Fóruns Gráficos
Créditos
» Skin obtida de The Captain Knows Best criado por Neeve, códigos acrescentados por Weird e baseado no tema The Walking Dead Theme criado por Hardrock. Graças aos suportes e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foractivo.
» Versão Elysium adaptada por Nêmesis, Rossin e Persephone.
Narradores
Personagens Ativos
Últimos assuntos
» Capítulo 9
Hoje à(s) 3:01 pm por Kim Sun-Hee

» [OFF CHAT]
Ontem à(s) 10:39 pm por Starry Night

» Probabilidades
Ontem à(s) 9:40 pm por Jae-ki

» @moonjaesun
Ontem à(s) 12:23 pm por Moon Jae-Eun

» @han.cherry
Ontem à(s) 11:18 am por Han Somin

» Sayonara minato tsumugi no sato yo
Qui Jan 17, 2019 10:19 pm por Nadia DeWitt

» @ohmygyuri
Qui Jan 17, 2019 5:06 pm por Nam Gyuri

» @moonjaesun
Ter Jan 15, 2019 8:23 am por Moon Jae-Eun

» 08 de Outubro - The Day After
Seg Jan 14, 2019 6:59 pm por Moon Jae-Eun


Capítulo 8

Página 13 de 13 Anterior  1, 2, 3 ... 11, 12, 13

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Won-Bin em Qui Nov 29, 2018 10:49 am



A situação já complicada só ficava pior enquanto Hyun não se acalmasse. Tinha ajustado o nariz dele mas fazê-lo parar de gritar e tentar se machucar já era outro nível.
Won via de primeira mão que o cara era instável, talvez fosse um lado que nem o amigo Jaeki sabia que existia.

Não precisaria tentar segurar Hyun por muito mais tempo já que um conhecido dele chegava. Aparentemente era um empregado ou algo do tipo, forte o suficiente para levanta-lo.

-Não deve ter quebrado, acho que só deslocou - disse depois de Jungmi, talvez tranquilizasse um pouco ele e o funcionário. Nariz quebrado costumava deixar o nariz meio deformado dependendo da cicatrização.

Não que Hyun parecesse muito preocupado com isso agora.

Acompanhou com o olhar Hyun sendo levado dali.

Coçou a cabeça enquanto ouvia o anúncio de Bomi.

”Aish, isso aqui foi muito pior do que eu imaginava. Gente machucada, confusão, isso aqui foi mais caótico que muita festa por aí. Que droga, eu queria estar aí Bomi”

Olhou diretamente para Bomi quando os olhares se cruzaram mas não teve a chance de sequer dar uma expressão de conforto.
Outra pessoa chegou pra fazer isso.

Era assim que Bomi tinha se sentido quando viu ele abraçando outra garota? Esse soco no estômago, aquela raiva que crescia feita lava espumando de um vulcão...E não era um mal-entendido nesse caso pois ela mesmo correspondia ao abraço.

Que tipo de vingança era essa? O que Bomi tinha na cabeça!? Ele estava logo! Ela sabia disso.

O pior de tudo foi perceber quem era aquele rosto familiar...agora era Won que queria entortar o nariz de outro cara.

”Park Jin Hoo. O que esse cara faz aqui?”

Se sentia idiota, usado e enganado tudo ao mesmo tempo. Que pesadelo macabro era esse de seu maior rival, o idiota que brigava com gente armada em becos por aí, estar aos abraços com sua namorada.


Cerrou os punhos mas controlou as emoções o suficiente para se virar para Jungmi, que ainda deveria estar ali, e dizer:

-Mande notícias do seu irmão depois quando puder, Jungmi. Espero que fique tudo bem com ele e toda essa situação - disse se controlando o suficiente, tinha até esquecido que nem gostava de Jungmi.
Nessas circunstâncias o ciúme fazia odiar todos os outros menos.

-Eu vou lavar as mãos, com licença - disse se referindo a mão suja do sangue do nariz do Hyun. Rapidamente começou a andar para fora dali.

Pra qualquer lugar, menos ali.

Wangjomasoq

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
231

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Kim Sun-Hee em Qui Nov 29, 2018 3:55 pm

Quando identificou a presença dos seguranças, não mostrou mais resistência e deixou que Stella a levasse para qualquer lugar, embora não estivesse gostando do sentimento que continuava esmagando o seu peito. Lógico que a unnie não era a melhor das criaturas, mas foi triste testemunhar que a maioria das amigas prontamente lhe viraram às costas, apenas por conta de um pronunciamento. Os ataques não tiravam a culpa de Jimin, porém ninguém merecia ser tão humilhado e maltratado. Sunny não conhecia metade do passado sujo de WangJo, apesar de sentir na pele como as pessoas do colégio podiam agir com crueldade e, mais uma vez, aquele episódio expunha que não era só uma questão envolvendo bolsistas. Ia mais além... Muito mais. Status, poder, controle... Adolescentes se comportando como adultos, e no fundo, eram... crianças. Crianças mimadas e maldosas que acreditam serem donas do mundo e que possuem o direito de pisar nos outros ao próprio prazer, sem medir as consequências, pois elas sequer existem no mundinho deles. Para estes jovens, as pessoas não são unicamente descartáveis, como também manipuláveis e o restante, os que não ocupam o topo do topo, se alimentam dos restos desses abutres - como Taemin os chamou.

A adrenalina e o nervosismo ainda eram altos demais para que Sunny pudesse fazer reflexões mais profundas, mas a mente, de imediato, constatou o óbvio e o que ela já sabia, mesmo que acompanhar "ao vivo" ofereça uma perspectiva mais crua e nua.

Todos devorando a carniça dos outros.

Existiam as exceções...

E uma delas, independente da recente briga, tratou de tirá-la da confusão.

Sunny atropelou Stella com perguntas e as respostas causaram um pequeno alívio e mais preocupação. Não ficou menos angustiada por Hyewon ter ido ao socorro de Chae, mas balançou a cabeça, entendendo... - Ela precisará do nosso apoio, mais do que nunca. É... uma sensação horrível... Como alguém tem a coragem de ferir uma criatura tão gentil quanto à Chae? Como... - apoiou a mão na barriga, por reflexo, ao imaginar que o desconforto abriria um vácuo na unnie, mas era noutro lugar que as feridas doeriam mais... Chae não estaria só arrasada; estaria completamente destruída.

Enquanto aguardavam Hyewon e Chaeyoung, Kim, Sona e HaN apareceram e Sunny correu na direção deles. Eles não estavam machucados e isso, por si só, já era ótimo. Desviou o rosto para Sona quando ela disse que Kim havia se perdido por um tempo - Aish, Kim... Ainda bem que nada de ruim aconteceu com nenhum de vocês.

Encarou o amigo, não desconfiando. Entretanto, o comentário de Ha Neul não foi ignorado. Por que Hee Kyung precisava saber? Dong não fazia o estilo fofoqueiro, e sim observador, sutil. Mas, caso não houvesse qualquer climão, Sunny também não estranharia.

Bizarro era pouco para definir aquela cena grotesca.

O pior de tudo encontrava-se no simples e absurdo fato de Hyun-Hee ser o motivo da tristeza de Chaeyoung. Logo ele... Uma decepção. Acreditava que ele gostava mesmo de Chaeyoung... Porém, amar alguém não nos impede de magoá-lo. Esse pensamento pesava em Sunny.

Diante da pergunta de Kim, acenou positivamente e foi sucinta na hora de responder a respeito do sumiço - Precisei ir ao quarto e acabei perdendo a noção de tempo.

Então, nesse momento que o grupo surgiu, Sunny automaticamente desviou o olhar até Taemin, avaliando o estado dele, mas não estavam perto o suficiente e ela controlou a vontade... Não era o instante adequado, pois ele tratava de consolar a irmã. De toda a forma, o papel de uma mera telespectadora tinha um gosto muito amargo e Sunny ignorou aquele desejo forte de estar ao lado daquele esquentado, apoiando-o, mas por uma série de motivos, era privada de tal.

O toque de Stella a atraiu e assim que os olhos visualizaram a aproximação das unnies, Sunny os arregalou, ansiosa, e disfarçou a tristeza ao notar o estado da amiga. Nunca a viu tão frágil como agora.

Rapidamente negou com a cabeça antes mesmo da canadense garantir que a levaria para casa. Não planejava mais ficar na festa, até porque, né... Contudo, entendia que Chaeyoung precisava de espaço. Não insistiria em acompanhá-la - Você não tem que pensar nisso, Chae, jebal... - essas palavras eram pouquíssimas perto do que gostaria de dizer para a unnie. Diante disso, Sunny - e nem os outros - a prenderia ali, ciente do quanto ela queria desaparecer. Seria o mesmo que prolongar uma tortura. Numa tentativa de conforto, esticou a mão, segurando carinhosamente a dela, porém o gesto não demorou. Por ora, seguiria as indicações de Hyewon - aliás, a herdeira, com seu jeito mais silencioso, cuidaria de Chae. No entanto, à medida que observava as duas se afastarem, de repente, Chae parou. Foi a vez de Sunny cutucar Stella e se assustar quando a Park começou a caminhar até Do Jimin. Sunny apertou o braço de Stella, incapaz de falar qualquer coisa. Todos provavelmente estavam tão alarmados quanto ela e os minutos correram devagar até Chae, enfim, sair dali.

Passou as mãos pelo rosto, esgotada de todas as maneiras possíveis.

Antes de comentar sobre a possibilidade de também irem embora, Bomi assumiu o microfone e encerrou a festa após pedidos de desculpas e recomendações. Sentiu pena dela e do irmão... Aquilo foi uma tremenda falta de respeito e consideração com eles.

Por fim... Fitou o grupo, suspirando, até concentrar a atenção em Stella, chamando-a para pegar os pertences que ficaram no quarto.

- Talvez, nessa confusão, a Hyewon e a Chae tenham esquecido - Sunny acrescentou.

E ainda chegou a lançar um novo olhar ao local que o grupo estava...

Mas não havia mais nem um sinal de Jimin ou Taemin.
Poooool Paaaarty  sunny

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
209

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Jae-ki em Qui Nov 29, 2018 8:02 pm


Jae-ki achava a halmoni exagerada, mas a velha era mesmo rabugenta. Só não implicou de volta porque não estava no seu melhor humor, e ver o pai ali naquela cena, não ajudou muito.

Depois de colocar uma camisa, voltou logo pra sala, não queria ficar refletindo, tinha medo de sentir mais dor. Não valia a pena pensar no passado. Abraçou sua irmã bem apertado, precisava muito desse abraço, até fechou os olhos, tentando descansar sua mente. Soo-ji era a melhor coisa da sua vida.

- Eoh, mas a festa tava muita chata, então eu voltei. Essa gente rica não sabe se divertir.

Jae-ki tentou falar de uma forma convincente. Ele quase se arrependeu de ir a festa, tinha sua melhor companhia em casa, Soo-ji. Porém não podia se arrepender, já que só soube da verdade por ter ido. Era doloroso, mas necessário. Evitou que fosse usado por ainda mais tempo. Era como um tapa na cara para deixar de ser trouxa. Mas claro que se tivesse mais alguma festa, não iria nem que tivesse comida.

Spoiler:

Aproveitou o próximo abraço e ouviu ela contar do aboji. Isso lhe deu alguns receios, sua irmã parecia animada, mas Jae-ki sabia que seu pai não iria repetir de novo. Ao menos não acreditava nisso. Não queria que ela fosse iludida, mas também não queria deixar ela tristinha. Soo-ji não merecia um pai assim, e nem ter memórias tão ruins assim. Infelizmente ela já o tinha visto bêbado muitas vezes. Teria que conversar isso com ela depois, quando fossem passear, e sobre outras coisas também.

- Eoh, kurê! O parquinho, e depois pode escolher outra coisa também. Sou todo seu, nem vou fazer o dever. Faço amanhã, o trabalho tem sido mais tranquilo.

Jae-ki foi até a cozinha então, lançando alguns olhares receosos para o aboji. Viu o que tinha para comer, estava quase verde de fome, quando seu celular vibrou. Jae-ki suspirou, seria Eun-bi? "Aigooo, por que seria ela? E daí se for! Deve tá me achando injusto. "

Quando Jae abriu a mensagem arregalou os olhos espantado, não entendia bem sobre o que era, mas tinha o nome do Hyun nela. Jae suspirou nervoso, com certeza tinha dado merda com ele. Pior é que tinha saído sem falar com ele por causa "daquela garota". De qualquer forma, não tinha muito o que fazer estando longe. Esperava ao menos que ele soubesse resolver isso, Hyun era o cara. Não era um idiota como ele era. De qualquer forma, se precisasse bater em alguém depois, estaria do lado do Hyun.

Pegou o que tinha pra comer de sobras e tacou tudo numa bacia da cozinha, pegou uma colher grande, misturou tudo e sentado no chão, começou a comer de uma vez. Encheu as bochechas como um hamster esfomeado, mais um pouco do que seu normal. Ele sentia aquele vazio no peito, aquela tristeza, a raiva. Queria se entupir de comida pra não ter espaço pra esse vazio, pra descontar a raiva.


Chegou a dar uma tossidas pra comida descer, bateu no peito pra desentalar. Depois de comer tudo como um desesperado, Jae-ki deixou a bacia na pia e chamou pela halmoni.

- Halma...

Quando a velha se aproximasse, ele diria sem disfarçar, era para Soo-ji ouvir também:

- Sabe os números dos hyeongs que deixei pra ligarem em caso de emergência?  Apaga eles, joga fora, só liga pro Won e pro Kang. Tem um outro que vou dar o número também. Eles são da escola, se algo mudar eu falo para apagar também.

Tinha tirado Jong Suk da lista porque sabia que ele estava preso a Jin Hoo, e pedir ajuda a ele, poderia ser a mesma coisa. Já sobre falar na frente do pai, Jae-ki não estava nem aí, ele era uma fantasma para ele. Só não queria que a halmoni e Soo-ji tivessem a possibilidade de qualquer contado com a gangue. Não confiava mais neles, e por sorte ainda tinha Won, Kang e Hyun.

Depois se largaria em cima do sofá velho pra descansar. Lançaria mais um olhar para o pai com a irmã. O velho nem devia mais ser tão bom em matemática, imaginava, podia errar algum cálculo, já que bebia demais. Ou talvez fosse sua raiva mesmo Teria que checar depois para ver se o dever dela estava certo.

- Vou te esperar deitado aqui Soo-ji. Tá conseguindo aprender?

Casa

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
294

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Park Hyun Hee em Qui Nov 29, 2018 8:16 pm

Hyun foi obrigado a se controlar, ajudado por um amigo de Jaeki. No momento não estava em condições de pensar no vexame que estava passando, já que sua mente era um turbilhão de raiva e tristeza brigando para ver qual tomaria o lugar.

Quando Han Jae chegou, ele ergueu o olhar irritado e virou o rosto, não de vergonha, mas porque não queria passar por um interrogatório. Sentiu raiva de sua presença ali também. Só queria que trouxessem Chaeyoung de volta!

Fez menção de se levantar, e o segurança o ajudou. Encarou o chão sem falar nada, mas como se enxergasse a cara da ex sob seus pés.

Não agradeceu os dois, mas a seu irmão lançou um último olhar significativo e atenuado, reconhecendo que ele o ajudara muito.

Se tivesse a oportunidade, daria bicudas e agrediria coisas que encontrasse no caminho e estivessem em seu alcance, como cadeiras, plantas, e basicamente qualquer coisa. Até o pobre porta-luvas que receberia uma sequência de chute e soco até que sua mão latejasse.

Depois disso ficaria quieto, praticamente mastigando a própria mão, com o punho enfiado nela e o olhar para o horizonte remoendo os acontecimentos

Humor: fodido oficial/***--

— Ross

avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
192

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por The Crown RPG em Sex Nov 30, 2018 3:14 pm

Banyan Tree Club & Spa. TARDE


Bomi havia anunciado que a festa tinha chegado ao fim, oficialmente, mas algumas pessoas ainda ficariam pelo local - pelo menos os mais próximos dos irmãos. Tinha muito o que arrumar e explicar, fora o desfecho de tanta comida.

(Misoo e Sunny)

De todo modo, parte dos convidados começavam a se retirar mesmo. O grupo de Sunny ouviu o pedido de Chaeyoung que ainda acreditava que os aniversariantes mereciam um fim de festa melhor, depois de todas as atrações que tinham oferecido. Por isso não queria que os amigos se preocupassem com ela e continuassem ali se divertindo. Stella prometeu que levaria Sunny para casa - ou até mesmo Kim podia fazer isso. Não seria um problema.

Antes de partir, a garota seguiu até Jimin e mandou um  recado breve, porém honesto para ela. Podia muito bem ser uma ameaça, mas ao invés disso, foi um pedido de desculpas. Estava muito envergonhada com o que tinha acontecido ali. Depois disso, ela pediu licença e partiu. Hyewon apenas a acompanharia até o carro porque não iriam mesmo juntas e Chae não ofereceu resistência ao gesto da amiga.

O recado de Bomi ecoou pela festa e o grupo de Sunny pareceu lamentar um pouco. Stella concordou em ir buscar as coisas no quarto e entregarem segunda-feira, se fosse o caso. Os cinco combinaram de se encontrar perto da entrada depois que elas terminassem de arrumar as coisas. Como saíram juntos primeiro, não viram o instante que o grupo de Hyemin também saía com o mesmo intuito. Tampouco tiveram a chance de ver Hyun Hee acompanhado de seu segurança, destruindo as coisas que ficavam pelo caminho, por onde ele passava.

Por outro lado, Misoo permaneceu ali depois que cumpriu seu dever moral. Aquela era a prova de que a tenista lutava mesmo por igualdade, sem olhar para quem. Se teve coragem de agir daquele jeito para uma unnie que sempre a destratava, imagine o que não seria capaz de fazer mesmo por aqueles que amava. Estranho era duvidarem de seus impulsos e reações.

Aquilo era, de fato, bem típico dela. E encontrou em Woo Jin o parceiro perfeito para esse tipo de coisa. Afinal, ele também sempre estava doendo o melhor de si para ajudar o próximo. Tanto que nem pensou que teve um gesto de caridade para com a irmã do maior inimigo de seus amigos. Naquele momento, isso não importava muito.

Os dois presenciaram o momento que Chaeyoung apareceu para falar com Jimin e, para a surpresa deles ou não, a herdeira não foi mais uma voz de acusação, julgamento e execução. Na verdade, ela estava ali para pedir sinceras desculpas e isso era latente em seus gestos e entonação. Não parecia falso como fora o pedido de Joonie no meio do refeitório - até porque, Chae não precisou de um público enorme para falar diretamente com Jimin.

Depois que os envolvidos partiram, os dois sentiam que o dever estava cumprido. As vozes de Eun Bi e Mia foram ouvidas enquanto as duas corriam até eles. Kang ainda estava perto - até demais - de Misoo e nem teve tempo de chegar para o lado.

- Aah, que alivio! - Eun Bi levou a mão até o peito, cansada de correr.

- Ne! Você foi tão rápida que nem tivemos como te alcançar. Fora que você quase foi agredida no meio do caminho! - Mia comentou, bem melhor do que Eun Bi porque era acostumada a correr. - Mal você passou e o Hyun Hee levou um soco do Taehyung. Aquele lugar virou um caos e a gente nem conseguia ver onde você estava!

Eun Bi meneava positivamente, ainda sem ar e com a adrenalina à flor da pele. Encarou a amiga preocupada, mas arregalou os olhos quando ela comentou sobre Taemin. Tentou olhar na direção que ele tinha partido, mas já estava longe demais. Se ela entendeu ou não o que ela indicou, ela simplesmente não foi. Não achava que tivesse um espaço para ela naquele momento, pois eles também estavam indo embora.

- A Bomi está…

E antes que conseguisse responder, elas ouviriam o anúncio de Bomi encerrando a festa oficialmente. Eun Bi apontou para o alto falante e fez uma carinha chateada.

- Em pensar que aquela idiota disse que não faria escândalos ou polêmicas. Ai que maldita!! - Bibi fechou os punhos e bateu o pé no mesmo lugar. Cruzou os braços e alimentou o bico.

Todos concordaram em voltarem até onde Bomi estava, mas Mia travou quando ouviu o apelido para Kang. Olhou meio desconfiada até que o queixo caiu com o gesto carinhoso de Misoo para com Woo Jin. O garoto deu um sorriso tímido de volta, coçando a nuca, meio nervoso.

- Você que foi muito corajosa, Mimi...Estou orgulhoso de você. E não precisa me agradecer. Sou seu oppa! - Olhou para ela com um sorriso amoroso e deu um beijinho em sua testa.

Ofereceu o braço para que seguissem juntos, fosse de mãos dadas ou braços dados até o local onde Bomi ainda se encontrava.

- O que está acontecendo, hm? - Mia perguntou com certo humor.

Eun Bi observava os dois, tentando concluir o que achava do casal. Não respondeu por Misoo e olhou ao redor, como se estivesse procurando por alguém - não seria ela a dar a notícia, afinal. Enquanto caminhavam, o grupo de Hyemin passou por elas...Quase deu para ver o instante em que os olhos de certos fofoqueiros - Beom Su, Hayoung e até mesmo Nana, isso sem contar a própria Hyemin, caso estivesse prestando atenção - cresceram quando viram os dois tão juntinhos.

Além de não ser típico de Misoo, naquela mesma semana, Beom Su e Hayoung brincaram sobre o casal “bobo da corte”. Além deles, Hyun Hee também passou com o seu segurança, chutando e derrubando tudo o que via pela frente. Ele não parecia nem um pouco normal - pior do que o seu costume, o que podia levantar as teorias sobre seu real estado mental e emocional.

Durante o trajeto, eles ainda cruzariam com Won que também não parecia em seu melhor momento.

(Hyemin e Won)

Hyemin continuou recebendo o apoio de Yerin. A amiga que não era dada a muita demonstração pública de afeto, estava mesmo disposta a mudar e aproveitar o tempo que ainda tinham. Por isso quebrava os próprios protocolos e permitia que Hyemin ficasse o tempo que quisesse ali, naquele pequeno infinito que cabia no abraço. Além disso, também estava demonstrando muito mais sentimento do que o normal, tanto que a carinha continuava meio preocupada mesmo depois de tudo se acalmar.

Ouviram juntos o anúncio sobre o fim do aniversário, lamentando como ela.

- Ung, vamos…- Yerin concordou.

- Nossa, que fim de festa triste. Pior que tudo foi tão legal e perfeito, estou morrendo de dó da Bomi. - Beom Su comentou, visivelmente chateado.

Todos concordavam e quando passaram por Bomi enquanto ela descia da plataforma, eles trocaram reverências solidárias. A aniversariante conseguiu esboçar um sorriso, mesmo bastante triste com tudo o que tinha acontecido. Retribuiu a todo o gesto de preocupação, grata por eles terem pensado nela ainda que por um breve momento.

Hyemin também teve um vislumbre de seu oppa sendo amparado pelo segurança dele e logo saindo dali, mas Yerin não a deixava mais sair de perto e, juntos, seguiram para a saída.

Ao passar pelo grupo de Misoo, tiveram uma surpresa: a, então, traída namorada de Jung Mi já estava muito próxima de um dos bolsistas. Hyemin o reconhecia como o “diplomata da gangue” porque ele quem traduziu a conversa meio “mafiosa” que o rapaz forte e bonito tinha iniciado com ela em troca de um favor. Beom Su e Hayoung nem disfarçaram a surpresa e a própria Nana ficou de queixo caído, mas bem menos expressiva que os outros dois.

O mais impressionante era que Misoo demonstrou mais carinho naqueles breves segundos que foi vista ao lado de Kang do que os meses inteiro namorando Jung Mi.

O grupo passou direto e Beom Su logo falou.

- Geente, eu sou um Guru do Amor, não apenas da Moda! Eu não falei??

- Eu chamei de casal bobo da corte e nem fazia ideia de que era real mesmo…- Hayoung disse chocada.

- Pior que eles parecem apaixonadinhos e fofos… - Beom Su comentou. - Nossa, que história confusa. Que troca-troca! Adoro.

- Fofoqueiro! - Nana o empurrou.

- Você também tá curiosa que eu sei, tá?! Quem será que trocou quem primeiro? E os dois por bolsistas...Será que eu deveria namorar uma também? Porque não é possível! Deve ter algo mágico ali!

- Beom Su-yah! - Yerin o recriminou com o fogo dele.

Hayoung e Nana caíram na risada fora de hora porque era impossível se manter triste ou de luto por muito tempo com as piadas que ele fazia. “Namorar uma menina?! Uma bolsista?? Desde quando, Bombom?!” Era o que queriam perguntar, mas apenas mantinham na risada.

O grupo estava cada vez mais distante e não viam que mais um casal inter-ranking estava prestes a sofrer um novo abalo - como se a história deles não fosse complexa o suficiente.

Assim como Misoo, Won havia feito o trabalho dele ali também. Mesmo que não fosse muito com a cara dos Park - por questões ideológicas e gênios - ele se meteu no meio da briga para impedir que a situação do hyeong fosse ainda pior. Não obstante, ainda o ajudou a colocar o nariz no lugar.

A chegada de Han Jae trouxe uma nova presença e autoridade para a cena. Ele não exigia explicações, mas esperava que os meninos comentassem alguma coisa. Ficou preocupado quando Jung Mi disse, na pressa e no nervosismo, - ele de fato parecia aflito com o estado de seu irmão - que Hyun tinha quebrado o nariz. Won trouxe um pouco mais de calma ao dizer que tinha sido só deslocado.

Han Jae agradeceu os cuidados dele - e o próprio Hyun, em meio à sua avalanche de emoções, parecia grato. Pelo menos ao irmão.

Porém, a pessoa que ele queria cuidar mesmo estava bem ali, anunciando o fim de sua própria festa e descendo da plataforma um tanto quanto desolada. Até deu um suspiro cansado depois que o grupo de Hyemin passou por ela a reverenciando, dando apoio pelo seu momento. Bomi escondeu os lábios e voltou o olhar na direção de Won Bin.

O beicinho aumentou um pouco porque estavam relativamente perto, mas muito, muito longe. Eis que o foco dela mudou para alguém que vinha em seu direção. Won precisou de uma boa dose de controle e força de vontade para não explodir ali, mas era dificil conter algumas reações do corpo para a cena que vinha.

Bomi abraçando outra pessoa assim, tão despreocupada e indiferente aos sentimentos dele.

O que ela estava pensando, afinal??

Jung Mi estava ao lado dele, aparentemente olhando para o irmão saindo, mas a inércia de Won chamou sua atenção o suficiente para se interessar pela cena que acontecia ao seu lado. Observou a reação de Won e como as mãos dele ficavam cerradas, em punhos bem pesados por ver Bomi abraçando o próprio primo - e não foi Jung Mi quem desfez o mal entendido, até porque não era problema dele.

Mas reconhecia aquele gesto e reação. Foi a mesma coisa que sentiu quando Taemin se apossou de Sun Hee na piscina. Prontamente respondeu ao pedido de Won, disfarçando muito bem o que seus olhos tinham captado.

- Komawo, Won Bin-ssi. Eu vou mandar notícias sim, tão logo tiver. Mais uma vez, komawo pela ajuda… - Disse de modo humilde e deu espaço para que ele saísse.

O abraço entre os primos tinha acabado e Bomi balançava a cabeça, provavelmente respondendo ao “tudo bem?” do primo. Contudo, ela logo lançou um olhar na direção de Won e ficou um pouco aflita de vê-lo saindo dali.

Puxou o ar com força, mas não conseguiu pegar o celular imediatamente. Só quando o irmão e a cunhada também se aproximaram para falar com o primo. Ela pediu licença e se afastou um pouco, pegando o celular.

Enquanto não recebia a mensagem, Won Bin passou por Misoo bem próxima de Kang e acompanhada de Eun Bi e Mia. A noona - Mia - parecia feliz com o que estava vendo enquanto Eun Bi estava com uma cara mais séria. Kang parou de sorrir diante da expressão dele e já estava pronto para ajudá-lo quando o celular dele vibrou.

Send
2:20
Detetive
Detetive
Oppa! Onde você está? Você já foi embora? Você se machucou na confusão? Não vá embora assim, jebal...


[Sunny e Hyemin: Podem ir embora, se quiserem, mas não cheguem em casa ainda.]
(C) Ross


JAE KI - RESIDÊNCIA SONG - SABADO À TARDE


Soo Ji achou graça dele comentando que os ricos não sabiam se divertir. Não sabia como isso era possível, considerando as cenas que via nos doramas e na tv de modo geral. Mas concordava que não combinava muito com o seu príncipe, o que deixava a risadinha dela ainda mais natural.

Acreditou no modo como ele falava, apesar de ainda sentir que algo não estava muito certo com ele. Por isso mesmo apertou ainda mais o abraço, transmitindo o que quer que seu irmão necessitasse mais no momento. Deu outro sorriso carinhoso para ele e ficou feliz por ouvir que poderiam passear no parquinho depois.

Já estava um pouco tarde para almoço - eram mais de 2 P.M - mas a família Song não era conhecida por ter uma rotina definida. Eles almoçaram bem tarde e a halmoni tinha uma mistura para ele porque conhecia o neto que tinha. Imaginou que ele fosse comer bastante na festa e chegar com algo para elas - o que não foi o caso, mas ela não questionou porque ele não parecia em seu melhor. Porém, mesmo comendo muito fora, ele chegava com fome e queria comer mais.

Era o verbo que mais definia: comer. Era um estômago infinito, por isso ela pensou nele e deixou separado.

Sentou-se à bancadinha da cozinha e observou assustada o modo desespero que ele comia.

- Que isso?! Que você não é cheio de modos, eu já sabia, mas que insanidade é essa? Come direito, garoto! - Ralhou com ele enquanto catava feijão verde. Se fosse necessário, daria um tapa nas costas para ajudar a desentalar.

A mensagem no celular também parece ter abalado e a avó já imaginava meio errado - porém meio certo, no contexto geral - que fosse a tal da garota que ele gostava. Ficou quieta, catando seus feijões até que ouviu o chamado.

- Hm? - Perguntou sem olhar.

Lá vinha.

- Sei, o que tem? - Ainda bem que ela parou de catar os feijões, caso contrário teria espalhado tudo quando ouviu aquilo. - Jinjja? - Perguntou quase que sem voz.

- Wae? - Soo Jin estava terminando sua conta, mas como a casa era pequena e Jaeki não falava baixo, ela ouviu tudo. - E Jong Suk-oppa? - Perguntou fazendo um beicinho enorme meio choroso. - Ele não é mais seu chingu?

- Graças a Deus!!! - A Halmoni levantou-se. - Ahhh, meu bom Senhor, eu nem acredito no que estou ouvindo! - Levou a mão aos céus. - É a coisa mais feliz que ouvi nos últimos cinco anos, Jaeki. Aigooo, que alívio...você não vai mais se meter com essa gente, né? Céus, minhas orações foram atendidas! Eu vou até voltar à igreja depois dessa...preciso agradecer...Pelo menos UMA COISA boa acontecendo. UMA!

- Halmonii!! Eu gostava do oppa….Ele era um bom amigo.

- Soo Ji. Amigos não fazem o que esse garoto fez com o seu irmão! Quando for mais velha, você vai ver que tem amizades que são puro interesse! - Disse brava. - Mas eu gosto dos meninos do colégio….Parabéns, meu filho - Deu um tapinha quase que emocionado no ombro dele.

Soo Ji continuou com várias duvidas na cabeça, não gostando nem um pouco de ouvir sobre Jong Suk. Umedeceu os lábios e voltou a atenção para o pai que parecia bastante reflexivo sobre aquilo, mas, como sempre, não falava nada. Ele não fazia ideia como o filho tinha saído dessa, a que preço, ainda mais considerando a ajuda que recebeu quando foi salvo por um daqueles garotos. Suspirou e olhou para Soo Ji.

- Você entendeu como funciona?

- Ung, eu já estou acabando…

- Então eu já vou…

- Já? - Ela largou o lápis e o encarou. - Hm...Komawo, appa...Você me ensinou bastante hoje…

- De nada, Soo Ji-yah. Você é uma boa aluna. - Deu um pequeno sorriso e levantou-se. Caminhou até a entrada da casa, pegando seu casaco e a chave.

- Você volta hoje?- A mãe perguntou.

- Eoh...Volto sim.

Colocou o casaco e saiu. Soo Ji ficou quietinha olhando para a saída do pai e então para o irmão que tinha se deitado no sofá.

- Eu já tô acabando, vamos mesmo à pracinha?

Caso a resposta fosse positiva, Soo Ji terminaria ainda mais rápido o exercício. Antes de sair, ela arrumou a mesa, guardando suas coisas com muito zelo e ordem nos lugares certinhos. Diferente do irmão, ela era bem organizada. Depois disso, arrumou o cabelo num rabo de cavalo simples e mostrou para passear com seu lindo e maravilhoso oppa!
(C) Ross



HYUN HEE. HOSPITAL BAE MYEONG . NOITE.


Hyun Hee tinha esperado tanto pelo momento que sua mensagem teria algum efeito sobre Joonie que agora, talvez, não desejasse tanto por ele. Devia saber que a ex-namorada era mais perigosa do que seu lindo rostinho mostrava e que ela não se vingaria apenas de Jimin, ela levaria Jimin, Hyun e quem mais fosse necessário para que todos se sentissem tão miseráveis e infelizes quanto ela se sentiu depois de descobrir tudo.

E pior que nem sabia de “tudo” ainda. Com exceção de Yuha, nenhuma amiga dela era santa, mas Jimin talvez fosse a que deixasse as pontas mais soltas - confiante demais de que o segredinho seria sempre escondido. E agora ela levava a culpa toda sozinha.

Enquanto Han Jae o “guiava” até o carro, ele deu um jeito de chutar e empurrar tudo o que encontrou no caminho, estragando ainda mais algumas partes da decoração. Sua mente estava num turbilhão de emoções e se não fossem os remédios que ele tomava com moderação, provavelmente teria surtado muito mais. O problema foi que o remédio mais natural de todos não estava ali com ele. Chaeyoung tinha o seu direito de não querer falar com ele agora, mas será que ele teria alguma chance depois?

Só saberia quando despertasse. Porque, no momento, ele era levado para sua visita quase que semanal ao Hospital Bae Miyeong.

Han Jae não fez perguntas porque sabia que não teria nenhum tipo de resposta. Focou-se em ativar seus contatos para que preparassem um quarto para o jovem Sr. Park. Se fosse necessário usar de uma dose alta de calmante, pelo menos ele estaria hospitalizado por um tempo. Durante o caminho, quem sofria era o porta-luvas e a própria mão dele. Han Jae até o encarou com uma interrogação no meio da testa, mas achou melhor pisar fundo ao invés de questionar.

Mal estacionaram e já pegaram uma cadeira de rodas para levá-lo à emergência por conta do nariz deslocado - felizmente não estava quebrado como Jung Mi temia - mas não era o único ferimento dele. Os cacos de vidro também deixaram sua marca e houve um determinado ponto que ele precisou de alguns pontinhos - bem poucos, cerca de três - porque foi um pouco fundo.

Além disso, também deram o calmante em alta dose dele, o que causou a tão esperada letargia.

Hyun só acordaria quando fosse noite. Não era uma cena nova para ele, considerando as vezes que já despertou do nada num hospital com um preocupado Han Jae o encarando. O secretário estava ao telefone, com algumas notícias que poderiam interessar a Hyun, mas achou por bem ver como ele estava.

- Acordou, finalmente? - Parou ao lado da cama, encarando. - Já quer contar o que aconteceu ou ainda está precisando de descanso?
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1318

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Won-Bin em Sab Dez 01, 2018 12:29 am



O "amigo" dos Park chegava para controlar e levar Hyun, que nem ao menos olhou de volta direito deu alguma consideração além do irmão. Won se perguntou mais uma vez como Jaeki era tão amigo desse cara, a ponto de chama-lo de dragão também.

Por mais que estivesse sendo injustiçado ainda parecia um cara orgulhoso e descontrolado que chutava as coisas pelo caminho.

Assentiu para Han Jae em resposta ao seus agradecimentos.

Mas ver Bomi naquele estado de derrota era de cortar o coração. Ela tinha se esforçado tanto pra tudo dar certo, até tinha arranjado um local e momento para que fugisse para seu namorado secreto.
Entretanto o sentimento de pena era completamente apagado ao ver aquele abraço.

Por sorte Jungmi não pareceu perceber sua reação de ciúmes, ou pelo menos achava isso.
Assentiu para Jung Mi:
-Tudo bem, eu só estava no lugar certo na hora certa. Espero que tudo se resolva - disse com certa polidez e saiu.

Saiu irritado, a cabeça quente de ter de visto aquela cena além de todo o estresse de lidar com os ricos malucos de Wangjo.

Passando por ali, sem um rumo, acabou vendo Misoo e Kang bem próximos juntos de Eunbi e Mia. Respirou um tanto aliviado em ver que a namorado do amigo estava inteira e que Kang conseguiu alcança-la.
Na verdade eles pareciam até mesmo assumir o namoro ali mesmo, diante de todo mundo.

"Você é o sortudo dos dragões Kang..."

Fez um "V" com as mãos pra cumprimentar o amigo mas logo recebeu a mensagem e a leu.

Aquilo era ainda mais confuso. Ela não sabia o que tinha acabado de fazer?

Respirou fundo e digitou, tentando manter uma expressão neutra.

-Eu não queria ficar ali vendo você abraçada com o Park Jin Hoo. Aliás, como você conhece o Park Jin Hoo. E toda essa confusão...eu não to entendendo muita coisa, talvez morrendo de ciúmes. Pra falar a verdade eu não to entendendo mais nada. Ainda não saí, estou com o Kang e Misoo e as meninas

Tinha vontade de ir embora agora mesmo mas sua experiência com o problema que foi o abraço com Ji Hyun o motivou a deixar Bomi tentar explicar aquilo.
Ele ia permitir que ela explicasse uma única vez, uma única chance.

-Oi... - diria ao grupo naquele clima estranho ao se aproximar. Se sentia como persona non grata no grupo, mas não sabia bem pra onde ir agora.

Wangjomasoq

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
231

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Kim Sun-Hee em Sab Dez 01, 2018 11:30 am

Ela e Stella foram juntas ao quarto para pegar as coisas, tanto as delas quanto as de Chaeyoung e Hyewon. Sunny suspirou enquanto arrumava as bolsas... As duas não chegaram a comentar a respeito dos últimos acontecimentos - nem mesmo o da piscina. Havia uma expressão de lamento em Sunny... Não imaginou que a festa poderia gerar situações tão constrangedoras e agressivas como aquelas que acabaram de presenciar. No momento, o que mais queria era buscar o conforto do quarto e descansar para recuperar as energias gastas.

E, claro...

Recuperar as mentais também, mas isso não aconteceria por meio de um profundo sono, Sunny bem sabia.

O frasco lhe dava um pouco de segurança em meio ao mar tempestuoso.

Não demoraram no local, até porque, ainda existia um clima estranho entre as duas, mas não restavam dúvidas de que tratava-se da hora mais inoportuna para falar algo sobre as confusões que resultaram na briga delas. No entanto, não gostava de ficar brigada com Stella e aquela foi a primeira discussão séria. Não tinha ideia de como se comportar, pois lhe faltava experiência nessa área. No caso de Kim, eles batiam boca, apontavam dedos e ensaiavam bicos, porém voltavam a se falar naturalmente. Era difícil prolongarem uma rusga porque ambos explodiam de cara... Sunny por conta do jeito esquentado e Joo-Hyuk devido ao fato de mirar muito bem nos gatilhos que desestabilizavam a amiga - embora outros fossem respeitados e sequer mencionados. E, além disso, Sunny cresceu numa casa majoritariamente masculina e, talvez, faltasse tato... para diversas circunstâncias, aliás.

Lançou um olhar triste quando Stella estava de costas...

Mais tarde, todos se reencontraram na entrada do clube e ali começou as despedidas meio desanimadas. O humor de todos parecia bastante afetado e não era para menos... Sunny se curvou de levinho diante de Sona e HaN, acenando logo em seguida. No fim, restaram apenas ela, Kim e Stella e a canadense disse que não se incomodava em levá-los embora, apesar da relutância de Sunny, pois a tiraria do próprio caminho. Se nenhum deles puxasse assunto, Sunny também ficaria em silêncio... Mas a mente não. Queria dizer muitas coisas aos dois, porém sentia-se travada - o que era algo raro. Entretanto, para explicar determinadas questões, ela precisaria trazer à tona sentimentos que não conseguia lidar. De toda a forma, passou mais da metade do percurso com a cabeça encostada no vidro e a bolsa apertada contra o corpo, feito uma segunda proteção.

Em vários instantes, quase falou... mas conteve-se.

Joo-Hyuk foi o primeiro a descer e Sunny o encarou de uma maneira abatida, que se suavizou graças ao pequeno - e cansado - sorriso no canto dos lábios - Até segunda-feira, Kim... Tenha um bom descanso.

A quietude pesou outra vez e aquilo enlouquecia Sunny, além de atiçar a ansiedade.

O carro logo estacionou próximo da residência Kim... E Sunny hesitou em sair. A mão foi, mas recuou enquanto ela se virava na direção da amiga.

- Eu... sinto muito. Sinto muito que vocês precisem aguentar as consequências das minhas atitudes. E poderia me alongar mais, mas... melhor não. Agora não. Sei que vivo adiando conversas, explicações... Só que é muito difícil. Quero te contar tudo porque é minha amiga e confio em você... Mais do que imagina e mesmo que não pareça - abaixou a cabeça de um modo humilde - Aprendi a guardar meus problemas e velhos hábitos são quase impossíveis de se livrar. Não... Não me responda nesse minuto... Pense direitinho, quando a sua raiva e frustração diminuírem. Existem aspectos que, infelizmente, não tenho como mudar. Então não posso prometer que vou me segurar ou ser uma pessoa menos encrenqueira... Não vou mentir. Mas, se me der mais uma chance, eu juro que serei uma amiga melhor, alguém que mereça a sua preocupação e carinho. M-Miane...

Voltou a encará-la.

- Responderei o que quiser e não guardarei mais o mundo inteiro por medo de prejudicá-los... E, também, irei te ouvir... E... - fez uma pausa, apertando a alça da bolsa... - Miane, Stella, miane-e.. K-Komawo pela carona...

Antes dela ter a chance de dizer alguma coisa, Sunny saiu apressada do carro.
Poooool Paaaarty  sunny

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
209

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Jae-ki em Sab Dez 01, 2018 1:53 pm


Mesmo depois do comentário da halmoni sobre comer rápido, Jae-ki continuou comendo desesperado, apenas parando para responder de boca cheia:


- Aigoo... Me deixa comer... Tô com fome...

Esses dois viviam se implicando mesmo, deu umas tossidas e a halmoni ajudou dando uns tapas nas suas costas. Em seguida, Jae-ki por ser prático, tratou de avisar logo sobre os hyeongs a avó e a irmã. Só não esperava pela reação dela.

Jae-ki fez uma careta chateado quando viu a halmoni comemorar desse jeito. Soo-ji estava confusa, mas antes que ele a pudesse responder, halmoni ficou agradecendo os ceús. Mas Jae ficou bolado, isso não era motivo pra comemorar, não estava nada feliz de perder seus amigos. E também não gostava quando a halmoni estava certa. Dessa vez, ela tinha ganhado sobre isso, e sobre Eun-bi também. Ainda lembrava como a avó tinha sido contra ele ter namoradas.


- Aishh... Não fique tão feliz... - Reclamou com um bico - Eu tô chateado, perder amigos não é legal...  E eles nos ajudaram, apesar de tudo... Não temos agiotas atrás da gente... Mas é isso, não tô mais com eles... Você venceu essa halma...

Olhou para a irmã, ela sempre o entendia. Halmoni tentava explicar a Soo-ji como amizades podiam ser de puro interesse. Pior era que ela estava totalmente certa. E ao menos, gostava dos amigos da escola.

- O hyeong Jong Suk... Ele é ainda meu chingu - Disse para Soo-ji - Tô chateado com ele, mas foi ele que me defendia na escola... Então com ele só tô dando um tempo, porque ele é amigo dos outros...  Depois te explico melhor.

Fez uma careta chateado e se jogou no sofá para esperar por Soo-ji. Tinha que viver sua dor sozinho, já que a halmoni ficava comemorando. Apostava que ela também iria ficar feliz se soubesse que tinha terminado com a namorada. Não tinha contado pra ela da Eun-bi, mas sabia que a velha era esperta suficiente pra descobrir sozinha. Apesar das diferenças dos dois e de reclamar, Jae-ki gostava muito da halmoni. Essas coisas eram naturais pra eles.

Jae se sentou pra observar o que o aboji faria. Era bem natural dele ir embora, no fim nada mudava mesmo, constatou. Sentiu um aperto quando ele falou que voltaria pra halmoni, porque não acreditava nisso e vê-lo dizer que ia, quando tantas vezes não voltou, o fazia ficar revoltado. Mas não reclamaria hoje, não queria uma cena na frente da irmã.

Balançou a cabeça quando ela perguntou se iam mesmo a pracinha:

- Claro que vamos, eu disse que ia.

Esperou a irmã se arrumar. Para si mesmo, só pegou um gorro e usou chinelos mesmo, não estava com a menor vontade de se arrumar melhor. Deu a mão para ela e antes de sair se despediu da halmoni:

- Voltamos logo.

Caminhando com a irmã, Jae-ki sorriu levemente e disse:

- Você está sempre bonita.

Também queria explicar melhor sobre o aboji, e sobre os hyeongs:

- Soo-jiya... A halmoni tava certa... - Disse a última frase com uma certa dificuldade - Eu descobri que os hyeongs não eram meus amigos de verdade, eles não se importavam de verdade comigo e eles mentiram pra mim.

Completou a explicação:

- O Jong Suk é meu chingu ainda, ele me pediu desculpas... Isso é uma coisa boa. Mas ele também me aborreceu, ele sabia e não me avisou sobre os outros hyeongs. E ele é ainda amigo deles, então...

Jae-ki parou e se abaixou na altura de Soo-ji para falar a parte mais séria:

- Soo-jiya - Olhou nos olhos dela para garantir que ela entenderia - Se você ver os hyeongs, e até o Jong-Suk-hyeong, não se aproxima deles, não fala com eles. E se eles vieram falar com você, foge, vai pra um lugar com muita gente, e se insistirem você grita que eu não deixo você falar com eles e pede ajuda para alguém em uma loja ou algo cheio assim. E se alguém falar que veio te buscar na escola sem ser eu ou a halmoni, não vai. Porque é mentira... Eles não vão fazer isso, mas lembra que eu disse que a gente tem que se prevenir? Então se isso acontecer, promete que vai fazer como eu te falei?  

Ele olhou sério pra a irmã, Soo-ji sempre foi muito obediente ao que falava, ela era esperta e confiava nele. Então dava mais uma vez seus alertas de oppa. Jae-ki não achava Jong Suk perigoso, mas como ele estava em contato com Jin Hoo, achava melhor se prevenir. Também não achava que a gangue seria capaz disso, mas antes achava que eram até amigos, então era bom prevenir. Soo-ji era o que ele tinha de mais importante na vida, então todo cuidado ainda era pouco, mesmo que ele achasse pequenas as chances disso acontecer.

- Agora eles são estranhos, e você lembra o que eu te falei sobre falar com estranhos, não é? A partir de hoje, nossos amigos são Won e o Kang. Um dia te apresento o Hyun-hyeong também.

Já sobre contar da Eun-bi, Jae-ki ainda achava muito cedo. Então dessa vez, pretendia falar só dos hyeongs e depois iria para o parque diverti-la o máximo que pudesse.

Casa

— Ross


Última edição por Jae-ki em Sab Dez 01, 2018 4:21 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
294

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Park Hyun Hee em Sab Dez 01, 2018 2:47 pm

 Hyun Hee esteve em uma fase tão boa e regrada que tinha se esquecido como era ter uma noite vazia, sonhar com um espaço amplo com sombras diversas. Tinha a sensação de ser perseguido por um rosto coberto por longos cabelos claros e sorriso angelical que se transformava em sarcástico. Isso se misturava com os convites fáceis de outras mulheres sem rosto.

Por fora parecia dormir bem, sedado. Dessa vez ele colaborou no hospital para ser cuidado, porque afinal queria era sentir um pouco de dor no processo.

Quando acordou, foi como se não tivesse dormido nada, só pescado, apesar de já ser noite. A diferença é que não sentia mais a raiva que tirava totalmente sua razão e o tirava da linha na qual ele era capaz de se controlar.  Agora sentia-se negativado emocionalmente, mas a pior parte, o descontrole, tinha passado.

Observou o quarto e quando avistou seu segurança, deu um suspiro profundo e sentou-se, mostrando receptividade para conversas. Não sentia vergonha dele, de mostrar seu lado mais fraco, porque ele já tinha visto coisas tão piores... Mas se estava a fim de contar o que aconteceu?

- Aniyo - foi breve e tombou a cabeça para trás. - Quando vou sair daqui?    - perguntou por mera curiosidade, porque não fazia diferença para ele.

Parou para pensar um pouco e lembrava que tinha saído chutando as coisas no caminho. Mas se isso causou outro problema ou se ele fez algo pior não conseguia se lembrar direito.

- … Alguma coisa aconteceu nesse meio tempo?  Como consequências… -  comentou em tom cansado meio rouco. Tinha passado da conta, mas não se lembrava o quanto. Se tivesse que reproduzir o que disse, também não saberia.

Só de pensar no que teria pela frente, no quanto teria que correr atrás de Chaeyoung para tentar explicar e também ouvir o que mais poderia estar em sua cabeça além da mensagem, já lhe dava cansaço. Não era algo que ele tinha condições de tentar agora. Agradecia por ser um fim de semana e não precisar mais encontrar os colegas de sala, porque sabia que explodiria por qualquer faísca.

No momento, estava aproveitando os efeitos de remédio. Era uma sensação agradável.

Humor: -----

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
192

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Seo Hyemin em Sab Dez 01, 2018 3:17 pm

- É verdade, ela não merece isso… Ela se esforça tanto para ser legal com todo mundo  - balançou a cabeça concordando. - Ela até mesmo chama a escola inteira. Ninguém faz isso hoje em dia…

Tentaram então transmitir solidariedade para a colega de turma. Seria um aniversário que ficaria na história da Wangjo com tantas fofocas. Ainda bem que tinha se livrado da maior parte delas. Para ela, ficava só a boa: os garotos a consideravam uma das meninas mais bonitas da escola! Tinha certeza (e estava errada) que Park Hyun Hee a tinha ajudado nisso - nesse momento olhou com pena para o menino sendo levado. Mesmo que no momento ela não pensasse nisso, porque outros fatos tinham roubado a cena, isso não tirava a importância do ranking para ela. Era um grande orgulho, já que se esforçava todos os dias para seguir religiosamente os dez passos de beleza, noite e dia, e era um passo importante para se sentir um pouco melhor em relação à garota mais importante da vida de Joo Hyuk.

O menino continuava um elemento esquisito na sua vida. Agora que as emoções fortes tinham passado, ela se perguntava por que ele tinha ido até ela na multidão e como a salvou sem perguntas ou deboches, tudo isso sem saber da verdade. Era estranho como ela queria apagá-lo de sua vida, mas de repente era conduzida a interagir com ele novamente e acabava aceitando o menor estímulo para fazê-lo. Era muito fraquinha para resistir a isso, ainda mais, agora que admitia que gostava dele. Sabia que isso não faria bem para ela, mas não conseguia se afastar das situações. Era algo a aprender. Especialmente porque no dia seguinte teria que encará-lo de novo, depois de tudo que tinha passado na festa por causa dele (e ele mal sabia).

Acabou distraída com a imagem de Misoo e o “diplomata” juntos. Fez um “o” com os lábios e começou a lembrar do dia da negociação. Será que era por causa DELA que queriam dicas também? Será que agora que estavam juntos ia perder seus trabalhos feitos? Esperava que eles não deixassem de fazê-los só porque ainda não tinham feito nenhuma pergunta para ela. Ela se propôs a pagar direito, eles que preferiram as perguntas. Não era problema dela se eles não tinham perguntado nada, era? Olhou um pouco aflita. Não sabia mesmo negociar. Era um mundo difícil aquele de seu appa.

- Até parece que o Jung Mi seria trocado por alguém, não é? Ele é um príncipe!  - defendeu o amigo, por mais que estivesse um pouco chateada com ele no início, agora já tinha esquecido, porque era trouxa assim mesmo. Então deu risada.

-  Aigooo. Você não pode, Bombom. A não ser que seja a Cinderella!!!! Você teria que transformá-la completamente, para ficar à sua altura, numa princesa Givenchy.  Mas você tem que prometer que as maquiagens mais exclusivas vão ser sempre só minhas!!! Você viu como fez o maior sucesso meus brilhinhos de sereia. Não quero perder no ranking para uma bolsista por causa das suas mãos mágicas de Fado Padrinho  - fez um biquinho para ele. Continuariam com os papos leves enquanto esperavam por suas caronas. Em nenhum momento ela soltou o braço de Yerin, aproveitando sua receptividade.


— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
228

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Yeun Misoo em Sab Dez 01, 2018 3:51 pm

 Misoo teve a disposição para dar uma risada do relato das meninas e a cara de assustada delas, porque é, ela quase apanhou, que coisa insana isso parecia agora.

- O quê? Sério? - fez uma expressão indignada quando Mia relatou que Hyun Hee também tinha apanhado. Fazia muito que tempo que nenhuma confusão entre meninos acontecia naquela escola. Pelo menos não às vistas dos outros. Eram sempre as garotas as mais dominantes.

- Não dá para confiar na palavras dela. A Bomi foi ingênua… Mas também teve razão quando disse que ela falaria por bem ou por mal. Teria subido no palco pra fazer isso a todo custo. Não foi algo que ela inventou na hora, isso estava claro.

Comentou o caso e lembrou da atitude de Woo Jin, juntando-se a ele e sendo mais carinhosa ali do que tinha sido com qualquer garoto que já tivesse conhecido. Só suas amigas recebiam esse tratamento.

Deu um sorriso envergonhado e fechou os olhos para receber o beijo na testa. Definitivamente não estava preocupada com os transeuntes. Aprendeu no relacionamento falso anterior que ela não lidava bem com encenações. Se gostava dele de verdade, o que é que tinha isso?

Olhou de Mia para o namorado, dando um sorriso.


-  Você está olhando para o primeiro e verdadeiro namorado da sua amiga!    - fez uma graça no jeito de falar.   -  Waaa. Que surpresa. Como assim, Susu-ya??? Depois eu conto direitinho, mas eu não sei se eu tenho muito pra falar...É só isso mesmo. Não? Foi meio de repente. Agora quero contar pra aniversariante e ver se animo um pouco esse dia lamentável!  

~~

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Data de nascimento :
21/12/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por The Crown RPG em Dom Dez 02, 2018 2:02 am




Conforme avisado pelo Discord, o Dong Hee Kyung responderá no próximo capítulo!
(C) Ross


FIM DO CAPÍTULO 8

_________________
The Crown RPG
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1318

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 8

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 13 de 13 Anterior  1, 2, 3 ... 11, 12, 13

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum