Fóruns Gráficos
3
Créditos
» Skin obtida de The Captain Knows Best criado por Neeve, códigos acrescentados por Weird e baseado no tema The Walking Dead Theme criado por Hardrock. Graças aos suportes e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foractivo.
» Versão Elysium adaptada por Hurricane, Rossin e Persephone.
Narradores
3
Personagens Ativos
34 Personagens Ativos
Últimos assuntos
» Capítulo 8
Ontem à(s) 7:01 pm por Won-Bin

» Chat pra chatear
Ontem à(s) 4:55 pm por Luxi

» Seven Wonders
Sab Out 13, 2018 11:27 pm por Starry Night

» [DADOS] Onde estrelas nascem ou morrem
Sab Out 13, 2018 10:16 pm por Starry Night

» I.M MUSIC
Sab Out 13, 2018 9:08 pm por Starry Night

» STARFISH MEDIA
Sab Out 13, 2018 9:02 pm por Starry Night

» KT ENTERTAINMENT
Sab Out 13, 2018 8:55 pm por Starry Night

» [FICHA] Cherry do White Pearls
Sab Out 13, 2018 2:48 am por Starry Night

» [FICHA] Gyuri do Oh My Venus
Sab Out 13, 2018 2:40 am por Starry Night


Capitulo 7

Página 6 de 12 Anterior  1, 2, 3 ... 5, 6, 7 ... 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Won-Bin em Qui Set 06, 2018 1:20 am



Haviam várias coisas pra se admirar em Bomi, mas Won apreciava muito o jeito mais maduro dela em comparação as amigas: ela admitia seus erros e como tinha machucado ele com aquela conversa do sábado.
Won se apaixonava ainda mais pela mocinha do seu filme pessoal.

Won não sabia exatamente de onde tirava tanta coragem para falar assim, para interrompe-la e dizer com tanta convicção que estava tudo bem. Talvez as aulas do teatro realmente faziam bem ou...talvez era o verdadeiro Won que era despertado por ela.

Sentiu que ela ainda tinha mais medo do que ele, principalmente das possibilidades das pessoas que seriam contra os dois, então decidira que ele deveria ter a coragem pelos dois.

O beijo veio de forma tão automática que Won nunca o teria feito se fosse o minimamente racional, mas sabia que esse momento era uma pausa entre o longo caminho que tinham de percorrer: fingir que nada tinha acontecido seria ainda complicado.
Nunca tinha visto Bomi envergonhada e vermelha desse jeito: ela estava completamente de outra cor! Achava aquilo ainda mais fofinho nela.

Riu enquanto ela batia nele e sorria na mistura de vergonha e medo de serem vistos.

-Ai. Ai. Chega de violência, detetive - respondeu meio rindo meio encolhendo o braço que levava os golpes de caderno.

-Assim fica mais fácil segurar o ciúme...por hoje - disse com um sorriso meio misterioso. Não se arrependia de ter agido assim de impulso, ia ser mais cuidadoso depois.

Mas por agora estava bom.

Sentiu o coração derreter quando ela admitiu que gostou, ainda baixinho.

Ela bateu uma última vez antes de sair. Não era uma despedida dolorosa como na última vez.

O abismo no coração tinha ido substituído por um grande lago de esperança.

Com ela fora deu uns tapinhas no rosto.
-Ah, eu to sonhando ou isso rolou de verdade? - não conseguia apagar o sorriso bobo de uma vez. Mas tinha agora de ativar o modo discreto.

Suspirou e foi pra fora da sala, andando pelo corredor. Já tinha passado um bom tempo do intervalo e provavelmente já teria de voltar, mas esperava encontrar Kang no caminho: tinha abandonado o amigo.

"Aish desculpa Kang, espero que não tenha acontecido nenhum desastre"

Wangjo: onde as toalhas nunca mais voltam

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
195

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Dong Hee Kyung em Qui Set 06, 2018 5:13 am



Olhou de lado para Ui-Jin quando escutou aquelas palavras meio semelhantes as do amigo gordinho... "Acho que as pessoas hoje estão muito discretas, o que está acontecendo aqui?"

Se perguntou quando Stella fez o gesto para contar na orelha, e claro que Dong se curvou de leve para que eles mantivessem o clima de camaradagem de discrição. Como tinha olhado antes acabou vendo a cara que HaN fazia ao se deparar com a cena. "Aishh..."

Fez uma careta de leve só para ele. Ambos voltam a postura e parte da curiosidade  do garoto fora sanada. A canadense tinha muito o que pensar nesses dias, fato que fez a empatia do virginiano apertar no peito. - Nossa tudo isso, e não tem como eu te ajudar em nada?

Mais uma vez se mostra preocupado com a jovem, mexendo a mão de leve para que não abaixasse muito aquele olhar lindo e brilhante, expressivo que ela ostenta.

- Por mais que a oferta me deixe feliz odiaria dar mais trabalho e... - Conforme falasse mais Stella poderia ficar curiosa, e de certa forma esse trabalho que eles fizeram também a envolveria. Cedo ou tarde Dong teria que contar, mas respirou fundo pensando numa forma deixar evidente que o assunto dizia respeito a ela também.

-  Esses trabalhos tem dificultado o discorrer de nossos vícios online, fora que precisamos do Kim, sem ele não é a mesma coisa.

O mesmo rage ele quis dizer. Com o assunto familiar Hee Kyung ficou menos tenso e bem mais leve em puxar assunto, quando menos a garota perguntasse de sumiço, melhor seria para ele, por hora.

-  Espere, o que é isso? - Virou o rosto para Ui Jin quando viu o narrador se erguer para ir até uma certa pessoa, na verdade, ele fica espantado... - Ah, quando é para apresentar ele trava, né....

Mas no meio das beldades até que falou muito bem, os olhos dele meio que serraram de leve encarando de canto Ui-Jin como se estivesse prestes a julga-lo.



11 DE JUNHO. REFEITORIO. 10:17 A.M

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
104

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por HyeMin em Qui Set 06, 2018 8:55 am



- Uaaaau. Amei, amei. Que legal. Você faz aquela da Pony em mim? - comemorou as escolhas e confiava em Beom Su que fizesse alguma maquiagem fofa com glitter no canto de seus olhos.

Spoiler:

Gostava das ideias das pessoas e esperava que alguém decidisse. Até sábado o grupo escolheria um ‘uniforme’ para eles e ela seguiria.

Ui Jin chegou com um bolinho - que virariam dois -, mas notícias péssimas, que a fizeram lembrar por que o dia tinha começado tão ruim e porque tudo era sempre péssimo quando Joo Hyuk estava no meio. Sempre, de formas diferentes. Saudade, tristeza, confusão, raiva, ciúme, frustração, agora culpa, mais tristeza e mais frustração. Como podia ficar tão mal por causa de uma única pessoa?

Apesar de ser uma menina alegre, fofa e unicórnio, quando chegava aquele assunto, ela sempre ficava para baixo, tão para baixo que sentia que estava no fundo do mar, se fosse permitido a brincadeira com a conversa que teve com Eunbi no dia anterior ou com os amigos sobre a festa.

Uijin apertou um botãozinho nela e a partir disso ela parou de responder aos amigos e ficou triste na mesa, com a cabeça cheia de pensamentos ruins por causa de alguém que provavelmente já estava super bem e que receberia o conforto de sua melhor amiga mais tarde. Pra que mandaria uma mensagem perguntando se ele estava bem? Ele não precisava dela pra nada, como nunca precisou nos últimos anos. Já tinha o que era necessário com o amor de sua melhor amiga, que o preencheu naquele tempo todo e nunca o tinha mandado para o hospital. Encheu a boca com os bolinhos, para que não precisasse falar nada com ninguém, focada em olhar para a mesa e a comida.

Agora é que não podia falar para eles mesmo, porque ninguém entenderia e ela era idiota o bastante para não querer que Yerin fizesse mal para o garoto que não estava nem aí com ela, e que a odiava provavelmente com razão. Não foi de propósito que ela o mandou para o hospital sem saber. Não queria que isso acontecesse. Mas quando interagiam era assim que as coisas saíam, porque eles já se odiavam bastante. Por que a mãe dele o enfiou naquela escola? Porque era uma das melhores da Coreia, sem dúvida. Então por que ela ficava lá? Porque o pai queria que ela seguisse a tradição Seo. Preferia tanto estar em uma escola só para meninas agora. Queria voltar ali, poder escolher seguir escola de artes, ou quem sabe algo de gastronomia… Mas não, ficava presa ali tendo que viver aquelas situações insustentáveis dia após dia, não podendo compartilhar esses sentimentos com os seus amigos, que não tinham como entender, e não recebendo o que queria nem da pessoa que um dia deveria casar com ela. Estava legal quando ela era princesa, acompanhando a rainha e se divertindo nos grupos, mas agora era tudo pesado e difícil. Era isso que era o ensino médio. Os amigos conversavam e ela não conseguia ficar feliz. Nem isso podia ter por causa daquela pessoa. Em algum momento, encostou o ombro em Yerin e ficou quietinha. Podia ficar quieta sem ficar fingindo que estava tudo bem um pouco?

Nem entendia por que esse fato a incomodava tanto e a deixava tão triste, mas não conseguia sair desse ciclo por conta. No fundo, ela apenas gostava muito dele ainda, e queria que essas coisas fossem embora. Estava presa em sentimentos de quando era criança e o carinho que ainda restava por ele a fazia ficar chateada.

Foi desse jeito que terminou o seu intervalo e foi assim que assistiu ao restante das aulas, sem nem abrir o caderno. Às vezes queria ser outra pessoa e nunca tê-lo conhecido. Podia estar só preocupada com a festa e as bobeiras que mais gostava, mas ficava presa nesses pensamentos idiotas. Queria ser mais normal e estar focada em outras coisas.

Bem chateada, pegou o celular no meio da aula e mandou finalmente a mensagem que estava querendo, mas não exatamente do jeito que imaginava.

Joo Hyuk

Hyemin
Soube que foi para o hospital.
Hyemin
Não precisa manter o encontro. Eu faço com o Uijin na minha casa uma parte.
Assim você não precisa olhar na minha cara como você queria e depois vocês dois terminam outro dia. Entrego os bonecos separados para vocês.



Pronto. Resolvido?

Hyemin escondeu o telefone na mesa e abaixou sobre ela, deitando nos braços e olhando a janela até o final dela.

Wangjo |{LOOK: Laço no cabelo | Bolsa | Capinha | Pulseira da amizade }

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
181

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Hyun Hee em Qui Set 06, 2018 10:01 am



- Pouquinho? Estou te acostumando mal então… - deu um sorriso, totalmente focado nela.

- O suficiente, ninguém se feriu - fez a brincadeirinha. - Oh, uma joaninha que gosta de flores… Por que não estou surpreso? Gosta de hibiscos também? Descobri a sua favorita, mas não sei todas as que gosta. Por acaso costuma combiná-las com a cor do seu cabelo?

Fez um gesto para já começarem a voltar para a sala, acompanhando-a naqueles minutinhos restantes, com o braço por cima do ombro dela.

- Foi, as aulas de hoje são as mais difíceis. Eu tenho clube mais tarde também e vovô terá alta. Ah, sim. A capitã do clube de Culinária veio perguntar se temos sugestões para o evento. Eu pensei sinceramente em sair depois que acabar. Não é muito meu negócio me tornar profissional da gastronomia. Sou um cara mais caseiro nisso. Então não se assuste quando acontecer.

Quando chegaram na porta da sala do segundo ano, ele apenas ajeitou uma mechinha no rosto dela e se despediu, voltando para a sala. Quando tivesse a oportunidade de contar sobre coisas estranhas, é claro que teria que mencionar o caso da colega de sala, pois o primo provavelmente não esperava aquele comportamento de uma pessoa de conduta ilibada, que estava sempre nos rankings de estudo. Mas não achava que precisava mandar mensagem nem nada, só falar depois de uma aula ou de encontrar casualmente já estava ótimo. Nem imaginava a gravidade do sofrimento que Kim Sun Hee precisava aguentar todos os dias, além de toda a perseguição gratuita que já era esperada daquelas herdeiras tão vazias e injustas, como Eun Joo. Tudo isso sem seus preciosos remédios.

No mais, apenas estudou e checou o celular para ver se havia algo que dissesse contra a alta de seu avô.

Humor: mania/estável/--+++

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
149

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Jae-ki em Qui Set 06, 2018 4:18 pm


Jae-ki sorriu com os lábios dobrados pra dentro da boca, curtindo o carinho de Eun-bi no seu rosto, fechava parcialmente os olhos com uma expressão preguiçosa. Gostava mesmo no toque dela no seu rosto. Fez um olhar meio arregalado quando ela falou tão firmemente que iriam juntos. Era ótimo isso, porém não tinha ideia do que precisava fazer pra ir ao baile.

Ele se levantou e deixou que ela continuasse com as mãos no seu rosto. A encarou como se tivesse lendo cada expressão dela. A palavra dançar o fez ficar com o semblante pensativo. Achava que Eun-bi não gostava de dançar com ele, mas ver ela dando a ideia era um bom sinal.

Embora fosse um gesto simples, Jae-ki estava prestando muita atenção as mãos da bailarina que desceram para seu pescoço, sentiu um calor nas orelhas. A ideia de dançarem juntos e devagar parecia muito bom, ainda mais se fosse sentir as mãos dela assim no seu pescoço. Colocou uma mão perto da orelha ela, tirando as mexas de cabelo de perto como um carinho, enquanto conversavam.

- Eoh, mas só uma música? - Perguntou sorrindo - Eu não sei o que precisa pra ir no baile, ou se vão deixar os bolsistas irem assim de boa,  mas vou dar meu jeito.

Jae-ki era um garoto que gostava de estar junto, abraçado, sentindo o toque dela, segurando a mão, não conseguia ser o tipo distante. Era bastante carinhoso e gostava de receber carinho também. Só se limitava porque até ele sabia que fazer algo mais próximo na escola poderia pegar mal para ela. Sorriu surpreso quando recebeu o beijo na bochecha. Apesar de ser algo simples, todo gesto de carinho dela era muito bom. Ainda estava nas nuvens por ter deitado no colo dela.

- Eoh, é uma boa - Disse, estava com fome - Comer uma coisa vai ser bom para aguentar a aula sem dormir. Mas só se você junto, se não eu prefiro ficar aqui esses minutos com você..

Jae-ki sorriu determinado, embora seu estômago reclamasse. Mas não queria largar Eun-bi hoje, antes de saírem de onde estavam, ele ainda daria um abraço nela, queria aproveitar cada segundo. Seu dia era longo, tinha clubes e trabalho. Dependendo da escolha da Eun-bi ele subiria para pegar as frutas e comeria bem rápido. Se ela não fosse junto, iria ficar ali olhando para ela e curtindo últimos minutos.

Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
231

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Kim Sun-Hee em Qui Set 06, 2018 4:58 pm



O sorriso aumentou, como se para convencê-los de que estava mesmo melhor e acreditava que isso aconteceria logo. Quando as coisas vinham nos moldes de uma avalanche... bem, era mais difícil de lidar. E a conversa pesada com Taemin - conversa? - que resultou naquela atitude assustadora do idiota... Aquilo trouxe sensações que Sun-Hee evitava. Para piorar um quadro já horrível, esse menino apareceu do nada, gentil e solícito, mas provocando seus demônios com uma verdadeira "farsa". Ao mesmo tempo em que sentia uma vontade absurda de deixá-lo falar até a língua dele cansar ou a garganta arder, Sunny também ansiava desesperadamente correr dali. 

Minhyun pareceu entender os motivos da bolsista e esperava que fossem suficientes.

Ela apenas concordou com a cabeça a respeito da primeira parte.

Não queria preocupar ninguém. Não queria responder perguntas. E, menos ainda, não queria que as pessoas olhassem para ela como se tivesse algo errado.

- Hahaha, não, não... Não precisa. Eu sou pálida, oppa. Isso não é nada anormal, no meu caso. Viu, ó... Até exagerei no sol. Uma escolha muito burra, né?

Tentou uma brincadeira.

Os dois não pareciam mal-intencionados. Na verdade, tinham uma ótima presença, principalmente Minhyun. Acreditava na preocupação deles.

Enfim, as explicações surtiam efeito e os meninos mais velhos não insistiram naquela história de enfermaria. Sunny quase suspirou, aliviada, mas se ateve a manter a expressão menos "morta", sustentando um ar de risinho. Leve, leve.

- Uhum, melhorei sim– confirmou.

Sobre Jong In, ficou bastante nítido que ela não fazia ideia de quem era, mesmo que o nome não fosse tão desconhecido assim. 

- Entendo... - comentou, imaginando se havia uma rusga entre eles e o garoto - As únicas pessoas de quem sou próxima e estudam no segundo ano são a Lee-Hi, Chaeyoung e a Hye-Won. Oh, claro... Tem o oppa, Ha Neul. 

Listou apenas os nomes dos que considerava seus amigos. 

Agradeceu mais uma vez a água.

- Komawo e... desculpem, desculpem por isso... A-Até mais, tenham uma boa aula e restante de dia.

Saiu praticamente correndo, quase não enxergando o caminho. Assim que voltou a si, estava no corredor, sentindo as lágrimas a ameaçarem, porém conseguiu contê-las. Dentro do banheiro, se aproximou da pia, largando a mochila lá e começou a lavar insistentemente o rosto, aproveitando também para passar a mão úmida pela nuca. Ela ajeitou o cabelo, prendendo-o de novo num coque básico e resmungou quando não encontrou nada nos bolsos da bolsa, nem um maldito batom para tirar aquele aspecto horrível de cadáver.

Por fim, olhou o celular justamente para checar se Kim ao menos recebeu a mensagem e o coração pulou diante do nome do amigo na tela.

Ela respondeu no mesmo instante.

Mensagem escreveu:Kim! Aiii, caramba! Eu já estava me preparando para te caçar na sua casa ou ligar para a tia. Você me assustou i.i

Estresse? Kim Joo Hyuk! Isso não é brincadeira, você precisa se cuidar. Aconteceu alguma coisa? Precisa de ajuda??? Aiiiish... O que eu faço com o senhor, hein? Pode deixar, vou anotar tudo por nós dois. E estou me comportando... Como sempre. Kim... Sério... Aproveite esse atestado e descanse. Aliás... E ESSE LADO VINGATIVO? Hm. Durma e beba bastante água. Mais tarde, eu vou te ligar, então já sabe...

ATENDE!

Depois de enviar a mensagem, ela guardou o aparelho com a sensação de que parte de um peso absurdo saiu dos ombros, embora continuasse inquieta pelo melhor amigo. Tinha certeza que esse mal-estar foi provocado por aquilo que o deixou tão chateado ontem.

Em seguida, terminando os últimos detalhes, ela saiu do banheiro e chegou na sala no instante que o sinal tocou, cabisbaixa e quieta. Caso Stella estivesse presente, mostraria um sorriso pequeno. Pegou o caderno e o estojo para anotar tudo, mas prestar atenção na aula, de fato, seria uma tarefa mais complicada.
WangJo

— Ross


Última edição por Kim Sun-Hee em Sex Set 07, 2018 8:49 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
157

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por The Crown RPG em Qui Set 06, 2018 11:59 pm

11 DE JUNHO. WANGJO.


Às 10:25 A.M. em ponto, o primeiro sinal tocou. Para evitar atrasos e empurra-empurra, sempre havia um aviso que antecedia o sinal de que as aulas começariam. Os professores costumavam ser rigorosos demais com isso e não permitiam atrasos, chegando a fechar as portas. Eram os cinco minutos finais de descanso ou para limpar sua própria sujeira, ir ao banheiro ou simplesmente terminar os assuntos pelo corredor.

Cada um pôde aproveitar - ou não - o intervalo de um jeito. Alguns tinham sido mais especiais do que outros, mas todos tiveram seu nível de impacto em cada um.

Uma vez que as energias estivessem renovadas, eles podiam voltar às suas tarefas.

Hee Kyung era um dos alunos mais certinhos e participativos das aulas, sempre sentando na primeira fileira e mantendo um caderno impecável. Naquela terça-feira, contudo, havia algumas questões pendentes em sua mente. Pela primeira vez em muito tempo, tinha conseguido passar mais tempo do intervalo com Stella do que com seus amigos. Talvez a ausência de Sunny tivesse ajudado nisso, mas a menina realmente pareceu mais feliz por ter estado com ele.

Coincidência ou não, a aula era de inglês, uma das duas linguas nativas dela. Porém, diferente das outras vezes, sua postura não estava exemplar. Caso olhasse para trás, veria que a menina estava com a cabeça encostada na parede e lutando para manter os olhos abertos. Ainda durante o intervalo, ela havia dito

 Ani, não precisa se preocupar com isso. Você também já tem muita coisa para lidar, eu posso resolver essas coisas sozinha.

Disse dando um sorriso tímido quando ergueu a cabeça para encara-lo ao sacudir a mão diante dela. Os olhos cansados ainda conseguiam ter um brilho aqui e ali. E também era generosa a ponto de dividir seu lanche com ele. Sabia que Dong estava com a mania de experimentar coisas novas e o sanduiche tinha ficado realmente bom.

- Não é trabalho nenhum. Eu faço um, posso fazer dois. Não é como o bolinho do Ui Jin-ssi, mas cada um faz o que pode. - Riu. Ela já tinha experimentado o bolinho extra algumas vezes e a comida do amigo de Dong realmente era mágica. Fazia as pessoas felizes mesmo quando estavam bem tristes.

Observou o garoto e o incentivou a comer logo o pedaço que havia dado. Aproveitou, então, para falar sobre os jogos e  a resposta quase a engasgou.

- Você quer rir dos rages dele, né? Tsc...Tadinho. Espero que ele esteja bem. - Não tinha notícias ainda, diferente de Dong que já sabia por conta de Ui Jin.

Falando nele, o garoto também se levantou e seguiu até a mesa de Oh Yerin para falar com Seo Hyemin. Ele não demorou muito, mas como um bom observador, Hee Kyung perceberia que a notícia que ele levou deixou a menina triste. A jovem Seo era bastante transparente e não sabia esconder quando ficava triste, de modo que foi bem claro quando o olhar sempre animado se perdeu um pouco. Ui Jin voltou sem dizer nada.

E também continuava sem dizer uma palavra. Assim como Stella, ele não parecia 100%, como se estivesse pensando em algumas possibilidades. O único que se mantinha o mesmo porque não tinha segredos aparentes era Min Ho. Ele estava focado e escrevendo bastante na apostila, como se não carregasse nenhum peso nas costas. Com ele, tudo parecia normal.

Mas será que o normal queria dizer que estava tudo bem?

Para Sun Hee que sentava logo atrás de Dong, não. O normal dela nunca queria dizer que estava bem, mas as pessoas tinham o costume de acreditar em sorrisos. Depois do intervalo, contudo, Sunny não sorriu mais.

Teve certo sucesso em se arrumar no banheiro, apesar de faltar um pouco de cor em seus lábios. Era a desvantagem de não carregar sempre um batom ou um protetor solar que fosse. Pelo menos conseguiu diminuir parte do nervosismo, apesar dos bolsos não carregarem suas soluções mágicas. Precisou se concentrar um pouco mais, mas quanto mais pensava, mais o lago a magoava.

Primeiro a desastrosa conversa com Do Taemin que resultou num rompimento da fina camada de gelo que a amizade deles era. Por algum motivo, ela achou que tinha liberdade para pisar num terreno perigoso e deveras desconhecido. Afinal, todos achavam que ele não sentia nada, então, era muito fácil julgar e apontar soluções. Sermões? Havia vários prontos para ele.

Mas quem disse que ele queria a opinião de alguém? Quem disse que ele queria que chegassem até ali?

Como se não bastasse, Sunny também foi assombrada por um fantasma que agora parecia bastante real. Pessoas parecidas existiam aos montes, mas como duas pessoas que nunca tinham se visto na vida, tinham idades e mundos diferentes podiam ter tantas e tantas semelhanças? Era doloroso e gostoso ouvir Minhyun falar e, dessa vez, ela que experimentou a invasão em sentimentos que ela sempre mantinha muito bem camuflado.

Chegou até a sala de aula sozinha, sem suas amigas. Tinha chegado bem em cima do horário e Stella já estava ali sim. A amiga estava muito cansada para se agitar, mas esboçou um sorriso de volta. Além dela, Taemin já ocupava seu lugar na penúltima fileira. Nem ao menos se dignou a olhar na direção dela, preferindo mexer em seu celular.

O celular de Sunny vibrou nessa hora e seria uma grande coincidência se fosse ele. Não era. Kim Joo Hyuk respondeu mais rápido dessa vez e disse.

JOO HYUK

JOO HYUK
Miane. Eu estava muito cansado e dormi o dia todo, mas já estou fazendo algumas pesquisas para o trabalho.
JOO HYUK
Ani, não aconteceu nada demais. Acho que pode ter sido algo que comi no jantar, botei mais pimenta do que deveria, mas estou bem. Se você está se comportando como sempre, então, temos um problema. Só por hoje, não exploda a escola, hmm? Ainda posso ligar para tia Yumi...n.n
Pode ligar, eu atenderei sim. Já estou acordado. Agora para de olhar o celular e se concentra na aula de inglês. Certeza que a professora já entrou


Mas não foi a professora que entrou naquele momento e sim Jung Mi. Como um pequeno brinde, ele sentou-se ao lado dela de novo. Dessa vez, não se alongou muito em conversas ou tentativas porque a professora já estava no corredor mesmo. Ele apenas ajeitou o cabelo, o blazer e pegou o material.

Além dele, também chegaram Gyu Sik e Ryu Ji. Gyu Sik arqueou uma das sobrancelhas quando viu as expressões de Misoo e Bomi. As duas pareciam bastante avoadas, mas por motivos diferentes e iguais. Ficou entre as duas e balançou as mãos na frente de cada uma. Bomi levou um sustinho e o encarou meio apreensiva. Só então percebeu que Misoo também estava ali.

- Ommo?! - Tinha coçado o pescoço meio envergonhada e deu um sorrisinho para os dois.

- Aish…O que vocês comeram? Estão estranhas. - Comentou.

O estômago de Bomi roncou nesse momento e ela levou a mão até a região e desviou o olhar. Ryu Ji passou fazendo um cafuné no topo da cabeça dela. Bomi ainda estava meio perdida nos próprios pensamentos, mas esboçou um sorriso fofo para ele antes dele se sentar ao lado de Kang.

Woo Jin...Não sabia o que estava fazendo ali. Não chegou a encontrar com Won nem JaeKi durante o intervalo porque tratou de esconder a toalha de Misoo em seu armário antes que qualquer um dos dois visse e simplesmente subiu para a sala. Era muito atípico dele ficar tão quieto, mas ele estava com o olhar perdido para a frente.

Até que Misoo preencheu a visão quando chegou e se sentou. Nem conseguiu reagir direito quando - caso - ela falou com ele. Depois disso, não conseguiu desviar os olhos da nuca dela e mesmo que ela estivesse parada, ainda se lembrava do balanço que o cabelo dela tinha. Era uma cor tão bonita...Assim como a dos olhos dela. De repente, sentiu alguns tapas breves e não tão violentos sobre sua mesa.

- Ya, quer um babador? - Taemin não falou muito alto, apenas provocando Woo Jin.

- Mwo?

- Tá dormindo de olho aberto. Sua cara está me incomodando.

- Então olha pra lá, aigoo

- Hm. Vejo que acordou, agora para de fazer essa cara ridícula e tenha postura. Aish, esses isekyas.

- Deixa ele, Taemin. - Ryu Ji falou porque estava na mesma linha e viu.- Liga não, ele é intrometido.

- Mais do que intrometido, né? - Kang olhou para Ryu Ji.

De repente, se sentiu um dragão transgressor. Por que estava sentado entre os rivais diretos de seus amigos e não com os amigos? Olhou para trás meio preocupado, vendo que Won ocupava seu lugar e aquela espaçosa da Choi Eun Bi continuava alugando JaeKi.

Fez uma careta, mas ela não tinha sido o único motivo. Quem foi mesmo que pediu para que ele ficasse ali? Ah, sim...Misoo...E suas cores tão únicas e bonitas…

- Ya, tá fazendo de novo!

- Aigoo, me deixa em paz.

- Aish, isekya.

Queria chamar o Darkwon para bater nele, mas se controlou. Olhou mais uma vez para trás, vendo a cara do amigo e...Estava tranquilo? Parecia mais calmo. O que será que tinha acontecido durante a conversa? Será que conversaram? Será que brigaram? Bomi parecia muito quieta também.

Won Bin tinha seus motivos e agora seus próprios segredos. Depois do que aconteceu no intervalo, ele tinha a sensação de que podia enfrentar até mais 3 tempos de matemática que o faria sorrindo.

Bomi era muito fraquinha até para Kang. Ele tinha sido testemunha de sua fragilidade e ausência de força durante o parque, mas com um pouco de motivação, até que conseguia ser um pouquinho ameaçadora. O caderno colidiu algumas vezes com o braço direito dele, mas não chegou a machucá-lo de verdade. Estava fazendo mais por charme e vergonha do que raiva mesmo.

Só parou quando ouviu que seria fácil segurar o ciúme naquele dia. Não entendeu o que ele quis dizer, mas as bochechas coraram mesmo assim e ela deu meia volta para guardar suas coisas e esconder melhor o blu-ray. Voltou até ele segurando a própria necessaire e admitiu que tinha gostado. Uma última trombada de brincadeira nele e acelerou para a porta.

Parou ali, olhando uma última vez e e escondeu o rosto para correr até o banheiro.

Won estava cheio de esperanças de novo e saiu da sala. O intervalo estava bem avançado e como a mente estava distraída, ele se desencontrou de todo mundo. O maximo que dava para fazer era comprar algo para enganar o estômago ou pegar uma fruta e subir de novo. Bomi mesmo não desceu, focando em arrumar o rosto no banheiro do segundo andar.

Quando ele voltou, já tinha algumas pessoas por ali e ela chegou depois, ocupando seu lugar e trocando um brevíssimo olhar na direção dele antes de se sentar. JaeKi e Eun Bi também chegaram juntos enquanto Kang e Misoo chegaram sozinhos, cada um em seu tempo. Ninguém parecia ferido, mas o K-Dragon parecia estranho.

Sentar no fundão tinha seus benefícios, mas também era um catalisador de ciúmes. Quando o trio de Jung Mi chegou, ele viu em câmera lenta Ryu Ji fazendo um carinho no topo da cabeça dela, bagunçando alguns fios negros. Ainda teve Gyu Sik chamando a atenção das duas e reparando que elas estavam estranhas. Bomi não tinha comido - só ele sabia -  e levou a mão até a barriga de modo discreto.

Kang também parecia conversar com Taemin e Ryu Ji. Até chegou a olhar para trás algumas vezes, mas não havia nada que ele pudesse fazer porque a professora estava já na porta. Ao lado dele, o casal 20 parecia particularmente feliz na companhia um do outro.

Eun Bi não tinha trocado de lugar com Kang  como o combinado. Primeiro porque não queria e segundo porque ele estava sentado ao lado de Taemin, então, era melhor evitar discussões. Ela mesma tinha puxado Jae Ki para o lugar de antes, sem dar indícios de que se sentaria em outro lugar.

O tempo deles namorarem chegou ao fim graças à presença da professora, mas era impossível não reviver a conversa.

A bailarina ficava linda sorrindo, chorando, dormindo, acordada ou simplesmente como estava agora: fingindo que prestava atenção na aula. Sua pele ainda podia sentir a textura da mão dela enquanto o acariciava na bochecha.

Os longos e delicados dedos o acariciava de modo cadenciado e amoroso enquanto os olhos prestavam atenção na expressão dele com a sugestão dela. Ela suspirou quando sentiu o cabelo sendo ajeitado e meneou negativamente.

- Ani, eu disse pelo menos uma música. E você só precisa de um terno e uma máscara para ir ao baile. Não precisa se preocupar com ingressos, só quem não é aluno é que precisa pagar. Para os alunos, é de graça.

Já o tranquilizou e repetiu o gesto dele, ajeitando o cabelo dele. Eun Bi não sabia que era uma garota grudenta com meninos. Sempre foi muito agarrada às amigas, mas nunca teve tanta intimidade com um menino. Descobria que gostava de tê-lo por perto. Por isso o beijo na bochecha foi algo natural, apesar de surpreendente.

Sabia que ele estava com fome e sugeriu o retorno. Claro que ela iria junto e pegou uma maçã pequena para si. Seria o suficiente para as próximas horas - talvez até à noite  - enquanto ele comia sua quota diária antes de voltarem para a sala.

As explicações da matéria simplesmente passavam e Eun Bi escreveu um bilhetinho para ele.

“Você não está prestando atenção na aula. Acho que não podemos sentar juntos, viu?”

Mas estava sorrindo quando escreveu isso, já imaginando a reação dele. Escondeu os lábios e olhou para a frente de novo.

Para Jae Ki era um pouco complicado passar por esse tipo de distração. Para Hyun Hee era mais tranquilo, ainda que sua mente sempre estivesse trabalhando e ele se distraísse sozinho mesmo.

Havia muitas coisas que criavam uma linha de raciocinio um tanto quanto caótica em sua mente: a falsidade de Jimin e Eun Joo, os excesso de Sun Hee e o que o primo pediu para ficar de olho - ainda não estava certo quem poderia ser e estava descobrindo que havia mais pessoas surtando do que imaginava. Além de Sun Hee, havia Nana que oscilava muito e Hyemin que parecia completamente sem energias depois do intervalo. Isso era estranho também. As mulheres eram muito complicadas, certeza que se fosse um aluno seria mais fácil de descobrir.

Apesar de ter jeito com as mulheres, ele demorava um pouco para entender certos sinais. Como a carinha que a própria namorada fez quando ele disse que não ficaria no clube de culinária. Ela estava mais animada antes de ouvir isso.

- Gosto de ver as flores, mas não tenho dom para cuidar delas. - Sorriu com a comparação. - Acho hibiscos muito bonitos, mas não são meus favoritos. E nunca pensei nisso...Talvez passe a combinar agora no verão que terei mais tempo para minhas perucas.

Comeu o segundo pacote de chocopie enquanto seguiam até o segundo andar. Viu como ele tomou cuidado em colocar a mão em seu ombro e abaixou um pouco a cabeça, meio tímida.

Fez uma carinha cansada ao ouvir sobre as aulas e só podia concordar.

- Ne...Então o dia será bem agitado, hm? Tomara que o vovô volte bem para casa! - Sorriu, mas tombou a cabeça com a menção da capitã do clube. - Mwo? Oh...Sugestões, vou pensar à respeito.  - Ainda mais agora que tinha tempo livre. Só parou quando ouviu aquela notícia.

Arregalou um pouco os olhos, mas logo engoliu em seco e abaixou um pouco o olhar. Fechou a boca e forçou um sorriso no canto dos lábios.

- Araso...Tudo bem, então. - Forçou mais o sorriso e não tinha muito o que dizer quanto a isso. - Hm...Bom fim de aula. Nos falamos depois…

O celular dele ainda não trazia nenhuma mensagem do Secretário. Provavelmente estava respeitando o horário de estudo dele e avisaria sobre a situação depois.

Outro celular que também estava aguardando uma notícia era o de Hyemin. Por mais que ela tivesse fechado a tela e virado para baixo, ela ainda saberia quando haveria uma mensagem. Sem se importar em ser chamada atenção, ela simplesmente deitou a cabeça no caderno e ficou olhando para a janela.

As explicações em inglês deram lugar à entediante aula de física e seu estado chamou a atenção dos amigos. Nana e Beom Su cutucaram Yerin, apontando para Hyemin. A melhor amiga apenas olhou e fez uma cara feia para que cuidassem da própria vida. Mas a verdade é que até ela - principalmente ela - estava preocupada e não sabia o que deveria fazer.

Levou a mão até a cabeça dela, arrumando seus fios e fazendo um suave carinho, mas não pediu por atenção, nem nada disso. Deixou os ombros caírem um pouco e tentou prestar atenção pelas duas. Por algum motivo, sentia que também era responsável por aquele estado dela. Ela chegou fingindo estar bem e depois meio que evitou de várias formas e agora ficava assim depois de falar com Ui Jin.

Achava que precisava se desculpar tão logo aquela aula acabasse.

O celular de Hyemin vibrou com mensagens.

Chun Ja

Chun Ja
Querida, eu acordei agora. Vou me arrumar e te encontro naquele restaurante que adoramos, hm?
Chun Ja
Você está com o motorista, né? Se não estiver, eu posso te buscar, mas se for sozinha, estarei lá às 1h em ponto esperando por você
 

Era um restaurante japonês com salas privadas e que ficava na área nobre de Gangnam. Não ficava muito longe do colégio e tinha várias vantagens de ir até lá: era bonito, gostoso, elegante, comida japonesa! E ficava pertinho do shopping. Elas gostavam de emendar os passeios, mas naquele dia, Hyemin sabia que precisava se focar em apenas conversar e voltar para o colégio.

Tinha clube de tênis.

Enquanto pensava numa resposta para a tia, Joo Hyuk finalmente respondeu.

JOO HYUK

JOO HYUK
Fui, mas estou bem.
JOO HYUK
Eu vou manter o encontro amanhã porque sei separar as coisas. Se você não quiser vir e preferir fazer com o Ui Jin-ssi depois, avise a ele. De todo modo, esperarei pelos dois.


Deixava a decisão nas mãos dela e o mais irônico era que logo acima daquelas mensagens, teve a piadinha dos dois e o endereço de sua casa.

>


O sinal bateu para a grande felicidade da nação. O professor de física fez uma expressão chateada porque achava que poderia avançar um pouco mais na matéria - depois de ter enchido o quadro duas vezes. Dispensou os alunos e foi sentou-se para guardar suas coisas.

Apesar da aula dele ser chata, ele era uma boa pessoa. Ficava para tirar as dúvidas, esperava os alunos copiarem a matéria antes de apagar o quadro e era um pouco mais tolerante com certas coisas. Min Ho foi até a mesa dele tirar uma dúvida de algo que encontrou na internet. Ui Jin aproveitou para falar com Dong.

- Ya...Devo algumas explicações para você. O que acha de nós 4 almoçarmos juntos? Churrasco, costelinha, o que vocês quiserem. Eu pago. E assim podemos conversar sem interrupções e só nós 4, hm?

Sugeriu.

Jung Mi suspirou quando soltou sua caneta e então virou-se para Sunny. Stella estava voltando ao planeta depois de vários cochilos e se surpreendeu quando Jung Mi levantou-se, mas se aproximou da mesa de Sunny e se abaixou um pouco para falar com ela.

- Kim Sun Hee-ssi… - Sua voz grave foi direcionada apenas para ela.

Taemin estava guardando o material e observou a cena, ainda que existisse uma fileira composta por Gyu Sik, Misoo e Bomi na frente. Bomi e Gyu trocaram um breve olhar, mas Misoo talvez não se importasse com isso.

- Não faça isso de novo. - Disse bastante sério. - Foi perigoso.

E olhou na direção de Taemin, franzindo um pouco as sobrancelhas para ele. O loiro deu um riso debochado - Gyu e Bomi acompanharam porque não conseguiam se conter. Stella também olhou. Taemin devolveu o olhar a todos eles e levantou-se, catando a mochila de uma vez só e saindo.

Passou entre Sunny e Stella, trocando um olhar de desprezo com Jung Mi. O Park mais novo continuou olhando e deu espaço para Sunny, pegando sua mochila também - com mais classe - e tomando a saída. Antes, contudo, olhou na direção do irmão. Precisava perguntar sobre o avô deles, mas não queria continuar na sala. Após hesitar, ele decidiu sair e falar com ele durante o almoço.

No fundão, a confusão de sempre. Eun Bi estava exausta e começou a se espreguiçar. Kang agia no modo automático e se levantava, indiferente à Jung Mi, Taemin e qualquer outro Min/Mi que não fosse Misoo. Pigarreou e seguiu até os dragões.

- Vamos..almoçar…? - Perguntou meio baixinho para Won.

Bomi parecia curiosa com alguma coisa e olhava muito para o irmão dela. Gyu Sik deu de ombros, sem entender nada. Virou-se para Misoo e olhou para Eun Bi.

- Vamos almoçar, meninas?

- Ani! - Eun Bi respondeu no automático, surpreendendo Bomi. - Quer dizer...Eu preciso ir embora, vou comer no caminho alguma coisinha. Tenho ensaio.

- Hm...E você, Misoo-yah?

JaeKi ainda queria falar com Misoo e agora a menina se vira dividida entre os dragões e sua amiga com os meninos. Ryu Ji e Gyu Sik já estavam prontos para almoçar juntos.

Hyun Hee recebeu, pontualmente, a mensagem do Secretário Lee

Babá

Babá
Bom dia, Hyun Hee-ssi.
Babá
Seu avô recebeu alta por volta das 11h. Já estamos prestes a sair. Ele sabe que você está ocupado hoje, mas o espera para o jantar. Não se preocupe em faltar suas tarefas, pois ele está bem.
Espero que esteja tudo bem por aí também. Aproveite suas últimas horas sem minha presença. Serei sua sombra novamente a partir de amanhã.


Jung Mi também escreveu ao invés de falar com ele.

Jung Mi

Jung Mi
Hyeong, vamos comer juntos hoje?
Quero saber do vovô também.


Antes que Hyemin saísse da sala para seu encontro, Yerin tocou no braço dela e a encarou meio apreensiva.

- Podem ir na frente, preciso falar com a Minah… - Disse para o grupo. - Fique só um pouquinho, por favor…

Esperaria que a sala ficasse minimamente vazia para falar com ela. Não precisavam ter total privacidade  - Yerin já não falava alto mesmo - mas não queria que muitas pessoas ouvissem o que tinha a dizer. Depois que o próprio grupo, o de Jaeki, Misoo e outros mini grupos saíssem, ela virou-se e falou.

- Miane… - Disse com um pouco de vergonha - Eu sinto muito se a decepcionei ontem ou se me meti demais em sua vida. Achei que estava fazendo para o seu bem, mas você não parece nada bem. Eu não vou me meter mais nesse assunto - Achava que fosse Kim Joo Hyuk e com razão, apesar de não imaginar o motivo. - Por favor, me desculpe…
(C) Ross


[Quem for almoçar fora do colégio - os que sugeri e se alguém quiser - apenas vá i.i podem turnar à vontade u,u Luxi, se você quiser descrever o restaurante graças à sua experiência lá, pode fazer =] Acho que ficará mais legal. E a tia da Hyemin estará lá esperando.]
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1215

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por HyeMin em Sex Set 07, 2018 12:07 pm



Hyemin ajeitou a cabeça, de certa forma oferecendo a cabeça para ser acariciada pela amiga. Era um mimo bom e necessário, para a menina que não conseguia lidar com seus sentimentos. Nem com toda a concentração conseguiria pensar na aula. Só pensava em Joo Hyuk, o dia anterior, as coisas que disseram, a condição dele, e o ciúme por Sunny. Uma coisa grudava na outra, de forma embaralhada e fazendo-a oscilar perigosamente em sentimentos negativos.

Não sabia nem por onde começar para explicar a Yerin, nem se podia sentir-se daquela forma, mas a verdade é que a energia para ficar sorrindo e mudar de assunto tinha sumido com a notícia. Os pensamentos a distraíam de qualquer outra função, especialmente estudar, que já era tão difícil. Até desenhar no caderno, que sempre se mostrou uma atividade tranqulizante, era complicado agora.

Tão logo sentiu o celular vibrando, a menina deu um mini pulo na cadeira, abrindo-o em cima da mesa, mas coberto por seus braços. O coração foi parar na boca, mas era a tia. Por um breve momento ela sentiu alívio, mas o teor daquela conversa fez o mal estar dar um giro dentro dela. Estava com muito medo do que seria dito ali. Não queria desconfiar da tia, mas tudo que Joo Hyuk disse ficou rodando tempo demais em sua cabeça para que ela soubesse que combinava muito com ela. Ao mesmo tempo, tinha raiva dele por achar que tinha inventado isso com tanta vilania. Queria acreditar até o fim que a tia não tinha feito nada de mais.

Como podia? A mulher gostava tanto dela. Tinha tomado o lugar de sua mãe e sempre a tratou bem.


Titia

Hyemin
Hahaha tudo bem. Dormir faz bem para a pele.
Hyemin
Claro! Vamos sim!!! Pode deixar que eu vou. Já pode pedir o de salmão flambado enquanto eu chego. Beijos


Até conseguiu dar um pequeno sorriso, mas era um daqueles que sumiam logo. Até porque a outra mensagem chegou naquele momento que estava escrevendo e a fez ter um certo medo de abri-la. Não queria ser xingada de novo, mesmo merecendo.

Era inofensiva. Hyemin até ficou surpresa. Respirou fundo e mandou somente um “Araso”. Não confirmava que iria ou não ao encontro. Poderia ser um “ok” para qualquer uma das coisas que ele disse, mas o fato é que sentiu um pequeno alívio quando ele disse que já estava bem. Ele até estava digitando normal. Não a xingou, não foi irônico, nem seco. Foi… Normal. Ok. Tudo bem então. ”Araso” sem nenhum emoji ou sentimento aparente foi enviado assim, mesmo após passar um tempinho pensando o que responder.

Já tinha descoberto o que queria. Ele já estava bem, e não precisava ter medo de ir no encontro. Tudo bem. Rolou a tela para cima, para reler o momento que ele lhe contou do hibisco. Já não achava que ele estava debochando dela ao reler. Tudo sempre dependia de como ele a tratava por último.

Enquanto estava pensando nessas coisas, seus amigos se levantaram e começaram a sair. Ela não viu direito, quando percebeu, Yerin já os tinha dispensados. Estava tão distraída que não foi muito cuidadosa.

Sentiu o toque da amiga em seu braço e a olhou um pouco apreensiva, mas tinha sido pega triste. Não tinha como fugir agora. Olhou para baixo, aguardando que todos saíssem da sala para poder conversar. Enquanto isso, arrumou o material. Não podia demorar muito, afinal. Tinha aula de Inglês particular e Tênis naquele dia.

O que diria para ela? Como conseguiria explicar por que estava tão triste? Tinha motivo para tanto, aliás? A tiai diria que era uma frescura, com certeza. Mas estava tão difícil deixar isso quieto. Cada vez era mais complicado e agora definitivamente tinha sido a pior vez. Esconder que foi deixada no restaurante pareceu mais simples, até porque Miwoo pediu desculpas e foi gentil com flores e telefone…

Joo Hyuk não. Porque foi ela quem tinha feito besteira. Será que Yerin conseguiria entender isso? Não foi o menino que tinha sido mau com ela daquela vez. Ela que gritou com ele. Às vezes era o contrário, mas dessa vez não. E ela estava defendendo alguém que ofendeu Yerin, como a amiga entenderia isso? Porém, quando a amiga começou a falar, Hyemin arregalou os olhos.

Ouvi-la falando daquele jeito humilde sempre a deixava comovida. Yerin nunca abaixava a cabeça para ninguém, mas pedia desculpas para ela, por causa de uma frescura sua. Seus olhinhos brilharam um pouco e ela curvou os lábios para baixo. Era a melhor amiga que podia ter. Sua melhor defensora, seu anjo da guarda… Ela estava preocupada de ter se metido em sua vida? E preocupada de ser o motivo para sua tristeza? Isso era muito lindo.

Hyemin balançou a cabeça negativamente e ficou um tempo olhando para baixo.

- Ani… - falou baixinho. - Na verdade, eu… - ergueu o rosto para ela.

- Eu… eu acho que preciso te contar uma coisa, Rin.. Eu acho que… que eu menti pra você... - a voz ficou um pouco mexida, mas ela se segurou para não chorar. - … Não foi de propósito… Miane… Eu… só.. Eu só nem sei exatamente o que eu devo contar, mas eu sinto que eu preciso conversar com você sobre isso... - ela ergueu o rosto, observando sua expressão. Abriu a boca, mas não conseguia falar a frase completa. Começava com “Joo Hyuk”, mas nem isso saía. Era realmente muito humilhante. Afinal, o que ela queria falar? Era difícil entrar em contato com aquela parte de si mesma.

Engoliu a resposta, buscando compreensão em seu olhar.

- … Eu preciso ir. Marquei de conversar com a minha tia. Eu… Vai ficar tudo bem, tá? Não aconteceu nada. Eu só… Não sei. Eu preciso pensar. Sinto muito, não queria mesmo fugir assim, mas… Não sei. Eu só… Não sei. - levantou-se e recolheu a bolsa. - Miane… Minae, Rin

Hyemin saiu em passos rápidos, trombando com uma carteira sem querer, mas fugiu da sala o quanto antes. O que precisava contar para aliviar o coração? Estava bem louca naquele dia. A menina respirou bem fundo, limpou o cantinho dos olhos e saiu andando apressada, enquanto mandava mensagem para o motorista.


(aproveitando a vibe japonesa do restaurante)


O restaurante japonês favorito para o encontro das duas trazia o conceito à noite izakaya, ou seja, um “bar”, no qual o melhor era sentar-se no balcão e pedir tudo diretamente ao chef, ou você poderia escolher as mesinhas de até duas pessoas, no amplo espaço ocidentalizado, com grande luzes e cadeiras em design moderno, tão opostas ao izakaya normal. Gostavam dali porque eles possuíam um chef renomado e também unidades de sushi, sashimi, ou no sistema omakase, ou seja, uma sequência de pratos pequeninos gourmet surpresa, escolhidos pelo chef, levando em consideração as preferências e restrições dos clientes. Era toda uma experiência gastronômica que podia levar duas horas, o que fez com que as duas aprendessem bem os pratos exóticos que mais gostavam, podendo pedir o que quisessem fora do cardápio, sem ter que passar por duas horas de surpresas. Hyemin gostava do salmão flambado, o takenoko gohan (arroz com bambu) e sushi com ovas de salmão bem gordas que explodiam na boca. Tudo isso com um chazinho.

Hyemin não poderia ficar mais angustiada do que já estava dentro do carro. De novo tinha esquecido de colocar músicas. Só queria chegar logo e resolver aquele assunto, se é que conseguiria.

A menina desceu do carro e avisou que de lá iria para a aula de inglês ainda à tarde, mas que era por ali na região, então poderia ir a pé, mas ser buscada para a aula de Tênis, o planejamento normal.

Entrou no local e avistou a tia. Deu um sorriso normal, e acenou. Conseguiu ser sincera porque realmente estava com muita sauadade dela. Deu uma corridinha até lá.

- Tiiiaaa - deu um abracinho nela antes de sentar-se. - Tudo bem?? Como foi o spa? Você está mais linda! Fez muito bem para você. Como você tá? Que saudade… -colocou a bolsa no ganchinho embaixo da mesa. - Tudo bem? - perguntou de novo, sorridente.

Droga, parecia que não conseguiria conversar o que queria. Nem imaginava como fazer.

Wangjo |{LOOK: Laço no cabelo | Bolsa | Capinha | Pulseira da amizade }

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
181

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Jae-ki em Sex Set 07, 2018 1:10 pm


Jae-ki conseguiu aproveitar seus últimos minutos do intervalo comendo ao lado de Eun-bi. Ele conseguiu comer várias frutas em pouco tempo. Não era algo que precisasse mastigar bem. Foi bom saber que o baile não teria uma taxa de entrada, porém não tinha terno nem máscara. Teria que tentar resolver isso, talvez pedir emprestado a alguém.

Não foi contra dela continuar sentada com ele, até porque era melhor do que ela ficar perto de Taemin e adorava a companhia dela. Ficou meio preocupado com a interação do cretino e Kang, mas pelo menos na sala de aula o isekya não podia fazer nada, certo?

Durante a aula, recebeu aquele bilhete de Eun-bi, depois de ler, abriu um sorriso e olhou para ela. Ela tinha razão, isso estava comprometendo sua atenção. Não podia se dar ao luxo de não aprender, parecia que a maioria ali torcia para que suas notas caíssem. Porém gostava muito de ficar ao lado dela, um dia só não faria falta não é? Depois teria que ler o livro pra aprender por conta própria. Havia tanto para ler.

O sinal bateu, Jae-ki guardava suas coisas com aquele olhar apaixonado para Eun-bi. Queria já convidar ela para almoçar junto com eles. Kang se aproximou, mas não parecia o mesmo Kang. Jae-ki se preocupou um pouco:

- Eoh, gaja! gaja! - Respondeu a pergunta do almoço - Mas cara, você tá bem? Ficou bolado de sentar ali?

Logo Bo-mi apareceu perguntando para elas se iam almoçar. Jae se surpreendeu ao ouvir a bailarina dizer que não. Fez uma carinha desanimada, não teria a companhia dela no almoço.

- Ahh... Não vai? - Reclamou com um bico triste - Fazer o que... Não gosto da sua professora, vou sentir sua falta... Foi legal hoje... A gente podia passar os intervalos sempre assim...


Disse a última parte sorrindo de um jeito doce e apaixonado para bailarina, pensando em como gostaria de cochilar com ela todos os dias. Antes ele acharia uma cena dessas melosa demais, mas agora estava ali fazendo toda manha de apaixonado. Ele ainda tinha planos para o dia que tinham haver com fazer algo para ela.

Quando ouviu o nome da MiSoo, lembrou que ainda tinha se acertar com ela. Fez uma cara desanimada, mas era importante, por causa do trabalho achava melhor não deixar isso passar. Jae olhou para MiSoo com um olhar não muito feliz e disse:

- Ya, a gente tem um papo para acertar. Mas não fica grilada, eu não vou demorar, tô doido pra almoçar. Vamos ir descendo com o dragões, aí perto do refeitório a gente se fala e pá, uns 3 minutos tá bom. Falou?

Jae-ki também falaria para os dragões:

- Vai ser rápido, vou almoçar com vocês. Juro que não vou demorar. Guardem meu lugar, de boas?

Ele pretendia descer acompanhado dos dragões, de Eun-bi e se no caminho quando saísse da sala ou no corredor visse Hyun passasse por ele, Jae-ki o convidaria também:

- Hyeong! Não vai almoçar mesmo com a gente hoje?  


Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
231

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Hyun Hee em Sex Set 07, 2018 2:15 pm

 

Apesar de ser bastante observador, a paranoia de Hyun o impedida de ser muito objetivo em suas conclusões. Sunny e Nana estavam em sua mente como possíveis usuárias de remédios. A primeira porque fugia muito do padrão que apresentava para os outros, o que o fazia identificar-se, sem saber. Já a segunda, era pelo meio que tinha frequentado, os amigos que tinha e.. O terrível acontecimento naquela boate. Incluiria Lee Hi nisso, se não soubesse que a vítima não  era do segundo ano. Já  a ex-amiga de infância estava amuada em um canto, mas não imaginava que aquela criatura era capaz de tomar remédios. Era burrinha demais para consegui-las. Como faria isso? Não a colocou nas suspeitas.

Ao mesmo tempo que fugia do próprio problema, ele não quis ficar perseguindo as duas meninas. Ele tinha planos de perguntar à garota mais fofoqueira do colégio, Ye Ji, sobre quem era a menina que havia desmaiado naquela semana. Mas não teve tempo de fazê-lo naquele dia. Havia muitas coisas na frente…

Além disso, lhe faltava um pouco de sensibilidade e empatia. Especialmente com mulheres. Era difícil ter esse cuidado, embora se esforçasse com Chae, ele cometia vários atos falhos sem querer, como o clube.

Ele estava um pouco satisfeito de conseguir resolver tudo. E como as coisas estavam se encaminhando. Viu com surpresa a alta inesperada do avô. Então não iria para o hospital. Precisava avisar sua joaninha e o irmão.

Joaninha

Hyun
Joaninha-yah, meu avô teve alta, já foi para casa. Acabou que não precisamos ir ao hospital.
Hyun
Use seu tempo para recuperar esse bracinho pequeno de joaninha para sairmos juntos logo e curta sua aula de música.
Beijo



 
Babá

Hyun
Nossa que saudade -sqn. Ele está bem mesmo? Já está falando?
Hyun
Já que vai voltar a ser minha sombra, pode comprar um celular pra mim? Sem conta, não é pra vincular meu nome


Quando estava para mandar mensagem para seu irmão, ele próprio o convidou para almoçar, depois de lançar um olhar. Antes que respondesse, Jaeki o chamou quando estava pra sair. É mesmo, o almoço com o trio. Hyun fez um sinal para ele com o polegar.

-  Hoje não vai dar. Mas a gente se vê no clube, certo? Até. - queria oferecer a ele uma palavra que o confortasse, caso ele buscasse almoçar com ele para algum desabafo, queria dizer que estaria ali depois para conversarem. -  Até mais - falou breve para os outros amigos dele, sem se esconder, e pegou o celular, digitando rapidamente para seu irmão.

“Claro. Onde quer ir? Me espere e vamos juntos”

Ele tinha que aproveitar um pouco de liberdade antes de buscar as coisas na casa da tia -- onde também podia dar seu relatório de loucura para o primo mais tarde e comentar sobre as três tigresas tristes do dia.

Passou no armário para botar o remedinho no bolso e encontrou o mais novo nas escadas.

-  Annyeong -  sorriu e desceu com ele. - Vamos cair fora daqui. Tem muito fofoqueiro. Vamos comer em algum lugar aqui perto, fiquei sabendo de um lugar de tteokbokki muito bom, mas lá é uma galeria, dá pra escolher outra coisa se quiser. Tô sem moto e sem carona

Ele saiu caminhando com o irmão. Como sempre, preferia a comida coreana. Seu estômago tinha ficado bastante nacionalista.

-  Acabei de falar com o Lee Han Jae. O vovô teve alta mais cedo. Não precisamos ir lá agora. Mas você pode ir lá em casa quando quiser para fazer a visita.  É sua casa também, caso tenha esquecido. - sorriu de leve, sem provocá-lo de propósito, era só seu jeito. - Como estão as coisas? Você está bem agora? Tem alguma coisa acontecendo?

Tudo. A vida dele. A namorada. As namoradas? Tudo. Como estava em relação ao avô? Queria mesmo que ele falasse qualquer coisa. Era um irmão mais velho que há muito não tinha um bom papo com ele. Ficou em silêncio, esperando que ele se pronunciasse, mas quebraria um gelo.

-   Nós temos que marcar aquela visita a Busan, mas parece que esse aniversário da Yoon Bo Mi vai entrar no caminho. Podemos deixar para o domingo. Está pensando em ir?

Nossa, é mesmo. Nem falou com Chae sobre aquilo. Bem, estava assumindo que ela iria, e pensava em ir para ficar de olho.

Humor: mania/estável/--+++

— Ross


Última edição por Hyun Hee em Sex Set 07, 2018 2:29 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
149

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Won-Bin em Sex Set 07, 2018 2:17 pm



Ainda era a mesma escola, os mesmos problemas e mesmas pessoas. Mas tudo parecia ter outra cor, como se o sol tivesse ido sair de férias e só tivesse voltado agora. Won era discreto mas mantinha uma expressão tranquila, como estar em paz.

Acabou não encontrando Kang e Jae-ki no caminho, apenas pegou uma fruta bem rapidamente e logo estava voltando pra sala.
Revivia as últimas cenas na cabeça repetidamente, como se aproveitasse cada detalhe: ver Bomi vermelha de vergonha era muito fofinho, quase tinha vontade de vê-la assim mais vezes, mas não na escola.

Suspirou imaginando como ia ser complicado segurar o ciúmes. O beijo entretanto selou um fato em sua mente:
"Não importa pra quem ela sorrir. Eu que roubei um beijo dela"

Se segurou para não sorrir pra Bomi quando seus olhares se cruzaram por um instante, mas conseguiu manter a expressão neutra e se sentar, fingindo não ter acontecido nada.

Won estava pleno até o momento em que Jung Mi, Gyu e Ryu Ji chegaram. Viu em câmera lenta Ryu tocar a cabeça de Bomi.

"AHHHHHHHH tira a mão daí!!!!!" sentiu o corpo preenchido por chamas, como um vulcão em erupção. Manteve a expressão neutra mas os olhos eram chamas vivas.
Então viu Bomi colocar a mão na barriga discretamente.

"Aish, ela não comeu nada? Ah, é minha culpa. Droga, eu deveria ter pegado algo pra ela. Hmmm, eu não ia conseguir ser discreto" a logística de todo o lance do namoro secreto era complicado demais!

Mas isso já podia ser considerado um namoro? Uma parceria investigativa romântica? Isso era meio confuso e Won queria ter as coisas claras, poder declarar publicamente os dois, mas ia ter de ter paciência.
A luta tinha só começado.

Enquanto isso notou Kang naquela sinuca de bico, entre os garotos que os dragões definitivamente odiavam. Até pareciam conversar com ele mas era uma situação tensa, Won ficou atento para caso precisasse intervir mas ainda era uma situação normal.

Jaeki estava no mundo das nuvens de mãos dadas com Eunbi. Depois do intervalo a presença do casal apaixonado já não era tão incomoda, apenas desejava um dia poder sentar do lado da Bomi e ficar trocando bilhetinhos.
Bastava comemorar as vitórias de um dia. E hoje tinha sido um bom dia graças ao intervalo.

O sinal bateu, pareceu até passar rápido já que estava tão distraído ou olhando pra nuca de Bomi ou revivendo a cena do intervalo. Logo começava o movimento de saída e as decisões de onde almoçar e etc.

Mas Kang parecia tão esquisito, ele tinha visto um fantasma no intervalo? Perguntou baixinho pra ele sobre almoçar.

-Sim, vamos Kang - respondeu colocando a mão em seu ombro - Tá tudo bem? Você tá meio diferente - perguntou baixinho também.

Jaeki parecia que ia ficar ocupado esse intervalo, indo resolver sua questão com Misoo: assentiu com a cabeça pra ele, torcendo que ia dar tudo certo.

Ainda com a mão no ombro de Kang eles começariam a descer rumo ao refeitório. Tentaria ficar um pouco mais pra frente pra não correr o risco de interagir muito com as meninas, e Bomi, e acabar dando bandeira.
Ia esperar o momento certo para Kang falar, se ele quisesse falar o que aconteceu.

Wangjo Lunch Time

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
195

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por MiSoo em Sex Set 07, 2018 3:15 pm


Misoo já era meio distraída por natureza. Com aquela sensação de que estava no alto da montanha russa prestes a cair com o carrinho então.. Acabou andando no corredor feito tonta até se dar conta que precisava voltar.

Acenou animada para Woo Jin quando chegou e o observou, só checando, claro, se ele estava limpo. Foi só isso mesmo. Só por isso que de repente fez um mini raio-x da imagem dele, e só porque descobriu que estava tudo certo que desviou o olhar quando encontrou seus olhos e lembrou… da cena. De olhar tão de perto.

Sentou-se rapidamente, ansiosa. Por quê? De repente queria muito bater papo sobre a toalha. Mas o que ia falar disso? As amigas chegaram, mas ela esqueceu de falar com Bomi, parecia inquieta, só acenou rapidinho para elas e ficou pensando em algo trivial quanto uma toalha. Será que estava cheirosinha? Estava lógico. E daí? Por que de repente estava preocupada com isso?

O pior é que não tinha a menor sombra de ideia do que estava acontecendo. Todo mundo sabia o quanto ela NÃO era romântica. Quer dizer, achava que não era. O fato é que não gostava muito de coisas melosas, porque achava tais atitudes forçadas, e tinha medo de sentimentos muito profundos. Então não conseguia mesmo perceber o que realmente significava a “montanha-russa”.

- Oi, o quê? Ommo? - falou meio junto com Bomi, observando Gyu Sik balançando a mão. OLhou meio assustada para Bomi, porque tinha que ter perguntado para ela como tinha sido o papo com Won Bin, se algo tinha acontecido na sala de aula.

Nossa, que amiga horrível era! Comer? Tinha comido? Nem lembrava.

- AHahahahahaha - riu de nervoso, balançando as mãos na frente do corpo. - Tá tudo ótimo. Tudo bem. Mesmo.

Oi?

Olhou Bomi, procurando qualquer sinal de tristeza ou… Sei lá? Nossa, devia mesmo ter perguntado para ela como estava, né? Ai que droga…

Sentiu um olhar nas suas costas. Assim como sentia quando era observada por Jung Mi, mas em vez de ficar nervosa com um pouco de medo, ou uma ansiedade ruim, ela começou a sentir… Algo diferente. Calor, talvez? De repente estava mexendo no cabelo, pertinho da área, fazendo um charme involuntário sem nem perceber.



Ela ficou tonteando daquele jeito no meio da aula, mas seus ouvidos briguentos e fizeram olhar para trás com cara feia para Taemin e Ryu Ji, se ela ouvisse um tom agressivo que fosse, mesmo que não ouvisse o teor da conversa.

Tentou mesmo estudar inglês. Porque tinha um torneio para ir. Ela até conseguiu anotar coisas, mas aish… Sua cabeça estava pra lá de esquisita.

Quando acabou a aula, seus ouvidos também captaram o papo de Jung Mi. Ela não tinha dado bola a princípio para o “oi” dele para a bolsista, mas agora, que era reincidente, isso lhe chamou a atenção. Misoo estranhou muito aquela interação. Desde quando eles eram amigos? Que esquisito…

Definitivamente não era ciúme, mas ela tinha uma certa apreensão por Sunny. Não é que ela tivesse algum motivo para desconfiar de Jung Mi, mas ela tinha aquela cisma… Aquela coisa estranha em relação ao ex de mentirinha. Olhou bem para a menina, ficando com os lábios entreabertos de surpresa. Olhou para Taemin também. O que tinha acontecido? Qualquer coisa que envolvesse Taemin não podia ser 100% bom.

Foi completamente ignorada pelo Park, o que era um pouco incômodo, porque lhe dava a sensação de ser completamente usada. Quando, na verdade, era para ser um acordo muito cordial e sem dor. Olhou brevemente para baixo quando viu o olhar dele atravessá-la para encontrar alguém lá no fundo (seu irmão) e deu de ombro. Não era mais problema dela. Mas o que a bolsista tinha a ver com isso? Achou curioso e só a olhou mais uma vez. Era estranho mesmo.

Enfim, Bomi apareceu e a menina sorriu, estava quase indo com a amiga, mas… Lá veio Jaeki. Misoo não conseguiu disfarçar a cara de aborrecimento quando ele chegou perto, mas ele mesmo não parecia muito a fim de enrolar.

- Araso.. - fez um bico e pegou suas coisas. - Bomi, eu vou rapidinho. A gente se encontra em quinze minutinhos. Eu e o Jaeki vamos falar aqui no corredor mesmo - decidiu, para poupar o tempo dos dois.

Assim que saiu, passou por Won e Kang. A tenista acabou olhando para trás e trocando um olhar com ele, mas não soube por que não disse nada e continuou andando com Jaeki, encostando com ele em uma parede de menos movimento, esperando as pessoas passarem.

- Antes de mais nada. De mais nada mesmo. Miane, tá? É, desculpa. Eu sei que eu gritei com você. Eu não tinha direito de fazer isso, você vai me dar sermão, não precisa. Certo? Eu errei. Não gostei do que você falou pra mim. Sobre ser patricinha, eu não quero ser isso. Eu não quero ser ruim com as pessoas de graça, mas pode ter certeza que meu negócio com você NÃO é sobre dinheiro. OK? - cruzou os braços. Queria ser prática porque precisava dar apoio a Bomi, quem não sabia que tinha reatado com Won.

- Eu não gosto de quando minha amiga chora. E eu a vi chorando várias vezes por sua causa. Não gosto de quem segura o braço dela, não gosto de quem força contato… E…. Eu já vi isso acontecendo muito. E eu não quero que outro Taemin cresça pra cima dela assim, Ok? - olhou para o lado e suspirou.

A metralhadora de explicações estava bem ativada.

- Desculpa, de verdade. Eu estava estressada, você não tinha nada a ver com isso. Eu não tenho como explicar o que houve. MAS… O que eu falei sobre fazer minha amiga chorar é verdade. Não quero me meter na relação de vocês, mas eu quero me meter na felicidade da minha amiga SIM. Eu falei do Taemin porque eu nunca concordei com o jeito que ele chegava machão querendo forçá-la a alguma coisa. MESMO ASSIM eu tolerei que eles fossem amigos, porque afinal é ela quem escolhe. E… Foi por isso que eu fiquei com tanta raiva quando eu vi você se metendo no caminho dela. Ninguém controla minha amiga, tá ouvindo? Não me interessa o seu motivo. Você tava na frente dela, e tava demandando que ela falasse com você naquele momento. Isso eu não gosto. Isso eu me meti mesmo. MAS…. Como eu reconheço que você faz bem pra ela, que ela gosta de verdade de você, como vocês se dão bem e que é muito melhor quando ela tá satisfeita com vocês dois…. Eu aceito você. E acho que é certo a gente se dar o mínimo bem. Fiquei chateada que você falou da sua irmãzinha. Eu gostei de verdade dela, mas vou respeitar o que você falou também. Enfim… Não tenho nada pessoalmente contra você. Eu só estou tentando cuidar da minha amiga. E sinto muito se eu faço isso de forma calorosa às vezes. Estou tentando não me meter tanto. Só não posso ficar quieta pra sempre se eu acho que tem uma coisa errada…. E nisso acho que temos muito em comum.

~~

— Ross

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
119

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Jae-ki em Sex Set 07, 2018 4:41 pm


Jae-ki ficou meio desanimado por ver que Hyun rejeitou seu pedido, mas tudo bem, ele devia ter coisas mais importantes para fazer. Se separou dos dragões meio sem vontade falar com MiSoo, as primeiras coisas que ela disse o surpreenderam um pouco. Não esperava que ela fosse pedir desculpas. Na verdade Jae nem pensava em dar sermão sobre isso, porque não achava que isso resolvia com elas. Se não era sobre dinheiro, então porque ela o odiava? Se perguntou Jae-ki.

Ele fez uma cara invocada quando ela começou a falar que era sua culpa Eun-bi chorar. Primeiro que ele nem sabia que ela tinha chorado, e se ela tinha ficado tão triste porque tinha tratado ele daquele jeito naquelas vezes? Por que preferiu dançar com o cretino e defendê-lo? MiSoo falava ainda como se ele fosse um tipo de canalha. Pior ainda foi ver ela o comparar com Taemin, essa já era demais. Suspirou tentando controlar a raiva. Ela o estava acusando de coisas que não fez.

MiSoo falava tanto que Jae-ki mal aguentava ouvir, nem concordava com o que ela dizia, as pessoas tinham uma visão bem distorcida dele, mesmo que ela estivesse dizendo que não ia meter no final, já o tinha ofendido demais. Nem conseguia acreditar que ela podia gostar da sua irmã. De Soo-ji, ela não ia mesmo chegar perto. Bufou zangado e respondeu a MiSoo:

- Não me compare com aquele cretino. Eu não sou um canalha MiSoo - Disse entredentes bem irritado - Você pode me xingar de sujo, marginal, o que for, mas nunca de canalha e pior me comparar com ele.

Respirou fundo para não gritar, tentando encontrar alguma paz interior:


- Olha, as coisas que vocês exigem de mim, vocês também tem que fazer. Você mesma fala que eu grito, mas é o que você mais faz comigo. E quando foi que eu forcei ela?

Jae-ki não queria falar muito, não ia adiantar de qualquer forma, tudo valia para ele, mas pra elas não, podiam fazer o que queriam.

- E cara, eu podia tentar te falar todos os meus motivos pra querer ter falado com a Eun-bi, mas você não vai acreditar, se Eun-bi me pedisse pra falar algo urgente comigo, eu ia largar quem fosse...  Mas tá, tá... Olha não vou te convencer e não é isso que eu quero falar com você. Esquece isso, não é sobre quem tá certo.

Olhou pra MiSoo, estava falando mais do que gostaria, mas tinha ficado com raiva quando ela falou "Eun-bi satisfeita com os dois":

- Valeu tentar me pedir desculpas, mas não adianta se você me ofende de novo. E eu nunca te entendo, uma hora fala mal do cretino outra tá do lado dele...Só sei que nunca te vejo gritando com ele como faz comigo. Deve ser porque no fundo você sabe que eu nunca vou machucar vocês. Você pode falar que não, mas eu sei que você me odeia. Não sei meu jeito de falar, não sei.  Mas não me importo.

Jae olhou sério para MiSoo e disse o que realmente queria:


- E só queria falar mesmo que eu amo sua amiga, nunca tentei separar ela de vocês, e vou ficar com ela querendo os outros ou não. Diferente do que você acha, eu não sou igual o isekya, se um dia Bibi não me quiser, fazer o que, cada um pro seu lado. Mas só ela pode decidir isso. E eu só quero proteger ela, tudo que fiz, foi por isso. E não grita com meus amigos, porque eles te defenderam muito já, não merecem isso. É isso, vamos tentar conviver, não vou me meter se não se meter.

Umideceu os lábios antes de continuar, dessa vez mais calmo:

- E tem mais, eu tô trabalhando agora no café Beautiful. Eu sei que você não se importa, mas, eu preciso muito desse emprego, e sei que você vai lá ás vezes. A chefe disse que não posso tratar ninguém como meu conhecido daqui, então só quero pedir ´pra não gritar comigo lá se decidir explodir de novo. Pela Eun-bi pelo menos, porque por mim sei que não vai ser... Ou pela Soo-ji, o dinheiro que eu ganho lá, não é pra mim, é pra minha família... Então, é isso.



Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
231

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por MiSoo em Sex Set 07, 2018 5:20 pm

 
Misoo teve que contar até 40, mas não consegui evitar olhar para cima e revirar os olhos. Eles falavam idiomas completamente distintos.Começava a achar que não era uma boa comunicadora, porque sentia muitas vezes que estava falando grego. Como ele era cego! Será que não entendia nenhuma palavra dela??? Por que focava nas mínimas coisas?

- Eu não estou comparando, eu só… - suspirou. Bem, ela tinha citado o Taemin para tentar explicar o que tinha acontecido, mas como fazer para explicar? -  Que ideia!!! Por que eu chamaria dessas coisas? Você é louco? Eu não sei que tipo de coisa você já ouviu na vida, mas eu não julgo as pessoas por esses motivos que você falou! - falou uma pitada de alteração na voz. Continuou seu discurso então.

- É, verdade, eu faço mesmo…  - Mas é porque você me IRRITA MUITO, MOLEQUE DOS INFERNOS. Foi o que ela pensou, mas botou a mão na cintura. Como era difícil… Será que ele não via aquilo de entrar na frente como forçá-la a algo? Ele tinha razão nisso. Ela não queria saber os motivos dele. Para ela, NADA justificava esse tipo de atitude. Ela tinha uma veia independente forte, não admitia certos tipos de atitude.

Pelo menos, Jaeki também parecia se esforçar para não brigar. Os dois simplesmente se odiavam mesmo. Não tinham como se dar bem, mas estavam tentando, por Eunbi.

Ficou com um pouco de raiva por ele não aceitar as desculpas, e ainda por ficar assumindo tantas coisas que ela não era  e não queria dizer - exatamente como Jaeki também se sentia, por motivos diferentes. Era engraçado como eram parecidos a sua maneira, mas não conseguiam se dar bem.

- Nunca me vê gritando com ele? - respirou fundo, mas deixou que ele falasse aquele primeiro trecho, e completou. - Você me conhece há quanto tempo mesmo? Você sabe se eu grito com ele ou não? Sabe se já joguei mochila nele ou não? Se eu já falei “ya, você” pra ele ou o obriguei a soltar o pulso da Bibi? Eu não gosto dele também não, tá? Eu fui lá defender a minha amiga quando ele a jogou no lago. Você é injusto de achar que eu só grito com você porque sei que você não vai fazer nada.  Protejo minhas amigas seja de quem for! Quando ele a jogou no lago e você foi salvá-la, eu fui lá enfrentá-lo. Falei um monte também, mas o Won Bin o impediu de fazer alguma besteira. Não fala o que você não sabe, tá? - fez um bico, ofendida.

Deixou então que ele terminasse de falar tudo. Não estava dando muito certo aquela conversa… Mas as palavras de Jaeki eram um pouco reconfortantes. Ela só balançou a cabeça, ouvindo-o. Então seu sangue ferveu quando ele mencionou o café e pediu que ela não gritasse com ele lá dentro. QUEM ele achava que ela era?

-  Eu NÃO sou a minha mãe, Song Jaeki. Eu não teria motivo pra gritar com você ali dentro.  Ou você acha que eu seria capaz de fazer como a mãe da Bomi e…Aaah, quer saber? Essa conversa é uma perda de tempo. Não se preocupe, eu não vou entrar mais naquele café. Vou na loja de conveniência do lado . - revirou os olhos. - Olha…. Essa conversa não deu certo. E nem tem como dar. Você não com a minha cara, eu não vou com a sua… Tudo bem. Vocês se viram a partir de agora, ok? Não vou mais falar nada de vocês dois. Não precisa se preocupar comigo, eu não vou atrapalhar vocês dois, muito menos seu emprego ou a sua irmã. Quanto a isso não precisa se preocupar. Não. Vou. Me. Meter… Isso eu prometo. Agora, não vamos mais envolver a Eunbi nisso. Como duas pessoas crescidas! Pode ser?    

Estava irritadíssima, mas não queria brigar mais com ele. Só estava decidida a não falar absolutamente mais NADA para Eunbi sobre Jaeki, Taemin ou qualquer coisa que achava nesse sentido. A amiga teria que passar por aquilo por conta própria. Não podia mais ficar nessa corda bamba. Quanto a Jaeki… só lamentava. Era um mal que teria que aguentar em sua vida (e vice-versa). E estava disposta a trocar mesmo o seu lugar de café diário para a lojinha de conveniência do lado. Não queria passar por constrangimentos.

~~

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
119

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Kim Sun-Hee em Sex Set 07, 2018 10:15 pm



Justamente por imaginar que Taemin já estava na sala de aula, ela preferiu se concentrar no próprio lugar. Não era um ato de covardia, mas ainda não conseguia - e nem queria - encarar o loiro e ver a mesma raiva com a qual se deparou no lago. Ela cutucou a besta... Uma atitude muito burra. Mais burra do que a de acreditar que Taemin não a machucaria, porém ele fez questão de mostrar o quão insignificante a bolsista era, na verdade. Sunny pensou que os dois se encaminhavam para algo próximo de uma amizade e... não. Não, não, não. Enganou-se terrivelmente.

Atravessou limites e quebrou a cara.

Mas enfim... Ela também não virou o rosto na direção de Taemin, evitando o fundão inteiro para não se trair. De toda a forma, a desastrosa interação não foi a única emoção que passou no intervalo...

E só de lembrar...

Sunny mordeu o lábio enquanto fechava os olhos por alguns instantes. Coincidentemente, voltou a abri-los ao mesmo tempo em que Jung-Mi sentava na cadeira de antes... bem perto.

Ali estava o "seu" perfeito exemplo de rejeição.

Park Jung-Mi.

Nem por isso saía tacando as pessoas no lago ou odiando a existência de Misoo.

Porém, doía sim. Sunny entendia muito bem... Entretanto, a situação semelhante não lhe dava o direito de se intrometer nas feridas alheias. Ela tinha a péssima mania de tentar colocar pomada em machucado que precisa de pontos, apesar das boas intenções. Disse coisas duras para Taemin porque ele ameaçou JaeKi e os meninos. Ameaças que não foram da boca para fora. Todavia, agora estava chateada, confusa e triste demais para refletir sobre a conversa/briga.

Cansada, esgotada...

Apenas visualizou a mensagem de Kim, pois a presença da professora a obrigou a guardar o celular quando já mexia os dedinhos para respondê-lo. A chegada dela se revelou uma ótima desculpa para viajar. Até copiou a matéria e os exercícios, mas não fez as anotações típicas ou os detalhes caprichados que ajudavam na hora de estudar.

Sentia-se encurralada ali. Desejava olhar para o lado... Para Jung Mi, mas não podia e não devia, principalmente, assim como se controlava para não olhar Taemin por cima do ombro.

Que difícil...

Quando o novo sinal tocou, encerrando aquela etapa de aulas, Sunny chegou a se assustar de tão perdida no nada, como quem dorme de olhos abertos. Ainda sentada e ignorando as movimentações paralelas, ela suspirou e começou a guardar o material, distraída do mundo.

Até que a voz de Jung Mi se colocou presente.

Na mesma hora, interrompeu as ações conforme o queixo erguia-se devagar para encará-lo, embora ele também tenha cedido alguns centímetros em sua direção. Sunny crispou os lábios e, dessa vez, não disfarçou a maneira que Jung-Mi a afetava. Nos olhos dela, o questionamento acendia como fogos de artifício. Mas permaneceu quieta, pois as reticências no chamado indicavam uma continuação. De primeira, não pensou que fossem receber outros olhares... A mente de Sun-Hee estava mais lenta depois de tudo e agora... Com Jung-Mi tão próximo... Era complicado, inclusive, respirar.

De repente, uma seriedade estranha ocupou a expressão perfeita e linda do Park mais novo à medida que uma confusa surgia na de Sunny frente ao aviso.

-  Não... fazer isso... de novo? Eu não entendi sobre o que se refere, Jung-Mi...

No entanto, foi fácil descobrir. Bastou acompanhar o olhar do Park e Sunny arregalou os olhos quando Taemin entrou no seu campo de visão. Só que o loiro parecia mais interessado em responder a encarada de Jung-Mi. Sunny dividiu a atenção entre os dois e se encolheu na cadeira, prevendo desastres.

Estava morrendo de vergonha!

Tudo aconteceu rápido, independente da letargia que compunha o raciocínio da bolsista.

Jung-Mi viu. Jung-Mi viu a conversa dela com Taemin. Desde qual pedaço? E – pior, muito pior! – até qual? Será que estava bravo? O quê?! E daí?!?!?! Ele tinha coisas... Não. Ele tinha pessoas mais importantes com quem se preocupar!

Sun-Hee acompanhou a saída de Taemin e logo voltou os olhos para Jung-Mi, fitando-o com a feição corada e encontrava-se, aparentemente, sem fala.

Não respondeu...

Por causa do constrangimento ou... porque, talvez, planejasse fazer de novo.

Fato era que ela entendeu o “recado”.

Quando Jung-Mi saiu da sala, depois de Taemin, Sunny enterrou o rosto nas mãos, querendo simplesmente desaparecer. Assim que destapou a face, Sun-Hee olhou para MiSoo quase que de forma combinada. E sentiu muita culpa outra vez.

O que mais faltava para completar aquele dia horroroso?

Era estranho que ele não a tivesse esperado. Será que os dois brigaram? Então... Algo surgiu na sua cabeça...

Um prazo.

Não um período específico, mas uma promessa de término.

Nada que fosse da sua conta.

Não era da sua conta.

Fechou o zíper da mochila de qualquer jeito e se levantou, finalmente encarando Stella e o provável ponto de interrogação da amiga.

-  Depois, Stellinha... Eu juro que depois te conto, mas... Preciso comer. Precisamos comer.

Mesmo que não sentisse fome, mas a comida era a melhor desculpa para manter a boca ocupada.

Esperaria Stella para seguirem juntas ao refeitório.  

WangJo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
157

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Dong Hee Kyung em Sab Set 08, 2018 3:36 pm



Na sala de aula, Hee Kyung não estava em seu máximo, inclusive menos participativo nas questões e comparações que antes viesse a fazer. Para alguns alunos parecia muito massante, mas o nerd interior gostava desse ambiente de aprendizado, e no final daqueles tempos, usualmente ele levantaria junto de Min-Ho para tirar as ultimas duvidas, mas não o fez...

Sua face olhava vez ou outra para Stella, como se ela fosse mais importante do que a aula em si. Sun Hee era outra que voltou bem estranha, não sentia uma aura confiante vindo dela, mas não sabia se nutria de tanta intimidade para lhe questionar algo... talvez fosse mais fácil perguntar para a menina do país dos castores.

Seus amigos mais atentos perceberiam sua desatenção momentanea, pelo menos comparado ao foco inquebravel de Min-Ho, era uma desatenção.  Logo depois Ui-Jin finalmente resolve chamar os 4 para um churrasco, lá, Dong imagina que ele fosse abrir o jogo.

- Acho uma grande ideia meu caro, estou com fome, mas faço uma contra proposta: Por que invés de 4 não colocamos um numero mais redondo, 5 ou 6? De preferencia um numero par. - Mexeu as mãos devagar enquanto pegava as suas coisas. - Queria chamar a Stella, que acha? Vai ser um tema tenso? - Falou o nome dela alto o bastante para que ouvisse. - Ei Stella, o Ui-Jin disse que vai pagar churrasco, quer vir? - Ainda se virou falando para a menina e depois para Min-Ho - Viu isso amigo? Como nosso narrador é generoso, um legitimo cavalheiro, gostara que fosse assim também nas campanhas.

No fim Dong não sabia se a garota aceitaria também já que ela parecia estar prestes a sair com a Sunny, quem sabe não poderiam unir o útil ao agradável.


11 DE JUNHO. SALA D AULA. 10:25 A.M

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
104

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por The Crown RPG em Dom Set 09, 2018 4:23 pm

11 DE JUNHO. WANGJO.


Todas as dificuldades e barreiras que existiam antes, pareceram sumir diante da atitude de Jung Mi. Nas últimas horas, ele havia falado mais do que nos últimos dois meses e revelado bem mais do que durante todo o tempo que se conheciam. A encarada que deu para Taemin dispensavam palavras.

E o loiro correspondia à altura, com desprezo ao invés do que Jung Mi enviava - posse, proteção ou sabe-se lá o que ele achava que tinha direito em Sunny. Taemin podia ser burro com os estudos, mas conhecia aquele garoto desde sempre e não precisava de muito esforço mental para lê-lo. Os olhos dele recaíram sobre Sun Hee antes que saísse e meneou positivamente, como se entendesse alguma coisa. Revirou os olhos, por fim e saiu daquela insanidade antes que acabasse pegando uma cadeira e batendo em alguém.

Será que conseguia mirar em Jung Mi e Jae Ki ao mesmo tempo? Seria o matar dois coelhos numa cajadada só - ainda que o dentuço fosse ele mesmo.

Depois da saída dele, Jung Mi voltou o olhar para Sunny e franziu um pouco o cenho quando a pergunta dela foi absorvida. A resposta dele tinha sido a encarada com o loiro e agora que percebia como ela parecia afetada, apenas suspirou.

- Não preciso responder esta pergunta. Você já sabe… - Ajeitou seu material. - Tenha cuidado.

Repetiu o alerta e virou-se para se retirar dali. Antes também viu seu irmão no fim da sala, mexendo no celular. Não queria continuar ali e sentia o olhar de Misoo, mas não fazia questão de encará-la. Ele se retirou e enviou a mensagem para Hyun ainda durante o corredor.

Stella estava extremamente confusa com tudo aquilo que acontecia. Mesmo com a saída de Jung Mi, era para Sunny que continuava olhando. A amiga parecia entender sobre o que o príncipe tinha falado e estava toda vermelha e culpada. Quantas confusões mais teria que sustentar sem saber como tinha começado? Por que Sunny fazia questão de se expor tanto? Estava cansada - mentalmente cansada - e isso não a ajudava a ser empática.

Queria ajudar, mas se a pessoa sempre deixava para depois, ficava difícil.

- …. - O bico estava formado.

A resposta aborrecida ficou na ponta da lingua, mas foi evitada porque ouviu Hee Kyung falando seu nome com Ui Jin.

- Hm? - Virou a cabeça para encará-los.

[...]


Ui Jin tinha a sombra de um sorriso nos lábios quando Hee Kyung concordou com sua ideia. Estava quase mais aliviado porque poderiam conversar sem interrupções, mas travou com a contra-proposta.

- Mwo?! Mas já somos um número par e…

Antes que conseguisse concluir, o garoto revelou que queria chamar Stella. O problema nem era citar o nome dela, mas falar alto o bastante para que ela virasse o rosto e o encarasse.

- Hm? - Stella desviou o olhar aborrecido que tinha sobre Sunny e olhou para os meninos. Dong reconheceria bem o bico dela, um fato que ele tinha destacado que sempre chamava a atenção quando ela estava brava.

Ui Jin nem teve tempo de responder se o tema seria tenso. Levou a mão até a têmpora massageando a região e Min Ho voltou da mesa do professor, fechando seu caderno e olhando o contexto.

- Que tema tenso? - Respondeu mais alto.

Como o generoso amigo não respondeu o óbvio, Dong se viu no direito de convidar a menina para um almoço. Stella ficou surpresa com aquele convite e levou as duas mãos até a alça da mochila.

- Você vai pagar o churrasco para ela também? - Min Ho olhou para Ui Jin. - Ganhou a mesada?

- Aish…

- Eu quero sim! - Stella respondeu antes de pensar muito. - Vamos, Sunny?

Era melhor comer na companhia de muita gente e parar de pensar nos problemas de Sunny do que ficar sem entender nada e começar a se angustiar por isso. Ui Jin não estava mais tão animado quanto antes, mas o grupinho saiu da sala. Antes deles saírem, Hyun Hee também se foi e as meninas viram que ele não parou na sala do 2º ano como geralmente fazia.

Coincidência ou não, Ha Neul e Sona saíram frente de Lee Hi, Hyewon, Chaeyoung e Kai. Mesmo com o braço imobilizado, ela estava com a mochila pendurada no ombro bom e mexendo no celular.

- Ya! - Ha Neul ergueu o braço, cumprimentando os meninos.

Ui Jin já estava respirando fundo pensando em quantas pessoas acabariam comendo às suas custas. Min Ho, como sempre, acabou falando.

- 6...7...11 pessoas. Vamos chamar a escola inteira?

- Chamar pra que? - Sona arqueou uma das sobrancelhas.

- O Ui Jin nos convidou para comer churrasco, mas parece que o Hee Kyung falou demais e chamou Stella, Sun Hee e agora ele se vê na obrigação de chamar todos vocês.

- Obrigação?!- Ha Neul ficou chocado.

- Você estava na lista, hyeong. Eles que não. - Min Ho, o sincero sem noção, apontou para eles.

- Ani, ani… - Ui Jin balançou a mão nervoso. - Seria uma honra se vocês quiserem ir conosco. - O garoto abaixou a cabeça, suspirando e falando baixinho, como sempre.

Lee Hi e Hyewon ficaram sem saber o que dizer, mas Kai parecia se divertir com aquela pequena tortura. Nem falava com os meninos, mas podia conseguir um churrasco de graça, por que não?

- Eu qu…

- Ani. - Chae o empurrou de leve. - Obrigada pelo convite, Ui Jin-ssi! Foi muito gentil e também seria ótimo almoçarmos juntos! Mas vamos almoçar no colégio mesmo, o meu braço está incomodando muito para ir a um restaurante. E você prometeu levar minha mochila. - Olhou para Kai.

- Prometi?

- Prometeu.

- Cade seu namoradinho rico para fazer isso?

- Não faço ideia, mas sei onde meu amiguinho pobre está: bem aqui! - Empurrou a mochila para ele. - Hahahaha...Anda!- Forçou uma risada e uma careta para que ele andasse logo.

Kai cerrou os olhos, mas foi andando depois dos empurrões. Tinha provocado Hyun, mas a garota respondeu com o mesmo cinismo e ainda deu a risadinha debochada. Eles se mereciam mesmo. Lee Hi e Hyewon também deu um sorriso gentil enquanto a dupla se afastava.

- Sunny, Stella, vocês vão ou ficam?

- Ahm… - Stella coçou a cabeça.

- Stella-ssi vai. - Ui Jin disse de modo firme, mas logo voltou a sussurrar - Ela queria ir…- E olhou para Dong com certa raiva porque quem queria que ela fosse era o amigo mesmo.

[Continua porque já sei a resposta!]
(C) Ross


CORREDOR. 11 DE JUNHO. 12:45 P.M.


Won, Jaeki e Misoo


Quando o sinal bateu, Woo Jin praticamente se jogou da cadeira e deu as costas para Misoo. Durante toda a aula, ele ficou distraído com a nuca da tenista e quantas vezes ela arrumou aquele cabelo - tinham sido 17 até que ele parou de contar e só ficou observando mesmo. O sinal indicando o fim da aula pareceu tocar dentro de seus tímpanos, por isso ele se levantou rapidamente, como se fosse pego dormindo na sala de aula.

Ao perceber seus movimentos exagerados, ele tentou recobrar o fôlego e, pouco a pouco, voltou aquele estado meio sonolento. Aproximou-se dos amigos perguntando se iam almoçar juntos. Ouviu meio de longe as respostas e só foi balançando a cabeça, mas sem responder nada.

Os amigos talvez não tivessem reparado, mas ele estava sem o blazer, usando apenas a blusa do colégio com a plaquinha no bolso da blusa e não do balzer. A calça era escura o suficiente para esconder a mancha, por isso parecia tudo bem.

Começou a andar com os meninos até que viu a imagem de Misoo crescendo. Engoliu em seco e desviou o olhar, passando a mão na nuca.

Eun Bi já tinha rejeitado o convite do almoço, mas estava de mãos dadas com Jae Ki. Bomi estava ao lado de Misoo e fez sinal para que seu irmão fosse na frente com Ryu Ji, ela iria depois. Os dois grupos se cruzaram no corredor da sala mesmo e pareciam acertar os detalhes ali.

Kang e Eun Bi pareceram mais apreensivos enquanto Bomi evitava olhar para Won Bin e prestava atenção na conversa.

- Três minutos, é? - A garota comentou achando certa graça. - Vão virar trinta, com certeza.

Eun Bi concordava e isso a deixava ainda mais aflita porque não podia ficar muito tempo ali. Mas como sair, se havia a possibilidade deles brigarem? O grupo simplesmente foi andando. Bomi e Misoo iam um pouco mais à frente, seguidas por Jae Ki e Eun Bi, deixando Won e Kang um pouco mais para trás.

Até agora, Woo Jin não tinha respondido com palavras nenhuma das perguntas que fizeram a ele. Contudo, ele parecia um pouco mais tenso. Quando chegaram no primeiro andar, não foi difícil achar um corredor mais tranquilo - na direção da enfermaria, lado oposto do refeitório. Acabaram seguindo sozinhos a partir de um certo trecho e, mesmo dizendo que demorariam pouco, isso e aquilo, acabaram tendo plateia.

- Tsc..Como vou embora assim? - Eun Bi perguntou e coçou a nuca. - Acho que eles vão brigar.

- Acho que é pior ficar por aqui. - Bomi comentou. - Precisamos confiar neles, não é?

- Eu confio, mas preciso concordar com a Eun Bi-ssi. - Kang falou um pouco mais sério. - Eu vou ficar aqui, caso precisem de ajuda.

- Você está concordando comigo?- Eun Bi o encarou. - Aliás, o que houve com seu blazer?

- Er...caí no chão, escorreguei numa poça de suco e me sujei.

- Mwo?! - Eun Bi levou a mão até a boca e os ombros começaram a tremer. - Desculpa… - Os olhos riam também. - Você está bem??

- Uhum...Pode rir, foi engraçado mesmo. - Woo Jin coçou a lateral da testa.

E Eun Bi escondeu o rosto com as duas mãos enquanto o corpo inteiro tremia. Não dava para saber se estava rindo ou chorando. Bomi umedeceu os lábios, se esforçando para não rir também e bateu no ombro dela.

- Ya! Sua insensível!!

Kang olhou para Won, conferindo se ele não estava querendo rir também. O próprio estava com o pescoço tenso e controlando a boca. Eun Bi abanou a mão na frente do rosto e tentou se concentrar.

- Já acabou?

- Ne…Então, vamos ficar aqui?

- Ani, eu vou no meu armário e pro refeitório guardar o lugar. - Bomi respondeu e para manter o disfarce, olhou para Won como se o maior problema dela ficar ali fosse ele.

Kang e Eun Bi acompanharam a encarada e fizeram um “aah..”. Era muito ruim andar assim. Antes os dois eram tão próximos e agora eles tinham que viver pisando em ovos porque eles não se suportavam mais. Bomi esboçou um pequeno sorriso para os dois e saiu dali, seguindo para seu armário para guardar a mochila.

Pelo menos, a plateia estava longe o suficiente para não ouvir o conteúdo todo da conversa. Só ouviam quando uma palavra o outra era dita com mais ênfase. Eles estavam mais atentos mesmo às expressões. Só naqueles longos discursos que os dois faziam, já tinham passado uns cinco minutos do almoço.

[Won decide se fica até o final. Caso Jaeki e Misoo terminem em seus proximos turnos, Kang e Bibi ficaram ali com carinhas “ó.ò” apreensivas para eles.]
(C) Ross


REFEITÓRIO. 11 DE JUNHO. 12:48 P.M.


Sun Hee não foi ao restaurante com os meninos e Stella, preferindo ficar com Lee Hi, Hyewon e Chaeyoung. Kai também acompanhou as meninas até o refeitório, mas ele nunca ficava na mesma mesa que elas. Pelo menos nunca tinha ficado antes, porque dessa vez, ele se sentou ao lado de Lee Hi, de frente para Chaeyoung.

O lugar não estava tão cheio como de costume, dando para notar várias ausências ali - o próprio grupo dela, Kim, Hyemin, Jung Mi e Hyun Hee, fora algumas pessoas que não tinham dado as caras ainda.

Pior que o menu daquele dia era realmente gostoso - peixes e frutos do mar. Os pratos mais chamativos e gostosos eram esses. Quem não quisesse, podia comer arroz com omelete e salada. Ou somente peixe, tinha salmão grelhado, mas o molho tinha camarão e outros frutos do mar. Enfim, o cheiro estaria por todo o lugar.

Apesar de ter muitas ausências, Taemin estava por ali, terminando de fazer seu prato. Estava acompanhado do amigo Jiran e da namorada dele. Juntos, ficaram próximos da mesa da irmã dele e dos outros do 2º ano - as mesas de Jong In e Eun Joo que agora pareciam andar juntas.

Lee Hi nem olhava naquela direção, preferindo pensar em sua comida e se ofereceu para ajudar Chae a fazer o prato. Todos estavam cuidando dela como podiam. Kai se ofereceu para pegar as bebidas e perguntou para cada uma o que ia querer. Hyewon agradeceu o gesto dele e o observou sair.

- Tsc...Ele é estranho, mas é uma cara legal. - Comentou, suspirando enquanto mexia no cabelo. - Hm...Sunny? - Balançou de levinho a mão em frente aos olhos dela. - O que houve? Você sumiu no intervalo e ainda agora parece ausente...Está tudo bem? Ahm...Fizeram...alguma coisa com você hoje?
(C) Ross


HYUN HEE. 11 DE JUNHO. 12:48 P.M.


Diferente de alguns alunos que pareciam desesperados para saírem dali, Hyun Hee ficou mais concentrado em responder às mensagens que recebeu. Chaeyoung ficou online ao receber a mensagem dele e, como era difícil escrever com uma mão só e não dava para mandar um audio agora, ela mandou um emoji de beijinho com coração. Quando estivesse num lugar com menos movimento, enviaria o áudio.

Enquanto ele falava com Jaeki, Han Jae também respondeu à mensagem.

Babá

Babá
Está falando com dificuldades, por isso vai precisar das sessões de fisio e fono. Mas está bem sim, fique tranquilo.
Babá
O que não me deixa tranquilo é ler que você precisa de um celular sem conta. Para que? Tem relação com o que aconteceu ontem?


Caso ele não respondesse por mensagem, mais tarde teriam uma conversa um pouco mais séria. Podia ser um empregado, mas era o responsável por Hyun e precisava se preparar, no caso do garoto aprontar ou sofrer alguma coisa. De repente, o hospital pareceu uma tarefa bem mais fácil de lidar.

Jung Mi ainda estava descendo as escadas quando recebeu a mensagem do irmão. Tinha sido bem mais rápido e fácil do que ele esperava.

“Kure. Estou na entrada do nosso prédio.”


Conforme tinha combinado, o irmão estava esperando por ele no portão de entrada. Estava mexendo no celular, vendo uma mensagem que tinha acabado de receber e tentava entender o que aquela imagem significava, apesar de ser bem óbvio. Franziu as sobrancelhas e fechou a tela de modo natural quando ouviu os passos se aproximando.

O celular parou no bolso de seu blazer e Jung Mi o encarou com a expressão neutra, controlada, mas com um discreto sorriso despontando no canto dos lábios.

- Annyeong. - Respondeu e ajeitou a alça da mochila no ombro. - Eoh...Tem mesmo. - Desceu as escadas da entrada com ele e começou a tomar o caminho para fora do colégio. - Eu poderia chamar o motorista, mas acho que prefiro andar um pouco, para variar. Vamos a essa galeria comer o tteokbokki. Também já ouvi falar dele.

O lugar não era tão importante assim, nem ao menos a comida, apesar dele querer algo gostoso. O foco, na verdade, era a companhia do irmão. Se queriam mesmo reconstruir os laços, precisavam de momentos como esses. A questão do avô também ajudava nesse processo.

- Já teve alta? Isso é bom. - Pareceu satisfeito. - Ontem eu não pude ir visitá-lo, mas queria ter ido antes da alta. - Observou o irmão enquanto ouvia sobre visitá-los. - Quem sabe? - Meneou positivamente. - Está tudo bem. - Pareceu sincero. - Ando um pouco cansado, mas preciso cumprir com minhas obrigações e não posso me dar ao luxo de descansar. - Ficou um pouco mais sério. - Andei ocupando minha mente tentando ajudar os outros e preocupado com algumas coisas, mas coloquei um fim e sinto-me mais leve com isso.

Até chegou a sorrir enquanto andavam até a tal galeria. Os dois ficaram em silêncio enquanto atravessavam o sinal, mas Hyun Hee quebrou o gelo de novo.

- Oh, é verdade. Eu já estava pensando em falar com você sobre isso. Eu vou sim. O aniversário também é do Gyu Sik e somos muito amigos. Você vai com sua namorada? É uma pena que ela tenha machucado o braço na semana de uma pool party, mas ainda assim, será divertido. Aliás, ela está bem? Vocês estão bem?

Conversando assim, nem parecia que tinham ficado tanto tempo sem se falar ou dito coisas tão crueis um para o outro. O celular de Jung Mi tocou de novo e havia várias mensagens não lidas.

- Só um instante, por favor. - Desbloqueou o aparelho para colocar no silêncio e suspirou bem cansado quando colocou de volta no bolso. - Ainda bem que não sou capitão de nenhum clube, o volume de mensagens deve ser ainda mais irritante.
(C) Ross


HEE KYUNG. 11 DE JUNHO. 12:49 P.M.


No fim das contas, Hee Kyung conseguiu o que queria: convidar Stella para o almoço e ter um número par mesmo assim. Sona também aceitou isso, antes mesmo que Ha Neul perguntasse se ela queria. A garota estava curiosa com aquele repentino convite, ainda que não tenha sido para ela de início.

Agora os seis estava sentados numa mesa redonda de um restaurante com churrasco tipicamente coreano. Muito embora não fosse muito distante, eles foram de carro para ganhar tempo e poder comer mais. Num carro foram Ui Jin, Ha Neul e Sona e no carro de Stella, foram Hee Kyung e Min Ho na frente. Foi um passeio breve de cinco minutos e nem deu tempo de conversarem muita coisa.

Os estômagos roncavam e queriam se fartar antes dos clubes. O capitão de xadrez estava ali, inclusive. Tinham que usar o relógio à favor deles.

Hee Kyung ficou entre Ha Neul e Stella. Ao lado de Ha Neul, Sona, Min Ho e Ui Jin ao lado de Stella de novo. A chapa no meio da mesa já estava esquentando para a carne. Além de ter convidado todo mundo, o jovem chef também ficou com a incubência de grelhar a comida deles.

Ele era realmente bom e até que não ficava com tanta vergonha quando fazia seus quitutes.

- Uwaa..Daebak, Jinie! - Ha Neul bateu palmas.

Até Sona sorriu  - algo bem raro - vendo a animação do garoto mais novo. Ele serviu a todos com bastante esmero. Stella parecia feliz por compartilhar de uma refeição tão gostosa - como não estaria?

- Então… - Sona comentou. - Eu realmente estou curiosa para saber o motivo desse almoço. É aniversário de alguém?

- Hm… - Ha Neul pensou. - Não. É mesmo, Ui Jin, por que você decidiu fazer essa surpresa?

- Precisa de motivo para almoçar com meus amigos?

- O Hee Kyung perguntou se o tema da conversa era tenso. - Min Ho falou, ajeitando os óculos. - Por que seria tenso? É aquela coisa que você queria falar no intervalo, mas não conseguiu?

Sona colocou mais comida na boca para não rir.

- Ne. - Ui Jin falou, de repente e parou de grelhar. - Mas já que vocês dois - Apontou as espátulas para Dong e Ha Neul. - Convidaram as duas… - Apontou para Stella e Sona. - Contem a verdade para elas antes que eu o faça. Com o perdão da palavra, senhoritas, eu queria ter mantido isso entre os meus amigos porque faz parte do segredo que estamos mantendo.

- Oh...Miane… - Stella soltou o hashi e fez uma expressão culpada. - Não precisava ter me chamado, Hee Kyung-ssi…

- Eu sei, por isso quis vir.  Vocês não sabem disfarçar nada e eu estou cansada de me fazer de burra. Contem logo o que estão tramando e vamos encerrar isso.
(C) Ross


HYEMIN. 11 DE JUNHO. 1:07 P.M.


Yerin estava bastante preocupada e infeliz com a ideia de ser a causadora daquela dor em Hyemin. Podia aceitar vários rótulos de vilania e não sentir nenhum tipo de arrependimento, mas não conseguia aceitar ser a causadora do mal de sua melhor amiga. Se ela tinha passado dos limites, precisava pedir. Não, precisava implorar pelas desculpas dela.

Por isso esperou que a sala ficasse vazia para falar com ela e tentar consertar seu erro. Contudo, a resposta de Hyemin a deixou confusa. Franziu um pouco as sobrancelhas e a encarou.

- Mentiu? - O coração apertou bastante com a possibilidade.

Não gostava de mentiras e nunca perdoava quando a traíam. Será que...Umedeceu os lábios e esperou que ela continuasse. As duas ficaram bastante travadas ali, se encarando. Uma sem saber se conectar consigo mesma e a outra sentindo que o coração estouraria a qualquer momento e os olhos marejavam. Engoliu o choro e meneou positivamente.

- Araso...Está tudo bem...Depois conversamos, Minah… - Deu espaço para que ela se levantasse e saísse dali e fosse ao encontro de sua tia.

Yerin permaneceu no mesmo lugar e foi incapaz de olhar na direção da porta. Ficou sozinha na sala por mais tempo do que gostaria, mas ainda parecia um pouco difícil sair dali.

[...]


Chun Ja gostou daquele restaurante desde o primeiro momento que seus pés pisaram ali. Era diferente dos que costumava frequentar, mas isso não comprometia a qualidade da comida, das bebidas ou o bom tempo que passava ali. Costumava leva a sobrinha ali aos fins de semana ou na época de férias antes ou depois das idas às comprinhas ou passeios que costumavam fazer.

Também era um lugar que adquiria memórias diferentes quando frequentava à noite, ainda que fosse sozinha. Ele ganhava uma outra atmosfera ainda que dentro do ambiente não desse para diferenciar o dia da noite - a não ser pelos fumantes que deixavam o vício da nicotina falar mais alto no happy hour entre amigos de trabalho ou em encontros.

Não obstante todo o clima e comida, o ambiente perfumado também tinha bom gosto para as músicas que tocavam. Era o que acontecia no momento.

Como não podia ser diferente, ela chegou primeiro ao lugar. Só teve tempo de acordar, tomar um suco e se arrumar para ali. Já fazia um tempo que não via sua sobrinha e, como não havia nada de interessante para ela num SPA, passou numa loja de perfumes e cosméticos para comprar umas velas aromáticas para o banho. Deixou a caixa bem embalada em frente à cadeira que ela ocuparia e ficou mexendo em seu celular.

O SPA tinha feito bem a ela, tirando parte do estresse que ela vinha passando em sua vida. Era uma mulher jovem ainda, diziam e aparentava ter menos do que realmente tinha. Além da pele parecer melhor, ela também deu um jeito no cabelo, cortou um pouco mais para dar um jeito dele crescer uniformemente e colocou uma franja jogada, dando um ar mais jovial para si.

Enquanto aguardava por Hyemin, pediu o salmão flambado para as duas, para que o chef fosse adiantando. Como entrada, pediu sashimi e lula e polvo acompanhados de sakê. Estava dando um pequeno gole na bebida quando a visão de sua sobrinha preencheu o ambiente.



Deu um de seus típicos sorrisos contidos e levantou-se. Estava usando uma blusa azul marinho e uma calça comprida branca com um largo cinto bem no alto da cintura. Não tinha joias nos braços, mas um belo bar de brincos e os anéis dispostos elegantemente em seus dedos.

- Hyeminah… - Abraçou a sobrinha com cuidado para não se amassarem. - Obrigada. Você parece cansada… - Olhou bem para o rosto dela. - Seu batom já saiu, inclusive.

Parecia ligeiramente desapontada pela sobrinha não ter se arrumado minimamente para vê-la. Nem tinha ideia das matérias que ela tinha naquele dia, mas Chun Ja sempre prezou muito pela aparência e ensinou todos os passos da beleza. Temia que ela tivesse esquecido deles e começasse a virar um dos estudantes desalinhados e sem graça do ensino médio.

- Também senti sua falta. O SPA foi ótimo, tão bom que já queria voltar pra lá. - Ajeitou o cabelo. - E você? Como está?

Virou o celular com a tela para baixo e arqueou uma das sobrancelhas com a insistência na pergunta.

- Estou pensando em me divorciar de novo. - Revelou sem esperar muito. - E estou bem com isso. - Deu um gole em seu sakê. - Já pedi seu salmão flambado, viu? Mas prove o polvo, está delicioso.
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1215

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Jae-ki em Dom Set 09, 2018 7:48 pm


Era díficil para Jae-ki conversar com MiSoo, os dois não conseguiam se entender. Jae já esperava ser xingado, queria dizer pelo menos as coisas que mais odiaria ouvir, como o comparar a um canalha. Ele fez um bico invocado para as respostas dela. MiSoo podia falar que não julgava os outros por esse motivo, mas para Jae, o modo como ela o tratava dizia diferente. Não entendia o que era, mas parecia ter algo pra ele.

Estava revoltado também por exigirem dele coisas que nem elas faziam. Mas era difícil fazer elas entenderem, era o que Jae-ki sentia. Coisas assim conseguiam ser muito mais complicadas do que física ou qualquer outra matéria. Jae-ki manteve o bico e inflou as bochechas quando a ouviu dizer que ele não a conhecia. Isso até que era verdade, mas ela também não o conhecia.

A garota tentava explicar que era contra Taemin, parecia convincente, mas Jae-ki ainda tinha suas dúvidas porque não esquecia a última discussão deles, era como informações desencontradas. Então era estranho ainda, talvez ela só o queria provocar naquele dia? Não conseguia alcançar o raciocínio de MiSoo para isso.


Vendo que não conseguiam chegar a lugar algum, Jae-ki disse o que era mais importante para ele no momento, sobre o trabalho. Mas não esperava que ela se zangasse tanto. Suas bochechas esvaziaram do ar enquanto a escutava. Mas era um alívio ouvir que ela não iria se meter mais e que nem o ia atrapalhar no trabalho. Porém achou a decisão dela muito radical de não ir mais ao café. Jae percebeu que tinha uma platéia, Eun-bi e Kang.

- É MiSoo, nisso você tá certa, eu não te conheço, por isso que tô pedindo. Aigoo, eu não pergunto o que eu já sei, não sei porque tá falando da sua omoni, eu nem sei sei quem é ela - Disse sobre o café - Eu só sei o que você faz comigo, parece que tá sempre achando o pior de mim. Olha, você conhece a Bibi há anos, se pensar bem talvez você entenda porque ela gosta de mim. E eu vou repetir pra você gravar, eu amo a Eun-bi, e não faço mal pras pessoas que eu gosto.

Olhou para Eun-bi e depois de volta para MiSoo falando um comentário:

- Eoh, não precisa se meter, comigo ela tá segura, se for pra alguém se machucar vai ser eu, Bibi que pode me machucar com o sapato dela. - Disse sincero, mas também meio de brincadeira.

Estava mais calmo depois de ouvir que ela não se meteria, e meio confuso no que acreditar. Era estranho ela ouvir falar da omoni dela sendo que ele nem mencionou isso. Mas do jeito que ela falava, devia ser uma omoni igual a mãe da Bo-mi. Ia ter que tomar muito cuidado no trabalho. Em seguida ele falou sobre o café de novo para concluir:


- E eu não falei pra não ir no café. Por que ia deixar de ir? Você disse que não vai gritar comigo e nem eu com você. Não vou colocar nada no seu café, eu vou ser só um funcionário normal. Se é um lugar que gosta de ir, não tem que parar porque me odeia. Você deixa de fazer as coisas porque tem pessoas que odeia nelas? - Suspirou pensativo, não sabia que tipo de garota era MiSoo e nem porque tava falando isso - Olha, você que sabe. Mas se não quer ver minha cara, tem horas que não tô lá. Só sei que eu não ligo se você for, vou te atender como uma cliente.

Balançou os ombros, nem sabia porque estava falando isso, não conhecia mesmo MiSoo, mas não achava justo que ela não fosse no café por causa dele. De qualquer forma era uma decisão dela. Não entendia que tipo de constrangimento ela falava. Ela estaria pensando mais uma vez o pior dele? Ele não cuspiria no café da amiga da Eun-bi. Só faltava o acusar depois por ter deixado de ir ao café. Coçou a nuca e disse antes de finalizar:

- É isso, já disse o que eu queria. Estamos combinados então, certo?

Jae-ki seguiria para perto de Eun-bi e Kang, a acompanharia até onde dava.

- Gaja! Gaka! - Disse para Eun-bi e Kang - Eu e MiSoo já... Conversamos. - Devia ser essa a palavra, " conversar". Queria ter esclarecido as coisas, mas pelo menos estavam certos de que iria se aturar.

Ele estava morrendo de fome, o almoço era sua parte favorita do dia em Wangjo.


Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
231

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Kim Sun-Hee em Dom Set 09, 2018 10:30 pm



Não gostou nada daquela encarada que os dois trocaram. Não que se achasse importante o suficiente para causar uma discussão entre eles, mas na atual circunstância, aparentemente qualquer centelha de fagulha seria motivo em exaltar os nervos ali. Sunny fitou Jung-Mi e Taemin com o coração na mão enquanto entendia a situação e, ao mesmo tempo, torcendo para que ficasse apenas naquilo: nos olhares atravessados e carregados de sentimentos particulares de ambos os herdeiros.

Taemin saiu primeiro e por um momento, depois do que aconteceu no lago, eles se encararam de novo. Mal conseguiu respirar e logo era Jung-Mi quem a dominava por inteiro. Sunny entreabriu os lábios, sem saber o que falar, mas sentindo-se na obrigação de dizer algo, mas o Park foi mais rápido. Jung-Mi não parecia nada feliz.

Droga... Que confusão horrível...

A resposta de Jung-Mi a fez engolir em seco, confirmando o que ele acabou de afirmar.

Sim, ela sabia.

Sabia muito bem, aliás.

Ela o observou se afastar para só então esconder o rosto nas mãos.

Se tinha como piorar? Oh, claro que tinha... Tinha. Perfeitamente. Além de olhar para Misoo e sentir a culpa castigá-la, ainda precisou lidar – no caso, somente aceitar – a nítida irritação de Stella. Ao contrário das outras ocasiões, agora canadense se mostrava bastante chateada – até porque, mais uma vez, Sun-Hee não compartilhava os problemas. Dentro de uma amizade, isso tratava-se de uma grande falha. Mas a bolsista funcionava desse jeito. Por esta razão, controlando a carinha afetada, Sunny armou uma expressão séria, porém não hostil. Apenas mais reservada.

Esperou a réplica da amiga, mas a súbita interferência de Dong a impediu.

Sunny suspirou baixinho, aliviada.

Dong convidava Stella para comer com ele e os meninos. Achou uma atitude muito fofinha dele e tentou encontrar alguns sinais extras... sem sucesso. Era difícil perceber outras intenções, pois, de fato, Hee Kyung sempre agia de modo muito legal. Sunny tocou o ombro de Stella, incentivando-a a se aproximar mais do grupinho e imitava o gesto. No entanto, uma pequena aglomeração começava com a chegada de um rabugento Min-Ho. Só que Stella não se intimidou e aceitou prontamente, chamando Sun-Hee também. Gostava dos meninos e seria ótimo distrair a cabeça, mas recuou. Conforme saíam da sala, outro grupo se juntou a eles - Sona e HaN e, logo atrás da dupla, Chae, Lee-Hi, Hye-Won e o menino de cabelo colorido, Kai. Acenou para eles, porém a atenção retornava ao que Min-Ho dizia e o que resultava disso.

Quando as amigas recusaram a oferta gentil, Sunny viu uma oportunidade.

-  Miane, unnie, eu não vou acompanhar vocês dessa vez. Ui-Jin – encarou o menino, sorrindo –  Komawo, mas deixemos para uma próxima, sim? – estendeu o olhar aos outros –  Tenham um bom almoço, pessoal.

Por fim, se virou para Stella.

-  Nos vemos amanhã, amiga. Eu aproveitarei esse tempinho antes do clube e irei à biblioteca agradecer a Srta. Shin por ter me ajudado. Ainda não tive chance.

Apesar do bico dela, Sunny sorriu e se despediu “alegremente” de todos. Ela aproveitou que o grupo não estava tão distante e deu uma corridinha até alcançá-los, parando ao lado de Lee-Hi e Chae. Fez um cumprimento geral, inclusive à Kai, inclinando a cabeça por ele ser um “oppa”, embora devesse o mesmo respeito às meninas, porém o nível de intimidade abria margens para um tratamento menos formal. Seguiram juntos ao refeitório enquanto Sun-Hee explicava que Stella comeria com os meninos e a outra unnie.

Já no local, foram direito para a fila que estava grande devido a escolha do dia. Entretanto, notou várias ausências... Como Jung-Mi, Hyun-Hee e a Gremlin. Hm. Concentrou-se no cardápio. Frutos do mar. O cheiro era delicioso e Sunny convenceu a si mesma que sentia uma fome absurda. Pavorosa. Incalculável. Assim como Kai, Lee-Hi e Hye-Won, ela ajudava Chaeyoung no que fosse necessário para a amiga não ter que usar o braço. Se dependesse deles, não usaria nem o bom. Enfim, optaram por uma mesa que acomodasse os cinco e Kai, antes de sentar, se ofereceu para pegar as bebidas.

-  Eu vou querer um suco de uva, oppa. Jebal.

Na fila mesmo, ela viu Taemin e estrategicamente preferiu sentar de costas para ele e os amigos. Dessa forma, não correria o risco de encará-lo.

Voltou a sentir aquele desconforto esquisito...

Que doía no peito, mas incomodava até no estômago, afetando o apetite. Aish...

Enfiou uma porção na boca, mastigando de maneira furiosa.

Mas a mão de Hye-Won balançava diante de seu rosto, de repente.

-  Huh? Ah... Miane... – sorriu para ela –  Eu precisei conversar um assunto sério com uma pessoa e as coisas não deram muito certo – tocou a nuca, esfregando a área –  E também estou preocupada com o Kim porque esse senhor passou mal ontem e faltou aula, mas conseguimos nos falar e ele disse que se sente melhor. Mesmo assim, acho que acreditarei mais quando vê-lo. Ahn... E como foi a aula de vocês? Alguém as perturbou ou algo do tipo? Oh, é verdade... - pontuou do nada, lembrando-se -  Por coincidência, esbarrei em dois oppas durante o intervalo. Não sei o nome deles, mas citaram um garoto, achando que eu pudesse conhecê-lo...  – Sunny fez uma pausa –  Jong In. Quem é? Pelo tom dos oppas, ele não parece ser muito querido.

Perguntou mais por curiosidade do que real interesse.

Queria mudar o foco da conversa, isso sim.
 
WangJo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
157

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Won-Bin em Seg Set 10, 2018 12:51 am



Fim da aula. Finalmente, a terça amaldiçoada começava a acabar mas a sensação para Won era estranha...
Agora tinha de fingir que ainda estava chateado com Bomi e ainda tinham os problemas dos amigos pra resolver. Notou como Kang estava esquisito, ele não era quieto assim desde...desde sempre pra ser sincero. Além do jeito desastrado, que já era natural, parecia ainda mais acentuado.

Será que...não, não era possível tanto acontecer assim num intervalo pro outro.

Não deu muita atenção ao fato de que estava sem o blazer, afinal estava ele mesmo distraído em não olhar Bomi ou não dar pinta.
Assim como Bomi, Won se evitava olhar na direção de Bomi e se focava em Kang e nas respostas vazias dele.

Tinham virado aquele grande grupo pelo corredor. Um sentimento esquisito mas que Won podia suportar.

A conversa havia se modificado para ficar ou não e ver se a conversa de Jaeki e Misoo se tornaria numa briga: Won torcia pela discussão pacífica, afinal o amigo precisava estar bem com a melhor amiga da namorada. Olhava mais pra eles, não que estivesse extremamente compenetrado na conversa que não ouviam, mas porque não queria ficar todo bobo olhando pra Bomi.
Kang decidiu ficar e esperar e Eunbi até notou que o blazer tinha sumido.

"Ok, nesse mato tem fogo Kang. Algo realmente aconteceu no intervalo"

Eunbi, com seu senso de humor afiado, se segurava pra não rir. Bom, até Bomi queria, parecia engraçado.

Mas não era pra Won, que tinha abandonado o amigo e o deixado sozinho no que ele enfrentou no intervalo: o que quer que tenha sido.

Won se manteve sério ao olhar pra Kang, não ria. Sua expressão era de quem queria entender se algo ruim tinha acontecido.

-Eu vou esperar aqui também com o Kang - respondeu, o tom de voz neutro.

Bomi deu aquela encarada pra sair.
"Nossa, isso pareceu muito real. Ela é boa nisso!" o que Bomi fazia não estando no clube de teatro era um enigma muito complexo.

Won apenas desviou o olhar e fingiu que realmente se incomodava com a presença dela, fechando um pouco a cara.

Ficaram ali, com os extintores em mãos, aguardando o resultado da conversa.

-As vezes eu acho que eles são irmãos de tão parecidos na personalidade- comentou meio que do nada -Será que vão se entender?

Deu uma olhada em Kang disfarçadamente, tinha de confirmar uma teoria. Para quem exatamente ele fixava o olhar?

Os dois terminariam a conversa em seguida, pelo menos não estavam se batendo ou gritando, era um avanço.

-Muito bem, após discutir os termos socioeconômicos do novo tratado comercial de Wangjo, que tal almoçar? Eu estou com a fome de um Jaeki - disse colocando as mãos na barriga e sorrindo em seguida. Queria deixar o clima leve, qualquer que fosse o resultado da conversa.
Agora se sentia mais a vontade pra tentar ser o GoodWon.

Wangjo: onde as toalhas nunca mais voltam

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
195

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 6 de 12 Anterior  1, 2, 3 ... 5, 6, 7 ... 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum