Fóruns Gráficos
3
Créditos
» Skin obtida de The Captain Knows Best criado por Neeve, códigos acrescentados por Weird e baseado no tema The Walking Dead Theme criado por Hardrock. Graças aos suportes e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foractivo.
» Versão Elysium adaptada por Hurricane, Rossin e Persephone.
Narradores
6
Personagens Ativos
40 Personagens Ativos
Últimos assuntos
» Capítulo 8
Ontem à(s) 11:17 pm por Kim Sun-Hee

» Episódio 1
Ontem à(s) 9:17 pm por Kasumi Sanada

» Sons of Neptune
Ontem à(s) 8:05 pm por Starry Night

» [DADOS] Onde estrelas nascem ou morrem
Ontem à(s) 6:12 pm por Starry Night

» Golden Boys
Ontem à(s) 1:47 pm por Starry Night

» @ohmygyuri
Ontem à(s) 10:54 am por Nam Gyuri

» @ommagyuri
Ontem à(s) 10:42 am por Nam Gyuri

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:52 am por Moon Jae-Eun

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:42 am por Moon Jae-Eun


Capítulo 8

Página 8 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Dong Hee Kyung em Sab Nov 03, 2018 3:49 am


Um video, era a brilhante ideia que seu pai apresenta, de maneira carismática ele se revela convicto de que o plano daria certo, em parte, já que Hee Kyung também tinha culpa por não fazer uma campanha em prol da nova atividade, mas por hora... sente que seu mentor teria mais chances de sucesso com a mãe.

Com um olhar de canto pode analisar as expressões de surpresa, conforme Joo descobre o que seu protegido pensa a respeito, num geral, sobre o próprio desempenho. Poderia soar como um complexo, Dong não tinha tanto incentivo mesmo, seus pais e familiares mais próximos eram pessoas de escritório, então o futuro que Hee Kyung projeta mentalmente para si não foge dessa rotina.

-  Incrivel, nunca diria que se detestavam, como pode ser possivel? - Cachos de interrogações circulam a cabeça do geek, havia muitas coisas para entender e aprender ainda... e certamente cortejar uma garota não seria uma dessas lições que ele aprendeu. Dong engoliu um pouco a seco com a historia... -  Então foi numa festa que tudo aconteceu...

Festa que por sinal ele estava perdendo, e se outra pessoa acabasse... encontrando a pessoa que Hee Kyung gosta? Espere... gosta? Os pensamentos do garoto dão um pequeno nó. Pouco a pouco, em meio ao relato o menino consegue colocar algumas pautas no lugar, sabendo determinar as causas do sucesso de seu pai.

-  Acaso, determinação, insistência... humor oposto. Parece fácil com o senhor falando mas ao mesmo tempo, dificil! Não sou carismático como o senhor, nem resiliente para essas coisas, olha só que confiança nas palavras, eu nunca me veria fazendo isso dessa maneira.

A duvida dele se mostrou sanada, parcialmente, já que ele ainda nutria duvidas que apesar do belo momento oportuno, evitaria amolar o mentor com muitas questões fora de hora.

-  O ponto cômico dessa historia fica pelo idioma inglês esta envolvido, é quase algo que nos persegue. - Isso daria uma baita ironia, tal filho tal pai... e por tudo que escutou, sabia agora que não foi fácil os pais se juntarem, pela época, pelos status... e pela família.

Nesse quesito Hee Kyung podia ter alguma vantagem, mas diferente do seu pai, ele ainda não entendeu bem o que deseja. Ainda mais agora com aquela noticia de viagem;

Um olhar de duvida pairou no rosto delgado, ainda estava confuso sobre como proceder mas não deixaria que esses pensamentos estragassem o passeio.

Carro Dongos

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
112

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por The Crown RPG em Sab Nov 03, 2018 10:54 pm

Banyan Tree Club & Spa.. MANHÃ


Bomi estava passando pelas fotos que tinha tirado com Misoo ainda a pouco, escolhendo qual postaria primeiro quando tudo ficou escuro diante de si.

- Ommo?!

Consertou a postura, abaixando o celular e levando uma das mãos até as mãos de quem tapava seus olhos. Passou os dedos sobre as cicatrizes, apenas para confirmar que era mesmo Won e não abrir margem para erro. Abriu um sorriso que só aumentou de proporção quando ouviu a voz que tanto sentia falta de ouvir.


- Muito agitadas, Detetive Hwang… - Virou a cabeça na direção dele, acompanhando os passos dele até sentar-se ao seu lado. - Esse é, certamente, o meu momento de pausa favorito.

Manteve os olhos sobre os dele e dava para ver como brilhavam por olhar para ele. Era muito difícil conter tudo aquilo normalmente, mas num raro momento de privacidade, podia ser ela mesma e agir como a boba apaixonada.

- Oi. - Respondeu escondendo os dentes num sorriso mais fofinho. - Apesar de ser difícil, eu estou feliz por você ter vindo. Até pensei que você fosse desistir e eu entenderia, mas...Estou mesmo, mesmo muito feliz por te ver aqui hoje. Não que eu não tenha gostado da foto que, por sinal, está uma gracinha! Acho que você está aprendendo as minhas poses. - Deu uma risada e chegou mais perto dele. - Mas eu prefiro te ver bem aqui…

Envolveu a cintura dele meio de lado e deitou a cabeça em seu ombro. Fechou os olhos, cobrindo-os com os longos cílios negros e apertou um pouco mais o abraço, se aconchegando na região.

- Depois eu quero explicações sobre essas mensagens…Quer dizer que todos os dragões se renderam às caçadoras, é? - Abriu os olhos para encará-lo de novo, mesmo de tão pertinho.




- Você faz parte da minha vida. Não vou te deixar de fora...Miane…

Fez um carinho no rosto dele e pediu desculpas num tom compreensivo. Podia entender o lado dele, apesar de ter sua razão por não ter contado ainda - falta de tempo, assunto que queria evitar, empurrando problemas para debaixo do tapete, esse tipo de coisa. Felizmente, os dois conseguiram se entender a ponto de deixar essa pequenina polêmica de lado.

O próprio Jaeki começou falando sobre como os amigos o abandonaram, fazendo uma manha que Eun Bi quis embarcar para mimá-lo um pouco. A bailarina não resistiu e começou a chamá-lo de fofinho. Por mais que ele tentasse negar isso, ele sabia ser muito, muito fofo.

- Pobrezinho...Ainda bem que eu cheguei para cuidar do meu oppa.

Também mostrou um beicinho, agindo de modo fofo e infantil até que contou sobre seu próximo passo a passo. Ao falar sobre o biquini, viu que ele estranhou e já saiu perguntando sobre a roupa.

- Ani, é um biquini, mas não faça essa cara. É comportado, prometo. - Ajeitou o próprio cabelo enquanto olhava ao redor. Sabia que não encontraria ninguém assim, mas foi força do hábito, uma linguagem corporal indicando que gostaria de ver suas amigas. - É verdade, é enorme, né? E muito bonito também. Mas enfim, vou falar com o Gyu Sik-ssi, então.

Como Jaeki escolheu ir com ela, ela esperou que o namorado pegasse a arminha e riu da postura dele. Entrelaçou os dedos aos dele e caminhou até Gyu Sik. Gostou de ouvir que ele iria em sua apresentação.

- Assa!! Eu vou convidar sim!! Se eu conseguir o papel principal, vou dar um lugar excelente para você e Soo Ji, porque acho que seria legal para ela ver uma apresentação, né? Só preciso continuar focada e me esforçando. Hoje foi um avanço porque não ouvi críticas ruins como semana passada, mas também não recebi elogios ainda… - Deixou os ombros caírem um pouco, dando um pequeno suspiro. - Mas tudo bem! Eu sei que estou evoluindo.

Pegou a mão dele para dar um beijo e seguiu até Gyu Sik. Dessa vez, Soyeon não estava perto dele, mas sim Ryu Ji. Eun Bi foi carinhosa com o amigo que recebeu muito bem as parabenizações e o carinho. Enquanto os dois falavam, Jae Ki veria Jin Hoo com uma bebida em mãos, conversando com Han Sunyoung, a rainha do 3º ano. A noona parecia feliz em vê-lo e conversava com desenvoltura com o rapaz mais velho, Jin Hoo se mantinha polido e educado.

A postura dele não mudava de quanto liderava a gangue, se Jaeki parasse para pensar, veria que ele sempre pareceu diferente. Não tinha um linguajar da rua, tampouco andava sem postura. Ele não se afastou de sua educação nata, apesar de perder a cabeça e não ter piedade na hora de dar suas lições. Jin Hoo voltou o olhar na direção de Jaeki e sorriu para ele. Num momento de distração de Sunyoung, ele indicou o salão do buffet com o olhar e pediu licença, tomando o caminho primeiro.

- Jaekie… - Eun Bi tocou no ombro dele. - Eu vou me trocar, tá? Logo volto, então, não fique preocupado comigo.

Deu um beijo na bochecha dele e se afastou, caminhando até o prédio do hotel. Jin Hoo já estava quase terminando seu caminho até o buffet. Enquanto eles se afastavam, Sunny retornava até a parte da piscina acompanhada de Jung Mi. Quando Eun Bi estava se aproximando da porta, ela encontrou com Taemin e seus amigos também...




Jung Mi era bastante consciente dos efeitos colaterais que causava em Sunny, mas naquele momento, precisava transmitir sua mensagem. Tão próximos, tão...absurdamente próximos e, ao mesmo tempo, tão distantes. Tudo por uma questão de tempo. A verdade é que queria mesmo selar aquela conversa com o beijo há muito merecido, porém, diante de tudo o que tinham exposto, era o mínimo que podia fazer com ela.

Não queria forçá-la. Se não fizera isso com Misoo e as mentiras que dissera a ela, não poderia ter um ato desses com Sunny e as verdades que que ali foram reveladas.

Os conselhos de seu hyeong foram aplicados, mas ele ainda tinha seus próprios limites dentro de sua ética deturpada. Por isso, ele recuou e agora os dois seguiam dentro de uma caótica tranquilidade até a piscina.

Diferente da ida, ele não a segurou pelo pulso ou  deu indícios de posse. Era sim bastante presente, criando aquela sombra de proteção sobre ela, mas não demonstravam o teor da conversa deles, apesar de abrir margem para toda sorte de especulações. Conforme o prometido, ele a guiou até a mesa de seus amigos. As pessoas voltaram a acompanhá-los com o olhar. Joo Hyuk e Chaeyoung também pareciam retornar e carregavam semblantes preocupados.

A mesa estava um pouco mais cheia - nesse meio tempo, Sona havia chegado e havia bebidas e comidas para todos os presentes. Stella estava dando um gole em sua bebida enquanto ouvia uma história divertida de Haneul e Sona. Hyewon também se divertia ali. Eles pararam quando Chaeyoung e Joo Hyuk chegaram, mas voltaram suas atenções para Sunny e Jung Mi.

- Conforme o prometido...Ela está entregue, sã e salva… - Olhou Joo Hyuk.

- Que bom. - Kim disse meio aborrecido e encarou Sunny.

- Vai ficar conosco, Jung Mi? - Chaeyoung usou um tom mais educado.

- Ani, não se preocupe comigo, noona. Espero que todos aproveitem a festa… - Sorriu e olhou para Sunny, tocando em seu ombro antes de se afastar.

O cenário teve algumas mudanças, como a presença de Jaeki e da namorada dele, que começava a se afastar. Enquanto seguia na direção do prédio, a ciumenta garota olhou um tanto surpresa para aquilo. Por um instante, houve um julgamento em seus olhos, como se não esperasse menos de Sunny. Nitidamente revirou os olhos até que mais adiante, cruzou com Taemin, Jiran e Miran.

Taemin e Eun Bi pararam de caminhar e se encararam mutuamente. O garoto foi o primeiro a desviar o olhar e seguir por ela. Por muito pouco não esbarrou em seu ombro, mas o gelo dele...doía. Incomodava, como Sunny bem conhecia. A bailarina virou a cabeça e disse algo.

- Ya - Deu pra ver os lábios dela se movendo.

Taemin parou e virou a cabeça para encará-la, o que tapou o que ela disse para ele. Miran parecia se divertir da situação - ela e Eun Bi não se bicavam porque eram rivais de dança. Jiran e só cutucou a namorada para que parasse de provocar também. Taemin coçou a nuca e cansou disso. Parecia arrependido de ter dado ouvidos e enquanto caminhava mais determinado na direção da piscina, ele tirou a blusa, revelando os peitoral branco e definido dele. Tomou impulso e mergulhou na piscina. Sete segundos depois, ele surgiu do outro lado, atravessando toda aquela extensão de água num fôlego só. Subiu na margem e fez sinal, provocando Jiran e Miran. Eun Bi tinha entrado no prédio, sumindo de vista.

Chaeyoung botou a mão no ombro de Sunny.

- Você está bem?
(C) Ross


HEE KYUNG. SÁBADO. 15 DE JUNHO. MANHÃ


- É...atualmente parece impossível imaginar isso, mas a verdade é que não existe uma fórmula ou regra para questões envolvendo o amor. Não é uma ciência exata, com tese, antitese e teoria, meu filho.

O pai explicava tentando se aproximar do mundo favorito do filho - as ciências. Porém, ele imaginava que devia ser difícil para Hee Kyung compreender logo de cara. Para pessoas sensíveis já o era, para uma pessoa com o perfil mais prático, então. As confusões eram perfeitamente naturais, até mesmo por conta da idade dele, mas o pai se sentia de certo modo orgulhoso por poder ajuda-lo.

- Eoh, foi numa festa que a vi pela primeira vez. Alguns anos depois nos reencontramos na empresa.

Observou a expressão de seu filho, tentando decodificar o que se passava ali. Bom, pelo menos chutava que ele também estava perdendo uma festa no momento, mas isso não queria dizer que estava deixando de lado a grande chance da vida dele. Para cada um acontecia de um jeito e sempre havia o destino colaborando para que os encontros se tornassem realidade.

- Só parece fácil, mas não foi. Porque eu tive que passar por cima do meu próprio orgulho para admitir certas coisas e, bom, você sabe que isso é dificil pra mim - abrir mão do orgulho. - mas...foi a melhor coisa que fiz.

Suspirou.

- A verdade é que você precisa ser sincero consigo mesmo e se conhecer o suficiente para saber até onde é capaz de ir e ceder por uma pessoa. Você é sim muito carismático, é um bom rapaz, tem muitas qualidades que fazem de você uma pessoa adorável. Certamente vai encontrar uma menina que enxergue essas qualidades e corresponderá aos seus sentimentos. Isso se já não encontrou, não é mesmo?

Mexeu de leve a sobrancelha para Dong, rindo. A risada foi ainda maior por conta da história do inglês envolvido.

- É, é uma língua atraente, não acha? - Brincou. - Não me surpreende você gostar tanto de estudar inglês aos fins de semana com a senhorita Jun.

Não precisava dizer mais nada, os cálculos eram simples. Observou a expressão de dúvida do filho e tocou seu ombro.

- O que você ainda está confuso em me dizer, meu filho? Não se acanhe, eu sou seu pai. Sei que falho na ausência por conta das viagens e da empresa, que sua mãe tem mais tato e intimidade para falar dessas coisas. Mas...Eu quero te ajudar onde for possível. Se só quiser desabafar, eu ouvirei, se quiser conselhos, eu os darei. Se quiser ajuda financeira para chamá-la para sair, eu ajudo também. O importante é que você saiba que tem meu apoio para todos os momentos de sua vida. E é bom ver que meu filho está crescendo...Vou sentir falta da criança, mas o jovem adulto será muito bem-vindo à minha rotina.
(C) Ross

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Kim Sun-Hee em Dom Nov 04, 2018 1:02 am



O coração ainda estava extremamente acelerado, mesmo depois de Jung-Mi colocar uma distância segura entre os dois. No entanto, era como se pudesse sentir a respiração dele soprando em seu rosto, formigando contra a pele sensível... O que foi aquilo??? Sunny engoliu em seco enquanto levava as mãos até as bochechas, massageando a região... Não que precisasse ativar qualquer circulação sanguínea, considerando o quanto a face permanecia bastante vermelha. Era um misto de vergonha e... e... expectativa. Jung-Mi esteve muito, muito próximo de... Rapidamente pressionou os lábios com a mão, desviando o olhar do Park, fingindo ver algo mais interessante no local em que MiSoo e Bomi encontravam-se minutos atrás.

A última frase da bolsista marcou o fim daquela conversa.

Sunny caminhava ao lado de Jung-Mi, mas ambos mantinham um espaço apropriado... Diferente de como aconteceu antes, com ele a puxando pelo punho e ignorando as encaradas abismadas que o gesto praticamente convidou. Apesar de ter dito que não ligava para os comentários dos herdeiros ou de quem quer que seja, Sun-Hee encarava as pessoas um tanto de canto, meio desconfiada e incomodada. Mas, aparentemente, todos estavam recuperados do choque de acompanharem “ao vivo” alguém como ela ganhando a atenção de alguém como Jung-Mi. Bem, ao menos, Sunny concluiu isso.

Até notar que... não.

Viu o exato instante em que Eun Bi lhe lançou um olhar de desdém, condenando-a por alguma coisa... E seria uma grande ironia se o primeiro pensamento que surgiu na mente da menina fosse, de fato, o motivo daquela reação.

Tratou de evitá-la, virando a cara.

A antipatia só crescia mesmo.

Preferiu se concentrar na mesa onde os amigos estavam reunidos e o clima era leve e divertido – o que mudou um pouquinho quando ela e Jung-Mi apareceram. Kim não escondeu o desagrado e, por um segundinho, Sunny achou que o amigo fosse arranjar problemas. Sorte que se enganou e Joo-Hyuk ficou apenas no vocabulário breve e mal humorado. Pelo que percebeu, tanto ele quanto Chaeyoung saíram para conversar... e as expressões preocupadas não eram bons sinais. Suspirou antes de abrir um tímido sorriso. Tão logo Jung-Mi negou a pergunta de Chae, Sunny o encarou e acenou de modo suave... Parecia estar tudo bem ali... – Divirta-se também, Jung-Mi – desejou educadamente e sorriu.

Ainda estava de pé, acabou o observando se afastar, porém outras cenas ganharam destaque.  Como, por exemplo... O encontro de Eun Bi e Taemin. Franziu o cenho... Irritada? E lá tinha o direito de se sentir dessa maneira? Prometeu a si mesma que Do Taemin não estragaria o seu humor e como ele estava a ignorando... Excelente. Também o ignoraria - pena que parecia mais difícil para ela alcançar o êxito divino. Considerando o quão explosivo tratava-se do gênio horrível de Taemin... Ele sabia ser bem geladinho quando lhe era conveniente. Humpf...

Algo o zangou...

Nenhuma novidade.

Pronta para seguir com a promessa, lançou um olhar definitivo... no momento em que Taemin.... ahn... se livrava da camisa. Precisou encolher os lábios, caso contrário, ensaiaria uma cara ridícula! Uma infeliz lembrança surgiu na ocasião mais inapropriada possível... Quando ele literalmente a jogou no ombro e saiu correndo, sem demonstrar qualquer dificuldade de carregá-la. Agora entendia o... MWO?!?!?! Ani! Ani! Ani! Aniiiiiii!

O rubor voltou a subir pela garganta, colorindo-a inteira até a face, nariz...

Girou sobre os calcanhares num movimento desastrado.

O toque de Chaeyoung a trouxe à realidade... – Eu... E-Eu estou... Estou bem sim, amiga – a encarou, sorrindo de um jeito nervoso – Acho que conseguimos resolver importantes detalhes.

Mas não era o melhor momento para conversarem.

Lançou um olhar mais demorado para todos os presentes e cumprimentou Sona. Então, fitou Stella, testando o humor da amiga... Era uma parte que não compartilhou, aliás. Caso ela ainda quisesse ouvi-la... Afinal, precisavam conversar sobre outras coisas. Muitas coisas... A festa era uma espécie de trégua depois de toda a semana.

Fez um carinho no braço de Chae e sentou perto de Kim – Desmonte esse bico, Kim Joo-Hyuk... – sussurrou – Ou vou pensar que está chateado comigo.

Ela suspirou.

- Podemos retomar com a programação, huh? – bateu o ombro ao dele, implicando.

Enquanto esperava uma reação positiva, Sunny pegou uma das bebidas disponíveis e bebeu um looooongo gole, quase terminando o suco de uma vez.

Semproblemas.Semproblemas.Semproblemas.


Estava bem orgulhosa, a propósito.

Poooool Paaaarty  sunny

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Jae-ki em Dom Nov 04, 2018 2:19 pm


Jae-ki fez um bico quando ela falou sobre biquíni, mas relaxou em seguida quando prometeu que seria comportado. Concordou quando Eun-bi disse que o lugar era bonito.

- A Soo-ji também? Jinja!? Uwa....

Jae-ki ficou surpreso ao ouvir que sua irmã poderia assistir a bailarina também.

- Eoh, isso seria daebak! Ela ia gostar muito.

Já sobre a professora dela, Jae-ki fez uma careta, não gostava da mulher só pelo que tinha ouvido falar.

- Esses professores não gostam de elogiar, só de criticar. Não vê o professor Chung, aquele.. Arghh... Mas eu sei que você vai tá ótima, tá ensaiando muito, se fosse eu, já tinha te colocado com o papel de bailarina principal.

Jae-ki ficou comportado ao lado de Eun-bi enquanto ela cumprimentava Gyuk, aproveitou pra checar onde Jin Hoo estava, a história dele ser um herdeiro não tinha descido bem. E olhando bem agora, Jin Hoo combinava perfeitamente entre os herdeiros. Seu líder sorriu quando o viu observando, pareceu que indicou lugar pra ir. O rosto de Jae-ki permanecia sério enquanto observava. Eun-bi tocou no seu ombro e Jae-ki se despertou:

- Ah... Kure, vou te esperar perto do buffet... Não demora... Vou ficar com saudade...  

Jin Hoo já tinha saído em direção ao buffet, mas Jae-ki esperou sua namorada subir. Sorriu para ela, e antes de seguir, viu que Taemin passava perto da porta. Isso o preocupou, Jae-ki deu um passo para frente ao observar e sentiu um calor de raiva crescer no seu peito quando viu que Eun-bi tinha falado algo pra o loiro cretino. "Aishh... Por que ela falou com ele?! Ele fez alguma coisa que eu não vi?"

Jae-ki fechou as mãos em forma de soco, viu Taemin ir para piscina. Neste dia, Jae não estava nem um pouco afim de se segurar. Não estava em Wangjo, não havia como ter castigos. Podia simplesmente ir a té ele e tirar satisfação. Mas ainda havia o líder, Jin Hoo.

Ele respirou fundo, ainda irritado, precisava ver o que Jin Hoo queria, não conseguia imaginar o que seu líder tinha pra dizer. Seria melhor perguntar depois para Eun-bi o que houve, e dependendo do que fosse, agiria. Jae-ki lançou um olhar irritado pra Taemin, e também pra Jung-mi que tinha voltado com Sunny. Em seguida foi até o buffet procurando por Jin Hoo, quando o encontrasse chegaria perto:

- Hyeong...

Jae-ki não estava com seu melhor semblante, estava preocupado com Eun-bi e também não conseguia disfarçar seu descontentamento com Jin Hoo, não era o tipo de pessoa que sabia disfarçar bem seus sentimentos em sorrisos falsos. Sentia a raiva queimando de leve ainda, mas o bastante para ter vontade de voltar a piscina esfriar a cabeça.
Festa na piscina

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Won-Bin em Dom Nov 04, 2018 3:12 pm



Era muito bom poder encontrar a Bomi de verdade e não a interpretação dela que a recebeu.
Aquele sorriso fazia todo aquele sacríficio de hoje valer a pena.

- Esse é, certamente, o meu momento de pausa favorito.

-Me sinto lisonjeado em fazer parte do momento então - disse respondendo com o mesmo brilho no olhar que ela tinha. Aqueles olhos dela pareciam ainda mais hipnotizantes.

-Eu ia me arrepender mais se eu não fosse do que se eu fosse. E apesar dos pesares até que não foi tão ruim como eu imaginei - disse se referindo a recepção. Em sua cabeça cenários como ser expulso por seguranças eram reais.

-Tenho que aprender pra acompanhar você - disse ficando meio vermelho por um instante ao falar sobre as fotos - Ia ficar feio eu não tirar fotos legais

A recebeu naquele abraço dela enquanto ela colocava a cabeça em seu ombro. Com cuidado ele ajeitou a mecha de cabelo dela, sempre naquela posição como se esperasse que Won fosse ajeitar.

- Depois eu quero explicações sobre essas mensagens…Quer dizer que todos os dragões se renderam às caçadoras, é?

Engoliu em seco, queria ter falado com Kang a respeito antes de falar com Bomi mas não tinha outro jeito a não ser abrir o jogo.

-Odeio acertar tão bem no apelido - suspirou - É algo novo, saca? Acho que é desde o dia no parque, mas o Kang anda meio tela azul quando o assunto é Misoo. Principalmente desde ontem no intervalo

Comentou sobre como Kang parecia diferente e distante naquele momento.

-Sei que teve todo aquele lance da Misoo com o JungMi, que aliás foi meio estranho mas ok. Mas eu acho que nem o Kang entende bem o que ele sente. Eu acho que eles combinam, não acha?

Comentou aguardando a opinião dela.

-Imagine se isso der certo, vou ter mais desculpas pra de repente "oh, oi Bomi, você veio também?" - brincou um pouco. Será que conseguiriam criar tantas desculpas assim pra manter o segredo?

Wangjowingman

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Dong Hee Kyung em Seg Nov 05, 2018 10:30 pm



 - Se existisse o senhor já teria patenteado e o vovô estaria um pouco mais rico haha. Hee Kyung sorriu um pouco sem jeito imaginando se dava para ser mais rico, no sentido de prosperidade. Ele mexeu a cabeça assinalando que entendia, a festa foi o começo, relacionamentos podiam levar tempo para se firmarem, e Dong não faz ideia de como iniciar um, talvez esta conversa seja mais produtiva do que presumiu antes.

 - Depois de escutar suas sábias palavras, chego a conclusão de que sou demasiado imaturo para desenvolver um sentimento tão complexo como esse. Confesso que esperava ouvir do senhor, palavras de  rigor como," tu és novo demais para pensar nisso", "foque-se nos estudos, em se formar". Não esperei que fosse me incentivar com elogios ha ha ha.

Dizendo como o filho era legal, isso ou aquilo. O garoto era sincero isso o pai perceberia, além de modesto, ao um ponto que parece não valorizar algumas das dita cujas qualidades citadas antes.

 - A Stella é uma ótima professora, gosto muito das aulas e da companhia dela, sentirei falta quando.... ela se for para o Canada.

Apesar dele maquiar com um jeito polido nas frases, o pai facilmente veria o tom de admiração ao falar da garota. Dizer que ela ia embora parecia um pequeno desabafo que não conseguiu segurar dessa vez, fora aquele jeito como seu queixo abaixou, mostrando uma postura cabisbaixa involuntária, tal como os ombros caíram junto de leve.

-   Hoje é um dia que tirou para relaxar e jogar seu golf, não irei estraga-lo com minhas duvidas haha. Digamos que eu queira ser mais parecido com o senhor, por isto vou observa-lo atentamente, espero que não se incomode.

Novamente o garoto míope não fazia um grande alarde sobre seus sentimentos, revelando ao mentor que preferia analisar o jeito dele do que dizer diretamente o que estava acontecendo.

A verdade para Dong era muito, muito complicada de dizer. Como diria ao pai sobre os projetos, sobre o que pretende fazer? Um homem tão ocupado com coisas muito sérias. Tinha respeito por seu pai e viu receio de que ele ficasse aborrecido ao ouvir probleminhas escolares.

Ele era mesmo acanhado para falar isso para os pais, mas quem sabe o jovem herdeiro acabasse se abrindo com o tempo.

Carro Dongos

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
112

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por The Crown RPG em Qua Nov 07, 2018 6:20 pm

Banyan Tree Club & Spa.. MANHÃ


Yerin deu um pequeno suspiro diante dos questionamentos de Hyemin envolvendo Beom Su e Eun Na. Já estava alguns passos à frente e não era falta de confiança neles e, sim, evitar que conseguissem atingi-los também. Ajeitou o cabelo de Hyemin e a encarou com mais cuidado.

- Eu farei com que se afastem. Minah...Nesses anos todos, eu ensinei muita coisa a pessoas cegas e tenho certeza de que serão piores do que eu. Como posso deixar vocês no fogo cruzado? E se descobrirem sobre a Nana e usarem isso para magoá-la? E se inventarem histórias mentirosas sobre o Bombom? Ani, uma pessoa como eu não pode ter amigos por perto. Eu preciso que vocês se afastem ou eu mesma vou afastá-los. Porque não quero que nada respingue em vocês…

Ficou quieta novamente, deixando os ombros caírem um pouco. Acabou que esboçou um pequeno sorriso diante dos esforços de Hyemin e voltou a puxá-la para um abraço carinhoso.

-  Ne...Será apenas temporário. Eu nunca vou embora de verdade, hm?

Deu uns tapinhas suaves em seu ombro antes de esfregar a região de novo, como um ritmado afago materno.

- Kure, não vou confiar nele. - Disse achando certa graça do pedido dela. - Ele não fez me achar especial não, fique tranquila. Não estou gostando dele e não chegarei a isso, hm? Não existe a mínima chance de algo assim acontecer entre nós dois. Além dele não fazer meu tipo, ele também tem namorada. Fique tranquila.

Apertou as bochechas dela, confirmando em seguida que era isso o que precisavam conversar. Acabaram ficando mais tempo do que esperavam lá em cima, perdendo algumas coisas da piscina, mas foi um momento importante para as duas. Ouviu o pedido de Hyemin para que tentassem aproveitar ao máximo o tempo que ainda tinham. Um discreto sorriso surgiu em seus lábios e ela meneou positivamente, confirmando que faria o esforço para isso.

Precisaram só de um instante para retocarem a maquiagem e logo começaram a seguir até o elevador. No primeiro andar, a primeira pessoa que elas viram foi Choi Eun Bi. A namorada de Jaeki estava com uma expressão séria por conta do breve encontro que tivera com Taemin ainda há pouco, mas piscou, voltando a si e sorriu para as duas.

- Olá, meninas! - Cumprimentou fazendo uma pequena mesura enquanto trocavam de lugar.

- Oi, Eun Bi-ssi. - Yerin também a cumprimentou e elas trocaram de lugar.

De braços dados, Hyemin e Yerin retornavam à normalidade e a animação que antecede o caos típicos de Wangjo.

(continua…)




Eun Bi achava engraçado o modo como Jaeki não tinha medo de falar dos professores. Era bem desrespeitoso, mas era sincero - muitas vezes, ela mesma queria xingar a sua professora do ballet, mas a hierarquia e o respeito a impediam de fazer isso. Fora o comentário, ela também confirmou que Soo Ji seria uma convidada de honra e imaginava sim que ela fosse gostar.

Que menina que sonhava em ser bailarina não esperava por um convite assim?

Gostaria que fosse um momento especial para ela. Também achou lindo quando o namorado afirmou que a colocaria como bailarina principal. Era por esses pequenos mimos que gostava cada vez mais dele. Jaeki a fazia se sentir a única garota do mundo - ou talvez a mais especial.

- O.K - Deu uma piscadinha para ele depois de falar a expressão em inglês e se afastou para trocar de roupa no quarto.

No caminho, ela cruzou com Taemin e a breve interação dos dois foi o suficiente para tirar Jaeki do sério. Bastava isso e o bico já se formava em sua cara. Felizmente, apenas olhares foram trocados - no caso, só Jaeki olhou, visto que Taemin não pareceu vê-lo enquanto tirava a camisa para mergulhar e Jung Mi mantinha aquela postura de quem não se importava com olhares.

Antes de tirar satisfações com meio mundo, precisava atender ao chamado de seu hyeong. O garoto entrou no buffet poucos segundos antes do retorno de Hyemin e Yerin para a festa. Conforme o esperado, Jin Hoo estava ali, olhando os frutos do mar enquanto Jaeki não chegava. Tão logo ouviu a voz do menino, ele esboçou um sorriso e o encarou.

- Jaekie… - Olhou da cabeça aos pés. - Vejo que não está aproveitando uma festa na piscina como deveria. Por que o semblante tão sério? Não está achando divertido? Minha tia se sentiria ofendida…

Dizia de modo jocoso enquanto circulava por aquela mistura de cheiros que embrulhavam o estômago do menino e o deixavam ainda mais irritado. Frequentemente, Jin Hoo gostava de testar os limites das pessoas, como se sempre estivesse prestes a provar algo.

-Não devo dizer que estou de todo surpreso com sua presença aqui. Minha prima é do tipo sociável e que convida todo mundo. Só fiquei surpreso mesmo em saber que você namora uma das melhores amigas dela. Esse mundo é muito pequeno mesmo… - Balançou de leve a cabeça. - Imagino que você tenha muitas perguntas porque é naturalmente um questionador, mas lembre-se que, independente das respostas...Gostando ou não do que vai ouvir, você ainda me deve algo

Ao dizer isso, ele se aproximou um pouco de Jaeki.

- E eu já sei quando você vai me ajudar com este algo. Já que você sugeriu que Kai ficasse na Toca, o Kai vai junto. Nosso mundo é uma constante troca de favores, lembra? - Sorriu. - Prepare a melhor máscara que conseguir, vai precisar dela…




Após a breve passagem de Taemin, roubando as atenções de Sunny e a corando mais do que parecia possível, os amigos a trouxeram de volta para a realidade. Chaeyoung estava preocupada em saber se ela estava bem, por conta da conversa com Jung Mi. Ao ouvir a resposta, a unnie sorriu e meneou positivamente.

- Araso…Fico feliz em ouvir isso...É importante consertar um mal entendido…

O discurso calmo de Chaeyoung não combinava com o bico que Joo Hyuk formava. O garoto a encarou com o mesmo desdem de antes - porém, era teatral e apenas estava irritado porque achava que ela tinha caído na armadilha de novo.

- Eu acho que estou decepcionada com vocês. - Chaeyoung suspirou, meneando negativamente. - É uma festa na piscina e não vejo vocês aproveitando. Eu estava louca pra mergulhar, mas não posso, vocês podem e ficam aí...Tsc, tsc, tsc...Esses jovens.

- Não é? - Hyewon concordou. - vamos para a piscina, gente! Eu estava esperando alguém se manifestar porque não queria ir sozinha - Fez um beicinho.

Joo Hyuk continuou fazendo aquele bico, mas levantou-se cheio de coragem, incentivando seu grupo a fazer o mesmo. Sona e Stella também toparam seguir até a piscina. O único que ficou com Chae foi Ha Neul. Ele não tinha a mínima intenção de entrar na água porque conhecia os próprios limites - físicos e do ridículo. Mesmo assim, os dois também se levantaram para chegarem mais perto da água.

Enquanto as meninas se preparavam para mergulhar, Kim ia em busca de uma boia para si. Quando virou-se, ele se deparou com Hyemin acompanhada de Yerin se aproximando da piscina. O garoto tinha tirado a blusa de cima, revelando uma camiseta cavada com a bermuda de banho. Ele encarou as duas enquanto segurava pegava uma das peças. O garoto ficou meio sem jeito quando finalmente a encarou diretamente, mas antes que tivesse alguma reação, viu Eun Na atravessando sua visão.

Eun Na já estava saindo da água quando viu as duas amigas chegando. Beom Su também repetia o gesto, mas ela conseguiu ser mais rápida do que ele. Os dois taparam a visão de Joo Hyuk e grudaram nas duas.

- Vocês perderam, vocês perderam! - Nana dizia entre os dentes, agarrando o pulso de Hyemin. - O que deu no seu amigo, hein?

- Que amigo? Como assim? - Yerin tomou a frente. - Aish, fala devagar!!

- Aigoo

- Santo Dior! A Yewon vai ficar louca quando souber - Beom Su se aproximou. - Eu não sei mais o que está acontecendo nesse colégio, mas acho que.

- KimSunHeeestádecasocomParkJungMi. Pronto falei - Bateu as palmas antes que Beom Su concluísse.

- O...que? - Yerin arregalou os olhos.

- Aiiish malditaa!! - Beom Su queria sacudir Nana por ser tão fofoqueira, mas ela só ficou tirando sarro dele.

Enquanto conversavam sobre isso, Joo Hyuk nem fazia ideia do teor do discurso - devido a distância que os separavam - e entravam na água com uma boia de donuts.

Quem ficou na piscina o tempo todo e pôde observar as reações e ouvir os comentários foi Hyun Hee. Apesar dele também atrair a atenção, dentro d’água podia se misturar às vezes e ouvir algumas coisas aqui e ali. Quanto ao seu irmão, ele percebeu que todo mundo estava surpreso porque além de Sunny ser uma das bolsistas da ovada, ele ainda era, para a sociedade, namorado de Misoo. O irmão demorou um pouco para voltar com a garota, mas eles pareciam um pouco mais próximo do que antes.

Não precisava de muito para compreender que Sunny era mesmo a pessoa que ele tinha falado no último almoço deles - e que o irmão estava seguindo seu conselho para não hesitar em momentos como esses.

O problema era o que os dragões tinham plantado em sua mente, apenas alimentando o discurso de desconfiança para cima de Jung Mi. Nenhum deles tinha gostado do termo que ele usara.

Jaeki também ficou subitamente desconfortável por algum motivo, apesar da namorada estar ali com ele. Depois que Sunny e Jung Mi voltaram, sua joaninha também tinha retornado com Joo Hyuk. O grupinho dela não demorou muito tempo sentado e logo todos estavam indo até a piscina - com exceção dela que tinha apenas mudado de lugar e continuou sua conversa com um dos meninos nerds.

Hyemin e Yerin também estavam de volta, mas antes que ele pudesse fazer qualquer coisa, Jong In sentou-se na margem perto dele.

- Aah, que dia agradável. - Apoiou os cotovelos em seus joelhos enquanto Taemin voltava a mergulhar para nadar num fôlego só. -Um dia de sol e piscina pode ser realmente inspirador. E as pessoas estão tão leves que nem tiveram tempo de fazer showzinhos, né Hyunie-oppa?

Brincou com o velho amigo e o encarou com aquela expressão debochada.

-Oh, eu esqueci...Oppa não anda mais comigo, mas fiquei responsável de coletar seus votos...Sabe, né? As top 10 e as 5 estranhas. Inventamos o concurso juntos, é mais do que justo que continue opinando...Ou será que também cansou disso?




Inventar a brincadeira com as arminhas foi a primeira coisa que Woo Jin pensou para tirar Misoo daquela situação constrangedora. Mas a verdade é que nem ele sabia onde estavam as tais pistolas ou se queria mesmo brincar com elas. Só queria tirá-la dali, era tudo o que importava.

Passaram por Won Bin e não olharam para trás. Naquele momento, os dois cuidadores não estavam lá muito preocupados com os climões entre os amigos. Amizades eram importantes para eles, mas assim como no parque de diversões todo mundo resolveu sumir, talvez agora fosse a vez deles dois.

Como estava na frente, ele foi guiando pelo caminho que achava correto, mas acabou voltando para o interior do prédio e dando uma volta ainda maior. Constrangido por ter se perdido - o que Misoo obviamente pôde notar - Kang teve um pouco de dificuldades de encará-la. Muito embora fosse uma pessoa bacana, ele ainda tinha aquele orgulho masculino.

Parou de volta ao saguão, lá da entrada do prédio, onde os carros paravam para que os herdeiros desembarcassem. Kang respirou fundo, colocando as mãos no quadril.

- É, acho que fui longe demais.

Disse o óbvio, mas talvez para Misoo até fosse melhor assim. Infelizmente, ela não tinha visto Eun Bi nem ninguém que chegou nesse meio tempo que ficaram perdidos. Mas, mesmo assim, a companhia dele parecia melhor do que a do pessoal da piscina, por exemplo.

- Miane… - Abaixou a cabeça, admitindo os erros de percurso e virou-se na direção dela. - Eu menti sobre as arminhas...Foi só...a primeira coisa que pensei quando te vi. Não que você me lembre armas ou que eu esteja insinuando que você taque coisas nas pessoas. - Tossiu discretamente. - Mas...Aish, eu fiquei tão irritado por te ver ali. Você não merece passar por isso.

Fez um bico e chutou uma pedrinha imaginária, abaixando a cabeça.

- Mas acabei te afastando da sua amiga também…- Ponderou. - Eu não devia ter feito isso, mas também não me arrependo. - Disse com um pouco mais de cuidado e a encarou. - Eu acho que queria muito te ver hoje e fico feliz por ter conseguido.

Finalmente deu um pequeno sorriso antes de abaixar a cabeça de novo, meio envergonhado.



Bomi aumentou o sorriso para Won Bin enquanto os olhos brilhavam pela simples presença dele ali. Chegou para o lado, indicando um dos lugares para que ele se sentasse e continuou a encará-lo enquanto comentava sobre a ida dele à festa.

- Ne...Foi ruim para mim, mas...Sabia que seria difícil. - Fez um biquinho e mudou o foco para as fotos. - Impossível você fazer ou ficar feio. É um dos oppas mais lindos que já vi na vida.

As bochechas coraram e ela logo tratou em abraçá-lo para esconder um pouco melhor a timidez do momento. Fechou os olhos, aproveitando o toque dele e o modo especial como ele conseguia arrumar seu cabelo e sempre raspar uma parte do dedo por sua orelha. Voltou a abrir os olhos e o encarou de perto.

Apesar do momento romântico, Bomi não deixava seus “trabalhos” de lado e questionou sobre as mensagens dele. Deu um meio sorriso com a resposta dele.

- É um talento natural dar apelidos certeiros. - Deu uma risadinha. - Ah é? O que será que aconteceu no intervalo para ele ficar assim?

Ponderou, tentando montar alguma hipótese.

- Ele apareceu sem blazer, mas enfim, não sei que relação isso poderia ter. - Deu de ombros. - Ah, é, foi um pouco estranho. Ele mal terminou com a Misoo e já faz isso, aparecendo com uma nova pretendente. Quer dizer, a Misoo terminou com ele. Parece uma afronta com ela, mas eles também pareciam muito íntimos. Fico me perguntando até que ponto aquela conversa deveria ser uma surpresa...Talvez algo tenha acontecido esse tempo todo e não fazíamos ideia…

Continuou abraçadinha a ele enquanto começava suas teorias de conspiração. Os dois juntos podiam montar um thriller policial.

- Ne...Eu acho que combinam. Antes eu torcia muito para Misoo-yah ser minha irmã, mas ahm...depois de tudo o que aconteceu. Eu só desejo que os dois, ela e meu oppa sejam felizes. Ainda que não seja num relacionamento. - Suspirou. - E que ela encontre alguém que a faça se sentir como eu me sinto quando estou com você.

Fez um carinho dele durante o abraço.

- Protegida, especial...amada. - As bochechas coraram de novo e ela escondeu os lábios. - Se esse alguém for o Kang, será ótimo. Teremos mesmo mais uma desculpa para nos vermos...até o dia que isso não será mais necessário.

Ficou um pouco triste por conta do segredo deles e o encarou de novo.

- Komawo, oppa...Por ter vindo, apesar de tudo. Sua presença é importante pra mim…


Ps: o incidente MiKang não foi "ontem", foi nessa semana, na terça-feira, se não me engano
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Seo Hyemin em Qua Nov 07, 2018 8:04 pm


O papo com Yerin não tinha sido muito animador, apesar das conclusões bastante infelizes e futuro incerto, pelo menos tinha tirado um peso do peito e pedir ajuda à melhor amiga tinha feito com que ela tivesse vontade de seguir em frente. Ela só não sabia onde iria parar esse “em frente”, visto que a própria amiga tinha um futuro bem desanimador apresentado para ela.

Trocaram abraços, sorrisos tristes, e agora ela tentava valorizar os momentos com ela. Não concordava com a ideia da amiga de querer sofrer sozinha, mas ela tinha um ponto quando se tratava de Nana, por exemplo, que tinha um segredo muito forte a ser explorado.

Sorriu para Eunbi quando se encontraram no corredor. Ainda bem que Yerin disse que não tinha nada com o bolsista, assim foi mais fácil sorrir para ela com naturalidade. Olhou confusa para a bailarina, perguntando com os olhos o que tinha acontecido. As duas tinham vivido um breve momento de confissão na escola e ela se perguntava se algo teria acontecido para deixá-la enciumada de novo…

Quando chegaram na piscina, ela virou o rosto bruscamente no momento que encontrou o rosto de Kim Joo Hyuk e fechou os olhos por um momento, tentando esvaziar a mente daqueles sentimentos tão desagradáveis. Será que uma hora isso passaria?

Nana surgiu na frente delas, empolgada com as ~fofocas~, e Hyemin tinha um sorriso fácil de fofoqueira, querendo ouvir da vida alheia para quem sabe acha a sua menos pior, mas a única expressão que arrancou de Hyemin foi uma notável surpresa, enquanto ela largava o braço, agora envolto pelo punho da amiga.

Jung Mi? Por que Jung Mi? Não fazia o menor sentido….

Como assim?

Ficou sem reação, sem nem disfarçar.

Desde quando isso tinha acontecido? Por que isso tinha acontecido?

De repente o namoro de Misoo parecia bem fraco, ele nunca cuidou muito bem dela. Isso ela via e criticava desde o começo.  Ela só nunca tinha percebido quando essa aproximação aconteceu e pensar nos dois juntos a fez sentir um ciúme lhe perfurando o peito novamente. Só de imaginar o suposto melhor amigo agora com aquela menina…. Suspirou pesadamente e olhou para baixo. Por que todas as memórias possíveis e imagináveis que ela tinha agora tinham que ser pintadas com aquela menina?

Todas as pessoas que um dia se relacionaram com ela agora eram apaixonadas pela menina? Por que ela tinha que levar tudo de uma vez?

Por breves segundos, ficou tão chateada com ele! Sentia-se traída pelo amigo, que nunca nem sequer a procurou como amiga para falar sobre seus sentimentos. Depois, o sentimento foi sendo diluído. Ela não era uma boa amiga para ele, de qualquer forma, não eram tão próximos assim, afinal.... Será? Bem, ela não soube lidar com a morte dos pais dele. Não era a toa que agora obviamente se afastaria dela se isso fosse verdade.  Era tão triste. Mais um para a conta. Só podia sentir-se um fracasso tendo que assistir de camarote as pessoas que ela gostava sendo arrancadas, ou melhor, indo voluntariamente embora assim. Quando Yerin se afastasse dela por força maior, será que sobraria alguma coisa?

Ela não esperava essa facada nas costas justo de Jung Mi...  Fez aquilo sem um pingo de consideração a ela? Tinham se separado de verdade então, naquele dia que ele pediu uma...trégua? Seria por ela também? Por que sempre essa era a escolha mais óbvia? Jung Mi mentiu tanto quando disse que podia contar com ele!  Era a pior das traições possíveis, mas mais do que isso, era muito embaraçoso e vergonhoso, além de chocante.

- Aigo … por que…. Por que o Jung Mi …? - encarou os amigos com os olhos brilhando.   - Por que ele também? … O que foi que ele viu nela? Sinceramente… Não aguento mais isso… Isso é … Tão humilhante…. Miane, não posso ficar aqui  - balançou a cabeça, fungou algumas vezes e saiu andando, para pelo menos tomar uma água, e não ficar tão exposta ao ridículo.

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Jae-ki em Qua Nov 07, 2018 8:19 pm


O que parecia uma simples festa da piscina, estava agora tirando Jae-ki do sério. Até Taemin tinha entrado no esquema. Por que Eun-bi tinha gastar sua voz com esse saekki?

Mas antes de ir resolver isso encarando Taemin, precisou ver o que seu hyeong queria. Mas Jae não estava no seu melhor humor, por causa das coisas que tinha descoberto.

Para piorar, Jin Hoo estava na parte de frutos do mar. Jae era alérgico a frutos do mar e Jin Hoo sabia disso. Isso só o incomodou ainda mais, aquele cheiro do que não podia sequer encostar na boca. Era um local perigoso para Jae-ki, sentiu a boca a seca. Encarou o hyeon quando ele começou a falar. O jeito dele de parecer se divertir com isso deixava Jae-ki mais aborrecido.

Como Jin Hoo falou, Jae-ki realmente tinha muitas perguntas para fazer, porém não gostou de o ouvir lhe ameaçando que o devia algo. Isso só tornava seu desapontamento maior, porque parecia que Jin Hoo não dava importância para o fato dele ter escondido ser um herdeiro.

Jae-ki mordeu os lábios preocupado quando ouviu o que veio a seguir, a cobrança. E agora envolvia até Kai, nada era mesmo de graçao. Ainda bem que não tinha pedido a ele quando ficou sem emprego, se não seriam mais favores. Jae começava a enxergar melhor o seu líder, e depois de ter feito novos amigos como Won e Kang, que não cobravam favores assim, as coisas ficavam mais diferentes. Não via mais Jin Hoo como um herói, principalmente agora. E a forma como ele falava do favor dava entender que seria perigoso.

Só que Jae-ki era impulsivo e nem sempre pensava nas consequências, estava com raiva. Raiva de sempre esconderem as coisas deles e o culparem por coisas que eles mesmo faziam.

- Eu sempre pago o que devo, hyeong...


- Mas eu tô te devendo o que? - Indagou -   Ahh lembrei, porque eu demorei a contar uma coisa por umas semanas... Você disse que omitir era o mesmo que mentir, mas eu pelo menos contei, eu não ia ficar escondendo.

Jae-ki suspirou irritado antes de continuar tentando falar baixo ainda:

- Sabe o que me deixa louco? Me cobrar coisas que não fazem. Dois anos e você nunca ia contar que é um deles... Wae? Tava com vergonha da gente? Não somos bons o bastante como os herdeiros? Você não confia na gente, hyeong, igual a maioria deles... 

Jae-ki sabia que Jin Hoo era perigoso, sabia do que ele era capaz de fazer, mas Jae tinha dado sua admiração para esse cara. E agora ele era um herdeiro, um daqueles que pisavam nele na escola. E por isso estava tão irritado, de cabeça quente, Jae não escolhia bem seus inimigos. Não era do tipo que via quem era mais forte, foi assim na escola, era assim com Taemin, e agora não hesitava em falar.

Era seu hyeong ali, ao menos havia pensado que era, mas agora, depois do jeito que ele falou, se sentia como se fosse inferior para Jin Hoo esse tempo todo, se sentia usado. O que era amizade verdadeira? As de Won e Kang agora pareciam muito mais verdadeiras do que essa. Tudo sobre isso estava desmoronando na cabeça de Jae-ki, estava confuso, irritado e revoltado.

Festa na piscina

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Park Hyun Hee em Qua Nov 07, 2018 11:04 pm

 Hyun aproveitava seu camarote da piscina e comemorava não fazer parte de quase nada daqueles escândalos pela primeira vez, porém, se compadecia um pouco do irmão, porque entendia que a pressão social seria forte para ele, e estava disposto a ser porto seguro dele, para mais papos sérios sobre isso, caso ele precisasse. Não ficava em cima, para variar, esperando um momento propício ou um sinal de que o irmão precisava. Ficava orgulhoso de provavelmente ter inspirado nele a coragem de falar com quem gostava e achava que podia haver algum exagero nas reações de Chaeyoung e amigos.

A mesma coisa para Jaeki. Achava seus problemas um tanto juvenis demais, mas estava lá pronto para acolhê-lo como um irmão mais velho, sem conhecer de verdade a extensão dos problemas do menino, mas pronto para defendê-lo, se parecesse sério.

Como um bom aproveitador do caos, Jong In apareceu sorridente, pegando-o de surpresa. Enfim, tinha chegado o momento que conversariam. Hyun Hee sorriu e se aproximou da borda para olhar o amigo e fez uma carinha fofa quando foi chamado de “oppa”.

-  Com ciúme? Não consigo viver uma relação a três, oppa…  Seu coração está preenchido pelo que eu vejo, oppa -fez um beicinho. - Ora… De novo isso? Se veio só coletar a minha votação, é só anotar…. - botou o cabelo pra trás.

Afinal, que mal podia fazer uma bobeira daquela, hm? Observou o amigo. Claro que ali tinha….

Você não vai fazer graça com a minha mulher, vai?

Ele se perguntou, tentando desmembrar aquele convite aparentemente inocente. E por falar nela… Obviamente ficaria aborrecida de saber que ele tinha votado. Soltou um “tsc” olhando pro lado.

De repente não era mais fão simples só escolher umas garotas aí. Virou animado como sempre.

- Esse ano vou fazer um pouco diferente. Vou votar nos desempates, quem está precisando de um empurrãozinho do Park aqui?


Era um jeito de brincar de forma quase saudável. Enquanto isso ficava pensando em seu ranking mental. Lee Hi passou por sua cabeça algumas vezes e isso o fazia pensar bastante na cara aborrecida de Chaeyoung se ele fosse responsável por ranqueá-la
Humor: estável/+++++

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Yeun Misoo em Qua Nov 07, 2018 11:38 pm

 
Misoo fingia que não tinha reparado que o menino tinha se perdido no meio daquela confusão de entradas do hotel. Embora tenha segurado um riso, percebeu pela expressão dele que ele não estava achando engraçado, então só seguiu meio quieta, mas em um ar tranquilo, apenas passeando. Foi bom andar e tirar aquele ar pesado dos ombros.

Quando chegaram no falso vento, o som de carros passando, não dava mais para disfarçar, então ela só parou pressionando os próprios labios, fazendo um bico compreensivo. Piscou quando notou que ele parecia tão denso por causa de um caminho errado, mas era muito mais que isso.

- MWO?   - deixou escapar corando, falando bem alto por ser reconhecida  como a doida que joga coisas.

Mas foi o que ele disse em seguida que a fez corar de verdade. Por que ele estava com aquela expressão? Por que parecia tão… profundo?

Ela estava muito surpresa para responder, mas quando ele disse que queria vê-la, isso q vez rir bem alto e fora do lugar, bem sem graça, puxando o chapéu pra cabeça de forma desnecessaria e olhando pros lados. Por que ele falava essas coisas esquisitas? Quer dizer, ele causava nela aquela sensação de novo… de quando começaram a andar de carrinho do trem fantasma,
os minutos antes da subida da montanha-russa.

- Aigo!! haha… Ommo… Hah… Bom, eu… Eu acho que foi bom. Eu fico feliz com a Bomi cuidando de mim, mas… Não acho que ela entenda de verdade como eu me sinto. Ela estava… preocupada como se eu estivesse mesmo sofrendo por causa daquele tonto,quando na verdade eu só não queria que a menina fosse usada por causa de uma manobra social! Mas… - suspirou

-  Parece que ninguém mais ia entender assim… Enfim, tudo bem. Eu encerrei o assunto. Eu fui idiota e não concordo com o ue você disse não. Eu mereci. Eu faço coiss idiotas o tempo todo, sabe? Boom vem a ideia na cabeça e eu taaa estou falando. Eu tendo a falar muito quando estou nervosa. Aigo por que eu estou nervosa? Não parece né? Ai, então

Sorriu e desviou o olhar.

- Enfim, o ponto é que eu mesma inventei três meses de fingimento sei lá por que, tentando ajudar todo mundo, com medo de ser grossa com o menino que ficou me pressionando falando que gostava de mim e com o outro que era meu grande amigo… No fim, Isso só me deu dor de cabeça. Eu terminei essa história antes do previsto e ele me contou uma coisa bem pessoal e dolorosa antes disso, então é natural que fique nervoso, mas… Agora aquelas insuportáveis vão me encher mais ainda. Eu estava feliz quando estava em paz durante quase o ano inteiro. Enfim denovo...

Então ela o olhou e sorriu de verdade, de forma larga e honesta.

-  Obrigada por aparecer de novo. Eu sinto que não preciso ficar explicando todas as coisas porque você não vai ficar pensando besteira disso…. Como daquela vez, eu acho que posso só desabafar… E você vai olhar e não entender metade, mas ao mesmo tempo vai. O quão esquisito é isso? - deu uma risadinha.

- … Obrigada por me tirar de lá.   Eu me sinto mal de fazer coisas tão impulsivas… E eu não tenho paciência pras pessoas ficarem me olhando e falando coisas o  tempo todo… - lamentou -  Quando eu chegar em casa, capaz da minha mãe me expulsar por ter rejeitado um Park. Isso é tão ridículo…Isso tudo émuito cansativo…. -  olhou o grande prédio atrás deles.

-   Desculpa te envolver nisso… - fez uma pausa e olhou para baixo também, um pouco constrangida

Antes de seu monólogo ele tinha dito que queria vê-la? Foi isso mesmo? Agora começava a pensar nisso e o silêncio esquisito a fez mexer no cabelo nervosamente.

Céus, que besteiras estava falando! Um monte delas! E por que estava tão apreensiva??? Era muito mais agora do que quando estava naquele momento espionando o ex-falso. Droga, ele devia achá-la uma doida bem chata. Coitado.
Saiu falando um monte de besteiras… Voltava a crescer na ansiedade

-   Quer fazer algo divertido? Uma pena que isso não seja um parque de diversões porque eu ia me divertir um bocado agora vendo carinhas de desespero… - sorriu

~~

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
132

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Kim Sun-Hee em Qui Nov 08, 2018 11:17 am



Estava focada em estabilizar o clima para que os amigos – principalmente Chae e Kim – esquecessem o episódio com Park Jung-Mi ou, ao menos, apenas o suficiente para mudar aquelas carinhas preocupadas e confusas. Por isso, o sorriso permanecia bastante presente, escondendo o tufão que o Park ativou com seu “discurso” ironicamente calmo e direto...  Nenhuma surpresa, aliás. Era muito difícil ler as emoções dele... No entanto, durante a já conhecida – e íntima – troca de olhares, Sunny sentiu o fôlego se perder de maneira progressiva.

Cada palavra de Jung-Mi equivaleu à uma respiração de Sunny.

E ainda havia Do Taemin...

Sunny concentrou a atenção em Chaeyoung, tranquilizando-a a respeito da conversa. E, de fato, não mentiu. Ela e Jung-Mi realmente resolveram as pontas soltas, embora outras novas tenham se desprendido também... Mas, uma coisa não podia negar:

Jung-Mi foi claro sobre as intenções.

E voltava a desalinhar sua mente.

Ao contrário da amiga, Kim sustentava o bico chateado e deixava mais do que evidente o desagrado diante da escolha dela. Todavia, Sunny não cedeu e começou a distribuir cutucões nele – inclusive nas bochechas e testa, para incomodar mesmo. Logo identificou que não era mais tãããããão grave.

- Ahhhhh, tomara que passe um vento e você fique desse jeito, ó... – imitou a careta dele com exagero – para sempre!


Então, estimulados por Chaeyoung, o grupo decidiu brincar na piscina. Enquanto todos levantavam, Sunny suspirou baixinho, menos nervosa... Estava tudo bem. E que continuasse assim.

Meio tímida, mas disfarçando, ela retirou a saída de praia improvisada e o par de sandálias. O tecido negro e colado do maiô causava um  efeito ainda mais... não exatamente pálido, e sim... perolado... contra a pele da bolsista, além de valorizar as curvas discretas. Afinal, não era exuberante e absurdamente modelada como a maioria das garotas dali, porém, independente das linhas mais finas, existia charme nas formas estreitas e delgadas.

Sorriu para Chae e Han, dando um “tchauzinho” de até logo.

Caso HaN fosse entrar na água, Sunny teria ficado com Chae, sem problemas, porque não achava justo largá-la sozinha. Mas como o oppa decidiu não acompanhá-los, ela apareceu instantes depois, avaliando suas opções. Quando Kim surgiu em posse de uma boia fofinha, a menina abriu um sorriso enorme e agradecido... até entender que ele não pegou para ela – Que amigo mais egoooísta!!! Cadê meu donuts? – mandou língua, fingindo indignação.

Sunny encarou Stella, Hyewon e Sona.

- Vocês viram como ele é malvado? Os óculos escondem a personalidade cruel dessa criatura sem coração... Humpf! Vou atrás de uma boia também, gente!


Ou ia só se divertir no raso igual a uma criancinha.

Escolheu um donuts de morango já “mordido”. As boias mais legais não estavam disponíveis, mas aquelas eram bem bonitinhas e o importante, de verdade, tratava-se de mantê-la na superfície. No breve retorno, ela parou na beirinha, apertando o donuts de leve antes de passar os pés por dentro dele e colocá-lo ao redor da cintura.

- Oh, eu vou pular primeiro, hein? Hein?Hein?Hein? Agora! – ameaçou, mas nem se moveu do lugar, rindo – É sério! E... Agora!!! – riu mais alto, olhando o quarteto conforme alimentava aquele joguinho “vou.nãovou” – Il... Ee... Eeeeeee... (Um... Dois... Doiiiiiiis...)


Sunny enrolava de propósito para ver se alguém caía na brincadeirinha óbvia e infantil.


Poooool Paaaarty  sunny

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por The Crown RPG em Sab Nov 10, 2018 1:44 am

Banyan Tree Club & Spa.. MANHÃ

Beom Su e Nana foram incapazes de entender o motivo da expressão de Hyemin se desmanchar daquele jeito. Yerin estava, obviamente, surpresa, mas sua mente calculista estava tentando entender onde o “príncipe” queria chegar com aquela revelação - assim como a maioria, todos achavam que ele ainda namorava Misoo. O que estava acontecendo ali? Demorou um pouco para perceber que Hyemin estava começando a divagar no próprio sofrimento.

- Isso é muito esquisito. Ele não estava namorando a Yeun Misoo?

Yerin questionou. Até tinha dado ideias para Yewon para rebater, mas por algum motivo que também não entendia, a garota tinha simplesmente deixado para lá. Tudo que envolvia Jung Mi parecia não fazer sentido, como se ele fizesse questão de bagunçar o tabuleiro que Yerin montava.

- Pois éé, meniina! - Beom Su fez aquela cara da intriga. - Não entendi nada! Pior que ela veio, mas não viu essa cena! E tá tão magra naquele saída de banho! Tá maravilhosa...Olha...To chocado.

Olhou ao redor, vendo o momento em que Kim Sun Hee ficou brincando com os amigos na piscina, segurando a bóia. Ele se ausentou um pouco da conversa enquanto focava suas atenções na menina - o que será que ela tinha de tão especial para atrair a atenção de um Park? E não de qualquer Park! Porque nem foi o antigo mulherengo agora fiel, mas do mais fechado de todos.

Nana olhou para Hyemin com aquela pergunta.

- É o que estamos nos perguntando, Minah… - Achou certa graça, mas percebeu que a carinha ia mudando. - Ué, como assim ele também? Tem mais alguém de olho nela? - Olhou para Yerin.

A líder respirou fundo, meneando negativamente, para que Nana desconversasse. Antes que elas conseguissem responder, Hyemin tentou dar meia volta, mas Yerin a pegou pelo braço para que não saísse e a encarou.

- Você...já esqueceu do que combinamos? - Franziu um pouco as sobrancelhas. - Vai ficar assim porque seu “amiguinho” está humilhando publicamente a Yeun Misoo? Eu já tinha dito que ele era decepcionante, pelo menos agora tenho uma prova.

- Quem deveria se sentir humilhada é a Yewon… - Nana comentou. - Trocada mais uma vez, pior que a Yewon-ah é linda e fica se arrastando para ele. Não fique assim, hm? Eu não sei o que vocês combinaram, mas vocês sumiram por muito tempo….está acontecendo alguma coisa?

- Ani...Está tudo bem, só voltei para passar um pouco de protetor porque tinha esquecido. - Yerin ainda segurava Hyemin só por precaução.

- Por que não vamos jogar alguma coisa ou ver a pista de dança? Não tá liberada ainda,mas se o dj já estiver por lá, podemos pedir algumas músicas especiais? - Nana não estava dançando como antes, mas o simples fato de tentar já era um indício que estava se esforçando por aquele dia.

- Eu acho uma boa ideia. Vou mostrar meus dotes artísticos…

- Você dança, Yerinah? - Beom Su a encarou.

- Claro que não, mas posso tentar. - Deu um sorriso um pouco mais gentil que fez Nana e Beom Su se encararem preocupados com a possibilidade de uma chuva. - Afinal, é uma festa e eu acho que posso aproveitar um pouco hoje, vocês não acham?

- Ne…

- Onde está Hayoung, por falar nisso?

- Ela sentou um pouco para beber...Tá ali. - Nana indicou uma mesinha que a garota tinha reservado. Estava com uma taça colorida diante de si e o celular em mãos, se distraindo um pouco. - Vou lá buscá-la…

Nana fez sinal para que esperassem. Beom Su concordou e Yerin voltou a encarar Hyemin. Fez uma expressão para que ela tentasse disfarçar aquela carinha. Se não queria levantar perguntas impertinentes, era melhor se esforçar um pouco. A amiga suspirou quando olhou na direção do grupinho que se divertia e pensou além. Cerrou um pouco os olhos e lançou uma pergunta em voz alta, sem perceber.

- O que será que o namorado dela achou disso?

- Mwo? - Beom Su a encarou, detectando fofoca. - Namorado de quem?

- O orelhudo da rádio…

- O Kim?

- É íntimo agora? -Yerin colocou uma mão no quadril. - “O Kim”? - Imitou o tom de voz de Beom Su tirando sarro com ele.

- Ah, é porque ele é subordinado do meu hyeong na rádio, né? E eu sou uma pessoa bem informada e carismática, caso não tenha notado, minha rainha.

- Imagina...Nem percebi.

- Eu não sei se eles são namorados. - Franziu um pouco as sobrancelhas em dúvida. - Um namorado não ficaria confortável em ver a garota saindo com o outro, né? Sabe quem deve saber? A Bomi-yah...Posso perguntar pra ela, se estiver curiosa…

- Ani, só indaguei alto. Mas pensei que fossem namorados sim…

Hayoung e Nana se aproximaram, voltando a fazer parte da conversa, mas Yerin estava mais afim de sair dali fosse para jogar alguma coisa ou para a tal pista de dança. Em nenhum momento, Yerin largou Hyemin para que não se sentisse sozinha ou humilhada, como tinha achado. Ela tinha amigos de verdade bem ali.

[...]

Fingindo estarem alheios ao mundo, Jong In e Hyun Hee se encaravam novamente depois de tanto tempo. O amigo tombou a cabeça para o lado, fazendo uma carinha inocente, quase angelical - e o pior era que ele realmente tinha uma expressão doce que passava segurança e confiança quando queria, um verdadeiro sonso.

- Um pouco, oppa…- Respondeu e encheu as bochechas. - Você que assumiu namoro, então, o ocupado é você, não eu. - Levou a mão até o peito, de modo um tanto quanto dramático. - Pensei que nosso amor fosse eterno, mas me enganei. Fui trocado por uma...loira? ruiva? Ah, já fui trocado tantas vezes, nem sei dizer…

Suspirou sofrido, deixando no ar uma duvida: estava falando do cabelo novo de Chae cuja cor não dava para um menino precisar ou falava das amantes de Hyun? Talvez estivesse falando das duas coisas, mas Jong In era um sujeitinho muito esperto e extremamente escorregadio em suas farpas.

- Oppa fica tão charmoso quando passa a mão no cabelo assim. - Piscou repetidas vezes. - Parece até um modelo.

Parou com a brincadeira, dando uma risada um pouquinho mais divertida e meneando negativamente.

- Ótimo, vamos aos votos, então.

Pegou o celular com a tabela, mas não mostrou para ele, dando uma olhada nas candidatas.

- Esse ano também estamos fazendo diferente. Só estamos analisando as que vieram na festa porque biquini é algo importante para ser avaliado. E vamos falar o top 10 e as 5 piores. Estamos chamando de Sereias e Algas, eu sugeri âncoras porque são afundadas, mas os meninos estão polidos. Se tiver um nome melhor, aceito sugestões...Mas deixe-me ver..

Ponderou, fazendo um bico.

- Já que você não quer montar seu ranking, vou falar as empatadas, ok? Hm…Seo Hyemin está empatada com Moon Eun Joo, Go Eun Na com Ho Mi Ran, para variar...e, oh, Do Jimin com Han Sunyoung. Para as piores...Lim Yeji está empatada com Yeun Misoo. Eu jurava que Yeun Misoo seria uma top 10, mas tsc...seu irmão, hein? Veja só o que um Park faz…Esse é o nosso garoto. - Sorriu com certo orgulho da situação, como um bom agente do caos que era.

Como Hyun Hee só pedia os empates, Jong In não contava bem como estava o ranking, só dava os nomes que tinham os mesmos números de votos…

O concurso contava com a participação de boa parte dos meninos dos três anos - até dos mais bonzinhos. Os bolsistas eram excluídos porque, bom, tradicionalmente, apenas os herdeiros mais populares participavam mesmo. Não era difícil imaginar as pessoas envolvidas no grande concurso. Caso olhasse na direção dos amigos, veria que Ro Young e Taehyung acenaram para ele ou simplesmente brindaram com suas taças. Ro Young estava até felizinho demais, o que indicava que talvez tivesse algum modo de batizar seu suco.

Jung Mi estava falando com Ro Young e parecia contar, como se estivesse elencando os nomes também - sinal que até o irmão dele participava. De repente, ele pareceu confuso e olhou ao redor, como se procurasse por possíveis colocadas naquele ranking.

[...]

Assim que Sunny imitou a cara que desejava que Kim Joo Hyuk tivesse caso um vento passasse, o próprio amigo assoprou na cara dela, como se para devolver a brincadeira. Riu e antes de apanhar, se afastou para pegar a bóia dele.

As meninas aproveitaram para pular na piscina. Hyewon e Sona foram mais corajosas, pulando sem saber a profundidade porque sabiam nadar. Stella foi pela beiradinha mesmo, mas riu de si mesma ao ver que batia na altura de seus joelhos, a parte rasa. Como não sabia nadar também, ela se sentou enquanto as unnies nadavam até perto delas - para segurança, elas pularam mais para o meio mesmo.

Sunny tinha enrolado um pouco mais, talvez por pudor ou medo da água. Chaeyoung apenas reforçou que ela podia ir, dando um sorriso para ela. Ficou ao lado de HaN e os dois pareciam se dar muito bem - o que não era algo incomum de se ver.

Kim retornou com uma boia de donuts e já foi sentando nela. Ele usaria para ficar deitado, meio largado mesmo, não no meio dela. O garoto foi pelo raso, mas começou a “remar” para a parte funda.

- Ué, pega a sua!! - Ele respondeu todo bicudo e egoísta enquanto se aproximava de Hyewon.

- Deixa ele com a gente, Sunny! - Hyewon se aproximou um pouco dele e começou a passar a mão pela boia para girá-la.

- Ya ya yaa! - Ele respondeu tentando manter o equilíbrio.

Stella já estava rindo, sentada na parte rasa e ficando com metade do tronco para fora d’água. Sona ajudou Hyewon na implicância, mas pararam quando Sunny voltou com a boia ao redor do corpo. Kim caiu na mesma hora, mergulhando ainda rindo. Hyewon escondeu a boca e Sona abaixou a cabeça. Era uma cena fofa, porém Sunny já imaginava as piadas idiotas que o amigo faria com ela, envolvendo altura, profundidade na piscina e ela no meio da boia de donuts.

- Amiga, por que isso? Aqui é raso, ó! - Stella levantou-se e ofereceu a mão para ela.

Kim emergiu rindo como se não houvesse amanhã.

- Você é ridículo, Kim! Cala a boca! Para de riiir - Hyewon o sacudiu porque a risada dele também a fazia rir.

- Você tem alma de quem faz bullying, que horroroso. - Sona comentou.

Stella meneava negativamente, mas estava pronta para dar a mão para ela até que Do Taemin emergiu próximo a Sona, depois de completar uma segunda volta na piscina dessa vez voltando. O garoto puxou o ar, passou a mão pelo cabelo, colocando para trás enquanto ficava de pé para completar o caminho no raso. Joo Hyuk engasgou, Sona e Hyewon fizeram um “o” meio “u” com a boca e Stella estava de costas, não viu nada. Diferente de Sunny que via tudo.

A água ainda escorria pelo corpo atlético do garoto de cabelo descolorido - como se o cabelo fosse importante agora. Ele olhou ao redor, vendo o grupinho que tinha se metido, mas apenas balançou de leve a cabeça na direção das noonas enquanto continuava sua caminhada até a margem. Fez questão de subir bem ao lado de Sunny, dessa vez a encarando bem. Quando parou ao lado dela, ele a encarou - de cima para baixo, pois era maior do que ela.

Havia um ar misturado ali...um deboche por conta da cena ao mesmo em que era quase um dejavu pela cena do lago.

- Tentador. - Murmurou apenas para ela.

Bastava um empurrãozinho e pronto, ela estaria na água.

- Mas ai de mim se tocar na princesa - Ficou mais sério ao dizer isso e deu as costas, caminhando na direção de seus amigos.

Porém, no momento, Jiran estava na mesma mesa que Jung Mi conversava, no momento. Stella estava diante de Sunny e ficou tão chocada quanto ela - primeiro porque o corpo de Taemin não era algo que podia ser ignorado. Segunda porque o comentário dele tinha sido...de ciúmes? A canadense olhou para a amiga, esperando por uma reação dela.




Jin Hoo arqueou uma das expressivas sobrancelhas quando identificou aquele olhar audacioso e impulsivos em seu dongsaeng. Em qualquer outro lugar, já teria dado um corretivo para que ele abaixasse o olhar ou pensasse duas vezes antes de dizer o que quer que fosse. Ali, contudo, ele também precisava controlar seus próprio ímpetos e agir como sua posição exigia - herdeiro e parente dos aniversariantes.

Eita:

Suspirou, absorvendo um pouco mais o aroma perfumado dos frutos do mar que tanto embrulhavam Jae Ki. Fechou os olhos por um segundo e sorriu da indagação que mais funcionava como uma pergunta retórica e ele respondia daquele jeito. Ouviu ainda aquelas perguntas atrevidas até que elas chegaram ao fim no instante em que o líder abriu os olhos.

Apesar do sorriso que tinha nos lábios, o olhar dele era extremamente sério, quase opressor e sufocante.

- Quer saber o que me tira do sério? - Perguntou com bastante cuidado. - Arrogância. Petulância. Insubordinação. Burrice.

Olhou com bastante atenção para Jaeki.

- E tudo isso está se aplicando em você nesse exato momento. Por acaso você já esqueceu quem eu sou para você e o que sou capaz de fazer? - Suspirou novamente, colocando as mãos nos bolsos de sua bermuda. - Permiti que fizesse perguntas coerentes e curiosas sobre minha posição, não que elaborasse teorias imbecis ou tentasse me dar lições de moral.

Mais um passo à frente e Jin Hoo, um hyeong mais alto do que Hyun Hee praticamente o engoliu.

- Você me deve muito mais do que explicações sobre sua aproximação com minha prima, namoro com herdeiras ou bolsas em Wangjo. Você me deve...a saúde da sua irmã, de sua avó...a vida de seu pai. - Cravou os olhos nele.- É isso o que você me deve mais do que qualquer coisa. E não é o tipo de dívida que se pague com dinheiro…

Tombou um pouco a cabeça para o lado.

- O pior é que você não precisou apenas uma vez e vai precisar mais vezes. A sua burrice por nunca ter cogitado a origem do dinheiro me deixa perplexo. Se nunca obriguei que vocês traficassem ou roubassem, acha que o dinheiro saía de onde? O plano de saúde? A toca? Aigo, você me decepciona….

Estalou a lingua no céu da boca e meneou negativamente.

- Eu não tenho porque dar os meus motivos a um moleque como você porque eu não lhe devo nada. Tampouco fui eu que te procurei para que entrasse no meu grupo. Jong Suk que deve ter achado que você bastaria… - Deixou no ar a história, mas não se aprofundou. - Mas você tem razão numa coisa: eu não confio em vocês, mas eu não confio em ninguém. A vida me ensinou os motivos para agir assim e um dia você também aprenderá...eu acho. - Deu de ombros. - Fique irritado o quanto quiser, mas cumpra com suas obrigações. Ou então...Serei obrigado a tomar minhas providências e você sabe que elas nunca são sutis.




Musiquinha deles:

Woo Jin não entendeu porque Misoo começou a dar aquela risada sem motivos e um tanto quanto altas. Olhou ao redor, dando sorrisos sem graça para os estranhos - funcionários ou não - que eventualmente passavam e olhavam a cena. Coçou a nuca meio preocupado e, de certo modo, também se sentia num brinquedo radical porque seu coração estava batendo de modo desesperado como se estivesse num deles.

Quando Misoo finalmente começou a falar, ele voltou suas atenções para ela.

- Eu também estava preocupado com isso… - Woo Jin a interrompeu por um instante. - Não por achar que você ainda goste dele, porque sei que foi um namoro falso, mas...Porque você podia se sentir mal, de alguma forma. Pela velocidade, por ter feito isso na frente de todo mundo… - Suspirou e abaixou a cabeça. Não tinha coragem de repetir o que Hyun Hee havia dito para ele e os dragões. Isso só magoaria ainda mais Misoo e ele não queria vê-la infeliz. - Enfim...Eu me preocupei mesmo sem saber que você já estava aqui.

Voltou a encará-la.

Não concordava com o que ela dizia sobre merecer esse tipo de coisa, mas também não a interrompeu. Percebeu que a menina estava naquele modo que falava, falava e falava, sem conseguir parar. Era engraçado como ele não se cansava em ouvi-la, na verdade esperava por vê-la se expressar mais e mais.

Porém, quando ela citou a parte sobre os três meses e o motivo de fazer aquilo, ele deixou os ombros caírem um pouco. Por algum motivo, ele pareceu chateado em ouvir que ela se sentia pressionada quando alguém dizia gostar dela.

Se ele dissesse, se ele...admitisse isso em voz alta, será que estaria pressionando também?

O que ela poderia fazer numa situação dessas? Nada, né? Não era como se ele fosse alguém que tivesse algo a oferecer. Provavelmente a piada só aumentaria ainda mais se soubessem ou imaginassem que os dois estavam juntos. Não dava nem para ser um troco porque Kang não era um oponente à altura de Jung Mi - ele achava. Fora que para que isso acontecesse, ele não podia ser um peso para ela e ela também tinha que querer - e não dever de - aceitar seus sentimentos.

Que sentimentos? Estava ficando doido?

Culpa dela que o deixava assim, com a mente nublada. Principalmente quando mexia no cabelo daquele jeito, repetidas vezes. Ele se pegava admirando o movimento das mechas mais claras.

Voltou o olhar para seus olhos e sorriu com a pergunta.

- Ne...É esquisito porque eu não escuto a metade...Eu escuto tudo. E é mais do que geralmente absorvo de uma conversa comum. - Riu, passando a mão na nuca de novo. - E eu também entendo...Não como se estivesse na sua pele, mas entendo o que quer dizer…

Escondeu os lábios e abaixou a mão.

- Se sua mãe te expulsar de casa, você pode ficar na minha. - Disse no impulso, mas logo arregalou os olhos e riu. - Claro que você não vai precisar se preocupar com isso, né? Quer dizer, eu não desejo que você seja expulsa, mas se essa coisa ridícula acontecer, você tem suas amigas e sua avó, né? - Ponderou se estava falando da parente certa. - Enfim, eu seria a última opção, mas eu cuidaria de você também.

Engoliu em seco, desviando o olhar, vendo o prédio lindissimo daquele spa.

- Ani...Eu me envolvi porque quis, eu acho. Você não me obrigou a nada…

Ficou em silêncio, mas piscou lentamente e voltou a encará-la. Lá estava ela mexendo no cabelo e o hipnotizando de novo. Quando ela o encarasse, veria que ele olhava fixamente para o ponto que ela mexia. Sem perceber, ele perguntou.

- Essa...é a cor natural do seu cabelo? - Piscou lentamente, falando quase que num pensamento alto de tão involuntário que foi.. - Aigo...Eu disse isso alto? - Piscou mais rápido. - É!!!!!

Bateu palmas de repente.

- É uma pena mesmo que não seja o parque, né?!?! HAHAHA… - Começou a agir como ela, mais exagerado e alto do que antes para abafar a vergonha. - Mas vai ser legal!! Cade as arminhas?? Eu errei o caminho todo, Misoo-ssi HAHAHAHAAH...Vamos voltar?!?!? Gaja!! Você primeiro porque eu sou perdido!!!

E para que ela não olhasse para a cara vermelha dele. Fez sinal para que ela fosse na frente e colocou a mão na cara, respirando fundo por ser tão cabeça de vento numa hora dessas.

Como conseguia, céus?!?!
(C) Ross


HEE KYUNG. SÁBADO. 15 DE JUNHO. MANHÃ


O pai deu uma risada da resposta do filho.

- Eu diria esse tipo de coisa se você não fizesse isso sempre. Sei que és um aluno dedicado, esforçado e focado nos estudos. Não tenho porque pressioná-lo mais, apesar de poder melhorar seu ranking. E também estou tirando uma dúvida sua como conheci, me apaixonei e soube sua mãe era “a garota”. Isso não quer dizer que com você será do mesmo modo, mas se quiser uma forcinha…

Deu um sorrisinho sacana. A verdade era que o pai não achava que o filho fosse tomar algum tipo de iniciativa. Ele era muito cientifico, matemático e sistemático para ouvir conselhos amorosos e segui-lo com o coração. Não, conhecia Dong o suficiente para saber que ele ficaria refletindo por mais tempo do que deveria e não faria nada no impulso.

Então, não se preocupava em filtrar as palavras. O próprio filho faria isso - como acabou de fazer, no caso.

Porém, tudo o que o pai falou sobre as qualidades dele eram verdadeiras. Achava que o garoto seria um ótimo partido, era um bom menino, um excelente filho, certamente seria um companheiro e parceiro de sua escolhida. Aproveitou a deixa para comentar sobre a professora de inglês dele - porque achava que estavam falando dela mesmo.

Ainda tinha isso! Hee Kyung tinha uma lista bem pequena de meninas que interagia ou tinha algum tipo de intimidade. Ficava mais fácil chutar quem poderia ser.

- Ela vai mesmo voltar para o Canadá? - O pai ficou surpreso, mas não muito. - Hm…É uma pena. Mas será? Vou perguntar para sua mãe para me inteirar do assunto.

Observou a reação dele, lendo sua expressão corporal. Meneou negativamente com o jeito cabisbaixo dele, mas não deixou transparecer. Sorriu de volta com a informação de que seria observado com mais atenção.

- Ooh, que honra! Pensei que só quisesse observar seu avô. Fico feliz em ouvir isso.

Deu um sorriso e o resto do caminho foi mais tranquilo. O trânsito fluiu de modo que chegaram em bom tempo até o Club numa área mais verde e abastada de Seul, com um campo enorme para a prática de golfe. Além de ser o point das pessoas mais ricas - o clube onde Dong fazia natação era uma extensão deste que tinha um ar mais refinado e elitista, sem esportes muito populares. Focavam apenas em golfe, jockey e hipismo no geral. As glamourosas festas e ações beneficentes eram feitas nos salões de luxo do prédio principal deste clube.

O carro os deixou na entrada do mesmo e pai e filho caminharam lado a lado, como uma perfeita dupla. Não demorou para que Hee Kyung identificasse seu avô Han Yong acompanhado do filho mais novo, pai de Hayoung, Deok-Hwan. Eles conversavam com outros dois distintos senhores que também eram acionistas. O avô estava apoiado em uma de suas muitas bengalas e, diferente dos outros, não tinha um equipamento de golfe. Sua condição física o impedia de jogar direito e ele ia mais para conversar, dar dicas e observar.

Tão logo viu Hee Kyung na presença do filho, ele abriu um sorriso admirado, surpreso e alegre por ver seu amado neto. O pai de Hayoung virou-se e ficou mais sério ao ver o sobrinho ali. O pai se aproximou, cumprimentando a todos com imenso respeito e apresentou  o filho aos homens. Um deles era praticamente um “tio” seu, pois era o pai de Ha Neul.

- Você também estuda com Baek Ha Neul na mesma turma? - Indagou o homem.

- Ani, ele é um ano mais novo. - O pai respondeu.

- Oh, mas deve conhecer minha filha, imagino…Han Sona.
(C) Ross


Última edição por The Crown RPG em Sab Nov 10, 2018 9:06 am, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Seo Hyemin em Sab Nov 10, 2018 8:00 am

Hyemin deixou que os amigos falassem sobre o assunto da vez e tirassem suas conclusões sem participar da investigação em volta de Kim Sun Hee.  Podia ouvir a voz da menina na piscina, feliz e despreocupada, para variar. Era pedir demais que ela ficasse ali assistindo ao momento que de repente a bolsista virava a mais popular criatura no colégio.

- Quem não está?  - pressionou um lábio no outro. Eles podiam não saber, mas dos meninos que importavam para ela, dois dos principais já tinham ido.

Yerin a impediu de ir embora e tentou lhe dar um sermão. Só não lhe davam o que ela queria de verdade, que era folga do nome daquela menina e paz naqueles assuntos. Porém, a amiga estava sempre em primeiro lugar, então ela suspirou pesadamente e ficou ali mesmo, tentando se comportar como ela queria.

Ficou quieta, aceitando a fala de Nana. Realmente, isso deveria ser extremamente humilhante para Yewon. Será que era uma menina detestável como ela para que as pessoas ficassem trocando ela assim?  Isso porque sempre tentou agradar os outros…  Hyemin estava cansada já daquele assunto e assentiu para Yerin, querendo ainda tentar viver algum momento bom com ela, mas ficava difícil naquela altura.

Iria para onde os amigos quisessem, principalmente me nome de Yerin, porque por si mesma não estava com vontade de dançar, e a piscina foi invadida pela bolsista e seus amigos. Sua vontade era ficar quieta num canto, de repente se afundar na banheira de casa e esperar os dias passarem, ou talvez na piscina, mas isso não era possível mais, pela infestação daquelas pessoas na piscina.

Agora estava mesmo olhando naquela direção porque Yerin tinha pedido para ela disfarçar sua tristeza, então estava tentando abstrair da conversa que eles estavam tendo e a machucando tanto. Poxa, de novo isso? Só de ouvir o nome dos dois, ela já estava arrependida de ter ficado ali. Tentava ser dócil e compreensiva com Yerin, que certamente não estava fazendo aquilo para magoá-la,  mas estava magoando mesmo assim.

- Ahn… Olha… Vocês podem me fazer um favor?  - começou já meio cortando quando os amigos voltaram no assunto. - Eu não quero saber da Kim Sun Hee a partir de hoje, está bem? Não é da minha conta...  

Entendia um pouco a tentativa de Yerin querer ajudar e descobrir que eles “não eram namorados”, como Kim tinha dito já que não eram. Mas isso não fazia a menor diferença. As duas sabiam muito bem do carinho imenso que o menino sentia por ela e chamaram o sentimento de amor, não importando qual fosse. Yerin talvez nao entendesse, mas só esse fato já a machucava demais e colocava um ponto final naquilo tudo. A fazia ter vontade de jogar uma pedra na história deles e se forçar a cortar o contato. Porque a imagem da menina feliz e todo o tempo que ela nunca teria de volta era dolorosa demais. Toda a intimidade que eles contstruíram era muito superior de uma criancinha.  Hyemin sabia que aquilo que eles tinham era muito mais importante que um primeiro amor de criança e uma amizade construída a base de xingamentos. Ela estava querendo aceitar que as coisas mudaram. Que havia aquela outra pessoa ali e deixá-los em paz. Era o maior esforço que poderia fazer.

Mas ficar indiferente? Era impossível. Hyemin era muito carente e precisava de alguém que a tratasse como prioridade para se sentir segura. Ela tinha a fantasia de que Kim Joo Hyuk seria essa pessoa, de que de alguma forma ele a enxergaria de verdade por trás das coisas que ela fazia, mas quando ele voltou com o lugar preenchido, descobriu que ele já tinha encontrado a prioridade dele. Era por isso mesmo que todo aquele papo de se eram namorados ou não não lhe importava mais. Ela já sabia que não. Namoro, aliás, era uma palavra boba e infantil, era uma paixão, um encanto adolescente. Era o que ela sentia pelo menino. O que Sunny e Kim tinham era muito maior do que isso. Era amor, fosse fraternal, fosse de amigo. E Hyemin sabia perfeitamente que perto desse sentimento não havia como ser ninguém, de ter aquele imenso vazio no peito preenchido por alguém assim.

O maior gesto que poderia fazer para aceitar o forte laço fraternal entre Sunny e Joo Hyuk era deixá-los em paz, em vez de tentar destruí-la. Antes, ela queria competir com a garota, mas agora tinha desistido, em nome de tudo que já tinha feito o menino sofrer, sem querer. Estava se esforçando, de verdade, para vencer o ódio que tinha da bolsista e realmente tentar desejar felicidade além da boca para fora, mas não dava para ser de uma hora para outra, especialmente minutos depois de uma conversa de confissão que deixou todas as feridas abertas.

-  Ah, e nem do Kim Joo Hyuk. Não quero saber, está bem? Esse menino só me incomoda e meu pai tirou meu celular por causa dele uma vez. - inventou a parte do “só me incomoda” para disfarçar para Beom Su, mas o pedido era carinhoso, para Yerin.

- Então tudo bem se vocês estão super curiosos com a vida amorosa da Sunny e daquele nerd também. Mas eu não. Mesmo…. - olhou bem para Beom Su e sua provável expressão confusa. Mas confiava nos seus amigos. Então o minimo que podia fazer era contar com a colaboração deles, mesmo que nem todos soubessem o que se passava de verdade no coração dela.

-  Eu sei que pode parecer do nada…Mas eu posso só pedir isso sem explicar? Por favorzinho? Bombom?  - olhou pedinte para ele e encerrou a conversa quando as meninas estavam voltando.

- Bem, vamos embora agora?

Ela deu a última tentativa de sorriso do dia, balançando o corpo de um lado para o outro como se estivesse dançando, fingindo que estava feliz, quem sabe uma hora ficasse mesmo.
.

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Yeun Misoo em Sab Nov 10, 2018 8:51 am

 
Misoo piscou quando foi interrompida pela preocupação dele. Ele conseguia entender os sentimentos que ela estava escondendo com aquela história toda, jogando sua sororidade por cima de tudo. É claro que estava se sentindo mal por aquela cena toda criada, de repente, na frente de todo mundo e com direito a olhadinhas do casal em sua direção, como se ela fosse uma coitada ou algo do tipo. E Woo Jin entendia que aquilo não era por gostar de Park Jung Mi. Era um dos únicos, se não o único, que conseguia entender isso. Se ela falasse qualquer coisa desse tipo para Bomi ou Eunbi, ou Mia, era muito capaz que elas concluíssem que ela estava arrependida ou tinha começado a desenvolver sentimentos em volta do Park. Mas não era isso!!

Ficou impressionada diante das conclusões do menino, que mal a conhecia, mas já conseguia chegar nesse nível de compreensão de seus sentimentos. Mais do que isso: assustava como ele tinha acabado de descobrir algo que nem ELA tinha parado para pensar, na névoa da ansiedade. Fazia total sentido, e só agora ela conseguia ver esse “sentir mal” e por que a incomodava, além de sua tentativa de ajudar a menina.

Misoo começou seu monólogo, na tentativa de entender seus sentimentos e, de certa forma, de explicá-los (de seu jeito torto). Sentia que podia fazer isso sem julgamentos, ele era “a terceira parte”. Era tão estranho que uma pessoa que tinha acabado de entrar na vida dela já lhe deixasse tão confortável…

Como sempre, a menina acabou falando demais, sem saber, e deixando um mal entendido na cabeça do rapaz que não fazia a menor ideia de como ele a fazia sentir também. A tenista, também avoada de certa forma, nem imaginava também como ele se sentia, muito menos suas inseguranças em relação ao status social deles entre outras coisas. Como poderia saber? Se ela achava o máximo e até queria ser do mundo dele?

Alheia ao que tinha causado, terminou seus desabafos e tentou mudar de assunto, visto que o clima tinha mudado um pouco, e ela interpretou aquilo como alguma coisa que ela tinha dito e que tinha causado um sentimento negativo em relação a ela, não que ele mesmo estivesse sentindo-se inseguro. Os dois tinham boas intenções um para o outro e o sorriso que se davam tratava de empurrar de novo o medo que eles tinham de estarem, de alguma forma, se desagradando.

- Ai.. É mesmo um monte de coisa, né? Aigooo Eu falo muitooo -  riu e cobriu a boca, sem graça. - Miane!!! Miane!!!

Seus olhos acompanharam o movimento da mão dele. Era uma coisa tão simples, mas ela sentia o peito mais quente, com mais vergonha.


- Eu posso O QUÊ? - ela enfatizou, arregalando os olhos e começou a desatar a risada, junto com ele. Dobrou os lábios para dentro e sorriu, balançando a cabeça, como se entendesse que não tinha sido uma fala proposital, mas agora de repente o dia parecia bem de VERÃO mesmo. Estava suando por acaso?Porque o coração estava tão rápido...

- Sim! - balançou a cabeça de forma ensaiada e empolgada por ele ter lembrado da importância de sua avó.   - É verdade que a halmoni sempre me salvou desses momentos… E as meninas fazem o que podem também -comentou já com um ar de alívio, mas ele a deixou sem palavras, levemente boquiaberta.

Ele cuidaria dela? Foi isso que disse? Ela ficou olhando sem reação e seus lábios se mexeram suavemente, soltando um quase inaudível:

- Wae…?  - sussurrou confusa, com as bochechas em chamas.

NOSSA DEFINITIVAMENTE ESTAVA NO TOPO DA MONTANHA-RUSSA, CAINDO CAINDO CAINDO….  Tossiu, riu, mexeu loucamente no cabelo, quis esconder o rosto… Isso porque não podia levantar as mãos e gritar como num carrinho de parque.

Quando achou que fosse se recuperar, ela foi pega de surpresa pela pergunta, e pela encarada fixa, não invasiva,mas diferente, que a deixava estranha, mas não desconfortável. Era um sentimento inseguro, mas não necessariamente ruim. O que era aquilo, afinal???

Antes de responder, porque demorou um tempo processando a pergunta e as reações dele, ela explodiu em risada de novo, porque de alguma forma achou aquilo tão, tão bom. Era engraçado, divertido, mas ao mesmo tempo fofo, bonitiinho e charmoso.
Quê?Fofo o quê? Como é???

Por que estava tão feliz com aqueles comentários complementares?E de alguém notando o seu cabelo?

Escondeu os lábios quando ele bateu palma. De um jeito muito confuso, ela parecia entender o que ele estava sentindo, ou melhor, ela pareceu identificar a si mesma na atitude dele. Conseguia entender que ele também estava se sentindo estranho. Que tinha algo indecifrável e esquisito ali, que os dois começaram a rir e agir feito doidos, mas que não se julgavam porque compreendiam o incompreensível.

A atitude dele fez com que seu coração batesse ainda mais forte. Ele a mandou ir na frente, mas ela o observava confusa, mas compreensiva, ainda que não entendesse direito SOBRE O QUÊ.

De repente, em um suspiro ansioso, a menina deu um passo para frente e segurou o pulso dele com as duas mãos, tirando a mão dele da frente do rosto. Era simbólico. Viu-se tendo contato com a pele dele, sem a menor noção do que estava fazendo. Observou o rosto dele, ou pelo menos ansiava por fazê-lo, quando ele a olhasse com alguma surpresa. Não fazia ideia mesmo do que estava fazendo, mas queria dizer que ele não precisava ficar com vergonha de... daquilo! Havia um misto de medo com riso, um “não me pergunte porque não sei o que estou fazendo “ na testa. Ela respirou com alguma dificuldade, como se tivesse corrido uma maratona e falou.

 - Gaja!! - mordeu o lábio, virou o rosto e o corpo, pegando novamente o pulso, com a mão esquerda, e saiu andando na frente, mas acompanhada.

Sentia-se tomada por uma coragem incrível, por fazer algo tão trivial quanto aquilo. Sua mão estava quase úmida. Sentia como se tivesse passado pela aula de tênis… ou tomado demais o remedinho. Será que era um tipo de efeito colateral? Coração acelerado, suor no rosto, calor…  

Não importava se fosse vista arrastando-o por aí. Só não queria soltá-lo. Por mais insegura que estivesse, saber que ele estava ali lhe dava confiança.

~~

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
132

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Park Hyun Hee em Sab Nov 10, 2018 9:38 am

Jongin era um mestre da sedução. Mesmo com um simples amigo. Hyun Hee se questionava se fez bem em tentar cortar relações. Parecia tão improvável que fosse conseguir fazê-lo… Estava ali, ouvindo as frases dúbias, soltando indiretas igualmente, mas não conseguia simplesmente ignorá-lo.

Sorria de volta, desafiador. Sabia que estava se metendo em algo péssimo. Ambos sabiam que suas vidas seriam muito melhores se simplesmente virassem as costas um para o outro, mas era uma provocação instigante.

Hyun achava um pouco prazeroso o jogo mental que acontecia ali. Era ruim, mas era bom. Como explicar? Só mesmo seu gosto pelos desafios. Estava numa fase boa, era natural querer brincar um pouco com fogo…

Deu um sorriso cretino. Ele queria dizer que “pensava que mulher de amigo” era proibida, mas… hm. Isso tudo começou por causa da mensagem DELE sobre Jimin. Quão irônico era? Achava a trama inteligente e ria dela.

-  Não culpe minha camaleoa… Mas quem tentou quebrar o braço dela - apertou os olhos por um momento.

- Os votos!    - debruçou metade do corpo para fora da piscina para tentando olhar a tabela, sem muita insistência.

Notou que ele não queria mostrar e já sentiu ódio, sabendo que, obviamente, teria Chaeyoung como um joguinho… E a amiga dela que não estava na festa também…  

Só as da festa? Sentiu-se um pouco, apenas um pouco, aliviado. Não era o guardião da garota, mas Chae ficaria arrasada com aquilo, por absorver o problema de todos.

- Você tá de brincadeira? - franziu a testa, ouvindo os primeiros nomes. Depois deu uma risada seca. -  Vocês querem estragar minha lista?

Lançou um olhar incomodado ao ouvir o “nosso” garoto. O que diabos queria dizer com isso?Precisava ter cuidado… Será que de alguma forma ele queria botar a garota de seu irmão ali no meio também? Suspirou pesado e penteou os cabelos para trás com as duas mãos, tenso, já se pondo dé pé na piscina.

- Tá, tá, pera lá. - lambeu o lábio e olhou em volta.

-  Top 10. …. - pensou um pouco. Que maldita escolha tinha. Ou preteria uma em relação a outra ou saía fazendo uma listinha. Pior é que já tinha a lista mental pronta, era só falar, facil como antes…

-   Ok. ...Moon Eun Joo... Tenho que valorizar meu passado. Peguei bem.  - deu uma piscadinha. Sabia que a ex daria o maior chilique do mundo se perdesse muitos níveis. Ainda mais para alguém mais nova. Quem sabe ela poderia deixá-lo em paz assim? Quis ser legal também com a menina que estava mais triste da escola toda... Sua protegida secreta. -  Go Eun Na. E a primeira é a Han Sunyoung. Se a noona não ganhar, essa escola vai abaixo. Pode dar meu voto para In Yuha, Wang Hyewon, Choi Eunbi e Yoon Bo Mi. Pode incluir a Milly, a Min Lim e a Gwon Hyejeong. Elas vieram? Só que… Eu quero a Chaeyoung fora dessa. Você entendeu?

Sabia que beleza era uma questão frágil para mulheres, porque era a base do “sucessso” das mulheres na sociedade coreana. Não queria que ela fosse avaliada pelos outros daquele jeito. Ninguém mais tinha que achá-la bonita…

-  … Não vou votar na Yeun Misoo para cair. Vocês têm o quê na cabeça? Isso é coisa do fã clube do meu irmão, não é? Tem tanta coisa pior… -  fez um gesto. Estava em uma saia justa. A menina tinha sido legal com ele, afinal.  - Tá, bota aí.  Lim Yeji, Ah Sejeong, Bae Ye Sol e… sei lá. Aquela altona que parece um homem (Mia). Tá bom pra você?

Sentia que estava fazendo algo errado, mas sabia também que seus votos podiam evitar pessoas que ele gostava ali no meio.  Além do mais, chutou os nomes que pensou que seriam os mais comuns.

Humor: estável/+++++

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Won-Bin em Sab Nov 10, 2018 11:01 am



Nos braços um do outro era como estarem num porto seguro diante da confusão que era aquele dia e nem imaginavam o que seus amigos passavam fora dali. No momento o mundo era só os dois abraçados.

Ela tinha razão sobre ser difícil. Não ia ficar mais fácil também, pelo menos hoje.

-Impossível você fazer ou ficar feio. É um dos oppas mais lindos que já vi na vida.

Tossiu ficando vermelho por um instante, meio sem graça com o elogio. Ela também tinha ficado um pouco.

-Um dos mais lindos é!? Preciso chegar no top 1 então - disse meio brincando com o próprio ciúmes e riu em seguida.

O mundo podia ser só os dois ali, mas ainda haviam os assuntos extra-planetares pra resolver.

-Hmmm, Kang apareceu sem blazer, meio confuso e mais calado. Quando ele fica calado é porque ele geralmente tá pensando em diversas coisas ao mesmo tempo - conhecia o amigo e sabia que ele só realmente parava de falar nesses momentos mais sérios.

- Ah, é, foi um pouco estranho. Ele mal terminou com a Misoo e já faz isso, aparecendo com uma nova pretendente. Quer dizer, a Misoo terminou com ele. Parece uma afronta com ela, mas eles também pareciam muito íntimos. Fico me perguntando até que ponto aquela conversa deveria ser uma surpresa...Talvez algo tenha acontecido esse tempo todo e não fazíamos ideia…

-Acho que não é só a gente que guarda uns segredos então... - disse ponderando - Estranho é, realmente. Vou ficar de olho nosso K-Dragon, odiaria que eles acabassem machucados no fim...

- Ne...Eu acho que combinam. Antes eu torcia muito para Misoo-yah ser minha irmã, mas ahm...depois de tudo o que aconteceu. Eu só desejo que os dois, ela e meu oppa sejam felizes. Ainda que não seja num relacionamento. - Suspirou. - E que ela encontre alguém que a faça se sentir como eu me sinto quando estou com você.

A envolveu mais em seu abraço, correspondendo àquele desejo de que fossem felizes. Considerava Kang alguém melhor que Gyu Sik mas não ia comentar isso com a irmã dele, afinal eram família. Mas o desejo de felicidade de todos ali era real.

Notou a tristeza no fato de que ainda eram um segredo para o mundo. Era possível ver como ela também tinha a vontade de poder anunciar para todos.

- Komawo, oppa...Por ter vindo, apesar de tudo. Sua presença é importante pra mim…

-Você é mais importante pra mim do que os momentos chatos que podem acabar rolando - disse colocando a mão sob seu rosto de forma carinhosa - A gente vai dar um jeito

Reafirmou sua confiança de que fariam aquilo funcionar. Se aproximou do rosto dela e beijou sua testa a envolvendo novamente em seu abraço.

Podia ficar ali para sempre naquele pequeno cosmos que era a paz dos dois.

Wangjohug

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Kim Sun-Hee em Sab Nov 10, 2018 11:10 am



A careta foi substituída por um bico enorme quando Kim assoprou daquele jeito e espertamente ele se afastou para buscar uma boia para ela - sqn. Aos poucos, o climão se desfazia e isso, por si só, já era maravilhoso. Sabia que Kim dificilmente ficava muito tempo aborrecido com ela e ela com ele, embora os dois brigassem bastante ou vivessem numa eterna troca de farpas. Fazia parte da relação deles, como irmãos, de fato. Talvez, seja por esse motivo que não nasceram parentes de sangue... Que família aguentaria aquelas pestes vivendo sob o mesmo teto?!?! Entretanto, não havia exagero em dizer que o considerava um irmão de verdade... Não era apenas o sobrenome que ambos compartilhavam.

Sunny chegou atrasada e ficou naquela brincadeirinha boba, se divertindo enquanto todos já entravam na água. Continuou do lado de fora, mas ainda próxima do grupo. De onde estavam, podiam ver Chae e HaN e a bolsista ergueu o braço, acenando para os mais velhos. Logo a atenção voltou até Kim completamente largado no donuts. A resposta malcriada criou um novo bico, porém este desapareceu quando Hyewon veio ao seu socorro e começou a implicar com aquele orelhudo egoísta. Ela apontou na direção deles e começou a rir alto - Derruba ele, amiga! Pode derrubar, ninguém vai se importar com esse insuportável! - mandou língua de novo antes de cair na risada - Vai, unnie, ajuda a Hye... Hahaha! - até Sona participava da brincadeira - Bom, me sinto vingada. Komawo, komawo... hehe.  

Deixou Kim nas mãos das meninas enquanto ia pegar uma boia.

Quando voltou, não mostrou qualquer hesitação na hora de se enfiar no donuts, inconsciente de que era uma imagem engraçada e criancinha ao mesmo tempo. Até porque, não havia a menor necessidade de usá-la ali, pois era a parte mais rasa da piscina e Sunny não tinha a miníma intenção de ultrapassar aquele limite. Prestes a entrar na água e seguir o exemplo de Stella, as gargalhadas do Sr. Kim Joo-Hyuk impediram-na... Um olhar cortante encontrou a carinha provocativa dele e Sunny iniciou uma série de resmungos baixos, quase tirando a boia para tacar na cabeçona do amigo. Para piorar... TODO MUNDO reagia de maneira semelhante, dando mais combustível ao diabinho que se escondia na expressão aparentemente serena de Kim. Um bando de traiiiidores! Cruzou os braços, negando a mão que Stella, fofinha, oferecia e a boia acabou deslizando pelas pernas, obrigando-a a desmontar a marra para voltar a segurá-la.

- NÃO VOU ENTRAR! VOCÊS ESTÃO RINDO DE MIM!!!

Inclusive, bateu o pé, frisando a indignação.

- Kim Joo-Hyuk... Eu vou te afogar! Espera só... Eu juro que... Aiiiish...!

Mas obviamente não estava chateada, tanto que um sorrisinho ameaçava aparecer, querendo entregá-la... Porém... Mais uma vez, e de súbito, as coisas andaram em câmera lenta, pois, nesse momento... Uma figura surgia na superfície...

Arregalou os olhos e meio que se encolheu, como se a boia pudesse escondê-la. No entanto, em definitivo, não havia qualquer chance de não olhar para... Do Taemin. Ainda mais que ele... ele vinha na direção dela, dominando o perímetro e sugando inteiramente a atenção de Sunny. Diferente de minutos atrás, ao menos para Taemin, ficaria nítido que... algo a balançou conforme o encarava. O rubor se mostrou bastante presente, agora concentrado nas bochechas. Ela tentou evitar, mas os olhinhos escancarados analisaram a largura dos ombros, a estrutura definida e como ele parecia mais "ameaçador"... E...

Ela piscou e o fitou, enfim, no rosto assim que já estava próximo e parado ao seu lado, encarando-a... sem frieza ou indiferença. Aquilo a surpreendeu e animou, imaginando que tratava-se de uma trégua no inverno que o herdeiro forçou entre os dois.

Perto desse jeito...

Quase conseguiu acompanhar o deslizar de uma gotinha pela pele banca, mas se policiou.

- T-Tentador? - balbuciava de volta - O que você... Ah...

Conhecia perfeitamente aquela expressão cretina e, diante disso, estreitou as pálpebras de uma maneira perigosa.

"Perigosa", né? Porque... tsc.

Mas... A continuação pegou Sunny de surpresa e ela demorou alguns instantes para entender. A decepção sugiu tão logo Taemin saía... Não, não queria que ele fosse embora. A situação continuava estranha e ela... Ela sentia que devia desculpas, apesar do comportamento agressivo daquele ogro. Não gostava da forma que ficava tão confusa e tonta na presença dele. Só que... também não gostava daquilo. De estarem brigados.

Não pensava muito quando Taemin encontrava-se envolvido, ao contrário de como agia perto de Jung-Mi.

Sem contar que...

Era... ciúmes? Ele... sentiu... ciúmes?

De Park Jung-Mi?

Impossível...

Por qual motivo? Não existia motivo... Ani, ani, ani.

De repente, Sunny soltou a boia e pisou no primeiro degrau.

...

Antes de se afastar completamente, Taemin sentiria um jato d'água no meio das costas previamente aquecidas pelo contato com o sol, o que causaria um choque térmico e caso virasse... a carinha de Sunny revelava que foi a intenção.



- Essa é sua desculpa? Araso... - mostrou um sorriso tão debochado quanto a expressão dele - Vou fingir que acredito, sendo que... a verdade é uma: você.não.tem.coragem. - ela segredou a última frase.

Coragem...

De que... exatamente?


Sunny empurrou as tranças por cima dos ombros, daquele jeito marrento, igualzinho ao primeiro esbarrão deles no refeitório do colégio.

Desafiava-o...  de propósito, querendo extrair uma reação...

Saiu da piscina para pegar a boia, fingindo ignorá-lo e não demorava a girar sobre os calcanhares calmamente, mas no fundo, Sunny torcia por uma resposta atravessada ou irônica.

Devagar, caminhava até Stella, sorrindo.  


Poooool Paaaarty  sunny

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Jae-ki em Sab Nov 10, 2018 1:01 pm


Jae-ki manteve os olhos firmes em Jin Hoo, esperando por algum esclarecimento, sentiu o olhar dele opressor, mas tentou manter o olhar. Ficou irritado por ter sido chamado burro e insubordinado. Jae-ki engoliu em seco quando ele o lembrou sobre o que era capaz de fazer. Estava sendo imbecil só por exigir confiança?

Jae deu um pequeno passo para trás quando Jin Hoo se aproximou, ele era mesmo um cara bem alto e inimidador. Mas Jae-ki era um rebelde que não gostava de abaixar a cabeça, mesmo que precisasse esconder que estava com medo. Jae sentiu o coração apertar e um frio na espinha quando foi lembrado das suas dívidas. Mas já tinha feito tantos favores pra Jin Hoo, teria que ficar devendo pra o resto da vida?

Sentiu seu orgulho sendo pisado quando Jin Hoo ficou jogando na sua cara o quanto precisou e que iria precisar mais vezes. "Não, eu nunca mais vou pedir sua ajuda..." - Jae-ki prometeu a si mesmo. Se sentia idiota e burro mesmo, por ter acreditado que Jin Hoo havia feito por amizade, embora cobrasse favores. Seu hyeong parecia entendê-lo naquelas épocas, como se a gangue fosse uma família, seus irmãos, mas agora não parecia diferente daqueles que o humilhavam na escola, o lembrando como era miserável e patético por precisar dos outros.

Jae-ki respirou fundo quando o ouviu dizer que o decepcionava. Sabia que Jin Hoo devia ter mais dinheiro, mas não que fosse tão rico quanto os herdeiros.

- Nunca pensei que fosse tão rico... - Comentou em voz baixa com o rosto desapontado.

Se sentiu ofendido quando Jin Hoo se referiu a ele como um moleque que não devia nada. E ficou confuso novamente quando ouviu sobre Jong Suk. Como assim que ele bastaria? Jin Hoo admitiu que não confiava neles e nem em ninguém. Isso só o fazia se sentir mais idiota, se arrependia por ter confiado nele, se arrependia por ter entrado na gangue. Mas ao mesmo tempo pensava como iria fazer naquela época? Não tinha ninguém com contar.

- Ottoke? Eu bastaria para que?! - Pergunto ainda impulsivo.

Jae-ki se lembrava de todos os conselhos que pediu acreditando que Jin Hoo se importava... Um idiota! Jae-ki se sentia tão idiota que achava que deveria ganhar o prêmio de idiota do ano. Também sabia o quanto Jin Hoo poderia ser cruel se negasse o que ele pedia. Se tinha sobrado alguma certeza em Jae-ki, era a de que estava muito, muito ferrado agora. O pior era que estar ferrado não o incluía apenas, tinha medo do que lhe acontecesse, já que sua família precisava dele. Como trabalharia se estivesse todo ferrado? Seus amigos da gangue também seriam assim? Bateriam nele? Ou fariam pior?

- Eu fui mesmo um idiota, você tá certo... - Disse entre os dentes - Achei que fossemos como irmãos...

Jae-ki soltou um riso abafado rindo da própria desgraça e burrice. Odiava tanto ter que depender dos outros. Também podia imaginar que Jin Hoo não queria sujar sua imagem ali na festa, se tinha escondido por tanto tempo, devia fingir que era um ótimo filho, e isso lhe deu mais coragem pra ousar um pouco mais:

- É, eu pedi sim muita coisa, mas até hoje eu fiz o que me pediu, fui leal esse tempo todo, me arrisquei sem negar uma única vez. Eu pedia, mas fazia também e te considerava um herói... Hyeong... Jin Hoo-shi... - Consertou  - Quando então vai acabar minha dívida sobre isso? Por que eu juro que nunca mais vou pedir nada a você.

Jae-ki respirava ofegante meio nervoso, a camiseta molhada começava a secar junto do seu corpo. Ele estava tentando ainda pensar no que faria, era um grande problema, estava tentando ao menos medir o que Jin Hoo queria dele para ver como agir racionalmente depois. Apesar de tudo, ainda tinha esperança que Jong Suk fosse seu amigo. Esse pelo menos não podia ser assim como Jin Hoo, podia? Jae-ki não sabia mais no que acreditar, estava cansado de ser idiota.

Festa na piscina

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por The Crown RPG em Sab Nov 10, 2018 8:57 pm

Banyan Tree Club & Spa.. MANHÃ


Beom Su parou de falar quando Hyemin pediu aquele favor. Olhou para Yerin de relance, mas esta apenas encarava a melhor amiga com uma expressão mais séria. Chegou até a franzir um pouco as sobrancelhas e suspirar, meneando positivamente, mesmo tendo suas ressalvas.

- Ara… - Respondeu sem soltar o pulso dela, por garantia.

- Tudo bem. - Beom Su também concordou. - Eu não sabia que esse assunto te incomodava, miane…

Fofocas sempre eram boas, ele achava, mas respeitaria a posição dela. Eun Na e Hayoung retornaram, ouvindo uma parte final da história. A prima de Hee Kyung fez até um bico, já imaginando quem era - desde o dia que levou um corte feio por conta da mesma menina, ela nunca mais insistiu em qualquer assunto sobre a mesma. E olha que sempre podia ter uma coisa ou duas para contar, mas realmente silenciou-se naquele momento. Pelo menos a “bronca” não foi para cima dela, ainda que fosse impressionante ser com Hyemin.

Nana piscou várias vezes, meio confusa, sentindo aquele climão e o coração acelerando. Não gostava da tensão que se instaurava em momento assim. Gerava uma leve crise de ansiedade e ela se sentia compelida a procurar por seus remédios. Ao invés disso, ficou passando as unhas pela pele do polegar, começando a se machucar sem perceber.

- Então vamos. - Yerin anunciou. - Vamos jogar alguma coisa. Vamos ver se as unnies também querem.

-Eu sou péssimo em esportes...Posso ser o juiz?

- Ani, você vai jogar também.

-Serei menos um no time.

- Por isso você será do time adversário.

- Yerinah!

Logo tinham mudado de assunto e saído à tempo de não ver as cenas que viriam a seguir. Caminhando até a outra parte da festa, eles acabaram cruzando com algumas unnies que gostavam mais de esportes e tinham cansado um pouco da piscina, o trio formado por: Siyeon, Mim Lim e Kim Minah. Como membros do clube de dança, Nana fez a ponte para conversarem ou irem até a pista de dança. Ali foram informados que a pista não estava aberta ainda, só depois do almoço, mas topavam mesmo jogar um pouco.

Até que dava para deixar os times equilibrados e Hyemin se destacava como uma das boas em esportes, já que tinha um bom condicionamento físico - melhor que de seus amigos, no momento. Ali ninguém estava falando de fofocas, além de ser “distante” da piscina - não era tanto assim, mas o suficiente para não ser testemunha do que estava prestes a acontecer.

[...]

Jong In deu uma gostosa risada com a resposta de Hyun Hee. O cretino era bom mesmo naquele joguinho.

- Quebrar o braço é muito extremo...Acho que só queria derrubar mesmo, mas ganhou um brinde. Você não viu que ela pediu desculpas? Foi comovente…

Disse num tom irônico porque os dois sabiam que não tinha sido nada sincero, ainda que fosse registrado para todo mundo ver. Pegou o celular para falar de coisas mais importantes e escondeu um pouco a tela quando ele tentou ver o que tinha ali. Jong In franziu um pouco as sobrancelhas num perfeito “sai” para que ele não tentasse burlar as regras.

Anunciou os empates que existiam ali, mas sem dar uma posição no ranking. Quando falou do empate das últimas colocadas, elogiou o menino “deles”, mas isso não queria dizer que concordava com o ranking. Olhou para Hyun vendo seu espanto.

- As coisas mudaram, oppa...E esse ano está uma loucura, você não acha?

Esperou que ele desse seus votos de desempate ou criasse uma lista no momento.

- Ela está melhor do que no passado, se me permite dizer. - Tossiu bem cretininho. - Tá...Eun Na, eu votei na Miran porque a Eun Na anda muito...sei lá, perdeu o brilho. Jiran que se cuide, hm? A noona...aigo… - Suspirou, levando a mão no peito. - Objetivo de vida é ela frequentar uma das festas.

Fazia uns comentários lixos enquanto computava os votos dele.

- Yuha?? - Olhou meio chocado. - Uwa, que ousado. A herdeira Wang...a bailarina caiu um pouco, sabia? Namorar bolsista dá nisso. - Meneou negativamente, reprovando. - A aniversariante...É criminoso crescer em tão pouco tempo assim. Sim, elas vieram, estão por aí e...ué… - Parou e encarou o amigo. - Você não botou sua própria namorada na lista?

Jong In perguntou com bastante cuidado e com mais cuidado ainda segurou sua expressão. Virou o olhar, voltando na direção onde Chaeyoung estava sentada, distraída com HaN. Nesse momento, a namorada de Hyun olhou para piscina, vendo Taemin saindo dali e falando algo com Sun Hee. A cena também chamou a atenção de Jong In por conta da garota de Jung Mi e o esquentado Do.

- Araso… - Respondeu no automático, mas até parece que obedeceria alguma condição de Hyun Hee. Que moral ele tinha agora que nem tinha colocado a namorada na lista das mais bonitas?

Olhou para o amigo com a pergunta inflamada sobre Misoo.

- Eu também não concordo não. A Yeun Misoo também faz meu estilo e acho absurdo comparar com a Ye Ji, mas você sabe como os caras são, né? Isso, tire-a da zona de risco e deixe na zona cinza. Melhor não ser citada do que ser lembrada desse modo.

Disse com um pouco de honra. Ouviu a lista das mais feias para Hyun, dando uma risada aqui e ali, mas parou novamente quando olhou para o outro lado no instante em que Taemin resolveu provocar publicamente Jung Mi - que estava sentado na mesa dos hyeong um pouco mais atrás de Jong In e Hyun Hee. Logo, foi bem na frente deles, do outro lado da piscina.

- Aigoo, o que esses Do tem na cabeça?! E será que eu devia ter apostado nessa menina antes e não na amiga dela? Tsc...

[...]

A imagem de Sunny segurando a bóia era engraçada demais para conter as risadas dos próprios amigos. Joo Hyuk tinha iniciado aquilo, com sua risada contagiante. Hyewon não estava se aguentando e a própria Sona sempre tão séria precisou conter o riso aqui e ali. Stella deu as costas para conseguir ajudar a amiga sem se render às risadas.

Os gritos enfurecidos dela só alimentaram o deboche dos amigos. Kim estava até chorando de rir enquanto tentava subir na boia de novo. Só pararam mesmo quando perceberam que a figura que emergiu perto deles estava caminhando na direção de Sunny.

Quando Taemin saiu do outro lado da piscina, não esperava encontrá-la logo ali. Aconteceu e ele não tinha uma mente exatamente brilhante para pensar de modo estratégico. Sua tática envolvia a impulsividade, ironia, deboche e, às vezes, violência quando se enfurecia com os garotos. Passou a mão pelo cabelo descolorido, colocando para trás, tirando de seu rosto e os olhos diminutos identificaram a imagem de Sunny congelada naquele maiô preto perto da margem e tentando se esconder atrás de um donuts comido.

Parte de si quis considerar a cena patética, mas uma muito maior achou fofinho e não resistiu em dizer que a imagem era tentadora.

Sua mão quase queria empurrá-la na água, alimentando a fama que ele mesmo havia criado depois do episódio do lago. Soltou suas farpas e estava disposto a controlar os próprios impulsos primitivos. Até que Sunny cruzou aquela pequena linha invisível, testando a pouca paciência dele.

A água não o incomodava, o desafio sim.

Musica:

Os olhos dele já estavam cravados na direção da mesa que seguiria: onde seus amigos e hyeongs estavam. Infelizmente, Jung Mi estava ali também e agora o encarava com por conta da proximidade com “sua garota”. Taemin precisou apenas de um segundo para decidir o que fazer. Passou a lingua pelo lábio inferior ao identificar o olhar ameaçador de Jung Mi e deu um sorriso no canto dos lábios.

Sunny tinha saído da piscina para buscar sua boia. Os amigos estavam ali meio tensos, vendo a cena. Stella só rezava, mas suas preces afundaram quando Taemin virou-se na direção da amiga dela e a segurou pelo braço antes que ela segurasse a boia.

- Não é assim que se aprende a nadar.  - Disse para ela e, de repente, não havia mais chão.

Diferente da semana passada quando ele a colocou nos ombros para correr mais rápido, dessa vez, ele a segurou como uma “princesa”, quase confirmando o título que ela tinha. Uma mão ficou por trás dos joelhos dela enquanto a outra apoiava as costas. Havia respeito ali, apesar da situação não ser das mais ahm..apropriadas. Mas Taemin não era do tipo que se importava de fazer uma cena, ainda mais quando era constantemente provocado.

Sunny pesava muito pouco e ele caminhava com ela pela borda da piscina, indiferente às reações e chiliques. Quanto mais ela tentasse escapar, mais ele pressionaria os dedos no antebraço e no joelho dela para travá-la.

- Não tem coragem, Kim Sun Hee? Você realmente gosta de brincar com o fogo, não é?

Olhou para ela, mas logo voltou a atenção para o outro lado da margem. Sentados confabulando, estavam Jong In e Hyun Hee enquanto mais atrás deles, havia a mesa que reunia os piores e melhores elementos de Wangjo - Ro Young meio ébrio até levantou os óculos para ver se estava enxergando direito enquanto Jiran, o melhor amigo de Taemin batia no braço de seu primo Taehyung. Dawon parou de falar com Jung Mi que já tinha se virado para os dois, posicionando-se de pé. Ele nunca tinha feito uma expressão tão séria quanto aquela.

- E agora? Cade sua coragem? - A balançou um pouco, bem na parte funda da piscina. Aproximou os lábios do ouvido dela quando a trouxe para perto e sussurrou. - Segura a respiração.

Fez o gesto, puxando o ar e realmente a jogou, mas ele também pulou junto. Os dois afundaram naquela água límpida e translúcida, num mundo de ecos e ruídos. Taemin não deixou que ela fosse muito longe e a segurou para que não afundasse muito. O pior era o choque da água fresca contra o corpo quente - e a verdade é que pior ainda seria quando emergisse e se deparasse com o mundo lá fora.

Taemin estava sorrindo debaixo d’água. Mas será que ela tinha coragem de ver como as pessoas reagiriam a aquilo?




Woo Jin tinha escutado aquele “wae” porque acompanhou o momento que ele foi dito pelos lábios de Misoo. Em resposta, ele apenas deu de ombros, como se dissesse “porque sim”. Não existia um motivo além de “porque eu quero” ou ainda… “porque eu gosto de você…”

O dia pareceu mais quente do que o esperado, de modo que até o ar parecia faltar agora. Respirou fundo, desviando o olhar por um instante enquanto balançava um pouco a camisa vermelha. Suas bochechas também estavam mais coradas, como se tivesse tomado um banho de sol quando, na verdade, foi bem diferente disso.

Tomado por aquele ar febril, ele voltou a observá-la no instante em que ela mexeu no cabelo repetidas vezes. Sentia-se um bichinho de luz que é atraído pela lâmpada que o mataria. Misoo não tinha ideia de como era solar e como ele gostava de seu sorriso, de seu nervosismo, de sua voz, até de sua impulsividade. Woo Jin suspirou e acabou soltando aquela pergunta em voz alta o suficiente para se arrepender logo em seguida.

Finalmente reagiu, dando umas risadas mais expansivas e exageradas, falando para que ela fosse na frente.

Estava morrendo de vergonha, mas também sentia que estava morrendo mesmo. Era possível o coração bater tão forte assim? Esse era o infarto que sua mãe falava de modo dramático quando queria atenção? Umedeceu os lábios, levando a mão até o rosto e soltando o ar pela boca. Parecia que voltaria ao controle de si e daquela situação caótica onde se encontravam até que…

Musiquinha no tempo certo:

Não deu certo, mas começa em 1:09

Misoo o tocou…

Woo Jin piscou um pouco mais lentamente, voltando seus olhinhos mais abertos na direção do rosto dela.


Kang era um rapaz de traços bonitos até quando fazia palhaçada, mas agora, sério e com os olhos meio turvos porque tudo o que via e queria enxergar era Misoo, ele não perdia em nada para os belos rapazes de Wangjo. Na verdade, naquele momento, ele era até mais bonito do que a maioria.

Engoliu em seco, movendo o pomo de adão dele e soltou o ar devagarinho enquanto sentia as duas delicadas e frágeis mãos de Misoo sobre sua. Os olhos brilhavam um pouco mais, tomado por uma emoção e um sentimento que nunca tinha sentido antes. O manual bang bang bang não fazia nenhum sentido agora. Quando Misoo o puxou, ele até deu alguns passos à frente, mas logo travou.

- Ani… - E a puxou de volta.

Não usou força, até porque ela era bem mais forte do que ele, mas foi determinado. Pelo menos para que parassem de andar. Kang não esperou que ela virasse em sua direção e se aproximou dela, aproveitando que já tinha o braço segurado para abraçá-la. Ele fez Misoo passar o próprio braço ao redor de si mesma e a abraçou, sem encará-la.

Suas costas encostariam sobre o peito dele. Podia não ser dos mais musculosos, mas era firme, presente e passava aquele ar protetor. Ele apoiou a queixo sobre o topo da cabeça dela e disse, sem encará-la.

- Eu...Eu não sei o que está acontecendo, Misoo-ssi...Misoo-yah- Murmurou. - Eu não quero ser mais um a pressioná-la nessa vida, muito menos que você se desespere, mas...Eu preciso que você saiba que...Eu estou aqui. E eu não sei o que está acontecendo, mas...é você...E eu estou aqui...por você...
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 8 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum