Fóruns Gráficos
Créditos
» Skin obtida de The Captain Knows Best criado por Neeve, códigos acrescentados por Weird e baseado no tema The Walking Dead Theme criado por Hardrock. Graças aos suportes e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foractivo.
» Versão Elysium adaptada por Nêmesis, Rossin e Persephone.
Narradores
Personagens Ativos
Últimos assuntos
» Capítulo 9
Hoje à(s) 12:27 am por Jae-ki

» @moonjaesun
Ontem à(s) 9:20 pm por Moon Jae-Eun

» We are Hope
Ontem à(s) 6:44 pm por Primula Rhododendron

» @ohmygyuri
Ontem à(s) 4:26 pm por Nam Gyuri

» @han.cherry
Ontem à(s) 3:34 pm por Han Somin

» 08 de Outubro - The BBG's Family
Ontem à(s) 3:14 pm por Tulipay Kay

» [PONTUAÇÕES]
Ontem à(s) 12:41 pm por Starry Night

» @taeyoon_gb
Seg Dez 17, 2018 10:43 pm por Tae Yoon

» - Capítulo 1 -
Seg Dez 17, 2018 10:40 pm por Lara Annete Darlington


Capítulo 3

Página 2 de 13 Anterior  1, 2, 3, ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Seo Hyemin em Sex Fev 09, 2018 12:52 pm

Quando Sunny finalmente entrou e começou a fazer perguntas, Hyemin quase queimou o cabelo por deixar o secador tempo demais em um ponto só. O quente na cabeça a fez lembrar que precisava fingir que era inocente. Continuou sua escova, que estava quase uma progressiva de tanta demora. Espiou pelo espelho a menina encontrar sua mochila e sua saga causou dois tipos de sentimento nela: o primeiro era ansiedade. O que a garota faria ao descobrir o que fizera? Sim, porque ela teve coragem de enfrentar Yerin, e Hyemin não era a rainha do gelo para conseguir rebater com aquele textão destruidor e aura de poder.O segundo sentimento era uma pequena satisfação traquinas por vê-la toda confusa atrás de suas coisas.

Um pequeno sorriso surgiu e ela aproveitou para aplicar o Lip Tint em degradê nos lábios. Quando estava terminando os toquinhos na mão, viu que o rosto da garota virou-se para ela. A mão trocou para o secador naquele instante e ela ligou, de forma que o barulho dificultasse no que ela podia ouvir.


Balançou os cabelos esvoaçantes na frente da garota, mas seus olhos encontraram com os dela através do espelho. Hyemin fez o mesmo tipo de cara de sonsa que fez para o pai ao negar veementemente que não era ela no vídeo em HD. Fingiu ter dúvida e virou com o secador “sem querer” apontado na cara de Sunny fingindo que só tinha virado para dar atençao a ela e se desculpou com um sorrisinho, desligando o aparelho.


- O que você estava dizendo?


avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
213

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Kim Sun-Hee em Sex Fev 09, 2018 1:46 pm

O som do secador apenas potencializou a raiva de Sunny, mas ela tinha certeza absoluta que Hyemin entendeu cada palavrinha. As mãos tremiam de frustração com a falta de interesse da outra, inconsciente de que, na verdade, a Gremlin tinha sim curiosidade em observar todas as reações diante da travessura. Deixou que os braços caíssem pelas laterais do corpo e os dedos apertavam a pele sensível das palmas, avermelhando a região. Os fios castanhos ricochetearam na face da bolsista, porém foi o ar quente do aparelho que provocou a famosa “cara de bunda”. Ela fechou os olhos e respirou fundo antes de voltar a encará-la... agora, frente a frente.

A pergunta piorou o humor da menina.

Porém, da maneira mais falsa do mundo, Sunny respondeu com um sorriso forçado.

- Que você é extremamente previsível, Hyemin.

Arqueou a sobrancelha enquanto cruzava os braços. Além disso, a forma que pronunciou o nome da patricinha soou como um xingamento.

- E... tão criança.

Apesar da raiva desenhada nas feições, Sun-Hee falava com muita, muita calma.

- Eu deveria me comportar como uma adulta e sair de modo superior, mas...

Sorriu de novo, se encostando na beirada da pia.

- Não estou afim.  

 

Sem dar tempo para Hyemin agir ou falar qualquer coisa, Sunny largou o braço na bolsa, nécessaire... TUDO que conseguiu alcançar, e feito um rodo, jogou os pertences da herdeira dentro da pia.

E, mantendo o olhar fixo no rosto sonso e fofo, ela abriu a torneira.
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
192

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Seo Hyemin em Sex Fev 09, 2018 2:04 pm

Hyemin estava feliz mantendo o sorrisinho cretino no rosto e era lerdinha demais para imaginar o que ela faria. De repente, arregalou os olhos e assistiu à cena em choque, primeiro com um som de puxar o ar com surpresa, depois,  soltou um grito fino que veio da garganta, enquanto ela balançava a cabeça, o secador e os pés. Foram dois. Na verdade três, até ela piscar, olhar bem para aquela atrocidade e finalmente se recompor um pouco e gritar mais grave e séria.




- YA!!!!!

A primeira ação dela foi empurrar a garota bruscamente, ameaçando-a bater nela com o secador de cabelo,  que foi deixado no balcão, e fechar a torneira para salvar seus bebês, atrapalhada sobre o que devia fazer primeiro: tirar as coisas de lá ou fechar a torneira. Ela começou a apanhar todas as coisas e tirar da pia, uma a uma. Se tinha uma coisa agora que não se arrependia era de ter feito aquilo.

De repente desistiu e girou o corpo em fúria, posicionando-se na frente das coisas jogadas e encheu a boca de ar para começar a gritar com ela.

- Sua pobretona ridícula!!! EU COMPRO TUDO DE NOVO SE EU QUISER, MAIS LINDO BRILHANTE E EXCLUSIVO E CARO QUE VALE MAIS DO QUE VOCÊ INTEIRINHA, SUA CASA E A SUA FAMÍLIA!!! E você que tem que pegar suas coisas no lixo???? SAI DA MINHA FRENTE ANTES QUE EU FURE A SUA CARA INTEIRINHA!!!  

Ela pegou a própria mochila, ameaçando jogar na menina, mas na verdade só queria que ela saísse de perto. Estava sentindo-se muito afrontada agora, sozinha e sem Yerin. Tanto, que espiou em volta, querendo que alguma das amigas viesse socorrê-la.
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
213

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Convidado em Sex Fev 09, 2018 3:23 pm

MiSoo tinha demorado mais no banho, por isso sai na pressa atrás das amigas e ao ver BoMi, larga a bolsa no banco e já vai toda animada lhe cumprimentar - outra vez - com um caloroso abraço e lhe elogiar pelo desempenho na corrida.

- Aish! Eu não estava doida! - começou a dar risadinhas mais baixinhas - Só um pouquinho! E acabei me excedendo um pouco com a garota bolsista, quando eu sou a primeira a arremessar coisas nas pessoas!! - riu mais alto, cobrindo os lábios com as mãos, mas de repente ficou séria - Mas pelo menos não faço isso quebrando as regras do jogo!

E MiSoo mudava de tópico e mencionava EunBi, enquanto fazia biquinho indignado. Já tinha sumido antes de MiSoo sair! Custava esperar para irem juntas até os armários?

- Mas que pressa a dela… Parece até que fugiu! - cruzou os braços e fez uma careta, com os cantos da boca bem caídos - Vamos atrás- - e parou a frase no meio ao ouvir Jung Mi falando algo não tão longe delas e depois lhes cumprimentando.

MiSoo se virou rapidamente na direção dos garotos e o cumprimentou de volta com um sorriso, deixando de lado, por hora, a vontade de ir logo atrá de sua amiga.

- Bom diaaa!! - mas fez uma careta ao ver o garoto desviar a atenção para outro lugar.

Será que tinha perdido na educação física e estava desse jeito agora?

Mas a interação dos gêmeos tomou sua atenção outra vez. Era engraçado ver que quando estavam perto um do outro sempre ficavam nesse humor meio rabugento.

Quando olhou no rosto dele para responder o olá a mente de MiSoo deu uma pequena travada. Era do domingo retornando à  cabecinha da garota, lhe lembrando que ainda não tinha decidido como deveria lidar com a maior proximidade entre os dois.

- Oi. - respondeu em uma voz um pouco mais baixa, com um sorriso fofo, porém levemente tímido - Awwn! Deixa ela ser bonitinha sem furar a bochecha dela! - comentou de repente, com a voz abafada pelas duas mãos sobre a parte inferior do rosto, apenas arranjando alguma coisa para dizer  e manter a mente agitada um pouco mais concentrada no que acontecia em volta.


Lhe ocorreu que talvez Gyu Sik pudesse ter falado ou então ainda falaria sobre o que ouviu sair da boca da mãe de MiSoo para BoMi. Ele ter ouvido foi uma espécie de acidente, mas não queria que as amigas soubessem e ficassem ainda mais preocupadas com isso. Elas já tinham suas próprias mães bem complicadas para lidar. Eram problemas que diziam respeito apenas à MiSoo… E depois  a garota se sentia culpada também por sempre acabar furando a dieta de algum jeito. Por fim, acabava também sentindo um pouco de receio que descobrissem que,às vezes, ela recorria à vomitar o que tinha comido. Poderiam tirar alguma conclusão ruim sobre ela. Precisava falar com ele e pedir que não dissesse nada, só não sabia se deveria fazer isso por mensagem, que era mais fácil, ou pessoalmente, que parecia o mais certo.

- Ah! Olá, Ryu Ji-Shi! - já voltava a falar com um pouco mais de animação.

BoMi era mais eficiente desta vez, puxando o assunto sobre o fim de semana dos garotos. Só que Jung Mi trazia à tona a história de ópera de novo. MiSoo não estava lá com muita vontade de falar sobre isso agora, então só deu um sorrisinho sem graça antes de responder:

- Ah… É… - e antes que pudesse dizer qualquer outra coisa, Ryu já soltava um comentário sobre o assunto.

Ao contrário de Ryu e BoMi, MiSoo não achava muita graça nos comentários implicantes acerca do visual dos amigos e por isso torceu um pouco os lábios. Era o tipo de coisa que lhe remetia um pouco à época que era agredida verbalmente por algumas garotas da escola - e inclusive sua irmã - sobre o peso que tinha. Comentários assim podiam incomodar seus alvos. MiSoo deu uma rápida olhava  pra Gyu Sik e a boca acabou agindo um pouco mais rápido do que queria.

- Pelo menos pinguins são bichinhos bonitinhos. - assim que terminou de falar sua própria frase lhe soou esquisita, nem tinha certeza se estava ajudando ou piorando a situação, mas se sentiu um pouco nervosa,  fazendo uma careta um tanto surpresa com o que dsse.


O nervosismo aumentou e MiSoo não sabia mais o que responder. Ela acabou mudando a atenção para um pouco mais distante do pessoal à sua volta e acabou encontrando o Ketchup no seu campo de visão. Ansiosa para mudar o rumo do assunto, MiSoo não pensou duas vezes em erguer a mão e falar mais alto para chamar a atenção do garoto mais velho.

- Ya! Olá, Ket--! Uhh… Park Hyun Hee!- acenou com entusiasmo com uma das mãos e depois levantou as duas bem abertas e visíveis - Olha! Não tenho nada para jogar hoje! Está seguro!!



Parecia uma boa ideia para mudar de assunto...
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Kim Sun-Hee em Sex Fev 09, 2018 3:43 pm

Quase machucou o punho por causa da força que usou para girar aquela maldita torneira até o final. Não escondeu a satisfação em observar a água molhar as coisas lindinhas de Hyemin. Ela pode ser uma criatura desprezível, mas o bom gosto era inegável, humpf. E daí? Do que adianta uma imagem bonita se o conteúdo não acompanhava os moldes? Hein? Hein??? HEEEEIN? Por isso... SIM!!! Estava orgulhosa da ação tão boboca quanto a da patricinha. NÃO SE ARREPENDIA, independente das possíveis consequências. Aliás, por mais que Hye pensasse que Yerin tinha uma influência maior nos ânimos de Sunny, quem realmente a perturbava era... ela mesma! Essa Gremlin!!! Afinal, com a bruxa conseguia raciocinar enquanto que Hyemin motivava suas piores reações. Ela incomodava o demônio que se escondia na carinha angelical.

O grito agudo aumentou o sorriso de Sunny.

Nem ligou quando Hyemin a empurrou para o lado, quase derrubando-a, mas conseguiu se equilibrar na hora e feito uma telespectadora, assistia as tentativas frustradas da riquinha de catar os pertences encharcados, toda atrapalhada.


Logo...

BUUUUUUUM!

Hyemin desatou a cuspir palavras ignorantes e à medida que crescia para cima de Sunny, ela arregalava os olhos.

- O QUÊ????


De implicância, cravou os dois pés no chão e cruzou os braços numa clara afronta às ordens da princesinha mimada!

- AH, É?!?!?!?!?! Pois faça o seguinte, então!!! Pegue todo o seu precioso dinheiro e compra um colégio novo para você e suas amigas fazerem os infernos que quiserem porque EU NÃO VOU SAIR DAQUI!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! - gritava de volta - Querem jogar ovo podre, peixe e tomate? OKAY! Joguem! Sumir com as minhas coisas? Tudo bem também! Estou me lixando para o que pensam e querem!!! Vocês acham que nós somos pobretões burros e sujos, mas vocês quem são medíocres!
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
192

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Won-Bin em Sex Fev 09, 2018 5:49 pm

Won sempre gostou de uma competição que envolvesse o físico. Mas não parecia tão divertido com um time desbalanceado.
Mesmo assim torcia para que Jae-ki e os outros se mostrassem mais do que aparentavam, queria ver Taemin mordendo a língua…

”Um classe cheia de garotos com muita inteligência. Faz algum sentido esses caras tipo o Taemin dominarem sobre eles, como se houvesse uma cadeia alimentar por aqui…” aquela era uma maneira de julgar e analisar seus colegas. O quadro mental se expandia.

Testou a mão algumas vezes.
”Não vai dar pra colocar muita pressão. Vou ter de escalar com uma mão só, basicamente”

Pior que parecia haver certo conflito no time do Jae-ki: mal sinal.

”O Vassoura e o Papagaio dele vão ficar dando risada a corrida toda? Dessa vez não tem segurança pra correr por você”

Olhou para Kang: não era bem o atleta modelo. Imaginava que não gostaria da aula como a maioria das pessoas.

Viu o restante dos colegas: dois que não havia dado muita atenção em seu mapa mental e Ryu…
Pressionou o punho direito rapidamente e logo desfez a cara feia. Não queria transpor que não gostava do cara, mas seria bem obvio para Kang.

Quando viu Kim focado imaginou se ele também gostava de uma competição...ou se tinha outros motivos para estar daquele jeito.

”Hmmm, gostei desse cara. Quero ver se essa energia toda vai fazer ele correr rápido” se identificou com aquela aura eletrizante do colega. Pelo menos um ali parecia gostar de competição também.

O aquecimento já mostrava quem tinha resistência pra corrida e quem não tinha. Olhou um tanto preocupado para os garotos que já estavam morrendo.

- Eu começo. Depois vai Ryu. Você… - Apontou para Kim, arqueando uma das sobrancelhas com aquela aura assassina dele. - Você. - Fez uma cara de “pff” pra Kang. - Você, você. - Hyo-Shin e Beom-Su - Ji-Ran e...Senhor Talas. Como vai a mão, por falar nisso?

Won o encarou por um instante. A expressão fria, semelhante ao do dia da briga, estampada no rosto de Won.

-Vai bem, Vassoura - respondeu seco. Deixou um sorrisinho no canto da boca.

- Se a gente ganhar, vocês não farão mais do que a obrigação e eu pouparei os nerds de provocações por um mês. Se a gente perder, vocês vão apanhar. Yeee, timeee!!

”Que inspirador”


Olhou para Kang que estava preocupado:

-Não gasta energia desnecessária e vai dar tudo certo - colocou a mão no ombro do amigo para anima-lo.

”Isso podia ser tão divertido, pra que esse cara tem que estragar isso?” nada em Wangjo podia ser bom por si só. Fazia mais sentido imaginar porque alguns alunos agiam como se estivessem sob tanta opressão: esse lugar alimenta muitas coisas ruins.

O começo foi ruim para Jae-ki e seu time. Na verdade a disputa se manteve desequilibrada.

Won fez menção de correr até Dong e ajudá-lo a se levantar, mas parou a si mesmo antes.

”Ser ajudado ia fazer ele passar mais vergonha…”

-Vai, levanta! - gritou para Dong - Mão direita e perna esquerda, tem que ir alternando! - disse tanto para Kim como para Dong.

”O que esse professor tá fazendo? Tá tomando um café? Ele não tinha que dar alguma instrução pra eles?”

O que se seguiu foi um massacre. Os colegas do outro time muito mais atrasados, principalmente o garoto que precisava parar várias vezes.
”Não tem valor educacional nenhum nisso aqui. Que professor incompetente e nem o “Rei” conseguiu ordem pra equilibrar esses times. Tsc, decepcionante”


Correu já sem a empolgação do início, não havia competição ali e nem graça em ganhar fácil daquele jeito. O braço ruim o atrapalhou um pouco mas nem havia pressão de tempo.

Olhou para Jae-ki, imaginava que ele estaria frustrado: Taemin era um trapaceiro, em qualquer disputa. Compartilharia essa observação com ele no futuro, seria importante para que pudessem planejar como supera-lo.
Enquanto isso apenas assentiu com a cabeça para o amigo, tentando ser compreensivo.

Viu os garotos derrotados na competição e no ânimo. O mais triste parecia ser o mais gordinho, Ui-Jin, se recordou na chamada pros times. Se aproximou dele.

-Ei cara, você foi bem. Esse circuito é bem pesado, eu achei que eu nem ia dar conta. Mas você e seus amigos completaram, eu duvido que os meus colegas da antiga escola conseguiriam sem desistir - exagerou um pouco para animar ele - Toda aula de educação física é assim? Aish, Wangjo não brinca nem pra uma corrida entre alunos haha - tentou ser simpático.

Depois daquilo iriam para os vestiários: uma ducha fria pra acalmar os animos talvez.

- Não quero falar sobre o que aconteceu! Não agora…

Entendeu a raiva de Jae-ki e apenas colocou a mão sobre seu ombro e a tirou.

”Relaxa Jae-ki, vai ter um round 2”

Tomou a ducha assim que pode e se arrumou o mais rápido possível mesmo com as talas.

-É tanta coisa errada nessa corrida que eu nem sei enumerar. Isso não foi uma competição - comentou, notando a chateação de Kang e Jae-ki quando estivessem fora do vestiário.

- Aishhh... Vamos pro refeitório? Tô com muita fome, vou só verificar uma parada aqui.

-Excelente ideia J-Dragon. Apoio ir ao refeitório - respondeu com certo bom-humor, queria animar seus amigos -Hmmm, uma parada é?

- Vamos, vamos... Conta aí direito Won, como foi no seu emprego... E voltou ao dojo?

-Éeee, meio a meio. No emprego agora eu tenho uma colega nova, fiquei meio preocupado no começo, mas ela é legal e deu tudo certo. Continuo empregado - fez um jóia com a mão boa -Já o dojo...meu pai não quer me liberar nem quando eu ficar com a mão boa. Estou meio sem opções nessa parte, então....bem, estou pensando ainda o que fazer

”E como eu posso reverter aquela briga?” seu semblante muda por um instante, lembrar lhe chateava. Mas refez a expressão simpática assim que pode.

Logo notou que alguém se aproximava...e de forma pacífica?

”Hmmm, ok Kang, saída estratégica pela esquerda”
-Ei Jae, eu e o Kang vamos olhar o que tem de novo hoje no refeitório. Vai querer algo? Vamos Kang - disse meio que puxando o amigo para que deixassem Jae-ki e Eun-Bi a sós se fosse possível.

”O terceiro encontro direto na escola é o de vez, vai dar certo”
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
223

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Jae-ki em Sex Fev 09, 2018 7:52 pm

Quando Hyun o respondeu, Jae-ki arqueou as sobrancelhas, esse cara parecia meio doido, mas não aparentava ser do tipo esnobe. Não podia reclamar já que sentavam um do lado do outro, e desde o primeiro dia de aula não teve problemas com o ex-ruivo. Tá que não eram amigos, mas também não eram inimigos. Jae suspirou frente a resposta dele:

-Ha! Essa seria boa se eu não tivesse bolado.

E logo já passava para Jung-mi. Este parecia decepcionado e talvez a sua pergunta não o tivesse ajudado a melhorar.

- Ahn... Tsc... Se fosse a gente podia treinar antes da próxima, mas deixa...

Jae ainda o conhecia muito pouco para sentir alguma vontade de melhorar o ânimo do capitão. Além disso, acreditava que se fosse com ele ninguém ligaria, então porque ligar para esses ricos? Eles tinham suas mansões para melhorarem seu humor depois, ou podiam comprar comida cara para se entupir, ou qualquer coisa que ricos podiam fazer, porque podiam pagar tudo. Enquanto caminhava para ducha se lembrou que Jung-mi esteve no dia em que foi arremessado ao lago. Apesar de tudo, não parecia um cara ruim também. Mas não conseguia ser otimista, a derrota ainda o consumia por dentro. Ao encontrar o Won, esse ainda tentou consolá-lo com um toque no ombro e depois com um comentário, apesar de Jaeki dizer para não falarem sobre isso. Não queria ser grosso com o amigo, mas acabou sendo um pouco porque estava muito irritado e isso simplesmente saída da sua boca quase naturalmente:

- Won, não sou criança e sei o que é perder, você tentando amenizar isso não tá ajudando, ainda mais com essa sua voz de pena.

Respirou fundo após falar, não queria brigar com os amigos, por isso completou:

- Não tô legal nem tô numa boa para falar disso, já avisei, a gente fala disso outra hora! Não é com vocês... Só preciso esfriar a cabeça se não vou explodir....

Eles já estavam fora do vestiário e Jae tinha dado a ideia de ir ao refeitório, esperava poder encontrar Eun-bi lá. Além disso tentou mudar de assunto com os amigos. Tudo que não queria fazer agora era falar sobre a competição. Won contava sobre o emprego e ficou satisfeito de ver que isso ele não tinha perdido. Porém a parte do Dojo ainda não tava legal e Jae não gostava de ver seu amigo mal. Percebeu que o semblante de Won havia mudado. Já ia tentar dar um conselho para o amigo quando seu celular vibrou:

- Won você já pensou em procurar outro dojo sem seu pai saber? Eu acho que tem uns que...

Pegou o aparelho apressado e arregalou os olhos quando viu a mensagem. Virou para trás rapidamente e a viu. Foi só avistá-la que um sorriso automático surgiu em seu rosto.


Também deu um aceno para ela, mas em um estilo mais rapper, como um "yo". Estava olhando na direção dela meio bobo, quase em transe. Não parecia ser nem a sombra do garoto estressado de segundos atrás. Won Bin era um amigo legal, porque Jae nem precisou pedir e ele já estava arrumando uma desculpa para deixá-lo sozinho com a Eun-bi. Isso o fez lembrar que nem teve tempo de contar aos amigos a "novidade. Virou o rosto para Won, ainda com aquele sorriso estampado no rosto e respondeu:

- Ah valeu, segura uma água para mim, falou? E se verem que a melancia ta acabando, pega para mim. Valeu caras, despois explico tudo.


Voltou a olhar na direção da garota, o frio no estômago tinha voltado, mas estava com otimismo de que as coisas iriam ser boas. Eun-bi estava vindo falar com ele e isso já era grande coisa. "Será que ela ainda se lembra do que prometeu? Aigoo... Ela tá sempre tão linda." Ainda se lembrava do que tinha acontecido no sábado e se perguntava se a garota tinha melhorado naquela tristeza toda. Pela demora deles na rua, imaginava que tinha sido uma boa vingança contra a mãe dela. Guardou o celular no bolso e quando ela se aproximou, Jae-ki ainda sorrindo perguntou:



- E aí Eun-bi? Você viu as fotos?! Claro que viu... Eu mandei as fotos como eu falei, eu disse que ia mandar só segunda. Eu li seu sms do domingo! Não ficou chateada né? Só não respondi esse porque tenho que economizar para falar com a halmoni em emergências. Mas foi maneiro você ter mandado. Como você tá? Melhor? Não piorou seu pé, piorou?

Jae-ki estava sendo bem sincero e não via problemas nisso já que não era nenhum segredo ser pobre, tinha até falado bastante pra um cumprimento, era Eun-bi e não seria do tipo que esconderia quem era. Por que teria vergonha de ser pobre se trabalhava duro? Os outros que o provocavam que estavam errados, porém era difícil convencê-los disso, talvez só com uma surra no caso dos garotos. Mas Eun-bi era diferente, ao menos queria acreditar que sim. Só estava sendo um pouco estranho, seu coração não parava de bater e seu rosto não parava de sorrir! Além disso tentava manter suas defesas altas e ao mesmo tempo curtir a conversa. Era tão complicado estar apaixonado. Não, não estava apaixonado!
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
275

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Park Hyun Hee em Sab Fev 10, 2018 9:38 am

Quem tomasse a ducha perto de Hyun Hee provavelmente confirmaria as suspeitas de que ele era louco. Isso porque ele dava murros na parede para descontar a dor nas costelas e resmungava enquanto isso. A água era bem gelada, numa tentativa de fazer com que o restante do corpo esquecesse aquela sensação e concentrasse em outras igualmente desagradáveis.

O espírito coletivo do rapaz foi embora, dando lugar ao mau humor que veio junto à dor. Então quem o visse depois de sair do vestiário teria mais uma vez a visão de seu espectro odioso dos primeiros dias de aula. Ele não tinha uma placa enfiada na cabeça que dizia “estou com dor”, por isso era difícil que as pessoas pudessem perdoá-lo pelo comportamento.

Estava indo rumo aos armários, quando encontrou o irmão de conversa com um grupo. Não estava com paciência de ir até eles. Na verdade, apesar de ter agido com cinismo diante do desdém do irmão na quadra, agora o incomodava um pouco a forma como ele era “legal com todos”. Cansava sua paciência. Entendia que ele estivesse chateado porque ele tecnicamente matou os pais dos dois e isso o remoia por dentro, mas será que não tinha um jeito diferente de encarar isso? Ele estava sozinho naquele lixo de escola, chutado (literalmente e moralmente) e sem uma droga de motivo para estar ali, mas mesmo assim o irmão continuava o odiando. Tsc. Era uma punição engraçada e irônica que lhe davam por ter sobrevivido.

Estava virando as costas, prestes a ir em busca de seus analgésicos quando a menina arremessadora o chamou. Por quê? Virou o rosto franzindo o cenho. Por acaso agora ela achava que podia falar com ele?  Pelo menos ela não veio cheia das intimidades e o chamou pelo nome completo.

Respirou fundo, espiando que o irmão estava ali no meio. Isso ia ser uma experiência… Ahn, única. Caminhou descontraído até ela, mas de uma forma objetiva ignorando a presença de Ryu-Ji, Jung-Mi, Gyu-Sik e Bo-Mi, até se posicionando meio de costas. Era rude, mas ele era mais velho, podia fazer isso. Além do mais, suas intenções eram as melhores: não tinha nada contra os amigos de Jung Mi e muito menos com a menina Yoon, mas respeitava aquele espaço que era do irmão. Eram os amigos dele. Um território que ele não queria mexer.

Misoo tinha um sorriso carismático e encantador. Não precisava ser rabugento com ela, porque ela parecia estar de boa fé. Então relaxou um pouco. Devia alguma educação e consideração pela menina que lhe pediu desculpas. Geralmente as pessoas simplesmente aceitavam que ele era o culpado e seguiam em frente com isso.

- Yeun Misoo - cumprimentou. O lábio simulou um sorriso. Estava com uma dor desgraçada para ter seu humor em todo o seu potencial, mas não conseguia controlar a língua direito.   - Ah, não? Eu não me surpreenderia se você arrumasse alternativas, como um sapato ou ... - olhou o cabelo dela, em busca de adereços e a viu de cabelo solto. Comparou com a imagem que tinha dela na Ópera. Como um bom galanteador que era, sabia exatamente o que dizer, ou pelo menos achava que as meninas gostassem. - Fica bonita de cabelo solto. Terminou tudo bem naquela noite?  - Era uma pergunta geral, mas podia ser sobre a mãe dela.  Ele estava pensando em outras coisas e querendo ficar sozinho quando se esbarraram no corredor para poder perguntar.

A posição de seu corpo indicava que ele estava pronto para sair dali a qualquer momento, mas ficaria caso a garota puxasse assunto.
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
177

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Dong Hee Kyung em Dom Fev 11, 2018 3:43 am

"Eu te disse... disse... disse..." A voz do pai começa a reverberar dentro da cabeça de Dong, feito um pensamento continuo, de defesa e repreensão. Várias e várias vezes fora alertado, seja menos sedentário! Faça mais exercícios!

O resultado estava ai, dez voltas na quadra pareciam durar uma eternidade, por que para os outros parecia tão facil?! Por que a genetica tinha de ser tão cruel?  Pelo menos não estava sozinho, Ui-Jin suava muito e pelos chiados que estava de sua respiração, não estava tão melhor que Dong para filtrar o ar...

Suas panturilhas doiam muito, mais do que o normal. Dong se da conta de que a natação era fácil comparado a correr, mesmo que num aquecimento. O inferno nem havia começado! Ao menos, outros se mostraram na mesma situação que ele.

Para os outros jovens parecia ser divertido, tinha gente que até via como competição ou algum tipo de satisfação pessoal que Hee-Kyung não conseguia identificar a razão ou causa.

O percurso foi bem complicado para Dong, o pé dele virou como se suas pernas fossem tortas e o corpo, se estabacou rolando com cones e tudo mais, provavelmente se ralando nos cotovelos nesse processo.

"Ohh" pode escutar com clareza, além dos risos.. - Ainda não perdi!

Se ergueu exigindo mais de si mesmo, o cabelo acabou ficando meio bagunçado, sua perna parece não concordar com aquela dedicação, lhe dando uma horrivel caibra, oque é isso falta de banana?

- Mão direita perna esquerd... - Os óculos pareciam querer saltar do seu rosto como uma ultima alternativa para que Hee-Kyung parasse de seguir pelos obstáculos, nem mesmo as dicas de Won estavam ajudando.

Nesse caso não era uma questão de instrução e sim preparo. Havia um clima ruim no ar, estranho e também opressivo.

Nem mesmo aquelas palavras Hyun para eles se animarem deram certo, no final só ficou a imagem na cabeça dele da cadeira de tortura da Joeson.



Chegou a hora de aceitar que não daria certo, e ao fracassar vergonhosamente, ergueu a mão até o oculos o reajeitando no rosto ligeiramente cabisbaixo.

Parecia chateado, de maneira genuina, afinal ninguem gostava de perder, especialmente de uma forma retardada.

Até que recebeu a batidinha no ombro e isso o fez erguer o rosto. Dong já era um pouco baixo, e perto dos outros ali, seriam quase gigantes perto dele.

E nesse momento, quase todos pareciam.... maiores.

- Estou bem, não quebrei nada só o ego.

Deu um meio sorriso como se estivesse brincando. Ver Ui-Jin com sua péssima performance não lhe fazia se sentir melhor, pelo contrário. No máximo Dong poderia inspirar o amigo em algo, mas como ele foi igualmente terrivel... só podia esperar aquilo acabar.


Apesar da prenda, He-Kyung ficou com uma pequena bolsa de gelo nas pernas, mais precisamente em uma das panturilhas, e outra no calcanhar.

- Espero que nem todas sejam assim. - Chegou a responder as palavras de Bin, pelo menos não haviam desistido, podia ter sido pior.

Depois, seguiu para os vestiários, e faria parte daqueles que demorariam um pouco mais para se banhar e arrumar, após pegar sua roupa numa das malas dentro do seu armário.

Uma das primeiras coisas que fez foi tomar um comprimido para sua enxaqueca que parecia estar pegando forte num dos lados da testa.

- Preciso de café, e de algo para comer, vocês querem algo? - Tentou puxar assunto com Ui-Jin, Min-Ho e Kim ali.

- Quem diria que Min-Ho era um atleta nato! - Hee Kyung seguiria até o caminho do refeitório, mas antes aguardaria os amigos, especialmente os cabisbaixos. No mais, Dong parecia mancar um pouquinho da perna direita, mas não parecia ter sido algo grave.
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
118

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por The Crown RPG em Dom Fev 11, 2018 11:42 am

[DONG, JAE-KI E WON-BIN]

9:30


Até mesmo a vitória teve um sabor amargo naquela manhã. Assim como Won, outros garotos do seu time também não ficaram felizes com o que tinha acontecido - Ryu-Ji não estava satisfeito desde o início, Kang parecia meio chateado e mesmo Kim, uma pessoa extremamente competitiva, não estava conseguindo comemorar muito bem.

Os outros meninos, como Beom-Su e Hyo-Shin eram mais indiferentes à isso. O primeiro não se importava mesmo com essas bobeiras de aula e o segundo, não era lá muito expansivo. No fim das contas, os únicos que se divertiam e não estavam nem aí com o espírito esportivo eram Ji-Ran e Taemin.

Antes de seguirem para as duchas, Kim se aproximou de Min-Ho, Dong e Ui-Jin. Hee-Kyung estava com uma bolsa de gelo revezando em dois pontos - ou com duas bolsas de gelo, enfim. Ui-Jin estava usando a bombinha e mantinha a cabeça e os ombros abaixados. Sentia tanta vergonha que, se pudesse, cavava um buraco até o centro da Terra e ficaria lá até morrer. Min-Ho era o único que mantinha a cabeça erguida, mas a expressão séria não trazia desdém dessa vez, só chateação por ver seus amigos assim.

- Oi, pessoal. - Kim se aproximou um pouco cabisbaixo. - Como tá a perna, Hee-Kyung-shi? - Colocou as mãos no quadril, avaliando a situação.

Dessa vez, Kim não tinha sido tão irritante quanto fora no videogame. Ele também tinha se enrolado, literalmente, no meio da competição e até dividiu parte das risadas por conta do mico que pagou. Porém, seu caso era muito menos grave do que o de Dong ou Ui-Jin. Estava ao lado deles quando Won-Bin se aproximou.

À essa altura, Jae-Ki já tinha ido para o vestiário depois de trocar algumas palavras ora com Hyun, ora com Jung-Mi. Jae estava muito irritado para falar com os amigos, por isso apenas Kang acompanhou Won-Bin até os garotos.

O grupo de Hee-Kyung ainda não tinha conhecido Kang, propriamente dito. No episódio onde Won-Bin se apresentou, Kang ainda estava dentro da sala e depois tinha tanta gente que a cara dele deve ter passado despercebida para alguns. Era sabido que o garoto era um dos novos bolsistas e que vivia rindo ou implicando - apanhando, também - dos amigos. Parecia ser um cara legal, mas até mesmo ele não parecia com o melhor dos ânimos naquela manhã.

O alvo de Won-Bin foi Ui-Jin, que estava ao lado de Hee-Kyung - Min-Ho estava na outra ponta e Kim estava de pé, olhando os meninos. A nova voz chamou a atenção dos presentes e todos encararam Won por um instante.

Se não soubessem que ele era um cara legal, provavelmente teriam medo dele. Não era o menino mais alto do colégio, mas certamente era um dos mais fortes - dava para perceber pelo tamanho do braço dele. Ele tinha um porte físico invejável para um garoto de 16 anos - ainda mais para um grupo de nerds, sem físico.

Ui-Jin meneou positivamente.

- Obrigado por ser legal. - A voz de Ui-Jin era bastante grave e bonita, não condizia com a aparência dele.

- Vamos torcer para que não. - Kang comentou em meio a um suspiro. - Melhoras, pessoal. - Disse de modo simples e humilde.

Quanto às aulas de educação física, Dong respondeu por eles. Depois de uma breve passagem, Won-Bin deixou o grupo e foi tomar a ducha. No vestiário, Jae-Ki já estava quase no fim do banho. E quando Hee-Kyung se manifestasse para ir, Kim seguraria a mão dele para ajudá-lo a se levantar, como um bom camarada.

[JAE-KI E WON-BIN]

9:45


Os três dragões se encontraram fora do vestiário. Kang se sentia melhor depois de um banho d’água fria tirando aquele excesso de calor que seu corpo emanava após a corrida. Avaliou a expressão de Jae-Ki e achou melhor deixar Won-Bin começar os diálogos.

Concordou com o amigo, mas olhou para a raiva do outro.

- Ele não tá falando com pena. Se bem que deu pena daqueles meninos sim. - Kang comentou. - A gente falou rapidinho com eles, depois, o Ui-Jin - Fez uma expressão de “é esse o nome?”, preferindo chutar o nome ao invés de dar uma característica notável dele - Parecia arrasado. Não foi só você que se chateou.

Mas logo se calou quando Jae-Ki emendou falando que não estava legal. Kang imaginava que fosse por conta da história de Taemin. E, aliás, ele também tinha percebido que Won-Bin não ficou muito à vontade com a presença de Ryu-Ji. A diferença era que Ryu nunca tinha sido babaca com ele. A mente troll de Kang logo montou o meme


“Jae-Ki a 80 km/h querendo o pescoço de Taemin e Won a 65 km/h com ciúmes insanos, quem chega primeiro até o trio da MiSoo? Ainda bem que eu sou esperto e mantenho bang bang bang vivo”


Pior que enquanto ele pensava, ele fazia umas expressões engraçadas mesmo. Por isso meio que perdeu a primeira pergunta de Jae-Ki, falando sobre o emprego de Won. Acordou quando ouviu sobre a nova colega de trabalho dele.

- Ji-Hyun! - Respondeu como se estivesse num programa de respostas rápidas, mas quando percebeu o modo enfático que usou, recuou. - Digo...Conheci. Ela é bem bonita, o Won-Bin só se dá bem. Inclusive, é mais bonita do que a Bo-Mi, se eu fosse você… - E olhou o físico de Won e o próprio - O que claramente não sou, diga-se de passagem, eu daria umas dicas de Chantilly, Frozen coffee, smoothie… “vamos ali no liquidificador..”..Não?

Chegava um momento que era um pouco difícil de acompanhar as insanidades de Kang. E ele realmente acreditava em tudo o que dizia - o pior tipo de maluco! Mas era engraçado. Enquanto ele falava isso, na mais pura implicância, Jae-Ki sentia o celular vibrar de novo. Antes dele ler a mensagem, Kang e Won já meio que olhavam para trás e avistavam quem não estava muito longe dali.

- Jesus… - O garoto resmungou. - Por que ela tá sorrindo? Apocalipse?

Perguntava entre os dentes para Won, mas foi aí que viu Jae-Ki rindo TAMBÉM. O garoto arregalou os olhos e ficou meio tonto de tanto que ficou olhando para os lados - para Won, para Jae-Ki, para Eun-Bi, para Won.

- Tá...O que eu perd...vamos? - Arqueou uma das sobrancelhas para Won. - Não vamos...Vamos ficar para vigiar e protege...AI!

Foi puxado enquanto Jae-Ki simplesmente o ignorava porque não conseguia olhar mais em nenhuma outra direção.

[JAE-KI]

Eun-Bi foi paciente, respeitando a distância em que eles estavam, à princípio. Apesar dela ter se arrumado às pressas, o uniforme dela estava impecável, como sempre. Além do azul, ela usava uma meia ¾ preta branca e sapato boneca preto com um salto alto em forma de quadrado, que dava mais segurança e apoio para andar. O cabelo estava molhado - a franja meio de lado e preto numa trança que caía por cima do ombro esquerdo. Carregava a bolsa de educação físico no ombro e o celular - novo, só pra constar, o 3º celular em menos de 1 mês - na mão.

Quando percebeu que tinha permissão, ela começou a caminhar até ele. Os passos foram tranquilos, mas ela não tirava o sorrisinho no canto dos lábios, marcando a covinha dela. Estava com um pouco de vergonha também, mas bom, não era como se fosse fingir que nada tinha acontecido no sábado.

Até porque não queria isso.

- Uhum. - Meneou positivamente. - Eu tô horrível nas fotos, mas gostei de quase todas. - Colocou o celular na bolsa também e passou a mão pela alça da mesma, logo em seguida. - Não, eu só mandei porque…- Olhou para os lados, pensando no porquê, mas deu de ombros. - Eu sabia que você não ia responder, mas enviei mesmo assim. Li sua mensagem quando acordei e foi meio que no impulso.

Coçou a nuca meio sem jeito.

- Eu tô bem, um pouco irritada porque perdi o circuito, mas feliz porque distribuí boladas nas meninas. - Riu - Eu não sou ruim! Mas algumas merecem...Aula de educação física é bom pra descontar sem levar castigo. - Bateu de levinho na boca, como se tivesse falado demais, mas sorriu. - Meu pé tá ótimo. E você? Como está? E Soo-Ji? Ela gostou do docinho?

Indicou o caminho para que Jae-Ki começasse a acompanhá-la. Estava com um pouco de peso e queria trocar de bolsa, no armário. Fora que tinha muita coisa para pegar também. Contudo, eles iam num ritmo bem lento, aproveitando o caminho para continuarem conversando.

[WON-BIN]

- Tá...Me explica porque eu não entendi nada. Ele te contou alguma coisa? - Kang perguntou enquanto seguiam para o refeitório, mas primeiro o menino queria ir até o armário dele.

Como andavam bem mais rápido e não queriam ficar de vela, eles não viam o que acontecia entre Jae-Ki e Eun-Bi mais atrás. Kang perguntou para Won porque não seria a primeira vez que ele seria o último a descobrir alguma coisa.

Era quase um marido traído!!

- Tsc...Deixa pra lá. Me conta aí...Como foi o seu domingo? Tá melhor sem o gesso, né? Doeu muito para tirar? E a Ji-Hyun? Continuou maneira? Estou mudando meu shipp…

E lá ia Kang voltar com aqueles papos, mas é porque gostava de ser implicante mesmo. Quando chegassem até os armários, trocariam de bolsa e poderiam seguir até o refeitório.

A educação física tinha um horário diferente - justamente por conta dos banhos - e liberava meia hora antes, sem prejudicar o intervalo. Logo, o sinal oficial não tinha sido tocado ainda e o refeitório estava vazio. Parecia o primeiro dia de aula de novo e eles teriam liberdade para escolher não apenas o lugar, mas as primeiras frutas também.

Além, claro, de terem mais privacidade para conversarem.

[HYEMIN E SUNNY]

9:45


Enquanto Hyemin tomava conselhos nada bondosos de sua melhor amiga, Sunny ficava um tempo do lado de fora com Stella. As duas estavam felizes por aquela tortura ter acabado, mas ainda não puderam falar com os meninos. Mesmo assim, elas viam, de longe, que havia algo de errado com Dong e Ui-Jin, porque eles estavam sentados e não treinando como os outros.

Stella logo se mostrou preocupada, mas também não estava em plenas condições para ir até lá. Pediu um gelo para a professora por conta do ombro. Tinham sido duas boladas no mesmo lugar - e não foi algo leve, bateu no osso, estava doendo apesar dela não fazer escândalos.

As duas ficaram um tempinho sentadas e Sunny foi muito legal por esperar alguns minutos ali com Stella. Geralmente, a canadense ficaria sozinha e com medo de ser vítima de mais perseguições, mas agora tinha Sun-Hee ao seu lado. Naqueles minutos, elas ficaram conversando sobre amenidades, sobre as partidas, mas, principalmente, sobre a noite anterior. Era um assunto muito mais gostoso de se tratar.

Quando viram Eun-Bi saindo, perceberam que talvez fosse um bom momento para tentarem uma ducha. O gelo já tinha virado água mesmo - fazia muito calor naquele dia. As duas seguiram de braços dados até o vestiário e se separaram, cada uma para suas coisas.

Hyemin já tinha colocado seu plano em ação. As meninas estavam muito ocupadas tomando banho ou trocando de roupas, por isso não houve uma testemunha. Porém, se somente a senhorita Seo não estava nem no banho, nem numa das cabines, quem mais poderia ter mexido nas coisas?

Yerin estava tomando um banho um pouco mais demorado porque sentia dores em algumas regiões. Não gostava mesmo de educação física. Yewon e Mi-Ran já estavam ajeitando os uniformes. Sejeong e Nayeon pegavam suas coisas para o banho. Ye-Ji penteava o cabelo e Ye-Sol saía do banho. Bo-Mi e Eun-Bi tinham saído e MiSoo cruzou com Sunny e Stella. Hayoung estava começando o preparo de maquiagem.

Stella viu seu uniforme e coisas intactas, respirando um pouco aliviada, mas logo sentiu um aperto no coração ao ouvir o comentário de Sunny.

- Ahm...Você trouxe, Sunny-yah. Estava aqui… - Disse um pouco nervosa, olhando ao redor.

Ninguém parecia se manifestar e, bom, na verdade, elas falavam bem baixo. Sejeong e Nayeon a encararam ponderando sobre a pergunta e menearam negativamente.

- Desculpa, eu não vi...Cheguei ainda a pouco também.. - Sejeong falou.

- …- Nayeon escondeu os lábios, constrangida, porém, olhou na direção de Hyemin.

O lado bom de ser invisível era que você via coisas que as pessoas faziam sem se importarem com sua presença. Nayeon já tinha saído de uma das cabines quando viu Hyemin finalizando a tarefa de colocar as coisas da menina na lixeira.

Sunny parece ter captado as palavras não ditas, mas foi Stella quem achou a necessaire no lixeira, o lugar mais óbvio. A amiga ficou um pouco infeliz de dar aquela informação, porque não queria que a bolsista passasse por aquilo. Porém, para a surpresa das meninas presentes, Sunny não abaixou a cabeça. Ela enfrentou.

O início da discussão logo demonstrou que todas estavam bastante atentas sim. Yewon e Mi-Ran se cutucaram, Hayoung parou de passar a base, Ye-Ji pausou a trança. Ye-Sol escondeu os lábios. Até mesmo um certo chuveiro parou, fechando.

Sun-Hee já chegava acusando Hyemin que teve a cara de pau de dizer que não tinha feito nada. No meio da fúria contida, a ariana simplesmente pegou toda a cara maquiagem de Hyemin e destruiu tudo - isso, claro, enquanto se alfinetavam sem parar. Yewon parecia se divertir com a cena e levou a mão até a boca, num misto de surpresa, mas também se satisfação. Era uma pequena vingança pessoal pelo fato de Hyemin ter mentido pra ela sobre Jung-Mi.

Não fez nada. Nem ela, nem Mi-Ran. Hayoung foi a primeira a se manifestar, mas acabou se encolhendo com os berros de Hyemin. Aquilo, num lugar fechado e cheio de eco como o banheiro, podia ser considerado um poder sônico, sabe? Ensurdecia os ouvidos mais sensíveis.

Stella já estava desesperada, à essa altura, tentando pegar Sunny pelo braço.

O discurso de Sunny só foi aborrecendo aquela que não tinha sido vista ainda. E após ela falar tudo aquilo, ouviria o som de algo viscoso sendo apertado e saindo do frasco. Yerin surgia como uma sombra - enrolada numa toalha preta, contrastando com a pele branca e o cabelo preso numa toalha preta também. O frasco que ela segurava era o próprio shampoo mesmo que foi a primeira coisa que ela pegou e ela começou apertar com muita força, apesar da cara dela não transmitir...nada.

O liquido caía sobre a cabeça e a camisa de Sunny enquanto Yerin balançava o frasco de um lado para o outro. Quando o produto acabou, ela soltou o frasco na cabeça de Sunny mesmo, fazendo um “poc” nela.

- Já que é assim, por que não fazemos da segunda-feira o dia de tacar coisas na Sunny? Comece a trazer uniforme extra. Porque se isso não será o suficiente para te tirar dessa escola, pelo menos vai me entreter.

E caso Sunny a encarasse, Yerin ia agarrar o queixo dela com a mão livre. Dava para sentir que a Rainha do Gelo não estava num bom dia. Já tinha coisas demais na cabeça e vingança demais a cumprir. Porém, sempre aparecia alguma coisa para atiçá-la. Aquilo, talvez, fosse um aquecimento, quem sabe.

- Você é muito abusada, Senhorita Kim. - Os olhos negros sugavam a alma de Sunny. - Quero ver sem a ajuda do diretor, quanto tempo você dura. Talvez você acabe durante até o fim do ano, mas eu juro...Que vou te enlouquecer até lá.

Empurrou a garota ao soltar o queixo dela.

- Vai demorar muito ainda, Hyemin? Temos coisas mais importantes a fazer. Já cumprimos a tradição de segunda-feira. - Olhou para Stella. - E você, fica esperta, sangue ruim. Porque o dia de tacar coisas na Sunny, pode ser “dia de tacar coisas nas amigas da Sunny também”.

Ao dizer isso, passou a mão pelo braço de Stella, como se estivesse limpando a mão.

Diferente de Hyemin, a presença de Yerin era opressora. Sunny podia dar as respostas que quisesse, mas elas ficariam meio embargadas na garganta também. Agora ela estava toda cagada com um shampoo - que pelo menos era bom - mas que tinha manchado seu uniforme também. Pelo menos, ela tinha a outra roupa de educação física, em casa.

Stella puxou Sunny para longe, oferecendo as coisas dela para que a amiga tomasse o banho enquanto Yerin ia, sem culpa, nem nada, terminar de se arrumar.

[HYUN-HEE E MISOO]

9:45


Bomi recepcionou Misoo com um abraço bem gostoso e logo já estavam rindo pela situação que passaram. A amiga meneou negativamente e suspirou.

- Não foi bem quebra de regra, sabe? - Comentou, ajeitando o cabelo molhado. - Acho que foi algo do calor do momento. E, bom, a julgar o histórico delas duas, eu acho que elas nem lembravam mais que estavam num jogo. Sabe, né? As ovadas e tudo mais…

Tentou mostrar para MiSoo que Sunny, talvez, não tenha feito por mal, mas por instinto mesmo. Quanto à história de Eun-Bi, Bomi concordava que parecia que estava fugindo ou coisa assim. Ouviu a sugestão/comando de Misoo e estava prestes a se levantar quando sentou de novo ao ver os meninos se aproximando.

Gyu-Sik chegava implicando com ela, empurrando sua bochecha antes de se sentar ao seu lado - ela ficou entre o irmão e a amiga. O irmão era o tipo de pessoa que não podia ver um banco e se sentava, sempre preguiçoso e cansado - mas daquela vez, ele podia porque tinha se esforçado de verdade! O que era quase um milagre.

Já Jung-Mi, ficou meio de costas para o vestiário  e Ryu-Ji de frente para o trio sentado. Assim, eles formavam meio que uma rodinha.

Depois da implicância, Gyu-Sik olhou para MiSoo e deu um sorrisinho fofo também.

- Só paro porque a MiSoo-yah pediu…

Nesse instante, Ryu-Ji e Jung-Mi encararam os dois. Bomi tinha um sorrisinho orgulhoso estampado na cara. Jung arqueou uma das sobrancelhas, achando aquilo bem divertido - gostando de ver que algo havia mudado ali. Já Ryu-Ji não sabia o que dizer. Desde quando?  E Sooyeon? Melhor não falar esse nome, não é? Por isso comentaram sobre a Ópera e logo implicaram com Gyu.

E pela segunda vez, aqueles dois ali receberam os olhares “nho” dos amigos. Mesmo que indiretamente, MiSoo disse que Gyu era bonitinho.

- Viram? Vocês não me atingem...Ela disse que eu sou um bichinho fofinho.

- A MiSoo-yah é mesmo um amor. - Bomi comentou. - Você é um capeta.

- E você é um anjo, Bomi...Um anjo caído.

- Heheheh…

As implicâncias foram interrompidas quando MiSoo teve aquele rompante e chamou pro...Hyun-Hee? Jung-Mi estava com uma expressão tranquila e ela sumiu na mesma hora que ouviu o chamado. Olhou para MiSoo com o olhar petrificado, no mais puro choque. Na verdade, ele sentiu um choque percorrendo por seu corpo e muita tensão pela aproximação do irmao.

Sério isso?!

Sua vontade era de ir embora naquele mesmo instante, mas também não queria parecer um garotinho mimado ou emburrado. Aquele eram seus amigos. Hyun-Hee tinha os amigos dele, não precisava ficar se metendo no mundo de Jung-Mi.

Mas ele veio...Ah, claro que viria!

Os outros três estavam com as expressões igualmente tensas ou surpresas, mas a de Jung-Mi era a pior. Hyun-Hee se aproximou com aquele sorriso carismático destinado apenas para MiSoo e isso fez Ryu-Ji dar um passo para o lado porque não fazia questão de participar daquilo.

Bomi encarava insistentemente porque não conseguia ser muito discreta em situações assim. Gyu-Sik olhava com respeito, mas desconfiança. Jung-Mi o matava com os olhos, encarando de banda. Caso Hyun olhasse para o irmão, seria como ver um fantasma. O desgraçado era MUITO parecido com o pai deles. O irmãozinho tinha crescido bastante também, quase tendo sua altura atualmente, mas aquele olhar era que nem o do pai. Isso era bem doloroso, de muitas formas.

Mas Hyun foi forte e permaneceu ali com suas típicas provocações.

O elogio para MiSoo não foi bem recebido por Gyu-Sik que fechou a cara e revirou os olhos. Bomi finalmente abaixou o olhar e Jung-Mi cruzou os braços.

A tensão era quase palpável ali.

[DONG]

10:00


O grupo de Dong tinha sido o último a entrar no vestiário, quando estivesse praticamente vazio. Eles se banharam e se trocaram sem demorar muito. Acabava que geralmente entravam depois justamente para fugir das provocações e risadinhas dos outros.Ainda sem conversarem muito, eles trocaram as bolsas e saíram dali.

Antes disso, Dong ainda pegou sua bolsa de remédios, tirando um para a forte enxaqueca que estava sentido.

Mesmo que ele fosse uma pessoa legal, era muito difícil continuar com bom humor com uma dor daquelas. Era como se uma furadeira estivesse atravessando o cérebro dele e alcançando o fundo dos olhos. Incomodava muito e ainda tinha toda as dores pelo corpo depois dos tombos.

- Vou ver por lá… - Ui-Jin comentou meio sem ânimo.

- Vou mandar uma mensagem para a Sunny. - Kim comentou. - Deve ter sido ruim pra ela também.

Era um pressentimento, primeiro porque a amiga não gostava de educação física, segundo porque tinham todas aquelas meninas da turma loucas para se vingarem. Se bem que ele ainda acreditava que Hyemin fosse cumprir a parte dela da promessa. Pelo menos queria crer que sim…


“Estamos indo para o refeitório. Você tá bem?”


Dong também recebeu uma mensagem de Stella.


“Good Morning i.i
Vi que você tava sentado no 2º tempo. O que houve? =/”


Já Min-Ho deu um suspiro bem desanimado com o comentário dele.

- Atleta forçado, você quer dizer. Sim, prefiro me exercitar a lidar com pessoas novas, mas isso não quer dizer que eu goste. - Disse num mini-desabafo. - Essa educação física só me lembrou porque odeio tanto gente. Você ainda quer continuar com aquele plano?

Perguntou o fim um pouco mais baixo, com cautela.

- Porque eu mudei de ideia e quero ajudar. Não quero mais ver aqueles dois rindo dos meus amigos e ficar por isso mesmo.

A frase de Min-Ho pegou Kim e Ui-Jin de surpresa. O garoto ficou emocionado de novo e deu um sorriso meio trêmulo para Min-Ho que tinha uma confiança atípica no olhar, realmente mudado depois do que tinha acontecido naquela aula.
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Seo Hyemin em Dom Fev 11, 2018 1:37 pm

Por mais que encarasse Sunny segurando a bolsa para arremessar nela, não sabia exatamente como fazer isso - nem queria, só estava imitando um dos últimos vídeos virais da Wangjo dos últimos tempos. Enquanto ela a xingava de volta, só estava feliz por ela não se aproximar fisicamente de novo. Aquela bolsista bizarra não tinha noção de nada e poderia até agredi-la! Estava com medo que ela fizesse algo contra seu lindo cabelo ou algo do tipo, porque já tinha matado todos os seus bebês. A verdade era que estava apavorada e reagindo agressivamente para tentar intimidá-la. A cena em específico lembrava algo que tinha acontecido quando ela tinha acabado de entrar na escola nova, mas naquela ocasião, ela era sua versão pior, mais fraca e tonta, então só aumentava os olhos e ficava calada, com o coração a mil, quando de repente…

A melhor amiga do universo apareceu tomando atitude.

- Rin! - chamou em um suspiro, abaixando a bolsa. A esperança tinha voltado.

Estava muito aliviada ao vê-la então riu, apontando para as duas e olhou para o lado como se dissesse “ouviram que engraçado? ‘Dia de arremessar coisas na Sunny’”.




O coração acelerado da garota foi abraçado com a confiança inspirada na amiga. Hyemin respirou fundo, retomando a pose, com um charminho de cabelo.

- Não. Eu já acabei. Guardei suas coisas. Termina de se vestir que a gente vai embora  - deu um sorrisinho só de lábios, formando uma curvinha que lembrava um bicho (:3).

Ela deu uma olhada dos pés à cabeça na colega de sala, irritada, mas não demorou demais nisso, vai que a doida vinha para cima dela?, e virou as costas, observando as maquiagens, com um beicinho. A água tinha afogado seu pandinha delineador e destruído o pó do blush. Nem adiantava salvar. Estava muito triste e queria resgatar tudo aquilo e limpar como podia em casa, mas o orgulho não permitia. Deu de ombros finalmente.

- Bem, vamos dar uma passadinha em Sinsa (*bairro chique com coisas de beleza) para umas comprinhas depois da aula - comentou alto, guardando o secador e o que tinha sobrado. Ignorava que tinham os clubes iniciando naquela semana, mas era só para sair por cima.

Hyemin saiu de perto de Sunny, ficando próxima a Yerin como uma medida segura e saiu de braços dados com ela, estava louca para fugirem de lá antes que Sunny terminasse de encontrar suas coisas no banheiro. Se tinha feito aquilo com seus filhos só por causa de um lixinho, imagina se… enfim.  Que sorte não ter encontrado o celular da garota na bolsa esportiva. Sorte das duas, na verdade.

O clima tenso a acompanhou para fora, mas quando já estavam um pouco mais distantes, a menina pulou no pescoço de Yerin e abraçou forte, de lado. Não importava que ninguém a tinha ajudado, na verdade não tinha se atentado para esse fato porque a líder a resgatou a tempo.

- Aaahhh~~ Você foi tão incrível, Rin. Como sempre, claro. Mas foi maravilhosa - levou a mão ao peito.- Waaaa… meu coração parecia que ia explodir. Como você consegue ficar tão calma? Nossa, eu fiquei tão nervosa. Achei que ela ia me bater. Você viu como ela é bruta???? E aquela plebe toda olhando. Achei um completo absurdo como aquelas desclassificadas pareciam que estavam gostando daquilo. Já pensou se vira moda? Olha, eu só acho que ela merecia uma flor também. Se bem…. Que eu acho que aí ia dar problema.. - mexeu o maxilar fazendo uma careta, agora ciente de que tinha quebrado a tal “promessa” de Joo Hyuk.

Droga! Por que depois que a poeira tinha baixado e o fogo interno diminuído ela ainda se preocupava com aquele detalhezinho insignificante? Sentiu as bochechas queimarem. Vendo agora, era um pouco pesado jogar coisas dos outros no vaso e depois no lixo, né? Bem, ela ficaria muito chateada se algo assim acontecesse. Já tinha sido uma tragédia observar a morte lenta e dolorosa de seus bebês. Er. Tanto faz, Yerin parecia não se importar. Na verdade, achava que tinha feito algo para orgulhá-la.

- Beeem~~  você foi incrível e maravilhosa, como sempre. Obrigada, Rin. Vamos pegar nossas coisas?

Foi com a amiga de volta aos armários, para deixar lá sua mochila meio molhada e pegar a bolsinha de gato com o restante das coisas, principalmente seu celular, com capinha do dia em homenagem a gatos também. Balançou o objeto para amiga.




- Hoje eu estou toda Pandora. Você gostou? - sorriu em referência à gatinha da amiga, mas aí lembrou o motivo do preto e fez um beicinho, olhando para os lados, tentando disfarçar a gafe. - er… Vamos passear! Cadê as outras meninas? Vamos andar juntas.

A menina sabia que possivelmente Yerin tinha assuntos a resolver, mas não sabia quando, então agia como sempre, como se não soubesse de nada.

avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
213

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Jae-ki em Dom Fev 11, 2018 8:39 pm

Jae-ki havia ficado muito irritado com a derrota, odiava perder, mas era pior porque tinha perdido para o Taemin. Só ele sabia quanta raiva tinha desse cretino loiro. Era terrível não poder fazer nada e ainda ter perdido. Se ainda tivesse vencido na primeira etapa, não estaria tão mal, porque o que importava ali era sua disputa pessoal com Taemin. Infelizmente Jae-ki ainda não sabia controlar sua fúria, estava tentando aprender pra não se dar mal, para não perder os amigos, ainda se lembrava da discussão que teve na semana passada com Won, por isso preferiu não conversar com eles sobre a competição, esperava que entendessem.

Enquanto caminhavam, Kang acabou falando sobre a garota bonita do trabalho de Won Bin. Jae só ria do jeito do amigo, ás vezes era até difícil acompanhá-lo, Kang falava como um conquistador, mas não parecia ser do tipo que dava sorte nisso. Ele queria saber mais sobre isso, mas veio a mensagem de uma garota que fazia seu coração saltar. Antes de sair arrastado por Won, Kang ainda fazia algumas perguntas, mas não importava agora para Jaeki, seus olhos estavam focados em outra coisa.

Quando Eun-bi se aproximou, Jae-ki notou cada detalhe de como ela estava vestida, gostava de como o cabelo dela estava molhado e de como ele caía por cima do ombro dela. Notou também a covinha que se formava no rosto dela quando sorria. Ele saiu falando várias coisas, mas depois ouviu atento o que ela respondeu. Não entendia como Eun-bi tinha achado que saiu horrível nas fotos, essas garotas. Enquanto ela falava, Jae-ki a encarava com um sorriso no rosto, não conseguia desgrudar os olhos dela, por mais que isso fosse considerado falta de educação.

- Horrível onde? Tá doida? Você saiu linda em todas as fotos.

Quando ela contou que havia perdido a disputa, Jae-ki sentiu um aperto de raiva no coração. "É não foi só eu o derrotado hoje..." Em seguida arregalou os olhos ao ouvir que ela gostava de jogar bolas em algumas meninas para descontar! Jae-ki até refletiu sobre isso, principalmente porque ela falava sobre não levar castigo. Então se imaginou tacando uma bola no rosto do Taemin, guardaria essa informação para a próxima vez. No geral ficou feliz de saber que ela estava bem, mas respirou fundo quando ouviu a pergunta sobre Soo-ji. Era um assunto mais delicado para ele, porque se lembrava da conversa da halmoni, não estava certo ainda como deveria agir para que a irmã não saísse magoada. Jae-ki logo respondeu, mas caminhando ao lado dela quando ela indicou para seguirem.



- Também tô bem. Ah a Soo-jiya gostou muito, você escolheu bem. Eu contei para ela que foi você... E ela ficou muito animada, até ficou pulando. A Soo-Ji é muita esperta, é sério quando eu falo que ela é avançada para idade dela. Por isso eu tenho que tomar muito cuidado para falar as coisas pra ela. Sabia que ela nunca come sem dividir comigo? Eu até tento, mas ai ela faz uma carinha triste...


Jae-ki continuou caminhando, dobrou os lábios para dentro da boca refletindo sobre algumas coisas. Mas não demorou para lançar um sorriso a Eun-bi e provocar:


- Ahh então a bailarina Eun-bi gosta de acertar bolas em algumas garotas, bom saber. Quer dizer então que tem garotas que você odeia aqui? Eu queria saber que tipo de garota te deixa com raiva. Ah, valeu pela dica, mas minha educação física foi diferente, o professor não deu essa chance para gente. Foi um saco.  Eu prefiro matemática, mas o professor me odeia- Estalou a boca e continuou após um suspiro- É sempre isso, os professores me odeiam, parece até que tem uma seta gigante na minha cabeça dizendo me odeie. Na minha outra escola deixavam eu dormir, eu não entendo porque nessa não.

Jae-ki continuou caminhando ao lado dela esperando para ver a reação dela. O que Eun-bi talvez não soubesse é que os professores deixavam ele dormir na sala, porque era o momento que eles podiam descansar sem Jae-ki causar problemas em suas aulas, todo novo professor dele aprendia isso com o tempo ou com dicas dos outros professores. Para Jae-ki era fácil das palavras saírem quando estava com ela, só era perigoso porque não pensava antes de dizê-las. Mas é claro que não falaria de sua derrota, ainda mais com Taemin fazendo parte dela. De repente por falar de professores se lembrou de uma coisa que talvez o fizesse parecer maneiro para Eun-bi:

- Ahh, vou te mostrar uma coisa!

Jae-ki puxou a mochila para frente e tirou seu caderno de lá, suas roupas estavam emboladas por dentro da mochila.  Olhou para os lados para ver se tinha muita gente, em seguida abriu na página da caricatura do professor de matemática e mostrou para Eun-bi com um sorriso de menino orgulhoso da travessura que tinha feito. Esperava conseguir alguns risos da bailarina com isso.


É... Jae-ki nem sempre pensava antes de falar ou mostrar algo. Se ele ver alguém passando perto deles, vai fechar o caderno rápido. Apesar de estar distraído conversando com Eun-bi, ainda estava bem alerta e não se esquecia do combinado deles da noite de sábado.
 
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
275

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Convidado em Dom Fev 11, 2018 10:46 pm

MiSoo ouviu a opinião de BoMi sobre Hyemin e Sunny e acabou concordando. Sabia o que tinha acontecido e até entendia que poderiam se alterar em um confronto entre elas, mesmo que fosse em um jogo de educação física, mas MiSoo ficava meio doida mesmo em meio à competição e o ataque contra uma pessoa do seu time lhe irritou no momento que aconteceu. No entanto isso era algo que só lhe afetava dentro do jogo. Quando saiam dele tudo voltava ao normal para a tenista. Ainda reprovava a atitude de Hyemin no vídeo em que jogavam a comida nas garotas e também não tinha nada contra Sunny.

Mas MiSoo não continuaria o assunto, pois estava mais incomodada era com o sumiço de EunBi, mas sua tentativa de ir atrás da amiga foi impedida pela chegada dos garotos e ela parou no meio do movimento de se levantar, voltando ao seu lugar no banco ao lado de Bomi.

Os gêmeos já começavam pinicando um ao outro, como de costume e MiSoo se meteu para defender a amiga, mesmo que só de brincadeira, embora também fosse uma pequena tentativa de manobra para afastar o pouquinho de vergonha que sentia das lembranças que lhe vinham à mente. Só que o sorriso de Gyu Sik e sua resposta não ajudaram muito a lhe livrar do constrangimento. Tinha sido MiSoo quem pediu para pararem com as formalidade e nem tinha muito problema em admitir isso às amigas, mas não tinha se preparado ser menos formal na presença dos garotos, já que ainda era assim com os outros dois. MiSoo arregalou os olhos e olhou na direção de Jung Mi e Ryu Ji, baixando um pouco o rosto em seguida, depois de ver suas expressões sobre ela. Será que soava muito estranho? Será que deveria ser menos formal com eles também?



Terem mudado o assunto para a ópera não fez grande diferença para ela. MiSoo ainda não tinha superado totalmente a estranheza daquela noite com a roupa da grife da mãe e os vários elogios. Mesmo que o saldo fosse bastante positivo. Mas sabia que esse assunto ainda seria tocado várias vezes, precisava se acostumar e aceitar dialogar sobre o evento. Só que agora o colega implicava com o que Gyu estava vestindo na ocasião. MiSoo não concordava com Ryu. Ela sabia que era só uma espécie de brincadeira, assim como as que fazia com os amigos as vezes, no entanto, era o tipo de conversa que lhe incomodava, dependendo do seu humor e ela não conseguiu ficar quieta, deixando um comentário escapar. Era uma espécie de elogio meio torto que saiu sem querer. Ficou com vergonha de novo e os olhares se repetiam. Quantas vezes sua boca conseguia lhe trair? O que exatamente tentou e dizer? Tinha sido um elogio ou tinha implicado também concordando com a história de pinguim? Esperava não ter sido rude.

MiSoo começou a rir ao ouvir Gyu Sik praticamente repetir o “elogio” que tinha feito. Ouvindo outra pessoa dizer o que ela tinha falado sem pensar direito lhe soou bastante engraçado - e às vezes ria demais quando estava nervosa. Mas de qualquer forma, a frase do garoto lhe divertiu. Pelo menos ele não tinha se incomodado em ser chamado de “bichinho”. Ou com o excesso de diminutivos na frase.


Só que, mesmo com as risadas meio descontroladas, a tenista continuava se sentindo nervosa e enquanto os gêmeos voltavam a implicar um com o outro, sem saber o que fazer para matar a vergonha de vez e pensativa demais para prestar atenção no que dizia a dupla, MiSoo viu Hyun Hee passando não muito longe deles e o chamou para tentar mudar um pouco o assunto. Quem sabe assim fazia seus amigos esquecerem suas palavras que deveriam tem soado mal colocadas e assim se recuperar do constrangimento que voltava a lhe afligir. Só não sabia que isso os também incomodaria em vez de simplesmente mudar o foco da conversa.

O garoto mais velho se aproximou do grupo e MiSoo se levantou do banco, um pouco mais animada. Ela não tinha certeza se chamar a atenção dele o faria se aproximar, nem pensou nisso, só tinha o cumprimentado daquele jeito energético dela.

Ele chegou de modo educado, mas seu sorriso era meio estranho. Hyun Hee lhe respondia sobre o comentário de que não tinha nada para jogar, dizendo que ela poderia usar um sapato. MiSoo riu da ideia, cobrindo os lábios com a mão, pois sabia que não era uma ideia impossível. Do jeito que agia sem pensar... Mas a garota não se resumia só a arremessos, sabia ser “ameaçadora” de outras formas, entretanto, era verdade que tinha atingido dois garotos com objetos objetos diversos arremessados e os dois na mesma semana! Ela nem conseguia acreditar no que conseguia causar quando pensava de menos e agia demais.


MiSoo parou o riso imediatamente, surpresa com o novo elogio do ex-ketchup. Adorava ter seu cabelo comprido e era muito bom receber um elogio à sua aparência por causa dele, mas… Hyun Hee tornava-se mais um garoto que a elogiava pela segunda vez e fora daquelas roupas de ópera e em tão curto período de tempo. O que estava acontecendo? Ela não entendia mais nada. A tenista não conseguiu evitar o rubor de se manifestar em suas bochechas de novo. Por que era o terceiro dia consecutivo que tinha sua aparência elogiada? Agora só estava usando um uniforme como qualquer outra aluna e nem tinha terminado de secar seu cabelo ainda. A parte de cima continuava meio úmida!


- Ah… Komawoyo. - respondeu de modo mais baixo, curvando brevemente o corpo e desviando o olhar para os amigos, notando algo de muito de errado naquelas expressões descontentes - Hum? Ah, ye.- voltou a respondê-lo, disfarçando o incômodo do que viu - Ficou. Tudo bem sim.


Tinha algo bem bizarro ali. Principalmente com a expressão de Jung Mi, que claramente reprovava a presença de seu irmão mais velho. Notar o problema fez MiSoo ficar ainda mais envergonhada, com vontade de jogar o cabelo todo no rosto e desaparecer em um passe de mágica. Aquela não lhe era uma careta estranha. Ela mesma tinha muitas desavenças com sua irmã, por isso poderia entender se houvesse um problema entre os dois e até mesmo identificar o desconto de estar na presença de alguém que não suportava. Cada vez mais sentia que tinha cometido mais um dos milhões de erros bobos que acabavam por chatear as pessoas à sua volta. A garota já sentia muito arrependida.

Sem saber direito o que fazer, MiSoo sorriu novamente para Hyun, um sorriso levemente forçado para esconder a vergonha e disfarçar o rosto ainda levemente corado.

- Que ótimo que está tudo bem então! Espero que não haja mais mal entendidos. - pegou a bolsa esportiva novamente e colocou no ombro - É melhor guardarmos isso antes que o refeitório fique muito cheio! Até depois, Park Hyun Hee! - acenou com uma mão e puxou BoMi com a outra.

Esperava que os outros garotos lhe seguissem, já que pareciam incomodados. Não seria mal educada com Hyun Hee já que ele tinha sido gentil e até lhe elogiado, além de não lhe denunciar para a mãe na ópera, mas também não queria que os outros ficassem incomodados ou chateados com algo que ela tinha causado. Como poderia saber que os garotos não se sentiam bem perto do mais velho? O que ele tinha feito para receber tal tratamento? Pelo menos Gyu não parecia ter problemas com Hyun enquanto falou sobre ele na ópera.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Kim Sun-Hee em Dom Fev 11, 2018 10:47 pm

Aquelas atitudes eram incrivelmente infantis e desnecessárias, mas não havia como apenas aceitar os ataques de Hyemin. No caso específico da patricinha, existia tanta coisa envolvida... E era provável que ela pensasse da mesma forma. Sunny tinha noção que o gênio forte poderia a colocar em situações muito complicadas e embora consciente disso, ela se recusava a ceder.

Por mais que doesse. Machucasse. Torturasse...

Ela.não.desistiria.

E não se trata só de orgulho.

Na verdade, na lista de fatores, o orgulho ocupava uma das últimas colocações. Mas esses ricos arrogantes... Não, eles não entendem. Não entendem e nem querem entender. Então, Sun-Hee não via motivos para respeitá-los.

Agora, em profundo silêncio e com uma expressão nada alegre, Sunny escutava os surtos de Hyemin. Mesmo quando cuspiu as palavras entaladas, ela não sentiu-se esvaziar. Uma intensa pressão dificultava a passagem de ar, fazendo com que o peito subisse e descesse de modo brusco. Nem sequer percebeu a pequena plateia que a cena atiçou. Até as tentativas de Stella foram ignoradas por conta da adrenalina provocada pelas ações e frases da Gremlin. Entretanto, de repente, a presença marcante de Yerin dominou cada espaço do vestiário, mas Sunny só percebeu a aproximação da megera ao se tornar novamente alvo da mesma. Sua única reação diante do "castigo" foi cobrir os olhos para protegê-los enquanto girava o corpo, ficando de frente à Rainha de Gelo, que embora estivesse usando trajes... curiosos, ainda era uma das garotas mais bonitas que Sunny já viu. Assim que o frasco caiu sobre a cabeça, ela finalmente deixou as mãos deslizarem - após se certificar que o shampoo não escorreria na direção das vistas - e encarou Yerin.

A expressão se manteve séria depois do choque inicial. Vez ou outra, passava os dedos pela testa, afastando o conteúdo perfumado e viscoso.

Não tinha medo de Yerin também, mas... Como negar a aura opressora da Queen? Os olhos negros agiam como dois poços infinitos... Era desconfortável e intimidante, além de provocar um sentimento de exposição e vulnerabilidade, o que a forçava a inclinar ainda mais o rosto. Todavia, para sua nova surpresa, Yerin capturou seu queixo, impondo uma dominância que lhe tirou a capacidade de reagir. Sunny arregalou os olhos, porém, no último segundo, se soltou da "prisão" ao puxar a cabeça para trás.

- Você certamente terá tempo para tentar, Yerin.

Rebateu entre os dentes meio trincados de raiva, frustração e... cautela.

Afinal, não era idiota.

O fato de não temê-la não significava que podia abrir a guarda, apesar do tom de voz ainda sugerir um quê de desafio.

Sun-Hee precisou se apoiar na pia assim que Yerin a empurrou, porém não foi isso que motivou a feição assustada. Até moveu os lábios para retrucar, só que... Considerou a chance de respingar em Stella, como Yerin fez questão de ressaltar ali, e... engoliu a resposta. Por que envolver Stella? Ela não disse nada! Nunca ofendia ou se comportava de jeito cruel com as pessoas.

Aliás, claro que Hyemin cresceu na companhia da amiga.

Gremlin nojenta.

Bobona! Irritante!

A bolsista carinhosamente segurou o braço de Stella enquanto escutava, calada, as provocações de Hyemin. E a encarada da herdeira foi correspondida por um olhar de "não acaba aqui, sua ridícula". Um olhar de quem aceitou participar daquela guerra. Uma guerra tão pessoal das duas que nem a poderosa Rainha do primeiro ano teria como intervir. Nem o próprio Kim.

Depois que elas se afastaram, Sunny e Stella reiniciaram a busca pelos pertences e a raiva triplicou ao encontrar os objetos boiando na privada. Ela fechou o vaso e sentou em cima da tampa, pensando no que fazer. Estava esgotada de novo, cansadíssima. Perguntou se Eun tinha como pegar sua mochila no armário. Graças ao imprevisto, demoraram mais, mas sem desrespeitar o tempo limite. Enquanto isso, Sunny tomou banho e a água farta do chuveiro serviu de massagem nos músculos tensos dos ombros e nuca. No entanto, o cheiro do shampoo caro estava impregnado nos longos fios da garota. Odiou. Porque funcionaria como um maldito lembrete.

Pegou algumas coisas emprestadas de Stella e enquanto a esperava, tratou de se ajeitar com o que tinha. Não se incomodou em secar o cabelo ou arrumar num penteado. Nos pés, já planejava usar o tênis mesmo, que era discreto e de modelo delicado e bonitinho, mas perdeu as meias limpas na vingancinha de Hyemin. Enfim, conseguiu se virar e pronto. Então, aguardando Stella, ficou no banco e aproveitou parar mexer no celular, vendo a mensagem de Kim. Ah, não... Não queria encontrar o amigo. Ou ele ia notar algo errado. Não, não, não. Chega de "batalhas" por hoje, era o suficiente para uma manhã.

"Oooooi, estou sim. Sobrevivi!
E você?
Ah, a gente se vê na sala. Tenho que resolver uma pendência na biblioteca e pretendo aproveitar o intervalo.

Obs.: Leva um muffin pra mim s2"

Suspirou.

Quando Stella terminasse a ducha, Sunny diante da quietude e privacidade, pediu segredo sobre o episódio.

- Se o Kim descobrir, ele vai se chatear - escondeu o rosto nas mãos - Stella, me desculpa. Não pensei que a Yerin fosse te ameaçar também. Eu... Droga. Lembra do que falei antes do jogo? Protejo você - olhou para a amiga e sorriu - Aquela bruxa não vai jogar nada em você porque precisará passar por mim!!!

Falava sério, bem sério.

- Mandei uma mensagem pro Kim e... Menti. Não vou pro refeitório para não correr o risco de cruzar com aquelas duas cobras. Mas você não tem que se preocupar comigo. Pode ir, Eun... A Chae e a Hye-Won devem estar lá. O Dong e os meninos também. E... Você... Você é uma ótima amiga. Tenho muita sorte.  Obrigada...

Ela acabou se emocionando subitamente, feito um sintoma tardio dos acontecimentos.

- Obrigada por ficar do meu lado, Stella.

E abraçou a amiga, feliz, mas... ao mesmo tempo, angustiada.

Afinal, toda ação gera consequência.


Última edição por Kim Sun-Hee em Qua Fev 14, 2018 10:42 am, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
192

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Park Hyun Hee em Seg Fev 12, 2018 7:30 am

Hyun Hee sentia os lasers espirituais do irmão olhando de canto, mas era por isso mesmo que focava em Misoo. Era a figura desagradável que tinha chegado para estragar a festa. A forma como era olhado o incomodava bastante. Ninguém falava abertamente “vá embora”, mas aquele constrangimento criava um clima tenso. Sorria de forma sarcástica ao notar isso, tornando difícil ouvir direito o que a menina estava comentando.

Apesar de olhar só para ela, ele percebia as movimentações óbvias. Achou a atitude de Ryu-Ji bem previsível, mas ficava incomodado com a facilidade com que algumas verdades eram presumidas sobre ele. A gêmea ficava o encarando sem parar. Essa era pior ainda. O que ela tinha a ver com qualquer coisa?

Por que as pessoas eram desse jeito? A maioria ali o odiava sem fazer a menor ideia do que tinha acontecido. O único que tinha algum direito de odiá-lo era Jung Mi, por ter matado os pais deles. Compreendia e não poderia ser feito mais nada sobre isso. Olhar para ele era bem doloroso, porque era como se o próprio pai estivesse com raiva dele e aos poucos o caçula ia perdendo os traços inocentes de irmãozinho impressionado.

Ele mesmo já estava começando a sentir a pressão de ficar naquele espaço, mas os trejeitos de Misoo o distraíam. Sorriu sincero diante da reação dela. O elogio tinha dado certo e achava interessante como essas coisas deixavam meninas “selvagens”, do tipo que jogam coisas nos outros, bem carneirinhas e fofas. Era um dos motivos para gostar de soltar comentários e testar a reação das pessoas para conhecê-las de verdade.

Manteve o sorriso, de certa forma dando segurança para ela, dizendo que estava tudo bem ficar envergonhada, mas ao mesmo tempo causava o efeito oposto, porque o sorriso deixava claro que ele tinha notado o embaraço. Hyun era uma pessoa de ações com vários sentidos.

Dessa vez foi ele quem foi pego de surpresa. Sua expressão confiante foi substituída por surpresa. De repente a garota começou um discurso para sair correndo e ele não viu por onde isso aconteceria. Piscou.

- Até. - falou firme, apesar de ter sido pego desprevinido.

Virou o rosto e viu os amigos do irmão, e o próprio. Dessa vez ele o encarou. Sentiu um aperto na garganta.


“Quanto tempo mais você vai fugir?”
“Quando vamos parar de ignorar o elefante branco na sala?”
“Quando vamos falar sobre o cheiro de queimado nessa casa?”
“Quando é que você vai sair dessa casa? A nossa casa. A minha casa.”




Essas perguntas estavam entaladas, enquanto ele só conseguia observar o irmão. A frustração de não conseguir expeli-las criou uma certa raiva e de repente ele se viu dizendo:

- Por que você não diz na minha cara o que está pensando?

Era ele mesmo que precisava ouvir essa frase, mas o fato é que provavelmente caía como uma luva para ambos.
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
177

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Won-Bin em Seg Fev 12, 2018 2:57 pm

Não existe vitória pior do que aquela que não foi merecida. Won adora uma competição, mas quando há realmente uma disputa igual.

Só os dois ali riam e se divertiam com a situação: como "Abutres" num filme que Won já vira, se divertiam em ver a desgraça daqueles que estavam abaixo.

"Tsc...isso é errado. Eu não posso deixar as coisas continuarem sendo assim" talvez Won não se considerasse um heroi, mas aquela sala precisava de um. Fosse ele ou não.

Tentou ajudar os meninos a se animarem um pouco diante daquela derrota humilhante.
Não achou que ia chamar tanta atenção assim então estranhou quando todos olharam pra ele, mas se manteve tranquilo.

- Obrigado por ser legal.

Won sorriu, agachado próximo aos garotos. Dong, o aparente líder daquele grupo, também desejava que as próximas aulas não fossem assim.

-Não precisa agradecer Ui-Jin, vocês são legais. E com novas disputas ou não, aposto que vamos nos sair melhor depois. Se quiserem eu posso dar umas dicas, não que eu seja um atleta ou algo do tipo haha mas sei uma coisa ou outra - se levantou - -Melhoras pessoal

Se afastou junto de Kang.

Jae-ki estava realmente irritado como parecia seu semblante.

@Jae-ki escreveu:- Won, não sou criança e sei o que é perder, você tentando amenizar isso não tá ajudando, ainda mais com essa sua voz de pena.

-E quem aqui tá falando com pena Jae-ki? - respondeu um tanto direto ao amigo. Ele interpretava tudo ao extremo, até um toque de ombro - Tá, vai esfriar a cabeça


Um tanto irritante mas já tinha se acostumado ao jeito dele.

Kang escreveu:- Ele não tá falando com pena. Se bem que deu pena daqueles meninos sim. - Kang comentou. - A gente falou rapidinho com eles, depois, o Ui-Jin - Fez uma expressão de “é esse o nome?”, preferindo chutar o nome ao invés de dar uma característica notável dele - Parecia arrasado. Não foi só você que se chateou.

Won assentiu com a cabeça.

-Foi uma situação ruim pra todos ali

"Aish ele tá fazendo aquelas caras de novo..." pensou olhando para Kang fazendo seus "cálculos".

Kang escreveu:- Ji-Hyun! - Respondeu como se estivesse num programa de respostas rápidas, mas quando percebeu o modo enfático que usou, recuou. - Digo...Conheci. Ela é bem bonita, o Won-Bin só se dá bem. Inclusive, é mais bonita do que a Bo-Mi, se eu fosse você… - E olhou o físico de Won e o próprio - O que claramente não sou, diga-se de passagem, eu daria umas dicas de Chantilly, Frozen coffee, smoothie… “vamos ali no liquidificador..”..Não?

Won correu pra tapar a boca de Kang que simplesmente gritava o nome da garota.

-Não precisa anunciar essas coisas pra meio mundo ouvir! - soltou ele - Aish, é, minha colega é legal. Mas discordo sobre ser mais bonita - pigarreou ficando meio vermelho de repente.

-Digo, é o que eu acho, observando de forma prática

Quando o assunto do dojo surgiu Jae tentava ajudar.

-Outro dojo, não eu não acho que... - ia falar mas ele se distraiu completamente.

"Esquece, eu não quero treinar em outro lugar...."

Kang escreveu:- Jesus… - O garoto resmungou. - Por que ela tá sorrindo? Apocalipse?

-Meu Deus. É o fim dos tempos - fez piada também.

Quando era óbvio de quem veio a mensagem, arrastou Kang pra fora dali.

...

Kang escreveu:- Tá...Me explica porque eu não entendi nada. Ele te contou alguma coisa?

-Não. Nadinha. Mas talvez eles tenham se falado no fim de semana, talvez? Vai ver eles conseguiram resolver as diferenças nesse meio tempo...eu espero que seja isso - torcia pelo sucesso do amigo.

Kang escreveu:- Tsc...Deixa pra lá. Me conta aí...Como foi o seu domingo? Tá melhor sem o gesso, né? Doeu muito para tirar? E a Ji-Hyun? Continuou maneira? Estou mudando meu shipp…

-Calma calma, uma pergunta por vez - uma metralhadora de palavras - Foi bom e...ruim. Aish, foi tanta coisa que nem sei por onde começar, mas a Ji-Hyun é bem legal ela me ajudou bastante. O gesso não doeu, agora está bem melhor com a mão livre

Respirou fundo, olhou ao redor para garantir que estavam a sós. Sabia que o amigo era meio boca-aberta, mas precisava botar aquilo pra fora para alguém. Olhar para Bo-Mi de longe tinha sido tão...estranho, nem tinha conseguido falar com ela ainda.

-A Bo-Mi é cliente frequente lá do café. Na verdade ela é sobrinha do dono - deixou a primeira informação ser absorvida - Ela estava lá, foi bem...legal. A gente meio que nunca tinha falado a sós, então até contato a gente trocou. Essa foi a parte legal do dia, aí chegou outra pessoa. A mãe dela pra ser mais exato

Já imaginava que ele ia fazer uma cara.

-Ela não foi tão legal. Lembra que eu já contei de quando eu ajudei a Bo-Mi a não ser atropelada? A mãe dela quis me "pagar", como se eu quisesse uma recompensa. Me disse um monte de coisas...ruins. Essa foi a primeira parte ruim do dia

E era a parte menos ruim.

-Até aí eu respondi ela meio grosseiro, a Bo-Mi tava com uma cara bem triste...mas continuo empregado, calma - respirou fundo - Depois eu fiz a besteira de comentar isso com meu pai. Ele conhece a família da Bo-Mi de alguma forma e falou que eu devia ficar o mais longe deles possível. Disse que eu tinha que largar o café

A terrível escolha.

-Eu disse que não. Então meu pai me proibiu definitivamente de voltar ao dojo e agora ele não olha na minha cara - ocultou o detalhe de que até apanhou dele - Depois disso eu fiquei falando com a Bo-Mi no celular mais tarde, ela parecia menos chateada

Tanta coisa pra botar pra fora. Podia ser o Kang Boca Grande, mas era um amigo que podia ouvir seus problemas um pouco. Isso era inédito ainda.

-Então basicamente foi uma mistura de coisas boas e ruins. Mas eu ainda não sei o que fazer com meu pai...

Talvez Kang tivesse um bom conselho. Mas falar já dava um panorama melhor da situação.
Se havia uma solução para treinar e ter as suas conquistas recentes, tinha de começar a pensar nela.

-E o seu domingo Kang? Seu irmão deu muito trabalho? - desviou um pouco o assunto, sorrindo
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
223

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por The Crown RPG em Seg Fev 12, 2018 9:21 pm

[JAE-KI]


Eun-Bi deu um sorriso tímido para Jae-Ki ao ouvir aquele comentário dele. Chegou a morder o lábio internamente e abaixar um pouco a cabeça, engolindo em seco. Era a segunda vez que ele a chamava de bonita, ainda que indiretamente. Jae-Ki não era o primeiro menino a dizer isso, mas certamente era o primeiro que a fazia gostar de ouvir a palavra. Ela vinha de modo diferente e causava uma sensação boa nela que não tinha relação com vaidade.

Era outra coisa que ela não sabia explicar muito bem.


Ainda em meio aos sorrisos, os dois começaram uma lenta caminhada até o Prédio Principal. Sem perceber, ela revelava alguns traços de travessura de seu perfil, mas não se arrependia. Era melhor descontar de modo justo na educação física do que fazer bullying! Até porque, durante a aula, ela também podia ser machucada como vingança. Às vezes acontecia, ué.

Porém, ela não quis continuar com aquele assunto e perguntou se ele estava bem, como tinha sido seu domingo e, principalmente, se a irmãzinha dele tinha gostado do doce. Suas perguntas não foram feitas da boca para fora, porque as respostas muito lhe interessavam. Jae-Ki podia sentir isso, que não eram comentários vazios porque Eun-Bi o encarava bastante também, quando não olhava para o caminho que estavam tomando.

- Verdade? - Sorriu de novo. - Na verdade, quem acertou foi você, porque escolheu o panda, não é? Mas que bom que ela gostou! Fico feliz. - Encarou por um instante ao ouvir que a irmã dele sempre dividia as coisas e meneou positivamente. - E você gostou também?

Já que ele tinha provado, não era uma pergunta boba.

Soo-Ji era uma criança muito fofinha mesmo, sempre preocupada com o irmão. Mesmo tendo visto poucas vezes, a bailarina pôde perceber como eles eram próximos e se preocupavam um com o outro. Tinham dividido até mesmo o sorvete, naquele dia, para experimentarem o sabor que cada um escolheu.


Quanto à história das boladas, Eun-Bi deu uma risada mais alta, escondendo os lábios logo em seguida.

- Não é bem assim! - Ergueu as mãos, tentando se explicar. - Só tem algumas pessoas que às vezes merecem umas boladas. - Olhou ao redor e então falou baixinho. - Tipo Mi-Ran...Yewon… - Fez uma careta. - Mas eu acertei uma bolada na Yerin também, mas essa foi quase sem querer. Nas outras eu queria tacar com efeito.

Mordeu os lábios de novo e o encarou.

- Ya! Não me julgue assim! Você faz coisas piores… - Virou a cara, mas prestou atenção na explicação dele.

O olhar seguinte foi um pouco mais desconfiado. Não achava que Jae-Ki fosse santo não...Aliás, ela tinha certeza que ele não era! Mas deu corda e demonstrou que compreendia, meneando positivamente e fazendo um beicinho.

- Claro, claro…Mas é bom saber que gosta de matemática. Eu odeio matemática, quem sabe você não pode me ajudar? - Piscou os olhinhos várias vezes, bem rapido, de um jeito fofinho.- Eu realmente sou burra para matemática.

E em quimica, física...geografia...história? Hm...história também. O que ela era boa, afinal? Educação Física!! E Literatura e coreano, mas somente porque estava valendo à pena estudar. O professor Lee era uma graça!

As bochechas dela coraram um pouco ao pensar no professor, mas ela logo parou e escondeu os lábios, disfarçando. Pelo menos Jae-Ki não conseguia ler pensamentos e também parecia animado com alguma coisa. Eles pararam perto da entrada dos fundos do prédio para que o garoto pegasse o caderno.

- O que foi? - Olhou para os lados também, mas quando viu a caricatura, ela deu uma risada super alta, apenas para tapar a boca com as duas mãos. Os olhos dela ficaram arregalados enquanto os ombros tremiam. Lágrimas começaram a brotar e ela foi tombando o corpo para a frente.

Não conseguia soltar o ar direito e começou a tossir e secar as lagriminhas que se formavam.

- Você é doido!??! - Perguntou quando recuperou o fôlego e escondeu o desenho com as mãos. - Quer ser suspenso, é?! - O tom de preocupação acabava abafado pelo riso dela. - Você é maluco mesmo! Não espalha isso!


Repreendeu.

- Mas ficou muito bom… - Olhou de novo e voltou a rir, mas esperaria que ele fechasse o caderno para continuarem o caminho.

Eun-Bi só pararia quando chegasse até o armário dela para trocar de bolsa e, também, pegar algumas coisas que trouxe.

[WON-BIN]


Kang observou Won-Bin com bastante atenção ao ouvir que ele não achava Ji-Hyun mais bonita do que Bo-Mi. E lá começava o segundo olhar de cálculos mentais que nunca davam certo. O garoto até levou a mão ao queixo, olhando o amigo da cabeça aos pés e cerrando um pouquinho mais os olhos até virarem dois riscos.

Como assim não?

Estava todo bobinho no sábado, cheio de vergonhas e depois entrosando como um galanteador. Será, meu Deus?! Será que Kang tinha encontrado um discipulo?!?! Sim, podia requisitar sua medalha de “Mestre Bang Bang Bang”. Aah, Won! Como ele estava se sentindo orgulhoso agora!

Quase que se emocionava ao ver sua obra concluída. E só precisou de uma semana! Isso era muito, muito bom!

Mas por que ele estava corando e se justificando daquela forma? Ani, ani! Não precisava disso. Talvez ele ainda tivesse muito o que treinar da expressão facial, também conhecida como poker face ou cara de pau.

Depois do anúncio do apocalipse - e agora Kang pensava que, se estivesse nos últimos minutos de sua existência, passaria ao lado de Won e não gostou muito disso. Preferia ao lado de uma menina. - onde o mundo acabava porque Eun-Bi e Jae-Ki conversariam como gente, os dois amigos seguiram para o refeitório que estava completamente vazio naquele horário.

Não tinha nem o que reservar para o J-Dragon, então, só procuraram um lugar para se sentar e conversar. Kang era uma metralhadora de perguntas e disparou todas de uma vez enquanto relaxava na cadeira, na ponta para conseguir ver quem chegava. Won, por sua vez, pedia um pouco de calma e avaliava o terreno antes de começar as respostas.

Meneou positivamente para o comentário sobre Ji-Hyun e esboçou um sorriso para a história do gesso. Estava perto de falar “que bom, cara!”, mas parou no que e a exclamação virou uma pergunta.

- Que...Que? - O sorriso ficou imortalizado na cara até que pouco a pouco foi virando choque. - Mas você não sabia?!


?!?!?

- Que o Café Beautiful era do tio dela? Po! Você não vê TV? Você não prestou atenção no nome dela? Você não stalkeou na internet? - Kang, você fez tudo isso? Obvio. - Tsc, tsc, mas eu não sabia que ela morava lá! Caraca, que sorte…

E vinha a história da mãe.

E do pai.


- Que azar… - Coçou a nuca. - Nem pode namorar em paz. Digo...Caramba, Won-Bin-shi. Quer dizer, agora você descobriu como é conversar à sós com ela e parece ter curtido. Você corou de novo, só pra constar...Segunda vez já. - Fez um “2” com os dedos. - Agora entendo porque não acha a Ji-Hyun mais bonita do que ela, mas...bom...a Ji-Hyun parece mais simples do que essa história complexa aí. Por que será que seu pai não gosta da família dela? Será que vai virar uma história trágica? Aish, não morra, Won…


Fez uma expressão triste quase nervosa e preocupada com possíveis mortes.

- Parece que tô zoando, mas estou falando sério. - Ajeitou-se um pouco. - Primeiro você tem que ver um jeito de lidar com seu pai e a história do dojo. Não deve ser legal ficar de mal com o seu pai, até porque você parecia só falar coisas legais dele, mas também não é legal seu pai não te contar as paradas. Vai ter que descobrir sozinho. Será que a família da Bo-Mi também odeia a sua? A mãe dela já implica contigo…

Fez uma cara de dó, mas fez um “não” com as mãos.

- Meu domingo foi sem graça perto do seu. Meu irmão é uma peste e se resume a isso mesmo. Fala aí, já sabe o que vai dizer pra ela quando vê-la? E tu pegou birra mesmo com o Ryu-Ji, né? O cara parece legal, Won, não é tipo o Taemin…

Para o azar de Won.

[HYUN-HEE]


MiSoo não tinha ideia do climão que tinha instaurado naquele banco depois de chamar por Park Hyun-Hee. A impulsiva tenista nem pensou que criaria um problema maior ao tentar fugir da história da Ópera e dos momentos constrangedores que a proximidade dela de Gyu-Sik criavam. No fim, ela só empurrou a sensação para Jung-Mi, mas o efeito que a situação tinha nele era devastador…

Para completar o quadro, a garota saía dali depois de armar a bomba. A amiga só arregalou os olhos quando foi puxada e arrastada dali. Os quatro meninos permaneceram e o silêncio que veio depois disso era opressor.

Ryu-Ji tinha se afastado não por julgar Hyun-Hee, mas porque não queria mesmo ficar no caminho daquela discussão. Inclusive, ele achava que a conversa de Jung-Mi com seu hyung estava demorando muito a acontecer. Por várias vezes tinha aconselhado o amigo a falar com o irmão e, em todas as tentativas, foi cortado com uma frase grosseira. Já Gyu-Sik só se mostrou aborrecido por ciúmes de MiSoo. Era involuntário não revirar os olhos ou não se irritar quando alguém vinha todo elogioso para cima de MiSoo. Fora isso, ele compartilhava da opinião de Ryu-Ji, mas entendia o tempo que Jung-Mi precisava.

MiSoo saiu recebendo o cumprimento apenas de Hyun-Hee. Ryu-Ji e Gyu-Sik apenas encararam brevemente e logo olharam aquele quadro. Jung-Mi tentava se conter, mas não conseguia não encarar mais o irmão.

Não por curiosidade ou saudade.

E sim porque durante o tempo que o encarava podia destilar toda aquela onda de ódio e rancor que vinha acumulando.

Tic Tac.

Alguém estava testando os limites do sempre controlado e polido Príncipe Park. Parecia que os deuses queriam testar até onde ele conseguia ir antes de se tornar um monstro irracional como o próprio Hyun.

O impacto foi ainda maior quando os olhares se encontraram. Não estava nem a três metros de distância um do outro, mas não seria mentira dizer que havia um abismo entre os dois. Grande demais para ser ultrapassado, porém próximo o suficiente para se magoarem mais e mais.


“Por que você voltou?”
“Por que você age como se nada tivesse acontecido?”
“Por que você pôde ser livre, mas me deixou acorrentado aos fantasmas?”
“Por que você se faz de vítima quando é o culpado de tudo?”


Os dois continuaram se encarando e Jung-Mi cerrou os olhos quando o irmão deu o primeiro passo. Era o esperado de um hyung, afinal.


- Desde quando minha opinião importou para você? - Perguntou num tom de voz sério. - Se tem algo te incomodando, deve ser sua própria consciência, não é, hyung? Sente culpa de alguma coisa?

- Jung-Mi… - Ryu-Ji tentou falar, mas Jung ergueu a mão.

- Podem ir na frente. Isso será breve.

Os dois ficaram meio receosos, mas acataram o “pedido” de Jung-Mi. Só não se distanciaram demais.
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Park Hyun Hee em Seg Fev 12, 2018 10:03 pm

Hyun Hee apertou os olhos e engoliu em seco. Então finalmente aquele assunto veio à tona. Se estava se culpado por alguma coisa? Se era a consciência dele gritando culpa? Se? Se?

Aquela frase doeu, mais do que as costelas. Por um breve momento, Hyun piscou e quase desviou o olhar. Quase. Ele respirou fundo, entreabrindo os lábios. O olhar continuava focado naquele que parecia seu pai. Demorou mais do que o normal para reagir, de modo que Jung Mi conseguiu até falar com os amigos para que fossem embora.

Seu irmãozinho, o pivete que o admirava e o via como um campeão… Esse tinha morrido também. Era injusto e errado querer ser recebido com um abraço amigável depois daquele acidente, mas no fim era isso mesmo. Seu maior medo estava confirmado, depois de correr aquela semana, aquele ano inteiro, era isso: Jung Mi o culpava pela morte dos pais.

Uma parte bem pequena dele ainda tinha alguma dúvida, uma esperança de que seu tão querido irmão entenderia, talvez um pouco.

Ele sentiu um baque, um revirar no estômago que o fez sentir-se em pânico. Uma onda de calor percorreu seu corpo, retirando-o de cena por um momento e fazendo uma fugaz viagem ao passado.

A última segurança que ele tinha em vida agora o tratava como todas as outras. Ele fugira do contato com o irmão naquele tempo todo porque tinha medo de realmente perder aquilo e agora o caçula o provocava, saindo completamente de sua posição de mais novo e desqualificando-o, como um assassino, um estorvo real. Antes, achava que isso era uma obra de sua mente. Queria que fosse.


A expressão sarcástica e divertida de sempre, como se nada tivesse acontecido foi substituída, e ele abaixou um pouco a cabeça. Não estava mais com reações controladas, com respostas bem pensadas e com efeito. A voz saiu sozinha, arranhada e grave.

- Sim, eu matei os nossos pais.

Ergueu o rosto, na incerteza de que teria sido ouvido, então falou mais alto, os olhos fixos e bem abertos.

- SIM. Eu causei o acidente. Eu vi “appa”, “omma” mortos no chão de neve indo para a droga de um campeonato meu e Eu sobrevivi. EU vivi e eles não. SIM foi a merda da minha vida que sobrou aqui e não estou fazendo NADA com ela. Feliz? Era isso que você queria ouvir? É, FUI EU. O que vai fazer sobre isso Jung Mi? - abriu os braços, se oferecendo.

- Hã? Hã? - deu um tapinha no próprio rosto. - Olha aqui. Vivo. Bem. Inteiro. Que pena pra você. Você quer saber como foi? Quer que eu DESCREVA os últimos momentos deles? Desculpe se eu não tinha um cartão de saudades  para mandar depois de tudo!  Eu não voltei pra ver essa sua carinha, maninho, eu voltei porque o titio está fazendo merda e você sabe que está. Longe de mim contestar as suas escolhas. Eles morreram. Acabou. Não volta mais. Agora você é um adulto. - deu um passo a frente. - Então agora você para de agir feito um moleque mimado. Está confortável dormir em casa? Está divertido ter todo mundo babando no bebê da família? Eu vi a merda inteira acontecendo, moleque. Então esse seu olhar de superior me dá raiva. - ele puxou Jung Mi pela roupa, para encará-lo de perto. - Você não tem a mínima ideia do que é ter passado por isso. VOCÊ NÃO SABE O QUE É ISSO.  ENTÃO NÃO REPITA UMA MERDA DESSAS. VOCÊ OUVIU??? VOCÊÊ OUUUVIIIIUU?
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
177

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por The Crown RPG em Seg Fev 12, 2018 10:57 pm

[HYUN-HEE]





Desde que soube que Hyun-Hee tinha retornado para a Coréia há cerca de um mês, Jung-Mi sabia que, cedo ou tarde, aquela conversa ocorreria. Seria quase impossível não cruzar com o hyung, ainda mais conhecendo o avô deles dois e os métodos que ele usava - como colocá-lo na mesma escola, mesmo depois de tudo o que tinha acontecido. De muitas maneiras, achava as atitudes dos mais velhos quase doentias e, o mais desesperador era a ciência de que a mesma doença podia estar em suas veias.

Será que o ódio ajudava a alimentar aquilo? Porque era isso que Jung-Mi sentia...O mais puro e voraz ódio.

Agora que os dois estavam frente a frente, não conseguia - e não queria - deixar de encarar aquele estranho. Mesmo quando disse aquela mentira para seus amigos, ele não desviou o foco. Sim, uma mentira porque não achava que aquilo fosse ser rápido, muito pelo contrário. Independente do tempo que levassem com aquilo, os efeitos perdurariam no tempo.

Os dois estavam completamente sozinhos, no meio da escola.

Estavam próximos o suficiente do vestiário, mas havia um pequeno tumulto ocorrendo lá dentro - e, comparado com agora, poderia ser considerado algo extremamente infantil. Enquanto as meninas se ocupavam com a briguinha entre rivais, não havia nenhuma viva alma para separar os ltigres do lado de fora.

Ao ouvir a voz do irmão pronunciando aquela sentença, o maxilar de Jung-Mi trincou.

Bem lentamente, ele puxou o ar para os pulmões, mas o exercício não o acalmava. Era mais como se estivesse pegando o fôlego e reagindo aos efeitos da adrenalina antes de uma situação de risco - luta, salto do abismo, acidente.

Os olhos dele tremiam quando se encontraram com os de Hyun de novo. E, pouco a pouco, ficavam vermelhos graças à força que fazia para não se desfazer em lágrimas - não por sentimentalismo barato, mas de ira. O ódio tinha se elevado, no momento. Jung-Mi tombou de leve a cabeça para o lado quando Hyun se ofereceu daquele jeito. O pouco de razão em sua mente lhe dizia:

“É isso que ele quer...que você bata nele. Quer se vitimizar...Como sempre…”

E o sussurro de sua mente vinha com uma voz muito específica que tinha sido mencionada por Hyun no meio de seu discurso.


Tombou a cabeça para o outro lado e não recuou ou avançou, mas fechou o punho de modo que a unha machucava a carne. Estava se controlando até que Hyun tentou segurá-lo pelo blazer para encará-lo de perto. Na mesma hora, Jung-Mi reagiu, numa defesa que o próprio Hyun tinha ensinado a ele - passando os braços por dentro do vácuo que os braços de Hyun faziam ao segurá-lo. Os braços batiam nos dele e, ao invés de completar com uma chave, era Jung-Mi que o agarrava pelo blazer.

- Me diz algo que eu NÃO sei, Hyun-Hee. ME DIZ!!! - Berrou bem na cara do irmão, sem qualquer respeito pela idade.

Respeito…

Isso nem ao menos existia mais.

- MELHOR! DEIXA QUE EU DIGO PRA QUEM QUISER OUVIR!! SEU MALDITO ASSASSINO, COVARDE!!! EGOÍSTA!! RATO!!! - Sacudia o irmão enquanto falava e logo o empurrava. - Você acha que é o único que sofreu nessa história, seu verme?! Eu vou te dizer o que você não lembra! Durante seis meses, SEIS MESES, enquanto você estava naquele hospital, EEEEU estive ao seu lado!! EEEU ACREDITAVA NO MEU HYUNG!! EU SABIA QUE ERA UM ACIDENTE! - Batia no próprio peito quando falava de si. - EU CUIDEI DE VOCÊ!!!!

Os olhos marejaram e a voz embargou.

- EU PAREI MINHA VIDA POR VOCÊ! Porque eu não aceitava perder mais nada!! E o que você fez quando acordou?

Direcionou as duas mãos, com escárnio para o próprio irmão.

- Voltou como isso!! - Riu debochado. - Você é um assassino porque matou minha família, minha omma, meu appa, meu hyung...Eu te odeio porque você é um covarde que preferiu fugir a ficar. E eu NUNCA vou te perdoar. Você não é NADA PRA MIM. Meu hyung está morto.

avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Park Hyun Hee em Seg Fev 12, 2018 11:27 pm

Finalmente uma reação. Finalmente uma atitude que não era só aquela cara simplesmente de ódio reprimido. Hyun não tentou agir de volta quando sentiu o “contragolpe” do irmão.  Na verdade, essa foi a única coisa que acalmou a enxurrada irracional que bombeava seu cérebro de do pior tipo de lixo que estava enterrado ali. Os olhos do hyung se arregalaram e ele observou o garotinho crescido, despejando aquelas verdades sobre ele.

Maldito, assassino, covarde, egoísta rato. Ainda que os olhos dele ficassem avermelhados por causa dessas acusações, essas palavras fomentavam um tipo de satisfação masoquista. Foi empurrado, ofegando como se tivesse saído no soco.  

Mais uma pessoa que dizia a ele que tinha ficado a seu lado naquele momento. Céus, como ele poderia saber? Ele estava morto naquele momento, não era esse o sentido de coma? Ele ainda concordava com a parte do verme, quando ele o chamou de assassino pela segunda vez, Hyun aumentou o tom de voz em todos os níveis.

- PORQUE É IIIIISSSO EU QUE EEEEEUUU SOOOOOOOOOOU!!!! Você está certo sobre quase tudo e eu gostaria que estivesse, mas eu NÃO ESTOU MORTO. E VOCÊ tem que conviver com isso.  DESCULPE, IRMÃOZINHO, MAS VOCÊ NÃO DEVIA TER CUIDADO DE MIM. VOCÊ FEZ ISSO COMIGO. Foi a partir do momento que eu acordei que eu me vi nessa tempestade de merda para todo lado……  VOCÊ DEVIA TER MANDADO DESLIGAR OS APARELHOS QUANDO TEVE A CHANCE. EU NÃO QUERIA ESTAR AQUI, PORRA, EU NÃO QUERIA ESTAR AQUI NA SUA FRENTE AGORA! Eu sinto muito fazer você perder a sua preciosa vida, mas - rosnou.-  EU NÃO PEDI PRA ESTAR AQUI!!!! Eu nunca pedi pra você tentar me salvar. Você devia ter seguido a sua vida e mandado me enterrar, se era pra me trazer de volta pra esse inferno. Tudo seria muito mais fácil para nós dois, se você tivesse feito a escolha certa.
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
177

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 13 Anterior  1, 2, 3, ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum