Fóruns Gráficos
Créditos
» Skin obtida de The Captain Knows Best criado por Neeve, códigos acrescentados por Weird e baseado no tema The Walking Dead Theme criado por Hardrock. Graças aos suportes e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foractivo.
» Versão Elysium adaptada por Nêmesis, Rossin e Persephone.
Narradores
Personagens Ativos
Últimos assuntos
» Capítulo 9
Hoje à(s) 12:27 am por Jae-ki

» @moonjaesun
Ontem à(s) 9:20 pm por Moon Jae-Eun

» We are Hope
Ontem à(s) 6:44 pm por Primula Rhododendron

» @ohmygyuri
Ontem à(s) 4:26 pm por Nam Gyuri

» @han.cherry
Ontem à(s) 3:34 pm por Han Somin

» 08 de Outubro - The BBG's Family
Ontem à(s) 3:14 pm por Tulipay Kay

» [PONTUAÇÕES]
Ontem à(s) 12:41 pm por Starry Night

» @taeyoon_gb
Seg Dez 17, 2018 10:43 pm por Tae Yoon

» - Capítulo 1 -
Seg Dez 17, 2018 10:40 pm por Lara Annete Darlington


Capítulo 2

Página 5 de 17 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 11 ... 17  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:32 pm

Yerin era uma mulher louca.Quando mais velha, teria talento em ser uma poderosa viúva negra. É sério que nem tinha piscado? Era sim muito impressionante. Sentiu uma imensa vontade de jogar a caixa nela só para testar como seria sua reação, mas fato é que ele não estava doente a esse ponto. Ele retrucaria, mas sua resposta foi muito boa e o fez baixar um pouco a bola.

Era verdade que ninguém se importava e lhe pegava no ego ser exposto assim no seu desejo infantil de chamar atenção. Apenas engoliu em seco. Cruzaria mais vezes o caminho daquela criaturinha. Um dia ele a veria reagindo e, sem perceber, era um desejo que tinha agora. Estava no gurpo de pessoas interessantes.

Após a situação resolvida, já esperava que Eunjoo o ignorasse, mas era complicado admitir que sentia sim falta de confortá-la em seus chiliques. Era um tanto paradoxal pois ao mesmo tempo que odiava histeria, tinha o instinto de ser aquele grande protetor, ainda que às vezes fosse apenas uma cena posada.

Virou o rosto para observar JongIn a tempo de vê-lo cobiçando Chaeyoung. Ela nem fazia ideia que estava na mira daquele cretino e tinha permitido que ele a tocasse. Seria um grande problema se ela só enxergasse nele, que era mais obviamente louco, um perigo, em vez de entender que aquele cara era realmente muito pior. Respirou fundo. Não queria dar brechas para que o amigo percebesse o quanto estava incomodado, pois sabia que esse era o tempero que ele mais gostava nos relacionamentos: dificuldade, problemas, proibição. Quanto mais errado parecesse, mais era divertido e, de certa forma, tinha aprendido um pouco com ele nesse sentido e vergonhosamente aplicado quando seus neurônios passaram a brigar.

Estalou a língua no céu da boca e botou um sorriso habitual de deboche na face. Sentia todas as indiretas, mesmo aquelas que nem foram verbalizadas e ele apenas criava mentalmente, mas sabia que era o mínimo a ser esperado ao conversar com aqueles caras. Não era o melhor dia para isso, de modo que queimava o orgulho por dentro com cada uma das frases, mas não abriria mão de sua pose, embora demorasse mais para falar. Riu sobre o nome das garotas. O tratamento entre eles era um pouco mais confortável agora.

- Tem razão. Sinto muito. Eu deveria ter convidado vocês para uma festa nos EUA.

Passou a mão no cabelo. Já estava mais do que na hora de pintar aquela droga desbotando. Lamentava-se de suas escolhas.

- As gringas adoram vermelho. Você ficaria surpreso. - disse simplesmente, mas estava mais do que decidido que abortaria aquela droga da cabeça.

Fingiu não ver Jung Mi, mas foi uma tarefa impossível, já que o amigo chamou sua atenção ao fato. Ele erugueu o rosto e o encarou por alguns segundos, triturando a resposta verdadeira. Não, não tinha falado ainda com o próprio irmão. Não, não tinha planos para fazer isso tão cedo. Não, não tinha certeza que o irmão não queria vê-lo morto e não, não queria falar sobre isso.

- É mesmo. Não tive a oportunidade. Sabe como é… meu irmão caçula está naquela fase de se achar independente. Acha que é vergonhoso ficar se escondendo atrás do hyung aqui.   - deu de ombros.

- Bem, mas agora eu estou oficialmente de volta. Não vão me preparar um comitê de recepção?  Podemos ir a algum lugar para lembrar os velhos tempos. Ou será que avancei tanto assim no tempo que todos eles não existem mais?

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:32 pm

Hyemin geralmente era  primeira defensora de Yerin em todos os casos. Se alguém viesse acusá-la naquele exato instante, ela seria a que falaria mais alto para defendê-la e mentir junto da amiga, dizendo que não tinha sido ela e isso tudo era um absurdo. Fez isso com a situação da comida, da festa de Eunjoo e faria de novo com a aranha se fosse preciso. Yerin representava muito mais do que uma amiga: era sua irmã mais velha, mãe, pai, tia, prima, professora e porto seguro. Seu amor pela menina era maior do que tudo, mas isso não impedia que ela às vezes ficasse chocada com as coisas que aconteciam lá dentro.

O primeiro sentimento era de não conhecer direito a amiga, pois ela sempre a surpreendia com suas armações mirabolantes. O segundo era um pouco de medo de que a lança da menina virasse para ela, mas esse era facilmente resolvido. Yerin jamais faria isso com ela, pois eram mais do que uma família uma da outra, acreditava. Depois, tinha a sensação ruim de ser enganada, de ser burra e não entender aquele plano de antemão. Logo, entendia que a amiga jamais poderia lhe contar um plano daqueles ou ela acabaria dando um jeito de estragá-lo, como fez sem querer com o ovo. Hyemin também não era boa em disfarçar reações e sob pressão acabaria chorando e revelando tudo. Entendendo isso, sabia que Yerin nunca tinha feito por mal e que tinha razões além de sua compreensão para fazer tudo que fazia.

Ainda assim, ela ficava um pouco abalada. Gostaria de ser mais útil para Yerin, mas não tinha aquele talento todo da manipulação, o que também a fazia sentir-se mal. Além de tudo isso, tinha acabado de sofrer uma tremenda punição de seu pai, que nem sonhava com as outras armações que aconteciam ali na escola. Nem imaginava o que o senhor Seo faria se descobrisse de tudo que acontecia lá dentro e ela tinha recentemente conseguido resolver seu problema com o pai, mas ainda estava sem cartões e celular.

A ameaça de ter que trabalhar na HGT era real e perder seus clubes era simplesmente algo que não queria. Por outro lado, poderia perder o noivo, o que era mil vezes pior, ou a amizade de Yerin. Com essa pressão de todos os lados, era difícil ter alguma opinião ou posicionamento. Por isso ela só desejava sempre ficar em paz, com o mínimo de confusão possível. Era contraditório, quando os bolsistas precisavam sair da escola. Mas eram só quatro. Depois disso, podia ficar tudo bem. E por mais que fosse egoísta, ela não queria sujar as mãos no caso daquela pessoas. Queria deixar tudo na mão das outras meninas, mas não queria que Yerin se ferisse de novo, fazendo algo e sendo pega. Sentia-se mal de tê-la feito sofrer por causa do incidente do primeiro dia de aula. Então era um sentimento esquisito de gratidão egoísta misturado com preocupação de amiga.

A verdade era que tinha medo de tudo que ainda estava por vir na escola. As coisas não pareciam se encaminhar para algo bom, agora que havia forças contra elas, e isso exigiria cada vez mais atitudes drásticas, que poderiam chegar aos ouvidos dos pais.

Foi provavelmente expondo todas aquelas preocupações em seu rosto que Yerin se motivou a expulsar as meninas da mesa, fazendo-a acordar. Olhou com um pouco de culpa para EunNa e Yewon. Estava sem jeito pela forma direta que Yerin as tratava por causa dela.

- Er… até depois, meninas.  - tentou contornar. - Vão pensando o que querem fazer no fim de semana… - sugeriu, com um sorriso apaziguador, mas era um pouco da boca pra fora.

Olhou a amiga, ainda mais sem graça quando ficaram a sós. Sabia que ela entendia tudo que se passava em sua mente. Não queria parecer uma ingrata ou magoá-la, mas não conseguia controlar aqueles pensamentos. Arregalou os olhos quando ela se desculpou. Não queria fazê-la ter que pedir desculpas! Olha só o tipo de coisa que estava causando.

- N-não! De forma nenhuma! Não peça desculpas, Rin, por favor! - botou as mãos na frente e sacudiu a cabeça. - Eu entendo. Eu juro. Quer dizer… eu não sei exatamente por que tinha que ser assim…. Mas eu sei que vocÊ sempre tem suas razões. Esse ano… tem ficado estranho… - vacilou, fazendo um biquinho e deixando-a terminar de falar.

Sentiu-se honrada por ser de confiança da amiga, mas tensa pelas verdades que ouvia, como se estivesse em um dorama de suspense.

-  A minha tia… eu falei com ela ontem. Ela disse que alguém tentou incriminar a gente. Ela tinha razão então… Ah, eu devia aprender um pouco mais com ela. Mas você acha mesmo que foi a sunbae?    - lamentou e juntou as sobrancelhas. Ela não conseguia pensar muito além, de que aquilo era um exemplo para toda a escola, mas depois da fala sobre a escola toda odiá-la e o medo deveria ser maior, ela associou logo com a situação da comida estragada e fez uma cara de surpresa.   -  Ah! Então… então foi que nem da outra vez, não é? Para… mostrar para os outros. Então mesmo que pegue alguém que não fez nada… quem fez vai ficar com medo e pode até se entregar. Nooossa. - cobriu a boca. - Rin-ah , você é incrível….Nossa…

Parou um minuto para pensar a respeito. Tudo bem, era cruel com a pobre Im Yuha, mas se tivesse sido qualquer uma das meninas ali, elas teriam recebido o recado.

- Desculpa, Yerin… eu estou sempre te dando problemas… Agora eu fui injusta com você porque não consegui entender direito e antes… Por minha causa, você quis dar um jeito naquelas bolsistas e aí…. - fez um bico de choro. - Tudo deu errado… Você não acha que é melhor… - não quis falar em desistir especificamente, mas era isso que queria dizer. - Quer dizer… Sabe, tantas pessoas estão olhando o que a gente faz, que eu fico com medo que nossos pais fiquem sabendo de novo das coisas… e… não quero ter que fazer isso de novo. Appa vai me botar pra trabalhar, acabar com meus clubes e… mandar eu fazer coisas que eu não quero. Eu sei que eu te pedi uma coisa, mas…  eu acho que posso sobreviver. Eu peço perdão ao meu querido Miwoo e.... Tento compensar com alguma coisa para ver se ele volta a gostar de mim. Então…  agora que você já mostrou pras meninas mais velhas, a gente pode só… não sei. Parar?   - abaixou o rosto. - Eu fiquei com medo da outra vez também, desculpe não confiar em você, mas não é bem isso... é que… não quero que peguem a gente. Você viu aquele idiota do Wang Myung-Hee? Ele é um traidor!  Se continuar assim, vão fazer de tudo para expulsar você da escola. Conseguiram suspender o Taemin, não quero que isso aconteça com você. Eu não aguentaria ficar aqui sozinha...  


avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:33 pm

Sunny não era o tipo de menina que mentia para agradar as pessoas, embora nos últimos dias, tenha cometido atitudes que pesavam em sua consciência. Ocultar a situação sobre o uniforme, não contar a verdade quando o irmão mais velho cobrou respostas aparentemente simples... Sentia-se péssima, mas só ela sabia da razão que justificava as escolhas. E tudo se resolveu sem maiores efeitos colaterais, né? A partir de agora, apenas tinha que tomar mais cuidado e evitar se meter no caminho das pessoas erradas – como falou para Jae-Ki. No entanto, semelhante ao menino, Sun-Hee possuía um pavio curtíssimo, apesar de ser incontáveis vezes menos agressiva do que ele, porém fugia de qualquer passividade. Mesmo que a vida insistisse em colocá-la no papel de vítima ou mocinha indefesa, ela se via no direito de não aceitar. Não mais.

Suas palavras para Jae-Ki não foram com a intenção de deixá-lo desconfortável ou passar sermão. Desejava realmente o ajudar a controlar possíveis reações explosivas e abrir os olhos dele perante o que se desenrolaria durante um ano inteiro.

Conhecer Jae-Ki melhorou a manhã de Sunny, mas ela ainda continuava sentindo o aperto no coração... Aquela dorzinha chata, irritante e aguda.

Era uma boa observadora, se bem que ultimamente muitas coisas veem passando despercebidas. Os olhos visualizavam as claras reações do rapaz, e estas misturavam-se em várias linhas de desenvolvimento. Não se arrependia do que falou. E, talvez, mais para frente... Ele entendesse, de verdade, o que Sunny quis dizer.

Porém, a tarefa de ficar zangado com a bolsista se revelava algo extremamente difícil, como Jae pôde notar de cara.

Jung Mi era o único dono de tamanha façanha.

Percebeu que a última frase o deixou surpreso e a carinha de Jae a fez sorrir de um jeitinho fofo.

Porque ele não tinha a menor ideia.

Os dois trocavam os números frente ao olhar atento de Kang e Kim, que parecia mais relaxado quando entendeu o que ocorria ali. Até se comportou de modo menos retraído e sério.

O sorriso aumentava por conta da resposta positiva de Jae e enquanto guardava o telefone no bolso dianteiro da mochila, não desviava a atenção. Mesmo negando a proteção dele, o gesto atencioso a emocionou. Aquele colégio, logo no início, lhe trouxe muita tristeza e dores de cabeça, mas também conheceu diversas pessoas incríveis, e já podia enquadrar Jae-Ki na lista. Era cedo para palpitar acerca da personalidade do garoto, todavia... olhando-o assim, tão prestativo e preocupado em retribuir algo que foi motivado por um sentimento de carinho, e sinceramente constrangido por causa de... gentileza... Sunny compreendeu o porquê do pai tomá-lo como uma espécie de protegido.

- Também não esquecerei, Jae-Ki... Eu juro.

E não esqueceria mesmo.

- Defenderemos um ao outro, então, okay? – piscou para Jae, rindo em seguida – Acho mais justo e não estou fazendo porque você veio até mim... Mas porque quero te proteger assim como faço com o Kim, Lee-Hi e meus novos amigos... Apenas de saber que não estamos sozinhos, já é uma grande vantagem.

Sobre a menção da irmãzinha menor, Sunny sorriu, animada.

- Leve-a lá no Café onde trabalho qualquer dia! Tenho certeza que ela vai gostar muito dos doces! E siiiim! Vou tomar a mesma liberdade e considerá-lo meu quarto irmão!!! – respondeu automaticamente e fitou Kim quando ele começou a participar da conversa outra vez. Completava o que Sunny expunha. Pelo olhar que recebeu da amiga, Kim enxergaria o discreto “obrigada” – Juntos – enfatizou.

O amigo de Jae-Ki também oferecia ajuda e Sunny riu para ele devido as pausadas pontuações das principais características de cada um do trio – Força, Loucura e Lábia... Vocês se completam, senhores – Sunny colocou as mãos na cintura e inclinou o queixo – Que esse pessoal nem tente mais se meter com a gente!!!  Aliás... Jae-Ki-Boy? – encarou Jae, achando graça do apelido, mas logo voltou-se para Kang – Obrigada e conte comigo também, por favor!

Quando a fome apertou, Jae-Ki se apressou nas despedidas, mas repetiu as palavras de antes, reforçando-as e de resposta, ganhou um rápido e firme gesto de Sunny, que balançou a cabeça e esticou o braço, apontando o polegar para cima. Após isso, Jae e Kang seguiam mais adiante enquanto Sun-Hee e Kim caminhavam um pouco devagar em relação à dupla. Sunny tinha a feição mais alegre e ainda refletia sobre o que escutou do bolsista.

No corredor, havia uma pequena aglomeração de alunos - incluindo os recentes amigos - e, tardiamente, percebeu que a menina de muletas apontava na direção de alguém. Curiosa, acompanhou com os olhos, surpreendendo-se ao identificar a pessoa em questão. Era JaeKi o alvo e EunB não parecia muito feliz. Na verdade, estava bastante chateada. Sunny encarou Kim e depois voltou a prestar atenção no desfecho conforme aproximava-se mais do enorme grupo. Nisso, Kang corria até Won, oferecendo o outro bolinho. E, num estalo, se lembrou dele. Não foi o menino que procurou Kim? Ué? Gesso?

Novamente mentalizou o quanto era fofinho o jeito que Kang tratava os companheiros. Ficava feliz por Jae-Ki ter feito boas amizades, afinal.

Olhou para Kim diante da pergunta, chegando a arregalar os olhos.

Esqueceu das amigas!!!

- Ela ia encontrar as meninas no refeitório. Devem estar nos esperando lá. Ahhh, vamos falar com o Dong! Talvez ele a viu passando por aqui, até porque, saiu antes de todo mundo.

Nessa altura, o trio já estava reunido e conversavam entre si, apesar de Jae-Ki ter chamado a atenção ao dizer que não conhecia a garota que não queria falar com ele e... o bug mental deu um nó no cérebro de Sunny, que apenas coçou a nuca ao concluir o climão instalado no meio do corredor. E para piorar, algo que lhe fugiu da percepção aconteceu repentinamente, pois Eun Bi mudava o trajeto e voltava até Jae-Ki, segurando-o pelo uniforme. Pelo que pescou da conversa, o garoto brigou e, na confusão, levou a pior. Sunny pressionou os dedos nas têmporas e balançou a cabeça de modo negativo enquanto Eun Bi o arrastava para um lugar menos tumultuado.

referia-se justamente a tal tipo de comportamento... Não só pelo risco de ser expulso, mas de arranjar um machucado mais grave do que o olho roxo.

Reiniciava a caminhada até o grupo, e se as amigas de Eub Bi, Won e Kang ainda estivessem no mesmo lugar, os cumprimentaria com um sorriso educado, estendo-o à Dong, Ui-Jin, HaN e Min-Ho.

- Hey... Nossa. O que houve? O Jae-Ki disse que uma garota caiu. Está tudo bem? E a Eun? Vocês a viram? Ela foi na frente... – perguntava ao mesmo tempo em que catava o celular para mandar uma mensagem e confirmar se ela, Lee Hi e Chae estavam no refeitório.
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:34 pm

Dong concordou com a alegação de que aquilo parecia um curral e ajuda Stella quando ela resolve finalmente se levantar após todo aquele momento constrangedor. Achava que a menina iria acabar chorando, mas ela era mesmo forte, outras garotas coreanas não segurariam assim.

Por sorte não precisou erguer o corpo dela do chão como um daqueles príncipes de novela, até por que se o fizesse não conseguiria mesmo!! Ele quase nem percebeu a cotovelada de Ha Neul vir, chegar curvou o tronco de leve... a expressão dela ficou mais judiada ao escutar aquela palavra.

Kyung não mostrou qualquer remorso em dizer aquilo, tendo plena convicção de que esta era uma qualidade, e que as pessoas que estão no "curral" é que são as erradas em menosprezarem.

Ela é bela, alta e maravilhosa, talentosa. Won pareceu compreender isso pela forma como falou. - Claro que aguenta, você não esta sozinha.

Retrucou a forma ironica como foi dito... olhou para o joelho dela que deveria estar avermelhado a essa altura.

Será que ela procuraria gelo? O geek não foi atrás dela, respeitando seu espaço e privacidades, já muito violados no dia de hoje.

- Uma hora ela vai ter que aprender que isso é uma qualidade e não um defeito. Se ninguém vai dizer digo eu. - Falou rápido com uma expressão mais séria para HaN.

Ele compreendia que talvez não fosse a forma mais sensível de se dizer mas este era o jeito dele. Eun-Bi e Bo-Mi aparecem para dar rico material para as ideias do virginiano, já sabia que muitos estudantes eram inconsequentes mas esse nível estava além, isso que era apenas o começo.

- Não podemos, permitir que a qualidade da nossa escola caia por causa dessa gente sem ética... - Ficou interessado naquela historia de flor negra que ele não entendeu de pronto do que se tratava - Flor negra? Em breve esse pessoal que esta implicando com os bolsistas e outros alunos, vão ver uma coisa.

Depois Bo-Mi falou sobre o que fizeram a MiSoo.... uma nova menina chega, parecia ser da turma de HaN. Dong se lembra vagamente sobre algo ocorrendo na sala de aula também.

Parece que tinha material para abrir um blog sobre as coisas que os alunos retratam. Poderia fazer hoje mesmo se quisesse, era só reunir as pessoas em questão.

Além desse projeto pessoal, que pode vir a ser bem perigoso... Kyung também deveria pensar em como se retratar com Stella; levou a mão até a nuca coçando os cabelos escuros enquanto pensava isso.

Num piscar de olhos, antes de poder ajeitar os óculos no rosto, foi tragado numa torrente de apresentações, pessoas que Dong só ouviu falar ou visto de longe. Parece que Won-Bin era um rapaz bem popular e pela sua postura e aparência não seria algo a se de estranhar.
Ele abriu um sorriso amistoso, enquanto Ha Neul lhe apresentou, sendo cortês na maior parte do tempo, porém não tão falante. - Yewon derrubou a Stella com o pé. - Respondeu a Sunny assim que ela perguntou, pelo menos sobre uma menina caída. O sorriso amistoso havia sido trocado pela feição mais fechada agora. - Achei que ela estava com você Sunny-shi. Naquele momento Kyung não iria mais se ater as conversas, se despediu com um aceno breve e educado, virando-se agora para o refeitório.

- Estou indo para lá agora! Na verdade, seria ótimo se pudêssemos nos esbarrar em alguma mesa, perdoem a pressa! - Se adiantou e saiu antes dos outros. Ele respondeu Won Bin.

Iria arriscar a sorte, rumando para comprar uma bebida para Stella, quem sabe acertando o gosto da menina, ela pudesse se sentir um pouco melhor.

Isso se ela já não estivesse lá comendo, claro.
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:35 pm

Como imaginava Stella já estava chateada demais para que a tentativa de Won em amenizar o comentário funcionasse.
Ela saia mesmo assim...

"Eu também não consegui ajudar aqui"


Dong escreveu:- Uma hora ela vai ter que aprender que isso é uma qualidade e não um defeito. Se ninguém vai dizer digo eu. -


"Uma abordagem mais suave talvez fosse melhor..."
julgava mesmo sem conhecer Dong.
Apenas coçou a nuca com uma expressão pensativa.

Dong escreveu:- Flor negra? Em breve esse pessoal que esta implicando com os bolsistas e outros alunos, vão ver uma coisa.

Aquilo chamou muito a atenção de Won. Um aliado na luta contra o mal em Wangjo...


-Está planejando algo?
- perguntou e colocou a mão sobre o queixo. Não falaria sobre seu próprio plano, seu painel mental, mas queria saber se era só um blefe, um desejo do colega, ou ele também queria agir contra as coisas ruins que viam.

A roda ficou ainda maior com a chegada dos outros quatro. Na verdade o grupo parecia grande agora. Cumprimentou Sunny e Kim educadamente.
Dong explicara para Sunny o que havia acontecido.


"Desde quando eu falo com tanta gente assim!?"
pensou um tanto impressionado com a mudança de cenário. Aliás já tinha se apresentado e apresentado seus amigos a estranhos.

"Onde está o Won original? Me trocaram por um clone no hospital?" disfarçou sua compreensão mental da situação, mas estava na verdade gostando dessas "novidades".

Kang olhava um tanto embasbacado para Mia, a garota alta amiga de Bo-Mi e Misoo. Aliás ele mesmo não tinha tomado muita ciência da presença dela até então.
E então Kang, perdido como sempre, põe a língua entre os dentes e consegue em uma frase explodir uma bomba nuclear.

Ouvir "Tae...min..." foi como ver um fósforo sendo aceso numa sala cheia de gasolina em câmera lenta. Won nem teve tempo de reagir, piscar, falar, nada. Apenas ver aquilo pegar fogo de vez agora.

"Nota mental: nunca mais contar nada ao Kang"

Vendo que Eun-bi se aproximava e praticamente arrastava Jae-ki para "conversar", Won se aproxima de Kang e coloca a mão boa sobre o ombro do amigo. Não fazia força, apenas uma pressão "amigável".

-Kang...Eu espero que você esteja com as pernas boas hoje...Jae vai te caçar até o Japão. E se eu sobreviver quando ele me alcançar antes, vou ajudar a te dar um cascudo - disse mantendo uma expressão de sorriso congelado.


Viu a encarada rápida de Jae-ki para ele.
"Desculpa amigo, o pior tipo de acidente" sentia-se culpado, deveria ter aguentado esperar para contar pro Kang com ele junto.

Soltou Kang e respirou fundo. Aquela discussão iria longe, perderiam mais um intervalo com certeza...

Dong escreveu:- Estou indo para lá agora! Na verdade, seria ótimo se pudêssemos nos esbarrar em alguma mesa, perdoem a pressa! -


-Até mais Dong, sem problemas
- torcia para que ele fosse atrás de Stella.

Apenas observava de longe, torcendo para que Jae-ki e Eun-bi resolvessem suas questões. Ou pelo menos conseguissem terminar uma discussão sem gritaria.
Não custa nada sonhar. Esperaria o amigo de qualquer maneira.

Enquanto isso, sem fome, Won pega o bolinho e o levanta para cima com a mão e pega de volta, como se fosse uma bola de baseball.

"Se nada der certo eu dou o bolinho pra ele pra ter cinco minutos de vantagem"

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:36 pm

[CORREDOR - PARTE 1]
(Won, Sunny e Dong)

Pouco a pouco o grupo estava aumentando. Apesar da saída de Stella e de Han So-Na - que só estava ali acompanhando a situação - o grupo logo ganhou a presença de Sun-Hee, Kim, Jae-Ki e Kang. Depois de ouvir as apresentações, Eun-Bi tinha começado a sair, mas logo mudou de ideia ao ouvir que Taemin foi o responsável pelo olho roxo de Jae-Ki.

Muita coisa acontecia ao mesmo tempo e nem todos eram capazes de compreender. Apenas os envolvidos com a história de Jae-Ki e Eun-Bi conseguiam assimilar com mais lucidez tudo o que acontecia ali. Para Dong, Sunny e os amigos, era só uma grande bagunça difícil de acompanhar.

Pelo menos Dong tinha conseguido informações importantes para o seu plano - que ainda não tinha sido revelado para ninguém. Tudo começou como uma ideia despretensiosa, de uma pessoa que era respeitada por ser um herdeiro - um dos 5 mais ricos, pelo menos - mas que, ao mesmo tempo, nunca tinha se envolvido antes. E ele não era o único a ser passivo diante das coisas que aconteciam. O próprio Jung-Mi e o grupo de MiSoo não se envolvia antes desse ano.

Curioso como foi necessária a mudança do diretor para que a hierarquia e o pensamento fechado de WangJo começasse a mudar. E era algo que se expandia aos seus alunos. Pois os que antes eram inconformados, mas nada faziam, começavam a agir e pensar por si só. As antigas alianças estavam comprometidas e outras bem mais heterogêneas e inesperadas surgiam. Dong ainda não tinha revelado seu plano e nem podia imaginar que estava diante de um garoto com uma veia investigativa - e imaginação fértil graças aos filmes policiais, de ação e de super-herois. Apesar de ser consideravelmente mais forte e não ter nenhuma característica geek na cara, Won-Bin tinha mais semelhanças do que diferenças com Dong.

Quando à pergunta da flor negra, Bo-Mi respondeu.

- É, uma Petúnia Black Velvet. É a flor que a Eun-Na usa para marcar as vítimas delas.

Sunny também ficaria à parte do que tinha acontecido com Stella. Kim se mostrou surpreso e logo franziu as sobrancelhas irritado.

Yewon era uma das amigas de Hyemin, não é? Talvez ele não tivesse sido claro o suficiente naquela manhã ou talvez a mente de Hyemin fosse mais cruel do que ele imaginava. Nem fazia ideia que a garota nada tinha a ver com aquela atitude da menina. Mas para alguém que já tinha os dois pés atrás e muitas mágoas sobre a pessoa em questão, foi bem fácil levar a culpa para os ombros de Hyemin também.

Estava tão imerso em sua própria irritação que nem percebeu ou prestou muita atenção na cena de Jae-Ki e Eun-Bi.

O enorme grupo começava a se dividir de novo.

De um lado havia Dong e Sunny, preocupados com Stella e do outro Won e as amigas de Eun-Bi atentas ao que acontecia no corredor. HaN mantinha a atenção em tudo, adorava uma fofoca e fazia tempo que não via tanta coisa acontecendo assim, ao mesmo tempo. Ainda achava mulheres muito complicadas, mas era o tempero fundamental para a vida. Ui-Jin estava com seus bolinhos, já comendo um na falta do que dizer - se já não conseguia falar direito na presença das meninas que conhecia, quem dirá agora com tantas meninas bonitas e populares!

Melhor comer o bolinho. Min-Ho também estava quieto.

Porém, bastou Dong avisar que desceria para que sua tropa o seguisse. HaN olhou na direção de Kim e Sunny e falou.

- Vocês não vem?

- Hm? Ah, já vamos… - Kim respondeu pelos dois.


 

Foi mais uma resposta automática porque ele falava mais por si. Não sabia se queria encontrar com Hyemin agora - e ela estava lá embaixo, não é? Aqui em cima parecia mais seguro, por hora. Sunny podia perceber que o amigo estava um pouco mais tenso, quase como se tivesse se decepcionado.

A decepção era consigo mesmo.

Não tinha pensado muito no que aconteceu assim que chegou, mas...droga. Parte de si ainda era aquele menino do passado e era difícil perceber que certas feridas ainda não tinham cicatrizado de verdade. Nunca devia ter aceitado aquela “oportunidade” que mais tinha um tom de condição de ameaça. Sua mãe tinha ido longe demais para perder tudo agora. E ele não queria ser o responsável por isso. Nunca!

Retirou o óculos, limpando na ponta da gravata enquanto suspirava. Kim não enxergava um palmo na frente de si, sem os óculos, por isso os olhos que já eram fechados, ficavam mais fechados ainda.

Ao colocar de novo nos olhos, encarou Sunny.

- Temos que ir, né? Vamos…

Won, Kang, Bo-Mi e Mia continuaram no corredor depois que Sunny e Kim se afastaram também. Aliás, todos responderam de modo amistoso ou amigável ao cumprimento discreto de Sunny.

Dong e os amigos foram os primeiros a descerem. So-Na tinha acabado de sair do banheiro e descia os degraus tranquilamente. Olhou por um instante para Dong, mas nada disse. Stella estava saindo com ela quando viu Dong virando o corredor e se escondeu de novo, esperando ele ir. So-Na, por outro lado, não tinha nada a esconder e não gostava desse joguinho. Ela desceu. Stella ficou escondida por mais um tempo.

Enquanto eles desciam, Jae-Ki e Eun-Bi brigavam - Dong ouviria a primeira parte das respostas dele, caso os ouvidos estivessem atentos.

Já Sunny, passaria já durante a segunda rodada e, diferente de Dong, veria Stella meio encostada nos armários que tinham ali - onde no dia anterior, Hyun-Hee tinha empurrado a menina que brigara com Chaeyoung. Kim olhou para o lado e tocou em Sunny, indicando Stella.

- Acho que não vai precisar. Eun-Seok?

A menina estava se sentindo numa sinuca de bico - não queria ficar no banheiro sozinha, mas também não sabia exatamente para onde ir. Fora que se sentia desconfortável ouvindo a briga dos dois ali. Ver Kim e Sunny surgirem foi um alivio. Ela respirou de verdade, pela primeira vez e começou a se aproximar dos dois.

O rosto estava um pouco vermelho, indicando que ela tinha chorado bastante. Fez um biquinho e tentou forçar um sorriso, mas seu joelho doía um pouco - as meias cobriam o roxo, felizmente.

- Oi, gente...As meninas já estão lá embaixo, guardando lugar pra gente. - Disse com a voz um pouco rouca, mas mantendo a postura o mais firme e positiva possível.

- A gente...soube. Você está bem, Eun-Seok-shi?

- Ye… - Stella engoliu em seco e olhou os dois. - Vamos? Agora estou melhor sim.




Kim esperaria pela reação de Sunny antes de descerem.

[JAE-KI]

Sem se importar com as possíveis atenções que atraía, Eun-Bi simplesmente puxou Jae-Ki pelo blazer do uniforme e foi meio mancando, meio pulando até a curva do corredor, que dava para as escadas. Lá, ela jogou o garoto contra a parede e se equilibrou como pôde antes de começar sua série de perguntas cheias de irritação.

- A doida aqui não sou eu!!

Respondeu diante das perguntas dele e trincou os dentes quando ele a segurou pelo pulso. Um palmo de bico foi formado e ela o encarou com mais raiva a cada segundo que passava. Não achava que ele fosse empurrá-la, longe disso, mas o movimento foi o suficiente para pará-la.

A resposta de Jae-Ki não foi algo agradável de ouvir. O queixo dela tremeu um pouco - mais de raiva do que de choro - porque ele tinha interpretado tudo errado. Sabia que sua ação podia ter sido duvidosa sim, mas Jae-Ki acabava interpretando muito mais.

- Claro que não estou preocupada com ele! Você, por acaso, está me vendo ligando para ele depois de ver que faltou?! - Tinha reparado nisso, pelo menos. Eles não sabiam da suspensão ainda, pois estavam na enfermaria quando o diretor foi na sala.




Franziu as sobrancelhas e se calou quando ele deixou escapar que se importava com ela. Abaixou um pouco o olhar, mas a voz dele a atraiu de novo e ela respirou fundo, mesmo que isso não a acalmasse de modo algum.

- É claro que ele ia trapacear! Você é muito burro!! - Mexeu os punhos. Olha quem falava, né? Mas ela queria dizer que Jae-Ki era burro para questões sociais e tramoias, não para conteúdo de matérias. - Você age sem pensar, você colocou tudo a perder por conta disso! Acha mesmo que ele vai parar agora?! Quando eu disse que não fui empurrada, não foi para defender o Taemin! Foi para te proteger, seu byung-shin!! E qual é a primeira coisa que você faz?!?! DOLDA! Ttorayi!




Eun-Bi também tinha um bom repertório para xingamentos, ainda que não fossem tão graves ou ofensivos quanto os de Jae-Ki. O rosto vermelho não ficava mais claro e os olhos estavam mais marejados agora - o nariz mais vermelho também.

- Não estou satisfeita, muito menos feliz! E solta você, porque é você quem tá me segurando!!


 

Caso a adrenalina baixasse um pouco, Jae-Ki perceberia que estava esse tempo todo segurando os pulso dela  - Eun-Bi tinha conseguido se mexer e até tentar socá-lo de novo, mas os braços estavam presos por ele. O pé machucado estava um pouco dobrado e ela mantinha o equilíbrio com a perna boa.

A muleta já estava pelo chão e a outra com Bo-Mi. Por falar em Bo-Mi, o grupo ainda estava por ali ouvindo tudo, mas virou-se, tentando disfarçar, quando Eun-Bi a encarou.

Quando Eun-Bi se deu conta disso, ela mesma foi puxando os braços para baixo porque não queria continuar com aquilo. Quase se desequilibrou, mas só precisou se sacudir um pouco para recuperar o equilíbrio. Olhou para a muleta no chão e indicou.

- Pega, por favor? - Cruzou os braços, esperando para ver se ele a “obedeceria”.

[CORREDOR - PARTE 2]
(Won)

Won-Bin estava diante da inédita situação de ficar cercado de pessoas. A mudança de ares tinha sido bastante positiva, apesar de conturbada. Na escola antiga, ele não teria tanto espaço ou mesmo coragem de conhecer pessoas novas ou de manter uma conversa por mais tempo.

Infelizmente - ou não - a resposta de Kang para Jae tinha começado a afastar o grupo. Cada um tinha os próprios planos para aquele intervalo e, visto que a conversa tinha chegado ao fim, cada um tomava seu próprio caminho.

Ou pelo menos alguns, pois Kang, Mia e Bo-Mi continuavam por ali.

Kang o encarou meio tenso ao ouvir o comentário e fez uma carinha inocente.

- Poxa, mas foi sem querer, Won-Bin. Eu nem tenho mais bolinho para oferecer… - Fez um beicinho.


 

- Acho que não adianta muito, ela ia descobrir, cedo ou tarde. - Bo-Mi comentou, encarando os meninos.

Mia estava na ponta e Bo-Mi mais ao centro, assim como Won-Bin - Kang tinha ido para a outra ponta, por ter ficado envergonhado na presença da menina alta que estava ali.

- Viu só? Sou inocente…


 

- Não disse isso. - Bo-Mi retrucou - Só disse que cedo ou tarde ela saberia…- Até porque, as amigas dela já sabiam e em algum momento contariam, né? Bo-Mi ficou com as muletas e tomou um pouco a frente para ouvir.


 

Era bastante curiosa, como eles podiam perceber. Mia tinha ficado um pouco mais para trás, porque era contida e não ia nas ideias loucas de Bo-Mi, como MiSoo geralmente ia. O grupo ouviria a conversa deles - pelo menos Bo-Mi sim. Kang ainda estava se culpando por toda a situação. Ficou encostado na parede e fora da visão de alcance de Jae-Ki ou Eun-Bi - na verdade, ainda se escondia atrás de Won.

Quando Eun-Bi parou de xingar Jae-Ki e olhou na direção de Bo-Mi, ela se virou na mesma hora e bateu o braço no gesso de Won-Bin.

- Aish! - Deu uma esfregadinha de leve no braço e o encarou meio corada por ter sido pega, mesmo que de banda pela amiga. - Então…- Mordeu o lábio internamente. - Como fica o domingo?


 

Lembrou-se, de repente e deixou os ombros caírem um pouco. Será que conseguiriam sair depois de toda aquela confusão e ainda um braço machucado?

- Domingo? - Mia não entendeu.

- É, ainda estamos organizando porque íamos ao parque, né? Piquenique e patins, algo assim… - Disse meio incerta, mas animada e sorriu, olhando para Won.


 

- É verdade, nós vamos, Won? - Kang o olhou.

Bo-Mi o encarava de frente, fazendo um biquinho, mas antes que ele conseguisse dar uma resposta definitiva, Eun-Bi já dizia - com ou sem muletas, se Jae-Ki não pegasse para ela.

- Vamos, Mia e Bo-Mi! O Ryu não está te esperando?

Bo-Mi arregalou os olhos na mesma hora, ficando um pouco mais pálida do que o normal. Eun-Bi tinha sido bem indiscreta, mas talvez fosse uma resposta por ela ter ouvido a conversa dos dois. Os batimentos de Bo-Mi ficaram mais acelerados e ela olhou de banda para a amiga.

- Ryu-shi? Quantas novidades, hm? - Mia emendou. - Queria ser da turma de vocês.

- Não é nada disso!! - Bo-Mi ficou vermelha e coçou a cabeça com as duas mãos. - Aiiishhh! Vocês são implicantes demais!


 

Ficou toda nervosinha e virou-se de costas, empurrando as muletas para Eun-Bi e se apressando em descer as escadas. Mia não entendeu nada e foi logo atrás dela. Eun-Bi seguiria para o elevador para descer sozinha. Kang não fazia movimentos bruscos, ainda escondido atrás de Won, mas sussurrou.

- Quem é Ryu mesmo?

[REFEITÓRIO]
(Hyemin, Dong e Sunny)

[HYEMIN]


Após expor seu ponto de vista e se desculpar com a amiga, Yerin a encarou, esperando por suas reações. Sabia que Min-Ah era mais sensível, que tinha princípio e escrúpulos, ainda que fosse uma herdeira bem patricinha. No fundo, ela tinha aquela carga de empatia e, provavelmente, não estava preparada para ser alvo de alguns olhares diferentes.

Yerin suspirou, deixando que a amiga chegasse às próprias conclusões, mas finalmente disse.

- Sim, está sendo mais difícil. A chegada desses bolsistas mexeu com a estrutura, sabe? Os líderes de antes precisam se impor de novo, mas junto com novas pessoas, também vem novas posturas e ideias. Algumas bolsistas já estão com medo, mas outras… - Piscou lentamente e Hyemin saberia exatamente sobre quem ela estava falando. - Precisam ser doutrinadas ainda.


 

Resumiu e cruzou os braços. A história da tarântula tinha sido diferente. Não foi um ataque a nenhuma bolsista, foi uma espécie de recado para as possíveis traidoras.

- Foi para dar o exemplo, Min-Ah. Ainda não sei quem fez isso, mas eu vou descobrir. E quando descobrir...Uma tarântula será pouco.

Hyemin sabia que a amiga não suportava traições nem segredos. Por isso mesmo ela era implacável nas lições que geralmente dava. Havia certo motivo para que Hyemin temesse que, um dia, ela estivesse na mira de Yerin. Afinal, ela mesma carregava segredos que a amiga nem imaginava.

O discurso final de Hyemin chamou bastante atenção de Yerin. Desistir? Parar? Eram palavras que não existiam no vocabulário de Yerin. Chegou a cerrar um pouco os olhos e puxou o ar com força enquanto tentava encontrar as melhores palavras para responder à amiga sem magoá-la. Umedeceu os lábios e disse.

- Sei que é uma situação nova para você. Fomos rainhas e referência por tanto tempo que agora é estranho sentir os olhares ruins. Mas Min-Ah...Você, melhor do que ninguém, sabe como nosso mundo funciona. Basta um rumor para destruir ou elevar a fama de alguém. Não vou desistir de expulsar essa gente.

Foi pontual. Não havia negociações quanto a isso.

- E não estou fazendo isso pelo seu amado MiWoo, até porque, desculpa a sinceridade, mas sua sogra não quer sujar as mãos, por isso plantou essa ideia em você. - Hyemin sabia que Yerin não gostava muito de MiWoo, nem dos Wang em geral. Mas MiWoo, principalmente, por conta do que saía nos sites de fofoca e ela achava que magoava a amiga. - A sorte é que eu realmente estou empenhada nisso e é algo importante pra você, no fim das contas. Mas uma guerra não se vence em três dias.

Pegou outro pepero e mordeu a ponta. O sabor do cookie parecia inspirá-la a continuar respondendo.

- E também sabia que perderíamos algumas batalhas. Eles foram pegos de surpresa e nós também, porque descobri que eles têm suporte. Mas veja bem, agora eu conheço quem está do lado deles e posso me planejar melhor. Sem compartilhar, é claro, com quem não confio. No caso, já descartei quase que o colégio inteiro, menos você, ficou muito mais fácil pensar, usando as armas que tenho sozinha. - Esboçou um micro sorriso. - Eis aqui o que vamos fazer...Vamos recuar, por hora. E, pouco a pouco, sem parecer que estamos fazendo algo sério, vamos minar as defesas deles.


 

Nesse instante, Dong e os amigos entravam no refeitório. Um brilho surgiu nos olhos de Yerin e ela encarou Hyemin.

- Você vai começar a tratar melhor a sua pet. Sabe por que? Hayoung é nossa ponte até Dong. Eles até que formariam um casal bonitinho, não acha? Que tal plantar essa semente na cabeça dela? Gostaria de alguém ali dentro. Dong tem abraçado os estranhos, tipo a bolsista, o orelhudo...a mestiça. Eu já sei como detonar essa bolsista, mas preciso de colaboração.

Ficou mexendo na caixinha do pepero.

- Bom que Hayoung já fica perto deles...Faça com que ela acredite que você se importa de verdade com ela. O carinho dela, por você, parece sincero. Não o perca, Min-Ah. Por enquanto, é isso que posso te dizer. O resto...você vai ver.

E quando ela finalizou o discurso, viu que Sun-Hee, Kim e Stella também chegavam ao refeitório. Cerrou os olhos de novo e observou as reações de Hyemin.


 


[DONG]


Hee-Kyung foi acompanhado por seus amigos depois que se afastou daquela aglomeração. Min-Ho e Ui-Jin eram mais silenciosos ao passo em que HaN mantinha o ar sociável e agradável de sempre. So-Na desceu as escadas perto de Dong, mas acelerou os passos enquanto mexia no celular.

Ui-Jin conseguiu respirar aliviado e a situação dos silenciosos e falantes se inverteu.

- Realmente tenho que começar a interagir mais com as meninas. Preciso superar esse medo ou vou esquecer como se fala.

- É verdade, está cada vez mais frequente.

Incrivelmente, eram os dois quietos que falavam mais e HaN apenas observava Dong. Não tinha muito o que dizer e também não viu que Stella ainda estava lá em cima, não lá embaixo como já esperava. De todo modo, HaN passou pelos dois e parou ao lado de Dong.

- Você tá legal? - Perguntou meio baixo, analisando a expressão dele. - Parece mais sério. Está preocupado ou irritado?


 

Quando chegaram ao térreo, veriam alguns garotos do 2º ano reunidos. HaN reconhecia todos eles - os populares de sua sala - e se surpreendeu ao ver Hyun-Hee ali. Então estavam voltando às boas? Tomara que não fossem insuportáveis como antes...Já bastava tudo o que acontecia graças às meninas. Se o “rei” voltasse, o inferno voltaria à Terra, do ponto de vista de HaN.

Ficou um pouco mais quieto, sem nem olhar para eles, mas foi surpreendido pela veloz Hayoung. A menina tinha acabado de sair um pouco mais apressada do refeitório e alcançava as escadas, onde eles terminavam de descer.

- AH! Oi, primo! Ha-Neul-shi. - Acenou. - Cadê o Ui-Jin-Shi?

- Oi, Hayoung-shi. - Disse tranquilamente e apontou para trás. - Está ali.

- Ui-Jin-Shi!

Ui-Jin se assustou na mesma hora. Hayoung não era aquela garota que os ignorara no dia anterior? E que também vinha fazendo isso com certa frequencia desde que entrou pro grupo de Yerin? Ui-Jin ficou quieto, com os olhos arregalados enquanto ela vinha pra cima.

- A Hyemin-Ah pediu o bolinho dela! Você trouxe, né?

- Você se deu ao trabalho de vir até aqui só para pedir isso? - Min-Ho não se aguentou. - Você é inacreditável…

- É, eu sei. - Achou que fosse um elogio. - E então? Trouxe?

Ui-Jin meneou positivamente e entregou o bolinho para ela. Hayoung o pegou feliz e saltitante, mas logo parou ao lado do primo de novo, voltando a ignorar.

- Tenho que dar um tempo porque ela está conversando com a Yerin-shi. - Comentou. - O que houve? Por que está tão sério?

Quando entraram no refeitório, Dong veria que Lee-Hi e Chae já ocupavam uma mesa, mas Stella não estava ali com elas. Talvez tivesse se escondido ou nem fosse descer. No outro canto, estavam Yerin e Hyemin que conversavam como se nem estivessem naquele mundo. Yerin foi discreta ao falar dele.

- Posso ir lá falar com Lee-Hi-shi ou você vai querer sentar em outra mesa?

Enquanto eles seguiam para as máquinas, Sunny chegava com o resto do pessoal.


[SUNNY]


A conversa com Jae-Ki não foi tão demorada a ponto de comprometer o intervalo. Daria tempo para se esticar, comer alguma coisa e conversar um pouco. Tantas coisas aconteciam ao mesmo tempo naquela escola que era bastante normal viver sem fôlego.

Stella e ela deram os braços enquanto eram seguidas por Kim. Não demorou para que chegassem até o térreo, passando pelo grupo de meninos do 2º ano, inclusive Hyun-Hee. Kim e Stella passaram direto, sem olhar direito para os mais velhos nem fazer grandes comentários. Também não faziam ideia do que tinha acontecido ali ainda há pouco.

Durante o percurso, Stella não esteve muito disposta a conversar sobre o que tinha acontecido. Na verdade, tentava manter a conversa amena, sem acrescentar muitas coisas. Kim também estava mais silencioso e introspectivo do que era o seu normal. Ainda estava tentando engolir as desculpas que recebera logo cedo - apenas para que, na primeira oportunidade, aprontassem de novo.

Quando Sunny entrasse ali, veria que o refeitório estava movimentado, mas não extremamente cheio.

Sua mente a traía quando, o primeiro rosto que ela buscava era o de Jung-Mi, mas não o encontrava. O grupo dele estava ali - Gyu-Sik e Ryu - mas nem ele, nem MiSoo ou as amigas dela estavam ali. Eles tinham saído em momentos diferentes, mas o que os impediria de se verem depois?

O irmão dele estava ali fora, então...Onde ele podia estar?

Lee-Hi logo a viu e ergueu a mão, balançando o braço, chamando para perto. Stella via Dong indo até as máquinas com os amigos dele e a prima ao lado. Kim já olhava na direção de Hyemin mesmo.


 

Caso ela o encarasse, ele viraria o rosto, como se estivesse chateado. Yerin arqueou uma das sobrancelhas com o movimento dele, sem entender muito bem.

Já Ha-Neul, estava meio virado para Dong e cutucou o ombro dele.

- Ah lá, a Sunny a encontrou. - Disse, indicando Stella.

Stella abaixou a cabeça também, seguindo na direção que Sunny escolhesse. Nem imaginava que Dong estava prestes a retribuir o favor dela de mais cedo. Será que ele lembraria da questão do açúcar?


 

[ARMÁRIOS]
(Hyun-Hee)

- Deveria sim, mas tudo bem...Agora você está aqui e podemos realizar festinhas aqui. Tem tido muitas estrangeiras por aqui. Assim você mata as saudades do Ocidente. Elas adoram um coreaninho…

Fez uma expressão aegyo que roubou algumas risadas de Da Won. Jong-In era mesmo impossível, um sedutor incorrigível. Parou de graça, observando a reação dele ao passar a mão no cabelo.

- Ah é mesmo? Bom saber, vou começar a usar também, então.

Disse de modo irônico e ficou em silêncio quando Jung-Mi passou. Observou o irmão mais novo de Hyun-Hee passar como se ele não fosse nada. Estranhou aquilo e fez a “inocente” pergunta, esperando colher algo disso.

- Entendo como é…Quer dizer, não entendo porque sou o mais novo, mas nunca gostei mesmo dos meus irmãos. - Deu de ombros, como se família fosse nada e, para ele, era isso mesmo. - Tomara que ele caia em si e veja que o hyung dele é muito importante ainda.


 

Sorriu simpático, mas antes de responder às perguntas sobre recepções e afins, deu uma boa olhada nas figuras que passavam. Primeiro os nerds que ele nem se demorou muito, mas observou o tamanho da saia de Hayoung. Parecia bem comportada e avoadinha, não fazia seu tipo de menina. Agora, quando Sunny e Stella passaram, Jong-In até precisou se ajeitar um pouco.

Enquanto uma era alta e esbelta com olhos e cabelos mais claros - tipicamente estrangeiros - a outra era uma coreana tradicional e absolutamente perfeita. Jong-In coçou a bochecha de leve e encarou Hyun de novo.

- O material do 1º ano é primoroso e quase lhe invejo por isso, sabia? Não invejo mais porque o 2º anos também está de parabéns também. - Sorriu sarcástico. - Não sei. Sábado tem um evento da alta sociedade, você tá sabendo? Conseguiu ingresso? Uma ópera ou qualquer baboseira dessas. Mas depois, eu estou pensando em ir até o clube. Se estiver interessado, consigo uma carteira falsa e uma pulseira vip.


 

Cruzou os braços tombando a cabeça de leve.

- Considere-se com sorte. A última festa que fizeram foi uma série de ovada nas meninas. - Riu debochado. - Pelo menos estou te chamando para uma festa de verdade. Alguns nomes já estão confirmados na lista até…- Aproximou-se um pouco e falou baixo. - a Jimin vai lá. Mas obviamente é segredo, né? Sabe como são as meninas cheias de hipocrisia...Essa então.

- Fala mais alto, Jong-In. Falou baixinho. - Da Won disse.

- Tsc, todos sabem que Taehyung é o maior boi da WangJo. Só não perdeu para a… - Olhou para o Hyun - Bom, vocês sabem a história, não preciso repetir.

[JARDIM]
(MiSoo)

MiSoo nem teve tempo de ver se a mensagem tinha sido enviada ou se Gyu-Sik a leu/respondeu. Jung-Mi chegou rápido, até, porque não estava tão longe assim e tinha pernas longas mesmo. O rapaz se surpreendeu com o susto que ela tomou e a olhou meio sem entender.

- Sim. Você me chamou, não? - Mostrou o celular para ela e se ajeitou no banco. - Estava sentado perto da porta.

Não era mentira, afinal.

- O que houve?


 

Apoiou os pulsos nos joelhos, se curvando um pouco para a frente enquanto ouvia o que ela tinha para dizer. Não sabia exatamente como se portar para que ela não se sentisse tão desconfortável na presença dele, mas pelo menos ele estava tentando seu melhor. Ninguém podia dizer o contrário!

A ênfase que ela deu nas “desculpas” foi o suficiente para fazê-lo mudar de posição de novo. Jung-Mi sentou-se direito de novo, cruzando os braços e fazendo uma expressão meio séria para as coisas que ela dizia. Franziu as sobrancelhas e, quando ela terminou, percebeu que era encarada.

- Pare de pedir desculpas por coisas que não são sua culpa. - Foi bastante direto. - Não sei o que aconteceu, mas você não parece aquela menina doida que não teve vergonha de gritar comigo na frente de um monte de estranhos e me chamar de robô.


 

Diferente do que ela imaginava, ele deu um sorriso no canto dos lábios.

- Acha mesmo que estou chateado com você por isso? Ani. - Meneou negativamente. - Se você não quiser falar mais comigo que seja por vontade sua, não por medo das outras pessoas. Não lembro de ter dado uma procuração para Yewon, Eun-Na ou qualquer outra, onde autorizasse que tomassem decisões por mim ou cuidassem da minha vida. Se você recua com as ações delas, vai deixar que montem em você. E aí sim, eu acho que você vai dever muitas desculpas...Para si mesma.


 

Virou-se um pouco mais para falar algo mais sério.

- O que elas disseram não foi legal, mas não retrata a realidade. E mesmo que fosse o caso e daí? Somos livres e desimpedidos, não? - Foi só para exemplificar a situação. - Não me senti minimamente ofendido ou maltratado. Falem o que quiser, quando eu me irritar de verdade, vão ter que aguentar o retorno.

E o sorriso que ele deu foi longe de ser gentil. Jung-Mi também era uma bomba prestes a estourar e quando isso acontecesse, haveria estilhaços para todos os lados. Agora, contudo, ele apenas respirou fundo e deixou os ombros caírem um pouco.

- Só pare de pedir desculpas por tudo. Não tem motivos para você baixar a cabeça por coisas que não foram de sua responsabilidade. Um bonsai ja foi o suficiente, posso garantir a vida dele, mas não garanto que saberia cuidar de outros.

Começou a se levantar, com as mãos nos bolsos, mas logo virou-se para ela e estendeu a mão, a convidando a se levantar também.

- Vamos? Não combina com você ficar sozinha no jardim.
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:40 pm

MiSoo desferiu todas aquelas informações de uma só vez ao começar, só parando para tomar ar quando disse tudo o que tinha vindo à sua mente naquele momento. Só então ela se sentou bem na pontinha do banco e respirou fundo enquanto Jung Mi lhe respondia.

Logo na primeira frase MiSoo já tinha inflado as bochechas, enfezado as sobrancelhas e feito bico.

O tom com que ele falava lhe incomodava um pouco, mas no fundo esperava que a conversa não fosse muito agradável. A garota apoiou os cotovelos nos joelhos e cobriu o rosto com as mãos ao ser chamada de “menina doida”. Tinha mesmo agido como uma doida no café, mas ao contrário do que ele falava, sentia vergonha sim. Muito mais por ter acusado alguém daquela maneira do que das pessoas que tinham ouvido, mas ainda assim sentia.


- Só uma doida brincaria como eu fiz na sala, esquecendo que tem uma parte da escola que é má. - resmungou, com os olhos voltados às mãos sobre o colo.

Mas pelo canto dos olhos percebeu que a expressão do garoto não era mais tão séria quando antes e arqueou as sobrancelhas em surpresa, voltando a erguer a cabeça e endireitar-se no banco para continuar a ouvi-lo. Ao saber que Jung Mi não estava chateado com ela, MiSoo sentiu-se imediatamente mais aliviada, como se boa parte do peso que tinha criado para si mesma, ao sentir-se culpada do ocorrido, se dissipasse de seus ombros. Chegou a fazer uma expressão de choro, mas meneou a cabeça positivamente e encheu os pulmões de ar, conseguindo se controlar. Não tinha porque derramar lágrimas por isso. Tinha que ficar feliz por não ter causado o dano que julgava ter feito. Continuava a ouvi-lo enquanto recompunha a postura física e mental.

- Eu NÃO tenho medo delas! - disse com convicção, com a voz agora enchendo-se da determinação que tinha fugido dela poucos minutos atrás - Eu só não suporto que ataquem outras pessoas porque eu fiz alguma coisa que não as agradou. Na verdade eu não suporto que ataquem ninguém, porque elas não tem esse direito. Não só a sua. Elas acham que podem ter controle da vida de todos. - novamente ouviu as mãos sobre o colo e baixou um pouco os olhos  - Eu não estou recuando. Só não quero envolver os meus amigos… E evitar brigas…

Nas palavras seguintes de Jung Mi, a tenista não conseguiu evitar de fazer uma careta um tanto exagerada de surpresa. Ele tinha acabado de dar muita informação para a garota.

MiSoo não sabia se era novamente uma tentativa de Jung Mi de dizer algo gentil, mas não pôde deixar de ficar boquiaberta quando o próprio “rei” da turma não via problema caso fosse o caso de estarem namorando. Mesmo ela não estando  no mesmo nível de beleza das outras e sendo a “ex-gordinha” como tinham lembrado mais cedo? O pior era que ele tinha acabado de chamar MiSoo de doida. As informações davam um nó na cabeça da garota. A tenista também estava espantada por Jung Mi insinuar que poderia ter retorno quando ele “se irritasse de verdade”!!! Então quando falou mais alto e bateu na mesa não estava “irritado de verdade”!? MiSoo tentou imaginar como algo inédito poderia acontecer e parte de si tinha curiosidade em ver como poderia ser um Jung Mi mais irritado do que demonstrou mais cedo.


Sobre esse trecho resolveu não dizer nada. Não tinha o que dizer. Não queria falar! Já estava se sentindo envergonhada, com direito a uma leve corada no rosto ... Mas mesmo assim ainda trazia uma expressão engraçada, confusa e pensativa.



Desta vez estranhou um pouco a postura que o garoto assumia com os ombros mais caídos, mas continuou a ouví-lo sem tirar a expressão esquisita, quase perdida, da face.

- Então… Não preciso mais pedir desculpas. Isso quer dizer que posso fazer qualquer coisa, não é? - implicou com um sorrisinho, tentando amenizar um pouco mais a conversa agora que começava a se sentir melhor - Está bem. Vou deixar você apenas com um bonsai então… E sem desculpas. Mesmo se eu lhe chamar de robô outra vez. Mas acho que não será necessário, já passou dessa fase! - fez um V de vitória com os dedos por Jung Mi não se comportar mais como uma máquina.


Voltou a ficar pensativa enquanto o colega levantava-se do banco e mais uma vez arregalou os olhos em surpresa ao vê-lo voltar-se à ela e lhe estender a mão. Por  um momento ficou sem saber o que fazer, olhando para a mão dele, depois para o lado, para o outro, coçando atrás da orelha e ponderando se deveria aceitar a ajuda. Poderia ser algo bobo, porém MiSoo ficava um pouco sem jeito com o gesto.


Por fim, engoliu em seco e estendeu de volta uma mão hesitante para aceitar a ajuda dele.

- Ahn… Obrigada. - agradeceu timidamente ao levantar-se - Eu gosto do jardim, mas prefiro ter companhia mesmo… - e sem falar que estava com fome, mas essa parte não pretendia mencionar.

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:40 pm

No meio da discussão, quando Eun-bi respondeu que não estava preocupada com Taemin, Jae-ki ficou confuso, não era um tipo de observador do comportamento das pessoas para notar se ela tinha usado o celular ou não, ainda mais se foi para falar com Taemin. Mas as palavras "não estou preocupada com ele", ficaram na sua mente, embora não fossem o bastante para acalmá-lo, só para deixá-lo confuso.

Continuou respondendo e se justificando por ter brigado com Taemin, achava mesmo que eram todos uns covardes. E seu orgulho acabou o fazendo contar que o loiro tinha trapaceado, mas só porque não queria sair como o perdedor. Mas isso só ajudou Eun-bi a ter mais material para rebatê-lo. Quando ouviu a garota o chamando de burro, arregalou os olhos com raiva. Como ela podia dizer isso? As próximas palavras da bailarina também o pegaram de surpresa, ela falava o mesmo que Won tinha dito, que Tae iria revidar. Estaria preocupada? Porém mais uma vez Eun-bi voltava a dizer que era pra protegê-lo! Jae-ki não conseguia compreender, não fazia sentido em defender Taemin para protegê-lo. Então vieram os xingamentos da delicada bailarina. Jae-ki arregalou novamente os olhos quando ouviu os palavrões, ela não combinava com isso. "Ya, ela tá me xingando?" - Percebeu incrédulo.

- Burro?! - Repetiu pasmo com essa declaração.

Jae-ki a encarou com um bico invocado, nisso percebeu os olhos marejados de Eun-bi e seu nariz vermelho. "Ela vai chorar? Wae?*(Por que?). Ele estava tão confuso que nem percebeu que quando falou pra ela o soltar, na verdade era ele que estava segurando. Olhou para as próprias mãos que seguravam os pulsos finos de Eun-bi e foi afrouxando. Ainda tentava entender essa garota, mas era tão difícil. Por que ela se importava se Tae iria revidar? Ela realmente tinha tentado o proteger? Não fazia sentido. Enquanto estava confuso e pensativo, percebeu que Bo-Mi e os outros estavam ali e deviam ter escutado tudo. Isso fez uma raiva crescer dentro de si, odiava ser o assunto da fofoca e era tudo por causa dos seus próprios amigos.  Eun-bi se livrou de suas mãos e quando desequilibrou, Jae-ki instintivamente já ia esticar o braço para segurá-la, mas não precisou, então ele disfarçou passando a mão na testa e no cabelo, ainda com o semblante irritado.

Mal acreditou quando ela pediu para ele pegar a muleta! Ela tinha dito que sabia se cuidar sozinha e agora queria sua ajuda! Era inacreditável essa garota. Lançou um olhar para ela franzindo as sobrancelhas, depois deu uns dois passos virando as costas para a bailarina. Mas parou, a imagem do pé machucado passou pela sua cabeça, imaginou ela caindo no chão por sua causa e ficou preocupado. Onde ele estava com cabeça? Sair deixando ela ali quando poderia cair? Mas ela o tinha rejeitado, por que iria ajudar? Talvez porque não era como o loiro. "Aigo... Não sou o Taemin..."Jae-ki não demorou a se virar de volta para Eun-bi, pegou a muleta e com o olhar sério e ainda invocado, entregou para ela a encarando nos olhos. Essa garota o deixava tão confuso, nunca tinha se sentido assim. Suspirou e disse antes de ir:

- Então agora minha ajuda serve? - Mordeu os lábios aborrecido e continuou a encarando - E ainda disse que sabia se cuidar... Tsc... Ainda vou provar que não sou o ttorayi dessa escola...

Depois disso virou as costas de vez e foi na direção dos amigos traidores. Foi quando Bo-mi e Eun-bi saíram, que Jae-ki se aproximou estranhamente de uma forma até devagar de Won e Kang. O amigo de orelhas grandes estava atrás do "inválido", Jae-ki o puxou pela manga do blazer para ele sair do esconderijo. Depois agarrou o colarinho de Kang e perguntou bem irado:

- Chugulle?! *(quer morrer?)

Para o alívio de Won, Jae-ki soltou em seguida e começou a disparar sua raiva:

- Shibal! Achei que era meu amigo! Aishhhh... Mas a culpa não foi só sua, não é Won?


Mas abaixou o tom de voz para não chamar atenção, era terrível lembrar que tinha "correntes" nessa escola. Jae-ki passou a mão na testa como se tivesse se controlando. Lançou um olhar quase assassino para Kang e depois para Won, em seguida puxou Kang novamente pelo blazer e com a outra mão puxou o braço bom de Won e foi andando em direção a escada.

- Não vão vou perder o intervalo por causa de vocês! Já perdi muito! Mas não vão fugir! - Enquanto andava, metralhava um sermão nos amigos - Eu confiei em vocês! Que Jiral! São uns saedaegari! Eu devia bater em vocês!

Olhou para Won e disse especificamente:

- Não tínhamos um combinado? Kang já sabe tudo e você nem me falou! Achei que queria me ajudar! Mas se essas garotas espalharem para escola inteira, como vai ser? Por que não em contou que tinha falado com ele?

Jae-ki só não foi mais severo com Won por causa da noite passada, ainda devia muito ao amigo, mas estava furioso por ele não ter honrado o combinado. Para Kang disse:

- E você? Acha pode sair por ai contando da minha vida? Conta da sua, não da minha! E nem pense em contar o que ouviu na sala! Aishhh... Nós eramos para ser os três dragões, mas tá parecendo os três retardados! Você me fez parecer um idiota na frente da Eun-bi! Vocês ficam andando com elas e acaba nisso! Elas não contam os segredos delas, mas vocês são idiotas para falar da minha vida? Não vou deixar que se divirtam fazendo fofoca de mim! Antes de ser amigos delas, vocês são meus amigos! Eram para ser! Acha que elas são tão amigas de vocês quanto é delas mesmas? Ani!

Para os dois termina dizendo:

- Eu ia contar uma coisa para vocês, mas não vou mais. Aishhh, assim fica difícil, não posso confiar nem nos meus amigos! Otoke!? (o que vou fazer?)....Idiotas!! Estão babando tanto naquelas garotas que praticamente me entregaram!  Não, vocês me humilharam! Que ótimos amigos!! Aigoo... Wae? Wae?!! (Por que?)

Ainda andando e depois de falar, Jae-ki abre o segundo bolinho e enfia na boca de uma vez só, dando algumas tossidas por comer rápido demais. Era revoltante ver que não tinha uma pessoa para confiar naquela escola! Won foi legal de salvar ele na noite anterior, mas agora provava que não era muito inteligente quanto a lidar com os outros, praticamente mostrava que não sabia guardar segredos, nem ele, nem o Kang. Só não estava pior e violento, porque Won tinha ganhado o seu respeito. Por isso acreditava que tinha sido burrice dos dois mesmo e não uma traição. Porque não faria sentido Won se sacrificar e agora estregar ele de bandeja. Mas ainda queria ouvir o que os dois tinham a dizer.


avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:41 pm

"Marcas as vitimas dela"

Após se despedir de Won Bin, aquelas palavras ficaram na cabeça do Hee-Kyung, este era o ponto em que esse lugar estava chegando.

"Petúnia Black Velvet, vitimas... é quase como um cartel, uma mafia!"

Loucura não é? Um lugar feito para estudar que na verdade era uma maquete da guerra fria, versão coreias.

Na sua pressa em descer, acabou achando Son-Na, eles desceriam quase juntos, se Dong não tivesse atrasado o passo e olhado por cima do ombro, como se sentisse alguem o observando sorrateiramente...

- HUmmm....

Desceu depois da olhadinha... havia uma comoção nas escadas (das varias que ocorrem)

Jae-Ki parecia muito revoltado e algumas das palavras jogadas, acabaram atingindo Dong...

O rapaz falava de alguém rindo, alguém intocado...

Da Elite, provavelmente... na voz havia um sentimento de frustração e raiva, de alguém que tinha que fazer tudo sozinho, por que o resto se acovarda diante dos problemas...

Spoiler:

Kyung apenas levou a mão até os oculos, os endireitando no rosto.

Ele não parou para ouvir a conversa toda mas pelo menos as palavras mais altas, acabou pegando.

E foram as que lhe acertaram... seguindo seu rumo, Dong tinha destino certo. Foi até uma das maquinas de vender bebidas, caçando alguma que tivesse chá, puro e forte.

Seu amigos estavam próximos e ele logo diz num tom de generosidade. - O que os senhores querem beber?

Iria bancar a bebida pelo visto.

- Não vejo como medo Ui-Jin, tudo nessa vida você precisa de costumes, daremos um jeito nisso! Ainda estou lidando.

Se virou de frente para HaN com o copo de chá que daria para Stella, o rosto mexeu para os lados mas não a encontrou de cara.

- Estou preocupado sim, não gosto de me sentir idiota e...

Foi igualmente surpreendido pela prima que apareceu do nada, de forma raoida até.

- Sachonnn! - Acenou para prima adorável que lhe enchia os olhos, usando sua mão livre, branca de dedos longos e finos. - Ui-Jin prepare-se!

Dong gritou antes pro susto ser pior... apesar do comportamente um tanto quanto estranho, ela ainda era prima de Dong.

Mas foi um pouco estranho ela vir até ali parar pedir o bolinho, a propria questão de Ui-Jin reforçava isso.

Spoiler:

- Por que todo mundo está dizendo que estou sério, hein?

Olhou para os lados e moveu seus ombros para cima.

Chegando no refeitório, avista Lee-Hi e Chae, sem Stellas.

Os olhos estreitaram por trás da lente ao olhar Yerin e Hyemin.

Yerin sentiria o olhar vindo, apesar deste não ser hostil, mas não foi por muitos segundos também.

"Sunny a encontrou" ao levar a cutucada que quase o fez deixar cair o conteúdo o do chá...

Dong se vira e faz um gesto para os amigos, com o indicador, de que iria até a garota.

Hee-Kyung vai até ela- Annyon! - Diz subitamente estendendo a mão com o copinho de cor bege ainda quente até ela.


Spoiler:

- Here's your tea Stella, ai houpe youre enjoye it!

O gesto parecia muito amistoso e bonito até ele abrir a boca falando em inglês com ela.

Será que estava a provocando? Seu tom pareceu com o do Joel Santana, um famoso técnico de futebol. Para outros poderia soar estranho mas eles eram amigos, Dong devia saber uma ou duas coisas sobre ela, tal como limites de eventuais brincadeirinhas... certamente queria ser corrigido.
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:42 pm

Hyemin até abaixou um pouco o rosto quando ouviu falar nas “outras bolsistas” que precisavam ser doutrinadas. Não porque tivesse qualquer simpatia por Sunny, mas porque Joo Hyuk tinha dito que não era para mexer com aquela menina. Isso a feria um pouco. Por que se importava com o que Joo Hyuk queria ou não? Tanto faz!! Fez um beicinho de leve. Tinha que admitir que Sunny era diferente das outras bolsistas. Bem burra de tentar fazer um discurso motivacional quando estava naquela situação, mas tinha um fogo no olhar, uma postura de afronta…
Talvez por isso Joo Hyuk tivesse se apaixonado por ela. Aquele senso de justiça idiota. Sem dúvidas era isso que tinha o tinha deixado tão atraído por ela, não só a aparência. Ela tinha aquilo que Hyemin nunca teve e nem poderia ter… era uma patricinha bobona, como ele costumava achar.

Seus olhos brilharam vagamente, mas o assunto continuava. Assentiu. A pessoa que tinha vazado o víde precisava sim ser punida, pois era alguém muito perigoso que queria o mal delas. Não que ela achasse que um ato daquele sairia impune, mas queria que a pessoa que odiava Yerin fosse punida severamente. Só não tinha criatividade para imaginar qual seria essa punição, o que era bom e ruim ao mesmo tempo.

Suspirou de leve, ainda mais por ouvir aquela verdade sobre a sogra. A tia também não tinha gostado da forma como In Na tinha empurrado aquela responsabilidade sobre ela, mas tinha escolha? Não tinha muito a oferecer para Miwoo. Era dez anos mais nova, nem era tão mulher assim ainda, não era mais rica que a família dele e nem tinha feito intercâmbio ou era de verdade a mais inteligente da escola. Só sabia cozinhar e costurar. Se queria ganhar seu coração, precisava fazer algum tipo de sacrifício e aquele pedido era o mínimo. Entendia que algumas pessoas podiam achar isso um pouco demais, mas era a única arma que ela achava ter para ter alguma chance de ser respeitada de verdade na família Wang.

Assentiu mais uma vez, ouvindo sem contestar aos ensinamentos de sua amiga, que aqui ficava provado que respeitava mais do que o pai. A calma com que ela lidava com tudo chegava a inspirá-la, ainda que seu coração tivesse dúvidas. Uma guerra não se vencia em três dias. Ela esticou a mão para encostar nas de Yerin quando ela fosse pegar mais um Pepero, para demonstrar apoio e alegria em ser a única que ela confiava.

Sentia-se tão burrinha quando a amiga lhe revelava os planos. Ela nunca conseguiria pensar em tudo isso sozinha. Sempre ficava achando que tinha fraquejado muito facilmente, mas talvez até isso fosse o esperado por Yerin.

- Recuar, engolir o orgulho… e surpreender    - repetiu as palavras da tia, acrescentando uma.

Ouviu os planos de Yerin sobre Hayoung e espiou o grupo de Dong na mesa, fingindo estar somente interessada na missão do bolinho. Não achava o casal bonito, na verdade, mas nem falaria nada. Apesar de que eram dois esquisitos. Talvez combinassem mesmo. Mas espera, não eram primos? Nada anormal no mundo dos ricos, afinal.

Mordeu discretamente o lábio quando ela mencionou “o orelhudo” e prendeu a respiração quando ela falou novamente em Sunny e já saber como destruí-la. Tinha muito medo do jeito que Kim Joo Hyuk agiria com ela se isso acontecesse e…

POR QUE ESTAVA PENSANDO NISSO DE NOVO?

Engoliu em seco e deu um sorriso de aprovação. Se Sunny saísse da escola, quem sabe Kim sairia também e poderia voltar para o buraco temporal de onde tinha saído para atormentá-la e voltar a viver sua vidinha de chameguinho com aquela garota. Seria melhor para todo mundo.

Mas ela não queria que ele saísse da escola….

QUERIA SIM.

E se aquela escrota saísse rastejando ia ser melhor ainda. Diminuiu ainda mais os lábios.

- Está bem. Vou ajudar - falou sem pensar, com o coração batendo torto. Isso a livraria para sempre de olhar aquelas pessoas, não? Então tudo voltaria a ser como antes. Sua vida voltaria aos eixos.

- Vou falar com Hayoung. Eu…  já devia mesmo um presente pra ela - comentou por alto, como se fosse uma desculpa qualquer, mas era completamente verdade. Ela não saberia fingir que gostava de sua pet, não era nada boa em fazer essas coisas, mas tendo em vista que ela tinha a ajudado, realmente tinha um pretexto para tratá-la melhor.

Quando o grupinho chegou no refeitório, foi impossível não arregalar os olhos e observar aqueles dois. Achou aquela menina tão linda. Que ódio que tinha dela! Era tão boneca perto do macaquinho e… não!!! Lembrava dela toda suja. Era um filhote feioso de pássaro, depenada. Fez um biquinho e olhou Joo Hyuk, que desviou o olhar.

Wae?

Não tinha pedido as desculpas?

Mas Hayoung tinha sido vista…
E ele queria que ela beijasse os pés de Sunny.

Abaixou e virou o rosto, infeliz.

Aiiisssh. Não tinha prometido que iria ignorá-lo? Droga! Tinha olhado ali sem querer! Foi muito rápido, como ia saber que seus olhos iam se encontrar?

Da próxima vez, definitivamente ela o ignoraria. Muita gente gostava dela. Até a Rainha do Gelo, a mais poderosa da escola, gostava. Por que ele importava? Respirou fundo, passando da tristeza para algum tipo de aborrecimento.

- Hayoung está demorando. Ah. É verdade. Você falou que era pra não vir. Já podemos chamar? Já terminamos? Acho bom a gente não excluir muito ela agora, não é?

Caso Yerin concordasse, ela ergueria o braço e acenaria para a menina, com um sorriso forçado no rosto.


avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:44 pm

Bo-Mi escreveu:- É, uma Petúnia Black Velvet. É a flor que a Eun-Na usa para marcar as vítimas delas.

"Uou, isso é coisa de vilã de filme de super-herói"

-Que coisa mais...ridícula. Parece algo que eu já vi em filme wuxia - nem percebeu mas acabou "pensando alto" diante daquele detalhe. Ficou em silêncio logo em seguida, ignorando que tivera falado algo.

Won percebe que Dong não responde sua pergunta.
"Será que não me acha confiável para contar algo? Ou estou vendo algo além do que existe? Tsc, eu estou bancando o detetive"

Os grupos se dispersam, agora estavam só Won, os amigos e as meninas. Tentavam disfarçar o que ouviam, talvez aos poucos pudessem ficar bons nesse lance de espionagem.

Kang escreveu:- Poxa, mas foi sem querer, Won-Bin. Eu nem tenho mais bolinho para oferecer…

Won respirou fundo.

"A gente quase ia ter um intervalo normal Kang, quase"

- Acho que não adianta muito, ela ia descobrir, cedo ou tarde. - Bo-Mi comentou, encarando os meninos.

Mia estava na ponta e Bo-Mi mais ao centro, assim como Won-Bin - Kang tinha ido para a outra ponta, por ter ficado envergonhado na presença da menina alta que estava ali.

- Viu só? Sou inocente…

Won mostra um olhar de "não concordo" ao arquear as sobrancelhas.

"Iam descobrir, longes demais para jogarem coisas uns nos outros"

Bo-Mi escreveu:- Não disse isso. - Bo-Mi retrucou - Só disse que cedo ou tarde ela saberia…

Agora Won concordava.

-Sim, mas talvez em melhor hora - respondeu um tanto pensativo.

Quando Bo-Mi foi "flagrada" e se virava bruscamente, Won achou fofo seu jeito mais envergonhado.
Sorriu enquanto ouvia ela começar a falar.

O sorriso morreu lentamente. Won coçou a nuca com a mão boa.

"Seria ótimo, mas eu não vou conseguir sair de casa tão cedo. Talvez nunca"

-Eu adoraria mas...

Eun-bi já terminava sua "conversa" com Jae-ki e interrompera qualquer chance de resposta.

"Ryu, de novo esse cara?" aquilo incomodara Won, mais do que gostaria.
A amiga alta provocava e Bo-Mi estava ficando...vermelha!?

Won ficou em silêncio, controlando sua crescente...não sabia que sentimento era esse, mas já não conseguia disfarçar um sorriso educado. Apenas ficou sério. Elas sairam, sem que Won respondesse sobre o domingo.

Kang escreveu:- Quem é Ryu mesmo?

Won fechou o punho direito com força e o abriu.

-Ninguém - respondeu, seco.

Para piorar o humor e a situação Jae-ki chegava esbaforindo raiva também. Won ouvira muita coisa de Jae nesse dia e apenas permanecia calmo para tentar aplacar a raiva que o amigo tinha.
Mas até a paciência de Won tinha um limite.

Jae-ki falava agressivamente com Kang. Ele tinha errado em falar demais, mas não era motivo para agir assim com quem tinha se preocupado até em trazer comida pra ele.
Won apenas encara Jae-ki enquanto ele fala. Ele tenta puxar Won para as escadas, mas Hwang não iria se mover.

Tinha posicionado as pernas e o corpo de forma que não seria levado tão facilmente e mesmo que tivesse um braço só ainda tinha a força nas pernas.
Deixou que ele terminasse de falar, despejar toda sua fúria, mas não sairia do lugar.

-Já terminou Jae-ki? - dizia sério, uma aura muito diferente da que tinha antes.
-Você fala como se eu tivesse contado tudo sobre ontem pro Kang. Estou o dia inteiro ouvindo você enfurecido com algo, falando mal de nossas amigas. Deixa eu lhe contar um segredo Jae-ki: a vida é difícil, e essa escola é difícil, mas o mundo não gira ao redor de você

Sabia que estava sendo duro com essas palavras. Mas havia se segurado demais por hoje e essa postura não estava ajudando.

-Eu não contei o que fiz ontem, o que eu fiz pra te ajudar, o que você fez antes e o que levou a gente a ir àquele local. Eu não disse nem ao Kang, nem a ninguém. - mantinha um tom de voz baixo, mas sua voz ficara um pouco mais grave.
Não tinha contado que quem marcou a briga foi Jae-ki, ou que havia mentido para assumir toda a culpa do ocorrido e livra-lo de seja lá o que seu pai faria. E nem que tinha colocado em risco sua relação de amizade com seu pai.

Sentia que Jae-ki estava sendo injusto.

-Quer que eu conte da minha vida Jae? Ok, eu conto - levantou o braço engessado -Eu quero uma carreira nas olimpíadas. Eu quero ser um atleta. Isso aqui foi o que eu joguei fora ontem, e por conta de ontem eu não sei mais se posso seguir meu sonho - agora Won não deixaria Jae responder.

Havia provocado alguém que já não se sentia mais tão calmo antes, imagine agora.

-Meu pai não me olha na cara dede ontem e ele nunca agiu tão furioso como estava ontem. Eu tenho que ir hoje até o café onde o trabalho implorar de joelhos para que a gerente não me despeça por aparecer desse jeito. Depois eu irei ao dojo onde treino implorar de joelhos para que o mestre me perdoe por ter pego algo sem permissão ontem a noite.

O amigo só tinha um olho roxo e muita insatisfação. Na visão de Won, quem saiu perdendo não foi Jae-ki.

-Eu não vejo você humilhado Jae-ki. A garota que claramente gosta tanto de você é capaz de te arrastar pra parede numa perna só por preocupação, seus amigos estão aqui tentando o máximo possível lhe apoiar sabendo que está irritado e até as meninas te trataram de forma educada - Won se aproxima, ficando frente a frente com Jae-ki.

-Na história que o Kang contou sem querer, você parece ser o badboy descolado com um olho roxo. Nessa história eu sou o inválido - ele levanta o braço engessado novamente -Eu quem devia se sentir humilhado, Jae-ki. As pessoas olham com pena é pra mim, não pra você

Se afastou e pegou sua mochila caso Jae-ki ainda a segurasse.

-Me desculpe ter dito ao Kang, eu não consigo mentir pra amigos... - sentia vontade de sair dali, naquele instante, pra qualquer lugar.

-Vejo vocês na aula - viraria as costas e sairia, ignorando os próximos comentários ou objeções.

"Merda. Merda! Eu não devia ter falado daquele jeito..."

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:45 pm

Hyun Hee também acabou rindo da piada de Jong-In sobre as estrangeiras. Ele realmente não valia nada. Sabia que aquela não era a melhor amizade do mundo, mas se pudesse explicar o quanto estava se sentindo absurdamente sozinho hoje… aquilo mesmo servia. Precisava muito recuperar o que tinha perdido em apenas três dias.

Era engraçado como antigamente achava um absurdo a visão que ele tinha sobre família, mas olhando agora, tinha se tornado um pouco mais como Jong-In: quase não tinha família e a que tinha o detestava. Seria menos doloroso se desde o começo não se importasse.

Observou o caçador avaliando as meninas. Nada a fazer. Não tinha com o que ficar nervoso ali no meio, só não gostava quando seus olhos alcançavam meninas mais inocentes. Meninas tontas que não sabiam do que ele era capaz. Isso sim incomodava bastante. No mais… era só o comportamento habitual do colega. E, cá entre eles, aquelas meninas eram mesmo muito bonitas.

- Ah, é? Vai vestir o fraque? Eu aceito. Faz algum tempo desde que não piso naquele lugar.  - deu um pequeno sorriso ao saber da presença de Jimin. Então tinha sido por isso que a garota tinha sorrido para ele, imaginando que estaria na festa, provavelmente. Não tinha nada a perder com isso. Eunjoo até merecia. Estava se fazendo de superior, mas não podia imaginar que uma de suas melhores amigas estaria em sua companhia.

Deu risada do comentário que saiu sem discrição.

Quando brigaca com a namorada, não era a pessoa mais fiel do mundo. Especialmente nos términos "definitivos" que eles davam um no outro. Nunca queria sair por baixo e isso significava que uma das amigas de Eunjoo acabava se tornando o alvo. Jimin era a pior delas.  A que mais sorria, mas a que sempre o olhava mesmo quando estavam bem e juntos. Achava amizade feminina algo bem curioso.

- É verdade.  Parece que algumas coisas nunca mudam. Podem contar comigo. Estarei lá para animar as coisas. Mal posso esperar

Dessa vez, teoricamente, tinha qu ser comedido. Estava sob efeito de medicação. Mas ele se importava? Não. Na verdade queria sair daquele sentimento de estar no fundo do poço com alguma loucura. Já bastava sentir-se um lixo, um perdedor completo. Ele queria alcançar aquela euforia de antes, por mais que o fizesse tomar algumas atitudes das quais tinha vergonha depois, mas era muito mais corajoso daquele jeito. O coitado e sofrido Hyun não tinha a simpatia de ninguém, apenas o olhar de pena do avô e o desprezo das pessoas da escola. Não existia um reinado ali dentro para pessoas boazinhas. Então a festa lhe faria recuperar isso, ainda mais agora.

Por outro lado… ele queria mesmo correr um risco. Sabia que muito poderia dar errado com seu corpo se fizesse algo ruim naquela festa. Mas parte dele até torcia para que isso acontecesse. Se não tinha qualquer tipo de amor a sua vida, por que tinha que cuidar dela? Viver intensamente, eles diziam. Sem ter medo de morrer isso se tornava ainda mais verdadeiro. Ainda que não tivesse a energia necessária para tudo e que de fato não se visualizasse indo a festa alguma, queria se arrastar até o lugar e deixar que o resto acontecesse. Talvez encontrasse o que estava procurando.

- Então, vamos sair daqui? De repente me sinto na cena de um crime e não quero estar aqui quando o diretor aparecer fazendo a inquisição.

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:45 pm

Jae-ki terminava de despejar raiva pelo que ocorreu, mais irritado ainda porque Won não o seguiu para as escadas. Porém quando esperou pela resposta do amigo, percebeu que o semblante dele estava muito sério. Era como se não fosse o Won Bin que conhecia. E ao ouvir as palavras dele, de como falava da noite anterior, engoliu o bolinho que mal havia mastigado de um jeito que até doeu ao passar em sua garganta. Mas ele sabia que o mundo não girava ao seu redor, na verdade, sempre foi o que era deixado de lado, era um dos motivos para ser tão desconfiado.

O garoto não sabia o quanto Won Bin tinha contado, e havia sido preciptado em julgar que Won havia contado tudo para o Kang sem ter lhe avisado. As palavras " o que levou a gente a ir aquele local" o fez sentir uma culpa dolorosa apertar no peito. No final das contas, Won tinha se machucado por sua causa. Então Won continuou falando, dessa vez sobre sua vida. Jae-ki foi ficando cada vez mais pasmo e se sentindo culpado. "Ele perdeu o sonho dele por minha causa?" Ele não queria ser a causa de Won perder seu sonho, não era assim que planejava mudar a vida, a custas da troca da felicidade de um amigo leal.  

Won falava de como estava com o pai, no trabalho, do seu treino... Tudo parecia como se tivesse levando socos, embora não fosse fisicamente, mas estava doendo. "Você deveria ter me dito isso, Won... " o amigo começava até a falar de Eun-bi! Mas Jae-ki não concordava nessa parte, Eun-bi gostando dele? As meninas tratando ele de forma educada? Será que ele não lembrava da MiSoo com a mochila? De repente Won Bin ficou de frente para ele, e dessa vez falando dele ser descolado. "Mas eu nunca fui descolado... Não Won... Não é isso..."

As últimas palavras fizeram Jae-ki se sentir ainda pior, Won bin não mentia para amigos. Não estava mais com raiva e odiava se sentir como estava se sentindo agora. Tinha sido ingrato com os amigos? Pelo jeito tinha sido muito grosso em suas palavras. Mas era sempre assim, quando estava de cabeça quente acabava falando o que não queria realmente falar. Apesar de terem se tornado amigos rápido, ainda não conheciam realmente um ao outro. Não sabia da história de Won até agora, e nem os amigos sabiam a dele. Não queria que Won bin ficasse pensando que ele era egoísta, se preocupava sim com seus amigos e não era ingrato a Won Bin. Tinha planejado ajudar Won desde que veio do metrô. Porém mais uma vez sua cabeça quente tinha estragado tudo.

A verdade é que também estava com ciumes dos amigos com aquelas garotas patricinhas, que pareciam o esnobar. Pelo menos em sua visão. Não queria que Eun-bi achasse que ele era um otário, e quando Kang falou aquilo, realmente o deixou furioso. Já estava em uma imensa desvantagem comparado com ela, e isso só o fazia se sentir mais em desvantagem. Tinha raiva que não poderia revidar as provocações de Wanjo, porque eram ricos e poderiam fazer o que queriam. Ainda havia a pressão de sua família depender dele, tinha medo de ser suspenso e sabia que tinha uma personalidade difícil. Só agora via que realmente tinha exagerado em suas palavras com os amigos, mas como conseguiria se controlar? Kang tinha soltado um segredo seu, isso era muito ruim. Mas desde que chegou, Kang e Won tinham sido a única parte boa que encontrou em Wanjo. Também não tinha uma família presente, só poderia contar com os amigos mesmo, isso se tivesse algum depois disso. Tinha conhecido Sun-Hee, mas sabia que do jeito que era, não faria parte realmente da roda de amigos dela. Mas Kang e Won tinham se aproximado dele por vontade própria. Não podia falhar com os amigos mesmo depois do que fizeram. Não devia ter envolvido Won Bin na briga, assim não teria um segredo para eles guardarem. Kang não poderia entender a gravidade do seu medo de ser suspenso ao contar de Taemin, por isso não podia culpá-lo.

Jae-ki estava tão surpreso que quando Won Bin pegou a mochila, deixou sem quase se mexer. Assim que Won Bin deu as costas e foi indo embora, Jae-ki lançou um olhar para Kang. Em seu semblante dava pra ver que não estava mais com raiva, mas com um olhar espantado e sério. Ele percebeu que reclamou que os amigos tinham ficado distraídos com as meninas que não prestaram atenção nele, mas também tinha feito o mesmo, deixou o que estava passando com Eun-bi afetar a amizade deles. Jae-ki correu até Won e tentou impedi-lo de ir embora:

- Cara, para. Won!! Espera! Eu vou no seu emprego, falo com eles! Qualquer coisa! Eu vou convencer eles!

Ele poderia dizer muitas coisas para o amigo, se explicar, mas Won Bin estava indo, iria perder o amigo que parecia não querer escutá-lo. Então Jae-ki entrou na frente dele o impedindo de continuar e disse:

- Won, foi mal, eu digo coisas sem pensar, eu realmente não consigo me controlar - Disse com sinceridade e preocupado -  Eu queria poder dizer ao seu pai a verdade, queria mesmo. Eu te ferrei, fiz merda. Se isso só me ferrasse, eu iria agora falar com seu pai e com o seu mestre, mesmo que eu perdesse a bolsa, eu juro! Mas pela minha irmã eu não posso. Escuta, é sério. Ela não tem culpa do que eu fiz. Você viu como meu bairro é, ela não pode crescer ali! E eu vou no seu trabalho hoje, te ajudo a desenrolar com eles! E se não der, eu te arranjo um emprego novo! Eu não sabia que estraguei tanto a sua vida. Jiral! Eu vou me esforçar para reparar isso, e se tiver uma forma de eu falar com seu pai sem eu perder a bolsa, eu falo também!

Jae-ki vai tentar manter Won Bin escutando ele:

-Você tem que me contar as coisas, se não eu não vou saber. Você nem falou dessa coisa com o seu pai quando eu perguntei. Por isso queria que te tivesse me contado do que falou pro Kang, eu mesmo ia contar tudo para ele como combinamos. Eu não devia ter te chamado naquela briga, aigo... Vocês não tem nada ver com meus problemas, são meus problemas não é? É muito peso em cima de vocês, não vou envolver mais vocês nessa, juro! E que história é essa de eu ser o descolado? Você não tá sendo humilhado, aquelas garotas até parecem gostar de você. No corredor você tava com vários colegas ali... Eu fiquei com inveja... Eles que me olham feio por causa do meu olho, já me olhavam com desprezo, de onde você tirou que eu sou descolado cara?! Um braço enfaixado qualquer um pode ter, escorregou, caiu da bicicleta, mas um olho roxo, só quem se mete em briga e perde... Se eu tivesse metade da sua calma, eu tava bem. Aigo... E por causa disso até a Senhorita Yang ficou fazendo perguntas por causa do meu olho, eu achei que poderia ter sido suspenso ali... Otoke... Pensa também, como você se sentiria se eu contasse um segredo seu na frente da garota que você gosta?  Eu sei, eu exagerei, porque eu sou assim, é mais forte do que eu... Sou o Jae-ki... Sempre o aluno problemático da escola, o pior aluno... Quando eu fico com raiva, não é por que eu odeio vocês, são meus únicos amigos. Eu sei que o mundo não gira ao meu redor, não sou esse tipo de pessoa. Por causa desse meu descontrole que eu me dou mal, não sou egoísta, eu juro!

Jae-ki em seu nervoso nem percebeu que tinha acabado de falar que gostava da Eun-bi. Não era bom com as palavras e nem em convencer as pessoas, não tinha muita coisa que ele poderia fazer para retribuir Won Bin. Sua vida não permitiria isso, mesmo Won Bin sendo seu amigo, não poderia por a vida a irmã a perder nem por isso. Ela não tinha culpa de suas burrices. Mas quem o conhecesse, saberia que raras vezes Jae-ki tinha tentado se desculpar, provavelmente era por causa do que Won Bin tinha feito. E depois do que o amigo disse, ainda era mais importante o seu feito, porque poderia perder seu sonho e o emprego. Jae-ki sentia que nunca conseguia fazer as pessoas o entenderem, talvez não soubesse usar as palavras certas, ficava cego de raiva... Foram poucas as pessoas que o entenderam, como Senhor Kim, mas até quando isso iria durar? Talvez seu lugar fosse mesmo na gangue,não havia espaço para ele em uma amizade normal na escola. Sua realidade era muito diferente da deles, onde contar um segredo significava um risco grande. Ele olhou mais uma vez para Kang e de volta para Won Bin, suspirou desolado e completou por fim:

- É só que... Você não quer me ouvir não é? Eu ainda vou cumprir as promessas que te fiz, se você quiser...

Ele vai respirar fundo, se Won for embora mesmo assim, vai tentar falar com Kang.

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:46 pm

[WON E JAE-KI]

Kang nem imaginava que sua segurança acabaria mesmo quando a conversa entre Jae-Ki e Eun-Bi chegasse ao fim. A bailarina e suas amigas saíram sem mais delongas e, nem meio segundo depois, ele foi surpreendido com Jae-Ki o agarrando pelo pescoço e sacudindo daquele jeito.

- Ya! Jae! Hajima!!

Tentou se defender, mas a fúria de Jae-Ki parecia incontrolável. Fora que Kang não tinha energias ou força o suficiente para se defender. As palavras cuspidas por Jae-Ki o perfuravam como uma faca bem afiada. Recebia vários golpes no peito, barriga e cara enquanto era sacudido daquele modo e nem ao menos se defendia.

Sentia-se um lixo por ouvir aquelas coisas.

Só não chorava porque nem isso ele conseguia. Algumas partes eram carregadas de injustiças por parte de Jae, mas Kang se sentia muito mal por ter criado aquela sensação em seu amigo.

Em seus únicos amigos!

Quando Won o alertou sobre a explosão de Jae, não pensou que fosse ser tão sério. Fora que, ainda houve uma segunda explosão tão forte e potente quanto a do primeiro. Kang estava completamente por fora do que acontecia ali. Não fazia ideia dos detalhes das vidas dos amigos, nem como a noite anterior tinha acontecido.

Só sabia que não tinha participado e, ao invés de se sentir sortudo por isso, sentia-se mal. Porque não pôde estar presente num momento difícil para seus companheiros.

Dos três dragões, ele certamente era o pior.

Mas ele não queria ver tudo ruir assim! Won estava tão bravo que foi capaz de anular a braveza de Jae. Parece que somente assim que o garoto funcionava: grosseria combatendo grosseria. E ele sentia o peso de suas palavras e que no instante em que você diz o que quer, também ouve o que não quer.

Agora sim Kang começava a ser invadido por aquela sensação de perda, dor e que o motivava a ficar com os olhos marejados.

- Ya!! - Adiantou-se até eles e se colocou na frente dos dois.

Se Won-Bin não fosse parar por Jae, que tivesse consideração por Kang.

- Miane! Miane!! MIANE!! - Olhou para os dois, implorando por desculpas. - Não vamos fazer isso, por favor. Caras...Não façam isso.

Começou a ficar nervoso, sem saber quais as palavras certas para o momento.

- Nós três erramos, tá? Por favor, Won-Bin, Jae-Ki me perdoem por ter falado demais. É que...Eu realmente não tinha dimensão dos problemas que isso geraria. Assim como Won, eu também gosto das meninas e as acho legais. Nós não tivemos tempo de contar para você o que aconteceu ontem assim como vocês não me contaram toda a briga.

Engoliu em seco algumas vezes.

- Mas eu não devia ter feito isso! Assim como o Won não devia ter ido sem te impedir e você não devia ter gritado com a gente! Nós três erramos, mas por favor, não vamos parar a nossa amizade. Caras, isso é...tão importante pra mim.

O queixo dele tremeu.

- Vocês são os primeiros amigos verdadeiros que eu faço na minha vida. Eu geralmente sou chutado pelos cantos porque...Porque -Fungou, passando o braço pelo nariz. - Por conta...da história da minha mãe… - Corou. - Do que ela teve que fazer e do meu pai que não era um cara legal e...Bom, eu estudava perto de casa e meus vizinhos sabiam e eram os colegas que eu tinha no colégio. Eu só… - Engoliu em seco, deixando uma lágrima escorrer pelo rosto. - Eu só...não queria perder isso que temos hoje, sabe? Po...Agora eu entendo o que é fazer parte de um grupo, o que é ter gente se importando comigo. A gente virou amigo do nada e mesmo que só tenha três dias, vocês já são meus irmãos também.

Passou a mão pelo rosto, coçando daquele jeito bem maluquinho.

- Ninguém é perfeito! E eu prometo que não vou falar mais nada que não puder. E que conto...conto a minha vida, se é o que querem saber. Mas...Não vamos virar os três dragões retardados separados. Vamo ficar junto! Você mesmo falou isso ontem, Won-Bin! A gente precisa ficar junto para sobreviver aqui! E o dragão tem três cabeças como já dizia aquela série lá…

Começava a misturar os canais de novo, mas esperava que entendessem.

- Mesmo que sejam três cabeças retardadas, vamo ser retardados juntos...Por favor...

[DONG]

A pergunta de Dong pegou os amigos de surpresa.

- O que?! Você vai querer pagar? - Ha-Neul abaixou os óculos e o encarou com os olhos bem cerradinhos por não enxergar bem. - Impossível.

- Oras, que exagero, HaN. O Dong é bem legal. - Ui-Jin comentou. - Eu quero uma Coca.

- Eu não sei, estou pensando ainda. - Min-Ho foi menos cara de pau. Ainda queria ver algo para comer e, bom, não achava que o amigo seria capaz de carregar tudo aquilo ao mesmo tempo.

Logo veio o comentário sobre a presença de meninas, mas HaN e Dong estavam um pouco mais adiantados, deixando Ui-Jin e Min-Ho mais para trás. A resposta que Dong deu a HaN o deixou um pouco pensativo.

- Por que está se sentindo um idiota? Por que falou besteira? É normal e…

Foi interrompido com a chegada alegre de Hayoung. A menina estava procurando por Ui-Jin que quase teve um ataque paralítico, mas só atendeu ao pedido dela. Min-Ho ainda chegou a criticá-la de modo sutil, mas Hayoung era boba ou legal demais para entender o que o garoto realmente quis dizer. HaN não disse nada e o grupo só seguiu até o refeitório.

Curioso que Hayoung tinha pedido o bolinho para Hyemin, mas não teve a iniciativa de se aproximar logo de cara. Ela ainda tinha explicado que Yerin e Hyemin estavam conversando e ela precisaria de uma autorização para se aproximar. Min-Ho só revirou os olhos com aquilo e Ui-Jin não disse nada. Mas Hayoung não se importava com a opinião deles, só com a de Dong.

Quando Dong olhasse na direção da mesa de Yerin, ele teria o olhar correspondido. Ainda que por poucos segundos, encará-la assim diretamente era algo complicado. Dava para sentir a mente sendo invadida por aqueles olhos negros como ônix. Porém, para a surpresa dele, Yerin esboçou um sorriso no canto dos lábios.

Pareceu menear positivamente com algo que Hyemin disse e fez um sinal que Hayoung prontamente atendeu.

- Bom, vou lá, primo. Obrigada pelo bolinho, Ui-Jin-shi! - Disse animada e foi passando por todo o refeitório até chegar lá.

Os meninos estavam nas máquinas ainda quando HaN comentou que Stella estava com Sunny e Kim. O trio seguia até a mesa onde Lee-Hi e Chae estavam. Elas chegaram a acenar para Dong também, mas Stella continuava com a cabeça um pouco baixa. Dong fez um sinal que dava a entender que iria até lá sozinho.

Mas quem disse que os amigos entendiam de códigos? Só em jogo.

Ele mal tinha dado três passos e HaN, Ui-Jin e Min-Ho já o seguiam, cada um com suas coisas. Como a mesa já estava um pouco cheia, eles sentaram na do lado. Ui-Jin fez mor barulhão com a latinha de Coca-cola sendo aberta e corou um pouco. Já HaN tinha uma risada crescente com o inglês de Dong.

Stella estava quase se sentando, mas não o fez ao ver a aproximação de Dong. Ele chegava daquele jeito impossível de ser ignorado com o rosto gentil que escondia os frequentes sorrisos que ele dava. A garota deixou os ombros caírem um pouco, mas se surpreendeu com a forma que ele chegou. Arqueou uma das sobrancelhas com aquele inglês sofrido que ele dava, mas foi a primeira vez, desde a briguinha por conta do lol, que ela deu a sombra de um sorriso.

- Ahm...Thanks? - Pegou o copo com o chá puro e sem adoçantes.

- Stella-shi! Por favor, não alimente essa vergonha! Dê aulas de inglês para o Dong! - HaN dizia entre as risadas. - Ele precisa.

- Aulas de inglês, hm? - Ela olhou de HaN para Dong de novo e tombou de leve a cabeça. - Quando quiser.

O jeito que ela disse isso, fez os óculos de Min-Ho embaçarem e HaN fazer um “oooh’. Ui-Jin se afogou na coca-cola, mas Stella continuou encarando Dong.

- Desde que o chá esteja bom… - Tentou cortar um pouco o clima e deu um gole no chá. Para qualquer pessoa, ele estaria horrível, mas dentro das restrições alimentares de Stella, estava delicioso. Ela deu um sorriso no canto dos lábios e comentou. - Só marcar o dia e horário.

Kim, Chae e Lee-Hi também acompanhavam a cena. As meninas não sabiam do que tinha acontecido no corredor e apenas achavam graça da interação. Mas Kim ficava feliz porque as coisas começavam a se resolver.

Enquanto eles falavam, mais gente chegava ao refeitório: Hyun-Hee era um deles. Como Chae estava virada de frente para a entrada, ela o notou e só revirou os olhos, colocando o celular na frente da cara para tapar a visão dele. Jung-Mi e MiSoo entraram logo em seguida, juntos e, talvez, isso fosse do interesse de Sunny - ela estava ao lado de Chae, também virada para a entrada.

Stella continuava bebendo seu chá, de pé e HaN olhava para Dong, no caso dele precisar de algum suporte. Não sabia o que o amigo pretendia, mas bom...O chá já tinha sido entregue e aceito.

Pelo menos isso.


[HYEMIN]

Yerin pausou seu movimento quando sentiu a mão de Hyemin sobre a sua. Olhou das mãos unidas para a amiga e meneou positivamente com o comentário dela. Era exatamente isso que queria dizer. Às vezes, a melhor saída era o recuo mesmo. Ataques surpresas eram mais efetivos.

Sentia que aquela seria uma batalha difícil, até porque, ela não queria passar pelo mesmo que tinha sofrido no dia anterior.

Aquele vídeo tinha sido um erro, se expor tinha sido um erro gravíssimo. Mas agora, pelo menos, tinha aprendido. Tinham que fazer as cosias sem serem vistas ou mandarem outros fazerem. Como foi o caso de Ye-Ji. Yerin se orgulhava de seu plano, bastava enviar um arquivo revelador e vergonhoso para que aquela bochechuda retardada fizesse o que ela mandava.

As pessoas eram tão...ridículas.

Primeiro porque aquela menina teve a coragem de confiar em alguém como aquele menino. Depois porque fez o que ele pediu. Agora estava nas mãos de Yerin e...ela gostava de ter esse controle sobre as pessoas. Era assim que conseguia o que queria: pegando o ponto fraco das pessoas e ameaçando. Podia ser um jogo sujo, mas quem disse a vida era justa e limpa?

Ficou satisfeita ao ouvir de Hyemin que ela a ajudaria e concordou. Olhou na direção de Hayoung que vinha acompanhando Dong. O garoto a encarou por alguns segundos e ela correspondeu ao olhar, sem nem ao menos hesitar. Era divertido ver quem aguentava encarar por mais um tempo. Sabia que seus olhos davam medo - tirando com o aluno novo, onde ele não pareceu temê-la e sim…

Franziu um pouco as sobrancelhas ao se recordar desse momento de fraqueza na escada. Logo se ajeitou e  olhou para Hyemin.

A amiga estava olhando na direção da porta de novo, mas dessa vez era vendo o orelhudo, a bolsista e a impura. Yerin coçou de levinho o queixo e meneou positivamente.

- Sim, vamos colocar em prática. - Fez um sinal chamando Hayoung para perto.

Eun-Na e Yewon não puderam - ainda estavam com JiRan e MiRan, estranhando um pouco aquele comportamento. Hayoung prontamente atravessava todo o refeitório para chegar até elas. Enquanto isso, Yerin voltava a tocar na mão de Hyemin e fazia um afago.

- O presente é uma boa ideia mesmo. Vou dar algumas sugestões, tá bom?

Piscou para Hyemin e Hayoung logo chegou toda boba e feliz.

- Ooi, ele trouxe!! - Entregou o bolinho para Hyemin e sentou-se ao lado dela.

- Que bom. Você já lanchou, Hayoung-shi? Quer um pepero? - Ofereceu uma das caixas.

Hayoung ficou em choque e olhou para Hyemin, perguntando-se o que estava acontecendo ali. Ficou um pouco sem jeito, ajeitando o cabelo e sorriu, aceitando o pepeto tradicional mesmo.

- Obrigada, Rin-Ah…

- Não precisa agradecer, tem um monte aí. - Indicou a bandeja delas cheia de guloseimas que ela comprou para Hyemin. - O que vocês vão fazer amanhã à tarde? Estava pensando em ir ao shopping ver um sapato preto novo. Talvez o branco que você prometeu, Min-Ah...Estraguei o meu ontem…

Limpando a quadra. Hayoung começou a comer seu pepero em silêncio, até que percebeu que estava sendo incluída na conversa também.

- Oh...Hm...Eu tenho nada, eu acho. Talvez eu possa ir…

- Vá. Será bem-vinda.

Yerin disse com tranquilidade, mas logo a entrada de Hyun-Hee acompanhado de Da Won e Jong-In trouxe certa surpresa e estranheza para sua expressão. Chegou a franzir um pouco as sobrancelhas, encarando sem nenhum tipo de cerimônia.

- Esse menino é muito estranho, mas não posso dizer que é burro. Já está retomando as amizades de antes… - Comentou. - Daqui a pouco, Jung-Mi não terá mais o posto que ocupa hoje em dia. Não é como ele se importasse também, mas mesmo assim…

- Tenho um pouco de medo dele. - Hayoung comentou. - Ele é bem explosivo, não é?

- Bastante. E é isso que vai levá-la ao topo ou para o buraco. Não acha, Min-Ah? - Voltou a atenção para a amiga, esperando a opinião dela sobre o assunto, se mostrando bastante interessada.

O que não era nenhuma surpresa. Yerin sempre se interessava pelo que Min-Ah dizia.

[HYUN-HEE]
(Won, Sunny e Dong)

E foi dessa forma, numa simples conversa despretensiosa que Hyun-Hee não apenas retomou parte da atenção de seu antigo grupo, como também ficou sabendo de importantes informações e ainda tinha arranjado uma festa.

As festas que Jong-In conseguia eram bastante duvidosas. Ele era um menino “precoce” apesar do rostinho não aparentar isso. Desde os 14 anos, já conseguia bebidas ilegais graças aos empregados de sua família e fazia a alegria de seus amigos. O tempo só tinha aprimorado suas habilidades, porque agora ele não fazia festas no “recanto” deles - era um estúdio que Han Minhyun tinha e a chave era compartilhada por todos os integrantes do grupinho. Ali era o local de festas e outras coisas mais.

Além disso, também tinham os famosos karaokês que ele começou a frequentar e arrastar Hyun-Hee quando ambos tinham 15 anos. Porém, agora ele elevou o nível. Iriam a uma festa para maiores de idade, com carteiras falsas e...bom…

O que esperar dessa festa, não é?

Hyun-Hee sabia de pelo menos três nomes envolvidos: Jong-In, Da Won e Do Jimin. Provavelmente tinha mais gente, mas Jong-In sabia ser discreto.

- Ótimo. - O garoto disse. - Durma durante a Ópera e economize as energias para virar a noite. Vai ser bem divertido.

Da Won só confirmava com a cabeça - não era a primeira vez que faziam isso, aparentemente. A sugestão de Hyun-Hee foi prontamente atendida. Jong-In queria ver as meninas mesmo e não apenas as que passavam pelo corredor. Queria ver a concentração inteira!

Por isso, guiou Hyun-Hee até o refeitório.

Alguns grupinhos chamariam a atenção. Eun-Joo e suas amigas - metade do 2º ano estavam numa mesa que rivalizava com a outra metade das meninas. O 2º ano era bem simples e não tinha mini-grupos como o 1º ano tinha. Havia o grupo da rainha e as outras meninas.

Simples.

E Eun-Joo ainda estava consolando Yuha pelo que tinha acontecido, junto da prima de Minyun, Jimin e a outra menina. Jong-In fez uma careta vendo esse grupo, próximo.

O olhar dele passou brevemente pela dupla que Hyemin e Yerin formavam. Esboçou um sorriso no canto dos lábios, mas mudou o foco. A menina bonita que tinha passado - Sunny - estava no grupo de Chaeyoung e Lee-Hi. Foi impressão dele ou Chae estava evitando encará-los?

Por que?

Nem fez nada. Ainda.

Deu de ombros e continuou olhando, até que decidiu.

- Já que você não está em bons termos com a Joonie, vamos ali. Dê um olá para Mily, Mi-Na e Siyeon.

Eram meninas que não faziam parte do grupo de EunJoo, mas eram tão belas, inteligentes e ricas quanto. Tanto que eram as capitães de Música, Dança e Botânica, respectivamente. As três estavam conversando tranquilamente até que viram Jong-In puxando uma cadeira e se sentando.

- Oláá...Por que tão sozinhas?

- Oppa?! - Mi-Na arregalou um pouco os olhos. - O que está fazendo aqui?

- Conversando com vocês, oras. Por que a surpresa?

- Sei… - Mily o encarou desconfiada, mas logo olhou para Da Won e Hyun-Hee. Ficou surpresa com a presença de Hyun-Hee. - Hyun-Hee-oppa? Uwaa…

Siyeon arregalou os olhos e corou um pouco.

- Viram? Eu faço a gentileza de trazer o meu amigo até aqui e recebo somente desconfianças e caras tortas. Enquanto isso, Hyun recebe os “oppas” ‘que saudades” “tititi”, vocês são umas ingratas.

- E você é um salafrário. - Mi-Na respondeu sem nenhum tipo de problemas e olhou para Hyun e Da Won. - Como vão? Sentem...Digam o que querem.

- Posso mesmo dizer o que eu quero? - Jong-In levava a mão até a de Mi-Na e recebia um tapa.

- Eu não caio na sua conversa, Jong-In…

- E isso te deixa ainda mais atraente, sabia?

Jong-In não provocava Mily porque sabia que perdia para Da Won. A menina encarava Da Won e esperava por uma postura dele. O garoto entendeu os sinais e sentou-se ao lado dela.

- E o clube de música?

- Cheio...E o de politica?

- Cheio também. Por que não participa?

- Pelo mesmo motivo que você não participa de música.

- Façam dança. Hyun-Hee, vamos para dança? Certeza de que vamos nos divertir bastante lá.

- Por favor, apenas não. Você não, o Hyun pode.

- Má. Ruim. Cruel.

Pouco a pouco Hyun sentia aquela sensação de que...no fim das contas, era muito bom estar de volta.

[MISOO]

- Não quis dizer “doida” como uma ofensa. - Redimiu-se ao ver aquele bico dela, tentando se consertar à tempo. - Foi como um adjetivo para...hm...Espontânea? Talvez… - Tentou achar a palavra mais adequada, mas espontânea caiu bem.

Esperava que isso fosse o suficiente para que ela desfizesse aquele bico aborrecido. Não queria colocá-la ainda mais para baixo. O que aconteceu na sala já tinha sido o suficiente. Ficou em silêncio diante da reação dela sobre a questão do medo. Entendeu o que ela quis dizer, mas ainda era uma forma de medo, não é?

- E realmente acha que se afastar dos seus amigos e pessoas que você gosta, será o bastante? - Questionou. - Não acha que ficará apenas mais exposta sozinha? Pessoas como elas gostam de atacar alvos únicos, elas ficam quietas quando percebem que você não está sozinha.

Foi meio o que aconteceu na sala, se ela parasse para pensar. Caso ninguém tivesse elevado a voz ou se metido no meio da conversa, MiSoo continuaria ouvindo aqueles absurdos por mais um tempo. E quanto tempo ela aguentaria? Podia ser forte, podia não sentir medo dela, mas existia aquela história de que “uma mentira contada mil vezes, se torna uma verdade”. Por mais que ela resistisse, em algum momento, aqueles comentários seriam tidos como verdade na mente dela.

Jung-Mi nem imaginava o que ela passava em casa e o quanto aquelas mentiras já tinham surtido “seu efeito”.

Aproveitou o momento para comentar que não se importava com os comentários mentirosos e que não se importaria se fosse verdade. Não tinha dito num tom romântico ou de declaração velada, apenas o que realmente sentia. Se ele era o “rei” podia fazer o que quisesse, né? Mas mesmo que não tivesse mais esse título - que ele nunca quis - ele ainda seria um Park, um ranking 1. O sangue de seus pais e de Hyun-Hee também estava presente em sua veia.

Era engraçado como as pessoas às vezes se esqueciam disso.

Só por ser mais calado e discreto, achavam que ele não explodia.

Hehe…

Esboçou um sorriso no canto dos lábios para MiSoo e concordou.

- Não, não precisa mais. Mesmo que me chame de robô, embora eu não mereça mais ouvir isso. - O sinal dela foi respondido com o mesmo gesto antes dele se levantar.

Ajeitou sua roupa e ofereceu a mão para ela. Era um gesto simbólico sim, uma forma de demonstrar que agora eles eram amigos e que MiSoo podia contar com ele. Caso caísse, ele estaria ali, assim como os outros, para entender a mão a ela e a ajudá-la a se levantar. Segurou de maneira delicada e gentil aquela mão hesitante, ate que fechou e deu o apoio necessário para que ela se levantasse.

Após ajudá-la, ele deu um tapinha de leve no topo da cabeça dela, entre os coquinhos que ela tinha feito. Foi o último contato antes de colocar as duas mãos nos bolsos e seguir com ela até o prédio de novo.

- Vamos que acho que ainda dá tempo de comer alguma coisa. - Comentou. E andava ao lado dela, oferecendo certa proteção e mantendo aquela expressão inabalável.

Os eventuais olhares não o incomodavam ou mexiam com ele - com exceção de um, que vinha de uma das alunas novas. Quando retornassem até o prédio, Hyun-Hee não estaria mais no corredor e o refeitório estaria um pouco mais cheio do que antes. Como Jung-Mi tinha dito, os meninos - e agora Bo-Mi e Eun-Bi, pois Mia estava nas máquinas - ocupavam uma mesa mais ao fundo.

Hyun-Hee estava ali com um grupo de alunos do 2º ano, bem como Hyemin, Yerin, Dong, Sunny e seus respectivos amigos. O olhar de Jung-Mi acabou indo até o de Sunny, mas ele não pareceu se envergonhar ou se preocupar por ser visto ao lado de MiSoo.

Já MiSoo chegaria à mesa e ouviria algo que, talvez, não fosse agradar seus ouvidos…


Instantes atrás


Após toda aquela confusão no corredor, Bo-Mi, Eun-Bi e Mia finalmente tinham chegado ao refeitório. A bailarina meio que agradeceu pelos amigos se sentarem ao fundo, mas lamentou pelas máquinas. Os cumprimentos foram breves e Mia disse que pegaria o que ela quisesse.

- Ashaa...Tenho fome mesmo. - Levou a mão até a barriga. - Onde está a MiSoo, hein? - Pegou o celular pela primeira vez naquele dia, um verdadeiro recorde particular.

- Não vi ainda. - Ryu comentou e olhou para Bo-Mi. Ryu e Eun-Bi estavam sentados de costas para a entrada enquanto Bo-Mi sentou-se ao lado de Gyu-Sik.

- Ela me mandou uma figurinha. - Gyu-Sik comentou. - Mas o Jung-Mi saiu às pressas, façam as contas.

Disse com certo ar de resignação. Bo-Mi e Eun-Bi encararam Gyu-Sik com certa pena. A irmã até deu uma coçadinha na cabeça dele. Estava de bico com Eun-Bi de novo pelos comentários que ela tinha feito na frente de Won, mas não disse nada. Nem tinha como também, pois estava na frente de Ryu.

Sim, ela o achava muito bonito, mas também achava nada a ver as sugestões que Mia tinha dado. Eles não combinavam e, bom, eram só amigos, né? Quase irmãos. Não tinha como. O problema foi que ela se pegou tempo demais o encarando agora e isso deu a abertura necessária.

- Aqui, ela disse que ia demorar um pouco mais… - Eun-Bi disse.- Estranho.

- Deve estar com o Jung-Mi mesmo. - Ryu respondeu. - Bom…- Respirou fundo.

Enquanto tomava coragem para falar, Jung-Mi e MiSoo entravam no refeitório. Bo-Mi e Gyu-Sik olharam na direção dos dois - Jung-Mi não os encarava, porque estava olhando para algo lá frente. Mas MiSoo certamente os vira e já se encaminhava até eles. Logo ela ouviria as palavras de Ryu.

- Gyu-Sik comentou que ia sair com a Soyeon no domingo e…

- O que?! - Eun-Bi arregalou os olhos na mesma hora e Bo-Mi também ficou surpresa.

- Soyeon? Por que?! - Bo-Mi olhou para o irmão.

Gyu-Sik fechou os olhos, massageando a têmpora.

- Quando isso aconteceu, Gyu-Sik-shi? Você está namorando e nem falou pra gente?! - Eun-Bi estava inconformada.

Bo-Mi estava com os olhos arregalados, vendo MiSoo logo atrás de Eun-Bi ouvindo tudo. Gyu-Sik só abaixou a cabeça, respirando fundo. Soyeon tinha estudado na WangJo até a sétima série, mas saiu da escola porque sua família estava passando por uma crise. Felizmente - para ela, né? - a crise elevou os lucros, mas agora ela ficaria no Colégio de Seul, o segundo melhor e mais elitista colégio Coreano - rival do WangJo.

As meninas nunca tinham gostado muito dela, pois ela era meio sonsa, leva e traz. Nunca que dava para imaginar que Gyu-Sik ainda mantinha contato com ela, mas os dois faziam curso de inglês juntos.

Eun-Bi ainda estava indignada, mas sentiu uma presença atrás de si.

- Aye! MiSoo-ya! Estávamos preocupadas. Está tudo bem?




Gyu-Sik não se defendeu mais, preferindo olhar para o celular ao invés do “casalzinho” que estava ali.




- Karol tem um turno a mais, porque eu só adiantei esses aqui. Vamos ver como resolver;

- Desculpem a falta de imagens, tá tarde.
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:47 pm

Hyemin pegou o bolinho com as duas mãos e um sorriso no rosto. Parecia uma criança de tão feliz com aquilo.

- Komawo! - agradeceu, lembrando-se de que agora tinha que ser mais educada e logo passou a mordiscá-lo. Fez um aceno para Uijin, com um sorriso de satisfação, então voltou-se para seu lanchinho.

- … Você quer o meu bolinho? - perguntou hesitante e fez um bico. Não queria dividir o bolinho, mas já que Yerin estava sendo gentil, deveria ser também, não é? Isso estava muito na cara? Era melhor parar. Voltou a comer, desconstraída.

Adoraria sair com as amigas na parte da tarde, mas tinha o problema do celular e os cartões, que só deveriam ser devolvidos no fim de semana. Mesmo assim, era o plano da amiga, não podia negá-lo.

- Ahn… eu não sei quando appa vai me deixar rica de novo e devolver meus cartões, mas dessa vez eu posso ir para ajudá-la a escolher, Rin. Ah, é verdade. HayouNah você provavelmente ainda não sabe, mas trocamos a cor branca por vermelho. Podemos ir para comprar os novos acessórios

A menina terminava de comer o bolinho quando seu oppa surgiu no refeitório. Ela ainda lembrava de quando tinha começado a estudar naquela escola e tinha achado aqueles garotos as pessoas mais legais do colégio. Por algum motivo, Yerin não tinha permitido que ela se aproximasse demais, especialmente daquele menino lindíssimo chamado JongIn.

- Não sei… ninguém confia direito no oppa mais, não é? Já Jung Mi nunca fez nada de errado. Se bem… que agora ele resolveu bater de frente com Taemin. É difícil saber qual dos dois ficará melhor na escola agora, mas tenho muita dó do Jung Mi… o Hyun Hee oppa nunca foi desse jeito de agora. Deve doer bastante olhar para uma pessoa que ele gostava tanto se transformar em outra completamente diferente - fez um biquinho. Já tinha falado sobre isso com o garoto e era assim mesmo que ele se sentia. - Eu prometi a Eunjoo unnie que eu iria falar com ele e fazê-lo pedir desculpas, mas não consegui. Ele está diferente nesse nível. Você foi muito corajosa de enfrentá-lo com uma aranha na caixa. Tome cuidado, Rin, ele não é mais só um menino popular que faz brincadeiras como o Taemin. Agora ele é imprevisível e xingou a gente na sala... Melhor a gente tomar cuidado mesmo.  


avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:47 pm

Hyun Hee olhou para o grupo da ex da mesma maneira que o fazia em suas brigas antigas: sentia-se vingado de antemão. Foi discreto o bastante para não reagir a Jimin, mas acabou olhando a loira por algum tempo. Ele nunca entendia mesmo essa cara lavada dela de ficar sentada ali mesmo depois de tudo.

Sua presença no refeitório agora tinha completamente outro ar. Passou a mão no cabelo. Os olhares não eram somente de desprezo. Ele tinha algum poder agora e sabia que estava deixando muita gente impressionada por ter voltado a conversar com os rapazes. Chorem, crianças, o rei voltou.

Isso sem dúvidas tinha feito muito bem a seu humor. Lançou um rápido olhar para a mesa onde descobriu Chaeyoung e apertou os olhos. Por que ela não o estava olhando também? Queria que ela o visse agora, sem ser um coitado. Nem tinha feito nada para que ela o evitasse assim. Será que JongIn já tinha feito seu serviço? A julgar pelo olhar neutro do amigo, não. Então tanto fazia. Logo se aproximaram da mesa de suas colegas de verdade, que faziam parte da sala que deveria estar.

Ficou em pé próximo a Jong-In até Milly notá-lo com aquela surpresa toda. Era, sem dúvidas, sua favorita do grupo, mas sabia que era a garota de Da Won. Não sacaneava os amigos. Mas se um dia ela quisesse…

Mesmo com sua preferência, ele não desprezava nenhuma, especialmente a mais coradinha por ele, Siyeon, mas sabia que essa era melhor agir dando atenção para as demais, pois assim ela gostaria mais dele. Quanto a MiNa… era propriedade de JongIn. Respeitava seu espaço e não tinha paciência para aquele jeito arredio. Deu um sorriso de canto e logo sentou-se também, despojado.

- ‘Noona’... senti saudades - falou a Milly, apesar de terem a mesma idade, brincou com o fato de agora estar um ano atrasado e elas serem “mais velhas”, mas naquele tratamento respeitoso e carinhoso. Virou o rosto então para Siyeon e sorriu. - Como têm passado?

As interações o deixavam um pouco cansado, mas ele ria mesmo assim e ainda assim estava muito melhor do que no começo do dia. Ainda não falava tudo sem ser muito calculado, mas já era um começo. Isso melhoraria em breve, acreditava. A festa coroaria seu retorno.

- Haha. Obrigado. Por que não permite que JongIn participe, MiNa-’sunbae’? Coloque-o no grupo do ballet. Eu mesmo faço questão de me inscrever só para filmar essa cena. Não acha que ele ficaria bem de collant? - riu alto.

- Eu estou em Culinária e Mecânica será que alguma de vocês dará a honra de  me acompanhar neste ano?  

Suprimiu o hipismo. Aquele era um clube somente de sua curiosidade. Não esperava ficar mais do que uma aula naquele lugar, agora que pensava com mais clareza. Só queria... sentir como seus pais um pouco.


avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:48 pm

Arregalou os olhos quando Dong falou que uma garota, Yewon, colocou o pé na frente de Stella, derrubando-a. Automaticamente se lembrou da primeira vez que a nova amiga se aborreceu na presença de Hayoung e principalmente das coisas que ela admitiu. Devagar, Sunny cerrou as pálpebras conforme crispava os lábios devido à irritação. Mas nada comentou sobre isso, respondeu que tinham combinado de se encontrarem no refeitório. De repente, sentia certa urgência em procurar Eun, porém Dong agiu mais rápido e foi na frente. Acenou para ele de modo positivo e o olhar cabisbaixo seguiu até o chão. Por que sempre precisava acontecer algo ruim? Talvez fosse inocência pensar que poderiam frequentar amistosamente o mesmo ambiente, onde todos, pelo menos, se suportavam. Na verdade, era tolice. Só que o mínimo de respeito mostrava-se necessário para uma convivência pacífica.

Não desejava confrontos ou perturbar a paz de ninguém, e imaginava que Stella e os outros bolsistas compartilhavam do mesmo pensamento. Mas que culpa tinham se apenas suas existências eram suficientes em colocar um alvo no meio da testa?

Sunny balançou a cabeça e suspirou.

A voz de HaN a trouxe de volta e Kim respondia pelos dois. A menina percebeu aquela expressão estranha outra vez no rosto do amigo.

Não gostava disso.

Não gostava de não saber o que estava acontecendo com ele – não por curiosidade, mas preocupação.

- Já vamos, HaN... Podem ir na frente. Eu só quero falar uma coisinha rápida com o Kim, tá? – sorriu para o trio – Por favor, se a Eun-Seok estiver lá, avisem de que não demoraremos mais aqui – e de fato, seria algo rápido. Tanto que ocorreu uns minutinhos antes da explosão de Jae-Ki. Ela puxou o amigo e se colocou na sua frente, assumindo uma feição séria, porém não aborrecida, até porque, nos olhos de Sun-Hee, Kim reconheceria a angústia em relação a ele – Sabe que precisamos conversar, certo? Acho que passou da hora, até. Tem coisas que estão me confundindo, Kim... E essa carinha... – apontou – é uma delas. Mas, não aqui, nesse colégio, onde ficamos tão expostos. No final de semana, talvez. Podemos levar os bebês para passear, lá perto da pracinha. Eles sentem sua falta.

Entretanto, como raramente sentia...

Tinha receio do que esperar, pois todos carregam um ponto inacessível, e não queria segredos entre ela e Kim. Não queria uma... barreira.

O que era um tanto hipócrita da parte de Sunny.

- Você é o meu melhor amigo e não há nada que eu não faria para vê-lo feliz. Agora, melhor irmos antes que a gente perca o intervalo inteiro.


No caminho até o refeitório, Kim logo indicou uma direção e os dois puderam ver Stella encostada próxima do armário que foi “palco” do incidente do dia anterior, envolvendo a garota que arranjou a confusão com Chae, a própria Chae e o irmão de Jung. O coração apertou ao notar as bochechas vermelhas de Stella e os olhos marejados. Pior ainda foi a forma que ela falou... Porém, pelas respostas breves, deduziu que seria melhor não alimentar o assunto. Só que não esqueceria disso, de jeito nenhum. Com delicadeza, Sunny segurou a mão da menina e apertou.

Sorriu compreensivamente.

- Uhum, vamos!

Sem cerimônias, entrelaçou os braços de ambas.

Apesar da feição serena e o sorrisinho continuar marcando presença, por dentro, Sunny morria de raiva, tanto que vez ou outra, focava a frustração nos maxilares, trincando-os de modo disfarçado. Quando alcançaram o térreo, pouco antes do objetivo em questão, elas e Kim viram o grupinho do segundo ano, e nele, a única pessoa que Sun-Hee reconheceu foi Hyun. Mas, não chegou a encará-los, nem nada. Passou reto com Stella e Kim.

E então, na entrada, ela não controlou o pescoço, que se mexia lá e cá, na procura de uma pessoa, e acabou notando a ausência de duas. Até os amigos de Jung Mi estavam ali, menos ele. Respirou fundo, se censurando mentalmente por ligar. No entanto, uma dupla específica captou a atenção de Sunny. Hyemin eYerin. Sempre, né? Viviam cercadas por garotas tão egocêntricas quanto elas, diferente de agora. Evitou fitá-las, não por medo, apenas já tinha problemas demais para um dia. Ao invés das meninas, olhou para Joo Hyuk e esboçou choque ao pegar o amigo encarando fixamente a nojentinha de carinha fofa.

Quê???

Kim!


O impulso era de segurar as orelhas enormes dele e arrastá-lo para longe daquela menina que tanto parecia incomodá-lo.

A cena da ovada ainda estava bem fresca na sua mente. Claro que achou o castigo justo e muito bem aplicado, mas duvidava que elas estivessem arrependidas da brincadeira ridícula e maldosa.

À princípio, ficaram parados, até se situarem. Não demorou a ver o aceno de Lee Hi, que junto de Chae, arranjou lugares. Sunny correspondeu o gesto e sorria. Próximos da máquina de bebidas e guloseimas, avistou Dong e os outros meninos, mas naquela altura, o três estavam perto da mesa. Óbvio que eles eram bem-vindos a se aproximarem e nem precisavam de convites. Antes de sentar, escolhendo qualquer cadeira, deu um beijinho carinhoso na cabeça das amigas – Oi, gente! Desculpa o atraso! Vocês já comeram? – enquanto isso, Dong era praticamente escoltado por HaN, Ui-Jin e Min-Ho. Kyung tentava falar em inglês de um jeito engraçado... Sun-Hee riu, não zoando, mas sim porque achou fofinho e os risos continuavam por conta de Ha Neul. Ficou animada ao notar que Stella entrava no joguinho, criando um suspense até aprovar o sabor do chá.

Sentada ao lado de Chae, tinha o mesmo ângulo de visão da amiga. As duas veriam a chegada dos irmãos Park, em momentos distintos. Enquanto Chae demonstrava irritação com a presença de Hyun, Sunny – diante do olhar que recebeu de Jung – entreabriu os lábios e arregalou os olhos, mas logo abaixou a cabeça, encarando as mãos entrelaçadas e que se contorciam em cima do colo.


Ele não foi hostil, mas... seguro.

O que era pior, como se assumisse o que a cobra da Yewon insinuou na sala.

A boca trêmula ganhou um beicinho conforme as sobrancelhas se uniam de leve.

Tanto faz!

Quem disse que se importava?!

Não mais! Chega dessa bobeira! Imaginação idiota!


- Vou pegar algo para beber. Alguém quer também?
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:49 pm

Jung Mi corrigiu a palavra “doida por “espontânea e MiSoo apenas concordou com a cabeça, entendendo o que ele queria dizer e amenizou um pouco a expressão em seu rosto, embora ainda estivesse longe da doce e alegre expressão costumeira da menina.

Baixou novamente a cabeça com a pergunta dele. Sabia muito bem que era mais seguro em grupos, mas se sentia muito mal quando as maldades das garotas para consigo ricocheteavam nas pessoas próximas.

- Eu… Não quero me afastar de ninguém… Você tem razão. - não queria mostrar totalmente seu ponto de vista nesta questão.

Ele estava certo e MiSoo só estava sendo uma medrosa, mesmo que quando as maldades fossem consigo mesma, a garota se importava menos. Já estava acostumada a receber tal tratamento de pessoas desse tipo, mas seus amigos não… E não queria que eles jamais se acostumassem, como ela precisou.

Agora a situação ficava melhor e MiSoo dava um sorriso mais característico seu.

- Já que não posso mais chamar de robô, precisamos encontrar um nome melhor, então! - deu uma leve risadinha, apenas brincando.

O gesto de ajudá-la a se levantar tinha lhe deixado constrangida, mas tentou sorrir e agradecer. Sabia que era um ato de gentileza, ou até amizade, mas segurar a mão de um garoto assim era… Diferente. Novo, talvez?

Deu mais um sorrisinho com o tapinha sobre a cabeça, ainda sem jeito. Mal tinham se tornado amigos e do jeito com que ele agia fazia MiSoo sentir como se essa amizade já existisse há muito tempo.

Ainda um pouco incomodada com a história sobre chamarem a atenção juntos, MiSoo andava um pouquinho mais para trás e meio cabisbaixa, mas logo assumiu a dianteira quando entraram no refeitório e a garota enxergou a mesa dos amigos.

Logo que chegou perto da mesa começou a ouvir uma estranha conversa entre eles e trouxe uma expressão de surpresa, embora não dissesse nada. Parecia que todo mundo estava bastante surpreso - inclusive ela mesma - sobre o que Ryu revelava do amigo. Olhou para Gyu-Sik por um instante, mas ele tinha a atenção no celular.


Não sabia o que pensar - ou falar - sobre a conversa que tinham, por isso parou ali perto da mesa, apenas ouvindo, até que EunBi lhe chamou a atenção e lhe fez uma pergunta.

- Não. Quer dizer, sim. Mian a demora, fui entregar o formulário e depois pedir desculpas para Jung-Mi-shi pelas mentiras que ficaram espalhando hoje na sala e… Ah, você não estava presente… Ahn… Espere um momento. - e foi até as máquinas de comida, de um modo meio afobado, fingindo que não tinha prestado atenção em nada do que diziam quando ela chegou, embora BoMi provavelmente tinha percebido que ela ouvira, já que a encarava surpresa.

Agora que o problema sobre as falsas acusações das colegas cobrinhas tinha sido resolvido, pelo menos para MiSoo, a garota não tinha problemas de falar abertamente o que tinha ido fazer com Jung Mi. Para ela, seus amigos jamais acreditariam no que aquela garota despeitada da turma dizia.

Pegou uma bandeja e acabou comprando um monte de coisas. De pacotes de biscoitos a muffins, waffles e salgados sem prestar muita atenção no que pegava, pensativa demais com aquilo que tinha acabado de ouvir para se focar no que pegava.

Voltou cheia de comida na bandeja que praticamente jogou sobre a mesa, demonstrando também uma expressão mais séria do que quando se aproximou da mesa.

- Podem comer o que quiser, por favor. - convidou em um tom completamente neutro, meio cansado.


Logo ela pegou um lugar ao lado de EunBi e voltou-se para ela para continuar o que dizia antes:

- Ainda bem que você não estava junto quando a cobrinha começou a falar, EunBi-yah, tenho certeza que acabaria sendo atacada também e ficaria irritada. - segurou as mãos da amiga, nem sabia que ela já tinha se irritado poucos minutos atrás por causa do bolsista - Aishhh. Como são cruéis… Quase como aquele ali. - apontou na direção de Gyu-Sik, mas não olhou para ele.

Começava a ficar irritada com ele e com a conclusão que já tirava mentalmente. Acabou o acusando sem pensar. Nem lembrava mais que só BoMi estava presente nesse episódio do refeitório no dia anterior e acabou falando como se todos estivessem também.

- Ah. Esqueci o chá. - pegou um waffle de um pacote que tinha trazido junto, colocou na boca e levantou-se apressadamente para ir em direção à máquina de chás.

Não disfarçou a expressão emburrada no caminho até seu chá. A cabeça já não estava muito boa hoje, agora tinha mais isso. MiSoo acreditava ter descoberto finalmente o motivo de não ter recebido nenhum tipo de desculpas até agora. Ele deveria estar ocupado demais com sua nova ami… Elas tinham dito namorada, não?

- Aisshh… - resmungou enquanto pressionava com certa irritação o botão do chá gelado de gengibre com limão.




Só pelo nome nem se recordaria quem a moça poderia ser e nem tentaria lembrar agora. Tinha certeza que por causa dela, Gyu-Sik nem deveria lembrar mais que devia desculpas à MiSoo - se é que ele já chegou a achar que tinha essa dívida. No dia anterior, quando a tenista tinha passado por ele no condomínio só poderia ser com essa menina que ele conversava e estava entretido demais, nem demonstrava remorso nenhum pelo que dissera. Provavelmente nunca deve ter achado que disse algo de errado. Afinal deveria ser isso mesmo que Gyu Sik pensava de MiSoo.

Ela bufou irritada e ruidosamente para a máquina.

Se ele não se importava em magoá-la então provavelmente nunca tinham sido amigos para começar.

A cabeça já bastante conturbada de MiSoo chegava à essa conclusão, embora não conseguisse encaixar muito bem nessa certeza o por quê de Gyu Sik ter corrido atrás dela - quando era péssimo corredor - e a consolado, quando MiSoo tinha perdido o controle no café. Parecia até se importar naquela ocasião, mas…

MiSoo não conseguia mais pensar sobre isso. Estava mentalmente cansada, as têmporas quase doíam. No momento só conseguia pensar em comida e quando percebeu já estava quase pegando o terceiro chá na máquina. Ficou com apenas dois mesmo e voltou para a mesa do grupo.

Não se importava mais em receber desculpas. Ele tinha coisas mais importantes com as quais se se ocupar e obviamente a amizade deles não era tão importante para o garoto quanto era para MiSoo.

Não valia a pena manter uma amizade assim. Tinha outros amigos que, assim como MiSoo, sabiam se desculpar quando cometiam um erro!!

Colocou os copos na mesa e voltou a sentar-se ao lado de EunBi, disfarçando a irritação e abrindo um pacote de muffin para dar uma grande mordida. Explicaria melhor o que tinha acontecido mais cedo, mas acaba descobrindo que BoMi já tinha dito. Era melhor assim, não precisar explicar o bullying que sofreu na frente dos outros.

Só então percebeu que não tinha ainda cuprimentado Mia.

- AH!! MIA-yah! Bom dia! - ergueu a mão exageradamente alta e acenou para ela - Faz tempo que não lhe vejo!! - esforçou-se para dar um bonito sorriso, contente em vê-la mas um pouco aérea ainda.

Não ignorava mais Gyu-Sik, porque agora que não esperava mais um pedido de desculpas pelas palavras cruéis, não tinha mais importância. Ou pelo menos era assim que MiSoo queria que fosse.

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:50 pm

Won queria ignorar os comentários seguintes. Imaginava que Jae-ki explodiria ainda mais e não queria correr o risco de brigar de verdade com o amigo. Mas a resposta foi muito diferente do que imaginava.

@Jae-ki escreveu:
- Cara, para. Won!! Espera! Eu vou no seu emprego, falo com eles! Qualquer coisa! Eu vou convencer eles!

Won parou de andar enquanto Jae falava, mas ainda não se virou para ele.

@Jae-ki escreveu:
- Won, foi mal, eu digo coisas sem pensar, eu realmente não consigo me controlar - Disse com sinceridade e preocupado -  Eu queria poder dizer ao seu pai a verdade, queria mesmo. Eu te ferrei, fiz merda. Se isso só me ferrasse, eu iria agora falar com seu pai e com o seu mestre, mesmo que eu perdesse a bolsa, eu juro! Mas pela minha irmã eu não posso. Escuta, é sério. Ela não tem culpa do que eu fiz. Você viu como meu bairro é, ela não pode crescer ali! E eu vou no seu trabalho hoje, te ajudo a desenrolar com eles! E se não der, eu te arranjo um emprego novo! Eu não sabia que estraguei tanto a sua vida. Jiral! Eu vou me esforçar para reparar isso, e se tiver uma forma de eu falar com seu pai sem eu perder a bolsa, eu falo também!

"Eu não vou te fazer perder tudo Jae. Deve ser por isso...que eu menti. A gente carrega peso demais nas nossas costas"

Won ainda não se vira, apenas escuta Jae falar.

@Jae-ki escreveu:-Você tem que me contar as coisas, se não eu não vou saber. Você nem falou dessa coisa com o seu pai quando eu perguntei. Por isso queria que te tivesse me contado do que falou pro Kang, eu mesmo ia contar tudo para ele como combinamos. Eu não devia ter te chamado naquela briga, aigo... Vocês não tem nada ver com meus problemas, são meus problemas não é? É muito peso em cima de vocês, não vou envolver mais vocês nessa, juro! E que história é essa de eu ser o descolado? Você não tá sendo humilhado, aquelas garotas até parecem gostar de você. No corredor você tava com vários colegas ali... Eu fiquei com inveja... Eles que me olham feio por causa do meu olho, já me olhavam com desprezo, de onde você tirou que eu sou descolado cara?! Um braço enfaixado qualquer um pode ter, escorregou, caiu da bicicleta, mas um olho roxo, só quem se mete em briga e perde... Se eu tivesse metade da sua calma, eu tava bem. Aigo... E por causa disso até a Senhorita Yang ficou fazendo perguntas por causa do meu olho, eu achei que poderia ter sido suspenso ali... Otoke... Pensa também, como você se sentiria se eu contasse um segredo seu na frente da garota que você gosta?  Eu sei, eu exagerei, porque eu sou assim, é mais forte do que eu... Sou o Jae-ki... Sempre o aluno problemático da escola, o pior aluno... Quando eu fico com raiva, não é por que eu odeio vocês, são meus únicos amigos. Eu sei que o mundo não gira ao meu redor, não sou esse tipo de pessoa. Por causa desse meu descontrole que eu me dou mal, não sou egoísta, eu juro!

"Jae-ki...você acabou de admitir que gosta da Eun-bi, não é?" notou esse detalhe e deixou as palavras do amigo serem processadas pelos três ali.

Kang também se manifestava, pedindo desculpas. Se sentia culpado também por aquela situação.
Lhe apertava o coração ouvir que Kang também tinha seus problemas, sua solidão e aquela grande necessidade de ter amigos, além dos problemas em casa.

"Como é possível, eu encontrei amigos tão parecidos e diferentes comigo..."

Não conseguiu deixar de sorrir enquanto Kang fazia a confusão de sempre com dragões, dragões retardados. Mas estava de costas, não o veriam.

-A gente não pode mudar o passado Jae-ki - disse refazendo a expressão séria -Mas a gente pode consertar o futuro. Aqui e agora

Se virou para os amigos. Realmente não imaginava essa reação em suas palavras, principalmente de Jae-ki.

-Eu vou dar um jeito no problema do emprego, do mestre e do meu pai. Jae-ki, Kang...eu nunca tive amigos. Não de verdade, daqueles que eu poderia entrar numa briga junto e saberia que estariam do meu lado

Won se aproxima de volta andando lentamente.

-Vocês são importantes e eu nunca ia jogar isso fora, nem que a gente se conheça só a três dias. Mas a gente precisa trabalhar juntos, pensar juntos, senão essa escola vai consumir a gente

Respirou fundo.

-Fizemos besteira, os três. E muito mais coisa vem pela frente, três anos de pessoas que vão fazer de tudo pra tirar a gente daqui. Mas se a gente ficar junto, a gente consegue

Era hora de parar de se achar um coitado. Won-bin precisava acreditar se quisesse proteger os amigos. Talvez não fosse um heroi, ou um detetive, ou espião, mas era Hwang Won-Bin. E isso era o melhor que podia ser.

-Me perdoem Jae-ki, Kang. Nós ainda somos os três dragões...retardados por enquanto. Flamejantes depois - abriu um sorriso.
-Kang, se você se segurar a gente pode contar o que aconteceu ontem a noite? Mas não aqui, vai saber quem pode ouvir

Não sabia exatamente para onde ir agora, afinal, inconscientemente não queria cruzar com Bo-Mi e Ryu conversando no pátio...

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 01, 2018 3:51 pm

Jae-ki ficou falando e tentando resolver as coisas, mas estava ainda mais preocupado ao ver que Won Bin não virava em sua direção. Parecia mesmo que tinha perdido o amigo, tinha sido tão ingrato? Mas ele estava parado. Será que tinha chances do Won o perdoar? Então Kang se aproximou e começou a pedir desculpas e a falar para não brigarem. Jae-ki ficou surpreso com a reação do colega, porque ele tentava recuperar a amizade deles. E depois quando ele começou a contar a própria história, Jae-ki sentiu que podia entendê-lo, sabia o que era ter um pai "não legal", mesmo que não soubesse o que o pai dele tinha feito. Não compreendeu de primeira o que a mãe de Kang tinha feito, apesar da curiosidade não se atreveria a perguntar agora, não depois dessa briga.

As palavras de Kang o comoviam cada vez mais conforme ele falava, e quando começou a confundir dragão com três cabeças e a falar que deviam ser três cabeças retardada juntas, Jae-ki não conseguiu segurar um sorriso. Kang sabia mesmo como melhorar o humor deles, foi assim no primeiro dia.

- Kang... - Disse em voz baixa.

Won Bin falou algo e Jae-ki ficou parado ouvindo atentamente o que ele tinha a dizer, queria saber se estavam ainda brigados, e se o tinha perdoado por estragar a vida dele, não era algo fácil de perdoar. Quando ele falou que não podia mudar o passado, Jae-ki esperava pelo pior, mas o resto das palavras foram diferentes, falava de futuro. Won tinha voltado a ser amigo dele?

De repente Hwang se virou para eles e começou a falar dos problemas, que daria um jeito. Apesar de Won falar que iria resolver seus problemas sozinho, Jae-ki não podia deixar isso de lado. Tinha visto como prejudicou o amigo, o braço, o emprego, o pai, o treino e o sonho dele. Tinha que fazer algo para recuperar isso. Agora o sacrifício do amigo parecia muito maior do que já imaginava, teria que fazer o dobro para compensar.

Também notou que aparentemente os três tinham em comum o fato de que tinham dificuldades de fazerem amigos. Jae-ki nem conseguia imaginar como dois caras tão legais quanto eles podiam nunca terem tido amigos antes. Sobre Kang até entendia um pouco, fofocas da família sempre ajudavam a fazer os outros se afastarem, tinha sentido isso também em sua escola. Bastava ter um vizinho estudando na mesma escola para a notícia se espalhar. Jae-ki ainda tinha seus fieis amigos da gangue, mas dentro da escola só teve o Hyung, que era bem diferente de Won e Kang. Percebia também que não podia esperar que esses dois agissem como Jong-Suk e Jihoo, e nem tratá-los da mesma forma. Também não poderia envolvê-los em brigas, tinha visto o que aconteceu a Won Bin. Com os da gangue era diferente, porque já se envolviam em brigas antes, não tinham pais responsáveis,  uma família decente e nem estavam em Wanjo para terem medo de serem suspensos. Eram garotos perdidos onde a briga fazia parte da vida deles, assim como a de Jae-ki. O problema é que tinha que mudar se quisesse permanecer em Wanjo e ter a amizade de Won e Kang, teria que aprender a se controlar, embora ainda não soubesse exatamente como. Era um fato que Kang tinha contado algo seu sem pedir permissão, mas também não teve tempo de dizer ao amigo o quanto isso era importante para ele.

Quando Hwang falou que os considerava importantes e que nunca ia jogar isso fora, Jae-ki se sentiu comovido mais uma vez e aliviado ao ver que não tinha perdido o amigo! Aqueles dois queriam ser seus amigos apesar de sua personalidade difícil, quando todos se afastavam, os dois ainda estavam lá ao menos, não podia mesmo falhar com eles. Concordava que os três tinham errado e ficou aliviado ao ver Won fazendo planos de ficarem juntos. Riu de novo ao vê-lo falar dragões retardados... Esse nome estava pegando mesmo e era como se sentia agora, não entendia mais muita coisa e ficava cada vez mais confuso com as pessoas de lá. Só as matérias estavam fáceis. Jae-ki olhou para Kang e dobrou os lábios para dentro da boca.

Estava com o semblante mais calmo e animado com o papo que tiveram. Também reparou que a gravata dele estava torta porque o tinha puxado pelo colarinho. Jae-ki se aproximou de Kang e arrumou a gravata, tentou ao menos deixar como estava antes. Deu umas batidas na roupa dele para tirar os amarrotados, mais como gesto amigável do que realmente para ter um resultado, já que sua mão não era um ferro de passar.

- Eu não ia bater em você, foi mal... Não vou fazer isso de novo - Suspirou e continuou - Cara... Quando eu falei que era para contar da sua vida, não falava sério Kang. Mas se isso te faz se sentir menos esquisito, sei como é ter um aboji que não presta... Quer dizer! Não que eu esteja xingando seu aboji! Não, isso não... Eu não sei como ele é de qualquer forma.

Colocou o braço ao redor do pescoço do amigo para abraçá-lo de lado, olhou para Won e respondeu:

- Vocês também são importantes para mim. E Kang, depois eu vou tirar fotos do seu caderno para copiar a matéria que perdi em casa. Assim não seguro seu caderno. Vou fazer os deveres hoje também, mesmo que eu não durma. Amanhã trago eles para vocês. Tudo que eu puder eu vou fazer! E por causa dos problemas eu nem comecei. Temos que ser os dragões flamejantes e tirar as melhores notas! O pai do Won precisa ver que ele é bom aluno para deixar ele ir para o treino.

Jae-ki coçou a cabeça, queria ir para o refeitório, mas depois do que houve, estava disposto a seguir os amigos e a aguentar o estômago. Fez uma cara de pensativo olhando para o teto e depois respondeu:


- Mas não estão com fome? Que horas são? Ainda dá tempo de comer? Ahn... Mas o refeitório não é lugar bom para conversar. Na real, acho que Kang pode decidir para onde vamos! Já que foi ele que foi sacudido...

Se Won e nem Kang decidirem para onde iriam, Jae-ki iria sugerir para irem comer alguma coisa, porque achava que mereciam uma folga, e porque estava com fome.

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 2

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 17 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 11 ... 17  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum