Fóruns Gráficos
3
Créditos
» Skin obtida de The Captain Knows Best criado por Neeve, códigos acrescentados por Weird e baseado no tema The Walking Dead Theme criado por Hardrock. Graças aos suportes e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foractivo.
» Versão Elysium adaptada por Hurricane, Rossin e Persephone.
Narradores
6
Personagens Ativos
40 Personagens Ativos
Últimos assuntos
» Capítulo 8
Ontem à(s) 11:17 pm por Kim Sun-Hee

» Episódio 1
Ontem à(s) 9:17 pm por Kasumi Sanada

» Sons of Neptune
Ontem à(s) 8:05 pm por Starry Night

» [DADOS] Onde estrelas nascem ou morrem
Ontem à(s) 6:12 pm por Starry Night

» Golden Boys
Ontem à(s) 1:47 pm por Starry Night

» @ohmygyuri
Ontem à(s) 10:54 am por Nam Gyuri

» @ommagyuri
Ontem à(s) 10:42 am por Nam Gyuri

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:52 am por Moon Jae-Eun

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:42 am por Moon Jae-Eun


Capítulo 6

Página 4 de 15 Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 9 ... 15  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Yeun Misoo em Seg Jul 16, 2018 6:50 pm


Misoo abriu a boca e o rosto dramático choroso secou. Ela olhou assustada e confusa para o garoto que se transformava na sua frente. Nem um protesto, nem um… Nada. Como se tanto fizesse como tanto fez, ele pegou de volta o blazer e a encarou daquele jeito inexpressivo que ela tanto detestava.

Aquilo fez o peito arder, de vergonha porque de alguma forma sentia que era culpa dela trazer à tona aquela personalidade que ela viu sumir algumas vezes, mas o ardor final era raiva porque a mente começou a completar alguns fatos em standby.

Difícil “também”? Por que também? O que foi que ela fez? Sentiu o rosto corar. Era tão ruim assim fingir que namorava com ela? O que foi que ela fez? Vasculhou todas as saídas que foram possíveis, procurando vergonhas alheias, procurando momentos desagradáveis, faltas graves… O que foi que ela fez além de tentar fingir que namorava com ele porque ele tinha dito que gostava dela?

Ela recusava as atuações piores, porque não queria que situação ficasse mais feia com os gêmeos, mas para quê? Soava tão superior naquele momento que nem parecia que ela quem tinha feito aquela gentileza, depois de tê-lo achado um idiota por falar como um robô. Ela ficou tocada por suas palavras, não queria magoá-lo. E agora ele agia como se fosse o contrário? Quando foi que isso virou o contrário?

Ele que parecia ter aceitado namorar com ela porque ela estava implorando por isso. A forma como ele se portava e falava, era como se ele tivesse perdido amigos, aguentado a pressão…

Por que não ouviu a sua primeira voz? Por que não ouviu sua avó?

Quis tanto agradá-lo, agradar a todos, quis tanto que não magoasse um menino bom que tinha admitido gostar dela. Queria tanto não ser arrogante e dizer não para alguém que era bondoso o bastante para gostar tanto assim dela…

E agora ele a encarava com frieza e se retirava com um “ok” como se tivesse cancelado o pedido de um macchiato. Era o que mais queria aquele tempo todo, então por que doeu tanto?

Misoo observou atônita os passos contrários do herdeiro. Fez tudo errado de novo? O que deveria ter feito? Onde estava seu script? O boné que devolveu naquele dia… Foi também tão sem emoção, por que agora isso tinha alguma importância?
Para quê?

Pensou no show do refeitório, na cara aborrecida de Bomi, no tom triste de Gyu Sik no corredor. De alguma forma aquela conversa lhe fazia perder o ar.

Por que tinha feito tudo isso?

Se poderia ter acabado com tudo, ou melhor, nem começado, a quem estava se esforçando para agradar? Por quem estava lutando e se punindo para não magoar?

Por que passou semanas naquele “relacionamento”? Quantas saídas? Quanto aborrecimento para os outros ou melhor…

Não era o ar que estava perdido, mas é que tinha desacostumado a respirar por conta própria. Era estranho. Ela fez uma escolha baseada em um grito interno fora de hora e… Nada de ruim tinha acontecido.

Jung Mi sumiu de sua vista e o mundo continuou como estava. Ele aceitou e foi embora. Nunca tinha precisado aceitar aquele namoro. Nunca foi necessário inventar três meses de prazo. Nunca ela deveria ter sequer cogitado agradar todo mundo daquele jeito porque… Agora estava muito claro o quanto não tinha a menor importância.

O quanto tinha sido burra. Cobriu a boca. Ela não fazia a menor ideia por que tinha começado isso. Por que tentou beneficiar a pessoa que a fez brigar com seus melhores amigos?Por que tentou ser gentil com a pessoa que não pensou duas vezes para complicar tanto sua reputação, a colocar sua imagem em dúvida para suas pessoas amadas? Por que fez isso?

Sentiu a mão logo ficar molhada por lágrimas e aquela sensação horrorosa que teve no início daquela história voltou. Ela abaixou o rosto e saiu andando rapidamente em direção ao primeiro banheiro disponível.

Era impossível não se sentir terrivelmente usada, mesmo que não fizesse o menor sentido, porque Jung Mi não estava sendo beneficiado de nenhuma forma daquele relacionamento. Ele só queria ficar perto dela e não passar vergonha na frente da escola e ela achou o pedido muito pequeno para dizer “não”. Quer dizer, ela começou resistente, mas depois foi vencida por achar que ele gostava dela. E tinha achado até aquele momento.

Será que ele tinha ficado tão ferido a ponto de começar a tratá-la assim? Era o preço de não fazer o que ele queria? Mas ela sinceramente não aguentava mais. Quando viu já estava no vaso sanitário da escola, com a porta fechada e forçando o que a garganta conseguisse buscar de comida para fora.

Era seu jeito de lidar com aquelas emoções que moravam nela também, que eram tão confusas e controversas. Ela queria agradar a todos, mas a que preço? Brigou com Jaeki, por Eunbi?Ou por ela? Jaeki ficou irritado com uma escolha dela ou pela escolha que fez para defender a amiga? Uma das duas era mais perdoável que a outra? O que gostaria de ter feito de verdade?

Defendê-la, é verdade. E queria terminar o relacionamento. Não queria ter começado nada daquilo. Não era porque Gyu Sik estava chateado ou tinha arrumado uma namorada. Mas ela não gostava completamente de Jung Mi ou o achava compatível para ser amigo dela. Ele era um pouco robô, ele tinha aquela barreira que a incomodava e mesmo que fosse bonito e suas amigas quisessem tanto, e sua família quisesse tanto, ela não queria namorá-lo!!! Ela também não queria namorar Gyu Sik, ela queria que ele não ficasse bravo e queria ser amiga dele! Ela não queria brigar com Bomi, mas não podia fazer algo assim só para deixá-la feliz! Ela gostava um pouco de Jaeki, mas não concordava com o que ele tinha feito. Não era por Eunbi. A bailarina era bem tolerante (Até) quando o assunto era Jaeki. Ela fez porque teve vontade.

Embaixo daquele monte de vozes e imposições, obrigações, eram essas coisas que ela queria ter feito. Fechou a tampa e debruçou os cotovelos sobre ela. Estava na escola, deveria ter mais cuidado com isso, mas E DAÍ? Ela precisava chorar daquele jeito. Ela queria ter feito isso.

Esfregou o rosto e respirou fundo. Se ao menos não ficasse ouvindo o tempo todo a opinião de todo mundo…

Gorda, irritante, feia? Filha da modelo mais respeitada do país, vista-se sem respirar por isso, fique sem comer por isso. Ela nem mais conseguia comer qualquer coisa sem sentir culpa. Ele é tão lindo e gentil, por que está reclamando desse namoro? Eu bem que queria. Deixe de ser exigente e chata, que tal experimentar? Você é bonita, você é uma boa amiga. Obrigada por me ouvir. Eu quero contar para você o que aconteceu. Só você pode me ajudar. Me dá um conselho? Vou basear minha vida naquilo que você falar.

Misoo soltou um grunhido de raiva e levantou-se, dando a descarga antes de sair. Tanta gente palpitando o tempo inteiro, por mal ou não, às vezes por amizade, às vezes para ajudar. Porque não podiam todos calarem a boca?

Será que ela fez plástica com o pai dela? Não adiantou nada. O cabelo dela devia ser da cor da moda para acompanhar a fama da mãe? Por que ele dá bola para você? Por que você tem que ser cruel com os sentimentos do seu amigo que gosta de você? Por que tem que ser cruel com um ranking um que gosta de você? Por que está comendo tanto? Por que não está comendo?

Por que sempre tinha a pressão de lidar com a felicidade das amigas em suas mãos? Por que precisava cuidar do relacionamento de Eunbi? De Bomi? Enquanto ela quase acabou sozinha na sexta-feira à noite sabendo bem o que as amigas estavam fazendo na roda-gigante. Sabendo inclusive o que o seu amigo incrivelmente magoado em seus sentimentos estava fazendo também. Todos, todos. TODOS tocando a vida.

E agora, a gota. Aquele tratamento arrogante e robótico vindo daquele garoto por quem ela sentiu compaixão porque ele disse que gostava dela. Terminou de lavar a boca e secou o rosto com o papel toalha.

Da última vez, ela caiu e ficou muito tempo sozinha até que Eunbi fosse resgatá-la. Ela viu bem como eram as coisas, o que acontecia quando ficava triste por tempo demais. Ela precisou dar um jeito para se erguer sozinha, porque mesmo as palavras da amiga não ajudavam muito. Enquanto a outra… A outra estava chateada e cuidando de seus problemas.

Misoo deixou o toalete e caminhou um pouco sem rumo. Ela acabou encontrando um banco no jardim para repousar. Não queria voltar para aquele refeitório barulhento se suas amigas nem estavam por ali.

Ela ficou ouvindo a rádio como pano de fundo, enquanto olhava o nada com bastante seriedade. Não sabia o que estava acontecendo, mas algo com certeza estava mudando.


Baile de Primavera.

Que época excelente para terminar um namoro.

Mas não estava infeliz com isso. Ela nunca quis aparecer acompanhada de ninguém, só queria se divertir com suas amigas... Que estariam ocupadas neste ano?

As soluções não apareciam. Não sabia nem ao menos se queria ir a esse baile.

Wangjo

— Ross

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
132

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Jae-ki em Seg Jul 16, 2018 7:27 pm


Jae sorriu quando Kai falou sobre não o pegaram para não ser expulso. Sentia falta disso, de poder se vingar. De qualquer forma deveria ter coisas que poderia fazer que não o levariam a expulsão mesmo se fosse pego. Lavar os pratos não seria tão ruim se pensasse na vingança. O problema é que Jae não sabia direito o que poderia levá-lo a ser expulso ou suspenso.

Ele gostou da ideia de levar baratas ou ratos para a escola, mas quando ouviu sobre chamarem a dedetização, isso pareceu meio grave. Se achassem o culpado, ele poderia se dar mal. Mas adoraria ver a cara da patricinha levando o susto.


- Eu vou pensar, acho que vou descolar alguma coisa, sinto falto disso.

Na cabeça de Jae-ki não parecia tão difícil não ser pego. Qualquer coisa poderia dizer que o rato fugiu. Do jeito que acreditavam nele, dificilmente isso o livraria, o jeito era não ser pego se fosse mesmo fazer. Não colocaria a irmã em risco se tomasse cuidado.

- Eoh, eu ligo pro Jim Hoo hoje mesmo
- Disse a respeito de um lugar pro Kai ficar.

Logo Jae-ki acabou desabafando uma parte dos seus problemas da escola, ele já se sentia melhor depois desse papo, ainda mais após imaginar como seria se fosse se vingar. Ele concordou com os comentário de Kai:

- Eoh, eu fazia assim na minha outra escola. Se é pra me culparem, eu dava motivos então. Mas é como eu falei, não tô aqui por mim... E essa escola é cheia de frescura, nós somos bolsistas no fim.

Balançava a cabeça enquanto ouvia Kai até que ele começou a perguntar de uma garota da sua sala. Jae-ki montou na sua cabeça a garota de acordo com a descrição, só poderia ser uma, Yerin. Ficou aliviado por não ser Eun-bi.


- Yerin - Disse Jae-ki - Deve ser essa, ninguém tem mais cara de morte do que ela.

Era estranho que Kai se interessasse em saber dela, Jae-ki franziu as sobrancelhas, mas respondeu o que sabia.

- Ela é uma patricinha esquisita. É uma das que fica me acusando, a amiguinha dela deve ter contado as mentiras para ela. Agora ela fica me ameaçando também. Não sei porque ela é tão séria, ela deve se achar muito, mas no fundo deve ser só uma garotinha que se acha melhor por ter dinheiro...

Arriscou dizer Jae-ki, mas ele não era o melhor em ler as pessoas, só sabia que ela era uma esnobe que provavelmente detestava pobres. Ainda estava sentado no chão quando ouviu o anuncio da rádio. Baile de primavera? Porém o que mais chamou atenção de Jae foi ouvir o grupo que iria! Soo-ji ia ficar tão feliz se pudesse ver elas! Porém deveria ser proibido levar de alguém de fora. Pelos menos poderia conseguir um autógrafo ou foto se pudesse ir.

- Uwa, eles vem mesmo aqui? - Indagou surpreso - Será que vamos poder ir? Ou vai ver tem algum tipo de taxa?

Logo passou sua mente que seria uma boa para levar uma garota também, não qualquer garota, mas a bailarina. A imagem dos dois juntos, dançando próximos, parecia uma boa. Talvez fosse o momento "fofo" que Eun-bi havia pedido. Porém não demorou um segundo para lembrar do que tinha acontecido minutos atrás. Ela iria com Taemin? Com a cabeça mais fria, sem a raiva destrutiva de antes, sentia uma tristeza lá no fundo. Sábado havia sido perfeito, como as coisas tinham se desandado tanto? Ela preferia mesmo ser "amiga" do Taemin? Mas eles eram namorados não? MiSoo teria mentido? De qualquer forma, não havia como saber o que Eun-bi pensava. Com a mente mais fria, Jae-ki tentava por os pensamentos no lugar.


Quando tocasse o sinal, Jae-ki se despediria do seu jeito e subiria para sala de aula pensativo e estranhamente quieto.

Wangjo/ Irado

— Ross


Última edição por Jae-ki em Seg Jul 16, 2018 9:27 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Park Hyun Hee em Seg Jul 16, 2018 7:37 pm




Aquela cena repetiu-se, meses depois, mas de uma maneira muito diferente. Hyun Hee sentiu uma preocupação avassaladora. Não sabia lidar com isso. Por que ela estava chorando de repente? Podia-se dizer que ele era uma pessoa que detestava meninas chorando e histéricas, mas Chaeyoung era a prova de que isso não era nenhuma regra quando se gostava de alguém.

Ela não era histérica, nem deveria estar chorando sem motivo. Ficou preocupado com aquilo. Tinha dito algo errado? Por que estava chorando? Tudo que fez foi confortá-la, abraçando-a firmemente e fazendo um carinho em seus cabelos, encostando o rosto no dela.

Não relaxou até que ela se acalmasse. Não sabia o que estava acontecendo e por que ela tinha chorado daquele jeito, mas queria mostrar que estava ali para ela e queria protegê-la. Ele disse que ela não precisava dizer nada, mas naquele momento desejou ter sido menos Don Juan e colocado os pés no chão para saber exatamente o porquê das lágrimas. Mas fosse o que fosse, elas estavam acabando naquele abraço, e no beijinho que deu em sua cabeça, talvez iniciando o processo para se soltarem.

Sabia o valor de um abraço e, principalmente, o de um abraço dela. Era um tanto gratificante imaginar que ele teria o mesmo efeito sobre ela. Logo ele.

Quando ela se afastou, ele ajudou a secar aquela lágrima com o polegar e fez um carinho em sua bochecha, mas foram as dele que foram apertadas, fazendo-o ter uma careta mal humorada característica, que logo se desfez para olhá-la, sorrindo de leve, mais aliviado. Ele tentou, em vão, descobrir algo mais, mas ela parecia determinada a se cuidar. Estava ótimo.

Abriu a boca para aceitar comida e mastigou devagar, fazendo um sorriso cretino surgir assim que engoliu a comida.

- Nah, não gostei muito não… Faltou uma coisa - ele a puxou pelo rosto e deu um selinho bem dado.


O que o fazia lembrar que não a tinha beijado direito da última vez e o passeio ao monte Jung Mi foi adiado. Ele deu um sorrisinho, soltando seu rosto, porque estava apenas dando um teaser, e o anúncio do baile veio, deixando-a bem empolgada.

- Claaaaro que fui. - fez a pose metido de sempre. - Todo ano. Fui o rei do baile e aproveitei a máscara e o escurinho para fazer a festa... - esperou pela reação dela. - Mas esse ano vou ter que ignorar as centenas de convites no meu armário e… - pegou a mão dela. - Mostrar minha joaninha por aí. - sorriu.


- Acho uma besteira. Mas você está louca para ir, não é? Park Chaeyoung, você gostaria de ir ao baile comigo? - perguntou com seriedade, com aquele tom de voz baixinho e sedutor.

Humor: estável /--+++

— Ross

avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Won-Bin em Seg Jul 16, 2018 9:13 pm



Aqueles fones e aquela conversa tinham sido uma fuga, mas uma fuga do tipo positivo: Won pôde repensar mais uma vez seu papel ali e seus objetivos…por mais que doesse aquele vazio ele sabia que não podia permanecer inerte.

Se sentia um pouco melhor mesmo que seus problemas ainda estivessem ali, o rondando.

- Gosto de ouvir isso. “Você tem razão, Ye Ji

Notou no sorriso dela que talvez essa não fosse uma frase que ela ouvisse muito. Sorriu de volta enquanto aproveitava o restante de sua música.

Ye Ji revirou os olhos enquanto ouvia a voz de Bomi. Won sentia aquela dor no peito ao ouvi-la ainda mas começou a filtrar a atenção naquela reação da Ye Ji.

”Ela odeia a Bomi. Pra valer. Isso é inegável” concluiu mas guardou a informação pra si. Ela a primeira pessoa da Wangjo que conheceu que não gostava da Bomi de forma alguma, sendo que ela é tão popular. Será que havia uma história ali?

”Aish esquece isso Won”

- Hm...Quem eu sou? Você prefere que eu responda diretamente ou gostaria de descobrir sozinho? Se eu tiver que contar, eu gostaria que fosse em outro momento, outro lugar

-Hmmm… - contemplou sem entender bem o que ela estava implicando.

- Quando você me chamar para sair…

Tossiu novamente, de nervoso. Sentiu o rosto ficar vermelho por um instante mas se recuperou rapidamente.

”Ahhh eu fui pego desprevenido. Ye Ji é direta!”

Sorriu ainda sem uma resposta.

- Claro que não seria um encontro. - Amenizou. - Podemos só tomar um sorvete ou algo do tipo.

Won ponderou por meio segundo o que ela queria dizer.
Já não era mais o garoto ingênuo que não entendia nada sobre o romance ou algo do tipo, mesmo que Ye Ji dissesse que não era um encontro seria tolice imaginar que ela não tinha expectativas afinal ela mesmo o chamou de bonito entre outras coisas.

Mas Won também se sentia carente por conta do término abrupto com Bomi. Seu vazio no peito desejava ser preenchido de qualquer maneira e ali havia uma garota bonita que parecia interessada em se aproximar.

Entretanto, não seria justo com ela. Won não queria usar ela como muleta ou como fuga. Uma coisa eram simples fones de ouvido outra era começar a sair com ela.

Era conflitante, Won não queria magoar ela mas também não entendia bem se ele queria seguir em frente.
Se Won era o protagonista de sua história ele estava diante de decisões que definiriam toda a sua jornada.

O intervalo se aproximava do fim e Ye Ji deixava a sugestão no ar.

- Bom, não vai ter que ouvir por mais muito tempo. Eu preciso pegar algo para beber, você me acompanha?

-Boa ideia, claro - respondeu simpático entregando os fones de ouvido para ela. Era hora de voltar ao campo de batalha.

Pelo menos era o que parecia às vezes.

A mente martelava novas questões, novas possibilidades. Mas o vazio no peito era menos implacável pelo menos, podia até mesmo andar sem prestar atenção no rádio da Wangjo.

Ye Ji mantinha a confiança de sempre, sem se importar com olhares que recebesse ou até mesmo com o estado do refeitório.

”Dez minutos sozinhos, e estou numa cena de campo de guerra após a batalha” suspirou, sabia que tinha trabalho pela frente.

Não queria exatamente deixar Ye Ji sozinha mas queria também ir até Kang pra perguntar o que houve.

”O que eu quero fazer...o que eu quero parecer pros outros…” a discussão veio a mente. Won sabia o que tinha de fazer, e o que queria fazer.

Alcançar o equilíbrio não era simples mas tinha de começar de algum lugar.

-Hmmm, acho que eu preciso falar com o Kang. A ausência do meu outro amigo e esse clima de pós-guerra me diz algo… - comentou com Ye Ji.
-A gente se fala mais tarde Ye Ji. Prefere sorvete de chocolate ou baunilha? - comentou se afastando um pouco, deixando que o choque da pergunta repentina fosse absorvido também.
-Hmmm, pode deixar, eu vou descobrir - disse num tom misterioso semelhante ao dela própria e saiu em direção a mesa dos nerds onde estava Kang.

Planejava sair com ela pro tal sorvete. Era uma saída de amigos, não um encontro. Tinha de recompensar pelos momentos de lucidez que ela o ajudou a ter.

Não tinha problema. Certo?

Andando em direção a mesa ouviu os últimos anúncios no rádio.

”Baile de máscara?” parecia mais uma coisas extravagante da Wangjo. Não sentia a menor vontade de participar, então ignorou o anúncio quando chegou na mesa.

”Primeiro passo: encontrar o dragão sobrevivente e contar os mortos e feridos”

-Oi pessoal - disse se aproximando um pouco de Kang e cumprimentando Ui Jin, Min Ho, Ha Neul, Sona e Dong com um aceno simples.

O amigo dragão perceberia que a expressão de Won estava melhor: respirar um ar tinha funcionado de certa forma.

Se sentou casualmente ao lado de Kang, se fosse possível.

-Eu tenho a impressão que perdi alguma coisa. Cadê o Jae Ki? - perguntou mais pra Kang, mas ouviria as reações dos outros na mesa.

Livre leve e solto em Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Seo Hyemin em Seg Jul 16, 2018 9:14 pm


Os elogios de EunBi foram bem recebidos. Ali, longe das provocações mútuas e conforme tinha o ego amaciado pela garota, nem entendia como conseguia achar, por um minuto que fosse, que era inferior em alguma coisa em relação aquela menina asquerosa. Para alguém como Hyemin elogios como aqueles já valiam, e logo ela estava sorrindo daquele jeito foto com os olhos em meia lua. O restante de melancolia foi usado para desabafar o que nunca foi dito em voz alta, já que a menina tinha sido tão legal com ela. Sentiu a abertura necessária de um ombro amigo, praticamente esquecendo que faziam parte de grupos diferentes no fim do dia. Hyemin seria bastante global, em termos de grupo, se não fosse Yerin. Era bem fácil de agradá-la e de sentir que alguém era sua amiga, mesmo as que não se esforçavam muito. Por isso era possível imaginar como se sentia confortável tão facilmente com uma colega de sala, só porque conviviam alguns anos e oferecia simpatia.

Chegaram mais uma vez no assunto Taemin. Ela mesma achou aquela coisa toda do lago um absurdo e tinha ficado com receio do loiro. Fez um biquinho. O que será que era pior? Quem era mais perigoso? A situação dela era bem chata. Não sabia que ela tinha enfrentado esse tipo de dilema. Ela não sabia exatamente o que fazer naquele caso, para reconquistar o amigo, até porque ele tinha jogado a menina no lago… Para isso ela só a olhou com alguma peninha e simpatia, mas não sabia o que dizer. Eram coisas em jogo que a garota desconhecia. Até porque…. Em sua experiência…

Hyemin abriu seu coração em relação a Joo Hyuk mesmo que a garota não soubesse quem era, ou melhor, principalmente porque ela não sabia. Não podia contar esse tipo de coisa para sua amiga porque certamente levaria alguma bronca sobre se importar com alguém como ele e seria questionada, é o que achava. Mas ela não conseguia controlar aquele sentimento tão ruim quando o via. Ela queria ignorá-lo, ser como Yerin e conseguir expulsar os sentimentos, mas ele a incomodava em muitos níveis para que isso fosse 100% possível. Além do mais, tinha visto de perto que mesmo ela tinha dores que não iam para lugar nenhum.

De repente, quando estava começando a entrar naquele ciclo de pensamentos ruins e tentou sair do assunto com uma desculpa, sentiu o calor de um abraço que não era de Yerin. Há quanto tempo não queria um abraço que lhe ajudasse com aquela questão? Hyemin demorou um pouquinho para reagir, mas encostou o rosto no ombro de Eunbi, desistindo de disfarçar o assunto.

A bailarina lhe falava palavras muito boas, dava para perceber que acreditava de verdade naquilo. De vez em quando, gostava de falá-las também, para parecer mais real, mas por trás disso tudo sentia saudades. Chegaria um dia que ela conseguiria ficar contente só com os amigos que ela se esforçou para dar mais atenção, porque queria dar valor para quem se importava com ela. Mas olhando ali de perto como poderia ter sido mais divertido com alguma presença adicional, ela se sentia mal. Mesmo assim apreciou as palavras dela, e afastou-se após um abraço com troca de forças e a olhou, dando um pequeno sorriso. Era passado e em três anos a escola acabaria, enterrando de vez aquela história. Em menos que isso, se tudo desse certo, ela ficaria noiva, ou até antes, poderia conquistar o coração dele e então não haveria mais espaço para ninguém ali dentro. Preenchê-lo parecia o jeito mais fácil de apagar.

- Obrigada, Eunbi. Foi muito bom ouvir isso. Você é uma ótima amiga!! - sorriu um pouquinho emocionada e terminou de enxugar o cantinho dos olhos.

Quando terminou, inclinou para frente, para ver a brincadeirinha preciosa que ela estava propondo.

- Oh, claro! Claro! Eu quero

Quando viu o cílio em seu dedo ela vibrou de alegria e sorriu para a menina, dando um olhar significativo para ela, o que queria dizer que seu pedido tinha sido importante.

Da próxima vez que estivesse se afogando, alguém viria para salvá-la.

Hyemin deixou Eunbi com seus pensamentos, deixando a conversa morrer naquele lugar. Tentaria não contar muitas fofocas para as amigas, mas sabia que era difícil de controlar sua boquinha. Quando voltou para o refeitório, os ares estavam meio estranhos.

- Oi, oi, oiii… - acenou e sentou-se ali bem empolgada, nem parecia que tinha andado falando de coisas tão tristes. - O que foi que eu perdi? - olhou para Hayoung porque esperava que o barraco viesse dela, mas não foi.

- Sério???Como assim? Eu nem estava aqui…. - piscou, querendo saber quem era. Será que alguém foi defendê-la???O pedido foi tão rápido assim? Não, mas tinha sido antes do cílio.

- Uaaaau. Mas é claro que ela não gosta dele, quem é que---.... - respirou fundo. Tinha acabado de falar com Eunbi! Como podia esquecer? - Bem, pessoal, eu queria um pequeno pedido de paz e trégua. - fez juras com os dedos na frente dos lábios. - Quer dizer… Ele pode ser insuportável e no...caham… Bem, se ele não vier nos incomodar, então não me importo com o que aconteceu! - sorriu, tentando parecer madura.

Ela até fazia um pouco de ideia de quem poderia ser SooJi, mas aqueles neurônios só se conectariam em um momento importante. Porque ela tinha deixado o comentário sobre a irmã dele se perder no meio do resto.

- Uaaau. Será que é o novo namorado dela? - Hyemin levou a mão à boca. - Todo mundo está namorando bolsistas? Aigooo, isso deixa tão complicado tudo… - fez um beicinho e olhou em volta no refeitório, até que chegou na direção de Jung Mi, que estava sozinho, e achou o fato muito muito esquisito. Ele não tinha que estar ajudando sua namorada agora?Aigoo… Eles eram um casal tão esquisito!!

Então a rádio começou a falar, enquanto ela comia seu bolinho, antes que acabasse o intervalo. Ela fez uma careta, imitando Joo Hyuk falando sobre aqueles chatíssimos debates idiotas que não serviam para nada. Ele tinha se tornado um CHATO, isso sim. Eunbi tinha razão. Quem ia querer andar com aquele moleque?

Então ela anunciou O Baile. Aquele que Hyemin quis ir desde o dia que soube de sua existência ao entrar na Wangjo. Ela tinha tantas ideias de vestidos e formas de personalizá-los… Dessa vez não precisava usar vermelho, porque estava na escola. Podia ser tão unicórnio quando quisesse. Estava ansiosíssima, olhando de um lado para o outro entre os amigos, esfregando as mãos, até que de repente teve um grande insight. Um flash de luz luminoso em sua cabeça com uma conclusão sábia e ela removeu a flor do bolso, estendendo para os amigos, enquanto fazia um som de extrema surpresa.

- É ISSO!!!!!

Como não tinha pensado nisso? Era tão óbvio…

- Isso só pode ser um convite para o baile!!!!!!!!!! Que outro jeito mais criativo para chamar para o Baile de PRIMAVERA se não for com uma flor??? E a minha favorita???? Oh….

A mente de Hyemin pipocava de sonhos e fantasias, formando as cenas perfeitas e ela começou.

- EU JÁ SEI!!! Eu… A pessoa quer se revelar durante o Baile!!!! Ela… Ela vai usar uma flor, para eu saber que é ela. Mas não vou saber porque ela vai ter máscara. Mas assim ela se mantém anônima, mas ao mesmo tempo eu vou saber!!! AI MEU DEUS. ISSO É TÃO LINDOOOOOO - ela balançou a flor no alto, encantadíssima com a idéia ultraromântica que tinha acabado de inventar.

Respirou fundo, uma, duas vezes.

- Calma, calma. Hyemin. Você é uma moça comprometida. Porém, appa disse que não é bem assim. Quero dizer. eu posso ter muitas outras opções. - fez uma pose de ultra confiança. - Digo….O que importa é que...Ahhh… eu nunca… - espiou a mesa de Jung Mi e falou mais baixo. - Quer dizer, eu nunca tive uma declaração ASSIM, tão romântica…. Aaaaa que coisa linda. Ah, que pena, eu vou ter que recusar. Mas ahhhh, gente, não é uma gracinha???? Um hibisco preso no paletó. É tão pouco usual. Talvez fique meio esquisito, mas… Aaaa, que gracinhaa…

Hyemin estava exalando seus hormônios adolescentes, corando e surtando novamente, mas, para a alegria ou não, dos outros, ela não estava falando sobre o noivo, mas sobre alguém que ela acreditava que a estimava. Não queria dizer que estava apaixonada pelo ser misterioso, mas não custava passar por uma experiência tão saudável no ensino médio antes de se casar, não é mesmo? Afinal, “faltava muito tempo” como o pai dizia, e um pouco mais para conquistar o coração do noivo.

- Ai como é difícil ser disputada~~ Hihihi


Wangjo |{LOOK: Tiara | Sapatos }

— Ross


avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Kim Sun-Hee em Seg Jul 16, 2018 11:37 pm

Sunny era uma péssima mentirosa, mas sabia guardar muito bem os próprios sentimentos - uma sutil contradição. Para sua sorte, ela e Stella se atropelavam diante de tantos assuntos, o que ajudou Sun-Hee a disfarçar o interesse de assistir o """tal""" vídeo... Tão bem que nem ela mesma admitia a pequena curiosidade. Aquele garoto realmente não era nada saudável. Deveria manter distância, isso sim. Então, Stella voltou a falar de JaeKi, insistindo na ideia de que Sunny se sentiria melhor depois de conversar com o rapaz. A bolsista era teimosa, mas também madura o suficiente para refletir sobre a complexa problemática. Stella estava certa, embora o orgulho colocasse algumas barreiras em admitir. Não era culpa por defender Taemin, porém não queria que JaeKi tirasse uma conclusão errada da atitude. Foi tão automático...

Como se Taemin precisasse de defesa!

Daquele tamanho e cheio de pose... tsc. Sabia muito bem sustentar a fama de arrogante e durão que o precedia, óbvio. Mas... Observando por outro lado, duvidava que existisse uma legião de pessoas dispostas a interceder pelo herdeiro, o que soava meio... solitário. Como aconteceu no sábado, lá na competição. De cara, notou os vários cumprimentos e felicitações que o Do recebeu de conhecidos, mas ninguém, de fato, estava no local por ele. Apenas por ele. Para torcer e apoiar. Igual no colégio também... Taemin sempre se encontrava rodeado de amigos, só que... engraçado... Na hora que as coisas desandavam, todos os dedos possuíam uma direção bastante precisa para apontar. Nesses momentos, Sunny não via os amigos de Taemin, porém... quem era ela? Nem o conhecia. Não tinha direito de palpitar na vida dos outros.

Olhou para a mão de Stella e gentilmente a apertou, agradecendo.

- Eu... vou mandar. Obrigada, miga. Você tem razão. É melhor tirar a dúvida do que alimentar um possível equívoco e correr o risco de ser injusta. Até porque, mesmo sem querer, criei uma rusga entre ele e a Eun Bi. Que... droga... – suspirou.

Infelizmente, não tiveram como conversar sobre o final de semana de Stella. E era algo que Sunny não deixaria de escanteio, ainda mais que a amiga fez todo um mistério em cima disso. Hmmmm. Na primeira oportunidade, voltaria ao tema e Stella não fugiria de explicar direitinho o que aconteceu para deixá-la tão... tão...

A anotação mental sofreu um corte quando avistaram uma nova confusão e... surpresa?

JaeKi.

Mas, feito um costume doentio, todos os pensamentos queimaram até às cinzas no momento que o olhar – vulnerável e despreparado – visualizou os cuidados com que Jung-Mi tratava MiSoo. Doeu. Doeu muito. E era errado ficar assim, mas o que podia fazer? Uma coisa era esconder os sentimentos do mundo, mas controlá-los estava longe de qualquer possibilidade. Com exceção do dia em que desabou nos braços de Kim, ninguém jamais a escutou pronunciar o nome do Park. Todas as recordações foram silenciadas dentro dela e no álbum que Sunny comprou para colocar as fotos que Jung-Mi lhe deu. Um presente lindo... mas amargo. Incrivelmente amargo. E que pesava, ao ponto de não se atrever a mexer na gaveta que o guardou.

A titia disse que um dia, cedo ou tarde, essa dor... esse apertinho no peito... ia embora. Ia passar. Sunny só precisava ser paciente. E esperar... Por isso, respirando coragem e determinação, ela engoliu o choro e respondeu a pergunta de Stella com um sorriso.

A ausência de Chae foi notada, mas como o grupo se adaptou a rotina da amiga, foi fácil deduzir que ela estava com Hyun... ainda mais que... Sunny mordeu o lábio, imaginando que era a única que sabia sobre a novidade. Queria tanto que Chaeyoung compartilhasse logo com as outras meninas e assim todas poderiam iniciar os “nhonhonhon” e “awwwwwwnt” coletivos. Chae tratava-se de outra conversa adiada. Não era legal acumular dívidas. Ainda mais aquele tipo de dívida.

Sunny respondeu com uma careta quando Lee-Hi perguntou a respeito da educação física e encostou a testa na mesa, deixando Stella contar os detalhes, principalmente os que envolviam a Srta. Gremlin. Sunny virou um pouco o rosto de ladinho, observando os lanches das amigas e ajeitou a postura diante da oferta de Hye-Won – Bolinho! – ela exclamou, feliz, e aceitou um pedaço. E enquanto mastigava, encarou o sanduíche e o suco de Lee-Hi, satisfeita por vê-la se alimentar. Já era um enorme progresso.

Também notou o instante em que Dong entrou no refeitório e, caso ele olhasse, acenaria de modo simpático e acabou soltando um comentário despretensioso enquanto apoiava o cotovelo na mesa e o queixo na mão.

- O Dong está aí, ó... É até estranho não vê-lo com os meninos, né? Eles são tão inseparáveis. Hm. A prima dele também entrou agorinha mesmo... Deviam estar juntos, talvez... – não que fosse algo inusitado. Afinal, os dois eram parentes. Sunny balançou os ombros de leve e encarou Stella – Como estão indo as aulas de vocês? Produtivas? Não esqueci que a senhorita prometeu me ensinar francês... Se bem que, por enquanto, acho que não cabe mais nada na minha cabeça.

A chegada de Dong e Hayoung não foi a única que percebeu, mas achou mais prudente... ignorar. Ou fingir que sim.

Entre músicas e notícias, uma, em especial, chamou a atenção.

Uma muito aguardada, aliás. Pela maioria. Já Sunny... Não parecia tão eufórica e animada. Estava bem normal, apesar de curiosa. Nunca participou de um baile na vida. Nem nas festinhas e eventos da antiga escola ela ia com frequência. Dividiu olhares entre as amigas, analisando a reação delas e sorriu – Um baile de máscaras, que... diferente. Vocês já foram? – perguntou especificamente para Hye-Won e Stella – É legal? Tem que usar fantasia?

Foi uma pergunta bem idiota, concluiu tão logo a fez. Sorriu de novo, sem graça, e coçou a nuca para disfarçar a vergonha - Errr... Tô brincando... Hehehe...  
WangJo

— Ross


Última edição por Kim Sun-Hee em Qua Jul 18, 2018 2:26 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por The Crown RPG em Ter Jul 17, 2018 11:37 pm

WANGJO. 10 DE JUNHO. 10:25 - 12 P.M.


A notícia sobre o baile de máscaras encerrou não apenas a programação da Rádio Wangjo, mas também começou a contar os cinco minutos restantes do intervalo. Os alunos sabiam como os seus respectivos professores eram exigentes e não toleravam atrasos. Por isso mesmo, muitos deles aproveitavam esse tempo para se alongar e começar a rumar novamente para suas salas.

Geralmente o fim do intervalo vinha com aquele desânimo típico de quem não aguenta mais ter aulas, mas naquela segunda-feira em especial, havia muito o que ser comentado. Os alunos acabaram se estendendo um pouco mais. A sorte do 2º e do 3º ano era que teriam educação física agora enquanto o 1º seguiria para a aula de química.

O assunto tomou conta de todas as mesas, com exceção de uma: a de Hee Kyung. Os meninos tinham coisas mais preocupantes no momento e, dava para ver, que não eram muito chegados a bailes. Ha Neul talvez fosse o mais agitado, mas a expressão de seu amigo mais novo, o deixou um preocupado. Não deixou de perceber que ele tinha retornado com sua prima e considerando a brusca mudança de Hayoung, a conversa provavelmente não tinha sido das melhores.

Mesmo assim, eles não tocaram nesse assunto e voltaram a atenção para Won Bin quando ele se aproximou.

Depois de se despedir de Ye Ji daquele modo bastante esperto - o que gerou um sorriso convencido na menina - o líder dos dragões se aproximou do único que ainda se encontrava ali. Não era como se o grupo fosse enorme, mas era preocupante quando Jae Ki sumia. As atenções voltaram para ele quando se aproximou da mesa dos meninos. Ha Neul tinha uma profunda certeza que Won estava tomando os mesmos sucos e vitaminas que ele - apenas isso justificaria um porte físico tão bem constituído quanto o que o próprio herdeiro também tinha. Claro que não expos isso para não constranger ninguém, mas sorriu para Won como se o entendesse, como se compartilhassem um segredo.

Min Ho apenas ajeitou os óculos e Ui Jin deu um tchau discreto. Dong ainda estava bastante avoado e distante, mas provavelmente não foi rude. Sona, a única menina presente à mesa  e noona do 2º ano, voltou o olhar para ele. A garota era bastante bonita, mas não tinha uma aura muito simpática. Era quase como se erguesse um escudo para manter todos longe dela e de sua verdade. Também tinha um óculos bastante grande para seu rosto, numa tentativa de ocultar a real beleza por trás das lentes e armação.

Kang virou-se para ele e se levantou. Apesar de ter relaxado na companhia dos meninos, ele voltou a ficar tenso. Franziu as sobrancelhas para a pergunta dele e olhou para os meninos uma última vez.

- Pessoal, eu preciso ter uma conversa com meu chingu. Nos vemos na sala, tudo bem? Até mais, hyeong, noona.. - Reverenciou os mais velhos. - Gaja?

Convidou Won a caminhar. Já precisavam subir mesmo e poderia contar tudo o que aconteceu enquanto andavam até a sala em passos lentos. Kang contaria como Eun Bi mudou a trajetória para falar com Hyemin e foi o estopim da briga. Não deu os detalhes do que foi dito, porque não ouviu tudo - apesar das orelhas grandes - só descreveu as expressões faciais. No fim, quando tudo parecia resolvido, Misoo resolveu falar umas poucas e boas para Jae Ki. Nesse segundo round, ele deu mais detalhes como a promessa de que ela acabaria com a história se Jae Ki continuasse sufocando e brigando com Eun Bi. Mas também comentou que o amigo revidou de igual e disse que ela nunca mais deveria ficar perto de Soo Ji.

Não sabia para onde ele tinha ido, mas o hyeong de cabelo colorido - agora castanho - e esquisito, tinha saído atrás de Jae Ki.

Enquanto Kang contava, os dois dragões nem podiam imaginar na “má influência” que o Dragão mais esquentado estava recebendo. Kai não estava fazendo por mal, mas também se divertia bastante com as imagens mentais que criava. Como hyeong e aliado de Jae Ki, ele achou que foi bom ir atrás do garoto para acalmá-lo.

Também estava irritado e não devia fazer mal conversar. Até levou um chocolate para que o moleque comesse. Não era tão ruim quanto gostavam de pintar. Os dois estavam por um dos corredores de armário e longe de confusões. O que não quer dizer que não estivessem tramando.

Kai conseguia compreender a angústia de Jae Ki. Era muito ruim quando não faziam nada e saíam como culpados mesmo assim. O garoto tinha razão ao dizer que eram bolsistas, no fim.

- Mas não somos sacos de pancadas para esses ricos. - Comentou com a voz meio rouca que tinha. - Ser bolsista pode ser um limitador para a gente, mas não deveria ser uma vantagem para eles.

Olhou para cima, suspirando. Estava grato por ele oferecer ajuda da Toca. Realmente seria uma boa se esconder lá enquanto o rosto não melhorava. Contudo, quis mudar o assunto chato, aproveitando o tema sobre garotas e sondou sobre aquela que tinha cara de morte.

- Yerin… - Kai testou a sonoridade do nome dela e encarou Jae Ki de novo. Deu uma risada. - Tenho a impressão que, independente da garota, essa seria a sua descrição padrão para todas elas. Todas aqui têm dinheiro, nem as bolsistas parecem como a gente, sabe? Mas enfim, é sério que você só reparou nisso? Deve estar muito apaixonado por aquela de cabelos longos e franja…

Comentou.

- Você tem bom gosto, mas acho que o meu é melhor. - Deu um sorriso misterioso, mas ficou quieto ao ouvir sobre o baile.

Não sabia dizer, mas imaginava que não tivessem que pagar nada. Tinha que ter alguma vantagem ser bolsista, né? Porque por enquanto, só via ônus. Ficou quieto, contemplativo, mas quando desse a hora, se despediria de Jae Ki. Tinha que encarar a educação física que também era hockey na grama. Talvez fosse um pouco perigoso deixar um taco nas mãos do hyeong.

Enfim, só restaria a Jae Ki retornar para a sala de aula.

Quem também precisaria seguir sozinha seria Misoo. Depois de ouvir aquelas palavras ambíguas de Jung Mi, a garota não suportou mais a pressão pela qual vinha sofrendo nos últimos meses - quiçá a vida inteira.

Naquela manhã de segunda-feira, a menina descobriu a árdua realidade sobre agradar a todos e, no fim, apenas sofrer. Porque é isso o que se encontra quando se vive pelos outros. Misoo precisava passar a tomar as decisões por ser o que ela queria e esperava para sua vida, não porque iria agradar amigos, familiares ou namorados.

O término com Jung Mi não a tornou livre, a fez se sentir burra e estúpida. Sua generosidade foi respondida com um “também” muito esquisito, como se quem tivesse feito algum sacrifício fosse ele e não ela. Afinal, na cabeça de qualquer um, não havia nenhum tipo de sacrifício em ser namorada de um principe, não é?

Como se não bastasse, ela estava completamente sozinha. Suas amigas estavam ocupadas demais com seus próprios dramas e não faziam ideia do que ela passava nesse momento. Nem ao menos os amigos meninos pareciam dispostos a ajudá-la - ainda tinha a incerteza sobre a amizade de Woo Jin depois do que ela fez com Jae Ki.

A notícia sobre o baile não a animou nem um pouco.

Não sabia nem se queria ir naquela droga.

Contudo, o único lugar que ela era obrigada mesmo a retornar seria para a sala de aula.

Dessa vez, sozinha.

Era tão estranho. Será que ela algum dia se acostumaria com a própria companhia? Ou tudo o que vinham dizendo ao longo de sua vida era verdade? Era uma companhia agradável ou insuportável demais para lidar? Talvez fosse uma resposta que ela encontraria conforme se conhecesse melhor.

Diferente de Misoo, a mesa de Hyemin estava explodindo de alegria. Beom Su e Hayoung tinham se empolgado muitissimo com a novidade. Até Nana tirou a cara da mesa e observou. Yerin observou com carinho e dando um sorriso aqui e ali.

A amiga não estava mais empolgada porque pensava no que ela tinha dito ainda há pouco. Por que queria uma trégua justamente com aquele menino? A conversa com Eun Bi tinha sido tão produtiva a esse ponto? Será que Hyemin tinha se esquecido que o garoto era um bolsista e seu objetivo era tirar aquele grupo do colégio?

Não quis contrariá-la e apenas concordou. Se ela queria assim, não teria problemas.

No fundo, Yerin ainda sentia que tinha uma dívida com ele. Se não fosse por ele naquele dia, não sabia nem se estaria aqui. O tombo teria sido feio e estava tão ferida naquele dia que tinha certeza que quebraria. O assunto foi deixado de lado com aquela novidade.

A empolgação de Hyemin era contagiante e todos já estavam rindo - não dela, mas achando graça do conto de fadas que ela tinha criado.

- Ya, Minah...você devia escrever histórias, sabia? - Hayoung comentou. - Você tem talento para histórias de princesas.

- E experiência de vida, né? É uma princesinha!  - Beom Su fez um biquinho fofo para ela.

- Hm. Seria interessante. - Yerin comentou. - Se quiser, posso ilustrar suas histórias. - Entrou na brincadeira que tinha muito fundo de verdade.

Os amigos sempre estavam elevando as habilidades dela. Fosse na cozinha, com moda ou a criatividade, eles sempre pareciam ver além do que ela imaginava. As palavras de Eun Bi faziam muito sentido agora. Não tinha sido ela quem perdeu, tampouco tinha se afogado. Como podia se sentir assim quando tinha tantas pessoas queridas por perto?

Yerin terminou seu suco e sugeriu que fossem aos poucos para a sala também.

A mesa de Sunny ficaria ali por mais um tempinho. Afinal, quando Sun Hee via um bolinho, ela ficava até a última migalha. Todas as meninas estavam animadas com a história do baile. Stella tinha ficado intrigada com a chegada de Hee Kyung com a prima, mas não deixou que isso tirasse seu bom humor.

Estava se sentindo bem por ajudar a amiga a decidir sobre uma coisa importante em relação a Jae Ki. Gostava quando seus conselhos eram aproveitados e realmente achava que aquele caso precisava que alguém desse o primeiro passo. Qualquer um dos dois!!

Mas era mais fácil convencer Sunny.

Já entre as amigas, Stella ficou um pouco séria com a imagem, mas sorriu de novo não demorou muito.

- Ung. Dong Hee Kyung é um aluno muito aplicado e exigente consigo mesmo. Tem rendido bons frutos. E eu quero muito, muitissimo te ensinar francês, amiga. Mas eu ando muito sem tempo. Miane. - Fez um beicinho. - Eu poderia sugerir as férias, mas eu nem saberei o que é isso. Meu irmãozinho está para nascer e meu amigo canadense estará aqui durante os meses de Julho e Agosto. Então, eu estou um pouco atolada de responsabilidades. Mas eu juro que te ajudo quando tivermos um tempinho, tá? Prometo.

Apesar de Sunny também admitir que não tinha tempo, Stella quis reforçar seu desejo de ajudá-la. Quanto ao baile, as meninas deram uma risada com a pergunta boba.

Nenhuma delas tinha ido para uma festa de WangJo. Hyewon e Ha Yi eram novas ali e os bailes mais interessantes só eram liberados a partir do 1º ano. Todas elas seriam novatas, mas concordavam que precisavam de máscara sim!

Já no terraço, quem não precisava de máscara por ter uma tremenda cara de pau, era Hyun Hee.

Os abraços que ele e Chaeyoung trocavam sempre eram carregados de significados e diálogo. Eles falavam muito mais do que os dois pensavam. A menina fechou os olhos ao se sentir protegida por ele e não conseguiu evitar que as lágrimas escorressem.

Tinha tanta coisa que queria dizer. Tanto o que agradecer.

Mas no momento, não houve espaço para isso. Hyun não queria saber do passado, de quando ele não podia cuidar dela. Para ele, só havia o presente e o futuro. Era o que importava, considerando seus esforços para vê-la bem e saudável. Isso a emocionava bastante e não conseguiu deixar de sorrir quando ele secou suas lágrimas com o polegar.

Cortou o clima triste, brincando e apertando as bochechas dele. Riu da carinha zangada e focou na comida.

Foi então que o lado descarado dele foi ativado. O selinho prolongado foi inesperado. Era ousado demais para fazer na escola!! Os olhos dela se arregalaram enquantos lábios faziam um inconsciente biquinho. Quando se afastaram, as bochechas dela estavam bem coradinhas e ela enfiou mais comida para os dois para manterem a boca ocupada.

Desviou o olhar, mas não parecia irritada. Tanto que o olhou de banda enquanto levava a mão aos lábios.

Terminaram de comer quando a rádio trouxe a última noticia. Chaeyoung se animou na mesma hora, super empolgada e fazendo várias perguntas para ele. Logo se arrependeu com as respostas. A carinha feliz foi virando um bico bem aborrecido e ela deu uns tapinhas nos ombros dele.

- Yah! Metido! Aish...convites, né? - Virou a cara, aborrecida. Soprou para cima, meio brava e o encarou depois de ouvir aquela proposta. - Ani! Eu não quero!

Disse no impulso, mas a mente registrou o tom que ele tinha usado e, na mesma hora, se corrigiu.

- Estou mentindo! Quero sim! Mas você é muito metido e convencido! Que tipo de coisas você fazia com as outras, hein? NÃO QUERO SABER! LALALLALA

Tapou os ouvidos com as duas mãos e levantou-se rapidamente. Começou a arrumar as coisas para se retirar com ele. Antes de sair, arrumou o blazer e corrigiu o laço de seu tênis. Ainda sem saber o que ele fazia por aí, ela o agarrou pelo braço e começou a descer as escadas com ele enquanto o sinal tocava.

[...]

A sala de aula já estava completa quando o professor de química entrou. A primeira a chegar tinha sido Eun Bi que procurou um lugar para suas amigas. Won e Kang chegaram um pouco depois dela, mas ela não parecia muito afim de conversar. Não demoraria para que outros também chegassem.

Quando Bomi chegou com Kim, os dois pareciam bem felizes com a transmissão e comemoravam o baile. Era sobre isso o que falavam às risadas. Ela só parou quando se aproximou de Eun Bi e viu a cara da amiga.

Fez um carinho em sua cabeça e ouviu que estava tudo bem. Não acreditou muito, mas as duas ficariam mesmo sem palavras quando Misoo chegasse. Abriram espaço para que ela sentasse entre as duas e a observaram bastante. Não faziam ideia do que tinha acontecido a ela para estar assim, mas também não teriam tempo de conversar.

Os lugares seriam ocupados conforme o padrão dos últimos meses. Os grupinhos estavam bem definidos, assim como as posições que ocupavam na sala: colados à janela, à parede, na frente, no fundo, o centro. Enfim.

A aula de química era bastante interessante. Ainda que o professor não fosse carismático como o de biologia, ele era muito bom e os alunos não tinham muita dificuldade nessa matéria. Ele explicava de modo claro e com exemplos que aproximavam o abstrato do concreto. As coisas pareciam mais fáceis assim.

O professor trouxe a notícia que a partir da semana seguinte, começariam a ter uma aula no laboratório, pois chegaram num ponto da matéria onde podiam fazer pequenos experimentos. Isso empolgou bastante os alunos e preparou para a aula de geografia.

Sang Kang era um professor um pouco tímido no início - parecia até muito metido - mas com o tempo, se revelou alguém que realmente amava lecionar. Era inteligente, interessado em seus alunos e gostava de debates, de ouvir as ideias dele. Só não era como Chang Wook porque o professor de coreano e literatura era bastante carismático. Mas ele era legal ao seu modo.

Quando chegou naquele dia, cumprimentou seus alunos e continuaram a matéria da semana passada. Ainda estavam na parte de geografia física, estudando o clima. Porém, ele apenas deu uma introdução ao tema e faltando quinze minutos para acabar a aula, informou.


- Bom, como vocês bem sabem porque devem ter ouvido na rádio, haverá dentro de duas ou três semanas, a semana cívica. Durante esse debate jurídico e político, vamos discutir sobre alguns temas cada vez mais recorrentes em nossa sociedade, mas também voltando à discussão das mudanças climáticas. Para vocês, do primeiro ano, eu recomendaria a participação dessa palestra, ainda que não sejam dos clubes. Quem me trouxer um relatório bem feito, terá meio ponto nas provas.

Subornos típicos de professores.

- Porém...Existe outro motivo para que vocês venham se esforcem em participar. - Sorriu de modo enigmático enquanto pegava uma urna e a sacudia. - Nessa urna, eu tenho 30 esferas com dez cores diferentes. Como eu conheço esses grupinhos que vocês tem aqui, dessa vez vocês terão que contar com a sorte.

Ui Jin já estava suando frio à essa altura.

- Serão dez trios e esses trios terão que fazer uma maquete com a geografia das divisões que cada cor representa. As melhores maquetes participarão da exposição da semana cívica. Estejam cientes que pessoas importantes estarão de olho em seus trabalhos...Talvez até os pais de alguns, não é mesmo?

Sorriu para Gyu Sik, o garoto numero 1.

- Bom...Vamos começar? - Sacudiu mais a urna.

E começaria a passar para que os alunos pegassem a sua cor e encontrassem seus trios.


(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Won-Bin em Qua Jul 18, 2018 12:35 am



Não foi um inicio de semana fácil, mas diante daquele desânimo de fim de intervalo Won sentia uma leve pontada de esperança diante de sua escuridão. Era como um gosto agridoce, sua tristeza ainda estava ali mas tinha começado a pensar em como supera-la.

Mesmo que isso levasse algum tempo ele ia tentar não se concentrar na melancolia. Ajudar os amigos era uma forma de fazer isso, e seus amigos precisavam de toda ajuda possível.

Deixou Ye Ji com um sorriso misterioso no rosto, parcialmente motivado pelo sorriso convencido dela. Won não sabia exatamente aonde isso ia mas por enquanto queria só recompensar a amiga que havia o levado a retomar seu norte.

Won se sentiu meio...alien naquele grupo. Kang parecia se misturar tão bem aos nerds que Won percebia como o amigo era sociável quando queria. Sentiu um pouquinho de culpa de tirar o amigo de um papo que parecia estar legal.
Mas Jae Ki estava desaparecido e isso era preocupante. Imaginava que o acharia brigando com alguém em qualquer esquina que virasse.

Dong que era o líder de seu grupo (tinha de pensar no apelido, "nerds" não era um jeito legal de chamar eles) parecia avoado enquanto seus colegas pareciam distraídos com outros assuntos mas foram educados em cumprimenta-lo...quase todos. E quem era a garota de óculos? Não era da mesma sala.
Uma postura defensiva, curioso, mas a observação ficaria pra outro dia.

-Desculpe roubar o Kang - disse num sorriso educado, era um tom bem-humorado - Até a aula - se despediu e andou ao lado do amigo.

Colocou a mão no ombro do amigo enquanto falava:

-Aish, desculpa Kang, te puxei de um momento de paz - o amigo notaria como Won estava notavelmente melhor - Vamos lá, o que eu perdi?

Eun Bi e Jaeki discutindo, ok, tinha visto isso.

Jae Ki discutindo pra impedir Eun Bi de falar com...Hye Min? Espera, elas não eram de grupos "opostos", quase inimigos? A política da sala ficava mais complexa.

E o pior, Jae Ki discutiu com Misoo!?

Won não conseguiu não colocar a mão sobre o rosto, num breve facepalm. Tinha dado tanto trabalho (e dois baldes de frango) para esses dois ficarem em paz e agora Jae Ki parecia que escolheu brigar todas as brigas possíveis.

Mas falar da Soo Ji não foi legal, para ser honesto Won não viu razão em nenhuma das ações de Jae Ki. Ele tinha atingido o nível máximo de ciúme e espirrado esse sentimento em várias pessoas. Pior ainda, havia se exposto e exposto Eun Bi e Misoo pra toda a escola.

Sentia um pouco de culpa, se tivesse sido o antigo pacifista Won pra segura-lo talvez o resultado fosse diferente. Se estivesse ali teria impedido que fosse atrás de Eun Bi desse jeito.

E pra fechar Kai tinha ido atrás dele e mesmo depois de dois meses não entendia como o garoto bad boy parecia tão próximo dele. Mas ainda não suspeitava que o nível de má influencia atingiria novos patamares.

A situação era crítica e Won sentia que podia ter falhado com os amigos. Mas as decisões não foram feitas por ele.

Won podia arcar com as decisões que tinha tomado, não a dos outros. Pelo menos era assim que começava a pensar. Difícil do mesmo jeito.

-Aish Kang...vamos ser honestos, nosso amigo vacilou. Falar assim da Soo Ji depois de sábado como vocês pareciam se dar bem....Eu devia ter segurado ele, deveria ter ficado com vocês - disse num tom como se fosse pai de uma criança que tinha saído correndo na rua - A gente precisa falar com ele sobre isso. Não dá pra ficarem os dois nesse cabo de guerra pra sempre e ainda mais envolver a Misoo na briga. Já tem muita gente na Wangjo que vai ser contra os dois namorarem, não dá pra ter conflito entre eles assim...

Na sala de aula Eun bi já estava mas não tentaria conversar com ela, apenas observar sua expressão atual.

Os dois dragões se sentaram, os olhos vivos para identificar o terceiro restante.

Bomi e Kim chegavam ao risos, tão radiantes e ela tão boni...

Não! Won não ia cair no abismo que o encarava. Desviou o olhar e abriu o caderno em uma matéria nada a ver que seria lecionada agora, apenas queria desviar a atenção.

Ia se distrair até Jae Ki se sentar com eles. Apenas fez um aceno com a cabeça, como um "está tudo bem". Mas ainda queria conversar com ele e Kang sobre o que tinha rolado, talvez no almoço.

Apesar de todos problemas criados no intervalo a aula ainda era um tanto interessante. Um tempo para não pensar em dramas, relacionamentos e amigos e sim em fórmulas e compostos. Não era ruim, qual foi a última vez que prestou atenção numa aula mesmo?

"Experimentos? Parece mais interessante" não tinha lá um grande interesse por química mas era algo novo e parecia curioso no mínimo.

A aula de geografia veio também e seguiu seu rumo normal na maior parte do tempo: Won também prestou atenção nessa aula.

Mas aquele anúncio colocou Won de volta ao modo de defesa: sentia que vinha confusão naquele sorteio.

"Sorte é justamente o que eu não tenho"

Won fez uma pequena varredura no painel mental pra medir suas chances...e a chance de cair com Bomi, Gyu, Taemin ou até mesmo o Ryu parecia muito grande e isso de repente parecia ser o anúncio do apocalipse. Engoliu em seco e ajeitou a gola da camisa.

"Por que o professor fala dos pais depois do 'pessoas importantes'? Aish os pais dessa galera nem vem ver os trabalhos dos filhos? Ahhhhh eu to pirando!"

Won respirou fundo e tirou sua cor. Verde. Era sua cor da sorte, a favorita, certo?

Certo?

Livre leve e solto em Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Jae-ki em Qua Jul 18, 2018 9:35 am


Jae-ki concordava com o que Kai dizia,  sabia como o mundo era, mas ainda assim era difícil não ficar revoltado com as acusações, ainda mais quando isso o levava ao nível de um canalha.

Mas a conversa mudou para a pergunta de Yerin, Kai concluiu que Jae devia falar isso de todas as garotas, ele estava certo no final. Porém quando o hyeong mencionou que ele devia estar apaixonado, Jae-ki arregalou os olhos, não conseguia disfarçar, sua cara já dizia tudo:

- Mwo? A Eun-bi?

Suspirou e confirmou meio desanimado:

- Eoh...

Coçou a cabeça nervoso, amor era uma parada bem complicada. Não gostou de como hyeong reparou da Eun-bi, mas ficou aliviado por saber que ele achava a outra mais bonita. Por sorte chegou o anúncio do baile a Jae-ki ficou distraído com isso, vários pensamentos vinham a sua mente. Logo já era hora de voltarem a sala, se despediu de Kai e foi para a sala pensativo.

[...]

Quando chegou na sala, os dragões já estavam ali. Ele notou Eun-bi e lançou um olhar pra ela, não de raiva, mas de quem tentava analisar. O que se passava na cabeça dela? Provavelmente várias mentiras sobre ele. Antes de se sentar, Jae-ki cumprimentou os amigos e falou com Kang rapidamente:

- Foi mal ter saído, é que minha cabeça... Ia ser pior se eu ficasse.

Jae-ki sentou antes que o professor brigasse. Também mandou um cumprimento para Hyun. Apesar de tudo, Jae tentou se focar na aula, fazendo anotações do que podia. Precisou riscar quando viu que escreveu sem querer o nome da bailarina no meio delas.

As aulas no laboratório animaram até Jae-ki um pouco, gostava de coisas práticas também. A aula de geografia não era tão empolgante e Jae-ki achava que o tempo demorava a passar demais. Seria um longo dia também, porque sairia para procurar emprego. Quando faltava pouco para tudo terminar, veio as notícias. Jae-ki fez um careta quando ouviu sobre o debate, isso não o interessava nem um pouco e o professor dar meio ponto pra isso o fez suspirar de desânimo. Queria ganhar o ponto, mas não fazer o relatório.Porém pior foi a próxima notícia, fazer maquete até parecia legal, mas não que o grupo seria na sorte. Jae-ki fez uma cara de preocupação.


- Mwo?

Se preocupou com que tiraria, mas também com quem uma certa bailarina iria ficar. E se ela ficasse com Taemin? Jae-ki preferia tirar o cretino do que deixar ela perto dele. Não só por ciúmes, mas por não poder estar por perto pra defendê-la também. Aparentemente só ele via o perigo que ela iria correr.

- Aishhh.... - Reclamou perto dos amigos.

Jae-ki fechou os olhos quando pegou a sua esfera, veio preto. Ele não acreditava em sorte, mas ficou ansioso para ver o resultado. Provavelmente seria separado dos dragões. Olhando para o Hyun, achou que se tirasse ele, seria uma boa também. Daria essa sorte? Jae tinha vontade de pedir conselhos para ele, mas ao mesmo tempo não queria parecer idiota para o Hyun.

- Aigoo, e agora? - Comentou baixo com os dragões, estava agitado se mexendo na própria cadeira.

Porém seus olhos voltaram-se para as costas da bailarina. Estava chateado com ela ainda, mas isso não o impedia de querer ficar perto. Queria tirar ela no seu grupo. Seria bom saber o que andavam falando dele pra ela, embora não valesse muita coisa, se ela continuasse não acreditando nele.


Enquanto esperava o resultado, Jae-ki ponderava sobre as coisas que MiSoo disse. Ele já tinha pensado o bastante para chegar a uma conclusão, se ela havia mentido sobre ele, poderia ter mentido sobre Eun-bi também. Talvez a garota só estava tentando separá-los. De qualquer forma, Jae achou que seria hipócrita se acreditasse em MiSoo de primeira, já que não queria que Eun-bi fizesse o mesmo. No fim, teria que esperar para ver, assim como esperar o resultado do sorteio.


Wangjo/ Ansioso/Desconfiado

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Park Hyun Hee em Qua Jul 18, 2018 10:23 am

 

Hyun achou graciosa a forma como ela reagia a seu jeito mais atrevido. Não pretendida beijá-la mais do que aquilo na escola, mas o que podia fazer se ela ficava linda de tão perto?


- Ah, não quer? - perguntou com curiosidade e um leve tom de riso, preparando-se para guardar a marmita, distraído, com um sorriso no rosto quando ela começou a se corrigir.

Nem respondeu, porque viu como ela estava se mordendo de ciúmes agindo daquele jeito infantil. Não precisava dizer agora que era só uma brincadeira. Terminou de guardar as coisas e levantou-se com o dosirak enrolado no pano, rindo e lançando olhares contemplativos para ela.

- Tenha uma boa aula. Diga aos engraçadinhos que você já vai comigo - reafirmou, também como forma de assegurá-la e olhou atentamente para ela, antes de se despedirem, gradativamente se afastando dela conforme mais pessoas apareciam, para que não fossem tão ‘atrevidos’ em público.

Hyun Hee voltou à sala de aula com bom humor. Não se sentia parte daquela creche, porque era um aluno de segundo ano. Só estava ali porque seu currículo não era de acordo com as normas da escola. Uma pena.

Sentou-se no fundão de sempre, acenando para Jaeki quando ele entrou e deu um meio sorriso de confiança. Significava que a vida estava ótima - e as coisas estavam saindo bem. Tinha bastante para contar para ele, mas não faria isso no meio da sala. Notou que ele estava um pouco estranho naquele dia, mas não fazia ideia das fofocas de namoro dele, e ele também não sabia que seu status estava atualizado também.

Quando as aulas voltaram, Hyun conseguiu se concentrar de forma mediana. Não era apaixonado pela escola em um geral, mas como estava com remédios em dia e o avô parecia estável (Ele chegou o celular novamente para ver se havia alguma atualização de Han Jae), não havia por que se preocupar e desfocar dos estudos.

Achava experimentos interessantes, e era do tipo que não se importava em testar doses a mais para ver as coisas explodindo. Mal poderia esperar. A ideia das apresentações políticas não parecia uma novidade e, como um herdeiro, sabia que aquele tipo de chatice um dia faria parte de sua vida - e ele tinha que começar a se interessar se quisesse fazer algo contra o tio como prometeu ao avô sem que ele ainda soubesse.

O sorteio foi a única coisa que o aborreceu um pouco. Imagina cair em um grupo cheio de garotas histéricas? Fazer o quê…Olhou Jaeki também, compartilhando daquele desejo mental de que ficassem juntos no time. Seria interessante.

Não achava ruim nem se caísse com o irmão dessa vez. Poderia ser bom. Mas muita proximidade assim talvez estragasse tudo… Enfim, na sua vez ele pegou a bolinha laranja e voltou ao seu lugar, caçando quem era a pessoa que estava com a mesma cor. Achou uma pena que Jaeki tivesse uma da cor preta. Quem era laranja?

Estava atento para capturar a reação de Yewon no momento que ela tirasse a mesma cor que ele, e olharia para cima, como um grande azar. Justo a mais barraqueira? Que problemático…


Humor: estável /--+++

— Ross


Última edição por Hyun Hee em Qua Jul 18, 2018 6:49 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Yeun Misoo em Qua Jul 18, 2018 10:46 am



Misoo chegou na sala tentando evitar as aglomerações dos estudantes. Voltou com um humor atípico e ainda forçou um sorriso para as amigas, mas não foi muito convincente. Estava sem cabeça para isso. Nem queria ficar perto de Jung Mi na cadeira ou ficar com cara emburrada com ele perto, mas era difícil.

Respirou fundo e fez um sinal de “depois conversamos” para as meninas. Pegou o celular para contar, mas já imaginou as milhões de respostas, palpites e “OMMO??” que elas poderiam ter. Não queria palpite de ninguém. E ela ficaria era bem brava se de repente alguém fosse mudar de opinião drasticamente também, que nem ele, depois que ela fez tudo aquilo para agradar.

Passou a aula deletando fotos do celular que já estavam lhe dando raiva. De repente era como se fosse um namoro de verdade. Isso porque ela queria terminar porque não aguentava mais aquele teatro. Como agora agia como se ela e Jung Mi tivessem namorado de fato? Ela não esperava que fosse traumático daquele jeito, porque eles eram amigos. Por que ele ficou tão frio e arrogante de repente? Foi por causa do que ela disse? Foi por causa do momento em que disse? Apagou aquelas besteiras. Ainda bem que tinha doado aquele Stitch e se livrado do boné.

Pena que tinha dado um bonsai para ele. Tomara que ele não resolvesse matá-lo. O bonsai não fez nada! No meio dos pensamentos, não aguentou e mandou para Eunbi.

Bibi

MiSoo
Terminei com o Jung Mi.
MiSoo
Controla a cara de espanto.
Eu cansei.
Acho que ele ficou chateado. Não sei por que, ele já não sabia que isso era de mentira? Depois a gente se fala melhor. Não conta para a Bomi. Eu faço isso depois.


Não sabia qual seria a reação da outra menina, mas achava que ela já estava estressada demais e podia explodir com ela sem motivo, se ela achasse que aquilo era demais para ela lidar no dia. Ainda assim ficava preocupada com as amigas…

Eunbi tinha os problemas com Jaeki, mas achava que ela conseguia lidar com a informação melhor. Falando nisso, era melhor contar para ela da discussão.

Bibi

MiSoo
Quero conversar depois sobre outra coisa também.
MiSoo
Você já está melhor?




Misoo não poderia ignorar mais aquele papo de semana cívica e palestras. Queria ganhar ponto, mas não tanto a ponto de ir a uma palestra para fazer relatório! Tinha conseguido melhorar as notas só de estudar com a vovó, e pensaria em fazer isso mais vezes, sem precisar apelar para ferver os neurônios.

Como se não bastasse o baile, agora tinha a chance de cair com Jung Mi em um sorteio de trabalho. Misoo suspirou. Era complô de alguém jogando esse monte de bomba agora que estava solteira?


Grudou a mão debaixo da carteira, pensando com força:

“Jung Mi não” “Jung Mi não” “Jung Mi não” “Jung Mi não”

QUALQUER UM estava bom, se não conseguisse o milagre de sair com uma amiga.

Foi aí que ela tirou a bolinha de cor azul e viu quem era a outra pessoa com a mesma cor. Era a morte. Misoo chamou a atenção da samigas, balançando a cor azul para elas, praticamente implorando para que tirassem a mesma cor.

Wangjo

— Ross

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
132

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Kim Sun-Hee em Qua Jul 18, 2018 4:28 pm

Sunny concordou com Stella a respeito de Dong, balançando a cabeça para enfatizar isso. Ele era um garoto de modos distintos daqueles que se encontrava nos demais rapazes e também muito inteligente. Ainda achava interessante a ideia de todos marcarem um dia para estudar, mas diante dos diferentes tempos disponíveis de cada um, aquela foi uma possibilidade bastante complicada de acontecer.

Sobre as aulas, respondeu o beicinho de Stella com outro igualmente triste, embora não estivesse chateada. Inserir um novo aprendizado agora seria o mesmo que incentivar uma combustão cerebral. Algo além de todas as capacidades humanamente viáveis. Mal lidava com as responsabilidades atuais.

- Uhum, eu entendo. Não se preocupa, tá? E nãããão... Meu Deus, nas férias, não... Se for para combinar, que seja alguma coisa mais leve e casual. E, oh, é verdade! Nossa, passou tão rápido! Imagino o grau da sua ansiedade, amiga. Vai ganhar duas companhias bastante esperadas – Sunny sorriu, animada por ela - Benjamin e... Peter, né? – assentiu de maneira positiva – Então, sem estudos nesse período e trate de aproveitar a presença do seu amigo. E ter um bebê em casa deve ser tãããão bom. Não consigo pensar em nada mais fofinho do que a risada e o cheirinho de um neném... quando não sujam as fraldas, claro – acrescentou, rindo – Aliás, já aprendeu a trocá-las, Stellinha?

Piscou, implicando, mas tinha certeza que a amiga estava muito feliz.

O baile logo se tornou o assunto principal.

As meninas acharam graça da pergunta e Sunny entrou no clima, suspirando em seguida. Porém, no fim, nenhuma delas participou daquele tipo de evento antes, o que, de início, surpreendeu Sunny, porém Stella e Hye-Won explicaram que apenas os alunos a partir do primeiro ano que podiam frequentar. Não perguntou nada para Lee-Hi porque já tinha conhecimento da resposta. Não. Assim como Sunny, Ha Yi nunca foi também. Uma nova experiência para as quatro – ou cinco, dependendo de Chae. Como o intervalo estava próximo de terminar, o quarteto não prolongou o assunto, por ora.

O uso de máscaras era algo interessante e, talvez, fosse mesmo divertido.

Não custava nada pensar na hipótese...

Mas dependeria das amigas.

Se elas quisessem, não via motivos para não ir e provavelmente isso melhoraria o humor de Lee-Hi. Ficaria de olho nas reações dela e qualquer centelha de animação seria suficiente para fazer Sunny focar no tema.

[...]

A sala não estava completamente cheia quando Sunny chegou junto de Stella. Olhou ao redor, apenas por instinto, antes de seguir até o lugar de sempre, entre Stella e Kim. Sorriu para Joo-Hyuk pouco depois dele aparecer com Bomi. Quando ele se aproximou, não tiveram tempo para conversar, pois o professor de química já começava a aula. Sun-Hee gostava da matéria e tinha facilidade em aprender os nomes difíceis e aplicar as fórmulas. Era uma questão de lógica e memorização. Forçou toda a sua concentração na explicação, o que não era nada complicado graças à maneira que as tarefas se desenvolviam. Sunny ficou instigada com as lições que aconteceriam no laboratório, semana que vem, apesar de – dependendo do conteúdo – preferir a teoria.

Na aula de geografia, todos tiveram uma estranha “surpresa”, que poderia ser boa ou ruim, tudo dependeria da sorte. Sunny fez um biquinho diante da chance de cair num trio com pessoas que não gostavam dela – e ao contrário também. A semana cívica possuía uma importância bem relevante e por integrar o Grêmio, já estava consciente do evento e participaria de qualquer jeito. Mas o Sr. Sang Kang oferecia “incentivos” à turma, tornando quase impossível a ausência na palestra. Sunny suspirou meio resignada com essa história de sorteio.


Quando ele começou a passar de cadeira em cadeira, Sun-Hee bisbilhotava as bolinhas que os outros tiravam da urna. Na sua vez, Sunny enfiou a mão e até mexeu um pouquinho antes de finalmente puxar e...

Amarela.

Com a bolinha apertada entre as mãos ansiosas, Sunny distribuía olhares, procurando aqueles que formariam o trio com ela, ainda torcendo para que a tal “sorte” se comportasse muito direitinho.
WangJo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Seo Hyemin em Qua Jul 18, 2018 8:03 pm



Hyemin sempre “esquecia” aquela cota de bolsistas que precisava expulsar, mas naquele caso era uma questão de “exceção”, que sua matemática não entendia que poderia ser problemática. Queria criar aquela condição porque Eunbi tinha sido muito legal com ela, até dando um abraço amigo muito gostoso e conseguiu ouvi-la e entendê-la em todos os pontos. Fazer um esforço para não incomodar Jaeki primeiro seria o mínimo. Mas era só isso. Se ele aprontasse com ela…

Enfim, a flor virou palco de seus sonhos de Baile de Primavera e os amigos riram e se empolgaram com aquilo. Ali ela voltou a sentir-se querida, até o humor estava como se nunca tivesse pensado na bolsista ou em Joo Hyuk na vida. Isso porque era uma máscara social que usava para tocar a vida, para curtir as pessoas que gostavam dela. Era como se nunca tivesse se afogado. Porém, o jeito cruel que Joo Hyuk a deixou na infância foi perigosamente perto do pior evento que tinha acontecido em sua vida e ela não tinha superado. Sua mãe e seu primeiro amor inocente. Tudo isso de uma vez só? As marcas eram difíceis de cicatrizar e ela nunca tinha substituído nenhum dos dois. Era o tipo de coisa que só havia um na vida. Por mais que pudessem surgir madrastras e novos amores, aqueles dois eram os originais e primeiras experiências ficavam.

Sentia-se mal de reconhecer esse sentimento às vezes e por isso mesmo nunca o trazia para o grupo, porque nenhum deles poderia entender essa dor. Só Yerin, mas ambas tinham uma na outra um grande apoio, mas mesmo assim nunca poderiam substituir aqueles que se foram. Infelizmente, para Hyemin, essa partida foi uma escolha, o que doía mais ainda. Enfim, não queria ser injusta com os amigos queridos que tinha no coração.

Enquanto esse tipo de sensação só rolava no inconsciente, a menina ficou empolgada com os incentivos de seus amigos. Ficou muito surpresa com as sugestões.

 - Eu??? Escrever?? Mas eu sou tão ruim escrevendo...  - coçou o rosto. Da última vez fez um plágio de Moana e o professor foi rápido em entender.  - Awww, Bombom, você é fofo! Verdade, você desenharia para mim?? Ahh~~ Então a Pikapi pode revisar meus textos! Eu posso começar a escrever sobre princesas!!! Vou transformar cada uma de vocês em princesas. Bombom vai ser um unicórnio - começou a tagarelar sobre a escrita. Era muito insegura sobre suas habilidades naquele ramo, mas foi facilmente pilhada por eles. Dificilmente pararia para executar a ideia, mas falar sobre ela e imaginar histórias durante as aulas seria sua especialidade.

Hyemin deixou o hibisco em cima da mesa, decorando a pontinha do estojo. Suspirou observando-o, imaginando sua história como a de uma princesa do hibisco, que encontrava um príncipe por causa daquela flor.

Foi uma briga difícil entre o hibisco e o professor para chamar sua atenção naquele dia. Ela gostava da aula de química agora que sabia que o professor era bem legal, mas quando as ideias afloravam, ela ficava muito dispersa e só conseguia prender a atenção mesmo quando via exemplos e desenhos. Nos outros dias, aquela aula até era mais produtiva, mas a florzinha estava chamando tanto…
Adorava a ideia de laboratório, porque cada vez mais a matéria parecia com uma cozinha e a menina podia não saber os nomes técnicos das coisas, mas fazia comparações de elementos químicos com ingredientes e gostava de fazer desenhos de comidas ao lado das estruturas, para ajudar a lembrar. Era uma boa aluna de química e biologia, afinal, apesar de se considerar burra em tudo, porque não achava que seu método era acadêmico. Ela tinha um meio próprio de entender aquelas matérias, mas se abria a boca para explicar algo, ela falaria sempre por metáforas, nunca sobre os nomes corretos químicos, porém o professor seria capaz de entender.

Por fim, suas histórias ganharam mais força quando Química acabou. Era quase impossível prestar atenção naquela outra aula na qual ainda por cima mais uma vez trouxeram aquele papo da chatice crítica, ou melhor, semana cívica, e ela quis morrer com aquela ideia de que iriam ganhar ponto com relatório. Debruçou-se na cadeira para cochichar com Hayoung.

- Ei… Hayoun-ah. Se você for nessa palestra, você ligaria de fazer dois relatórios? Por favorziiiinho  - fez um charminho aegyo.


Seria sua salvação! Quando achou que os problemas estavam acabando, o professor anunciou os trabalhos em grupos por sorte.

- Mwo?? Ottoke… Rin, eu não queeero - segurou o braço da amiga, choramingando.


Que tragédia ter que fazer algum trabalho fora de seu círculo de amizades!!! Ainda mais uma maquete, isso levaria muito tempo para fazer e a maior parte dele teria que ser em grupo. Que tristeza.  Com toda sua força mental de fã de Harry Potter, ela torceu para cair na mesma “casa” de sua melhor amiga, fazendo um gesto por cima da caixa como se fosse mágica e conseguisse fazer sai de lá de dentro uma cor favorável para ela


Branco. Quem tinha bolinha branca? Olhou principalmente na direção do grupos dos nerds. Qual era a cor do casal de amiguinhos mais chato da escola? Ufa. Sunny era amarelo. E o orelhudo ridículo? Logo reparou que o outro dono da bolinha branca era Uijin, e achou a coincidência engraçada. Não ficou animada, mas mesmo assim acenou para ele, um pouco sem jeito, porque preferiria que fosse um de seus amigos ali.

Wangjo |{LOOK: Tiara | Sapatos }

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Dong Hee Kyung em Qua Jul 18, 2018 11:18 pm



Cada Dong tomou o seu rumo depois da conversa e ao chegarem no refetório, chegaram a atrair alguns olhares. A feição da prima estava mesmo mudada mas a de Hee Kyung continuava a mesma, despreocupada. Seu escudo mental era forte e conseguia filtrar muita coisa do que ela havia dito naquela sessão da varanda.

Mas nem tudo foi barrado no escudo intelectual, aquela ultima frase sobre padrão da família e sobre gostar de Stella. No alto da sua modéstia não se via como alguém chamativo e interessante o bastante para atrair uma garota tão bonita dessas, por mais que o fato de ser mestiça lhe tornasse meno desejada pelos mais frescos coreanos.

Minto, frescos não, tradicionalistas, vamos colocar assim.

O garoto estava indo em direção a mesa já podendo enxergar pela lentes as nova figuras presentes, antes de se sentar, deixou a latinha de café fazia numa lixeira e foi se enturmando no assunto.

Nem muito falante, nem muito sorridente. Os amigos dificilmente perceberiam mudanças radicais na feição, visto que Dong estava focado com o projeto deles, então era de se esperar que sua mente estava "trabalhando em segundo plano".

Comentou sobre os jogos recorrentes mesmo não estando completamente inteirado no circuito por que perdeu um tempo estudando, de verdade.

Pelo menos andou sabendo sobre novas splash arts de personagens que ele gostou muito e acabou dizendo que estava ansioso para ver como ficariam num cosplay... fora que estava empolgado em saber que o irmão de Kang estava arrasando na colocação, mas não tanto quanto uma certa viciada logo ali perto...

A rádio começa a tocar penetrando na mente focada do garoto, aquela voz inconfundivel de locutor, junto de outra extremamente agradável aos ouvidos.

Hee Kyung cumprimenta Won com outro aceno mostrando o polegar esquerdo, o saudando mesmo que não soubesse a resposta para sua questão.

A presença também não durou muito, Hee Kyung logo depois vai para a sala de aula, achando sua cadeira rapidamente, geralmente era um dos primeiros a chegar mas não foi bem assim dessa vez.

Ele queria saber o que Ha Neul achava daquele tal Baile, mas acabou que não fez a pergunta, em meio aos pensamentos que estava imerso.

Falava mais por gestos do que palavras, vez ou outra tocando na ponta do queixo com os dedos ou alisando o topo da testa. A parte em que o professor Sang fala sobre o laboratório era a melhor noticia que ele teria no dia, provavelmente...

Com a noticia do debate e dos provaveis pontos extras, Hee Kyung tocou na lateral dos óculos e suas lentes quase reluziram nesse instante.

Seus amigos se olhassem entenderia com clareza o que isso significava. O "suborno" seria muito bem aceito por ele.

Foi quando a palavra sorte apareceu e toda a pose intelectual de Dong ruiu, se Ui Jin suava frio, o amigo miope quase tirou os oculos e massageou o rosto com os dedos.

A questão dos pais podendo aparecer, já era subjetiva, afinal só gente importante mandava os filhos para essa escola, Hee Kyung já começava a imaginar o nivel das pessoas que viriam ali...

Na escolha da cor, tirou a vermelha, que por sinal, era a cor que adorava. A mesma usada nos uniformes de muitos heróis que apreciava em suas leituras em quadrinhos estrangeiros.

Seria um sinal de boa sorte?

Refeitório - Sala de Aula das cores coloridas

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
112

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por The Crown RPG em Qui Jul 19, 2018 12:55 am

WANGJO. 10 DE JUNHO. 10:25 - 12 P.M.


Os ânimos estavam bem divididos na sala de aula quando os alunos retornaram do intervalo. Parecia uma típica segunda-feira, mas cada um tinha seus motivos para demonstrar expressões mais sérias ou mais leves.

Woo Jin estava refletindo sobre as palavras de Won. Realmente achou um pouco exagerado o ultimato do amigo, mas a verdade é que Misoo também não foi muito gentil em suas palavras. Como o mais “ponderado” dos Dragões - quando não agia como bobo - Kang recomendava cautela para discutir aquele tema. Odiaria se eles terminassem brigando porque falaram com Jae Ki num momento mais acalorado. O almoço certamente seria o melhor momento e, considerando que sairiam da escola depois para procurar emprego, eles teriam boa parte da tarde para conversar mesmo.

Na sala de aula, encontraram Eun Bi lá dentro. A menina estava com o caderno aberto, mas apenas colocava a data do dia. Estava com uma expressão distante e distraída, mas não demorou a encaixar o celular no estojo para que pudesse conversar com as amigas durante a aula.

Dong e seus amigos entraram em seguida. Os meninos geralmente chegavam primeiro e ficaram um pouco “surpresos” com o fato de não ter sido o caso dessa vez. Eun Bi mantinha a cabeça abaixada, focada demais em escrever a data de hoje.

Quando Jae Ki entrou na sala, ela o olhou brevemente. A franja estava um pouco de lado e a menina parecia séria, mas não irritada com ele. Misoo não estava ali, então, provavelmente ela não conhecia a história ainda. Acompanhou o garoto durante um tempo, mas não virou a cabeça para vê-lo sentar. Ao invés disso, foi até o perfil do kakao dele, olhando a foto. Fechou a tela quando as amigas chegaram.

Bomi parecia bem. Ela amava se comunicar - fosse nos blogs, na radio, apresentando trabalho ou escrevendo. Era muito boa nisso, por isso não era difícil entender sua popularidade. A voz e o sorriso dela eram cativante, mas ela também era toda bonita - algo incômodo para meninas mais tímidas ou inseguras. Eun Bi percebeu que ela se esforçou ao máximo para não olhar para trás, ignorando o fundão e sentou-se no lugar que Bibi guardou pra ela.

O sorriso sumiu diante da expressão da amigas, mas as duas ficaram realmente preocupadas quando Misoo chegou. Não precisava dizer nada, as duas leram muito bem a expressão da tenista. Tentaram chegar mais perto, mas ela queria um pouco de distância e respiro. Preferiram ficar quieta, então, voltando a atenção para o vai-e-vem de alunos.

O grupo de Hyemin e Yerin não demorou a chegar também. As meninas pareciam bem e quando usavam rosa, pareciam uns amores - até mesmo Yerin, embora ela não sorrisse. Encontraram o lugar de sempre e, dessa vez, Yewon também tomou seu posto. Não entendeu nada sobre histórias e desenhos, mas chegou a elogiar o hibisco.

Estava de muito bom humor.

Assim como Hyun Hee. O garoto sempre parecia fora do contexto quando entrava naquela “creche”. Soturno e reservado, ele escolhia a ultima fileira, na cadeira proxima à janela. Dali, ele olhava todos eles e conversava com a única pessoa que ele tinha criado algum tipo de vinculo na sala: Jae Ki.

O hyeong/oppa ainda era um mistério para muitos, mas ninguém se atrevia a se meter com ele. Apesar dele ser obrigado a ficar com os mais novos, ele ainda tinha a blindagem da hierarquia. Não era uma questão de rico ou pobre, era questão de idade e todos respeitavam, mesmo que a diferença fosse apenas de um ano.

Depois que ele chegou, Sunny também entrou com Stella. A canadense ainda estava pensando na história de fraldas. Claro que estava treinando e que ajudaria a mãe. Sentiu um pouco de ciúmes no inicio, mas agora estava completamente apaixonada com a ideia. Ela mesma tinha comprado a roupinha para quando Ben saísse da maternidade.

O professor de química entrou pontualmente na sala de aula e começou com a chamada. Todos estavam presentes e a aula começou a puxar a atenção deles. Pelo menos de quase todos.

Em determinado momento, perto do fim da aula, Eun Bi recebeu aquela mensagem de Misoo. Antes que a segunda viesse, ela lançou um sonoro.

- OMMO!?!? - Até quicou na mesa, mas logo arregalou os olhos e fez um - Aishh, choquinho, choquinho.

Começou a massagear a cotovelo e levantou-se, pedindo perdão pelo grito. Reverenciou várias vezes até que o professor dissesse que estava tudo bem. Escondeu a cara com o cabelo e ficou relendo a mensagem. Era impossivel mudar a cara, mas ela continuava fazendo massagem no cotovelo como se tivesse levado um choque da carteira - não estava muito longe da verdade.

Concordou em conversar com a amiga depois, mas estava se roendo de curiosidade em saber o que tinha acontecido - tanto para o término quanto a conversa. Aliás, achou que Misoo estava triste demais para quem tinha terminado um namoro falso. Será que, em algum momento, ela tinha passado a gostar de Jung Mi?

Sentiu o peito doer pela amiga.

A aula de química acabou e o professor Sang Kang parecia mais animado. Certamente aprontaria alguma coisa. A história da palestra trouxe alguns sussurros. Hayoung olhou para Hyemin com o chamado. Diante do pedido dela, deu um sorrisinho, mas para a surpresa, disse.

- Não tenho certeza se virei. Tenho aulas à tarde… - Não estava nem um pouco afim de participar daquilo e tampouco fazia questão do meio ponto.

Pelo menos até olhar na direção do primo. Quando viu que ele mexia nos óculos, ela mudou de ideia, mas não comentou com Hyemin. O foco dela não era bem o relatório, mas sim competir com aquele insuportável.

O suborno de meio ponto foi apenas a premissa da peça que o professor gostaria de aprontar com seus alunos. Os rostos de desesperos por conta da “sorte” apenas comprovava o que ele tinha dito sobre as divisões. Eles estavam desesperados porque realmente se odiavam. Depois da última reunião, onde o diretor pareceu muito preocupado com essa disparidade, o professor de geografia tinha prometido que faria sua parte. Estava ali, cumprindo sua promessa e não parecia nem minimamente chateado com isso. Começou  a transitar pelas fileiras, permitindo que os alunos pegassem suas cores. O inicio foi pela fileira da janela, indo de Nayeon até Hyun, depois voltando de Jae Ki até Hyo Shin. O último seria Ui Jin.

Os alunos foram tirando suas cores: Neyeon e Ye Sol pegaram rosa logo de cara, quase fechando o grupo. O professor sacudiu mais e sorriu para Hyemin. A herdeira pegou BRANCO. Mi Ran pegou azul claro, mas não ficou exibindo - a fileira de Misoo nao conseguiu ver à principio. Hyun pegou LARANJA. Na vez de Jae Ki, a bolinha PRETA saiu e, com isso, eles infelizmente não fariam parte do mesmo grupo. Na vez de Eun Na, ela pegou uma cor que a fez revirar os olhos porque não gostava do tom.

Na vez de Yerin, Hyemin até brincou de fazer mágica, mas a cor dela não seria uma surpresa para ninguém.  Exibiu apenas para a amiga, à principio. Ye Ji pegou o verde e, de certo modo, Ye Sol ficou grata por isso.

Hyo Shin pegou rosa também, fechando o primeiro trio. Eles estavam livres, leves e animados por isso. Sejeong fez um beicinho, mas não se incomodou com a cor que pegou vermelho. Continuou encarando a rodada.

Beom Su pegou preto também e pareceu satisfeito com a cor por cair bem com ele, mas quando olhou para trás e viu que Jae Ki também tinha pego a cor, fez uma cara de puro desespero. Yerin arqueou uma das sobrancelhas para a reação dele, ainda com aquela cara indiferente porque nem ao menos quis olhar para trás.

Na vez de Hayoung, saiu o azul marinho . Era distante de todos os seus amigos e isso a deixou tensa. Não queria cair no grupo de Hee Kyung, muito menos com Stella.Yewon pegou laranja também e quando buscou pelo par, a carinha de brava se desfez para uma surpresa. Logo com Hyun Hee-oppa?! Reverenciou umas duas vezes e se perguntou se aquilo não era um sinal.

Won Bin pegou VERDE e, mais do que imeditamente, Ye Ji sorriu para ele, mostrando que era a cor dela. Afiada, Bomi não deixou essa escapar, mas se fez de desentendida. Kang pegou amarelo e lamentou por não estar com os dragões. Esticou o pescoço, tentando olhar para seu par, mas não encontrou de primeira. Gyu Sik pegou e não revelou para a turma, guardando para si.

Bomi pegou roxo, uma bolinha bem diferente, mas ela adorava a cor também. Com sorte, suas amigas também pegariam essa cor! Na vez de Joo Hyuk, ele travou quando identificou a cor e não quis mostrar de jeito nenhum. Sunny veria a tensão no olhar dele, mas ele se recusava a falar.

Min Ho pegou roxo como Bomi. Ela ficou chateada por não ser suas amigas, mas sorriu para ele, fazendo um “fighting”. Min Ho ajeitou os óculos, pelo menos ela sabia se comunicar bem e era legal.

Dong pegou VERMELHO e já sabia quem seria sua dupla: Sejeong, a menina bicuda do grupo de xadrez. Ela o encarou, analisando, mas pareceu uma boa opção. Sunny pegou AMARELO e, na mesma hora, Woo Jin cutucou Won, mostrando que faria grupo com a menina. Caso ela o encarasse, também sorriria, mostrando a cor. Misoo pegou AZUL CLARO e, do outro lado da sala, Mi Ran revirou os olhos. Eun Bi ficou bem irritada e olhou com desespero para sua amiga.

Ottoke?!?!

Jung Mi pegou a cor dele - ainda estava atrás de Misoo, mas foi falta de opção de lugares. Fechou os olhos, escondendo a cor em sua mão. Taemin tirou azul marinho, ficando no grupo de Hayoung. Ji Ran também repetiu a cor do amigo. Ryu Ji tirou roxo, ficando no grupo de Bomi e Min Ho. Os dois trocaram um discreto sorriso.

Eun Bi fez um beicinho para a cor dela, mas não foi ruim. Stella corou com a cor que tirou, olhando na direção de seu trio e Ui Jin também ficou surpreso por ser do time de Hyemin.

- Muito bem!! Cores tiradas, vamos à tabela. Amarelo ficará responsável pela maquete de Gwanju, mas pode contextualizar com Jeolla do Sul. Azul Claro, vocês farão Daegu. Branco, Ilha de Jeju. Laranja, Busan. Preto, Incheon. Verde, Ulsan.  Vermelho, Daejeon.

Roxo ficaria com Seul, Azul Marinho com Sejong e Rosa com Gangwon.

- Vocês podem se agrupar com seus trios para conversarem nesses últimos dez minutinhos…

Todos começaram a se acomodar e os trios formados...Não podiam ser mais interessantes.

não rolou hover:
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Won-Bin em Qui Jul 19, 2018 1:47 am



Mesmo que não concordasse por completo com a opinião de Won os dois sabiam que tinham de ser prudentes ao conversar sobre o assunto com Jae Ki.

Acima de tudo ia tentar alcançar uma opção pacifista, não causar mais brigas entre eles. Se isso fosse possível. Confiava que Kang também teria a mesma postura.

Aquela sensação esquisita de ficar evitando Bomi, enquanto Won também percebia que ela evitava olhar para ele, só ficava mais estranha. Tinha levado a mente pra própria aula para não sofrer do mal de olhar para as costas dela.
Em alguns momentos se sentia arrependido de terem ido pro fundão, se estivessem na fileira da frente como no primeiro dia não teria de olhar pra ela.

O mundo Wangjo parecia funcionar como sempre, os grupos e seus humores variados e até uma Eun-Bi que parecia agitada com algo. Mal esperava que o último professor do dia jogaria uma bomba nuclear na sala.

Um sorteio. Por que justo um sorteio!? Não podia formar seu trio com os dragões e se reunirem na casa dele pra comer tteokbokki e fazer um bom trabalho?

Won iria tirar sua cor e torcia para que todas as forças da sorte trabalhassem ao seu favor. Tinham pelo menos uns quatro que não queria fazer trabalho junto por tudo que fosse mais sagrado. O coração até batia um pouco mais forte.

Jae Ki tirava uma cor diferente. Ok, talvez o Kang ainda pudesse...não! Não! Isso não tava parecendo que ia ser bom. Não mesmo!

Ye Ji sorria do outro lado da sala mostrando a cor dela.

VERDE!

"Aahhh ufa, agora é só o terceiro não ser nenhum deles. A Ye Ji vai mandar bem e...ufa, roxo da Bomi. Eu não vou ter de fazer trabalho com ela"

Respirava numa mistura de alívio e...decepção? Não sabia dizer, mas tinha uma pontada de esperança de que a sorte trabalhasse de forma reversa com ele e talvez algumas coisas pudessem mudar.
Tolice, Won sabia que era idiota pensar assim.

Won assentiu positivamente para Kang quando ele indicou que iria fazer com a Sunny. Nada mal, não teria problemas...espera-se pelo menos.

Faltava só saber o terceiro, talvez a sorte estivesse voltando ao dragão verde.

Mas aí viu a cor roxa mais uma vez ali.

Won nunca odiou tanto uma cor na sua vida.

"AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH" gritou em pensamento, se fosse um dragão de verdade chamas sairiam de suas narinas. Kang logo perceberia porque o amigo de repente ficou tenso e baixou a cabeça para o caderno.

"Aish...por que eu to impressionado!? Até o destino conspira pelos dois, não é?" todos aqueles sentimentos negativos voltavam batendo feito uma marreta. Won se concentrou pra não mergulhar no abismo de tristeza, raiva e ciúmes que tinha se tornado seu peito.

Respirou, controlou sua expressão e olhou pra frente.

"Eu sou Hwang Won Bin. Eu sou o protagonista da minha história. E eu não sou um vilão de dorama. Dane-se os dois, dane-se" meio que criou um mantra na cabeça. Se concentrou e conseguiu não explodir de raiva ali.

Viu que a terceira bolinha verde era de Eun-Bi. Na verdade o terceiro elemento pouca importava diante da informação que tinha de digerir.

O último momento da aula era pra se reunir com seu grupo. Colocou cada mão no ombro de Kang e Jae Ki: era sua forma de dizer "fighting". Era um novo desafio, os dragões tinham de se virar individualmente nessa tarefa.

Cumprimentou Ye Ji mais uma vez se sentando próximo dela pra conversa sobre o trabalho.

-Ulsan? Não é a cidade onde tem um monte de fábricas? - comentou sobre o trabalho mesmo para que pudesse clarear a mente e distrair o olhar sobre o grupo da bolinha roxa.

Eun-Bi também se aproximaria provavelmente. Talvez um pouco tensa por conta da discussão no intervalo mas imaginava que não teria climão com ela.
Mas será que ela e Ye Ji se davam bem? Ia descobrir agora.

-Maquete, isso me lembra o fundamental. Hmmm, ou aqui na Wangjo isso é diferente? - perguntou meio casualmente. Queria achar um assunto, qualquer um.

Desviar a atenção do outro grupo seria bem complicado.

Nuclear em Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Jae-ki em Qui Jul 19, 2018 9:53 am


Quando Eun-bi deu aquele grito na sala, Jae-ki até esticou o pescoço pra ver o que era, mas não parecia nada demais quando ela se desculpou dizendo que era "choquinho". Depois voltou a prestar atenção a aula. Embora suspirava algumas vezes.

Jae viu a bolinha laranja do Hyun, porém quando pegou a preta ficou meio desanimado ao ver que não faria com o hyeong. Ele ficou esticando o pescoço e se mexendo na cadeira para ver o resultado dos outros, principalmente da Eun-bi.  Quando viu que Beom Su pegou o preto, Jae fez uma careta de desanimo. "Jiral, vou ter que fazer com esse  esquisito..." Ter que aguentar ricos mimados não seria uma tarefa fácil. Faltava ver quem era o seu terceiro.

- Mwo? Eu nunca falei com esse cara. - Disse fazendo uma outra careta engraçada, estava pegando as manias do dragão Kang.


Viu que o amigo pegou verde e isso o fez suspirar, até Kang tinha pego diferente. O dragões estavam sendo separados, isso era perigoso. Também não queria que eles ficassem com alguém ruim tipo o Taemin. O cretino podia dar uma surra neles. Jae viu que Sunny tirou a mesma cor de Kang, isso era bom ao seus olhos.

Claro que Jae-ki prestou atenção para a cor que Taemin tirou, e quando viu a de Eun-bi, suspirou aliviado relaxando sobre a cadeira. Eun-bi com Won não era má ideia. Confiava no amigo, Won que ia ter um pouco de trabalho, Jae sabia como era difícil prender a atenção da bailarina nos estudos.

Porém quando olhou para o amigo e para o resultado de Bo-mi, Jae sentiu o azar de Won. Um dragão havia sido abatido.

- É cara... - Comentou meio sem saber o que dizer.

De qualquer forma, não acreditava que mesmo mudando o trio de Bo-mi as coisas poderiam mudar. Acabou se distraindo em não procurar quem era o seu terceiro.

- Pelo menos não tiramos o isekya... - Disse em voz baixa pro professor não o chamar atenção.

Depois que Won se levantou, Jae-ki comentou com os amigos, primeiro com Hyun:


- Não foi tão ruim...

Em seguida virou pra Kang e falou em voz baixa com uma expressão preocupada:

- Cara e o Won? Aish...  Pelo menos não estamos tão mal...   - Disse em referência ao Taemin - Eu vou ver meu trio... Fazer com esses mimados não vai ser muito fácil...

Jae-ki ficou triste por Won, mas estava bastante aliviado com o resultado da bailarina e dos amigos. Taemin não tinha ficado com ninguém importante pra ele, nem com a garota que gostava, nem com os amigos e nem com Sunny. Ninguém corria perigo na sua mente, embora claro que gostaria de ficar com a bailarina. Se levantou da sua cadeira do seu jeitão descolado e saiu andando até o Beom Su, olhando atento para quem tinha tirado a outra bolinha preta. Jae segurava a sua enquanto se aproximava do garoto esquisito, jogou a bolinha para cima e a pegou de volta só pra fazer graça. Quando passou perto de Yerin seu olhos arregalaram ao ver o resultado dela.


- Mwo? Yerin?

Mostrou a bolinha preta pra ela como se tivesse conferindo se era isso mesmo ou se seus olhos lhe pregaram uma peça. Ia ter que fazer trabalho logo com essa garota que o ameaçava. Respirou fundo. "Tudo bem... Não tenho medo de cara feia"

- E aí? - Cumprimentou eles meio sem ânimo - Beom su...

Era a primeira vez que Jae-ki falava com Beom Su, ele se aproximou do trio para conversarem sobre o trabalho. Jae foi logo falando, era prático e queria resolver isso rápido.

- Vocês escolhem o lugar, depois só me avisar, valeu? E só...

Coçou a cabeça, não era piolho, mas ás vezes coçava quando pensava e estava nervoso:

- Só não marquem no horário do meu trabalho. Não precisam me adicionar no kakao, é só avisar onde que eu vou tá lá.

Jae-ki estava com o semblante sério, só queria fazer o trabalho o mais rápido possível e falando o menos possível com esses dois. Falava do trabalho porque apesar de ter sido despedido, teria que procurar por um ou fazer bicos na pior das hipóteses.

Ainda tinha a questão de que não poderia comprar o material para a maquete, mas avisaria isso depois para eles. Já podia imaginar a cara torta que fariam, mas Jae já tinha um plano. Se ofereceria para fazer uma parte maior em troca disso.

Wangjo/ Aliviado/ Desanimado

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Seo Hyemin em Qui Jul 19, 2018 2:18 pm



Eunbi foi um dos motivos que fizeram Hyemin voltar a prestar atenção na aula por alguns minutos. A menina deu um sorrisinho em seu lugar. Sentia que estava mais próxima da bailarina. As duas tinham bastante em comum. Quem diria que ela carregava um grande segredo seu, que nem Yerin sabia?

Outra surpresa foi a recusa de Hayoung. Hyemin até olhou surpresa. Nunca tinha ouvido um “não” antes. Ela parecia tão mudada… O que será que tinha acontecido naquele castigo para que ela ficasse tão séria de repente? Fez um biquinho.

- Mwo? Jinjja?  - lamentou, suspirando. - Tudo bem....  - comentou voltando a olhar para frente com uma cara preocupada. Se não fosse ela a fazer o trabalho, quem seria? Precisava urgentemente de alguém para fazer aquele relatório para ela…

Mas quem? Estava disposta até mesmo a pagar por isso. Que pena que ninguém ali aceitaria dinheiro para algo assim, não é? Travou no lugar, virando o rosto bem devagar para checar a sala. Talvez… Um bolsista? Pensou em Jaeki. NÃO. E então em Sunny. NUNCA. Mas, quem sabe, outro? Espiou a mesa de Won Bin e Kang. Um sorrisinho se formou ali. Quem sabe? Balançou a cabeça. Sua função era destruí-los, não deixá-los ricos!! Fez um muxoxo, incapaz de resolver seu problema por ora.

[...]

A caixa dos grupos começou a circular e Hyemin foi ficando tensa com aquilo. Fez sua “magia” para pegar a mesma cor de Yerin, mas a sorte não estava a seu lado naquele dia (ou será que sim?). Olhou para trás, descaradamente acompanhando as seleções.  Primeiro fez um biquinho de lamento para Hayoung. Menos uma.

Hyun, que medo. Jaeki não. Jaeki não!!!  Jaeki estava com a cor preta. UFA.  UFA?  Não ia ficar com Nana também?  Caprichou na brincadeira da caixa para tentar fazer com que Yerin ficasse em seu time, mas nada! Até nisso as duas estavam ligadas: branco e preto. Luz e sombras

- Mwo??? Ahh...  - fez um beicinho triste quando viu a bolinha preta de Yerin. Acabou dando um sorriso agridoce, porque afinal… - Só podia ser a sua cor mesmo…    - comentou com carinho, mas aí percebeu quem era do grupo dela. - Você tirou o marginal  - comentou em cochichos com ela. - Aigoo…. - choramingou, lamentando por ela.  

A trégua não queria dizer que não o xingaria em seu círculo das amizades ou longe dos ouvidos de Eunbi. Se essa tragédia continuasse, quem mais poderia cair em seu time? Ela ficou secando a área dos nerds. Tudo que não queria era ficar no mesmo grupo que a passarinha. Era tudo que não podia acontecer. Os grupos foram se formando sem que ela prestasse muita atenção mais, porque seu foco estava ali. Prendeu a respiração quando foi a vez de Joo Hyuk e ficou esticando o pescoço, querendo saber que raios de cor ele tinha tirado. Não conseguiu ver. Qual foi?


As escolhas continuaram e ela ficou preocupada novamente com a cor de Sunny. Qualquer um menos ela!! Suspirou aliviada quando viu que a cor da garota era amarela. Achou muito estranho que sua cor não aparecia para ninguém, até que chegou em UiJin e acenou para ele.

Ué… Onde estava seu grupo? Voltou o olhar pelas pessoas e viu.

Não!

Não era possível!

A garota fez um som alto de surpresa, conforme a ficha caía e o ar foi puxado com força.


Por que o professor a odiava tanto????  Por que o MUNDO a odiava tanto? Cobriu o rosto, mexeu no cabelo. Tudo que não queria acontecendo. Trocou um olhar com Joo Hyuk, ainda embasbacada com o fato de que seriam um trio. Por quê???

POR QUÊ???

Demorou algum tempo para a ideia cair completamente.A informação de que fariam a ilha de Jeju percorreu lenta em sua cabeça. Seria lindo, se não tivesse a pior pessoa em seu trio. Ela teria planejado uma viagem com os colegas e tudo o mais, mas do jeito que tinha saído…

Quando reparou que estava olhando o garoto, ela fez uma careta naquela direção, antes de se virar para o professor.



- Ah, não… seonsaengnim!!  - choramingou e começou a fazer sonzinhos baixos de criança. - Isso nem é justo, eu quero trocar… -ficou resmungando e choramingando, sem ousar protestar de verdade. - Ottoke…


Só as pessoas ali perto dela é que ouviriam os lamúrios da menina que ficaria falando rápido sozinha, olhando para a própria carteira. A vida era tão injusta para uma herdeira!!

- Eu não quero fazer trabalho com esse idiota. Ele vai estragar tudo. Ele fica se achando inteligente, mas é tão burro quanto eu. Eu não acredito que caí nesse grupo, aigooo.

Ela se recusava terminantemente a sair de seu lugar para conversar com seu grupo! A menina fechou a cara de vez e ficou com os cotovelos presos na mesa, emburrada.


Wangjo |{LOOK: Tiara | Sapatos }

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Park Hyun Hee em Qui Jul 19, 2018 4:06 pm

 
Algumas pessoas estavam bem desesperadas por causa das escolhas de grupos. Hyun estava achando engraçado olhar aquele alvoroço. Diferentemente dos demais, ele não tinha problemas com a turma. Ou melhor dizendo: tinha problema com todos, e todos simplesmente o respeitavam ou ignoravam. Por isso, não estava tão aflito quanto o resto para pegar sua bolinha.

Só queria, mesmo, ter Jaeki no grupo, e, de repente, seu irmão. Achou uma pena quando o primeiro foi parar no grupo de Yerin e segurou a risada. Sabia de antemão que ele teria problemas. Mudou um pouco de opinião quando a barraqueira entrou para o grupo. Só queria que não virasse um palco de guerra a terceira opção e seu pedido virou um tipo de maldição leve, porque enquanto estava feliz por estar com Jung Mi no time, não estava tanto porque Yewon era aquela que brigava por ele.

Deu um sorriso leve na direção, de Yewon, enquanto ela fazia reverências, pensando que era engraçado como ela se comportava daquele jeito com ele provavelmente por causa de Jung Mi. Já para seu irmão, teria feito algo, se ao menos ele virasse para trás. Ficou olhando para as costas dele esperando uma reação, que não veio. Em vez disso, era Jaeki que falava com ele.

- Boa sorte... - respondeu com um sorriso misterioso. O menino dizia que não tinha sido tão ruim, mas ele parecia muito otimista em relação ao próprio grupo. Se ele bem podia prever...
Fez um gesto para ele e saiu de seu lugar.

Bem, talvez estivesse acontecendo aquilo que temia: a ultraexposição. Ficar no mesmo grupo poderia estreitar demais a convivência e piorar o que tinham conseguido ajustar com tanto esforço e tão pouquinho. Suspirou.

Busan era um tema difícil, de certa forma, porque ele e os pais passearam muitas vezes por aquelas praias. Esperava que isso não virasse um problema, mas para ele já começava a trazer flashes saudosos.

Deu um sinal com o olhar para Yewon, levantando-se e caminhou até Jung Mi.

- Jung Mi. Parece que estamos no mesmo grupo… - falou de forma amistosa e olhou para o lado, enquanto esperava a menina chegar perto. - E ela também... - comentou mais baixo. - Eu cuido disso - prometeu.

Quando a garota se aproximou, ele agiu como mais velho e não reverenciou, mas sorriu simpático. Estava na hora de exercer sua liderança.

- Então, Busan, certo? Antes de tudo seria interessante conhecer as habilidades de cada um e separar as tarefas. Eu sou do clube de mecânica, então consigo mexer em toda a estrutura da maquete. Posso ficar responsável por arrumar a base e mexer com o que tiver de arames e coisas assim. Jung Mi certamente é o melhor aluno entre nós, então poderia ficar com a pesquisa geográfica. E a senhorita… - tentou lembrar de que clubes a menina fazia parte, mas nada lhe vinha em mente. Na verdade não sabia no que ela era boa além de ser bonita.

Humor: estável /--+++

— Ross


Última edição por Hyun Hee em Qui Jul 19, 2018 4:51 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Yeun Misoo em Qui Jul 19, 2018 4:48 pm



Misoo não estava no melhor dia para ficar tão preocupada com aquelas bolinhas, mas acabou que ficou balançando em vão a cor azul, mesmo quando viu que suas amigas estavam em outros grupos. Acompanhou o olhar de Eunbi alarmado por causa de MiRan e suspirou pesadamente. Logo a amiga da louca. Pelo menos Yewon não estaria ali para incomodá-la. Já pensou se estivesse no grupo dela E de Jung Mi?

- É hoje...


Fez um gesto de “fighting” para as amigas, depois fez um biquinho para elas, lamentando não estarem juntos.

Além deles não tinha problema com ninguém mais. Quer dizer…

Assim que descobriu qual era seu trio, ficou surpresa, mas não infeliz. Certo, MiRan não era uma boa notícia em lugar nenhum, mas pelo menos tinha um rosto conhecido, certo? Ela não tinha por que ter medo de fazer trabalho com Gyu, porque quem estava de cara feia para ela era ele, não ela. E de certa forma sentia que tinha resolvido sua dívida com ele. Não estava mais namorando de mentira, então ele podia ficar feliz, certo?

Quando chegou a hora de se juntarem, Misoo tomou a iniciativa de se levantar e ir até Gyu Sik, aguardando a chegada de MiRan até o trio. Não a trataria mal, apesar de não gostar dela. Não estava com energia para isso. Aproximou-se com jeitinho, abaixando o rosto ao passar por Jung Mi que estava logo atrás dela.

- Caímos no mesmo trio… - comentou com ele e deu um sorriso simpático.

Era muito difícil olhá-lo, porque lembrava do que ele tinha dito no corredor. Escondeu uma mecha atrás do cabelo.

- Aigo…. Não sei se eu sou boa com maquete. Mas a gente pode fazer na casa da minha avó. Eu asso biscoitos de novo... - deixou escapar, em referência aquele dia em que ambos ficaram constrangidos. Escondeu os lábios. Por um momento esqueceu da existência da namorada dele. Era tão mais fácil conversar com ele a sós. Só que não estavam a sós.

- Oi, Miran. - cruzou os braços. - Você é boa com essas coisas?

Wangjo

— Ross

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
132

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 6

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 15 Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 9 ... 15  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum