ponto JaeKi queria chegar com aquela comparação. Para não interrompê-lo, Sunny apenas balançou a cabeça, negando. JaeKi tinha sido generoso... Ela somente respondeu da mesma forma e porque também gostava de agradar as pessoas que lhe eram queridas.  

Conforme ele avançava, a bolsista conseguiu perceber determinadas semelhanças na maneira que eles protegiam os amigos... Sunny compartilhava desse medo, ainda mais agora, em WangJo. No entanto, não havia como fingir que apreciava tal posição de “protegida”, embora ficasse emocionada e feliz por saber que JaeKi demonstrava tamanho zelo. De fato, era algo recíproco. Como ela comentou com Kang, temia que para defendê-la, JaeKi arranjasse problemas com os herdeiros e coisas piores resultassem dessa proteção. Por isso evitava envolvê-lo.

Entretanto, uma linha apareceu no meio das sobrancelhas de Sunny quando ele mencionou Taemin. Por que JaeKi tinha medo dele machucá-la? Será que Taemin OUSOU fazer ameaças? Além da raiva, um sentimento esquisito criou um vácuo na altura do estômago só de pensar na possibilidade disso, mas logo Sun-Hee refletiu sobre outras prováveis opções. Não faltavam motivos para JaeKi desconfiar daquela criatura irritante.  

Não comentou nada.

Ainda.

Esperaria que ele concluísse.

Mas viu a necessidade de cortá-lo porque a tal falta de confiança se tratou de um dos principais equívocos ali. Ela o interrompeu após Jae confirmar que namorava Eun Bi.  

Não era uma suuuuupresa, surpresa.

A postura possessiva da menina indicou que havia alguma relação entre eles.

- Eu não desconfiei de você, JaeKi! Quer dizer... - Sunny suspirou, quase se atrapalhando – Admito que imaginei sim que você tivesse mentido sobre a dívida com o appa e... Estou envergonhada. Miane... - sobre não ter problemas com Eun Bi, preferiu deixar quieto... Não guardava rancor da bailarina e não ansiava por discussões, até porque, tudo não passou de erros bobos e que cresceram. Agora... - Sobre Taemin... Percebi que vocês não se dão bem.

Antes de prosseguir, JaeKi a bombardeou com um monte de perguntas.

AHN? NAMORADA DO KIM?! COMO ASSIM?

Ficou sem reação!

- QUUUUUUUÊ??????

Kang se intrometeu depressa.

Daria espaço para o Dragão colocar a própria opinião enquanto recuperava-se do choque.

Ela concordou com cada palavrinha, até o... “não foi o único”.

Travou na mesma hora.

Porém, prosseguiu calada.

Ele não ia entregá-la... OU IA?

Quando Kang mencionou o ponto em comum deles serem sozinhos, ou que foram por um longo período, Sunny escondeu os lábios, encolhendo-os. Entendia como era sofrer com a exclusão... Sabia o que era estar constantemente sozinha, como se tivesse feito algo errado...

Como se fosse errada.

- Ne...


Sunny mostrou um sorriso e acenou.

- Tenho certeza que podemos, sim.

O assunto retornou ao que aparentemente mais incomodava os Dragões: Taemin.

- Ok, estou ouvindo...

E Won começou em seguida, pegando-a desprevenida. Até mesmo por conta da mudança nas feições... como aconteceu na parte da manhã, durante a briga. Não respondeu, mas era nítido que sim, que queria saber. No momento em que os olhos desceram sobre a mão coberta de cicatrizes, a respiração de Sunny se prendeu, e agravou-se frente à explicação. Capangas de Taemin? Por quê? Won não poupava palavras. Só um aluno muito alienado não escutou comentários sobre a situação do lago, algo que Sunny repudiou. Detestava violência.  


Ela arregalou os olhos.

- Vocês marcaram uma... Não acredito nisso!

Fez um rápido cálculo.

O roxo em JaeKi na mesma época que Won usou o gesso... Isso explicava tudo. Ou quase.

O líder dos Dragões não deixou ponto sem nó e Sunny...

O trio visualizaria perfeitamente o instante que o rostinho dócil ganhou traços... tristes. Estava decepcionada diante de uma hipótese que surgia em sua mente.


Pareceu despertar assim que ele mencionou Kim.

- Não somos namorados - pontuou, séria - Kim é o meu melhor amigo e de infância também. E, além de tudo, é meu irmão.  

Ficou meio ofendida nesse pedaço, porém nada disse. Não era esse tipo de garota!

Então...

- Won Bin! - quase gritou, nervosa, pois aquele era um assunto que certamente não desejava discutir na frente de JaeKi - Isso não vem ao caso!

Lançou um olhar constrangido na direção de Jae.

Ao fim, Sun-Hee demorou a esboçar novas reações. Avaliava as coisas que todos disseram... E a sensação era de que rasgaram Taemin ao meio. O loiro estava distante de ser um santo, mas não conseguia encontrar o monstro que os meninos trataram de expor.

- Eu... Eu não sabia...

Falou baixinho.  

- E... qual é o certo? Hein? Vocês não querem ver inocentes sofrendo nas mãos dos herdeiros, mas para resolver os problemas... Se igualam a eles? Marcando uma briga??? Todos estão errados, todos, inclusive Do Taemin, antes que digam que só o protejo! - Sunny bateu o pé, bastante irritada – Acham mesmo que não sei que Taemin possui um monte de defeitos? Que ele é briguento, arrogante e esquentado... E que adora provocar? Isso o diverte. Não sou estúpida.

Ou talvez fosse.

Entretanto, não ia explodir, não de novo.

- Também preciso contar uma coisa.



- No último sábado, eu atendi uma família aqui no Café. A menininha, a caçula do casal, ganhou uma medalha de ouro na competição e depois de lancharem, eles iam voltar ao torneio pois o filho mais velho ainda lutaria de tarde. Só que a Yoona esqueceu a medalha e eu decidi devolver. O evento aconteceu numa Universidade bem pertinho, não custava nada, né? Mas eu tive... problemas. Para ser mais exata, quatro problemas... - franziu o cenho conforme lembrava do momento assustador e perigoso - Eu me perdi naquele campus enorme! E notei, tarde demais, que aqueles garotos estrangeiros me cercaram para oferecer uma ajuda que eu não pedi. Ajuda... Tsc. Eles estavam mexendo comigo... E um deles segurou no meu braço.

Tocou a área, revivendo o toque nojento e rude.

- Mas Do Taemin apareceu e me defendeu. Ele me tirou de lá, além de ficar ao meu lado o tempo todo. Foi... gentil e atencioso, nos modos particulares dele, claro, mas foi. Se Taemin não tivesse se metido...

Não completou, porém era muito fácil deduzir as reticências.

- Por sorte, e coincidência, ele conhece a Yoona e me levou até ela. No final, deu tudo certo. Para quitar minha dívida, estou o ajudando com os exercícios e trabalhos do colégio.  

Ela trocou alguns olhares com eles e poupou os... detalhes.

Como ser carregada no ombro do loiro e... vê-lo agir de maneira tão fofinha com uma criança.

- Vocês e a maioria enxergam nele a imagem de um demônio desprezível, e não tiro suas razões, não sou tonta e nem cega. Ela tem um péssimo comportamento e é malvado. Mas... Esse demônio me salvou de algo bem ruim e poderia ter se machucado por causa de uma garota que ele nem sabe quem é direito. E não há como simplesmente fingir que não o vejo. Eu não posso...

Sunny inclinou o queixo, como quem toma uma decisão.

- Isto não significa que vou ignorar seus avisos, pelo contrário. Sou muito grata por tanta preocupação. E fico triste em saber que... - olhou para os dedos de Won e aquilo a abalou mais do que o previsto – Por favor, não briguem.

Não podia se abrir com os meninos. Ou contar os efeitos daquelas revelações e as dúvidas que estas geraram...

Estava muito confusa.

- Confio que os Dragões de WangJo tomarão a melhor das escolhas.  

Abaixou a cabeça de um jeito humilde.

- E eu já sei o que fazer e juro que essa conversa não chegará aos ouvidos de Taemin.

Por enquanto, era a única coisa que tinha como prometer - e cumprir.
 
Café Literário

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Jae-ki em Qui Ago 16, 2018 11:30 pm


Depois de responder a Sunny, ouviu ela interromper para pedir desculpas por ter desconfiado. Era mesmo frustrante ver que ela tinha pensado isso dele, mas claro que aceitou as desculpas dela, ao menos não precisou insistir pra ela mudar de ideia.

Em seguida fez as perguntas que queria. Era notável que Sun-Hee ficou surpresa ao ouvir sobre o suposto namoro com o Kim.

Kang interrompeu e começou a falar. Jae-ki fez uma careta quando o ouviu dizer que eles tinham razão sobre o distanciamento. Não gostava de admitir que estava errado, mas tentou dar o braço a torcer:

- Tá, tá... tá certo...

Realmente não tinha adiantado se afastar de Sunny."Mas é que ela é teimosa..." Pensava Jae-ki, um teimoso chamando a outra de teimosa. Entretando ficou satisfeito de ouvir Kang o defendendo por outro lado também, era verdade que ele só estava tentando acertar. Também se sentiu confiante ao ouvir Kang confirmando que seria bom ela ouvir sobre Taemin.

Mas antes que Jae-ki pudesse contar, Won se adiantou. Jae o ouviu de olhos arregalados, ele contava até que foi a Eun-bi que Taemin empurrou. Ele não planejava citar nomes, mas vendo o amigo fazendo isso o fez ficar impressionado. Era ótimo ver Won do seu lado e falando assim do cretino loiro. Won Bin era mesmo um grande amigo.


Balançou a cabeça concordando com o amigo quando este mencionou sua preocupação para com Sunny. Achava ótimo que ela estivesse ouvindo de Won, talvez assim o relato ganhasse mais crédito porque infelizmente Jae-ki já estava esperando que não fossem acreditar nele. Sunny acabou de vez com o mal entendido sobre Kim.

Só que quando Won falou aquilo que Ye Ji contou, o olhar de Jae-ki virou instantaneamente para Sunny. O que eles sabiam que ele mesmo não sabia? Sunny sofria na mão das outras garotas? Por que ela não contou? Por que Won não contou? Jae notou que o rosto da garota estava mais tenso agora. Sun-Hee reclamava com Won-Bin quase gritando. Jae-ki fechou o semblante.


Ela não tinha confiado nele nem no começo, negou sua ajuda, mas pior era saber que tinha falhado com sua promessa.  

Won terminava de falar sobre como não era uma obrigação pra eles ajudar. Jae-ki não interrompeu Sun-Hee de responder, mas tinha um olhar sobre ela. Ficou preocupado de que ela fosse chorar e franziu as sobrancelhas enquanto a ouvia. No começo pareceu que ela estava buscando motivos para defender Taemin. Isso acendia uma chama de raiva dentro dele.

Era verdade que Jae-ki sempre era briguento, não era isso que o mais preocupava no Taemin, mas sim como ele teve coragem de empurrar Eun-bi. Já ia responder quando Sunny decidiu contar uma coisa. Jae deu espaço para ela falar, mas estava tenso, nervoso e irritado.

Ficou surpreso por ouvir que Taemin a tinha ajudado, e irado pela possibilidade de ter acontecido algo pior a ela. Infelizmente ele não podia proteger quem era importante pra ele sozinho, embora quisesse, não dava pra estar em todos os lugares. Só que preocupava muito a forma como Sun-Hee chamva Taemin de atencioso e gentil. Parecia que ela gostou dele, será?


Jae-ki na mesma situação a teria salvado também, que tipo de homem abandonaria uma mulher com um perigo desses? Pelo visto Taemin não era tão canalha a esse nível, era até um alívio, mas isso não o deixava impune. Podia não ser totalmente podre, mas Taemin ainda era um canalha, para Jae ele ainda podia machucar Sunny se quisesse ou a Eun-bi. E sendo rico, provavelmente achava que podia fazer o que quisesse.

No final quando Sunny fazia suas conclusões, Jae-ki estava pensativo e com bico invocado no rosto. Suspirou cansado, não sabia o que as garotas viam em Taemin, mas não podia deixar ele magoá-la ou machucá-la.

- Sunny... - Disse o apelido dela dessa vez - Eu sei que ele te salvou, mas também pô, ele seria podre se te deixasse lá. Ainda bem que não...  Mas ainda é um saekki, machucou a Bibi, isso que me preocupa, não só ele ser violento... Eu sei que eu não sou fácil... Mas ele é covarde. Eu só não quero que ele machuque você. Agora você já sabe...

Jae-ki falou sincero, e deu mais alguns avisos, respirando fundo, aquela história mencionando Ye-ji ainda não tinha descido. Sentia-se irritado por parecer que Won sabia de algo e não falou, mas os dragões eram incríveis, por isso Jae não estva sendo mais preciptado em ficar com raiva deles. Sunny tinha dito que iria levar as coisas em consideração, mas Jae sentia a necessidade de confirmar isso:


- Toma cuidado com ele, sério. Aigo... Me revolta ver que me tratam como um lixo, que me xinguem de agressor e ele fica lá de boa...  E vê se toma cuidado por onde anda! Aigo... Tá igual a Bibi andando sozinha por aí, tenta não sair sem estar com uma amiga. Jebal...

Jae-ki passou a mão no rosto tenso, essas garotas davam muito mais trabalho do que a Soo-ji. Ele acrescentou:

- Ya, e essa história das garotas? Aigo... Você não quer mesmo minha ajuda.... Eu queria saber, mas você não vai dizer, vai?  - Jae-ki suspirou, se fosse possível sairia fumaça junto - Minha promessa tá de pé Sun-Hee, só chamar. O seu aboji tá me ajudando muito. Você pode não saber, mas ele tá ajudando não só eu... Mas minha irmã. É por ela que eu tô aqui, quero dá uma vida melhor pra ela.  

Jae-ki pegou o celular para mostrar uma foto dela para Sun-Hee:

Spoiler:



- É ela que seu aboji tá ajudando também. Acho que eu não cheguei a te falar isso... Por isso eu queria agradecer ele protegendo o que é mais especial para ele.

Olhou para Won e disse também:

- Valeu cara por confirmar tudo. E Kang, vocês são daebak.

Voltou a olhar para Sunny, se sentiu de repente mais sensível, mais compreensivo. Sabia que não estava adiantando forçar Sunny a receber a sua ajuda, então decidiu ser sincero, como faria com sua irmã:

- Você tem um aboji muito legal, eu... Acho que ele ia ficar mal de saber que você tentando resolver as coisas sozinha. Eu sei porque se acontecesse com a Soo-ji, eu ficaria louco. Eu ia querer que ela tivesse ajuda.. Eu também odeio pedir ajuda, mas ás vezes eu preciso pedir querendo ou não e são meus amigos que me ajudam sempre, mesmo eles apanhando por minha causa as vezes igual o Won...  É ruim, mas eu faria o mesmo por eles. É isso...

No final ficou meio sem saber o que falar, olhou para os dragões, não sabia continuar sendo sábio igual o Kang ou Won, mas sabia falar das coisas que ele mesmo sentia.
Café da Sunny

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Won-Bin em Sex Ago 17, 2018 12:03 am



Won sabia que tinha falado coisas demais. Entendeu o protesto dela enquanto falava. Mas haviam coisas que nem imaginava que Jaeki e Kang não sabiam, como a questão do bullying com as bolsistas.
Algo martelava na mente de Won diante daquele assunto todo e como deveriam ser unidos por serem bolsistas:

Os herdeiros que os odiavam estavam calados. Quietos. Por tempo demais. Se o grupo ali tinha chance de ter um momento de paz, de preparação antes de uma guerra, era agora. E não era o momento para esconder as coisas. Se iriam se ajudar tinham que começar pra valer.

Won assentiu com a cabeça quando Sunny explicou que Kim era um irmão pra ela, não um namorado. Pelo menos isso estava claro.

Tinha explicado quem Taemin era mas ela o defendia, dessa vez se esquivando menos, contando como ela foi salva por ele.

-Eu não disse que a briga foi uma boa ideia. Não foi, e eu paguei o preço por ter escolhido ir lá. Eu não tiro minha própria responsabilidade - sabia que Jaeki não gostava da situação, lembrava como ele ficou arrependido e tentava ajuda-lo enquanto estava com o braço enfaixado.

As vezes nem Won entendia como sua mente chegava a algumas conclusões como...

-Hmmm, Sunny, o que não garante que ele mesmo não contratou quatro estrangeiros pra te perseguir aquela noite e ele parecer como heroi? - jogava a possibilidade - Eu não vi os rostos dos capangas dele no dia da briga pra saber se eram estrangeiros. Dívida...ele cobrou isso ou foi de iniciativa sua recompensa-lo?

Para Won era muito plausível que Taemin teria armado a situação. Se tinha algo que Won aprendeu em Wangjo foi esperar o absurdo.

-Bem, eu não tenho como comprovar essa minha teoria. Mas é algo que você pode colocar em perspectiva

A conclusão se formava na mente de Won:

"Aish...droga, ela gosta dele" parecia um tanto óbvio. Achava difícil alguém como Sunny defender um cara como aquele se isso não estivesse envolvido.

Jaeki falava como o pai de Sunny tinha o ajudado e Won entendia mais uma vez por que o amigo sentia tamanha responsabilidade em ajudar a filha dele.
Won também faria o mesmo.

Notou que Jae ficou sem palavras no final. Sorriu brevemente ao ver como o amigo tinha amadurecido, antigamente ele nunca admitira que precisava de ajuda as vezes.

-O Jaeki tem razão, as vezes todo mundo precisa de ajuda. A gente não tem o direito de se meter em como você resolve os seus problemas Sunny. E eu achava que o que acontecia com as meninas era de conhecimento de mais gente além de mim - pegou o copo de café.

-Mas a gente também não pode ajudar quem não quer ajuda. Sunny, você é uma garota inteligente, acho que pode tomar a melhor decisão sozinha mesmo conosco discordando de você. A minha preocupação está no que vem pela frente...os herdeiros que não gostam da gente não vão ficar na deles por muito mais tempo. Algo vem aí, eu tenho esse pressentimento. Pode vir do Taemin ou de outras pessoas

Ia terminar o café num gole.

-Se precisar de nós, sabe que só precisa chamar - encerrou. Won não queria ser duro mas sentia que precisava falar assim as vezes.

Wangjo Coffee of Treta

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Kim Sun-Hee em Sex Ago 17, 2018 5:37 pm



O olhar de JaeKi pesou sobre Sunny e a bolsista corou de vergonha porque acabaria saindo como mentirosa ou fortaleceria o pensamento dele de que não lhe dava qualquer crédito. Ficou com medo de novos problemas e por isso tentou desviar rapidamente o assunto, mas era tarde demais. Won Bin foi bastante claro e Sunny achava complicado lidar com essa postura... Ela se sentia acuada, pressionada... mesmo que não fosse a intenção do rapaz. Diante disso, costumava replicar de modo irritado e menos delicado, mas ele era amigo de JaeKi e Kang. E estavam ali para resolver as coisas e não torná-las piores. Arriscou uma olhadinha na direção de JaeKi e a expressão fechada a deixou muito triste - não com ele, mas por saber que tinha o decepcionado. Decidiu arrancar o curativo numa única puxada e contou tudo que aconteceu entre ela e Taemin. Não era um segredo mesmo.

Aquilo não.

Quanto ao bullying...

Outros quinhentos.

Assim que terminou de falar, encarou um por um dos meninos, esperando as reações deles.

Novamente, Won Bin tomou a dianteira.

Sunny balançou a cabeça, concordando que não foi uma boa ideia a de brigar, mas logo se mostrou surpresa quando ele começou a desenvolver uma possibilidade sobre as verdadeiras razões de Taemin tê-la ajudado. Mwo?!?!?! Aquilo... Aquilo soava tão... absurdo... Para armar uma armadilha desse nível, muitos detalhes precisariam ser perfeitamente pensados. Mas preferiu guardar isso. Não queria convencer ninguém sobre uma possível bondade de Taemin porque ela sabia que o loiro era muito cruel na maioria das vezes... Aquela manhã foi um exemplo, apesar de não ter iniciado as provocações. No entanto, uma fagulha era o bastante para atiçar o capetinha que se mantinha no ombro do herdeiro. Ela escutou em silêncio, porém a pergunta de Won não ficaria sem resposta.

Entendia muito bem aonde ele planejava chegar.

- Recompensar não. Ajudar. Eu ofereci e ele aceitou. Disse que não gostaria de ficar devendo nada a ele e Taemin "sugeriu" as tarefas. Achei justo. E é por isso que estamos nos falando mais do que o normal.

Não apenas "se esbarrando" por aí, como já vinha acontecendo frequentemente...

- Olhem... Eu fico feliz por saber que posso contar com vocês além do JaeKi e é muito legal que estejam se preocupando com outras pessoas que também sofrem bullying ou perseguição. Precisamos de mais gente que zelem por esses alunos... e que não só finjam não ver nada... - ela sorriu, imaginando que o gesto aliviava o clima - O que há entre mim e o Taemin é apenas um acordo que terminará em breve. Tudo não passou de uma coincidência... Reflitam... Por que Do Taemin perderia o tempo comigo? - arqueou a sobrancelha - Bancando o herói, bolando um plano... Não é o caso. Ok... Talvez pudesse ser para atingir o JaeKi, mas até hoje, ele nem tinha ideia que nos conhecíamos.

Suspirou enquanto esfregava a nuca.

- Quem sabe ele não esteja mesmo tirando proveito...? Afinal, tecnicamente, nós, bolsistas, somos vistos como inteligentes. Provavelmente é a única coisa boa que eles enxergam - revirou os olhos - Porém, isso não está me prejudicando e, tirando algumas implicâncias, Taemin não representa perigo. Assim que o prazo expirar, voltaremos ao que éramos antes: dois desconhecidos.



- Todavia, os senhores... Os senhores tem que tomar cuidado, principalmente você, JaeKi.

A conversa de Stella surgiu na sua cabeça.

Se Taemin ainda gostava de Choi Eun Bi, a notícia do namoro de Jae com a bailarina certamente o enlouqueceria de raiva.

Ai, Deus... E agora???

Mas JaeKi a tirou do raciocínio ao falar também.

Sun-Hee o fitou de um jeito suave e tristonho, mas parecia surpresa ao escutá-lo a chamar pelo apelido. Ela acenou com o queixo - Eu entendo, e não acho que esteja errado. Como poderia? Depois das coisas que aconteceram, eu também iria temer qualquer aproximação dos meus amigos com uma pessoa que não gosto.

Ele continuou.

- Eu juro que tomarei. Juro, juradinho. E JaeKi... Quem lhe trata como lixo? Aish... Não precisa me dizer, mas essas pessoas estão erradas. E agressor? Como assim?


- Vou ser mais cuidadosa, prometo. Dificilmente ando sozinha, tanto que meus irmãos me buscam, ou o appa, ou o Kim. Eles se revezam.

Então, JaeKi citou o assunto das meninas. Sunny fez um biquinho, porém a feição ganhou um tom mais sereno diante do que ele acrescentou. As palavras combinadas com a fotinha dele e de Sooji... Aquilo emocionou Sun-Hee ao ponto de sentir as pálpebras umedecerem de leve. Mas, não ia chorar. Se ele permitisse, seguraria o aparelho para observar mais de perto e um sorriso meigo cresceu - Sua irmãzinha é linda.

A conclusão de JaeKi era tão inocente e, ao mesmo tempo, tão profunda... Sunny apertou o celular antes de entregá-lo ao garoto.

Ainda não comentou nada, apenas o encarava, até que Won se envolveu, sendo menos sensível. Ouviu atentamente também. Imaginava que devia mesmo ser frustrante insistir em ajudar quem aparentemente não desejava.

Ela engoliu em seco e levou um tempinho, esperando que os meninos aguardassem esse instante de uma breve... reflexão.

Primeiro, encarou Won:

- Eu agradeço... de verdade. Não é uma questão de "não querer", mas de optar pelos menores danos. Como a Ye-Ji te falou, as meninas continuam sofrendo com diversas retaliações. Desde a época da ovada, imagino que despertei uma antipatia mais presente em algumas herdeiras porque não fiquei quieta. Infelizmente, não sou do tipo passiva e por culpa disso, coloquei minhas amigas em apuros. Piorei o que já estava horrível.

Olhou para Kang porque ele presenciou uma mísera parcela do que sofria constantemente.

Mas a atenção logo voltou para JaeKi.

- Eu confio e acredito em você. Você é um garoto incrível, cheio de qualidades. No começo, só o via pelos olhos do appa... que o adora. Mas quando te conheci, cada palavrinha dele fez sentido. Então, também prometi que cuidaria da pessoa que era tão querida para uma das que mais amo - Sunny encarou os pés e a pontinha no nariz começava a traí-la, ficando vermelha, entretanto se segurou. Enfim... admitiu... - Tenho medo de contar as coisas e você, com esse gênio invocado, acabar se prejudicando. Pode não parecer, mas sou forte. E estou aguentando bem porque sei que meus amigos permanecem comigo... e isso o inclui. E... Agora... Faço pela Sooji também. Quero ajudá-lo para que possa oferecer tudo a ela. Não me perdoaria se alguém te prejudicasse por tentar me defender...  


Café Literário

— Ross


Última edição por Kim Sun-Hee em Sab Ago 18, 2018 10:18 am, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Jae-ki em Sex Ago 17, 2018 8:37 pm


Quando Won falou sua teoria de Taemin, Jae-ki ficou boquiaberto! Não tinha pensado nisso, seria possível isso ser verdade? De qualquer forma, Jae ficava cada vez mais feliz de ver o amigo do seu lado. Sunny explicou que ela tinha sugerido retribuir o gesto dele. Jae-ki suspirou irritado. "Aigo, ela pode retribuir o cretino, mas eu não posso retribuir o senhor Kim? Que injusto! "

Cruzou os braços, mas ouviu tudo que ela queria dizer. Agora o fato dele ter andado afastado dela era usado para tentar comprovar que a teoria de Won não era real. Era bom mesmo que fosse verdade que os dois fossem se tornar desconhecidos depois, mas Jae não estava muito certo disso. Era meio chato ouvir ela dizer pra ele tomar cuidado com Taemin, enquanto ela que era uma menina frágil deveria fazer isso.


Jaeki deu suas recomendações, e olhou desconfiado para Sunny quando ela prometia, esperava que fosse verdade.

- O próprio Taemin me trata como lixo, Sun-Hee.. É isso que falei, a maiora das pessoas pensam o pior de mim... Eu sei que não sou santo, mas não sou tão ruim assim. E eles por serem ricos, estão sempre se saindo como santos.

Balançou a cabeça quando ela disse que prometia ser cuidadosa. Jae-ki tinha um olhar orgulhoso ao mostrar a irmã, ela era mesmo muito linda. Vê-la fazia Jae se sentir mais sensível, tanto que acabou falando um pouco mais, coisas que envolviam seus próprios sentimentos.

Olhou para Won meio sem saber o que fazer depois de falar isso, não era seu jeito falar assim. Ele acabou o complementando. Jae ouvia tudo e ficou surpreso por ouvir que as garotas sofriam, ainda mais que Sunny estava fazendo partido disso. Ela disse a palavra "horríve"l, Jae-ki guardava bem essas palavras. Fechou a mão com raiva, Sunny não o deixava fazer nada.

Ela dirigiu a palavra a ele, e Jae ficou ouvindo aqueles elogios, era importante saber que o professor Kim gostava dele apesar de tudo. No fundo queria que o professor fosse seu pai e da Soo-ji, mas não era algo que dava para escolher.

- Ani! - Respondeu - Não é você que tem que me proteger Sun-Hee! Isso é injusto!

Cruzou os braços. O senhor Kim não ia gostar que ele deixasse Sunny passar por essas coisas, não mesmo.


- Por que você pode escolher me poupar, mas eu não posso escolher o mesmo para você? Eu não pedi isso de você. Eu não aceito isso. Acha que eu seria um covarde assim de fechar os olhos pro que te fazem só pro meu bem? Soo-ji não ia gostar de ter um irmão assim. E eu sou um cara, sei me virar.

Jae-ki se levantou da cadeira irritado e deu seu "ultimato" a Sunny. Não seria reduzido a um bebê que precisava de proteção de uma garotinha baixinha que queria se sacrificar. O professor Kim contava com ele, e se fosse preciso, Jae-ki até deduraria Sunny para ele.

- Você não quer me contar? Ok, é sua escolha. Mas eu vou dar um jeito de saber. Não sei se seus amigos sabem disso, o Dong ou Kim. Mas eu vou contar pra eles. Eles devem saber quem te faz mal, vou descobrir você querendo ou não, vou dar meu jeito. E eu vou fazer isso sem me meter em problemas, não me subestime.

Jae-ki suspirou, mas em seguida forçou um sorriso simpático, não queria ser grosso com ela.

- E vê se não chora... É pro seu bem. Se cuida... - Disse meio sem tato com as palavras.

Depois olhou para os amigos os chamando:

- Vamos caras, eu já disse tudo que tinha que falar. Não quero que a chefe da Sun-Hee brigue com ela por ficar papeando.



Café da Sunny

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por The Crown RPG em Sex Ago 17, 2018 9:33 pm

MISOO. 10 DE JUNHO. 5:10 P.M. SALA DE DANÇA


Eun Bi olhou assustada para Misoo ao ouvir que ela estava cheia energia. Chegou a rir meio nervosa, mas logo relaxou um pouco mais. Bomi ainda estava no chão, fazendo uma cara de dor e com medo de mexer na perna.

- Hoje não vai dar. Eu tenho aula de ballet e devo ficar direto até as 21h, depois vou para a casa da minha mãe… - Fez um beicinho, pedindo desculpas por não poder fazer companhia.

- Você vai dançar mais, Bibi?

- Uhum...Eu tive um feedback negativo no sábado e preciso me esforçar mais. Na verdade, eu devo pedir para sair do clube de natação também. Foi divertido, mas não posso ganhar corpo de nadadora… - Aproximou-se de Bomi e se ajoelhou diante dela. - Você não alongou direito?

Perguntou enquanto tirava o tênis dela e começava a mexer no pé para alongá-la.

- Não é isso, é que aaaah… - Bomi se encolheu um pouco. - Acho que é o caso de ter me esforçado demais.

- Hm...Então pode ter distendido um pouco. Tenho gelzinho na minha bolsa, vou pegar ali.

- Komawo… - Bomi fez um beicinho para ela.

Como não quis criar alardes, Bomi só fingiu que estava cansada mesmo. A turma ia embora, se despedindo aqui e ali, até mesmo a professora porque estava com o horário apertado para seus outros projetos. Depois que ficou mais vazio, Eun Bi passou um gel - gelol/cataflan - na região, levantando aquele cheiro de mentol e deixando a região fria.

Gyu Sik bateu na porta com os nós dos dedos e olhou para aquela cena.

- Que cheiro horrível… - Reclamou. - O que houve, hm? - Estava preocupado com a irmã, mas não desesperado.

- Oppa! Dancei muito. - Bomi justificou de um jeito tão fofinho e direto que acabou gerando umas risadas.


Eun Bi foi perdendo as forças e sentando para rir da carinha dela. Até Gyu Sik escondeu o rosto de modo discreto antes de se aproximar dela. Abaixou-se e ofereceu o ombro para que ela se apoiasse.




(seus putos)

- Um verdadeiro oppa me levaria no colo!

- Eu sou verdadeiro, porém não sou forte. Você quer cair no chão?

- Que dupla, hein. - Bibi implicou. - Eu preciso me adiantar, gente ou vou me atrasar…

- Tudo bem...Boa aula, Bibi, até amanhã!

- Tchau… - Gyu acenou.

Bibi deu abraços nas amigas e fez um “v” para Gyu antes de sair correndo, não sem antes trocar um breve olhar com Misoo. Gyu ficou amparando a irmã pela cintura enquanto deixava a mochila dela no mesmo ombro que a dele. Olhou para Misoo de modo amistoso, mas não quis parecer forçado. Bomi apertou o ombro dele enquanto sorria, mandando uma mensagem.

- Hm...Você quer uma carona, Misoo? - Ele a encarou.


- Ne! Se quiser ficar lá em casa para fugir da sua….Pode ficar. Vamos adiantar os trabalhos e fazer alguma coisa, que tal?


- Bomi ficará sozinha de todo modo… - Gyu explicou antes que ela ficasse desconfortável com a possibilidade. - Eu tenho aula às 7h…

Ou seja, ele não estaria lá para incomodá-la. Mesmo que ela não quisesse ficar na casa deles, eles ainda mantinham a carona e faziam questão que ela fosse. Moravam no mesmo lugar, afinal. Bomi conseguia andar, mas doía pisar com o pé inteiro, por isso mancava e se apoiava no irmão.

Para descer as escadas, ele a colocaria nas costas mesmo porque não teria paciência de esperar degrau por degrau. Ela nem era tão pesada assim, mas Gyu cortava os abusos dela para que não ficasse mal acostumada.
(C) Ross


HYEMIN. 10 DE JUNHO. 5:15 P.M. WANGJO


O grupo do Blackpink continuava bastante agitado com as mensagens, mas Hyemin não teria tempo de lê-las. Prontamente, ela abriu a janela de Hayoung e começou a enviar mensagens. O problema era que a menina estava sem celular desde sexta-feira - a última hora que ela apareceu online foi na tarde de sexta-feira. Por isso ela não andava enviando mensagens, nem respondendo no grupo - ela pouco soube dos detalhes sobre o encontro que tinha torcido e ajudado a realizar.

O fato dela ter ido discutir com o primo, a ausentou do intervalo e quando ela voltou, Hyemin que tinha saído com Eun Bi. Sem contar o almoço. Foram tantos desencontros que estava meio difícil conversar mesmo, mas a expressão dela acabou ficando um pouco diferente por isso também.

Talvez ela quisesse colocar os problemas para fora, mas não tivesse com quem. Aparentemente, durante o almoço, ela falou um pouco com o grupo, mas nem eles entraram nos detalhes, apesar de falarem demais. Yerin também tinha outro motivo para não excluir Hayoung por um pedido de Hyemin, mas isso ela trataria de explicar à parte - e Hyemin leria essas mensagens quando voltasse a focar no celular.

Porque agora, o problema dela era outro.

Kim Joo Hyuk estava com a cabeça cheia e pareceu ainda mais triste depois de enviar aquelas mensagens. Não queria ter voltado atrás em seu comportamento com Hyemin, mas as palavras de sua mãe à caminho de casa continuavam ecoando em sua cabeça. E pareciam repetidas enquanto ele via a expressão de Hyemin, por acaso, no sábado.

- Não precisa ficar preocupado comigo, estamos atolados de trabalho e só consegui sair muito tarde do escritório. Ainda passei na residência Seo para deixar alguns materiais lá…

Sua mãe disse com certo cuidado e o olhou de banda. Kim fazia um bico porque não gostava de ver sua mãe doando tanto de si para aquela empresa que parecia brincar com eles como se fossem fantoches. Ora Coreia, ora Japão, ora Coreia de novo. O que eles queriam, afinal? Até chegou a ajeitar os potes que tia Yumi fez para eles.

- Eu encontrei a Seo Hyemin…

Houve um silêncio maior no carro.

- Você não fala mais dela como antes e eu tento não me meter na sua vida. Acho estranho, mas respeito o fato das pessoas mudarem. - Suspirou. - Mas ela parecia...muito triste. Estava tão bonita, tão adulta, mas ainda tão doce, sabe? Só que...Ela parecia ter chorado. Não sei se devo comentar com o pai dela…

- Não sei porque está me dizendo isso, mas eu não acho que você deva se meter. Ela é outra pessoa agora e você não é babá dela, hm?

- Hyukie…

Kim fechou mais a cara e olhou na direção da janela enquanto deixava a mente se afastar desse assunto. Até parece que conseguiria. Por que aquela tola que ficou espalhando pelos quatro cantos sobre a saída com o isekya do noivo estaria infeliz agora? Era para estar saltitante, não?

Não era problema dele...Não era, não era.


- Não é meu problema… - Resmungou sozinho, mas um carro se aproximou e ele deu um pulo para o lado, olhando meio alarmado.

Os óculos até ficaram meio tortos em seu rosto depois do grito. Ajeitou de modo apressado e a encarou fixamente enquanto ela saía do carro pela janela. Hyemin veria como ele revirou os olhos bem lentamente, sem paciência para explicar coisas óbvias.

- Por que eu compraria uma flor? Eu disse que compraria? Acabei de dizer que não desperdiço meus wons. - Revidou mesmo assim. Tinha muita paciência para brigar.

Na parte de rir, ele engoliu em seco. Estava quase andando, mas parou de vez, fincando os pés principalmente depois que ela saiu do carro.


(imagina que tá olhando pro carro)

musica:

- Rir de você? - Olhou da cabeça aos pés. - Por que você me acusa de coisas que quem faz é você? O brinquedo descartável fui eu, até que perdi a graça. Não foi esse o recado que você me mandou?

Enfiou as mãos nos bolsos da calça e virou a cabeça para o lado, respirando fundo. Umedeceu os lábios lentamente e a encarou diante da pergunta. Sentia...coisas que não queria quando via aquela expressão tão...infeliz e nervosa no rosto dela. Queria poder consolá-la, dizer que tudo ficaria bem, mas a visão que ele construiu dela depois de tudo era a de uma menina mimada que usava do rosto bonito para manipular e magoar os outros.

Ela era, afinal, uma herdeira. Uma das mais ricas da Coreia. O que esperar disso?


- Eu não tenho culpa de ter caído no mesmo grupo que você, mas tive culpa pela flor. Sua guarda-costas...Que eu acho que é uma jovem sociopata, ficou me esperando para me dar um recado. Ela disse...Para que eu parasse de te atormentar e de te fazer chorar senão, ela revidaria em mim ou nas pessoas próximas. - Piscou lentamente. - Eu não tenho medo da sua guarda-costas, Hyemin-ssi. Até porque você tinha uma guarda-costas mais efetiva quando era pequena, mas quem sabe daqui a alguns anos, ela não seja tão assustadora quanto sua tia?

Ponderou, olhando para cima. Respirou fundo e fechou os olhos por um instante antes de encará-la.

- A sorte é que até lá, eu também serei adulto. Você pode parar de enviar essas pessoas para me ameaçar, eu não tenho a intenção de te atormentar ou de te fazer chorar. Como disse, foi uma coincidência estarmos no mesmo grupo e eu sinto muito pela flor. - Engoliu em seco. - Seu olhar pareceu mudar quando olhou para os hibiscos no sábado e pensei que…Não pensei nada.
(C) Ross


HYUN HEE. 10 DE JUNHO. 5:30 P.M. RESIDÊNCIA LEE


Chaeyoung tinha enviado áudios respondendo todas as mensagens que recebera, mas para Hyun, ela mandou muito mais - e havia um tom especial também. Receber a visita dele no hospital não tinha sido o suficiente para aplacar a saudade - e necessidade - de continuar perto dele.

Já estava sentindo falta dele e se achava bem estúpida por isso. Não acreditava que estava mesmo agindo como uma tonta dos doramas e filmes.

“Uwaa...Que bonitinhoo!! Nhooo, você faz aegyo, eu não sabia e...mwo?!”

Enquanto ela gravava o áudio, ela lia a mensagem que estava chegando dele. Começou a rir meio nervosa e dar uma tossidinha por conta do suspense dele.

“Araso!! Hahahaha...Babo! Vá com cuidado para sua casa e tenha um bom fim de dia. Eu vou descansar também...Até amanhã”

Dava para sentir que ela sorria enquanto dizia essas coisas. Depois disso, parou um pouco de perturbá-lo para que desse a privacidade necessária. Apesar de sentir muita saudade, ela não fazia o tipo de namorada pegajosa ou grudenta. Ela respeitava o espaço dele, ainda que estivesse morrendo de ansiedade para que ficassem mais um pouco.

Naquele dia, também havia outro motivo para que ela cedesse o espaço. Ela também precisava ficar um pouco só...Tinha muito o que pensar.

No estúdio de criação, Hae Sook terminava os detalhes do último terrário quando Hyun Hee bateu na porta avisando que tinha chegado. Afastou-se um pouco do vidro e o encarou com um sorriso no canto dos lábios.

- Você gostou? - Levantou-se, limpando a mão na toalha. Fez uma suave mesura com a cabeça, respondendo ao cumprimento e deixou a toalha de lado. - Estou bem e você? O dia foi bom? Não está de uniforme...Passou em casa antes?

Pontuou, mas ficou mais interessada na história do pai.

- Que bom! Vê? Vaso ruim não quebra tão facilmente. - Sorriu, mas diminuiu um pouco o tom. - Fico feliz que ele esteja bem para ir para casa. - Olhou para o sobrinho e fez uma expressão mais terna. - Você sabe que eu também vou sentir sua falta? Meu Chang Wook já está crescido demais para me dar preocupações, você trouxe uma atmosfera diferente à esta casa. Volte quando quiser, eu faço questão.

Colocou o banco mais rente à mesa de trabalho.

- Parte do meu bom humor é por conta daquele café da manhã. Estava muito bom…- Riu - Pode vir sempre alimentar sua tia também, viu? Mas não volte apenas por isso. Você esteve tão cansado que ficamos pouco tempo juntos, venha para que possamos passar um tempo de qualidade juntos. Gosto de ter sobrinhos.

Fez um carinho no ombro dele, aceitando o gesto dele. Era fofinho da parte dele querer agradar os parentes assim. Podiam comemorar num restaurante, mas entendia a importância do gesto, por isso mesmo não o recusava.

- Hm? Uma joaninha? - Olhou para o terrário. - Essas são encomendas que entregarei amanhã, mas posso fazer um para você. Você gostaria de um vaso ou algo mais discreto? Um colar, talvez? - Sugeriu com um sorrisinho cumplice. - Faça seu pedido que prometo entregar o mais belo que já fiz até hoje. Só porque...é a primeira vez que faço para alguém da minha família.

E isso tinha um peso muito grande para ela. Enquanto ouvia a resposta, ela iria até o fundo do estúdio para pegar algumas caixas que tinham a marca da empresa dela. Guardaria as encomendas fazendo um bonito laço para levar embora no dia seguinte. Depois de tanto trabalho, eles podiam subir para a casa.
(C) Ross


Última edição por The Crown RPG em Sab Ago 18, 2018 2:40 am, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Won-Bin em Sex Ago 17, 2018 10:26 pm



Não era uma situação simples de se lidar. Won acaba concluindo que não era só Jaeki que era teimoso, a amiga filha do professor querido também tinha uma cabeça bem dura.

Se sentiu mal em vê-la com os olhos marejando. A última coisa que queria fazer era ela chorar mas não podia deixar as coisas do jeito que estava sem deixar tudo claro.
Será que era assim que seu pai se sentia ao lhe aplicar o castigo de deixa-lo sem o dojo? Um sentimento de culpa misturado a responsabilidade?

Sunny escreveu:- Recompensar não. Ajudar. Eu ofereci e ele aceitou. Disse que não gostaria de ficar devendo nada a ele e Taemin "sugeriu" as tarefas. Achei justo. E é por isso que estamos nos falando mais do que o normal.

Assentiu com a cabeça mas não acreditou nem um pouco na parte do só por isso estarem falando mais que o normal. Existia algo além ali, com certeza.

Sunny falava uma verdade: precisavam de mais gente. Os dragões podiam agir, e Won já tinha começado a aplicar o plano misturado a improviso que seguia, mas ainda eram só três contra sabe-se lá quantos.

"Terminará o acordo em breve?" não protestou mas também não acreditou. Ou ele era um cara ruim que ia explorar ela por mais tempo ainda ou ele realmente era o cara que tinha um lado afetuoso e que podia se apegar a ela.
Ambas a possibilidades eram meio ruins.

Na verdade nem todas.

"Na ínfima chance do Taemin não ser um degenerado por completo e ele realmente se importar só com a Sunny, então na verdade é a chance dela reverter o bullying" entendia o amigo estar preocupado com ela por conta dessa aproximação, mas também entendia que numa guerra você não questiona quem chega pra te ajudar.
E Wangjo não era um campo de paz, muito menos pra Sunny e as meninas perseguidas.

Sunny escreveu:- Eu agradeço... de verdade. Não é uma questão de "não querer", mas de optar pelos menores danos. Como a Ye-Ji te falou, as meninas continuam sofrendo com diversas retaliações. Desde a época da ovada, imagino que despertei uma antipatia mais presente em algumas herdeiras porque não fiquei quieta. Infelizmente, não sou do tipo passiva e por culpa disso, coloquei minhas amigas em apuros. Piorei o que já estava horrível.

-Eu entendo isso, mais do que imagina - mas não queria se repetir outra vez, ela não poderia lidar com aquilo sozinha, ainda achava que era uma escolha dela.

Sunny escreveu: - Tenho medo de contar as coisas e você, com esse gênio invocado, acabar se prejudicando. Pode não parecer, mas sou forte. E estou aguentando bem porque sei que meus amigos permanecem comigo... e isso o inclui. E... Agora... Faço pela Sooji também. Quero ajudá-lo para que possa oferecer tudo a ela. Não me perdoaria se alguém te prejudicasse por tentar me defender...

Jaeki realmente tinha seu gênio forte, mas hoje mesmo ele se provou várias vezes controlado o suficiente para ouvir os amigos. Ele mesmo parecia ofendido com o fato de ela não só não querer ajuda como querer protege-lo de si mesmo.

-Sabe por que a gente é tão amigo Sunny? Um dos motivos na verdade - colocou a mão no ombro de Jaeki - Por que a gente é muito diferente um do outro. Quando o Jae começa a soprar fogo pelo nariz eu e o Kang ajudamos ele a pensar e esfriar a cabeça. O Kang e o Jaeki me ajudam a pensar na solução de um problema quando eu não consigo lidar com uma situação... - olhou pra Kang se recordando da ajuda no sábado - E a gente ajuda o Kang a fazer aquela última volta na quadra em que ele tá se arrastando - concluiu rindo um pouco, brincando com o amigo.

-Não subestime a força pensante de três cabeças, se você tiver um problema sério nos avise - disse concluindo que eles podiam muito bem lidar não só com o gênio de Jaeki, mas com o que viesse pela frente.

Jae queria sair dali. Entendia, afinal o assunto acabando deixando um gosto amargo pra quem queria proteger a amiga.

-Vamos. Obrigado pelo café Sunny. Me perdoe se fui muito duro - se levantou com os amigos.

Wangjo Coffee of Treta

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Seo Hyemin em Sex Ago 17, 2018 11:45 pm


Hyemin torceu o lábio, arrependida de ter feito a pergunta da flor, por causa da resposta grosseira dele. Olhou para o lado, com aquela expressão mais irritadiça e mandou o “Deixa pra lá”.


Tornou a olhá-lo, acompanhando-o enquanto ele a observava da cabeça aos pés e começando a reunir energias para brigar. Por que ele estava olhando assim pra ela? Agora falaria da aparência ou alguma coisa assim? E quando foi que ele tinha ficado tão alto mesmo…? ISSO NÃO VEM AO CASO.

Era uma afronta que ele a acusasse daquela maneira. Que atrevido! Era mesmo muita cara de pau. Revirou os olhos e encheu o peito de ar, mas mal conseguia ficar parada, mexendo o pé de nervoso.

- Hein? Do que você está falando? - rangeu os dentes, com a voz afetada.

Não conseguia acreditar naquele absurdo. Quem era descartável era ela! Foi ele quem sumiu sem avisar e depois fingiu que não a conhecia. Fez ao menos três caretas diferentes, inflando o nariz e começou entredentes.

- Foi você - apontou para ele, olhando-o com tanta raiva que achava que poderia transformá-lo em purpurina. - Você que foi embora sem me falar uma única palavra e depois apareceu aqui me substituindo e fingindo que não me conhecia. Você é ridículo. RIDÍCULO. EU TE ODEIO. - gritou com ele e olhou para o lado, sentindo uma tristeza subir para o rosto de novo.


Por que tinha saído do carro para conversar? Por que tinha ido enfrentá-lo de novo? Por quê? Continuava provocando-o como se a resposta fosse diferente, mas já sabia de tudo. Por que sempre o respondia e de repente estava ali com aquela cara de tonta para ouvi-lo acusá-la de qualquer coisa? Respirou fundo, virou o rosto e engoliu o choro. De novo NÃO. Então virou-se para ele e perguntou sobre Yerin, de forma mais tristinha. Ainda queria saber disso. Não sabia o motivo, mas ainda assim queria saber se ele era um alvo. Sentia-se tão mal e estúpida por ainda querer saber disso… Ele nem era mais o menininho que tinha conhecido. Nem sabia quem era aquela pessoa.

Mesmo assim, tinha medo que Yerin tivesse feito algo ruim, ou que descobrisse tudo sobre aquela história. Cada vez estava mais sufocante não falar sobre aquilo e agora estavam finalmente desabafando.

Como ele podia ser tão malvado e ignorar o que tinha feito? Ele nem se lembrava? Era tão passado assim?Talvez fizesse tanto tempo que ele achasse que tudo bem ir embora sem se despedir da coleguinha, filha do patrão da mãe. Foi tão indiferente para ele que ele não entendia…

Ouviu a vingança de Yerin e sentiu uma pontada no peito. Naquele momento, que estava tão infeliz, agradeceu a amiga. Porque queria parar de chorar por causa dele. Já deveria ter sarado aquela ferida, achou que tinha, mas desde o dia que o viu naquele elevador…

Sim, por favor, me faça parar de chorar, Rin…

Mande-o parar, jebal...


- Dagchyeo!! (Cala a boca!!) Não ouse falar da minha tia ou da Yerin. Ela não é minha guarda-costas, ela é minha amiga. Tanto a minha tia quanto a Rin estavam aqui porque me amavam e me protegeram e me defenderam, quando…

Você foi embora.

- Yerin veio me defender sem que eu pedisse. Porque ela sempre esteve aqui para mim. Eu sei que isso pode parecer incrível, que alguém queira se importar comigo e não simplesmente sumir de uma hora para outra na primeira oportunidade, mas sim! Uma pessoa assim existe. Porque ela me ama, porque ela quer me ver bem. Então é. Isso. Isso mesmo. Peça desculpas pelo hibisco. Eu odiei. Odeio qualquer coisa que vem de você. Odeio que você estude nessa escola. Odeio que você apareça nas coisas que eu lembro e estrague todas elas, até aquelas que eu mais gosto. Você não tinha esse direito, Kim Joo Hyuk! E eu nunca vou te perdoar

Wangjo |{LOOK: Tiara | Sapatos | Capinha }

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por The Crown RPG em Sab Ago 18, 2018 2:41 am

SUNNY, JAEKI E WON. 10 DE JUNHO. 5 P.M. CAFÉ


Kang queria uma conversa franca entre os amigos e recebeu muito mais do que isso. Depois de seus apontamentos, ele ficou quieto de novo, deixando que seus amigos falassem. Apesar de apoiar Jae Ki e Won, ele não tinha sido vítima de Taemin - ainda. Não esteve lá no dia da briga, tampouco foi um alvo porque sempre acabava ficando para trás enquanto os amigos simplesmente se jogavam nas tretas.

Isso tirava dele o direito de apontar os fatos daqueles dias, apesar de ter uma opinião bem sólida sobre o rapaz. Na verdade, o único que tinha testemunhado foi o lago - mas esse todo mundo sabia. O que era curioso, mas ele evitava falar, era saber através de Jae Ki que Eun Bi ainda falava com Taemin apesar disso.

Teria sido um rompante de raiva? Mas foi muita raiva, uma verdadeira agressão.

E se ele fizesse mais vezes? Com outras pessoas?

Won Bin carregava até hoje algumas cicatrizes dos dedos que tinham sido esmagados. A recuperação dele tinha sido muito boa, mas no momento do incidente, não tinham como saber.

A revelação de Sunny pegou a todos de surpresa. Eles estavam tão focados em ver o lado ruim que não imaginavam que pudesse ter algo de bom nele. Concordava que ele seria um cretino maior se não tivesse ajudado Sunny, mas mesmo assim...Foi surpreendente.

Os meninos continuavam argumento, mas em dado momento, Kang teve a sensação de que estavam andando em círculos e não chegariam a lugar nenhum. O que era bastante plausível, considerando que tinha sido apenas a primeira conversa franca e sincera que eles tiveram. Não dava para desfazer todas as impressões e “pre-conceitos” durante uma conversa num café.

Ainda mais considerando o alto nível de teimosia que imperava ali.

Taemin não era o único elemento da discussão. O bullying também foi citado e, nesse momento, Kang apenas bebeu o suco para conter a própria língua. Diante do que tinha visto hoje, ele já fazia ideia quem eram as pessoas que faziam mal a Sunny. Os amigos queriam respostas que ela não podia dar agora e ele evitou contato visual porque não podia prometer nada. Não gostava de mentir para os amigos, mas talvez pedisse por um voto de confiança.

Antes que a conversa tomasse um rumo mais denso com mais réplica, Jae Ki os convidava a partir. Kang tinha acabado com seu suco e meneou positivamente.


- Eoh, acho que conversamos bastante por hoje… - Levantou-se e reverenciou Sunny. - Sei que foi muita informação de uma única vez, mas acredite: você não será a única a ficar com a cabeça fervendo hoje. - Suspirou. - Mas a grande questão é: estamos do mesmo lado, então, assim como não faz sentido o Jae Ki querer te proteger à distância, também não faz sentido aguentar tudo sozinha.

Fez um bico no canto dos lábios.

- Confiança é algo complicado, difícil, mas é um dos pilares da amizade. Nenhuma amizade é verdadeira se não tiver confiança. Espero que um dia você nos veja dessa forma e aceite nossa amizade completa e não parcelada. Afinal, amigos não são apenas para as risadas. Entende o que quero dizer?

Suspirou uma última vez.

- Obrigado pelo suco e...tenha um bom trabalho. Gaja…


Com os meninos, deixaria para falar do lado de fora. Kang arrumou sua cadeira e seguiu atrás dos outros dois. Era bem claro ali a função de cada um dentro do grupo, assim como as semelhanças e diferenças de cada um.

Kang não diria nada assim que saíssem do café, deixaria alguns passos para falar.

- Deem um tempo para ela e...para mim. - Disse. - Eu entendo sua necessidade de sair perguntando para as pessoas, mas você não quer expor a filha do seu professor, né? Eu estou no mesmo grupo que ela, posso tentar descobrir de um modo mais...sutil. - Olhou para Won e Jae Ki, respectivamente.. - Só confiem em mim. Mas se quiser tanto perguntar para os dois que citou, sugiro que comece preparando um terreno.

Como assim?

- Não chegue perguntando de casa. Dong Hee Kyung-ssi e Kim Joo Hyuk-ssi são caras legais. Conheço mais o Dong-ssi, mas o Won convive mais com o Kim. Podemos ser as pontes, se você quiser falar com eles. - Mas ele preferia que confiassem nele antes.

Virou-se para Won.

- E a história do seu pai, hm? Pode ser que ela não tenha visto mesmo, mas você acha que era ele mesmo?

[Won espera Sunny e/ou Jae Ki antes de postar. Direcionem para o fim dessa interação, mas não avancem muito. Esse turno foi meio que para concluir. Caso queiram, digam o que pretendem fazer “agora” (as intenções para o fim do dia).]
(C) Ross


HYEMIN. 10 DE JUNHO. 5:20 P.M. WANGJO


- Naega? - Foi a única coisa que Joo Hyuk conseguiu murmurar quando ouviu aquelas acusações descabidas de Hyemin.

Pelo menos na parte de sumir e substituir. Não sabia de onde ela tirava essas sandices, porque só uma mente extremamente criativa para pensar em coisas do tipo. Contudo, a parte de evitar e ignorar, ela tinha razão. E fez isso porque estava seguindo o protocolo, visto que Hyemin foi a primeira a despachá-lo.

Recebeu o ódio de Hyemin e isso alimentou seu discurso seguinte. Não calou a boca quando a menina mandou porque não a obedecia. A mãe dele era funcionária do pai dela, mas ali no colégio, ele não a tratava com um respeito maior do que o necessário.

- Te amam, protegem e defendem? - Umedeceu os lábios dando um sorriso meio incrédulo.

Começou a pensar por um instante. Duvidava muito que a tia de Hyemin fosse capaz de amar alguém - nas poucas vezes que viu aquela mulher, sabia que ela não tinha um coração ou consciência. Já Yerin, podia ser verdade, mas nesse caso...Yerin se aproximava muito dele. Quase, apenas quase, lamentou pela Rainha de Gelo.

Trincou os dentes e se aproximou dela, apenas o suficiente para que sua sombra cobrisse a dela, mas não próximo para criar escândalos ou uma cena.


Os óculos dele caíram um pouco até um pedaço de seu nariz, de modo que ele a olhava além das lentes. Os olhos castanhos escuros analisavam.


- Você...pode ter o mundo que quiser, mas você é que não tinha o direito de destruir minhas memórias e pisar nos meus sentimentos. - Ajeitou-se melhor. - Amar, proteger e defender foram ações que pratiquei ao longo de um ano inteiro da minha vida. Mas só eu fui sincero porque não percebi naquela ocasião que era um brinquedo de luxo da Senhorita Seo. - Os olhos começaram a ficar marejados, mas ele também controlou o impulso. - Sua tia, contudo, deixou bem claro o motivo de ir para o Japão. - Sorriu, mas sem humor nenhum. - Quem diria que eu voltaria, não é? Ainda mais estudando aqui. Você acha que eu gosto daqui?

Tombou um pouco a cabeça, engolindo em seco.

- Você acha que eu gosto de te ver todos os dias e lembrar...de tudo? Eu gosto tanto quanto você, Seo Hyemin=ssi. - Fungou e escondeu o lábio inferior por um momento. - Quem não te perdoa sou eu. E tomara que a Oh Yerin-ssi não seja a próxima Kim Joo Hyuk e recebe a visita da sua tia. Eu não me surpreenderia se ela fosse descartada como eu fui, mas também não lamentaria por isso. “Todo mundo tem prazo de validade”, foi isso o que sua tia também me disse quando tentei me despedir de você para prometer que voltaria um dia.

A lágrima rolou, mas ele riu meio debochado.


- Não precisei prometer para voltar, mas que pena, não é? - Ficou subitamente sério, ainda a encarando. - Vamos terminar esse trabalho e depois finja que eu não existo. Eu farei o mesmo com você, dessa vez com mais afinco. Sem hibiscos.

Piscou de novo e virou-se para ir embora. O motorista já estava olhando de um jeito estranho e Kim já estava se odiando demais por ter tido esse tipo de conversa com ela.

Como ela tinha a audácia de culpá-lo??

Logo ele??

Tinha cada vez mais ódio do garoto estúpido que ele foi na infância. Tirou os óculos para limpá-lo na gravata e fungou mais algumas vezes, tentando engolir o choro e devolvê-lo para o lugar que nunca deveria ter saído.
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Kim Sun-Hee em Sab Ago 18, 2018 12:26 pm



Sunny enrugou a testa de novo quando JaeKi afirmou que Taemin era uma das pessoas que o tratavam como lixo. Aquilo a incomodava. Muito. E isso apenas alimentava uma possibilidade que se acendeu já no começo da conversa. Mas a única criatura que poderia lhe responder era o próprio Taemin. E dependendo do que ele dissesse... Sunny sentia-se meio insegura e preocupada. Além de confusa, muito confusa. Por mais que tentasse, não conseguia chegar numa conclusão. Nem tinha como escutar a versão de Taemin e os motivos dele tratar tão mal os meninos. Claro que não desconfiava das palavras dos Dragões. Porém, se descobrisse as razões que impulsionavam as provocações do loiro com eles... Talvez - um talvez bem grande - pudesse fazer alguma coisa para, ao menos, diminuir essa situação. Só que isso dependia de um... detalhe.

Porque, no fundo...

- Aish... - resmungou - Ah, depende... Acho que vocês não estavam presentes na ocasião porque foi no mesmo dia que aconteceu a confusão no lago, mas o episódio das ovadas teve consequências. Pelo menos, para duas meninas da nossa sala: Oh Yerin e... - Sunny estreitou os olhos - Seo Hyemin. Elas pagaram pelos uniformes destruídos e foram obrigadas a limpar o lugar que usaram para agredir as meninas. Ou seja... Existe sim punição. O problema é encontrar provas, pois agora as herdeiras estão agindo bem quietinhas, aprontando aqui e ali.

Citou nomes, porém não era necessariamente uma revelação. Afinal, na época da tal festinha de aniversário, muitas garotas se juntaram contra as novatas e as excluídas.

JaeKi logo falava sobre Sooji e era nítido como ele amava a irmãzinha e queria protegê-la...

Aquilo mexia com Sunny de um jeito especial.

Ela começou a falar com Won, explicando algumas coisas, mas tratava-se de um assunto para todos. Quando ele disse entender, Sunny mostrou uma expressão compreensiva também. Imaginava que sim. Que os três, na verdade, entendiam o que era passar por coisas do tipo. Sunny pegou o embalo e continuou, sem interrupções. Não sabia se JaeKi ia ficar ou não bravo pelo fato de temer o gênio tempestivo dele, mas não mentiria. Era como se sentia em relação a ele.

Então... a negativa dele a fez encolher os ombros.

Lá vem...

Era nesse ponto que as cabeçonas se chocavam.

- Mas eu quero proteger você também! Por que não posso, hein?!

Respondia os questionamentos de Jae com outros.

- Não me tire esse direito, JaeKi! Por favor! Coloque na balança! Não te contando não corro o risco de ser expulsa! Nãããão confunda, não estou falando que você é um covarde. Se fosse assim, não me preocuparia com o senhor tirando satisfações por aí.

Quando JaeKi levantou, Sun-Hee precisou erguer o queixo e nesses momentos que a altura baixa agia como uma tremenda desvantagem, pois expunha uma fragilidade que ela não gostava nadinha. Por isso compensava no ímpeto arisco e bicudo.

Ela escancarou a boca e arregalou os olhos.

- J.a.e.K.i!!! Você não teria essa... AUDÁCIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Se perguntar para eles, eu não te conto mais nada!

Como se falasse muito, né?

Estava brava! Porém o sorriso a desarmou...

- Nem estou chorando! - passou um dos punhos sobre os olhos enquanto o beicinho aumentava - Provavelmente é um resfriado, humpf!

Virou o rosto na direção de Won. Ainda estava meio emburrada, mas assentiu, escutando-o. E a risada acabou escapando quando ele comentou sobre Kang e a corrida. E conforme Won prosseguia, Sunny pareceu mais aliviada. Porque JaeKi teve a mesma sorte que a dela: a de encontrar bons amigos naquele antro. Sun-Hee acenou e sorriu, por fim - Komawo, Won... Vocês, realmente, são o complemento um do outro. Não seria louca de duvidar da capacidade dos três... - piscou, brincando - Eu prometo que vou avisar, prometo mesmo. E não precisa agradecer ou se desculpar. É uma cortesia para que voltem!

Kang decidiu se colocar também, apesar de ter optado pelo silêncio durante a troca de informações.

Ela mordeu o lábio e acenou positivamente, porém não tinha o que responder. Mas Woo Ji estava certo. Era como pesar uma embalagem e aplicar valores diferentes.

- Entendo sim, Kang... Miane por passar essa impressão de que não confio em vocês. Não... Não é isso... Mas... Não pensem que o que disseram aqui não será considerado. Não foi em vão.

Sunny reverenciou os três, mas antes de se despedir, ela pediu que esperassem enquanto ia pegar algo. Não demorou mais que cinco minutos e retornou com uma embalagem do Café e a entregou para JaeKi - Toma. É um presente para a SooJi. Espero que ela goste de chocolate.


- Até mais, meninos. E... Komawo...


Café Literário

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 13 de 15 Anterior  1 ... 8 ... 12, 13, 14, 15  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum