Fóruns Gráficos
3
Créditos
» Skin obtida de The Captain Knows Best criado por Neeve, códigos acrescentados por Weird e baseado no tema The Walking Dead Theme criado por Hardrock. Graças aos suportes e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foractivo.
» Versão Elysium adaptada por Hurricane, Rossin e Persephone.
Narradores
6
Personagens Ativos
40 Personagens Ativos
Últimos assuntos
» Capítulo 8
Ontem à(s) 11:17 pm por Kim Sun-Hee

» Episódio 1
Ontem à(s) 9:17 pm por Kasumi Sanada

» Sons of Neptune
Ontem à(s) 8:05 pm por Starry Night

» [DADOS] Onde estrelas nascem ou morrem
Ontem à(s) 6:12 pm por Starry Night

» Golden Boys
Ontem à(s) 1:47 pm por Starry Night

» @ohmygyuri
Ontem à(s) 10:54 am por Nam Gyuri

» @ommagyuri
Ontem à(s) 10:42 am por Nam Gyuri

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:52 am por Moon Jae-Eun

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:42 am por Moon Jae-Eun


Capitulo 7

Página 9 de 12 Anterior  1, 2, 3 ... 8, 9, 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Park Hyun Hee em Qui Set 20, 2018 9:55 am



Hyun tinha alguma noção do que poderia ser a conversa delas. Era um pouco de seu interesse, porque isso poderia trazer novas informações, mas Chae não falaria sobre Lee Hi. Quem sabe agora poderia apoia-la, se ela precisasse.

Trocou de roupa e foi para a aula de queimar adrenalina. Ainda que estivesse calmo, era ótimo poder fazer isso. Porém, tinha que encarar no clube pessoas que faziam parte “daquele” grupo. Não tinha passado nem um dia direito fora daquele antro e já sentia como era refém daquelas pessoas. Era natural voltar a conversarem e manter um relacionamento tóxico, no qual eles nem se importavam com ele de verdade, mas ele achava que precisava daquelas pessoas, enquanto elas priorizavam obviamente o líder e suas vontades excêntricas.

Não tinha tantas coisas contra Jiran e os outro caras, apesar de saber que eles também não prestavam, mas eles todos seguiriam as palavras de Jong-In. Moldariam seus pensamentos de acordo com a nova ordem do dia: se ele fosse uma persona non-grata, então ele seria excluído, mesmo se ele fosse alguém popular como Do Taemin. Era assim que funcionava aquele reino: as regras confusas e inconstantes de uma única pessoa precisava ser respeitada.

Foi assim também que ele tomou decisões, pensando que se Jong In não estivesse incomodado, então não precisava respeitar nenhum outro. Era assim que a maioria funcionava também. Além do mais, não sentia que tinha culpa pela falta de vergonha na cara de Jimin, que ficava no pé dele nas costas da melhor amiga. Se não fosse ele, seria outra pessoa.

Olhou a mão dele e o observou de leve. Se fosse o contrário, ele ficaria muito puto pela situação. Mas se fosse assim, aceitaria uns socos para encerrar o assunto. Ele o cumprimentou.

- Tive que cuidar da minha garota. Sabe o que aconteceu - explicou de forma sucinta. - Mas agora parece que está quase tudo resolvido - deu um sorriso sarcástico.

É, quase tudo. Mas enfim, não seria ele que se meteria nos assuntos do casal mais. Na verdade, queria manter a boa educação e o coleguismo, já que não dava para sair da escola, mas não dava para ser amigo daquele caras.

Humor: mania/estável/--+++

— Ross

avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por The Crown RPG em Qui Set 20, 2018 9:17 pm

11 DE JUNHO. CLUBE DE ARTES


Jae Ki finalmente conseguiu o que queria: a atenção de Yerin. Tão logo ouviu aquela pergunta audaciosa e petulante, a garota virou a cabeça lentamente para encará-lo com alguma expressão. A de incredulidade. Olhou o garoto da cabeça aos pés, dos pés à cabeça e repousou os olhos negros como ônix sobre os dele.

- O seu ego é realmente enorme. Nem nesses momentos você sabe qual é o seu lugar. - Meneou negativamente. - Por que será que eu perco? - Ponderou. - Será que é porque você me procura primeiro e vem com esse seu jeito marrento tentar provar alguma coisa?

Mexeu de leve a sobrancelha.

- É, do meu ponto de vista quem sempre está tentando provar algo é você.

Imaginando que tinham terminado, ela voltou a ficar quieta, arrumando seu lugar, mas parou quando ouviu a pergunta dele. Respondeu com outra e já imaginava que ele tomaria aquele tipo de decisão.

- Ótimo, já esqueci.

Mas ele não desistia tão facilmente. Será que não havia uma forma de calar a boca desse garoto? Esses bolsistas...Esse em particular a irritava muito. Franziu as sobrancelhas com aquele discurso cheio de vitimismo dele, como se apenas ele fosse esforçado e não tivesse tempo.

- O seu maior problema, Song Jae Ki é usar sua história de vida como desculpa para tudo. Acha que só você tem problemas? Só você não tem tempo e precisa se esforçar sempre para ter as coisas? - Teve vontade de rir, mas de modo irônico. - O mundo não será mais gentil com você ou terá pena independente das coisas que você passe. Atualmente, só tem duas coisas que eu desejo de você.

Fez um pequeno suspense e ergueu o dedo indicador.

- Que você faça a maquete obrigatória sem incomodar muito, apenas faça seu trabalho e faça algo digno. Nosso trio é o melhor da sala e não espero menos do que a nota máxima. E a segunda coisa…

Engoliu em seco, fechando um pouco os lábios.

- Não me segure da próxima vez. Eu também não quero dever nenhum tipo de favor pra você de novo.

Para ela, o favor tinha chegado ao fim quando Jae Ki provocou Hyemin e ela não tomou uma medida mais drástica. Eles estavam quites e ela não queria mais nada dele. Contudo, havia algo mais profundo naquelas palavras de segurá-la da proxima vez. Quando ele fez isso no início do ano, logo no 2º dia de aula, não sabia que ela era a pior garota da sala e que perseguia os bolsistas.

Naquele dia, ela era apenas uma menina bonita que não parecia bem, a ponto de desmaiar pela escada e correr o risco de se machucar gravemente. Ainda mais pela altura que ela estava. Dizer que aconteceria de novo parecia muita loucura, mas também parecia algo inevitável.

Não era nenhuma garantia de que Jae Ki estaria presente numa próxima vez, mas mesmo assim, ela não queria que ele tomasse nenhuma atitude.

Achou que o assunto finalmente tinha encerrado e o sinal tocou junto da chegada dos outros alunos. Dentre eles, havia a ex-namorada do hyeong, Moon Eun Joo. Tendo em vista o que a professora fazia antes da aula, era claro que seria uma aula mais teórica. Era, afinal, a primeira aula depois da maratona de provas. Começava assim mesmo.

Muito embora fosse uma aula mais didática, ela não era chata. Jae Ki aprendia que arte também tinha muito o que ser estudado e se realmente fosse a carreira que ele seguir no futuro, teriam muitos mais detalhes e técnicas para aprender. Claro que podia manter seu estilo, mas respeitar o dos outros e aprender com o passado seria essencial.

Yerin voltou ao modo sério e indiferente de antes, focando nas palavras da professora e fazendo anotações em seu caderno sem pauta. Era o mesmo onde ela desenhava e já estava no fim dele, apesar de nem terem chegado no meio do ano. Ela era bem metódica com a matéria, mas também vivia desenhando, aparentemente. Só não compartilhava o que estava ali com ninguém.

E não gostava que vissem também.
(C) Ross



11 DE JUNHO. CLUBE DE ATLETISMO


Diferente de Jong In e Dawon, Taehyung não era uma pessoa que sabia controlar seus sentimentos e expressões. Era muito mais fácil de ler porque era movido apenas por suas intuições e pelo calor do momento. Se estivesse puto com Hyun Hee, ele não chegaria cumprimentando e sim dando um soco na cara dele.

Afinal, que homem gostava de saber que tinha sido feito de trouxa durante todo tempo?

Contudo, Hyun não demoraria a perceber que ninguém ali estava olhando para ele de modo diferente. Nem mesmo o irmão de Jimin. Tudo bem que não era imaginado que Taemin fosse ciente de todos os passos de sua irmã, muito menos que ela fosse contar aquela vergonha para ele. Mas se o escândalo tivesse sido espalhado, os nervos estariam mais do que exaltados.

Não era o que acontecia.

Algo muito estranho havia acontecido com a bomba que ele tinha plantado. Será que não mandou para o número certo? Eun Joo tinha mudado o número naquele meio tempo? Não, ela tinha recebido porque marcou como lido e logo depois, ele foi bloqueado. Mas era muito atípico dela agir como se nada tivesse acontecido.

A não ser que alguém estivesse por trás disso, dando cobertura para ela. Era até fácil saber quem.

Mas por que a informação não tinha vazado? Por que ninguém o atacou? Estavam dispostos a testá-lo até seus limites e levá-lo para uma armadilha?  Havia muitas teorias da conspiração para pensar, uma mais distorcida do que a outra. E era por isso mesmo que Wangjo era tão cansativa. Tinha acabado de ter um almoço bom, mas a aura tóxica do colégio já estava impregnando sua roupa, corpo e mente de novo.

- Ah sim...O acidente. - Taehyung disse de modo natural, o que poderia acabar aborrecendo Hyun Hee. - Sim, você já deve ter lido, não é? Elas se entenderam no intervalo, então, acho que está tudo bem.

- Tsc, desculpas… - Taemin resmungou.

- O que você está resmungando aí?

- O óbvio. Eu não acredito na honestidade das noonas. Mas enfim, paz, não é? - Sorriu meio debochado.

O professor chegou, já apitando e mandando todo mundo começar o aquecimento. Uma prova importante estava chegando para o time principal e eles precisavam se esforçar mais do que o normal. Correr foi um bom remédio para Hyun depois que voltou para o prédio. Ajudava a oxigenar o cérebro e clarear um pouco mais as ideias.

O problema é que fazia um calor típico da primavera próxima do verão e isso prejudicava um pouco o desempenho geral. Várias vezes o professor permitiu que se hidratassem com o gatorade antes de retomarem a rotina.

Hyun Hee tinha um desempenho bom e estava cada vez melhor desde que recuperou suas costelas machucadas. O início tinha sido um pouco mais árduo por conta do episódio na boate, mas agora ele tinha melhorado sua velocidade e resistência. Claro que ainda não estava no seu auge, como na época em que lutava TKD, mas era bom sentir que o corpo respondia e estava vivo de verdade.

A aula não acabava mais cedo como a de educação física e isso acabava consumindo um pouco do intervalo antes do próximo clube. Eles tinham pouco tempo antes de se arrumarem e seguirem para seus respectivos clubes. O de mecânica, inclusive, tinha várias pessoas do clube de atletismo, além de Jae Ki que estava cheio de coisas para passar ao hyeong.
(C) Ross


[Jae Ki e Hyun Hee podem encerrar suas atividades nos clubes. Eles não terão interações com seus npcs durante o intervalo e podem seguir para a sala de mecânica ou se encontrarem no caminho, como acharem melhor.]



Última edição por The Crown RPG em Sex Set 21, 2018 8:43 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Won-Bin em Qui Set 20, 2018 11:25 pm



Won muitas vezes se pegava comparando o clube de música com o dojo. Se não fosse os solfejos, as escalas harmônicas e os exercícios vocais focados em respirar e cantar pelo diafragma, seria igual até mesmo na hierarquia. Mas aqui ele era um faixa branca na música.

Cumprimentos breves, até mesmo uma pequena plateia...Won tinha o pressentimento de que até mesmo o clube de música não seria pacífico com este climão instalado.

O climão só era acentuado com o fato de que estaria no grupo de Bomi: fingir que ainda estavam brigados era ainda mais difícil que estar realmente. Era complexo e Won tentou ao máximo evitar olhar na direção dela.

Won levava a sério a parte de aquecimento vocal: lembrou do professor comentando uma vez de que cordas vocais eram como um músculo, precisavam aquecer e preparar antes de um grande esforço(a comparação com o exercício de aquecimento que ele mesmo fazia ajudou bastante também). Mesmo que fosse meio ridículo ficar falando "oh" em escalas diferentes não era tão embaraçoso como fazer isso sem olhar pra Bomi.

-Hmmm, músicas mais complicadas né - comentou também ao seu grupo ver quais eram as músicas escolhidas. Pelo menos não era nenhuma ópera, dava pra ser positivo...talvez.

-Acapella não é mais difícil do que com acompanhamento? Aish, desculpa, eu não manjo quase nada de solos - comentou meio sem graça por não conhecer o bastante pra opinar bem - A gente podia ir ouvindo a música também, ou no acompanhamento do piano, pra ir acostumando

Não era o capitão, mas tentava pensar mais positivo que o restante do grupo.  

Pelo menos não é nenhuma música com compasso composto gente kkkk

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Jae-ki em Sex Set 21, 2018 4:22 pm


Quando Yerin falou do seu ego, Jae-ki sorriu implicante. Ele não tinha um ego enorme, mas também não era humilde, ainda mais com esses alunos. Só mesmo com quem era importante pra ele. Ele iria responder invocado, mas isso não dava certo com os alunos de Wangjo. Então Jae-ki só provocou de volta:


- Meu lugar? Vocês aqui são estranhos, falando sobre meu lugar, se for sobre a sala, não tem nenhuma regra nisso, posso sentar onde que eu quiser - Deu uma de idiota para implicar - Eu não quero provar nada, porque eu já sou daebak - Sorriu - Um dia refresco sua memória e vai ver que eu não fui o primeiro a falar.

Em seguida falaram sobre coisas do painel, Jae-ki não estava disposto a servir Yerin e deixava seus pontos claros. Porém yerin respondeu de novo daquele jeito dando uma de sabe tudo e falando coisas que ele nem tinha mencionado. Ele sou falou sobre sua falta de tempo e não essas coisas que ela tirava conclusão. Jae-ki franziu as sobrancelhas com as coisas que ela falou.

- Cara, em que parte eu falei essas coisas? - Suspirou - Fala que não posso falar por você, mas eu falei uma frase e você tá aí jogando como se fosse a vidente que sabe da minha vida.

Olhou mais sério pra Yerin:

- Garota, eu já tenho 16, eu sei o que esperar do mundo e nunca esperei que fossem mais gentis. Eu não tô usando minha história pra me desculpar, só falei o que eu ia fazer, porque quando falamos sobre o trabalho você deixou bem claro que acha que eu não faço nada. É você que acha que os outros não se esforçam. Fora que você nem sabe da minha da vida, para de tentar adivinhar, porque você só tem errado sobre mim. Não espero que gostem de mim, mas fico mesmo irritado quando ficam achando e inventando o que não sou.


Respirou fundo para concluir:

- E a maquete, desde quando eu falei que ia fazer um trabalho de merda? Não preciso que você fale pra eu fazer algo bom, porque eu ia fazer isso de qualquer forma. Agora incomodar vai depender de você também, eu só respondo as coisas que me falam.

Jaeki ficou surpreso quando ela mencionou de a segurar, nem lembrava sobre isso, mas claro que se fosse agora, teria segurado mesmo sabendo como ela era. Muita gente podia achar que Jae-ki não prestava, mas claro que ele não ia deixar uma garota cair da escada ou atém mesmo um garoto se ele pudesse impedir isso. Jae-ki não era covarde ou canalha, gostava de brigar, mas tinha seus limites.

- Você não me deve nada garota, se isso que quer, pode relaxar, porque não vai acontecer de novo.

O resto da aula Jae-ki curtiu como sempre, gostava de aprender as técnicas de arte e se sentia relaxado quando precisava criar as artes. Não ficou muito claro se ele e Yerin iriam fazer trabalho juntos, Jae só achava que era muito difícil lidar com ela.

Depois que terminou o clube, Jae-ki decidiu ir direto pra o de mecânica. Havia algumas coisas que precisava deixar claro para Hyun. Embora ele fosse do tipo desconfiado, achava que o hyeong merecia a verdade para depois não achar que ele estava negando ajuda por ser covarde. Assim que viu o hyeong, Jae o cumprimentou:

- E aí hyeong? Tá tudo legal?

Jae foi se encaminhando para sua mesa no clube, quando chegasse no momento bom para falar, Jae-ki começaria falando em voz baixa:

- Hyeong, aquela parada que eu tinha para te falar... Eu vou te apoiar no que fizer, só que como eu falei, tenho limites.

Jae umedeceu os lábios antes de continuar:

-Eu não tô em Wangjo por mim, mas por causa da minha irmã. E ela depende de mim, nosso aboji é um vagabundo que não faz nada, nem pela gente nem por outro. E eu tenho que dar conta das coisas sozinho com a halmoni... Minha família é só a gente... Meu salário de meio período não dá pra quase nada... Wangjo é minha chance de ter um emprego pra mudar essa vida.

Jae-ki continuou fazendo os deveres enquanto falava baixo:

- E cara, imagina minha irmã crescendo sem poder comprar roupas bonitas, maquiagem, sabe como é importante pras garotas. Não quero que ela passe o que eu passei ou pior... Então eu odeio ficar aqui, odeio não poder responder esses desgraçados, não poder quebrar a cara deles... Mas eu não posso ser expulso, pela minha irmã. Por isso eu não matei aula naquele dia...

Ele olhou para o hyeong se sentindo mal pela outra vez que não matou aula, achava que tinha mesmo pisado na bola:

- Foi mal, eu sei que não foi legal o que eu fiz, eu deveria ter dito isso pra você desde o começo... Só que já tive amigos que saíram espalhando minha vida pra toda escola... Não queria que acontecesse em Wangjo... Não queria que as coisas ficassem piores. Mas é isso, no que precisar de mim, eu tô dentro, desde que eu não seja expulso. Entende, heyong Hyun?

Jae-ki observaria Hyun esperando a reação dele, de qualquer forma ele não gostava de não ser verdadeiro. Estava disposto a dar a cara a tapa se hyeong precisasse. Contar sua história para ele era como dar um voto de confiança em Hyun. Assim como fez com Eun-bi, Jae-ki estava tentando confiar em quem achava que merecia sua confiança.


Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por The Crown RPG em Sex Set 21, 2018 8:50 pm

11 DE JUNHO.  CLUBE DE MÚSICA


Kyung Soo era um bom capitão. Apesar de ter iniciado a conversa em grupo com um direcionamento em mente, ele ouvia as opiniões dos outros,  independente de serem bons ou medianos nas vozes. Enquanto Sunny parecia concordar com o formato, Won Bin não parecia muito certo.

Logo tratou de explicar.

- Sim, é um pouco mais difícil, mas não quis dizer que vamos nos apresentar hoje assim. Estava focando mais no ensaio em si. Pode ser um pouco mais difícil, mas sem acompanhamentos, podemos identificar melhor os timbres e ver qual nota seria melhor para cada um.- Deixou que eles vissem quais músicas eram.

Sim, eles também ouviriam a música e teriam o acompanhamento do piano ou até mesmo do violão com Kyung Soo. Logo eles descobririam que Nayeon estava ali justamente para domar um defeito seu: a timidez. O professor não duvidava da capacidade dela como pianista, mas ela sempre acabava rendendo menos do que seu potencial total por conta do medo do público.

Para ela, seria uma pequena provação, ainda que ela estudasse com aquelas pessoas e visse aquele grupo em específico umas duas vezes na semana.

A primeira hora do clube - contando o tempo de aquecimento vocal - seria destinada a pequenas decisões e divisões. Os quartetos estavam mais do que óbvios quais seriam, mas Bomi também propôs que eles tentassem fazer uma versão trocada. Para a música do grupo feminino, um cover masculino e o mesmo para a outra música.Como teriam um tempo para ensaiar, eles podiam tentar essas pequenas misturas.

As maiores dúvidas vieram mesmo nas músicas em duplas. A intenção, como o professor havia dito era que ajudassem a elevar aqueles que ainda precisavam de um pouco de treino. Então, as duplas formadas foram: Sunny e Kang; e Lee Hi e Kyung Soo cantando Stay With Me; Bomi e Chan Hee; e Chaeyoung e Won Bin cantando We Loved. Esse seria o primeiro teste de duplas porque foram escolhas mais difíceis, porém, eles precisavam ver o quanto conseguiam se adaptar.

Quanto aos solos, cada um estudaria o seu.

Muita discussão, divisão e dever de casa. Foi isso que representou a aula naquela longa primeira aula. Nayeon estava lendo as partituras das músicas que eles tinham em mãos. Algumas delas eram francas-favoritas para a apresentação da semana de arte, mas o professor não estava muito certo ainda.

Ele passou entre os grupos, conversando com os alunos e ajudando a direcionar algumas duplas ou vozes. Mas também falou bastante com Misoo.

Lamentou um pouco o fato dela dizer que não era das artes - ele não acreditava em tal afirmação - mas não viu nenhum problema dela ficar ali de plateia. Na verdade, seria até bom para ver qual seria a reação de alguém de fora também.

Diferente de outras aulas, dessa vez ninguém estava com a voz cansada pelo esforço - eles pouco usaram porque era mais para esquematizar tudo. Kyung Soo recolheu os números para criar um grupo no kakao e manter todos unidos. Pediu para que pensassem também onde poderiam se apresentar e se achavam que seria uma boa ideia fazerem isso nas férias. Podiam até filmar e tentar editar para que deixassem leve, com filtros e essas coisas - Sunny conhecia alguém que era bom com esse tipo de edição. Stella certamente não teria problemas em aceitar o pequeno pedido. E Won tinha algumas sugestões, mas talvez o Café Beautiful merecesse mesmo distância - quem sabe um outro café?

Os alunos foram dispensados, mas alguns tinham mais pressa do que outro.

Misoo pôde matar um pouco de sua curiosidade, mas não foi das aulas mais divertidas para quem assistia. Não houve grandes apresentações vocais, apenas de Nayeon ter sido maravilhosa no piano quando apresentou aquelas músicas que eles tinham em mãos.

O clima, contudo, ainda era estranho. Tanto Gyu Sik quanto Woo Jin estavam mais tensos com a presença de Misoo e Bomi também parecia cansada por conta do esforço de ter que ignorar Won Bin. Ryu Ji também estava chateado porque não ficou no mesmo grupo que ela, mas enfim, fazia parte das regras.

Agora Misoo precisava se arrumar para o clube de tênis e ver outro tipo de gente. Kang tinha trabalho e os Yoon seus próprios compromissos fora do colégio - pelo menos Gyu Sik.

Já para Sunny, ainda ficava a incógnita sobre Lee Hi. A amiga esteve ausente boa parte da aula e disse que não ia trabalhar. Não estava se sentindo bem e preferia ir para casa, Chaeyoung estava preocupada com a amiga, mas a menina se despediu e não queria ser seguida, deixando as duas para trás. A sala continuou esvaziando e depois da saída de Lee Hi, enquanto as duas guardavam suas coisas, a cabine de Jung Mi foi aberta. A unnie do 3º ano se despedia para ir embora com sua irmã, mas o menino continuou ali dentro.

Quando saiu, a porta ficou um pouco aberta e o som escapou quando ele retomou o comando do violino. Distraído com a própria música, ele não percebeu que ainda havia gente na sala do clube - não era incomum que ficasse um pouco mais e o professor permitia que ele fizesse isso.

Song Without Words, Op. 2 No. 3 (Tchaikovsky)




Won Bin não tinha mais clubes para se preocupar naquele dia. O dia em Wangjo tinha terminado com um saldo...neutro. Com seus altos e baixos, mas muitas memórias boas. Kang se ofereceu para seguir com ele até a saída - ele nem chegou a se despedir de Misoo direito, mas podia colocar culpa na pressa, não é?

O celular de Won vibrou com as mensagens de Bomi, finalmente. Depois de se despedir da amiga e despistar, o irmão, ela disse.

Bomi

Bomi
Miane por só responder agora, não pude fazer antes porque as meninas estavam por perto. Estou preocupada com essa foto porque pode colocar nossos planos em risco. E também não sei o quanto a pessoa ouviu...Esse é o maior problema.

Mas vamos dar um jeito, não é? Estamos juntos...ó.o
Bomi
Pelo menos agora temos mais uma desculpa para nos encontrarmos: você pegou a mesma música que eu, ainda que numa dupla diferente. A gente podia ensaiar hihihi...O que vai fazer no resto do dia? Não que eu queira regular sua vida, mas...Eu estou livre hoje…




O que ela quis dizer com isso?

Enquanto isso, a mensagem de Ji Hyun continuava sem uma resposta. A menina provavelmente já tinha visto que ele leu seu convite, mas não respondeu.

- Estou indo, Won Bin. É um pouco estranho ir sozinho, sem você, mas, né? Você está bem? Quando é que vai voltar a treinar para ser medalha de ouro nas próximas olimpíadas?

Fez a pergunta antes de engatar em sua bicicleta para seguir até o trabalho. Realmente era estranho sair daquela rotina que eles tinham gostado tanto, mas Kang entendia que foi a melhor escolha que Won podia ter feito no momento.
(C) Ross


HYEMIN. 11 DE JUNHO. 3 P.M.


Hyemin tinha seguido para o cursinho de inglês em total silêncio, mas seria uma mentira dizer que em algum momento ela tinha chegado. Não, a mente estava muito longe, completamente confusa e alheia aos tempos verbais que a professora se esforçava em explicar. O curso era bom e os alunos aplicados, além de ser bom aprender para compreender a músicas que ela adorava

Contudo, se em dias normais era difícil manter o foco, naquele dia parecia mais impossível ainda.

O tempo foi bastante confuso, porque da mesma forma que passou rápido, ele também parecia uma eternidade. Isso porque a mente dela estava presa naquele loop infinito de palavras e imagens que se misturavam. Chegava um ponto que os tempos se misturavam e a carinha de choro ficava pior.

A professora achou estranho ver esse tipo de expressão em seu rosto e, mais de uma vez durante a aula, se aproximou dela para ver se estava tudo bem. Ela não parecia nada bem, mas estava se esforçando para manter a mente sã.

A aula acabou com um grande alívio, mas seu dia não tinha acabado ainda. Precisaria encontrar forças, sabe-se lá de onde, para ir ao clube de tênis. Assim que ela saiu do prédio do curso, ela teria a impressão de que seus olhos a enganavam. Ao invés de ver o motorista que sempre a carregava para cima e para baixo, quem estava ali era seu pai.

Sung Ki estava encostado do lado de fora do carro, meio ansioso. Olhava toda hora para seu relógio e estava vestindo as roupas de trabalhos - os caros e belissimos ternos que usava para reuniões, fora o cabelo bem penteado e os acessórios pensados para demonstrar poder.

Olhou o horário mais uma vez e então viu quando ela saiu. Cravou os olhos nela e deixou os ombros caírem quando identificou aquele rostinho abalado.

- Minah… - Murmurou o nome dela e deu meio passo em sua direção.
(C) Ross


[Espero a decisão da Hye sobre o clube de tênis pra postar lá.]
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Seo Hyemin em Sab Set 22, 2018 9:13 pm



A aula foi completamente perdida, mas ela fez questão de ir, se é que podia-se dizer que ela fez uma escolha realmente. Era bom quando a professora lhe dava alguma atenção, porque ela podia voltar um pouco para a realidade, que não estava tão distante assim dos acontecimentos do passado e por isso era tão difícil ignorar tudo com um sorriso e se distrair com bobagens. Hyemin estava seguindo sua agenda, e estava pronta para entrar no carro e voltar para a escola.

Achava que jogar Tênis a faria ficar um pouco mais focada. Não gostava de estudar, mas o esporte a deixava mais tranquila. Porém, não esperava ver o pai ali na porta, esperando para buscá-la em vez do motorista.

Piscou uma vez. Era verdade mesmo. Seu pai estava ali. Será que a tia tinha contado para ele sobre o chilique que tinha dado? Sentiu-se muito envergonhada por fazê-lo abandonar o trabalho. Odiava atrapalhá-lo nas coisas. Ela abaixou a cabeça, lamentando que ele a encontrasse daquele jeito e por um motivo tão idiota.

- Appa…. - respondeu, baixinho, sem sair do lugar. - A tia disse pra você vir? Não precisava… Eu estou bem. Não aconteceu nada de importante. Só tive uma conversa chata. Você não está perdendo algo importante no trabalho por minha causa, não é? Eu… tenho aula de Tênis daqui a pouco… você veio para me levar? - ela o espiou, esperando a resposta.

Era verdade que queria só chorar a tarde inteira, mas estava se esforçando para se distrair e não fazer isso. Além do mais, ela levava bronca de tia quando dava shows que atrapalhavam o pai dela, então não queria fazer isso com 16 anos de idade. Era mais vergonhoso ainda.

{LOOK: Laço no cabelo | Bolsa | Capinha | Pulseira da amizade }

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Park Hyun Hee em Sab Set 22, 2018 9:43 pm



- Claro. Se todo mundo estava de testemunha é claro que é verdade.. - deu um sorriso debochado para Taehyung. Concordava com Taemin, é claro. Alguém como ele sabia como funcionavam as coisas, é claro.

Assim como ele não acreditava na calmaria após sua mensagem. Sua paranoia era bastante criativa e isso o irritava um pouco. Por onde atacariam? Será que não tinha mesmo levado um soco porque ele não sabia ou porque Jong-In tinha se metido? Aliás, por que Jong-In se intrometeria nesse caso por Eun Joo? Ele nem precisava na popularidade dela… Era estranho pensar que ele tinha agido daquela forma, a não ser que quisesse fazer o mesmo que ele e derrubá-lo. Era algum tipo de vingança? Por quÊ? Ele voltou como um ninguém, estava discreto (apesar das garrafadsa e afins) vergonhosamente no primeiro ano. A troco do quê Jong-In queria efetivamente prejudicá-lo? Parecia gratuito, mas já que também tinha começado a mexer suas peças, parecia mais interessante aquilo.

Enfim, conseguiu limpar esses pensamentos queimando adrenalina. Era assim que lidava com os problemas. Depois disso, tomou uma ducha e foi para o clube de Mecânica. Ficou satisfeito por ver Jaeki ali.

- Ya - falou bem informalmente, fazendo um gesto. - Tudo certo?

Sabia que o menino tinha algumas coisas para contar. Ele mesmo tinha que falar sobre “sua garota”. Ele aproveitou os primeiros instantes de aula para separar um material que usaria na maquete com o irmão. Quando estava mexendo em uma pecinha de metal, ele se aproximou contando os desabafos que não tiveram tempo, inclusive falando sobre a vez em que ele não quis matar aula com ele. Parece que aquilo tinha marcado o garoto de alguma forma. Ouviu com atenção, e sentiu o peso da história de Jaeki. Era muito mais difícil o que ele passava do que as frescuras que aqueles ricos enfrentavam. Mesmo com a morte de seus pais, ele podia confortavelmente ficar sentado e o dinheiro estava lá, enquanto que o garoto tinha o dobro de responsabilidades. Quando ele terminou, deu um sorriso de irmão mais velho, mas reconfortante. Ele respeitava o menino por ser tão protetor.

- Miane. Não deve seguir tudo que eu falo para fazer. Nem sempre eu estou pensando direito - deu uma risada para dentro. - Hm.. é mesmo, você comentou sobre a sua irmãzinha. Eu me esqueci que você não é como eu, que pode fazer o que quer porque o sobrenome protege. Eu não deveria ter colocado você em perigo sem considerar isso. Foi irresponsável como hyeong e vocÊ poderia ter se dado mal de verdade. Mas olha, sempre que precisar você pode falar comigo. Se as coisas ficarem feias, pense em mim como um hyeong de verdade mesmo. - Basicamente, se ele e a família precisasse de dinheiro, ele poderia usar seus cartões e tudo o mais. Ninguém se importaria. Ele era órfão afinal.

- De qualquer forma, eu só peço para ficar de olho na minha garota. Aquele pedido de desculpas não deveria enganar ninguém, mas pelo visto é uma estratégia... Eu quero que as coisas mudem, Jaeki. Tem muita coisa que sempre foi perdoada aqui dentro e para as quais se fecha os olhos. Eu queria que isso mudasse. A vinda de vocês para cá me fez ver isso também. Então… Espero que não se intimide e conte comigo para as coisas que você acha que não pode fazer...

Deu um pequeno sorriso.

- E pode deixar que eu te conto se pegar algo estranho acontecendo com a senhorita Choi também - ele pousou a ferramenta na mesa. - Parabéns. Parece que muitas coisas aconteceram depois das nossas conversas. Para isso também eu posso te ajudar. Mulheres são difíceis, mas as de Wangjo conseguem ser piores - gargalhou.

Humor: mania/estável/--+++

— Ross

avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Dong Hee Kyung em Sab Set 22, 2018 10:01 pm


- Vocês podem ter sido a inspiração mas a motivação deve vir de nós mesmos. - Articulou fazendo um gesto para si, HaN e os outros envolvidos. - Estaremos mais do que cientes, vamos nos preparar para uma eventual retaliação vinda de ignobeis. Os trolls costumam se aliar em tempos de dificuldade.

Stella elabora sua preocupação com pontos coerentes, dizendo um pouco do obvio, qualquer um que se metesse nessa situação estaria sujeito a isso, violência e ameaças. Mas a decisão já estava tomada...

O amigo dançarino sabia manejar as palavras deixando a canadense sem fala com a previsão, entretanto, conforme a conversa anda era visível que a jovem... se importa mais com Hee Kyung.

- O que ocorre com a mochila, Min-Ho? - Indagou ao comparsa, além de ouvir sobre uma eventual fornicação em ala de aula, informação que soa deveras estranha. Stella aproveitou a deixa para sair enquanto Kyung ficou escutando quase igual a Sona, só faltando revirar os olhos em conjunto.

- Me espanta um cavalheiro do vosso porte, deveras intelectual e elaborado se dispondo a ler falácias, não podemos trabalhar com fofocas neste feudo, somos da informática não do time de jornalismo. - Alfinetou de leve -  Chaeyoung-ah me preocupa, Stella não ter voltado ainda  já tendo passado quatro minutos, me preocupa, Sona sendo ironica me preocupa. Mas antes, quero saber o que o grão mestre churrasqueiro deseja enunciar, visto que ele falha em encontrar a lacuna adequada para fornecer sua sabedoria.

Apontou a lateral da mão para o rapaz de peso um pouco acima de sua altura mas que não perdia vosso charme por tão característica física distinta e robusta.

11 DE JUNHO. Restaurante. 13:00 P.M

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
112

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Won-Bin em Sab Set 22, 2018 10:45 pm



Won realmente não entendia de música mas a opinião de um capitão experiente era o suficiente para que aceitasse o método dele e assentisse com a cabeça diante da explicação.

O assunto foi desenrolando: iriam pelo visto praticar com a pianista tímida e as duplas se formavam: acabou ficando com We Loved em dupla com Chaeyoung.
Não era bem o estilo de música rock que agradava mais Won mas era uma melodia agradável, não ia ser um sofrimento ouvir e aprender a música. Era uma letra curiosa, sobre separação...engraçado, era o tipo de coisa que ia o deixar pra baixo pela manhã, mas parecia exatamente o contrário da situação atual.

Estava separado dela, mas ao mesmo tempo tão perto...era agradável estar no mesmo grupo, ao mesmo tempo que era tenso. Esse conflito era um tanto inspirador pra Won levar aquele lance de música mais a sério.

O capitão falava até de lugares para apresentar! O Café com certeza ia ser perfeito, mas no momento o mais seguro era evitar ficar por perto daquele lugar. Sem perceber o dia acabava e logo o clube começava a esvaziar: estava mentalmente exausto pelo esforço de ignorar Bomi e lidar com o olhar de ódio que sentia receber de Gyu Sik.

Ja na saída o celular vibrou com a mensagem da única pessoa que queria receber. Foi discreto pra ler fora da vista de Kang.
Sentiu o coração se aquecer quando leu "estamos juntos". Aquilo parecia oficializar aquela parceria deles ainda mais.

Respondeu assim que leu:

-Tudo bem. Acho que consegui despistar os dragões também sobre o intervalo. Aquela foto é problemática, mas a gente vai dar um jeito!

Não precisava necessariamente de uma desculpa pra arranjar um jeito de se encontrar, mas Won gostava como ela pensava igual nesse sentido.

-Hmmm, ensaiar é? Eu não voltei pros treinos de taekwondo ainda, então eu tenho a tarde toda livre. Você quer sair comigo hoje? Pra ensaiar...ou não ensaiar tanto assim. Eu lembro que eu também lhe devo umas aulas de tae. Ou talvez só um tteboki.

Fora da Wangjo os dois não precisavam viver aquela mentira. Eram livres, mesmo que só um pouco.

Também percebeu que não havia respondido Ji Hyun ainda. Ele realmente não queria magoar ela, então ia deixar para depois dar a notícia de que...não ia ser mais que um amigo.

-Ah Ji Hyun, desculpe a demora em responder. Desculpe, estou ocupado essa semana com uns projetos novos do colégio, miane - respondeu com a desculpa, sem saber exatamente como desatar esse nó. Mas por enquanto ia deixar esse problema pra depois.

Iria se despedir de Kang.

Kang escreveu:- Estou indo, Won Bin. É um pouco estranho ir sozinho, sem você, mas, né? Você está bem? Quando é que vai voltar a treinar para ser medalha de ouro nas próximas olimpíadas?

-É, meio estranho...mas tá tudo bem, está tudo se encaixando não é? Ahh, treinar...eu vou falar com meu pai. Hoje, não passa de hoje a noite. Não vejo a hora de por os pés no dojo de novo

Se despediu de Kang com um aceno, lhe desejando sorte. Ia esperar ele se afastar um pouco até pegar sua bicicleta e partir pra onde teria combinado com Bomi para irem (caso conseguissem marcar algo hoje).

Wangjo Texts

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por The Crown RPG em Dom Set 23, 2018 1:16 am

HEE KYUNG. 11 DE JUNHO. 12:58 P.M.


- Sua mochila está aparecendo na foto. - Min Ho explicou. - Foi algo que aconteceu na nossa sala…

Não era um tom de quem se importava com isso, apenas estava constatando um fato. Olhou para Hee Kyung com um bico sério nos lábios, mas logo encheu as bochechas de ar e suspirou.

- O que eu posso fazer se a mensagem chegou até meu aparelho? Se eu soubesse que era fofoca, teria lido mesmo assim, mas podia ter sido algo importante. - Como se alguém além daquela mesa tivesse o costume de mandar mensagem para ele assim. - De todo modo, pensei que tivéssemos que prestar mais atenção nesse tipo de notícia agora que assumimos para com o diretor a autoria do projeto. É por isso que não gosto de socializar, é complexo demais para minha mente. E olha que tenho um elevado Q.I. Se eu ignoro, estou errado, se eu falo, estou errado. Se…

- MinHo-ssi...Olha a carne. - HaN colocou uma boa porção de carne dentro da alface e entregou a ele. - Coma, coma bastante e deixemos a fofoca para lá…

Mas Hee Kyung elencava as coisas que o preocupava. Ui Jin concordou sobre Chaeyoung, mas assim que ia concordar com o segundo fato, ele travou e encarou Hee Kyung.

- Você está contando quanto tempo ela está no banheiro? - Sona acabou perguntando. - Vocês são namorados ou você tem predisposição a ser stalker?

A palavra “stalker” foi dita numa pronúncia boa para um coreano, mas não perfeita como a de Stella - Hee Kyung facilmente notaria isso. Ui Jin se engasgou e HaN precisou se conter para não rir, porém diante do que estava por vir era impossível.

- Eles não namoram, mas li um artigo numa revista científica sobre os sintomas de uma pessoa apaixonada. Insônia, ansiedade, euforia, perda de apetite, tremores...Alguém mais está identifico o Hee Kyungie? - Min Ho olhou os presentes e falou tudo isso com a boca bem cheia de alface e carne. - Está apaixonado.

- Está? Aah, acho que está mesmo… - Ha Neul não aguentou e quanto à Sona sendo irônica, ele até bateu na mesa. - Sona irônica é pleonasmo, Kyungie...Ela é assim, só não aparenta.

- Só um pouco. - A garota admitiu e olhou além, vendo que Stella estava voltando. - Mas sabe o que me surpreende? É você me chamando de modo informal...Eu sou sua noona, Hee Kyung-ssi.

Stella ainda estava com a expressão um pouco chateada e os olhos inchados, mas parecia melhor. Sentou-se ao lado de Dong de novo.

- Miane… - Murmurou as desculpas sem saber exatamente pelo que estava dizendo isso.

- A comida está um pouco apimentada mesmo. É compreensível a demora. - Min Ho deu um gole no chá.

- Do que está falando? Aigo! Você não tem jeito! - Ui Jin falou. - Não ligue, Stella-ssi.

- Está tudo bem… - Sorriu meio sem graça e abaixou o olhar. - O que perdi nesse meio tempo?

- Fofocas, Sona irônica, sintomas da paixão, Hee Kyungie contando o tempo que você estava no banheiro e o Ui Jinie está demorando há horas para contar…

- Você realmente não deixa passar nada, né? - Ui Jin meneou negativamente. - Aigo… - Suspirou. - Eu não queria falar isso no colégio nem na frente de muitas pessoas porque...é sobre um de nossos amigos. - Voltou a falar um pouco mais baixo. - Eu...Não sei até que ponto podemos confiar do Kim Joo Hyuk-ssi para esse projeto…

- Mwo? Por que está desconfiando do Kim?- Stella ficou curiosa.

- Isso não faz sentido. Ele foi um dos que deu a ideia… - Ha Neul comentou.

- Eoh, mas eu tenho boas pistas de que ele não está fazendo isso por altruísmo e ele tem alguma relação com Seo Hyemin-ssi… - Olhou para os presentes - Eu os vi ontem conversando depois dos clubes... E não era uma conversa normal, os dois...pareciam...muito próximos.

- Da Seo Hyemin!??! - A voz acabou saindo mais alta do que gostaria. - O que?! Dentre todas as pessoas, ela?!?!
(C) Ross


HYEMIN. 11 DE JUNHO. 3 P.M.


Sung Ki engoliu em seco quando percebeu que apenas ele tinha se aproximado de Hyemin - ainda que tenha sido um meio passo, ele imaginava que a reação normal dela fosse completar o caminho. Pelo menos era o modo que ela sempre agia e conseguia tirar a tensão dele.

Seu coração ficou um pouco mais apertado quando viu aquela face pouco conhecida da filha. Não se lembrava de quantas vezes a tinha visto com aquele olhar tão triste, choroso e abandonado. Por quantas vezes ela tinha se sentido assim e ele não esteve lá para protegê-la ou consolá-la? Trincou um pouco os dentes e fechou os punhos com a pergunta dela.

A tia.

O que Chung Ja tinha  a ver com isso?

Puxou o ar com mais força e caminhou ele mesmo até Hyemin. Ouviu tudo o que ela disse, mas não estava acreditando na sinceridade rasa daqueles sentimentos. Uma conversa chata não seria motivo o suficiente para que ela estivesse daquele jeito, muito menos para que seus funcionários o tivessem informado sobre ela. Quando cobriu a menina por conta de sua altura, colocou uma mecha de cabelo atrás da orelha e fez um carinho em seu maxilar.

- O trabalho não é importante neste momento… - Disse com a voz baixa, meio rouca, porém com ternura. - Você é, minha filha. - Observou os tracinhos delicados dela e tentava ser forte para não ligar para a irmã e exigir explicações imediatas sobre o que tinha acontecido. Respirou fundo e a abraçou enquanto falava. - Eu sei que você tem aula de tênis daqui a pouco, mas tem certeza de que está bem e gostaria de ir?


Suspirou. Talvez ela não conseguisse contar as coisas se ele fizesse uma abordagem direta, por isso ele precisou pensar um pouco. A conversa que tiveram no fim de semana à respeito de bons pais tinha mexido um pouco com ele. Fora que era governanta e a Sra Kim já tinham dito que Hyemin não parecia de todo bem no fim de semana. Como duas pessoas que não tinham ligações sanguínea com ela podiam identificar algo que ele só via agora? E, ainda, como uma mulher da própria família podia deixá-la assim?

Ele sempre foi o primeiro a afirmar que as responsabilidades eram importantes, mas sinceramente não achava que sua bebezinha estivesse em condições de voltar para o colégio. Provavelmente levaria uma bolada na cabeça, fora toda a energia que teria que gastar para manter seu orgulho - e ele sabia como a filha era orgulhosa.

- Eu...Estava aqui pensando que tinha gostado muito do filme que vimos no fim de semana. - Ele não tinha gostado nem um pouco porque não era seu estilo, mas sua filha adorava aquelas comédias românticas e animações. - E aí pensei se você não gostaria de ver de novo? Ou então podemos ir pra casa e eu preparo o que você quiser comer… - Ah como fazia falta ter aquele tato feminino. - Mas se você quiser ir mesmo para o clube, bom, eu já terminei o trabalho por hoje. Posso te assistir treinando...A senhorita que manda, hm? Eu já dispensei seu motorista por hoje.
(C) Ross


WON BIN. 11 DE JUNHO. 5 P.M.


Bomi ainda estava online vendo que ele estava escrevendo uma mensagem para ela. Não estava fisicamente longe dele também porque ainda estava pelo colégio, mas os dois não estavam se vendo no momento. Logo respondeu.

Bomi

Bomi
Ne. O mais estranho é que cortaram a foto. Provavelmente vão querer usar contra a gente em algum momento ou chantagear. Eu não sei quem pode ser, mas fique atento, hm? E não caia em eventuais verdes que podem jogar…
Bomi
Mas é claro que já sabe disso, né? É o (meu) Detetive Hwang =)


Para a segunda mensagem, ela demorou um pouco mais, por isso respondeu depois que ele avisou para Ji Hyun que estaria ocupado.

Bomi

Bomi
Ensaio, não ensaio, treino de tkd ou  tteokbokki...Oh que dúvida cruel. Espero que você volte para seu dojo logo para treinar, quem sabe eu não passo lá para ver o treino? =p
Bomi
5 P.M. está bom pra você? Só vou em casa me arrumar e podemos nos encontrar num lugar neutro e longe de gangnam.


Ji Hyun leu a mensagem dele, mas foi bem mais sucinta até porque estava no trabalho.

Ji Hyun

Ji Hyun
Araso...Não tem problema. Marcamos para quando você puder…=]


E, finalmente, havia Kang. Apesar de mexer na sua própria bicicleta, ele olhou um pouco desconfiado, mas não disse nada. Só torcia para que Won não se confundisse nas mensagens e acabasse se atrapalhando.

- É o que parece… - Concordou. - Boa sorte, então, chingu! Vai dar tudo certo agora que vocês estão se falando de novo e na paz. Fighting!

Incentivou e sorriu para ele, mas logo era hora de se despedir. Pelo horário que Bomi havia dado, ele teria tempo de ir em casa para trocar de roupa e deixar a mochila de lado. Caso ele precisasse de mais tempo, ela não teria problemas de esperar - só esperava que desse para ir de metrô porque era o meio de transporte mais prático para ela. Óbvio que ela não iria com motorista e tinha seus motivos para não querer ficar em Gangnam.

Claro que os herdeiros também tinham outros locais como residência, mas num lugar mais comum, eles dificilmente iriam - e ela também não conhecia muito, por isso deixou que Won decidisse. Confiaria nas escolhas dele.

Como queria sair de casa no horário que falou e não tinha problemas em esperá-lo, ela podia chegar um pouquinho mais cedo, mas não tinha problemas de esperá-lo. Ficou na estação de metrô, num quiosque de café - tinha pedido só um chá gelado e doce para esperar. Enquanto isso, se distraía em suas redes sociais.

O estilo dela era bem feminino e dentro da moda - uma parte da mecha de cabelo estava presa num coquinho enquanto o resto estava solto. Já a roupa era um short branco e uma camisa listrada branca e azul. Nos pés, um tênis feminino e de passeio, branco e extremamente limpo. Caso ele a seguisse no instagram, podia ver a foto que ela tinha postado antes de sair de casa.
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Seo Hyemin em Dom Set 23, 2018 9:28 am



Hyemin ergueu o rosto, sentindo-se reconfortada aos pouquinhos com a aproximação dele e por ele mesmo dizer que não estava preocupado com o trabalho naquele momento. Foi muito bom ouvir isso, porque sentiu que não precisaria ir para o Tênis para tentar distrair, porque o pai a entenderia. Deu um passo na direção dele e foi abraçada quando pensava nisso. Ela o abraçou de volta, apertado, sentindo a falta dele.

Era como um super herói aparecendo para salvá-la. Pelo menos, se tudo desse errado, ela sentia que seu pai ficaria com ela. Podia ficar sem mais ninguém no mundo, mas o pai mostrou que estava ali para ela.

Balançou a cabeça negativamente, porque não queria ir na aula, afinal. Ouviu as propostas, sentindo-se feliz porque ele estava tentando agradá-la. Então ela se esforçou para tentar dar um sorriso.

- Eu quero ir pra casa… - E ficar com o pai um pouco. Era a melhor das alternativas sempre. - Vou te olhar cozinhando

Sorriu de leve e afastou-se devagar, entrando no carro. Encostou a cabeça no banco e olhou para cima, dando um profundo suspiro. Será que tinha que contar alguma coisa para ele? Não queria admitir todos os seus sentimentos para o pai em relação ao fato-que-não-podia-ser-mudado. Sua presença era muito mais do que ela poderia pedir, então se esforçou para ser um pouco agradável.

- Seu dia foi bom? - perguntou quando ele entrou no outro lado, mas virou o rosto para a janela.

{LOOK: Laço no cabelo | Bolsa | Capinha | Pulseira da amizade }

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Jae-ki em Dom Set 23, 2018 12:10 pm


Depois de ter contado tudo que queria, Jae-ki esperou a reação de Hyun e ficou surpreso quando ele se desculpou por aquele dia. Porque na verdade ele mesmo que se sentia mal, no dia que iam matar aula, se sentiu um amigo infiel. Era legal Hyun dizer que poderia ser alguém com que Jae-ki podia contar. Embora Jae não gostasse de ser "o garoto que é ajudado", ainda assim era bom saber disso. Como Kang e Won que sempre ajudavam.

- Valeu hyeong, você é mesmo um hyeong - Agradeceu Jae do seu jeito.

Jae balançou a cabeça confirmando quando Hyun falava da garota dele, pra mostrar que estaria de olho. Arregalou os olhos quando Hyun falou sobre contar com ele pra coisas que não podia fazer. Isso poderia ser bem útil.

- Pode deixar Hyun, vou ficar de olho nela. E se tiver que segurar um caras aí, eu não tenho medo de apanhar não. E se for fora daqui, eu sou bom de briga. Eu treino Hapkido nos fins de semana.

Jae arregalou os olhos quando ele falou da Bibi, ficou surpreso pela iniciativa dele. Era legal saber que hyeong também o ajudaria. Em seguida riu quando ele mencionou sobre as mulheres de Wangjo.

- Nem fala... Eu fico cansado só de pensar.

Na verdade Jae-ki tinha pensado várias vezes em pedir conselhos, mas não tinha feito isso para não parecer idiota.

- Cara, valeu! Você já sabe né, eu e a Bibi tamo namorando - Disse com um sorriso apaixonado.

Jae-ki suspirou com o rosto cansado e continuou:

- Mas, aigooo... Ás vezes eu não sei o que fazer mesmo. Hoje ela deu pra ficar com ciúmes, ameaçou até jogar o sapato em mim. Só que quando foi ao contrário ela ficava me chamando de chato, dizendo que eu não podia proibir ela de falar com ninguém... Mas agora disse que não vale isso para mim.

Jae-ki suspirou mais uma vez, ás vezes lidar com as garotas era mais cansativo que estudar. Por último falou:

- Mas é isso Hyun, precisando pode contar comigo.

Depois do clube de mecânica, Jae-ki iria para o trabalho e pretendia dar o seu máximo lá. Se sentia leve por poder contar as coisas ao Hyun, de alguma forma ele era diferente de Kang e Won, parecia sempre saber melhor o que fazer.


Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Won-Bin em Dom Set 23, 2018 9:47 pm



A resposta de Bomi veio ao vivo praticamente. Precisou se segurar pra não sorrir feito um bobo ao ler que era o detetive dela.

-Pode deixar (minha) parceira Detetive Yoon

Ela comentou sobre ir ao dojo...isso seria interessante. O que será que o mestre Baek acharia dela? Será que teria uma opinião ruim feito o pai ou ele veria além do sobrenome? Para resolver essa dúvida só resolvendo primeiro com o pai.

-Também espero que eu possa voltar logo. Eu posso te levar lá quando eu voltar a treinar Wink

5 horas. Era tempo o suficiente para se arrumar também e colocar algo que não fosse o uniforme: assim estariam a paisana mesmo.

-Está ótimo. Te vejo as 5!

Viu a mensagem de Ji Hyun: nada resolvido ainda mas por hoje estava bom, depois ia lidar com essa situação.

Agradeceu o desejo de sorte de Kang e se despediu dele, sem saber o quanto ele tinha sacado da situação: no momento certo ele e Jaeki iam saber o que estava rolando.

Viajou como o vento até em casa e fez um esforço um pouco maior que o normal pra se arrumar e ficar um pouco mais bonito: não tinha necessariamente um estilo próprio mas tentou parecer legal hoje. Após umas cinco tentativas de penteado na frente do espelho, Won sorria de ponta a ponta pra ver ela.

A viu no quiosque na estação e sentiu o coração bater muito mais rápido. Ela estava linda, bem, ela sempre estava linda mas agora parecia ainda mais. Era praticamente o primeiro encontro pra valer e não uma fuga com pretexto como almoço ou um passeio com amigos onde deveriam ser babás deles.
Eram só os dois e isso parecia muito...certo.

Se aproximou com um grande sorriso no rosto, ficando de frente pra ela.

-Oi Bomi - disse, meio sem graça sem saber exatamente o porque. No fim não tinha exatamente planejado bem o que fariam, mas o importante é que finalmente tinham alguma privacidade.

-Recuperada do susto de hoje? Aish...eu nem me liguei de nada na hora do intervalo. Enfim, eu quero me preocupar com isso só depois. Agora...

Olhou ao redor, como se fosse um explorador.

-Pra onde iremos? Hmmm, eu conheço praticamente todos os cinemas daqui. Mas a gente poderia achar um lugar legal pra comer, ouvi falar bem de uns restaurantes ocidentais por aqui. O que acha?

Não importava bem pra onde iriam. De qualquer forma ia estender a mão para que andasse com ela de mãos dadas.
O sorriso mantinha-se no rosto. Pequenos momentos de felicidade como esse...Won aprendeu a valoriza-los ainda mais.

Google Maps Seoul...

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Kim Sun-Hee em Dom Set 23, 2018 11:38 pm



Depois de concordar com o Capitão, foi a vez de Won colocar sua opinião na conversa e Kyung-Soo teve toda a paciência para explicar os motivos de achar a sua proposta coerente, mas sem desmerecer as ressalvas do bolsista. As músicas eram mesmo bastante complicadas, porém Sunny realmente achava, apesar dos detalhes, que seria divertido de trabalhar cada uma delas, independente do grau de dificuldade. Após as observações – inclusive e principalmente as do professor – eles escutaram as seis músicas, discutindo análises e divisões. As que Sunny mais gostava eram Fire, Stay With Me e Goodbye, mas todas as escolhas foram muito boas, de fato. Pena que – como Chae pontuou – possuem letras bem tristes – umas mais pesadinhas do que outras.

Para ajudar a turma, Nayeon tocou as canções no piano e acompanhada pelo violão de Kyung-Soo. Era visível o nervosismo da menina, mas ela simplesmente arrasou, mostrando um talento incrível... Quando ela adquirir mais segurança, Sun-Hee duvidava que fosse existir qualquer coisa que Nayeon não conseguisse fazer com aquelas teclas do instrumento.

A parte inicial e mais complexa ficou nas separações. Precisavam equilibrar as duplas, combinar os tons de vozes, ver quais se encaixavam mais adequadamente e assim por diante. Detalhes técnicos que causavam um pouquinho de dor de cabeça, porém eram necessários. Além disso, Bomi deu uma ideia sobre alternarem os covers entre masculino e feminino. Geralmente, Sunny se mostrava mais ativa e participativa, só que não sentia-se no clima, embora o esforço para manter a atenção e não se perder na conversa.

No fim, conseguiram formar as oito duplas e Sunny caiu novamente com Kang – o que a agradou. Assim como Lee-Hi e Kyun-Soo, os dois também cantariam Stay With Me. Eles poderiam aproveitar, caso sobrasse tempo, os encontros para montar a maquete e treinar a atividade do Clube. Até porque, mesmo com a responsabilidade da tarefa, seria igualmente relaxante.

Ao contrário da maioria das aulas, não utilizaram muito a voz – pelo menos para cantar. O grupo trocou os números entre si e dessa forma manteriam uma melhor comunicação. Também acertaram alguns aspectos da gravação dos treinos – seria um acréscimo interessante. Sun-Hee comentou que conhecia uma pessoa que era ótima com esses tipos de edições e ficou de perguntar a ela se teria como dar uma mãozinha. Mesmo que Stella seja solícita e gentil, não queria atrapalhar a rotina da amiga ou deixá-la mais atarefada. Preferia verificar antes de oferecer qualquer certeza.

A aula logo terminou.

Despediu-se dos colegas e enquanto arrumava as coisas, já pensava em falar com Kang e sugerir os treinos nos mesmos dias que optassem para realizar o trabalho de Geografia. Mas ele saiu sem que Sunny sequer notasse. Depois falava com ele. E... havia Lee-Hi. A amiga avisou que não tinha condições de trabalhar e Sunny a tranquilizou sobre isso, que explicaria a situação para a chefe. “Explicaria”, né? Foi difícil não segui-la e perguntar o que causou todo aquele mal-estar, porém... Chaeyoung estava ali.

Tão preocupada quanto Sunny.

- Chae... – aproveitou que as últimas pessoas, as irmãs Da, saíam do estúdio e chamou a amiga – O que aconteceu? Por que a...

Mas, de repente, Sun-Hee se calou diante do som que começou a dominar cada espaço do ambiente ao escapar pela brecha da porta entreaberta. Automaticamente olhou na direção da cabine conforme a melodia doce e melancólica do violino tornava-se mais presente...


Era impossível ignorar ou disfarçar o quanto sentia-se mexida. Podia ser loucura da sua cabeça – e provavelmente era sim – mas quando ouvia a música de Jung-Mi, gostava de pensar que tratava-se de um chamado...

Sempre que o escutava tocar, a vontade de tê-lo perto, porém ambos distantes de todas as tensões e problemas de seus respectivos mundos...

Abraçá-lo e cuidar dele...

Aquela vontade ficava tão pesada ao ponto de esmagá-la.

De costas para Chaeyoung, Sunny continuava fitando a cabine de uma maneira extremamente triste e encantada.


Até que fechou os olhos e os braços caíram pelas laterais do corpo. Sunny cerrava os punhos em puro reflexo e os lábios discretamente separados expulsavam o ar dos pulmões.

Será que ele sentia-se desse jeito?

Ou já sentiu alguma vez?

A música era uma maneira de aliviar os próprios sentimentos e nos últimos meses... Jung-Mi virou uma nota essencial nas composições dela.

Infelizmente...

A favorita de Sun-Hee.

Quando... Quando ia... acabar?

Estava sendo paciente, seguindo todos os passos... Então por que a dor não parecia menor com esse tal “apenas o tempo cura”? Agora mesmo, tinha certeza absoluta de pisar nos cacos do coração... Por causa de uma música! Por causa de uma maldita...

Música...

O quão cruel poderia ser isso?

Estar diante da sua pessoa...

E saber que jamais seriam um do outro? Era injusto, injusto demais.

Se ela e Jung-Mi não foram destinados, então por que a vida seria tão maldosa ao colocá-lo no seu caminho?

Talvez fizesse parte do castigo...

Afinal, algumas tristezas não se podem curar. Elas são apenas... contínuas.

WangJo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por The Crown RPG em Seg Set 24, 2018 1:21 am

SUN HEE. 11 DE JUNHO


A saída de Lee Hi reacendeu o alerta de preocupação das meninas. Por um instante muito breve, Chaeyoung imaginou que a amiga estivesse um pouco melhor por conta da aula de música. Contudo, tarde demais ela percebeu que HaYi só estava ali fisicamente e aceitaria qualquer coisa que dessem para ela. A cabeça dela estava muito, muito longe e os olhos mais pesados do que o normal.

Só queria sumir porque não tinha forças para rebater, lutar contra ou reagir com escândalos. Era tão, tão estressante para ela que só queria ficar recolhida, dormir e não ser incomodada. Não tinha mesmo como seguir para o trabalho daquele jeito. Provavelmente só levantaria mais rumores e mais olhares preocupados.

Não queria ser um fardo.

Por isso quando ela saiu daquele jeito, depois de dar o recado para Sun Hee, tanto a mais nova quanto a Park ficaram olhando um pouco para a porta. Chae estava sem o peso da mochila, mas o volume da tipoia chamava a atenção.

- Hm? - Murmurou ao ouvir o chamado de Sunny, mas continuou olhando para a fora.

Ouviu que a menina começou a fazer uma pergunta, mas que foi interrompida pela música que saía de uma das cabines. Seria capaz de completar a pergunta dela, mas o som do violino roubou sua atenção também. Claro que ele tinha efeitos diferentes para cada uma, mas aquela música…

Virou-se também, ouvindo com atenção ainda que não visse o violinista em sua performance. Sunny estava em primeiro plano para ela e ganhou seu foco quando os ombros caírem, cansados. Algumas pessoas realmente eram capazes de sentir a música dentro da alma e, por um segundo, achou que este fosse o caso dela. Deu um passo à frente, pronta para dizer alguma coisa, mas ficou surpresa quando viu o perfil dela.

Ela parecia tão...triste…

Por que estava assim?

Aquela peça era triste mesmo, mas…

Olhou na direção da cabine, vendo pela janela meio torta - devido à porta entreaberta - Jung Mi de costas alcançando aqueles agudos tão difíceis de serem agradáveis, mas que ele atingia com maestria. Não precisava ver o rosto dele para saber que ele conseguia se expressar toda a solidão daquele som sem palavras, mas, por conta do movimento externo, as duas chamaram a atenção dele.

Virou-se um pouco, identificando os dois pares de olhos e...errou.

O som foi um despertar para as duas e algo que o deixou confuso. Franziu um pouco as sobrancelhas olhando para a o violino e para as duas. Colocou de lado e caminhou até a porta.

Sunny sentiria seu mundo em câmera lenta porque ele podia muito bem fechar a porta, expulsando as duas ali ou…abrir a porta e sair, como ele estava fazendo nesse momento. Quando foi que ele fez isso alguma vez?

- Ahm...Eu estava incomodando vocês? Joesonghamnida - Abaixou a cabeça, principalmente por estar diante de uma noona.

- Ani, ani!! - Chaeyoung meneou negativamente depois de gaguejar um pouco. - Acho que nós duas que o atrapalhamos... Mian Hamnida

- Eu só fiquei um pouco surpreso por vê-las. Geralmente fico um pouco mais treinando, mas raramente tenho uma plateia… - Manteve o tom de voz agradável e polido. - Foram bem nos ensaios de vocês?

- Ne…

- Gostaria de ouvi-las cantando algum dia. Chaeyoung-ssi porque é minha noona e poderia dizer que é minha irmã mais velha mesmo agora. - Deu um pequeno sorriso e voltou-se para Sunny. - E Kim Sun Hee-ssi...Porque tem umas das mais belas vozes que já ouvi. Eu sou encantando por ela.

- O...O…- Ommo?! Chaeyoung levou a mão livre até a boca e não sabia para quem encarar naquele momento.

Mas Jung Mi sabia exatamente para quem deveria manter o olhar fixo. E não desgrudava do rosto de Sunny naquele momento.
(C) Ross


CLUBE DE TÊNIS


A aula de música tinha sido um pouco diferente do que Misoo podia imaginar. Como era o início de um projeto/treino, houve poucas apresentações. Ela só conseguiu identificar aqueles que se destacavam porque foram separados em dois grupos. Curiosamente - ou não, Gyu Sik estava no major enquanto Kang Woo Jin no minor.

Apesar da fama de bela voz que Yoon Gyu Sik tinha, Yeun Misoo nunca conseguiu assistir uma apresentação dele nos anos anteriores.Nem mesmo em karaokês, porque eles pouco iam. Tampouco sabia como seria Woo Jin cantando. Ou quem sabe um dueto deles?

Daqueles que tinham ocupado sua confusa mente recentemente, o único que ela conhecia o talento era Jung Mi. O garoto estava numa das cabines ensaiando com uma das unnies do 3ºano - irmã da Nayeon - e não era possível ouvir o que ele tocava. Mas a verdade era que ele tinha um grande talento e potencial, um violino bem pegado e que causava sensações...difíceis de descrever. Fato é que era impossível não sentir nada quando ouvia a música dele.

Porém, foi mais uma apresentação que ela não viu. Só teve a oportunidade de ouvir Nayeon tocando as músicas que os amigos cantariam dali a algum tempo - todas conhecidas pelo grande público e de difíceis interpretações. A pianista era muito boa, apesar de tímida e um pouco retraída e o acompanhamento de Kyung Soo também era ótimo.

Quando o sinal tocou, ela teria pouco tempo para se arrumar para o clube de tênis, mas Bomi a acompanharia até o vestiário, contando as coisas que o grupo decidiu.

- Teremos que fazer apresentações acústicas, parece…São músicas legais, acho que faremos um bom trabalho. - Sorriu, confiante. - Se tiver algum tempinho no dia, vá ver como estamos nos saindo ao vivo… - Deixava o convite aberto para a amiga.

No banheiro, deixaria que Misoo se trocasse e ficaria bem quietinha mandando suas mensagens para Won Bin - bem longe da vista dela.

Diferente do clube de dança e de música - onde havia grande concentração de seus amigos - no clube de tênis ela estava sozinha. Eun Bi tinha desistido do clube esse ano, mas elas chegaram a competir juntas no ano anterior e se saíram muito bem, com prêmios para a categoria. Agora, contudo, ela se via sozinha e nem era a capitã porque o título ficava com a detestável Do Jimin.

O ponto favorável era que a professora também era sua técnica fora dali e sempre a incentivava. O lago ruim era que para uma pessoa sociável como Misoo, ficar cercada de energias negativas nunca era bom. E foi isso que ela encontrou quando chegou até a quadra. Existiam três possibilidades ali: Ou ficava com o grupo dos populares do 2º/3ºano, compostos Jimin, Hyejeong, Jong In, Ro Young, Myung Eun, Yun Bi e Joon Ha; no grupo “oposto” ao deles que era meio que liderado por Han Minhyun e seguido Seok Min, Sih Jeong, Kyung Soo, Jun Woo; ou ficava como as meninas Jiran, Hayoung, Jirin e Chae Won transitando entre grupos.

Nenhuma delas eram opções realmente confortáveis. E, naquela terça-feira, não havia nem Hyemin para poder conversar e se distrair.

Jimin logo viu a chegada de Misoo e a olhou da cabeça aos pés antes de se aproximar dela. Desde que ela tinha assumido o falso namoro com Jung Mi, a ordem de Eun Joo era que respeitasse mais a menina. Mas Jimin era outro nível de implicância - sendo ainda pior que o irmão, porque Taemin não chegava a ser tão sádico quanto ela.

- Ya, Misoo-ssi! - Disse se aproximando com um sorriso querido nos lábios. - Adorei o convite da sua amiga para a festa de sábado. Já separou sua roupinha de banho ou ainda tem vergonha das gordurinhas?

Hyejeong chegou fazendo uma cara de pensativa.

- Hmm...Tenho certeza de que tem uma cinta por baixo, Jiminie. Ela deve ir com uma roupa de mergulho para se manter em forma…

- Ung...Deve ser. Sinceramente, eu não sei qual é o problema dos Park. Um namora a estranha sempre feliz da vida e o outro a ex-gordinha...Francamente, tem algo de errado com essa família.

- Esse é o tipo de conduta que uma capitã deve ter?

- Ommo?! - Jimin olhou para trás, vendo Minhyun com uma cara de poucos amigos. - O que você tem a ver com isso, hm?

Tênis
Anuários
(C) Ross


HYEMIN. 11 DE JUNHO


Longe de trazer algum conforto, o sorriso de Hyemin apenas apertou mais seu coração. Lá estava sua filha querida novamente forçando algo que realmente não sentia. Suspirou, meio cansado, sentindo-se um tanto quanto derrotado pelas reiteradas falhas que tivera com ela.

Em pensar que tinha sido um bom pai…

Bom, considerando o pai dele como parâmetro, ele realmente tinha sido um bom pai. Contudo, ainda estava muito distante de ser aquele que tinha prometido ser. Quando soube que seria pai e olhou para aquela barriga pela primeira vez com ciência de que havia uma criança à caminho, ele tinha certeza de que seria uma menina. Um herdeiro homem era o que qualquer um desejaria, mas ele não seguia o mesmo pensamento dos outros. Ele sabia que seria uma menina porque desejou muito que fosse.

E quando a segurou pela primeira vez nos braços, momentos após sua chegada ao mundo, ele sentiu que era o homem mais feliz do mundo. Fez tantas promessas naquele momento: proteção, segurança, cuidado, amor, carinho, atenção...E sentia que havia quebrado uma por uma. Naquele momento, ele também não sabia o que o futuro os aguardava, muito menos a traição da sua esposa.

Mas promessas precisam ser mantidas.

Olhou para sua filha e Hyemin veria que os olhos dele também estavam tristes - até mesmo um pouco maiores, como se estivesse se segurando um pouco. Foi a vez dele de forçar um sorriso e concordar.

- Eoh, vamos para casa, então...Gaja. - Colocou a mão em seu ombro e indicou o carro antes de abrir a porta para que ela se acomodasse. Deu a volta e acomodou-se em seu banco antes de colocar o cinto. - O que vai querer de menu hoje? Podemos passar no mercado para comprar produtos frescos…

Sugeriu e a olhou ao ouvir a pergunta sobre seu dia.

- Ah, atípico, eu diria. Tive uma reunião pela manhã, mas não estava me sentindo muito bem por volta do meio dia e mandei que cancelassem meus compromissos. Alguma coisa não estava certa e, bom, parece que adivinhei. - Suspirou. - A Sra. Kim também não foi ao trabalho hoje, estava trabalhando de casa…

Comentou por alto, mas não perguntou à filha se Kim Joo Hyuk realmente havia faltado à escola. Ele confiava o suficiente nela para acreditar em sua palavra e motivos para ficar em casa.

- E sua manhã? Como foi? - Bem específico. Não queria pressioná-la para saber sobre o almoço...Ela só contaria se quisesse mesmo ou depois de comer algo bem gostoso. Já tinha ideias de como extrair a verdade sobre o que aconteceu daquela vez. - Aliás, eu cheguei muito tarde ontem e também não nos falamos...Como estão as aulas e seus amigos? Wangjo já começou com os projetos loucos? Como está sua agenda?

Estava interessado em saber até mesmo para conseguir se programar para as saídas com ela também. O tradicional tênis de domingo, por exemplo, podia sofrer com o grande volume de eventos e tarefas.
(C) Ross


WON BIN. 11 DE JUNHO. 5 P.M.


Bomi nem sentiu o tempo passar enquanto esperava por Won Bin porque estava realmente distraída com o celular. Lia alguns comentários de seus seguidores sobre a foto que tinha postado, mas também espiou as mensagens que tinha trocado com ele, bem como a sua última avisando que já tinha chegado.

Ao reler sobre ser a parceira Detetive Yoon, ela deu um sorrisinho bobo e as maçãs do rosto provavelmente ficaram um pouco mais vermelhas. Suspirou, dando um gole em seu chá e ficou com um semblante mais pensativo.

Tanta coisa havia acontecido nos últimos dias que parecia difícil de acompanhar até mesmo para uma geminiana. Seus sentimentos eram muito conflitantes quando estava longe de Won Bin e acabava tirando conclusões ruins - como fizera no sábado e na segunda-feira. Contudo, quando ele aparecia e a olhava daquele jeito tão...sincero e honesto, ela sentia suas barreiras ruírem. De tal modo que ela desfez tudo o que tinha dito e agora...Estava ali. Ela tinha sido a pessoa a dar a ideia de saírem juntos, pela primeira vez sozinhos e agora acontecia mesmo…

Sentiu o estômago um pouco revirado de ansiedade e precisou tomar mais um pouco do chá gelado.

Apesar da confusão mental, ela mantinha uma postura muito correta e perfeitinha enquanto esperava por ele.

Voltou a olhar para o celular, lendo os comentários positivos sobre sua aparência. Não era para inflar seu ego, mas para passar uma segurança. Não tinha para quem perguntar se estava bonita para um encontro, por isso ouvir de seus seguidores a deixava um pouco mais tranquila. Será que ele ia gostar de vê-la sem uniforme? Não era como se fosse a primeira vez, mas era diferente, né?

Os batimentos cardíacos pareciam um pouco mais acelerados do que o normal e ela abanou de levinho a mão, como se isso fosse gerar vento o suficiente para acalmá-la. Engoliu em seco e ao olhar ao redor, facilmente identificou a figura dele.

Como um garoto como Won Bin se achava comum e sem graça? Mesmo agora entre as pessoas que transitavam para lá e para cá, ele se destacava aos olhos de Bomi. Não tinha nada de comum. Won perceberia que ela o olhava de modo quase encantado - as pupilas pareciam ligeiramente mais dilatadas, deixando os olhos dela mais escuros do que castanhos avermelhados. As bochechas pareciam ter um pouco mais de blush do que o normal, mas era só uma reação natural daquela pele extremamente branca. Abriu os lábios para falar, mas a voz não saiu. Tossiu de modo delicado, levando a mão até a boca para esconder o gesto e levantou-se.

- Oi...Won Bin--oppa… - Respondeu meio sem graça e tentando segurar o sorriso que queria dar.

Guardou o celular na bolsa e ajeitou a alça em seu ombro antes de pegar o chá gelado com a mão livre. Ficou um pouco séria quando ouviu sobre a foto e, de modo espelhado, olhou ao redor, meio desconfiada.

- Eu também não pensei nessa possibilidade naquela hora. Não pensei em muitas coisas, na verdade.. - Admitiu. - Eu ainda estou preocupada, mas esperando pelo próximo passo. Vai acontecer em algum momento…

Murmurou, franzindo um pouco as sobrancelhas. Voltou a encará-lo quando ele sugeriu que pensassem nisso depois. Os ombros relaxaram um pouco e ela pensou nas alternativas que ele dava.

- Hmm..Comida ocidental é hamburger? Batata Frita? Pizza? Ou comida refeição completa? - Ponderou. - E praticamente todos os cinemas? Então ainda tem coisas para descobrirmos juntos...Interessante…

Ainda estava ponderando sobre o que poderiam fazer quando sentiu a mão dele buscando pela sua. Olhou para o toque antes de voltar o olhar para seu rosto e ver que o sorriso ainda estava ali. Escondeu os lábios e, de modo tímido, entrelaçou os dedos aos dele, dando as mãos bem firme para que seguissem juntos.

- Acho que podemos lanchar primeiro. Não comi nada desde o almoço…E chá gelado não conta. - Fez um beicinho. - Vamos ver esses restaurantes ocidentais que você falou…
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Park Hyun Hee em Seg Set 24, 2018 7:26 am

 

- Hapkido, é? -  olhou surpreso que alguém com o jeitão malandro de Jaeki fosse treinado em algo. Um preconceitozinho. - Isso me traz memórias. Eu praticava Taekwondo… Antes de.. Bem,  eu praticava - deu uma risada leve.   - Mas tudo bem. Vou contar com você -  sorriu. Não queria que Jaeki brigasse por ele, mas era reconfortante mesmo ver um dongsaeng dedicado querendo defendê-lo. Tava um tipo de orgulho.

- Se você não me contasse, o meu conselho seria pra ir pra cima -  riu sacana, observando aquele típico olhar de quem está completamente ferrado na vida por causa de uma mulher. Ouviu a reclamação dele e balançou a cabeça positivamente.

- Jaeki, Jaeki… Aprenda uma coisa: as mulheres estão sempre certas. Se quer estar certo, dê razão para elas. Um pedido de desculpas com um carinho na nuca é muito efetivo   -   piscou.   - Se ela está com ciúmes, significa duas coisas: a primeira, você não está dando segurança para ela. Precisa mostrar que ela é especial, mas não só isso… elas querem ser mais especial do que as outras. Se existir qualquer fêmea para qual você demonstra um pouquinho mais de atenção, por menor que seja, elas vão querer destruí-las. Nessas horas, não esqueça de sorrir e lembrá-la que seja lá o que foi que você disse se aplica dez vezes mais para ela. -   comentou com um tom professoral, divertindo-se por fazer aquele papel.

- A segunda coisa é que ela realmente gosta de você. Se está com ciúme é porque tem fogo. Isso é bom. Sei lá, eu gosto.   -  deu de ombros.   - Agora… Se ela está reclamando por causa de espaço.Deixa que ela vá, faça as coisas dela. Vai sentir saudade e vai voltar. Mas vá fazer as suas. Ela vai saber que enquanto está vivendo a vida dela, você também tem a sua, seu pessoal, as coisas que você faz sem ela e as pessoas com quem conversa sem ela. Mas se espaço significa outro cara, então você não caia no jogo dele. Não é com ela que você tem que brigar, maninho.  Isso só vai fazê-la correr pro filho da puta. Não, não…  Você dá o espaço que ela quer… E   -  apontou o dedo na cara de Jaeki, dando um passo para perto dele, falando baixo, ameaçador   - Não se mete com a minha garota. Ou eu mato você -  Sorriu e se afastou, acenando para o professor para que ele soubesse que estava tudo bem.

- Se o cara for mesmo melhor que você. Aí… Você fica de olho. E também fica esperto. Às vezes a garota não está sendo legal com você. Se ela dá bola pra outros caras e fica de conversinha, querendo encostar, se os outros até confundem que ela é tua namorada ou algo assim… Cara, não vale a pena. Vai pra outra. Sabe aquela loirinha que andava com a minha ex? Ela vivia de papo comigo. Quando eu e a Joonie brigávamos, ela vinha querendo coisa. Eu achava que era o fim, aproveitava, né.  Só que ela tava de enrosco com o um amigo meu. Uma confusão. Isso daí é cilada. E cedo ou tarde você vai se dar mal. Evita essas coisas. -  deu tapinhas no ombro dele. -  Mas acima de tudo, Jaeki. Encontre uma pessoa que te faça sentir tranquilo quando você não está legal. Que seja alguém que você curta o cheiro da pele, entende? Isso que vale a pena. Mas antes de mais nada, alguém que te faça querer ser o melhor cara do mundo. -  deu um sorriso torto.   - Clichê assim mesmo. Mas eu aprendi que tem que ter troca, sabe? Eu vejo muito de você em mim. E essa tua raiva não vai te fazer bem. Você precisa de alguém que controle ela. Ou melhor… Que te faça querer controlá-la. Que te bote no chinelo para você pensar e te faça crescer. E… no mais, vá curtindo como pode. Todo relacionamento tem um aprendizado. Eu errei pra caramba no meu aqui. Mas isso pra não repetir mais. Só não seja cabeçudo de ficar repetindo o erro. É isso que você tem que aprender. Se você comete o mesmo erro sempre, para pra pensar no motivo. Sempre tem um motivo. E geralmente é a gente mesmo  

Ele se esticou, espreguiçando-se.

- Uwaa… quanta filosofia. Eu sei que é muita coisa pra você assimilar. Mas vou observar vocês na festa. Tudo que eu puder passar pra você para evitar cometer os meus erros eu vou fazer. Eu sou o seu hyeong, afinal.    

Humor: mania/estável/--+++

— Ross


(Encerrei, gente!)
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Seo Hyemin em Seg Set 24, 2018 8:01 am



- Macarrão. Com queijo - deu um sorrisinho. Era uma de suas comida favoritas. - Tudo bem, pode ser - Concordou com a cabeça, poderiam passar no mercado se ele quisesse, embora preferisse ir direto para casa, então fez um pedido mais simples.

Hyemin tentou desviar o assunto sobre o “bom” dia do pai, mas não parecia ter sido uma boa ideia, porque o clima entre eles estava estranho, já que obviamente estava escondendo algo. Olhou com curiosidade e preocupação quando ele disse que não estava se sentindo bem, acreditando naquilo.

- Mas está tudo bem, appa? Ainda está se sentindo mal? Vamos para casa então. Não vamos passar em lugar nenhum! - defendeu, mas o olhou preocupada. Será que estava ficando doente de trabalhar? - Ah, é... - comentou vagamente, parando de olhá-lo.

Sabia muito bem o que a senhora Go Eun estava fazendo para não ir ao trabalho. Suspirou.

- Normal…

Foi péssima. Horrível. Dormiu mal, não se maquiou direito, chegou na escola infeliz, tiveram papos legais sobre as maquiagens e…

- Ah, é… Neste domingo vou ter que desmarcar o nosso Tênis… Vou ter que ir para Jeju… - comentou sem ânimo. - É uma maquete que precisamos fazer… - só de pensar nisso já tinha vontade de pedir licença médica. A ideia não estava tão horrível antes de saber daquela conversa toda. - Aí tinha que ser no domingo, porque no sábado é aniversário da Yoon Bomi… Vai ser na piscina, vai ser legal… E o Bombom vai fazer uma maquiagem sereia na gente - deu um pequeno sorriso.

- Meus amigos estão bem… Quer dizer, nós estamos bem, entre a gente… Ah e fiquei próxima da unnie nova, Park Chaeyoung, herdeira do Banco Coreano. Mas ela é legal. Ela me deu até uma pulseirinha de cupcake da sorte para… para usar - resumiu, acobertando a saída de sexta. - Eu a peguei namorando num restaurante. Foi tão romântico - inflou as bochechas. - É o Park Hyun Hee, lembra? Nossa, ele mudou muito. Mas continua um pouco assustador… Mas ele… foi legal - começou a divagar.

- Enfim, as aulas estão mesmo difíceis… Sabe como é...

Será que sou mesmo sua filha e tenho algum cérebro? Quis perguntar, mas não o fez, encostando o rosto no banco.

- Na aula de culinária estamos preparando o evento beneficente. Acho que gosto mais desse… Eu acabei de faltar no Tênis e acho que vai ser meio ruim...E amanhã eu tenho aula de Moda… Temos que fazer vestidos para um desfile. O tema é vermelho. Não consegui parar para fazer direito… E… Depois eu vou fazer trabalho… - comentou com pesar. - O mesmo… de Jeju…

É, o trabalho. Amanhã. Como que ela conseguiria encarar Kim Joo Hyuk?
Jeju…O lugar onde seus pais se conheceram. A tia tinha conseguido um combo para deixá-la chateada. Sentiu as lágrimas subirem de novo então virou o rosto para a janela, escondendo-o e piscando bastante para não chorar de novo.

- Só isso. - comentou e ficou em silêncio.

Por mais que tentasse se distrair, dessa vez estava muito difícil. Estava impossível! Será que tinha deixado acumular tanta coisa que agora estava difícil de empurrar para debaixo do tapete?

Passou as mãos debaixo dos olhos e respirou fundo, buscando a bolsa para ficar olhando no celular e evitar conversa, caso ele aceitasse ficar em silêncio.

{LOOK: Laço no cabelo | Bolsa | Capinha | Pulseira da amizade }

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Yeun Misoo em Seg Set 24, 2018 8:51 am

 

A aula de música foi uma experiência diferente para Misoo. Ela gostava de artes, tinha se divertido na Ópera, não fosse a obrigação de se vestir com aquela roupa apertada e fazer a social. Sentia um certo orgulho de ver os amigos talentosos, especialmente Gyu Sik, que parecia ter nascido para aquilo, embora não tivessem ido a nenhuma apresentação dele. Já Woo Jin ela preferia dançando. Tinha mais a cara dele. Será que tinha vontade de ser um idol ou algo assim? Era algo para se perguntar depois. Porque por algum motivo não o enxergava como alguém que cantava.

A próxima saída em grupo TINHA que ser um karaokê. Ah… Mas espera… Bomi e Won estavam brigados. Isso não aconteceria tão cedo, não é? Por algum motivo lamentou de verdade pela primeira vez que não sairiam juntos. Que estranho, ela estava reclamando da outra vez de ser vela cercada de casaizinhos…

Enfim, era bonito de se ouvir e ver pessoas parecendo transformadas nos palcos. A expressão pela arte era algo mágico. E algumas daquelas pessoas pareciam ter um dom. Jung Mi era uma dessas incógnitas. Ele era tão bonito e tinha uma aura de mistério magnética quando fazia coisas nas quais estava concentrado: lendo, tirando foto, tocando… Talvez ele fosse melhor sozinho mesmo. Talvez não gostasse de gente? Até cuidando de sua planta ele parecia bonito. Porém isso sumia quando ele interagia com ela, ou estava tentando forçar sociabilidade, sendo um príncipe perto dos outros. Era estranho. Ela preferia olhá-lo calado. Quando ele falava, lhe dava a sensação de robô, de sentimento calculado, e isso a incomodava muito. Mas naqueles instantes em que estava fazendo algo que parecia gostar de verdade, aí sim era encantador e divertido. Por isso não achava ruim quando ele tirava fotos dela. Por isso conseguia interagir com ele quando estavam brincando ou fazendo algo para distrair. Mas era por serem diferente naquele aspecto fundamental que se estranharam: ela era cheia de energia e amava pessoas, espontaneidade e diversão. Ele parecia quieto, na dele, mas se vestia com uma máscara social irritante que lhe lembrava sua família, o que ela interpretava como ser um robô.

Sem querer acabou observando-o com alguma admiração. Não sentiria raiva dele para sempre. Na verdade, só estava esperando que o tempo passasse. Queria deixá-lo na dele e fingir que aquele namoro falso nunca aconteceu.

Bomi apareceu com um novo convite, que ela aceitou com facilidade.

-  Claro! Achei bem legal vir aqui. Vou aplaudir vocês de pé!

Prometeu e saiu com a menina, para se arrumarem para o Tênis. Era muito mais legal participar daquele clube quando tinha amigas ali. Sentiu-se traída por Eunbi quando ela decidiu sair, mas não demonstrou nada na época. Afinal, ela só entrou em Dança para acompanhá-las, mas tudo bem. Esse tipo de rancor tinha passado. Mesmo que soubesse que a amiga a deixaria no esporte, ela continuaria fazendo. Porque era seu maior objetivo. Então conseguia equilibrar um pouco a falta de amigos ali com seu foco total no Tênis.

Pelo menos, era o que tentava fazer. E vinha dando certo, já que há muito tempo não era incomodada na escola de forma coletiva por causa de seu peso e seus antigos temores. Revirou os olhos para Jimin, acostumada com aquele tipo de tratamento hostil na aula. Seu lema era não parecer frágil e se afastar quando possível delas.

Porém, daquela vez ela tinha uma fragilidade no ego que não tinha reconhecido ainda, e as palavras da menina entraram em sua mente, ficando automaticamente registradas para consulta no sábado.

- Ha.ha. Que engraçado, unnie… E seu cabelo? Vai ficar verde descolorido na piscina? - Olhou irritada e bufou, tentando sair do caminho dela, mas a amiguinha estava junto.

Sentiu as bochechas corarem. Porque estava pensando mesmo em ir muito discreta, cobrindo braços. Geralmente ela não se importava com isso, mas… será que era feio ir assim?

Respirou fundo e torceu os lábios, engolindo em seco. Hesitou um momento, porque pensou nos tipos de biquínis que poderia usar. E se elas ficariam olhando para as marcas de emagrecimento no corpo. Foi o bastante para ficar sem resposta, mas foi defendida. Olhou para trás e conseguiu recobrar a postura.

- Pois é… Também não sei o que vocês têm a ver com isso…  - murmurou e saiu, caminhando em sua direção, como forma de se proteger. Deu um sorriso simpático para ele, falando um “komawo” cochichado.

Mas aquela provocação seria o bastante para que ela quisesse comprar um biquíni novo...

~~

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
132

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Jae-ki em Seg Set 24, 2018 3:10 pm


Jae-ki ficou animado quando falaram de luta.

- Maneiro, se der um dia a gente pode treinar.o Won luta Taekwondo.

Riu também quando Hyun falou aquilo sobre ir para cima. Em seguida ficou ouvindo so conselhos de Hyun. Arregalou os olhos principalmente na parte sobre "mulheres estarem certas". Isso parecia tão injusto. Não esperava que seu hyeong fosse dizer isso, mas foi ouvindo e começando a entender a coisa. "Então se eu falar que ela ta certa ela para de me encher..." - Ficou pensando na inteligencia do Hyun.

- Aigo... Isso é meio injusto, mas entendi o que quis dizer...- Comentou com um olhar pensativo.

Conforme foi ouvindo sobre ciúmes, ficou meio preocupado. Será que não estava então transmitindo segurança a Eun-bi? Se fosse isso, Jae-ki já tinha algumas coisas planejadas para sua Bibi que talvez ajudasse, como o colar que ia fazer. Mas ainda achava meio revoltante porque ela também o deixava inseguro.  Como Hyun disse, ciúmes era bom por um lado também, na visão de muitos ali Jae-ki sabia que era visto em grande desvantagem. Não era o tipo desejável para os pais de ninguém. Então se Eun-bi tinha ciúmes, era porque enxergava algo bom nele.

Enquanto Hyun falava, Jae-ki ia decorando cada palavrinha dele. Apesar de algumas coisas parecerem injustas, Hyun era "o cara". Ele teve várias namoradas e provavelmente sabia do que falava. Jae também se lembrava do que Eun-bi o que disse, sobre amar ele. Jae-ki não se recordava só das coisas ruins, mas das boas também. Sorriu com ai ideia que Hyun deu sobre ameaçar o cara de morte. Gostava de se imaginar fazendo essas ameaças ao Taemin. Ele devia mesmo querer isso de afastar sua Bibi dele. E era isso que Jae ia fazer se o cretino ficasse o provocando de novo. Refletindo sobre tudo até que realmente fazia sentido.

Balançou a cabeça quando Hyun o alertou sobre as enrascadas que se meteu. Ele ficou mesmo refletindo sobre essas palavras, se lembrou de como foi bom deitar no colo da Eun-bi. Jae-ki sabia que era louco por ela, então esse sacrifício parecia valer mesmo a pena, ao menos era o que Jae-ki achava nesse momento. "Eoh... Eu quero ser o melhor cara do mundo..."

- Araso... - Disse com o olhar pensativo ao assimilar essas coisas.

Olhou para Hyun mais uma vez surpreso por ele oferecer ajuda na festa:

- Uwa, jinja?! Valeu hyeong. Eu nunca pensei desse jeito sobre essas coisas.

A parte mais difícil mesmo seria sobre Sunny, mas faria como Hyun disse, tentaria deixar claro para Eun-bi o quanto ele gostava mesmo dela.

- Eu só sei que eu sou doido pela Bibi, eu nunca me senti assim antes. Ás vezes ela me deixa tranquilo e outras me tira do sério de tanta raiva. Mas eu acho que vale a pena... Eu meio que não tô acostumado com esse lance de namorar, eu já tive meus rolos, mas nunca nada sério assim. - Jae-ki quis deixar claro que teve suas paqueras para não parecer tão inexperiente - Eu vou tentar fazer o que você me falou, valeu mesmo hyeong. Devia ter te perguntando antes, você é mesmo o cara.



Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Dong Hee Kyung em Seg Set 24, 2018 3:32 pm



Kyung apenas fez uma segunda contatação mas seu amigo não levou tanto na esportiva.
- Não dissemos que está errado Min-Ho. Agora compreendi a natureza da vossa iniciativa, então estava só preocupado com o grupo e nosso trabalho. Um cavalheiro deveras nobre e requintado. - Declarou e com a mão pegou uma porção pequena da carne, mas antes viu a quentura subindo do pedaço, embaçando suavemente a lente de seus oculos grossos - Aigo... não seria prudente não é Sona-ssi? Acabei de contar o plano para você, se eu apareço com uma namorada ela seria um manequim numa cidade de teste balistico.

Um alvo, a grosso modo.
- Você está descrevendo a si mesmo quando falamos de Bomi-ssi outra hora. - Dong enuncia isso depois de mastigar e engolir o pedacinho quente.

- Joesonghamnida, noona. - Uniu as mãos num gesto breve de desculpas a Sona e logo na sequencia uma pessoa de bico saliente e peculiar retorna a cena, pedindo desculpas quando na verdade ela nem tinha demorado tanto.

Foram uns cinco minutos de ausência quase.

- Por pouco você não demorou um numero impar. - Comentou baixinho com Stella como se isso fosse algo de importancia.

Ui-Jin finalmente conta sobre o que estava incomodando todo esse tempo a sua valiosa mente, a reação que Dong teve mentalmente fora parecida com a de Ha Neul.

Ao invés de falar ele acabou demonstrando um olhar, preocupado, levando a ponta de um dos indicadores até o queixo, refletindo sobre o conteudo dessas palavras.

- Técnicamente se o Kim quisesse fazer algo, ele já o teria feito. Eu era proximo de minha prima e é o mesmo que supor que isto abalaria o andamento do projeto.

Não chegava a ser o mesmo, mas os amigos provavelmente entenderiam seu ponto.

-  A questão é o quão proximo ele é da garota hibisco, Ui-Jin, anseio que isto não seja o senhor levando tal informação para o pessoal. Não podemos ser dúbios agora. Como o senhor conseguiu os observar desta maneira, contaste os minutos também igual fiz a pouco?

Pelo que Dong pode perceber, o corpulento porem galante master cheff mirin edição Seul, tinha certa estima pela menina.

E se fossem informações sendo interpretadas de maneira equivocada?


11 DE JUNHO. Restaurante. 13:00 P.M

— Ross
[/color]
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
112

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capitulo 7

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 9 de 12 Anterior  1, 2, 3 ... 8, 9, 10, 11, 12  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum