Fóruns Gráficos
3
Créditos
» Skin obtida de The Captain Knows Best criado por Neeve, códigos acrescentados por Weird e baseado no tema The Walking Dead Theme criado por Hardrock. Graças aos suportes e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foractivo.
» Versão Elysium adaptada por Hurricane, Rossin e Persephone.
Narradores
6
Personagens Ativos
40 Personagens Ativos
Últimos assuntos
» Capítulo 8
Ontem à(s) 11:17 pm por Kim Sun-Hee

» Episódio 1
Ontem à(s) 9:17 pm por Kasumi Sanada

» Sons of Neptune
Ontem à(s) 8:05 pm por Starry Night

» [DADOS] Onde estrelas nascem ou morrem
Ontem à(s) 6:12 pm por Starry Night

» Golden Boys
Ontem à(s) 1:47 pm por Starry Night

» @ohmygyuri
Ontem à(s) 10:54 am por Nam Gyuri

» @ommagyuri
Ontem à(s) 10:42 am por Nam Gyuri

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:52 am por Moon Jae-Eun

» @moonjaesun
Ontem à(s) 8:42 am por Moon Jae-Eun


Capítulo 3

Página 5 de 13 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Convidado em Ter Fev 20, 2018 12:04 am

MiSoo não gostava de ir contra a felicidade de suas amigas, mas simplesmente não conseguia evitar sentir-se desse jeito. Dentre as coisas que conseguia ocultar para poupar o trio de amigas, juntar mais aquilo, que provavelmente seria bem difícil de ignorar, era demais. Precisava desabafar como se sentia para a dupla. Precisava aliviar uma de suas muitas angústias. Parar com o enjoo e a vontade de vomitar. Conseguia até sentir a garganta seca e a ansiedade tomando conta dos membros, que não conseguiam ficar quietos e a tenista movia-se mesmo que minimamente, de um lado para o outro.
MiSoo viu a expressão de EunBi mudar completamente depois de ter dito o que achava, o que temia. Ver a expressão dela se modificar desse jeito só contribuia para o aumento da sensação de que o espaço para o coração estivesse diminuindo. EunBi começou a responder, e suas primeiras palavras fizeram MiSoo apertar os lábios outra vez e segurar o antebraço com força com a mão oposta.


- A primeira coisa que ele fez ao chegar nesta escola e lhe ver foi gritar com você. Falar palavras horríveis. Essa pessoa não era quem você descreveu nas férias. Era bem diferente. E é um stalker porque primeiro aparece na escola e depois perto do teatro. - desviava o rosto e começava a passar as unhas com insistência sobre o tecido do casaco que cobria o braço.

Não respondeu diretamente a pergunta da bailarina, achava que sua explicação já teria respondido, de certa forma, a pergunta dela.

MiSoo engoliu em seco e sentiu os próprios olhos marejarem ao ver a expressão de choro da melhor amiga. Ela acabou virando o corpo um pouco na direção da porta do refeitório e virando o rosto na mesma direção.

EunBi continuava a se explicar, dizendo que nunca esqueceria as amigas.

- Eu… Só não quero ficar sem vocês. - resmungou, sem olhar para elas - Vocês e a Mia-yah são minhas verdadeiras irmãs… - soltou o braço para esfregar a manga do casaco no rosto, enquanto na outra mão tinha a bolsinha com a jóia, a qual segurava com força.

Continuou a ouvir a amiga sem olhar para ela, mas sem dizer nada. Isso até que EunBi insistia que o bolsista não era mal educado. MiSoo ergueu os olhos inconformados na direção dela, fazendo bico. Como ele não era mal educado? E aquele jeito totalmente desrespeitoso que ele tinha de falar???

BoMi repreendeu o comentário de EunBi e isso foi o suficiente para MiSoo respirar fundo e abaixar os ombros também, sentindo-se um pouco cansada.

- Não é tão pouquinho assim… - comentou em um murmúrio meio indignado ainda.


Desta vez observou atentamente a amiga enquanto ela fazia o relato detalhado de como sentia-se enquanto apaixonada.

MiSoo franziu o cenho e coçou a cabeça atrás da orelha. O relato não lhe parecia estranho. “Sem jeito de falar”… “Falta de ar”... Onde já tinha visto isso? Devia ser em algum livro, provavelmente. Não lia muito agora, nem sempre tinha tempo, mas leu alguns livros de romance no passado. De qualquer forma, EunBi tinha comovido um pouco a amiga. As palavras tinham sido bonitas e convincentes. Tinha até uma pontinha de inveja da amiga… Mas bem que ela podia ter escolhido melhor.

Desta vez lançava um olhar complacente à EunBi e depois a BoMi, mas não dizia nada. Não sabia o que dizer. Não conseguia dizer nada contra a possível relação dos dois diante da confissão. Observava pensativa as duas amigas, até que EunBi deu um passo para mais perto da tenista e apoiou as mãos em seu ombro.



- Não vai mesmo me abandonar? Nenhuma de nós Você promete, Ubiyah? - chamou ela pelo apelido esquisito que usava quando eram pequenas - Aish… Sabe que pedir cola na prova pra mim é meio arriscado mesmo… - abafou um fraco risinho com a mão, mas ficou séria logo depois - Ubiyah… - fez uma carinha bem triste e abaixou o rosto, segurando o presente com as duas mãos bem firmes em frente ao corpo - Eu posso até tentar aceitar, me conformar… Não sei. Mas… Não me peça para tentar falar com ele. Não agora. Ao menos que você queria que eu crie mais situações bem desagradáveis hoje… Sabe que eu não me controlo muito bem. Eu não estou muito bem agora. Eu acho que causei uma briga entre Jung Mi e o irmão. E acho que decepcionei todo mundo… Você viu as expressões dos garotos. Aquilo foi minha culpa. Eu já estava um pouco nervosa por domingo, ficaram me olhando com umas caras, pareciam aqueles alienígenas tentando entrar na cabeça das pessoas, aí eu tentei mudar o foco… Eu chamei o Park Hyun Hee. - começou a narrar de um jeito meio ruim de entender, como não era incomum MiSoo fazer, principalmente quando estava nervosa - Aish… - respirou fundo depois de começar a disparar palavras sem renovar o ar dos pulmões - Mas - respirou um pouco mais - Eu adorei o presente, de verdade. - falava com muita honestidade no olhar, mesmo não tendo aberto a caixinha ainda - É muito lindo. - deu um rápido, porém caloroso abraço na amiga.

Tirou a caixinha de dentro do saquinho,mas antes de abri-la BoMi começou a exclamar e mandava que olhassem para seu celular. MiSoo guardou a caixinha no bolso e esticou o pescoço, cheia de curiosidade para saber o que tinha impressionado BoMi.

MiSoo arregalou os olhos para o celular, mas ficou sem entender direito o comentário da amiga.

- Mwooo?? Mas O que isso tem a ver!?!!? - não resolvia nada para MiSoo.

Mas… MiSoo soltou uma espécie de gemido baixinho, meio contido, mas super nervoso, com a foto, o que a forçou a cobrir a boca com as duas mãos. Ainda bem que não era ela na foto. Quer dizer, não ela e o colega de classe mais velho. Mas um possível registro do dia anterior. Ainda bem que estavam bem longe da escola e sozinhos, pois se não fosse o caso, MiSoo com certeza estaria morta de vergonha agora. A essa hora estariam dizendo a mesma coisa que BoMi falava sobre os dois. E no caso dela nem era verdade! Quanto ao colega e a menina misteriosa, não saberia, mas também não era legal afirmar só por causa de uma foto. MiSoo sabia como esse pessoal da escola era maluco, ainda mais quem inventava de mandar esse tipo de fofoca. Bem diferente de suas amigas, em quem praticamente acreditava cegamente.

- Aish! Deixem isso para lá, vocês duas. Se nós recebemos, todo mundo deve ter recebido isso e vão começar a meter o nariz… - chamou a atenção delas, dando as costas às duas, ajeitando a mochila nas costas e cruzando os braços.

Não era ela na foto, mas não importava, estava incomodada de qualquer jeito.

- Por que não vamos para o refeitório de uma vez. Estou morrendo de sede. Só… - começou a arrastar o pé no chão - Estou com um pouco de medo de encarar olhares decepcionados de novo. Aishhiii!! Espero que não!!! Eu ainda tinha que mandar uma mensagem!! … Mas agora é uma péssima ideia! Será que é?? Otokke!?! Ahh!! Vamos logo!!! - ergueu os dois punhos fechados em frente ao corpo, se enchendo de determinação… que durou dois segundos - Minhas amigas me dão coragem!!! E também temos que achar a Mia!! Pobrezinha ficou abandonada!! Aishhh! Abandonei a Mia!!! - MiSoo continuava tão nervosa que estava falando alto e de modo muito agitado, jogando as mãos para o céu e depois cobrindo a cabeça e curvando o corpo.

- Ani! ANII!! Vamos!! Divido os corações na mesa! - saiu correndo para dentro do refeitório, na frente das duas, antes que voltasse a morrer de medo de aparecer no meio de todo mundo.

Já chegava no refeitório olhando para todos os lados em busca da amiga perdida, embora também estivesse procurando as expressões carrancudas de Jung Mi e dos outros dois, pois estava com receio de que um deles se aproximasse e desse certeza à tenista de que estavam muito decepcionados com ela.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Kim Sun-Hee em Ter Fev 20, 2018 11:32 am

De fato, aquele curto tempo na biblioteca renovou as energias de Sunny, o que também teve uma parcela maior por causa da amiga. Era muito bom saber que podia contar com alguém, embora já estivesse mais do que certa que ombros não lhe faltariam nesses momentos tão delicados.

A interação entre os professores com a Srta. Shin despertou curiosidade, mas a mensagem no celular roubou todo o foco de Sunny e Stella. Quase esqueceram que eles ainda estavam ali.

Arregalou um poucos os olhos diante da explicação de Eun.

- Um perfil fake? Isso é sério? As pessoas chegaram ao nível de criar algo assim só para atingir os outros? – balançou a cabeça em gestos negativos, mas a verdade era que se parar para analisar, não tratava-se de uma atitude tão absurda considerando o ambiente. Ninguém queria dar a cara tapa e se expor...

Apenas jogar terceiros no meio do fogo.

Ela logo juntou dois mais dois e concluiu que provavelmente também foi o perfil que divulgou as imagens do vídeo em que as novatas “excluídas” levaram ovadas. Meio quilômetro de bico ocupou os lábios da bolsista, até Stella acrescentar que já aparecera algumas vezes ali. Sunny suspirou e sorriu de um jeito complacente enquanto apertava o ombro dela num gesto breve e carinhoso – É uma boa ideia... Por mais desagradável que seja, melhor estar ciente dos locais menos perigosos, né? Assim não somos pegos desprevenidos.

O assunto voltou para Chaeyoung e Sun-Hee concordou, preocupada de como aquela notícia se refletiria na amiga.

- Sim... A ex do Hyun-Hee ficará aborrecida, ainda mais com essa legenda. Foi obviamente uma provocação direta! Não quero nem imaginar na forma que irá respingar na Chae... – levou a mão até a testa, esfregando um pouquinho – Eu desconfiava que existia alguma coisa, sim, mas nada tão sério. Estou surpresa! A Chae nunca comentou... Porém, deixava explícito o quanto o Hyun-Hee a “incomodava” – fez aspas com os dedos para enfatizar – Mas só teremos certeza quando ela falar. E ela vaaaaaai falar.

Vai falar SIM. Vai contar SIM. Explicar essa história DIREITINHO.

De repente, a mudança de foco assustou Sunny, que arregalou os olhos. Se tivesse acontecido algo parecido com ela e Kim... Nossa. A vida deles naquele colégio pioraria ainda mais graças as fofocas, porém por motivos mais pessoais e específicos de ambos. Sun-Hee balançou a cabeça.

- Uhum, uhum. Eu e o Kim somos irmãos, nada além disso! Ainda não me acostumei com a maioria pensando diferente... – suspirou – Também é uma possibilidade para a situação de Chae e Hyun, mas, sei lá...

Pouco provável.

Stella tocou num detalhe bastante relevante.

- É verdade!!! Hmmm... Deixa eu pensar...

Dizia enquanto as duas finalmente saíam da biblioteca. Mas a nova mensagem a tirou do raciocínio e precisou parar para ler o textão de Lee Hi e repetia palavra por palavra, não excluindo Stella – Meu... Deus... – arfou, e releu todo o conteúdo – Lee Hi, você é muito inoceeeeeeenteeeeeeee! E agora, Stella??? OLHA A GRAVIDADE!

Começou a digitar uma resposta.

“Miga, você sabe se ela está com o Hyun-Hee???
Aiiiiiiiii, Lee Hi, tô preocupada! Acho que nem mil seguranças vão conseguir afastar esse povo fofoqueeeeeiro. Mas eu sabia, saaaaabiiiiiiiiiiiaaaaaaaa. Sabia que aquela raivinha não era de graça, humpf!

E vocês viram pessoalmente?
Leeee Hi! T_____T Muita gente viu também?”

CLARO, SUNNY!
O COLÉGIO INTEIROOOO!


“Cena de dorama?!
Nós estamos indo até aí, okay?”

Sunny liberou um resmungo sofrido.

- Ahhh, sim... A desculpa, certo... Bem... Podemos contar a verdade, o que acha? – ela balançou os ombros – Que você recebeu a foto e ficamos preocupadas com a Chae.

Sugeriu conforme desciam as escadas e seguiam ao refeitório.


avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Dong Hee Kyung em Qua Fev 21, 2018 12:04 am

Kim e Dong escutam aquele converseio entre as meninas, ambos se entreolham de maneira discreta já formando nomes em suas cabeças joviais e paranoicas.

- Depende, o que entendeu? - O questionou arregalando ligeiramente os olhos por trás das lentes do óculos. Na máquia ele pegou as bebidas que queria, seguido do chá que Stella lhe pediu, como a garota sempre trazia café para ele, seria natural retribuir o favor, só bastava a encontrar depois na sala. Sua priminha não lhe devolvia um olhar sequer, quando a garota sorridente não estava fora do seu grupinho, parecia que a existência de Dong era invisível. Não que isto incomodasse muito, mas era algo a se pensar, naquele momento, o primo estava para Hayoung como Kim estava para Hyemin. Pelo menos, em questão de olhares focados feito falcões.

Se é que da para comparar uma ave com visão tão maravilhosa, com um toupeira da vida que nem Kyung.

Voltando para a mesa, ainda imerso nos pensamentos... sente algo no ombro que o faz quase engasgar com a bebida cafeinada. Levou a mão direita rapidamente até frente da boca impedindo o liquido marrom de sair, enquanto puxa o ar, pigarreando duas vezes.

- Como assim, noon...

Curioso, foi virando-se de lado bem devagar, movimento que quase parecia em camera lenta, antes viu a cara de Ui-Jin que parecia o ilustrar bem preludio do que estava por vir... So-Na estava bem ali e sua presença era quase um colírio para um olhar perfeccionista. A garota já era bela por si só, e nem parecia toda emperequetada como algumas outras jovens presentes nas mesas ao lado. As tranças e o colar dela foram o que chamaram mais atenção para Dong, ele quis quase dar um sorriso ao ver aquele BB8 meio que escondido. Até mesmo a armação do oculos dela parecia perfeita para o rosto, quase como uma bonequinha.

Na mão, nota-se que era uma fã de historias japonesas, e não dos famosos manhuas coreanos que também era bem populares entre os jovens.

- Bom dia. Aceita  beber algo? - Oferece a lata da bebida que comprou para Ui-Jin, ainda não estava aberta. Provavelmente um chá também, mas o da querida Stella estava bem guardado, e ele não se atreveria a oferecer.

HaN inicia seu relato orgulhoso do feito, o que fez ambos os garoto se entreolharem. - Uma aposta, é, humm...

Arqueou a sobrancelha grossa, da esquerda, imaginando o que poderia ter sido. O que ele andou aprontando? Aquele "mulher fria" não passou desapercebido pelo herdeiro. - Ah sim, Ha Neul-shi gosta das mulheres quentes!

Mostrou a fileira de dentes da frente num meio sorriso fanfarrão. Dong abriu espaço para eles, mas eles perceberiam que o garoto, se levantou, e arrumou a cadeira dele e dos demais de uma forma que eles ficassem perfeitamente "circular" em volta da mesa que tinha esse formato, ele perdeu alguns minutos até ajeitar isso e finalmente se sentar.

Para os demais não seria estranho, mas para So-Na talvez fosse. Seria um toc?

- E como é esse este menino? - Só de ouvir a palavra bolsista era de se imaginar o novo alvo, ou pelo menos, era assim que costumavam ver os predadores sociais dessa escola. Min-Ho dava o relatório das vergonhas que o seu time fez, algo que não era surpresa para Ha Neul que prontamente se coloca aos risos, Dong leva na esportiva essa reação, ajeitando seus óculos para frente. - Omoo... você também riria se visse meus tombos, So-Na, foram terríveis. É impressionante como a gente pensa tão rápido, arma tantas coisas, mas na hora da ação, tudo fica desconexo e seu corpo não obedece.

Hee-Kyung ainda tenta se explicar. - E mosquitos não ficam presos em teias Min-Ho...

O corrigiu já esperando o olhar com assface dele, para o dedo indicador que Dong estava mexendo negativamente. As vezes, poderiam notar que o rapaz estava com sua atenção em outro canto, e se virassem os rostos na direção perceberiam que era para sua prima.

Dong estava a observando, suas atitudes da outra mesa.


--

Até o tal garoto novo aparecia atraindo inevitáveis olhares... alguns menos tragáveis que outros. Com a aparência revelada, a presunção de Ha-Neul se realiza. - Acho que não preciso dizer nada, vocês já sabem. Eu realmente não entendo por que isso acontece. - Dessa vez só mexeu os ombros ao mesmo tempo, soltando um suspiro ao semi fechar seus olhos castanhos.

Afagou entre a testa e o nariz com dois dedos, massageando ali devagar. Celulares começaram a apitar e isso foi um pouco estranho, dada a sincronia que isso aconteceu. Won-Bin não parecia um cara que queria ser o centro das atenções mas parece que algum tipo de karma o perseguia, Dong começa a notar isso conforme analisa melhor as coisas que vão acontecendo com este rapaz e seus amigos.
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
112

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por The Crown RPG em Qui Fev 22, 2018 11:01 pm

[HYUN-HEE]

Chaeyoung fez uma careta com o comentário dele acerca dos clubes. Revirou os olhos de modo bem preguiçoso e fez um som divertido com a boca, antes de sorrir e encará-lo. A brincadeira durou pouco porque logo o assunto ficou mais sério e denso. Era a primeira vez que eles eram tão sinceros e transparentes um com o outro - ainda que Hyun-Hee fosse uma “inconstante confusão”.

Apesar de ter noção da profundidade das coisas que dizia, ela nunca teria dimensão dos efeitos que aquilo causava nele. Pelo menos não tinha até ver a expressão dele mudando daquele jeito.

Não imaginava que ele choraria e isso a deixou um pouco constrangida. Convivia com irmãos e sabia como homens eram orgulhosos e nunca demonstravam fraqueza ou seus sentimentos. Por um momento achou que Hyun-Hee fosse se irritar de novo com tudo aquilo, por isso mantinha o tom baixo e o olhar que não carregava medo ou pena dele, mas sim compreensão.

Encarou quando ele a olhou e desviou o olhar quando ele o fez. Olhava de modo periférico o modo como ele ficava se segurando, como ele queria transmitir que era um manequim, mas a tremedeira na mão o traía. Quando finalmente parou de falar, deu um suspiro e encostou as costas na parede de novo. As mãos de dedos finos e longos ficaram espalmadas nas coxas e as pulseiras dela com dezenas de pingente, faziam um barulhinho.

Fez silêncio e eles puderam senti-lo de modo positivo e agradável.

Sua face estava meio um pouco alheia enquanto olhava para a frente e a velocidade que as nuvens passavam pelo céu. Chegava a tombar de leve a cabeça e formava um bico pensativo. Até que ele a chamou de novo e ela o encarou.

- O que? - Perguntou e franziu um pouco as sobrancelhas ao sentir o peso da mão dele em sua cabeça. As sobrancelhas voltaram a arquear de modo surpreso com o cafuné. Em seguida, os ombros dela relaxaram e ela deu um sorriso meigo. - Tudo bem, Park Hyun-Hee.

Retribuiu o gesto, fazendo um cafuné na cabeça dele. Foram poucos segundos, mas tempo o suficiente para que ela desejasse, em silêncio, que a mente dele entrasse em ordem. Recolheu a mão de novo e ficou séria com o comentário dele.

- Pois eu me arrependo… - Declarou. - De duas coisas.

Fez um dois com os dedos.

- Primeiro, me arrependo de ter vindo sem antes comprar algo para comer. Eu queria TANTO um Choco Heim - Fez um enorme beiço enquanto os olhos brilharam. - Não é nutritivo, mas é gostoooso. Mas não, minhas pernas me traíram e eu subi.

Revirou os olhos de novo, meneando negativamente.

- Da próxima vez, a gente traz alguma coisa pra comer, tá? Não quero me alimentar de vento, isso não sustenta. - E “mordeu” o ar, mastigando em seguida antes de dar outra risada bem tonta.

Tombou um pouco para o lado e ajeitou o cabelo.

- A segunda coisa que me arrependo é minha joaninha. Devolva, se estiver com ela… - Disse num tom autoritário e o encarou. - Por favor...

[MISOO]

Os argumentos de MiSoo eram válidos e foram o suficiente para que Eun-Bi recuasse um pouco. Tinha pela consciência que se estivesse no lugar da amiga, também odiaria Jae-Ki, mas era difícil quando se conhecia os dois lados. A bailarina suspirou, um pouco desapontada consigo mesma e cruzou os braços.

- Tudo bem, você tem razão. Não foi legal aquilo, mas...Ele não é um stalker. Ele nem sabia que eu estudava aqui e eu não sabia que ele tinha conseguido passar em 1º lugar aqui, pra esta escola. - Apontou para o chão, dando bastante ênfase para o lugar em que estavam.

Bomi fazia umas carinhas um pouco mais neutras. Diferente de MiSoo, ela teve mais contato positivo com Jae-Ki - ela que teve a ideia dos dois conversarem no lago, por exemplo. Tudo bem que não terminou muito bem, mas o garoto não tinha sido grosseiro com ela. Por outro lado, Jae  também não tinha zoado/criticado o seu cabelo, do mesmo modo que tinha feito com MiSoo. Parando para pensar, ele tinha coisas boas e ruins, mas Bomi não nutria por ele o mesmo ranço que a tenista, tampouco o carinho da bailarina.

- Mas quem disse que você vai ficar sem a gente? - Eun-Bi fez outro beicinho, retrucando logo de cara - Nunca, nunquinha!

Diante dessa brecha, a garota voltou a argumentar, tentando mostrar seu ponto de vista, mas logo MiSoo começou a responder. Meneou positivamente diante da pergunta dela e fez uma cara de “duh”

- Óbvio, né? Nunca vou te abandonar! Vocês são minhas melhores amigas! Tá doida, é? - Franziu um pouco as sobrancelhas e os ombros caíram com a sequência. - Tudo bem, Sussu-yah, eu não quero te forçar a nada também. Se você não quer falar com ele por hora, tudo bem, mas...Por favor, não briguem…- Juntou as mãos, implorando. - Não aumentem o abismo entre vocês...ta? Por favor?

Parou de falar sobre ela e Jae-Ki quando percebeu que a amiga precisava desabafar sobre o que tinha acontecido. Fez uma carinha chateada, levando as duas mãos até as alças da mochila e abaixou a cabeça.

- Araso...Mas não fique assim! Os meninos não pareciam chateados com você. Talvez tenham ficado chateados com a situação em si. - Trocou um breve olhar com Bomi - mas é como a Bomi-yah disse, depois vocês conversam! Não fique assim, hm?

Segurou o rosto dela com as duas mãos e fez um carinho com o polegar antes de se abraçarem.

- Que bom que gostou do presente. Fico muito feliz!

Disse animada porque finalmente tinham reagido bem a um presente dela!!

Bomi quebrou aquele climão, mostrando a foto de Hyun-Hee com a menina misteriosa. MiSoo falava para que elas parassem com aquilo, mas deram uma última olhadinha sim. A mensagem de Mia finalmente foi lida, mas as meninas já tinham resolvido que retornariam para o refeitório. O estômago estava reclamando de fome! Ainda mais depois de uma aula de educação física.

As amigas não entenderam para quem MiSoo devia uma mensagem, mas de todo modo, começaram a segui-la. Quando voltaram para o refeitório, elas veriam que já estava bem mais cheio e era meio impossível não notar a figura sem uniforme que estava ali. Bomi e Eun-Bi ficaram um pouco surpresas por verem o garoto estranho na mesa de Won e Jae-Ki. A bailarina nem se atreveu a olhar para os lados, porque não queria olhares julgadores ou questionadores agora.

Mia ainda estava um pouco afastada, logo na entrada do refeitório, mas não demoraria a se juntar a elas.

[REFEITÓRIO]

A pergunta de Dong criou uma interrogação momentânea na cabeça de Kim. Ele não tinha ouvido a história que as duas meninas falaram? Não prestou atenção? Ou será que ele tinha ouvido demais? Como um tique nervoso, Joo-Hyuk levou a mão até a pontinha da orelha, passando o polegar na região. Não era nenhuma novidade que tinha orelhas...acima da média, por assim dizer, mas isso tinha o lado bom - ou mau: ouvia muito bem. Cruzou os braços e disse.

- Ouvi o que aquelas duas estavam falando sobre o banheiro. Parecia que uma menina ousada desafiou a “Rainha” e a Hyemin. - Fez aspas com os dedos e resmungou o nome de Hyemin. - E, não por coincidência, a garota mais ousada que conheço me mandou uma mensagem dizendo que ficaria na biblioteca ao invés de comer doce.

Logo, ele concluía que alguma coisa de errada tinha acontecido no vestiário. Deu um longo suspiro, puxando bastante ar para seus pulmões e ajeitou os óculos de grau. A mesa de Hyemin tornou-se seu foco, mas a herdeira não o encarava porque estava muito entretida com a própria conversa. Hayoung tampouco olhou para Dong. A prima passava a sensação de que nem ao menos se lembrava da existência dele.

Não era novidade que ela ficava mais distante quando estava com suas amigas, mas naquele em dia, em especial, ela tinha um bom motivo: muitas coisas aconteciam ao mesmo tempo e ela não estava sabendo lidar ou acompanhar. Não era como se quisesse ignorar Dong, apenas tinha a sensação de que se piscasse, perderia alguma coisa.

Os dois voltaram para a mesa redonda dos nerds e geeks. Kim ajudou a levar as bebidas e comidas que Min-Ho e Ui-Jin tinham escolhido - mas ainda olhava para outros lado. Pelo menos foi assim até a chegada de Ha-Neul e...a noona?

Ao olhar para o lado, até mesmo os óculos dele embaçaram diante da figura da noona. Abaixou a cabeça na mesma hora enquanto Dong era o único a atrever a dizer alguma coisa. Um ano de diferença de idade tinha seu peso e Sona não era, digamos, a pessoa mais sociável do mundo. Parecia preferir ficar sozinha, mas era honrada o suficiente para cumprir a aposta. Voltou a cabeça na direção de Dong, observando as expressões dele e desceu os olhos para a lata que ele oferecia. Percebeu que Ui-Jin aumentou o bico, mas não falou nada.

- Não, obrigada. - Respondeu e puxou uma das cadeiras livres para se sentar. - Depois eu pego alguma coisa para beber. - Colocou o mangá sobre a mesa e as mãos em cima.

O mangá estava em japonês e era bem grosso, tendo mais de uma história ali. Era original e muito bem cuidado, sem nenhum tipo de amassado. Na verdade, ele estava dentro de um saquinho que parecia feito sob medida para ele.

- Ne… - Respondeu. - Apostamos quem acertaria mais os exercícios de química e ele ganhou.

Disse de modo simples e não pôde deixar de reparar no que Dong fazia. Franziu um pouco as sobrancelhas arqueando a direita, em seguida. Ha-Neul dava uma risadinha e fazia sinal de que aquilo não era nada demais. O que ele não podia imaginar foi que Sona apreciou, de certo modo, toda aquela simetria que Hee-Kyung se esforçou para encontrar. Ela, inclusive, esboçou um sorriso discreto no canto dos lábios e olhou de modo diferente para o menino mais novo.

De repente, não lhe parecia tão enfadonho ficar no meio daqueles meninos tão falantes. Ui-Jin não a encarava, Min-Ho parecia criticá-la mentalmente e Kim ainda estava com os óculos embaçados, mas eram, sem dúvidas, o mais bonitinho dali.

- Mulheres quentes, mulheres frias...A temperatura é o de menos. - Ha-Neul respondeu de um jeito galante enquanto se apoiava na mesa e olhava para Sona.

- Falando assim dá até para pensar que é expert no assunto, Ha-Neul-shi. - Sona começou a implicar.

- Ah, que isso?! Eu sei uma coisa ou duas...Mas não, ainda não sou um expert. Ainda.

- Hm.

- O menino novo é inacreditável. - Ha-Neul mudou de assunto. - Ele é inteligente, mas...nossa...Não sei nem por onde começar.

- As pessoas estão fazendo muito escândalo porque ele não tem uniforme ainda e o estilo dele não é nada convencional. É só um menino rebelde como tantos outros dessa escola, a diferença é que é bolsista. Por isso o tratam como um bicho solto de zoologico, mas na verdade, é só um menino. Não vejo porque tanto barulho para pouca coisa.

- Pouca coisa? A senhorita olhou bem para a cara perigosa dele?

- Para que vou ficar perdendo meu tempo olhando para a cara dos outros quando vim para estudar? Você não deveria julgar o livro pela capa...Temos vários demônios disfarçados de anjos aqui e pessoas boas com fama ruim.

- E a minha!? O que diz?

- Ah… - Olhou bem para Ha-Neul. - Provavelmente o nosso próximo idol coreano.

- SONA-SHI! VERDADE?!

- Uhum...Guardarei suas fotos antes da fama para que as pessoas vejam os milagres que a plástica pode fazer.

Ui-Jin engasgou com o chá e escondeu a boca com a mão. Foi arregalando os olhos, mas não aguentou e soltou uma risada de porquinho. Kim escondeu o rosto com as duas mãos e os ombros ficaram tremendo enquanto ele ria. Min-ho levou o punho fechado até os lábios e ficou controlando a risada. Ha-Neul fez assface, mas logo estava rindo por conta da risada de Ui-Jin e a resposta de Dong para Min-Ho.

Era tão bom quando Hee-Kyung dava uma resposta certa para corrigir Min-Ho! Sona só meneava negativamente. A mesa só ficou em silêncio quando o tal garoto entrou no refeitório. Como Sona havia dito, ele tinha um estilo muito diferente e não estava com roupas para o colégio. Dong tinha razão de ficar desconfortável e Ha-Neul também, por achar que ele tinha um olhar estranho. Parecia perigoso, mas as pessoas ainda assim o olhavam.

O garoto passou pela mesa deles e seguia até as máquinas, onde Yerin o encarava sem esboçar nenhuma expressão. Contudo, o lugar escolhido para ele parar foi justamente a mesa de Won-Bin.

Os celulares começaram a apitar e, da mesa deles, apenas Sona se mexeu. Olhou para a notícia e revirou os olhos, suspirando.

- Não sei como esse número continua me achando. Já bloqueei mil vezes.

- O que foi agora?

- Fofoca, como sempre.

O refeitório ia ficando cada vez mais cheio. Lee-Hi e Hye-Won, a filha do diretor, passavam pela mesa dos meninos e Lee-Hi acenava para Dong, Kim e os outros antes de pegar um lugarzinho próximo. Não demoraria para que Hee-Kyung visse que Stella e Sunny tinham chegado também.

O que era um pouco estranho, porque Stella tinha dito que estavam resolvendo uma questão de quimica. Pelo tempo que tinham ficado lá, não tinham resolvido nada e isso alimentava a teoria de Kim. A canadense trocou um breve olhar com Dong, mas seguiu com Sunny até a mesa das meninas. Mal elas sentaram e Kim  se levantou, o garoto só não andou porque se assustou com um falatório mais atrás.

- REPETE!

Quando Dong olhasse na direção das máquinas, veria um confronto quase que acontecendo ali. Talvez dessa vez o interessasse, porque sua prima estava ali. Enquanto falavam do bolsista novo, Hayoung e as meninas de sua mesa tinham seguido até o grupo de MiSoo e o clima parece ter esquentado.

- Mas o que…? - Kim franziu as sobrancelhas, já de pé.

[...]

Os três dragões se encontravam numa pequena, porém efetiva, reunião de emergência. As frutas ajudavam a adoçar um pouco a situação e, talvez, a energia oriunda da sucralose começava a gerar um efeito positivo ali. Kang, para variar, dramatizou quando ouviu aquilo de Jae-Ki. Enquanto Won-Bin fazia uma cara de choque, o mais alto e magrelo, se esticava todo e tocava a testa de Jae.

- Deixa ver! Temperatura...Esquentado como sempre. Pulsação - Pegou o pulso dele. - Não é possível! Jae-Ki! Você...você concordou com a gente?

Bateu na mesa, bateu na propria coxa e levou as duas mãos até o rosto, sacudindo para frente e para trás.

- É um milaaagre!! Ou talvez...Ai meu Deus...É realmente o fim do mundo. - Fez o sinal da cruz umas seis vezes. - Eu não quero morrer!! Eu sou muito jovem para morrer…

Kang só parou depois de massagear o peito e Won-Bin dar continuidade à conversa. O dragão mais doidinho tinha dado seu parecer, mas ele não podia ir muito além disso. Não estava na pele do amigo para dizer que compreendia o que ele sentia e havia um limite para sua empatia. Contudo, ficava feliz em ouvir que Jae-Ki seguiria o fluxo.

Era a coisa mais simples de se fazer mesmo. Para que ficar se martirizando das coisas que nem tinham acontecido? Fora que Kang falou bem sério quando explicou que Jae colocava muita carga em sua pobreza. No fim, era ele mesmo quem acabava criando aquela barreira.

Tudo bem que jogavam na cara dele o tempo todo, mas...Jae-Ki não era o único a receber rótulos. E, mesmo assim, parecia ser o único a viver agarrado nisso. O garoto ficou quieto e controlou a boca para não deixar nenhum pio escapar acerca da história de domingo. Achava que Won-Bin estava testando sua língua fofoqueira e não entendia porque ele estava omitindo aquilo. Para falar a verdade, nem achava muito justo esconder.

Jae-Ki tinha desabafado com eles. Por que Won escondia?

Não entendeu nada.

E entendeu menos ainda aquela encarada de Yerin. A Rainha de Gelo realmente os observou enquanto passava pela mesa e caminhava até a máquina. Seus olhos negros como ônix percorreram a mesa lotada de comida grátis e via os risos, as expressões. Concluiu que eles se davam bem, eram amigos e tinham fechado um grupo. Não tinha nada contra eles...ainda.

O sorriso de Won foi respondido com o uma encarada da cabeça aos pés. Tão logo a encarada passou, ela olhou para a frente de novo. Não foi uma retaliação, mas ele sentiria como se o calor tivesse sido roubado...Estava aí o porquê do apelido. Yerin gelava espinhas.

Agora, porém, parecia apenas uma menina normal, pegando seu lanche. Isso até a chegada do garoto novo. Se ela tinha deixado o clima desconfortável para os três dragões, mas Jun Sung, não houve clima nenhum. Os dois se encararam de modos distintos, mas o garoto desviou a atenção para Jae-Ki. E Yerin acompanhou aquela interação, quase surpresa.

Jun Sung achava engraçado como Jae-Ki tentava demonstrar firmeza, mas deixava o nervosismo transparecer. Era divertido poder brincar com as informações, muito embora ainda não tivesse pensado o que exatamente ganharia com isso. Talvez ele só quisesse causar mesmo.

Kang tinha perdido suas cores e não sabia como lidar com aquela presença. Se antes achava que morreria, agora tinha certeza de que morreria. Tiros em WangJo, seria o nome do documentário sobre o primeiro ataque de alunos num colégio coreano.

- O que você acha, Jae-Kiye? Acham que me deixariam entrar se eu não fosse aluno? - Sorriu de modo debochado e olhou para Won-Bin.

Analisou Won-Bin por um instante e ele parecia bom moço.

- Amigo, é? Você é bem eclético com as amizades, hm Jae-Jae? - Continuava dando apelidos aleatórios quase como se testasse qual deles casaria melhor com a situação. - Eu sou Jun Sung, segundo a plaquinha, mas eu gosto que me chamem de Kai. - Disse sem problemas. - E vou muito bem, obrigado por perguntar.

Fechou os olhos e juntou as mãos, em agradecimento, mas sempre com um ar debochado.

- Seja um bom dongsen e cuide de seu hyung, Jae - Esticou o braço e pegou um pedaço da melancia dele. - Como é o clima aqui da escola? Todas as meninas são bonitas?

Olhou ao redor.

E, nesse instante, ele abriu o campo de visão. MiSoo, Eun-Bi e Bomi voltavam para o refeitório. As duas últimas olhavam diretamente para a mesa deles, sem entender muito bem porque eles estavam falando com aquele menino “estranho”. Yerin estava colocando o canudinho em seu suco e golando discretamente. Olhou de banda e Kai sorriu para ela.

- Acho que não...Tem umas que são lindas, não apenas bonitas. - Kai logo voltou a tatear a mesa, pegando outra fruta de Jae-Ki, mesmo sabendo que a máquina era de graça.

Poderia ser um pouco incômodo, mas o olhar das meninas atraía mais atenções. Eun-Bi abaixou a cabeça e virou de costas para a mesa quando MiSoo escolheu a máquina dela. A bailarina encostou a lateral do corpo na maquina e mexeu os ombros, fazendo a mochila quicar um pouco. Bomi manteve o biquinho dela, mas também virou um pouco de costas, parando ao lado de Eun-Bi.

As meninas estavam distraídas, pareciam conversar baixinho. E logo a tranquilidade delas foi interrompida por conta da brusca chegada de Yewon. A garota estava carregando Hyemin pelo pulso e Hayoung vinha logo atrás. Yerin tinha parado seu retorno até a mesa e estava imóvel, olhando aquilo. Parecia prestes a agredir alguém, mas Yewon deu o primeiro passo.

- VOCÊ… - O resto os meninos não ouviram, mas perceberam quando Yewon meteu a mão nos comandos da máquina logo depois de MiSoo colocar o dinheiro ali. Ela parou de frente para o trio e levava o dedo na cara de MiSoo.

- YA! - Eun-Bi bateu no dedo dela e começou a se meter também.

Bomi logo tentou se meter na frente, mas Yewon continuava com uma cara furiosa.

- REPETE! - Eun-Bi desafiou.

- MONSTRA! PLASTIFICADA! SONSA! RIDÍCULA!

- Aaah...desgraçada… - Eun-Bi avançou nela, sem pensar duas vezes e Bomi continuou se metendo no meio, se encolhendo toda para separar.

- Hajima!!!!

Kai parou com a fruta à boca e riu daquilo. Engoliu rapidinho e cruzou os braços enquanto se apoiava na mesa dos três dragões vendo aquela discussão entre meninas. Em pensar que achava que aquilo só acontecia na rua...Essas patricinhas até que podiam surpreender mesmo.

[...]

Sunny e Stella andavam apressadamente do caminho da biblioteca até o refeitório. A biblioteca era o único “extra” que ficava no segundo andar, então, elas não demorariam tanto assim para chegarem até o refeitório. O caminho já estava bem mais vazio porque as pessoas estavam concentradas no primeiro andar.

- Acho que ela vai ficar bem aborrecida mesmo. A Chae vai precisar ter cuidado. - Suspirou. - Se bem que é bom para ver qual tipo de postura ele vai ter daqui para a frente, não é? Afinal, não é como se fosse culpa dela.

Stella tinha opiniões bem fortes, apesar de não ficar falando muito. Não falava porque não tinha com quem conversar, mas encontrou em Sunny a melhor aliada de todas. Sunny já tinha enviado suas mensagens para Lee-Hi e nem precisaria chegar a ler, de fato. Assim que elas surgiram no refeitório, a unnie fez sinal para a mesa que tinham conseguido.

Para o azar - ou não - delas ficava bem perto da mesa de Dong e Kim. Stella olhou na direção de Dong e esboçou um sorriso discreto, porém culpado. Tinha “mentido” para ele e em pouco tempo já estava ali de novo. Reparou na unnie que estava na mesa deles. Tinha sido a mesma que a confortara no banheiro na semana passada. Sabia bem quem Han So-Na era, mas não imaginava que fosse íntima dos meninos.

Já Sunny, encontraria o olhar sério de Kim. O amigo estava com uma expressão fechada e aborrecida, indicando que alguma coisa não estava certo.

- Ooii! - Lee-Hi falou. - Então, respondendo às suas mensagens…- Ajeitou-se. - Nós nos distraímos por um segundo e, de repente, os dois não estavam mais no corredor. Eu acho que eles estão juntos sim, mas não faço ideia onde. Ela não responde às mensagens.

- Nossa…

-  E é claro que…

- REPETE!

Uma voz mais aguda foi ouvida mais ao fundo do refeitório. Kim já estava se levantando  para falar com elas, mas parou e olhou para trás. Stella também tombou a cabeça naquela direção, assim como as meninas. Alguns olhavam e desviam o olhar porque era só mais algumas meninas do primeiro ano causando confusão.

Outros, contudo, continuavam olhando. E, dessa vez, tratava-se do grupo de MiSoo - o trio, na verdade - versus o trio de Yewon composto por Hayoung e Hyemin. Porém, elas perceberiam que Hayoung e Hyemin estavam meio perdidas ali porque só Yewon parecia irritada.

Jung-Mi e seus dois amigos também olhavam naquela direção e já começavam a se aproximar com passos apressados. Taemin, Ji-Ran e Mi-Ran retornavam para o refeitório. Ji-Ran consolava a namorada por algum motivo que elas desconheciam enquanto Taemin hesitava ao ver Eun-bi metida naquela confusão ao fundo.

Também havia uma singularidade naquele refeitório: um garoto sem uniforme e cabelo azul desbotado, apoiado na mesa de Jae-Ki, Won e Kang.

- Elas não cansam não? - Stella resmungou, suspirando.

[...]

O clima da mesa de Hyemin tinha ficado bastante pesado mesmo. Yewon era uma garota perigosa, porque a diferença entre ela e Yerin, era que lhe faltava a frieza para lidar com a situações. Geralmente explodia mesmo, sem medir consequências, muito menos dosar na maldade. E agora ela sentia que rusga na relação com a Rainha. Precisava se controlar, mas estava muito difícil.

O sangue dela estava mais grosso.

Hayoung não sabia onde enfiar a cara e, por isso ficou quieta, comendo em silêncio. Era um pouco difícil pensar ou respirar ali, por isso mesmo, ela nem se dava conta dos olhares que o primo lançava para ela. Hyemin também não sentiu os olhares de Kim porque estava perdida nos próprios pensamentos e na cilada que ela mesma tinha se metido.

Quando olhasse para Jung-Mi, perceberia que o amigo estava diferente. Não tinha sido à toa que ele chegou alterado no refeitório. Os amigos tentavam conversar com ele e, apesar dele não gesticular muito, dava para ver que suas palavras eram precisar...cortantes. Gyu-Sik e Ryu-Ji suspiravam vez ou outra ou simplesmente desviavam o olhar. Parecia que algo muito mais sério o afetava, era mais do que um mero desentendimento com a namorada.

Já Yerin, ela não parecia correr nenhum tipo de perigo. Os meninos da escada e que agora viviam no fundão, não representavam nenhum tipo de ameaça. Um deles até mesmo tinha sorrido para ela. E a amiga nem ao menos reagiu! Olha que era bonitinho, fortinho...Yerin era mesmo muito fria.

O problema foi quando o novo garoto entrou. Nem mesmo a Rainha conseguiu conter sua expressão de “choque”. Aquela arqueada de sobrancelha era o máximo que ela conseguia se pronunciar diante…daquilo. Yewon não pareceu se importar, ainda controlando o próprio ódio.

Os celulares apitaram e as três pegaram para ver a notícia.

- Nooossa… - Hayoung disse em choque. - Que vergonha…

Yewon virou o celular para baixo e olhou para Hyemin ao ouvir o seu nome. Trincou os dentes e respirou fundo para responder. Porém, nesse instante, MiSoo e suas amigas retornavam para o refeitório. Algo acendeu dentro da herdeira ranking 1 e as palavras de Hyemin, sobre apoio e companheirismo apenas fomentaram sua impulsividade.

- É? Então fique comigo...Vem comigo agora! - Esticou o braço e puxou rapidamente Hyemin para fora da mesa. Hayoung acabou levantando no reflexo.

Não tinha sido chamada, mas seguiria a ídola mesmo assim. Yerin estava voltando para a mesa, mas parou e observou aquilo.

O que Yewon ia fazer com Hyemin?!

[...]

MiSoo e as meninas estavam de volta. Eun-Bi evitou olhar por muito tempo para a mesa de Jae-Ki e assim que escolheram a máquina de chá*, ela virou de costas, se apoiando na próxima máquina.

- Sussu-yah, esse chá é bom mesmo? Você sempre tem tomado esse. Puro é bom?

Era uma conversa normal e amigável que foi interrompida com a brusca chegada de Yewon e Hyemin. Assim que MiSoo colocou o dinheiro, Yewon meteu a mão nos comandos, bugando a máquina. Tudo para chamar a atenção.

- VOCÊ...é uma desqualificada! Garotinha petulante, ridícula! Quem você pensa que é para se aproximar assim do meu Jung-Mi? - Apontou o dedo na cara de MiSoo antes de cutucar o ombro dela várias vezes, a empurrando para trás contra Eun-Bi

- YA! Tá maluca?! - Eun-Bi se afastou da máquina e bateu no dedo dela. - Quem você pensa que é?

- Alguém acima de vocês duas, suas medíocres! Vocês só estão um degrau acima da ralé, podiam muito bem ser pedintes e bolsistas como aqueles perdedores ali! Mas aí acham que podem vir aqui e roubar tudo o que é nosso? O que nos pertence?

- Você realmente só abre a boca para falar besteira, hein?

- Fica quieta, sua imbecil que meu problema é direto com essa monstra, ex-obesa, plastificada!

Eun-Bi se irritou e falou mais alto.

- REPETE! - O agudo dela saiu mais alto do que ela queria.

- aigoo, parem com isso! - Bomi tentava se posicionar para proteger as amigas.

- MONSTRA! PLASTIFICADA! SONSA! RIDÍCULA! Você acha que é quem?! LIXO!

- Aaah sua desgraçadaaaa!!!!

- Hajima!!!

Para defender MiSoo, Eun-Bi quase que voou no pescoço de Yewon. A garota, contudo, também tinha um físico bom e elas começaram a se estapear antes de agarrarem pulsos a unhadas.

- VOCÊ ME PAGA! VAI ENGOLIR ESSAS AFRONTAS QUE VOCÊ TÁ FALANDO! EU VOU TE MA-TAAAR

- EU QUE VOU ACABAR COM SUA RAÇA! VOCÊ É OUTRA, UMA COLLE**!! AS DUAS TEM UMA LISTA GIGANTE, TUDO COLLE!!!

Eun-Bi travou ao ser chamada de vadia e, por um instante, a briga parece que tinha terminado. A bailarina só fez isso para largar a mochila no chão, num baque mudo que deve ter quebrado todos os grafites dela.

- Agora eu realmente te mato.

Dessa vez, ela agarrou com tudo o aplique de Yewon e estava prestes a tacar a cara dela na máquina - de preferência quebrando o vidro. Mas tanto Bomi quanto Hayoung tentaram impedir aquilo. Bomi prontamente foi empurrada para trás e perdeu o equilibro, Hayoung levou uma “cabelada” no olho e escondeu o rosto.

A briga ficava cada vez maior e, apesar de alguns não se importarem com as loucuras do primeiro ano, a maioria já estava curiosa. Ou prestes a reagir. Eun-Bi nem pensava nas consequência, só não podia permitir que falassem aquelas coisas de MiSoo. Ninguém falava de sua amiga e saía sem um tapa marcado na cara.
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Convidado em Sex Fev 23, 2018 4:13 am

EunBi podia argumentar, mas MiSoo não estava muito convencida sobre JaeKi não ser um stalker. Quem garantia que ele não sabia de nada mesmo?

- Não estou doida. - respondeu a amiga sobre a conversa de ser abandonada - Só fiquei com um pouquinho de medo. - baixou a cabeça, fez beicinho e balançou o corpo de um lado para o outro.

Quando EunBi lhe pediu para se entender com Jae, MiSoo precisou negar. Não sabia se conseguiria, mas mesmo que conseguisse, não seria agora. Tinham outros eventos que lhe incomodavam e demandavam mais de sua mente. Não tinha como lidar com esse garoto no momento.

MiSoo coçou a cabeça, fazendo um bico, pensativa sobre o pedido da amiga para que não brigassem.

- Se ele não falar besteira… Mas… Aish! As vezes eu também começo a agir por impulso! É difícil prometer issoooo!!! - explicou tem tom de manha.

Depois disso a tenista começou a desabafar pelo que estava passando, embora falhasse em explicar direito à amiga. Quando muito nervosa, parecia meio difícil para MiSoo verbalizar direito o que tentava explicar.

A garota ouviu o consolo que EunBi tentava lhe dar, enquanto terminava de limpar o rosto.

- Ara… - resmungou, concordando com ela mesmo que se muita vontade e em seguida recebeu o carinho no rosto e a abraçou, contando também que tinha gostado do presente.

- Ung! Sabe que eu sempre adoro os presentes que me dão! - respondeu um pouco mais contente - Que pena que eu não tinha mais cookies para trazer para vocês hoje… Se eu pudesse fazer mais eu traria…

E de repente BoMi trouxe o assunto sobre a foto de Hyun Hee que tinha recebido, trazendo a ansiedade de MiSoo de volta à tona. A garota pedia para deixarem a fofoca para lá e irem para o refeitório. MiSoo estava com bastante sede. Ela não chegou a esperar as amigas e já disparou na frente, parando já dentro do refeitório para procurar Mia e desviar dos garotos. Ela chegou a ver o novo bolsista apenas de relance, mas não deu importância nenhuma à figura, pois tinha a cabeça cheia de outros assuntos.

Depois que MiSoo localizou Mia no meio a movimentação do refeitório, fez um sinal para que a amiga se aproximasse delas e seguiu em direção às máquinas de comida sem muita pressa nem prestar atenção ao que acontecia ao redor, afinal o seu caminho estava livre dos meninos.

Quando MiSoo chegou à máquina de chá, EunBi já estava ao seu lado, apoiando-se na máquina ao lado.

- Hum? Ah! Ung. É bom… Quer dizer, meio bom. Acho que podia ser melhor. Dá para o gasto. - pegou a bolsinha de dinheiro da lateral da mochila, retirou o dinheiro e guardou a bolsinha de volta no lugar - Principalmente quando estou morta de sede. - colocou o dinheiro na máquina de chá.


MiSoo estampou uma visível expressão de indignação ao ver aquela mão aparecer do nada bugar sua máquina de chá. Quando ela virou-se na direção da pessoa e viu quem era, a garota revirou os olhos e bufou, cruzando os braços em seguida e inclinando a cabeça para o lado. Yewon começou a despejar todas suas insanidades e MiSoo inflava as bochechas, sem paciência nenhuma para a maluca até que a garota teve a audácia de começar a empurrar o ombro de MiSoo.

- YA! É seu? - revidou verbalmente, desvencilhando-se de uma das cutucadas - Não seria nem se você usasse todo o dinheiro da sua família pra isso. - provocou, ajeitando o corpo após chocar as costas contra EunBi.

Os anos que MiSoo passou recebendo bullying da própria irmã tinham lhe ensinado a se controlar um pouco mais diante desse tipo de ataque. Tinha aprendido à força à segurar um pouquinho a ansiedade e seu lado impulsivo nesses momentos, pois sempre se dava mal se perdesse o controle. Mesmo assim seu limite não era muito difícil de ser alcançado.

Enquanto MiSoo ajeitava a posição, EunBi perdeu a paciência, empurrou o dedo de Yewon e se colocou entre as duas, discutindo com a integrante do grupinho das cobras.

- Aish. - pousou a mão no ombro de EunBi, tentando parar a amiga, pois EunBi não tinha a mesma experiência da tenista nesse tipo de situação - Não ouve essa louca, porque ela não sabe o que diz, pois se eu e você estamos acima da ralé, estamos acima dela. - tentava se controlar fazendo alguns movimentos meio provocativos, mas já estava trincando os dentes com todo o escândalo da colega raivosa.


- Monstra!? - mordeu o lábio inferior - Qual é o seu problema?

Antes de conseguir dizer o que queria, EunBi gritava para a garota repetir o que tinha dito e MiSoo chegava a fazer uma careta com o berro que a amiga deu quase no seu ouvido.

- Aigo! IB DAKCHEO(cale-se)!

Novamente EunBi era mais rápida e pulava sobre Yewon enquanto gritava outra vez com ela. As duas começavam a se estapear. MiSoo tentou empurrar Yewon com força para trás, para se colocar entre elas e colar as costas na EunBi para impedi-la de avançar.

- Vá embora, sua louca!! - tentou, já quase sem paciência e apertando os punhos com força.

Mais uma vez as duas começavam a gritar uma com a outra, até que Yewon chamou as duas de vadias e a paciência de MiSoo se esgotou.

- MWO!? - não podia ficar quieta depois de ouvir a melhor amiga e ela mesma serem chamadas por aquele nome - Você tá pedindo!


A tenista ergueu as duas mãos e as jogou contra os ombros da garota, tentando usar todo o peso do corpo para jogá-la no chão.

Nesse meio tempo EunBi jogou a mochila no chão e se adiantou na frente de MiSoo, pulando pra cima de Yewon e agarrando seu aplique de cabelo. MiSoo foi obrigada a dar alguns passos para trás, quase sendo jogada no chão pela fúria da amiga.

BoMi e Hayoung tentaram se meter, mas falharam e MiSoo ignorou elas.


- Arranca o aplique!! - incentivou, se aproximando da amiga para tentar ajudá-la a segurar a garota, para que EunBi jogasse a cara dela contra a máquina.

MiSoo, apesar de atirar coisas nas pessoas e ameaça-las com sua raquete, não costumava ser tão agressiva no corpo a corpo quanto EunBi era. Se não houvesse sofrido tanto bullying no passado talvez agora estivesse estapeando e arranhado a adversária também, embora, após os xingamentos para sua melhor amiga, MiSoo já estava pronta para partir para a agressão física direta.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Seo Hyemin em Sex Fev 23, 2018 8:31 am

 Quando Hyemin comentou que apoiaria a amiga, ela pensou  em falarem mal juntas de Misoo, servir de ombro amigo, fingir que não viu a amiga esticando a perna para a tenista dar uma tropeçadinha ou alguma coisa do tipo que conseguiria respirar fundo e fechar os olhos, porém a opção de que um plano maligno começaria naquele exato instante. A tranquilidade que tinha ganhado por ver que Yerin estava bem e tinha começado a voltar às pazes com Yewon acabou no instante que sentiu a mão da amiga fechar em seu pulso, como uma sentença que foi processada por todo seu corpo.

No susto, acabou deixando a bolsa e o celular na mesa, e saiu meio tropeçando no salto, andando torta com o corpo inclinado para frente e fazendo um pouco de força para trás, enquanto protestava alto:

- Mwo? Y-ya. Yewon-ah! Won-ah! Espera, onde você vai? Aigooo, onde você vaiii? - perguntava aflita.

Muitas possibilidades confusas surgiam em sua cabeça, mas não demorou nada para entender bem o que estava pra acontecer. O coração disparou ao ver que estavam indo em direção ao grupo das meninas.

“Vai dar muito errado isso. Vai dar super errado. Está dando errado. AI E AGORA??? Ottoke.. Ottoke! Ottoke???”

Hyemin fez um esforço para se soltar e levou a mão ao peito assim que o pulso foi liberado para que Yewon embaralhasse a máquina. Mordeu o lábio de forma tensa e acariciou o esmalte das unhas. Ok, tá tudo sob controle, né? Uma maquininha, um aviso…? Talvez…? Sim, por favor, agora vamos embora…?

Sua intuição dizia que era melhor ela se afastar um pouquinho… Prendeu a respiração, recuando dois passos e observando a amiga começar as acusações. Até aí, estava tudo certo, pensava, sem acreditar muito. Xingar assim um pouquinho não faria mal nenhum, tentava se convencer. Só estava meio alto, né? Piscou repetidas vezes, constrangida e começou a olhar em volta, muito envergonhada diante daquele super barraco e na esperança que Yerin aparecesse para conter a louca. Os lábios foram pra dentro. Nem sabia direito como ficar em pé ali.

- Er… Yewon-ah… Vamos conversar sobre isso primeiro...  - murmurou, sem nenhuma confiança.

O que a outra queria? Por acaso achava que estava fazendo o papel de MiRan? Nunca que ia conseguir ser tão louca quanto elas. Em geral, ela tinha medo de se envolver em brigas físicas! Ou melhor, de apanhar. A exceção estava quando o sangue subia, mas só uma pessoa conseguia aquele feito por enquanto e mesmo assim já tinha ficado bem chateada de ter suas maquiagens feridas como resultado.

Será que Yewon fazia sempre esse tipo de coisa quando estava só com MiRan e Eun-Na? Nossa, ainda bem que Nana não estava naquele dia. Seria muito pesado passar por tudo isso. Hyemin mantinha os braços bem rentes ao corpo, com as mãos abaixo do queixo, segurando toda a tensão e se protegendo. Aí… foi a vez de EunBi soltar aquele berro.

Mordeu o lábio de novo. Era uma péssima ideia começar a discutir com Misoo quando ela estava com as amigas, principalmente a EunBi, né? Bomi tentava fazer com que parasse e ela secretamente torcia pela garota, mas sabia que não adiantaria de nada, por isso nem tentava mais. Aquilo estava virando uma bola de neve e a herdeira logo teve que dar um passo para trás para sair do campo de batalha de unhadas e tapinhas entre elas.

Hyemin mal pôde acreditar no que estava acontecendo no talvez maior barraco daquela escola. Levou a mão para a boca escancarada de surpresa, aflita com o desenrolar daquela briga.




“O que foi que eu fiiiiiz?” - olhou para o lado, muito tensa. Ela que não iria se meter no caminho de Yewon, muito menos de Eunbi ou até a Misoo. Será que alguém lembrava da aula de educação física? E dos treinos de Tênis?

“ALGUÉM TEM QUE PARAR ESSAS DUAS… AGORA TRÊS? AIGOOO”  

Um clique mental trouxe a resolução mais rápida. Sabia muito bem quem podia ajudar naquela situação. Enquanto as meninas se engalfinhavam, a garota não pensou duas vezes e saiu correndo até a mesa onde estava Jung Mi.

Focada em ir para a mesa, quase não viu que Jung Mi estava bem a sua frente, e escorregou naquela corrida de salto, dando um encontrão nele sem querer para não cair, segurando-se em seu uniforme e erguendo o rosto esbaforida, quando iniciou sua fala acelerada.

- Jung-Mi-ya!!! - choramingou, com o rosto pálido e lágrimas no canto dos olhos. -  Mianhae! Yewon-ah descobriu sobre a sua namorada… ela vai matar a Misoo ou elas vão matá-la primeiro!!!  Ahhh...Ottokeeeee? - estava morrendo de medo de contar aquilo e falava com a voz muito fina e chorosa.   -  Eu não queria que isso acontecesse, pedi pra ela te deixar em paz,  eu juro! Desculpa, por favor, eu tentei impedir, me desculpa!!! Eu sei que você vai me odiar, mas antes disso, por favor, faz elas pararem!! - seus olhos brilharam intensamente e a voz desafinou. Ela tomou um pouco de ar e fechou as mãos trêmulas em prece e subiu para frente do rosto. -   Jebal (por favor)… - sussurrou, encolhendo os ombros.



Última edição por HyeMin em Sex Fev 23, 2018 11:09 am, editado 1 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Kim Sun-Hee em Sex Fev 23, 2018 10:21 am

O trajeto não foi longo, até porque, diante da preocupação, ela e Stella colocaram mais velocidade nas pernas e não havia “obstáculos humanos” no meio do caminho para atrapalhá-las. Escutava os comentários fortes de Eun, que embora fosse uma garota silenciosa, possuía opiniões bem formadas. Sunny se limitou em balançar a cabeça e concordar com o posicionamento da amiga. Esperava mesmo que Hyun-Hee tivesse a mínima noção das proporções que o gesto carinhoso desencadearia na vida de Chae dentro do colégio. Afinal, qualquer coisinha aqui era motivo para hostilidade e brincadeiras cruéis.

Já no refeitório, Sunny instantaneamente procurou a mesa de Lee-Hi e não demorou a vê-la acenando de maneira animada. Ao contrário das duas, Lee-Hi mostrava-se bastante alegre pelo que aconteceu, já fantasiando cenas românticas entre Chae e Hyun... Mas a realidade era tão diferente... Tão dolorosamente diferente... Sun-Hee apontou na direção das meninas e enquanto Stella encarava Dong, sem graça, o olhar de Sunny recaiu em Kim. A expressão do melhor amigo a pegou de surpresa e, de imediato, achou que alguém o aborreceu nesse período que permaneceu na biblioteca. Apesar da confusão que contraía os traços da bolsista enquanto o fitava demoradamente, ela lançou um pequeno sorriso e acenou para os outros rapazes, caso encarassem. E notou a presença de um novo elemento feminino com eles. Uma amiga, talvez. Não lembrava de So-Na. Enfim... Aos poucos, uma série de razões que justificassem o humor dele passou pela cabeça de Sun-Hee, deixando-a angustiada para descobrir logo. De toda a maneira, seguiu até a mesa das meninas e, inevitavelmente, acabou olhando outra pessoa também.

Jung-Mi...

Mas, quase semelhante a Joo-Hyuk, ele sustentava uma aura estranha e pesada.

Estava zangado.

Só que isso não a impediu que, mesmo de longe, acenasse ou esboçasse qualquer ação mais simpática. Se ele olhasse, sorriria nos canto dos lábios. As circunstâncias entre os dois mudaram, certo? Não tinham mais que desviar os olhos ou fingir que não existiam devido aos mal-entendidos anteriores.

O coração ficou apertado mesmo assim.

- Oi, meninas! – cumprimentou as amigas conforme sentava de frente à Lee-Hi – Okaaaay, podem começar a contar tudinho.

Não que precisasse pedir.

Lee-Hi soltou a língua!

- É ÓBVIO que estão juntos! Ai, Chae... – Sunny deu alguns tapinhas na testa, inquieta para saber sobre o estado da amiga – Tomara que ela esteja bem.

Quando Lee-Hi ia continuar, todas as ações, de modo geral, foram cortadas graças ao grito de EunBi. Automaticamente encarou na direção das máquinas, vendo MiSoo acuada por uma furiosa e desagradável Yewon. Não apenas as três estavam lá, envolvidas no barraco, como a prima de Dong, BoMi e... claro... Hyemin. Essa gremlin SEMPRE tinha parcela de participação na maioria das tretas, incrível. Sunny balançou a cabeça e cerrou as pálpebras por causa das palavras agressivas contra a garota. Era impossível não se sentir afetado com cenas do tipo. O sangue esquentava e a têmpora até latejou – Parece que não... – respondeu a observação de Stella e logo via Jung-Mi se aproximar junto dos amigos. Olhou para Kim, vendo-o de pé, meio perdido. Sua frustração era tão grande... Queria enterrar o rosto nas mãos e gritar. Será que não podiam ter UM MINUTO de paz? Aquelas pessoas eram tão tóxicas, que quando brigas desse nível aconteciam, era o mesmo que ficar perto de um fumante: você não ingere a nicotina, mas acaba a respirando indiretamente. De repente... a briga desceu ao ponto de se tornar física! Sunny arregalou os olhos assim que iniciaram a puxação de cabelo e empurrões.

- Elas vão se matar!!!

Nisso, MiSoo cedia e atacava Yewon. Enquanto BoMi e Hayoung tentavam separá-las, Hyemin correu e Sunny a acompanhou com certa atenção, vendo-a falar com Jung-Mi. Estava desesperada e nervosa.

Qual era o problema dessa vez?


avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Won-Bin em Sex Fev 23, 2018 10:48 am

Kang escreveu:- Deixa ver! Temperatura...Esquentado como sempre. Pulsação - Pegou o pulso dele. - Não é possível! Jae-Ki! Você...você concordou com a gente?

Riu um pouco mais da situação, a dramatização de Kang era ainda mais engraçada. Milagre ou fim do mundo aquele era o tipo de boa surpresa.

Won mantinha sua postura de não revelar tudo de uma vez a Jae-ki. Confiava no amigo mas não queria sobrecarregá-lo com seus problemas além do necessário, achava que Jae já tinha muitas coisas pra lidar.
Os encontros com a amiga da namorada podiam criar obstáculos aos dois, e era a última coisa que queria fazer com ele.

Talvez não tenha sido muito prudente encarar Yerin também, mas Won queria entender essa figura melhor. Quando sentiu o olhar congelante dela entendeu porque ela tinha o apelido de Rainha de Gelo: era o tipo de presença que fazia qualquer um ter arrepios.
Won se recordou de um filme Wuxia com uma poderosa feiticeira que podia congelar seus inimigos com um olhar.

”Ela é tipo uma Li Jian escolar”

Desviou o olhar de forma discreta, assim como ela também desviou e foi cuidar da própria vida. Ela ainda era uma incógnita no Painel Mental, mas ela fazia jus a sua fama.

”E se ela for contra nós bolsistas é pior do que o Taemin. Ele é burro e pode cometer erros, essa garota...não”

A sua pequena investigação era interrompida pelo aparecimento do cara novo e ele era...estranho.

Pra ser mais exato ele irritava um pouco, aquela atitude dele lhe lembrava do rival no dojo e isso só gerava uma impressão ruim.

Kai escreveu:- Amigo, é? Você é bem eclético com as amizades, hm Jae-Jae? - Continuava dando apelidos aleatórios quase como se testasse qual deles casaria melhor com a situação. - Eu sou Jun Sung, segundo a plaquinha, mas eu gosto que me chamem de Kai. - Disse sem problemas. - E vou muito bem, obrigado por perguntar.

Só assentiu com a cabeça.

Aquela forma de falar com Jae-ki incomodava um pouco, não parecia um amigo do Jae-ki pra ser exato mas Won tentava a abordagem simpática.

Kai escreveu:- Seja um bom dongsen e cuide de seu hyung, Jae - Esticou o braço e pegou um pedaço da melancia dele. - Como é o clima aqui da escola? Todas as meninas são bonitas?

”Mas que cara...babaca”

-Hmpf, é, acho que você já deu uma olhada - comentou cruzando os braços - Uma olhada beeeem discreta

”Não adianta, somos oficialmente os delinquentes da escola agora” esse cara parecia seguir ainda mais o estereótipo.

As atenções logo mudariam de foco e um grito entre as meninas chamou a atenção de Won. Ele se levantou, aquilo parecia o ínicio de uma briga.


”Tava tudo muito tranquilo pra ser verdade”

Os gritos continuavam e a situação ficava cada vez mais agressiva entre elas. Quando escutou Eun-bi gritar “Repete” Won tinha a certeza de que aquilo não ia acabar só com uma discussão.

Sem pensar em consequências ou nos olhares que receberia, começou a andar rápido até aquela briga. Quando elas realmente chegaram a vias de fato de partirem uma pra cima da outra, Won correu.

Bo-Mi se desequilibrava e ia cair de costas no chão se ninguém segurasse ela. Os reflexos de Won podiam não ser como antes devido ao braço mas não deixaria ela cair nem se quebrasse outro braço.

Num movimento rápido com um pequeno salto para frente Won segura Bo-Mi antes que caísse, segurando seus ombros de forma gentil mas firme.


-Oi de novo - disse um tantos em graça - Você tá bem? - a situação era bem ruim mas não deixaria de perguntar.

-Vou tentar ajudar ali - a soltaria e iria até o epicentro da briga, as duas garotas se engalfinhando feito os clichês de patricinhas brigando.

”E obviamente todo mundo só vai ficar olhando e tirando foto com o celular” correu até elas e se aproximou das duas.

Num movimento de side-step se colocou exatamente entre as duas e colocou os braços pra cima, numa expressão de rendição mas que interrompia as duas de continuarem brigando. Provavelmente ia levar uns tapas ou safanões das duas, mas dificilmente as duas iam conseguir machucar ou algo do tipo.

-Ya, o que é isso!? Eu entrei pra escola do Clube da Luta? - estava um pouco irritado, as meninas quase fizeram a Bo-Mi se machucar. -Basta, isso aqui é ridiculo


E era mesmo, aqueles movimentos de luta eram horrorosos. Se fossem se espancar que arranjassem um ringue e umas luvas pelo menos.
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Jae-ki em Sex Fev 23, 2018 12:17 pm

Jae-ki riu da reação dos amigos, principalmente de Kang, ele era mesmo um exagerado e não perdia o humor. Revirou os olhos quando o colega fez todo aquele drama de sentir sua temperatura e sua pulsação. Empurrou o ombro do amigo quando este começou a fazer sinal de cruz:

- Ya! Eu sei ouvir meus amigos... E vocês tem que me ouvir também, eu manjo das coisas.

Em seguida sorriu, Won Bin indagava sobre Yerin, mas Jaeki tinha outra coisa em mente. Estava se sentindo animado por ter amigos tão legais, eles sabiam como melhorar seu humor. Won e Kang tinham o mesmo jeito desde o primeiro dia de aula quando melhoraram seu dia péssimo ao convidá-lo para almoçar. Só achava que eram um pouco ingênuos, mas Jae-ki estava gostando de ouvir coisas otimistas e valorizava muito quando alguém ficava do seu lado. Perto deles conseguia se sentir menos tenso. Jae-ki nunca foi o tipo solitário, gostava de estar rodeado de amigos, era quase como uma necessidade, mas nem sempre isso tinha sido possível. Os três falavam sobre os clubes e isso o deixava animado também. Além disso, ainda pretendia ver Eun-bi de novo, e com o conselho dos amigos se sentia motivado a se aproximar dela cada vez mais. Claro que tinha aquelas coisas que halmoni disse, mas Jae-ki não se importava mais, confiava em si mesmo para proteger sua família.

Porém algo quebrou totalmente a melhora de humor de Jae-ki, bastou ver Kai para esquentar seu sangue. Estava tenso e nervoso, ver alguém de gangue em Wangjo não era algo que tinha esperado, ainda mais um recém conhecido. Muita coisa poderia se complicar se essa informação vazasse, fora que ter Kai ali não era nada agradável. O garoto de cabelo colorido tinha um péssimo gênio e sabia como irritar Jae-ki. Pior mesmo é que Won bin com seu jeito bonzinho se levantou para cumprimentar o novato. Jae-ki arregalou os olhos para Won e suspirou nervoso. Ouviu o questionamento debochado de Kai sobre ser aluno e trincou os dentes. "Aishh... Ainda me faz de idiota, esse cara me tira do sério... Claro que só pode ser aluno... Não tô pensando bem..."

Jae-ki era protetor até com os amigos, principalmente com Won e Kang que não pertenciam a esse mundo de gangue, já tinha feito Won quebrar o braço, não queria piorar mais. "Ele não é meu amigo Won...". O apelidos que Kai inventava só faziam cada vez mais suas veias dilatarem e pulsarem de raiva. Mas lembrou também que Kai pertencia a gangue aliada, então não podiam ser tão inimigos assim, precisava ser diplomático. Mas Jae-ki conseguiria ser diplomático? Ele já ia cumprimentar Kai quando um pedaço da sua melancia foi roubada:

- Ya! Isso é meu!

Mas então o assunto mudou para mulheres, Jae-ki respirou fundo. "Aish... Não posso brigar com um aliado, Hyung vai me matar se eu estragar tudo..." Jae-ki já estava meio ferrado com o seu líder e não podia piorar isso, olhou ao redor também e viu Eun-bi chegando com as amigas, sentiu um baque no peito ao perceber que Kai poderia por os olhos na sua bailarina. Se esse garoto se metesse com ela, Jae-ki sabia que perderia qualquer controle. Voltou o olhar ao garoto de cabelo colorido e o viu tateando em busca de uma de suas frutas. Enquanto Won o respondia, Jae-ki rapidamente afastou as frutas que tinha pegado para o lado oposto de Kai, como se quisesse evitar que mais uma de suas comidas fosse roubadas, depois respondeu tentando ser amigável pelo bem de sua gangue, mas com uma cara invocada:


- Olha, se for esperto, vai ficar longe das garotas daqui.... Sobreviver aqui é barra pesada, eu já quase fui suspenso. Não pode dormir na sala, não pode bater em ninguém... É um saco... Acho que você não vai querer ser expulso daqui ... Mas tem comida grátis naquelas máquinas - Disse as próximas palavras com bastante ênfase -  Sua mão não vai cair se você for até lá pegar. Essas aqui são minhas!

Mas a conversa não teve como continuar, pois logo vieram os berros. Jae-ki instintivamente virou o rosto ao ouvir o "ya" de sua bailarina. Logo notou que sua querida começava a brigar com outra garota. Não sabia o motivo, mas seu coração já gritava por ir até lá e protegê-la. Quando Jae-ki corria até lá ouviu os xingamentos da outra para Eun-bi e isso o irou profundamente. Mas Won foi mais rápido e já se metia no meio das duas. Jae-ki sentia seu ódio crescendo, mas tinha Soo-ji na sua mente e tentava se manter calmo. Embora sua vontade agora fosse se vingar de Yewon, lançou um olhar para Eun-bi para ver se ela tinha se machucado, nesse instante sentiu algo que não havia sentido nunca quando via uma briga de garotas. Sabia como garotas eram quando brigavam, rolavam no chão, puxavam a roupa uma da outra, os caras se juntavam para assistir... Não podia deixar isso acontecer com Eun-bi! E se a saia dela levantasse? E se algum garoto a agarrasse? Tinha até ciúmes caso Eun-bi acabasse indo contra Won Bin. Não deixaria que a bailarina se tornasse uma atração para os garotos ali. Resolveria com a outra depois. Então foi rapidamente até Eun-bi e a segurou por trás, tentando mobilizar os braços dela e virando com ela mantendo as próprias costas na direção de Won e de Yewon, para protegê-la caso viesse algum golpe dessa direção:

- Eun-bi! Para! Não se suje com essa colle! Você está de saia, vão acabar vendo sua calcinha! Deixa que eu resolvo com ela!

Era realmente a única coisa que ele conseguia pensar agora e nem tinha freios na língua para fingir que não pensava nisso. Sabia que Kai estava ali assistindo tudo e isso só contribuía para o seu ciúme. Apesar das garotas provavelmente usarem um shortinho por baixo, Jae-ki não estava pensando muito bem agora para se lembrar disso. Só não queria aqueles olhares pervertidos em cima da sua Eun-bi. A vingança contra a outra garota poderia esperar um pouco, o que não poderia era desamparar a bailarina.
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Dong Hee Kyung em Sab Fev 24, 2018 3:54 pm

- Ohh, exercícios de química, já ouvi isso em algum lugar. - Repetiu a frase impressionado com o feito, Ha Neul era mesmo um cranio afinal. Olhou aquele encadernado dela que parecia em ótimo estado, uma pessoa cuidadosa com seu material, deveria ser esta jovem. Havia um certo ar de equilíbrio vindo dela que era agradável a Dong, e parece que ambos chegaram a perceber isso depois da ajeitada nas cadeiras.

- As vezes sinto que quebram a regras de propósito para ver a nossa reação, visto que eles tem câmeras e seguranças por aqui. - Ponderou levando a mão até a ponta do queixo liso, como se ali existisse uma barba grossa para puxar com os dedos.

- A uns dias atrás achava que a instituição não levava a conduta dos estudantes a sério. Mas olhando agora.... parece que tem algo errado.

Numa escola de ensino publico coreano você não passa nem do portão se não estiver uniformizado, ou de cabelos tingidos. Sona dizia muito bem sobre não julgar pela capa, a maneira como ela elucida que veio para estudar era quase inspiradora para Dong, ambos pensavam de formas semelhantes, mas não tanto. Ele acena para Lee-Hi discretamente até se deparar com a canadense entrando junto de Sunny, arqueando a sobrancelha de imediato com a cena. Kim naturalmente se levantou, Dong por outro lado sequer se moveu mostrando que não sairia daquela mesa, até por que, sua perna não estava lá tão boa para movimentos largos. Parece que Stella havia mentido, ele se lembra que quando ela andava sozinha, não se portava bem assim.

Mas agora que tinha uma amiguinha, mostrava novas facetas interessantes e arrojadas. Bom para ela, então.

Calmamente ele pegou a latinha que havia comprado para a garota, e a abriu com a unha do indicador. Uma gritaria acontece segundos depois de começar a lotar de gente no refeitorio.

Dong golou o chá devagar olhando na direção das maquinas, na origem desse inferno todo.

- Se os professores não fossem tão bons eu acho que já tinha pedido transferência daqui.

Falou devagar e num tom suave para os camaradas ao seu lado, enquanto voltava a se calar com a latinha de cor verde, representando alguma erva de chá do produto que ele consome. Parece que Hayoung estava no meio do problema mas não sendo diretamente envolvida. Como a prima não olhou uma vez sequer em sua direção, queria dizer que a garota tinha pleno controle da situação. Ela não precisava de ajuda, sabia se virar sozinha até no meio de um barraco; assim concluiu.

Era uma briga de patricinhas, e como todas desse tipo a cavalaria chega rápido. E realmente ocorre com alguns preocupados em vir separa-las. Kyung sente sua consciência pesar de leve ao ver Won Bi se levantar e ir até lá para apartar o circo. Ele tinha razão, era uma situação ridícula, e mais ridículo ainda era não fazer nada.

Na realidade, as pessoas só se intrometiam se tinham alguém que importavam a elas, do contrário, deixariam queimar no chão. Não era muito diferente de quando alguém sofria bullying. Se não era com você ou seus conhecidos estava tudo bem, a reação geral do refeitório ilustrava isso.

Os alunos não deveriam fazer os papeis de seguranças e de professores, que são os que organizam e monitoram essas situações. Era impressionante como todos tinham liberdade para se matar ali dentro, se ninguém interferisse. Ou então o poder para fazer emboscadas e tocaias.

Imagina se alguém estivesse armado? A cena pareceu lhe remeter alguns episódios de novela e seriados que havia assistido recentemente, só que de maneira bem mais trágica, claro. Por um breve instante parecia haver mai motivações por trás, além de ofensas, para a tal briga e seus desfechos, quem sabe ele anotasse alguns desses momentos para um roteiro e enviasse para uma emissora de tv famosa? Desde que Dong chegou ele estudou pouco, pelo menos, não tanto quanto haviam dito que estudaria, o dia inteiro.

Ao invés disto foi colocado diante de muitos problema dos alunos, um atrás do outro, ele já começa a pensar que a ideia do bullying talvez não seja tão adequada pra situação, o que poderia fazer se o sistema não funciona? Talvez devesse ter ido para o club de literatura, lá teria liberdade para fazer um livro sobre ocorridos adolescentes em Wangjo. Ali já tem os heróis, as mocinhas, os vilões e até mesmo os coadjuvantes.

Meneou a cabeça negativamente com essa ideia boba que teve, e piscou uma vez para Stella, enquanto bebia o chá da latinha, não parecia bravo aparentemente.

Ele encostou a superfície ainda gelada no pulso de Kim que parecia bem mais aborrecido a um passo de estourar. -  Oh, sem rage Kim!
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
112

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Park Hyun Hee em Dom Fev 25, 2018 2:40 pm

Apesar de ter ficado tão exposto por causa das palavras dela e sua fragilidade com a fusão dos temas acidente e depressão, o sorriso que ela devolvia e o respeito de não fazer perguntas deixava o ar aconchegante.

Piscou surpreso, sentindo o carinho dela. Aquela garota era diferente das que tinha conhecido. Ele pensou em buscar novamente Eunjoo em um momento de carência, mas o que ela teria a lhe oferecer não era nada parecido com aquele contato. Park Chaeyoung parecia sincera naquilo, desejando apenas confortá-lo naquele momento.

Fechou os olhos para recompor seu humor e quando os abriu novamente, ele a encarava sério, como se não tivesse aprovado o cafuné, o que era obviamente mentira, e a analisava preparado para uma provocação ou resposta ruim quando ela dizia que estava arrependida.

- É mesmo? Do quê? - ergueu a sobrancelha e aguardou, com uma pontinha de desconfiança e também um receio de ter qualquer um daqueles segredos usados contra ele.

Por sorte, estava errado e deu um meio sorriso, levantando-se e batendo as mãos na calça, interrompendo-a antes que ela falasse da joaninha.

- Ah, claro. Da próxima vez eu preparo um dosirak (bentô/marmita) e dou comida na sua boquinha - debochou com um sorriso cretino.   - Eu sou um bom cozinheiro. Essa até que não foi a pior tentativa de sair comigo que alguém teve. - riu e piscou. Estava prestes a fazer um convite, quando lembrou da segunda coisa.  -  Qual era a segunda coisa?


Ele ficou algum tempo olhando-a enigmático. Ainda na noite anterior tinha ficado algum tempo observando a jóia em sua escrivaninha no quarto enquanto aproveitava o domingo para terminar lições - já que as costelas não o levariam a lugar algum. Tinha concluído, com raiva, que não a devolveria sob nenhuma condição, já que a garota tinha feito pouco caso de seu presente. Estava bem bravo e interrompia cada folha preenchida para olhar aquele objeto que o chamava de idiota a cada instante, mas não tinha o impulso de jogá-la fora.  Ouvi-la pedir de volta era muito bom.


-  Hmmm… Vejamos… Será que não segui seu conselho e não resolvi dá-lo para outra garota? Deixa eu pensar sobre isso… - fingiu pensar por segundos.  -   É, não,  não conheço outras garotas joaninhas que combinariam com aquele broche tão bem quanto você. Então, sim, claro, eu devolvo.

Fez uma pausa dramática e, claro,  estava se divertindo muito com aquilo. Virou de repente para ela de novo e iniciou teatralmente.
-  MAS… Vai ficar me devendo mais um favor. Você não simplesmente joga fora o presente de um homem desse jeito e espera que ele devolva assim, sem consequência. O que me diz?  

Ele a encarou novamente, com profundidade. Tinha acabado de gastar um dos favores dela e não tinha sido nada absurdo, na verdade, foi extremamente necessário, e ele, no fundo, queria garantir que poderia contar com ela mais uma vez.  

Estendeu a mão para ela, oferecendo para que se levantasse.

-  Se estamos combinados, vamos descer e eu pago alguma coisa pra você lá embaixo. O que quer comer?
avatar
Dorama
Localização :
Queria estar nos EUA

Data de nascimento :
04/11/2002

Mensagens :
162

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por The Crown RPG em Dom Fev 25, 2018 2:49 pm

[REFEITÓRIO]

O refeitório parou por um instante quando aquela confusão começou. Os alunos do terceiro ano estavam bem perdidos, porque não entendiam como as outras turmas estavam acumulando tanta energia e revelações: do segundo ano havia o aluno novo e, agora, a história de uma “nova rainha” que destronara Eun-Joo. Já o primeiro ano não parecia ter nenhum limite. Todos os dias, havia uma novidade ali.

A educação física parecia ter apenas sido um aquecimento para todo o resto que estava por vir. Primeiro as competições internas; desentendimento no banheiro feminino com algumas testemunhas que espalhavam a história; briga de irmãos e, agora, essa cena. Isso porque ainda havia as cenas mais reservadas.

Será que teria algum sobrevivente até o fim daquele dia?!

Yewon estava completamente irada. A simples existência de Misoo parecia uma afronta para ela. Se antes a tenista era poupada ou recebia apenas xingamentos leves, agora ela definitivamente tinha um alvo na testa. O pior era que por mais que Nana e Yerin não tivessem nada a ver com isso ou não quisessem participar, o grupo tinha que se proteger. E, muito em breve, não seria apenas a ira de Yewon que ela teria que aguentar.

Naquele momento, contudo, MiSoo teve a “sorte” da garota ser esquentada demais e não ter se planejado direito. Eun-Bi estava ali para defendê-la e todos sabiam que a bailarina só era delicada e gentil quando colocava sapatilhas. Normalmente, ela era forte, respondona e, aparentemente, agressiva mesmo. MiSoo tentava responder às afrontas porque já sabia lidar muito bem com aquilo - o bullying da escola era pequeno comparado a uma vida de abusos em casa, com uma mãe que a ignorava e uma irmã que parecia odiá-la.

Porém, sempre ficava aquele gosto amargo do “por que?”. Por que sempre tinham que ficar atacando a imagem dela? Mesmo que ela estivesse bonita, por que as pessoas continuavam destruindo seu espelho? Era como se a menina de alguns meses atrás ainda fosse a MiSoo do presente e toda aquela imagem não passasse de uma casca.

Valia a pena se sacrificar tanto? Ouvir todos os desaforos da mãe, se no fim das contas, continuavam vendo a antiga MiSoo?

Monstro.

Essa palavra doía, quase como se ela fosse deformada ou tivesse a real aparência de uma ogra, quem sabe?

Apesar do xingamento seguinte, o golpe maior ainda era o que atingia a imagem dela. Eun-Bi já estava revoltadíssima e, se antes, se segurava, agora ela não ia pesar a mãe. Era um dois contra um, mas Yewon sabia se virar bem, de certo modo. Tinha uma língua venenosa e rápida, além de ter reflexos mais rápidos que rebatiam nas mãos delas. Hayoung e Bomi tentavam parar a situação enquanto Hyemin corria para pedir ajuda à única pessoa que ela achava que podia dar cabo daquilo.

Eun-Bi conseguiu agarrar o cabelo de Yewon pelo aplique e estava prestes a enfiá-la na máquina, mas Yewon, logo enfiou aquele salto bem no pé da bailarina. O mesmo pé que ela tinha machucado há alguns dias. A dor parece ter alimentado a raiva dela e foi aí que ela agarrou mais nos cabelos, muito embora as lágrimas tivessem alcançado seus olhos. MiSoo tinha tentado empurrar Yewon antes, mas levou outro empurrão no ombro também. Foi somente com a entrada de Won e Jae-Ki que elas pararam.

Won meteu o corpo, começando a separar Eun-Bi de Yewon, mas ainda havia MiSoo brigando também. Jae-Ki chegou antes que o contato entre o amigo e bailarina fosse maior e o puxão que ele deu na mão dela, fez com que o aplique de Yewon realmente viesse junto. No meio da raiva, Yewon virou as garras - porque aquelas unhas eram cortantes e perigosas como uma garra-  no maxilar e pescoço de MiSoo, além de empurrar as costas de Won também. O garoto não chegaria a ser tirado do lugar, devido sua constituição física, mas sentiria um baque chato nas costas. No caso dele, em específico, não foi de propósito, foi só uma questão de dor por parte da garota.

Jae-Ki tinha conseguido tirar sua querida de lá, mas a expressão dela estava irreconhecível. O rosto estava vermelho, os olhos cheios de lágrimas por conta da dor do pé e ela realmente parecia não conseguir pisar direito com a perna esquerda - ela já tinha tirado a proteção bem antes da hora e não teve nem tempo da fisioterapia. Os braços dela estavam erguidos para cima e na mão direita, tinha um pedaço do megahair de Yewon.

- Desgraçada… - Murmurou e olhou para Jae-Ki. - Que calcinha?! O que você tá dizendo?? Tá doido?!

Soluçou e abaixou a cabeça, pulando de novo num pé só.

Won também evitou que Bomi caísse no chão. Ela nem conseguiu responder a tudo porque, no momento, estava mais preocupada em evitar o que estava acontecendo. Agora a jovem Yoon via o garoto metido entre Yewon e MiSoo. Ainda havia Jae-Ki de costas para os dois, afastando ainda mais Eun-Bi. MiSoo ainda tinha levado uma unhada na cara, ganhando um arranhão vermelho na região.

Hyemin tinha sido mais esperta ou desesperada. Correu até Jung-Mi achando que ele poderia dar fim naquilo e, de fato, ela o encontrou no meio do caminho. Os dois se trombaram e o garoto teve o instinto de impedir que ela caísse, segurando pelos ombros. Uma encarada foi o suficiente para entender que ele precisava se meter mesmo. Mas ele não absorveu tudo o que ela disse, apenas palavras chaves: namorada, desculpa, tentei impedir, por favor. Era muita coisa para o garoto lidar, mas a marcha foi rápida.

- Olha o que você fez com o cabelo, sua demooniaa!!! - Yewon berrava com Eun-Bi, se esticando toda.

- ….Não me segura, Jae-Ki, eu vou bater nela de novo! Tem mais aí de onde esse veio!! - Eun-Bi realmente tentou se virar para se jogar, mas o pé doía.

- E você, sua monstra, imbecil… - Olhou para MiSoo por cima do ombro de Won-Bin, considerando que ele ficou de costas para Yewon e de frente para MiSoo - Sozinha você não aguenta, não é? Mas você  é uma parasita mesmo!!! Vive sugando suas amigas para tentar ser como elas, mas nunca será!! O Jung-Mi logo vai perceber isso também!

- O que, exatamente, eu tenho que perceber?

As meninas pararam o escândalo quando Jung-Mi apareceu daquele jeito. Até Eun-Bi baixou a guarda e olhou para o garoto. Bomi escondeu os lábios com as duas mãos e olhou para o irmão e Ryu-Ji que vinha logo atrás. Hayoung recuou, sem saber onde enfiar a cara, mas com um dos olhos fechados porque tinha levado uma cabelada na cara.

- O que você está fazendo, Jung-Mi-shi? - Yewon o encarou toda descabelada e inconformada. - Você não pode estar em seu juízo perfeito. Logo ela?! Essa monstra plastificada? - Apontava na direção de MiSoo, por cima de Won

Jung-Mi agarrou o braço dela, no impulso para que parasse de apontar para MiSoo e a puxou para perto, bem irritado.

- Escuta aqui. O que eu faço ou deixo de fazer da minha vida não é problema seu! - Era alto e Yewon ficava ainda menor diante daquela presença.

Naquele instante, ele conseguiu entender o que Hyemin tentou dizer e, numa fração de segundos, tomou uma decisão que quase ninguém entenderia. Talvez a única que fosse entender, seria Hyemin, porque ela tinha começado com a história e, para ela, nunca houve nenhuma outra possível “garota para Jung-Mi”.

- Da próxima vez que você atacar a Yeun MiSoo, eu vou considerar que você está atacando um Park.

Eun-Bi, Bomi, Gyu-Sik, Ryu-Ji, Hayoung e outras pessoas que estavam perto o suficiente para ouvir aquilo, fizeram um “ooh” “ottoke!?”  “mwo?!”. Yerin, mais atrás, arqueava uma das sobrancelhas e cruzava os braços, olhando ao redor antes de olhar a cena de novo.

- Porque você estará atacando a minha namorada. Se você mexer com ela de novo, quem vai resolver isso serei eu, me ouviu bem?! Tentei avisar através da Hyemin, mas parece que você não entendeu muito bem. Agora peça desculpas pra ela!

Virou Yewon na direção de MiSoo e a empurrou um pouco para a frente. A garota, humilhada, nem conseguia respirar direito por conta das lágrimas que a sufocavam.

- Peça desculpas.

- N...N...Nunca!

- Ah não vai? Também levarei isso ao conhecimento do diretor também. - Soltou Yewon e passou por Won, pegando MiSoo pelo pulso de modo firme, porém delicado.

O inspetor Cha tinha chegado até o refeitório depois de ouvir todo aquele falatório. Chegou um pouco depois da briga, mas o suficiente para ver os envolvidos. Jung-Mi já estava arrastando MiSoo pelo braço e andando de modo protetor, impedindo que olhassem ou apontassem para a tenista porque ele se colocava na frente. O inspetor encontrou os dois no meio do caminho.

- O que aconteceu?

- Soo Ye-Won atacou Yeun MiSoo e a agrediu no rosto.

- Não foi só ela. - Yerin disse, virando-se para o trio formado pelo inspetor, Jung-Mi e MiSoo. - Choi Eun-Bi agrediu Yewon e MiSoo ajudou. Não conte meias verdades apenas para defender sua namorada, Jung-Mi-shi.

- Logo você falando sobre meias verdades?

- Uhum. Aprendi com meus erros, agora sou completamente honesta. Inspetor Cha, a lista de advertências será grande.

O inspetor respirou fundo e começou a apontar para o fundão. Ele foi apontando todo mundo que parecia ter alguma relação com a briga: Yewon, Eun-Bi, Bomi, Hayoung, Hyemin, Won e...Jae-Ki.Yerin foi como testemunha imparcial - logo ela!

- Você, principalmente. - Ainda falou  assim para o garoto. - Larga a menina. Anda, todos vocês para a sala do diretor!

Jung-Mi foi na frente, ainda puxando MiSoo. Quando olhou para a frente de novo, os olhos dele se cruzaram com a mesa de Sunny. Engoliu em seco, sem conseguir encará-la por mais do que um segundo antes de olhar para a frente de novo e continuar seu caminho. Apesar de morrer de vergonha no momento, ele não podia demonstrar fraqueza, por isso continuou o seu caminho.

O Inspetor Cha guiaria os outros, mantendo os grupos separados. Hyemin e Hayoung ficariam para o lado de Yewon enquanto Bomi e Eun-Bi colavam uma na outra, acompanhadas de Won e Jae-Ki. Havia algo de errado com Bomi, como se não entendesse exatamente o que Jung-Mi tinha acabado de dizer.

- Ele falou...namorada? - Murmurou para a bailarina.

- Foi o que eu ouvi.

- E a MiSoo não contou nada pra gente?

- Eu também não entendi.

Bomi formou um palmo de bico e olhou para a frente, franzindo as sobrancelhas. Ajudava Eun-Bi a andar.

Em poucos instantes, o refeitório estaria vazio de novo e mais uma história tinha começado a ganhar forças. O sinal bateria em cerca de dez minutos e, mais uma vez, a sala do primeiro ano ficaria um pouco mais vazia porque seus alunos estavam na secretaria.



[...]


Para aqueles que assistiam, ficava uma sensação bastante estranha. Alguns alunos gostavam de ver esse tipo de coisa. Era quase como se desse mais emoção ir para as aulas. Já outros, mais sérios e tradicionais, não gostavam nem um pouco. Dong e seu grupo faziam parte desse segundo tipo de aluno. Sona mesmo, apenas massageava a têmpora. Ha-Neul olhava porque era impossível desviar o olhar, ele queria entender o que diabos estava acontecendo ali.

Kim tinha seus próprios motivos. E deu para ver que o olhar dele desviou quando viu Hyemin correndo. Franziu as sobrancelhas e fechou o punho quando Hyemin bateu em Jung-Mi e o levou para ela. Meio aborrecido, ele sentou-se de novo, esperando aquele circo acabar.

Stella também não gostava, mas não conseguia ignorar. Era algo desagradável de ver, até porque ela via muita gente sendo omissa, mas outra parte se metia. Achava que, no fundo, as meninas do grupo de MiSoo tinham sorte por terem pessoas em prontidão. Será que se fosse algum outro invisível, alguém se importaria ou se comportaria como a grande maioria que só assistia?

As pessoas queriam o fim do bullying, mas não faziam nada quando viam uma cena como aquela.

Na mesa de Dong, Min-Ho até se manifestou para se levantar e não ir até a cena, mas sim procurar pelo inspetor ou até mesmo um professor. O ato heroico dele, contudo, parou quando viu que as meninas foram contidas e o discurso de Jung-Mi começava. Além disso, era possível ver que o inspetor Cha já se aproximava dali.

A cena acabou e não afetou nada além do que o psicológico deles.

Já para Sunny…

Era como se alguém tivesse lhe dado várias e várias facadas. As amigas não faziam ideia dos estragos que aquela cena poderiam ter feito na menina. Naqueles poucos minutos, Jung-Mi simplesmente se provou um mentiroso. Ele fez tudo ao contrário e assumiu, publicamente, um namoro com MiSoo.

Como se não bastasse, ele ainda conseguiu encará-la quando saiu puxando a namorada dele. Foi por pouco tempo, mas o suficiente para que eles trocassem um olhar. Stella tocou no ombro dela, chamando sua atenção.

Dong brincou com Kim, mas depois que o refeitório esvaziou dessa confusão, ele foi até a mesa de Sunny e parou ao lado dela.

- Precisamos conversar. - Disse sério.

Stella olhou de Sunny para Kim, mas estendeu o olhar para Dong também. Como não fazia ideia das dores da amiga, ela achou que talvez pudesse ir até a mesa de Dong para se explicar também. E pegar seu chá - não sabia que era o que ele estava tomando nesse exato instante.

Ainda teriam longos dez minutos para tentarem juntar os cacos e consertarem algumas coisas.

Muito embora, certas coisas simplesmente não tivessem como serem reparadas.






Um turno diferente porque eu meio que "encerrei" essa cena. Vou dar uns indicadores aqui para ajudar:

> Won e Jae-Ki estão andando com Bomi e Eun-Bi, meio que separados do grupo da Hyemin. Cês podem falar com elas, se quiserem ou podem chegar até a Diretoria.
> Hyemin tá andando com o grupo dela. Também vai seguir pra Diretoria e tá com Yewon, Hayoung e Yerin.
> MiSoo tá indo na frente, sendo arrastada pelo Jung-Mi.
> Sunny e Dong continuam no Refeitório. Caso achem que não têm o que fazer e preferirem esperar, mais tarde eu posto algo. Eu fiz um pouco corrido pra não travar mais.
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Seo Hyemin em Dom Fev 25, 2018 5:18 pm

Hyemin ficou no mesmo lugar em que Jung Mi a deixou antes de chegar no grupo de meninas e assumir Misoo na frente de todo mundo. A garota cobriu a boca com a mão. Era um misto de emoções. Ficou comovida com aquela declaração em alto e bom som de dorama. O amor deles era forte mesmo! Ah, que menina sortuda! Ela queria também um príncipe da Disney para defendê-la dos males, mas seu amor não estava mais na escola, que pena - e ela nem sabia se MiWoo era do tipo que faria isso, mas ela achava simplesmente lindo e romântico. Sentiu até um calorzinho no peito com a cena. Jung Mi era um garoto de ouro e ela sentia-se honrada de um dia ele ter gostado dela. Era uma pena que na época ela simplesmente não podia corresponder aqueles sentimentos. Eram muito novos de qualquer forma e provavelmente confundiam as coisas.

O calor também era por causa de um pouco de medo de Yewon, visto que ela provavelmente agora ficaria muito mais furiosa. Mas o que podia fazer? Jung Mi também era um amigo! Ainda que ela tivesse contado o segredo, mais ou menos. Mas ela não achava que seria tão grave e, na verdade, ele nem tinha revelado o nome de sua namorada, o que queria dizer que ela não tinha contado nada que ele tinha pedido segredo. “Se elas mexerem com um nome especial (...) Avise sua amiga bla bla bla” era algo assim que ele tinha dito e foi o que ela fez.  Bem, Jung Mi e Misoo não eram exatamente discretos trocando bonsais, andando juntos apenas em momentos estratégicos… Uma pena para eles. Mas agora ele a tinha assumido para todos e Yewon só teria que lamentar. Era bem triste para a menina, falando nisso. Yewon fazia muitas loucuras por Jung Mi. No lugar dela, Hyemin ficaria arrasada, ainda mais porque ele a tratou muito mal, segurando-a pelo braço e obrigando-a a pedir desculpas.  Isso era muito humilhante e era mais ou menos como se sentiu quando Kim Joo Hyuk disse que ela não devia mexer com Sunny… Só que ela não gostava de Joo Hyuk, de jeito nenhum e a passarinha era uma bolsista atrevida. Era muito diferente.

Isso ficou pairando na mente da menina, enquanto ela mantinha uma distância segura. Mesmo com tudo, não se arrependia de chamar Jung Mi. Aquela briga estava muito feia e inicialmente achou que Yewon ia matar Misoo.  Depois, viu que era provável que Eunbi e a amiga se matassem primeiro.  No fim, tinha uma ferida no rosto, outra mancando, um aplique arrancado… Surpreendeu-se mesmo é que MiRan não tivesse se metido para ajudar a amiga. Ela devia mesmo estar chateada por ser expulsa da mesa.

Afinal, até a gangue dos bolsistas resolveu se meter. Teve medo que eles fossem bater nas garotas, mas não é que eles estavam de novo ajudando? O menino do olho roxo estava agarrando Eunbi. Que esquisito… Eles não estavam brigando no vídeo? Depois eles caíram no lago em uma briga com Taemin, que foi suspenso por isso. Eunbi que tomasse cuidado. Ele talvez só quisesse segurar no braço dela. Ou será que a estava machucando? Pela reação que ela teve, não parecia isso.

Hmmm…. Essa história era bem esquisita.

Em segundo lugar, tinha aquele bolsista exibicionista que usava camisas justas Hyemin você tem um noivo pare de lembrar disso ótimo obrigada já entendi. Ele não parecia um marginal, como ela já tinha concluído quando ele ficou preocupado com o celular de Yerin, mas aparências enganavam e ela sabia que ele tinha um lado sombrio! Era o “braço direito” do chefe da organização, o estrategista, era o que achava até vê-lo gritando. É… ele devia ser tão assustador quanto o outro. Que trio perigoso.

Hyemin suspirou de certo alívio quando as meninas foram separadas, e foi até a mesa para recolher o celular e a bolsa preta de couro com rosto de gatinho, quando viu um dedo apontando para ela.

”Mwo?”

Piscou algumas vezes, confusa e gelou. Diretoria?

Por quê????????????????

”Meu celular…”




Fez uma carinha de choro e caminhou até as amigas, com a bolsa nas costas. Mal teve coragem de encarar Yewon, só desviou os olhos depois de checar o estado dela, ficando com medo da reação, e não quis conversar com as amigas, porque achava que seria punida de novo. Só trocou um breve olhar com Yerin, para obter confiança, saber se tinha feito algo muito errado e logo voltou-se a seus problemas.

Essa não. De novo? O que seu pai pensaria disso? Olhou a capinha de gatinho e começou a acariciá-la, como se estivesse se despedindo.  Por que tantas perdas em um dia só? Primeiro assassinaram seus filhos, o bebê panda boiando na água… Nunca esqueceria dessa imagem. Depois, correria o risco de perder de novo o celular e os cartões? Alguém queria matá-la, só podia!!!

Respirou fundo e ergueu o rosto, olhando o caminho. Quando foi que aqueles bolsistas se misturaram com as meninas de sua sala? Isso era muito confuso. Como é que eles estavam fazendo amizade por aí? Não sabia como aquela gente conseguia se misturar ali dentro. Era tão estranho para ela…

Pensando agora, ela bem que podia dizer que a culpa tinha sido deles né? Aí seriam dois a menos. Sua sogra ficaria feliz! Definitivamente queria pedir instruções para ela, se pudesse - ainda bem que não podia. De qualquer forma, ela teria que defender sua amiga ou ela poderia ser expulsa. Tinham filmado isso também? Não adiantava muito, né? Como será que iam falar com ela? Será que iam chamar seu pai? Não brigou com ninguém dessa vez. Quer dizer…

Bem, talvez fosse até bom que aquela briga tivesse acontecido, assim podia abafar seu pequeno desentendimento com Sunny no banheiro - algo que ela mesma já estaria  “esquecendo” em sua memoriazinha de peixe, se não fosse pelas maquiagens destruídas, que serviam de lembrete.

Chegando na secretaria, a menina ficaria esperando sua vez de falar - mas torcia para que eles já se convencessem com os outros e ela pudesse ficar quieta. Estava bem nervosa. Não gostava de levar bronca. Gostaria de ouvir direito o que Yerin tinha a falar, porque não queria estragar nada, mas ela realmente não tinha nada planejado para dizer.

Por precaução, guardou o celular na bolsa, vai que alguém queria tomá-lo já? Só torcia para não chamarem seu pai na escola.
avatar
Dorama
Localização :
Terra do Marshmallow

Data de nascimento :
17/03/2002

Mensagens :
196

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Kim Sun-Hee em Dom Fev 25, 2018 5:44 pm

Ainda como meros telespectadores, as pessoas continuavam a observar o desfecho da “discussão” e, repentinamente, dois meninos interviam, procurando separar as garotas... algo que parecia impossível de acontecer. Era uma confusão de puxões, unhadas e empurrões tão intensa que Sunny mal sabia para onde olhar e quando finalmente se deu conta de que JaeKi estava no meio da briga, ela entreabriu os lábios, preocupada com ele e não demorou a reconhecer o segundo elemento como amigo de Jae, Won, um dos bolsistas. Que droooga. Lançava uma carinha aflita enquanto internamente torcia para que eles não se prejudicassem. Claro que queria que EunBi e MiSoo colocassem aquela cobra no lugar, mas a ponta fraca da corda ali eram os rapazes.

Graças aos acontecimentos turbulentos, não notou a nova presença de cabelo colorido.

Então...

Sunny suspirou no momento que a voz de Jung-Mi silenciava todas as outras no refeitório.


A atenção dela prendeu-se definitivamente na imagem do garoto, ignorando até mesmo Yewon e seu alvo, MiSoo. Ela encarava-o de modo estranho, aguardando as próximas palavras.

Porque havia algo na forma que o Príncipe do primeiro ano usava para proteger MiSoo...

De prontidão, se detestou por permitir que os pensamentos sempre escapassem por essa tangente. Porém... Sunny não conseguia controlar e já prendia a respiração bem no meio da garganta. Não, não era vidente.

Mas...

Abaixou a cabeça quando o “minha namorada” foi dito de um jeito firme e alto o suficiente para que não restassem dúvidas.

Para ninguém.

Park Jung-Mi namorava Yeun MiSoo.

O que aconteceu depois, Sun-Hee não percebeu mais. Pois, agora, cada memória recente ao lado de Jung-Mi ganhava um significado diferente e completamente distorcido e ela sequer pensava direito. Só sentia aquela maldita dor ganhar espaço no peito e tentava se concentrar em qualquer outra coisa, na esperança de um alívio que não veio. Ao contrário disso, a ardência aumentava progressivamente e, no instante mais cruel, uma verdade se mostrou absoluta.

Uma verdade tão óbvia...

Estava apaixonada por Jung-Mi e ele acabou de pisar nos seus sentimentos.

Levou uma mão até os lábios, escondendo a força que aplicava neles para impedir o choro, mas os olhos encontravam-se vermelhos e brilhantes.

Já era a terceira vez que ele a machucava. Porém, definitivamente, era a última também. Quer dizer, imaginava que esta cena iria funcionar como golpe de misericórdia. Sun-Hee ergueu o rosto, recusando-se a fraquejar, embora fosse difícil, muito difícil. E os olhares se cruzaram no centro da linha de tiro.

Ele...

Ele a feria tanto quanto os outros herdeiros e a atingiu mais do que qualquer um deles. Incrível, né? Talvez nem tanto...

As pessoas que mais gostamos são as que mais carregam calibre na hora de machucar.

Na breve troca, mesmo que por centésimos de segundo, Jung-Mi só veria uma coisa nas íris castanhas e apertadas.


Nada e, ao mesmo tempo... tudo.

O toque a acordou do transe, porém não encarou Stella. Ergueu o queixo para corresponder a fitada fechada de Kim – Sim – respondeu, apenas. Devagar, meio lânguida, ela ficou de pé e os joelhos tremiam tanto, que Sunny quase caiu, tendo que se segurar no braço do amigo – Nos falamos mais tarde, meninas.

Kim precisaria acompanhá-la, e apesar das pernas longas, foi necessário aumentar a velocidade para não perder a amiga de vista e, por um momento, Joo-Hyuk teria a impressão de que Sunny estava desorientada, e de fato, estava sim. Mas, sorte ou não, chegaram na parte dos armários, onde havia certa privacidade. Quando Sun-Hee se virasse, Kim levaria um susto. O rosto dela encontrava-se lavado por uma enchente de lágrimas e a boca contorcida conforme o peito funcionava aos trancos. Sunny até tentava falar, mas sem sucesso... A mãozinha buscou a manga do uniforme do amigo, cravando as unhas no tecido, catando energia para não despencar no precipício que ameaçava domá-la.

A feição séria e distante de Jung-Mi vinha na cabeça, um vício estúpido e agressivo.

- Eu...

O sorriso pequeno, discreto... De quem relaxava depois de uma árdua luta interna.

- Eu gosto...

O cheiro amadeirado que anunciava a tormenta imposta só pela presença do Park...

- Eu gosto... dele...

Por fim, lembrou-se do instante que os dedos calejados apertaram os seus, correspondendo-a.

Deus, como foi idiota!!!

NUNCA houve reciprocidade.

Nunca.

- Eu gosto do Jung-Mi, Kim...



Cobriu o rosto com as palmas e começou a balançar os ombros graças aos soluços que irromperam, liberando a passagem. Ela não falaria mais nada. Apenas permaneceria encolhida na própria dor enquanto cedia, sentando no chão com a cabeça abaixada contra os joelhos e as mãos na nuca. Não era uma reação escandalosa, mas a sensação era de que no mais leve toque, ela fosse trincar.

Uma ilusão, claro.

Afinal, já estava despedaçada e ignorava os estragos que os pedacinhos afiados causavam no íntimo. Sempre era tão comovente ver a angústia das mocinhas nas histórias e igualmente empolgante quando o mocinho ia ao socorro da donzela, declarando, enfim, seu amor.

Que besteira...

Como a se a dor de alguém pudesse ser aliviada assim...  




Última edição por Kim Sun-Hee em Qui Mar 01, 2018 8:30 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
175

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Convidado em Dom Fev 25, 2018 11:20 pm

Todos os xingamentos que Yewon lhe desferiam eram incômodos, mas também algo que MiSoo já tinha escutado por muitas vezes. De fato, sempre lhe feriam um pouco e sempre odiava ser chamada de monstra. Não tinha se irritado com Gyu Sik por ter sido chamada por um nome próximo à esse? Mas doía muito mais quando era uma pessoa importante. Yewon não era ninguém. Só mais uma maluca obsessiva que se justificava usando o rank de sua família para se mostrar superior à todo o resto. Como se o dinheiro dela lhe desse o direito de agredir, difamar e ridicularizar os outros menos afortunados.

Mas sempre havia aquela parte que começava a duvidar…

Sua aparência tinha melhorado em algo?

Foram tantos anos ouvindo as mesmas palavras… Mantendo as mesmas feridas abertas, incapazes de cicatrizar… E ainda que agora parecessem começar o processo de cura… Continuavam a doer e sangrar. Não seriam elas profundas demais para se curarem sozinhas?

Ainda era uma criatura detestável e tão diferente dos outros?

E os elogios? E as palavras do garoto que alegava achá-la bonita desde sempre?

Quando o sangue fervia e a raiva que a atitude da garota incitava em MiSoo falavam mais alto, era difícil pensar direito. Já estava sendo difícil demais pensar direito desde que esse dia começara… Em meio à isso era… Impossível.
A angústia que os xingamentos causavam e o ódio de ouvir a amiga sendo xingada e caluniada daquele jeito fizeram MiSoo explodir de vez.

Afinal NINGUÉM podia falar assim da EunBi!!!!

Deu um empurrão da adversária, dessa vez com as mãos nas costas dela, enquanto EunBi a segurava pelos cabelos. Uma ajudinha à amiga para arrancar o aplique daquela garota ridícula, mas antes de conseguir ajudar, de fato, EunBi, Won Bin surgiu de repente, do nada e tentava separar as duas garotas.

- Aigo! Não!! - falou alto, o repreendendo e apertando os punhos com força enquanto lhe fazia uma careta de bochechas infladas.

Mas não deixou Won e todo seu tamanho de intimidar, ainda esticou o braço para além do garoto e agarrou Yewon pelo colarinho do casaco. Nem viu quando EunBi foi puxada por JaeKi, só notou o aplique da maluca ir embora na puxada final.

Também não deu tempo de fazer mais nada. Quando MiSoo baixou rapidamente a guarda para notar o objeto saíndo e JaeKi segurando a amiga, acabou levando um arranhão no rosto, se encolhendo e resmungando de dor, enquanto cobria o rosto com as mãos.

A dor só contribuia para deixar a tenista mais irada.

- AAAISHHH! SUA RIDÍCULAAA! - empurrou o ombro de Won Bin com uma mão e puxou o casaco de Yewon com a outra, usando até um dos pés para lhe dar um chute na canela.

Ela ia pagar pelha unhada!!

O mundo tinha ficado vermelho.

- Cala a boca! Você já se ouviu falando? Não sai nada de útil dessa boca imunda! É claro que eu aguento você sim, sua-- o vermelho se tornou um tom mais suave quando a voz autoritária do garoto ecoou no ouvido das duas.

MiSoo soltou lentamente o casaco da garota ao vê-la mudar o foco para reclamar com Jung Mi, mas mesmo a tenista não estava muito conformada. Só ficavam interrompendo ela depois de ter ouvido toda a baboseira maldosa daquela serpente. Não podia nem dar o troco!?!? Ela merecia muito mais, tinha xingado até EunBi, falado atrocidades e arranhado o rosto de MiSoo!

Novamente MiSoo estava com o corpo todo retraído de raiva e as bochechas infladas. Mal conseguindo respirar com toda a tensão que sentia nos músculos. Se Yewon dessa mais uma olhada torta em sua direção iria pular em cima da garota. Arranhar o rosto inteiro dela por vingança!!

MiSoo quase nunca se deixava tomar pela raiva desse jeito, mas...

Maldita cobra!!

Enquanto Yewon questionava a atitude de Jung Mi, MiSoo se dava conta da platéia que tinha em volta deles. Não tinha percebido aquele bando de gente!!

E Jung Mi… Ele devia estar furioso com o que MiSoo causou mais cedo… Iam ser ele e Yewon contra a pobre MiSoo!!!!

A raiva diminuiu, ou o receio aumentou. Não dava para ter certeza, mas MiSoo se encolheu um pouco, começando a sentir a dor no rosto com mais intensidade e a cobrindo com as mãos novamente. Rinha franzido as sobrancelhas e apertado os lábios, dando dois passos para trás e esperando que a situação ficasse mil vezes pior!! Iam os dois acusar ela agora?? Jung Mi ia concordar com a agressiva?? MiSoo não estava em condições de deduzir nada.,, E definitivamente não estava pronta para encarar o julgamento do rei da sala.

MiSoo ficou um pouco mais surpresa e um pouquinho menos encolhida quando o garoto puxou aquele braço que apontava em sua direção. Talvez estivesse interpretando a situação de um jeito um pouquinho errado… Um pouquinho.

Desta vez parou um pouco para prestar atenção nas expressões de Jung Mi e seus amigos, logo atrás dele. Então será que não precisava se preocupar com sua nova amizade com o herdeiro mais jovem da família Park? Ou com a evolução que tivera com seu amigo mais antigo?

MiSoo assistia Jung Mi falar daquele jeito com Yewon sem mover um músculo, quase como se suas palavras não fossem só para a garota que teve o aplique de cabelo arrancado. A frase sobre o que fazia com a própria vida meio que a lembrava de quando o chamou de robô… E se arrependia disso até hoje.

A próxima frase do rei do primeiro ano a fez arregalar o olhos.

Estava mesmo fazendo isso? A protegendo dos ataques de Yewon? Não só lhe protegendo, mas praticamente lhe considerando da própria família!! Meio exagerado, mas… Será que todos os garotos tinham mania de serem meio exagerados!?


- Ahn… Calma, não é para tanto… - falou meio baixo, já sem um pingo de raiva, mas ainda bufando um pouco, se recuperando do estado em que estava há segundos atrás.

Os músculos relaxavam, a dor no rosto e pescoço aumentavam e um pouquinho de vergonha afligia a garota pela cena que tinha protagonizado e por todos os espectadores à volta deles.

Não era como se os dois fossem tão próximos à ponto de se considerarem como irmãos, como família e…

ESPERA!

- MWOOOO!!?? - inquiriu alto, totalmente surpresa e incrédula de ouvir as palavras “minha namorada” no que Jung Mi dizia e agarrando as alças da mochila com força.


Talvez MiSoo não conseguisse abrir a boca mais do que já estava agora.

Será que tinha ouvido direito?

Será que ela estava louca?

Será que ELE que estava louco!!??

Se a atitude dele era uma espécie de disfarce ou proteção da parte de Jung Mi, MiSoo poderia muito bem estar mais atrapalhando do que ajudando com sua reação.

- Quê, quê, quê, quê…? Você está…?? Mas…! Hein!? - não conseguia nem terminar a frase diante das palavras que vinham de Jung Mi.

MiSoo já sentia o rosto arder e o coração acelerar, tamanha a vergonha que estava sentindo. Não estava nem aí para as desculpas que Yewon teimava em não dar. MiSoo queria mais era desaparecer dali do meio daquela platéia o mais rápido possível. Se encolhia novamente e aproveitava que as mãos já estavam no rosto para cobrir os lábios. Só olhou de relance para Yewon e virou o rosto para onde estavam as amigas, quase pedindo-lhes ajuda com um olhar desesperado.

Por que ele estava dizendo todas aquelas coisas na frente de todo mundo?? .. E o rosto dos seus amigos diziam claramente que não era só MiSoo imaginando tais palavras. Virou em direção às máquinas de vendas, tentando esconder o rosto vermelho do resto do refeitório. Não conseguia olhar para Jung Mi… E basicamente não conseguia olhar para mais ninguém também.

Será que Jung Mi realmente, ou… Uma vingança!!

Talvez essa fosse a vingança dele por MiSoo ter trazido Park Hyun Hee para conversar com seu grupo! MAS QUE VINGANÇA MAIS ABSURDA!!

MiSoo só percebeu que a “conversa” tinha acabado quando sentiu o pulso ser agarrado e o garoto começar a puxá-la para longe da platéia, mas a garota ainda estava meio letárgica, sem conseguir reagir, apenas o seguir obedientemente.

MiSoo piscou os olhos várias vezes enquanto o inspetor se aproximava deles e os questionava, olhando na direção da mão de Jung Mi que segurava seu pulso e ficando ainda mais nervosa.

Só estava notando agora em que encrenca ia se meter por causa daquela briguinha que nem queria ter e apertou os lábios, não sabendo se ficava mais nervosa com a briga ou com Jung Mi.

Ouviu o garoto responder e logo em seguida Yerin e meter. MiSoo franziu o cenho com a voz da cobra-mor. Até ela ia vir incomodar agora. Criatura antipática!

- Mas a louca da Soo YeWon veio toda agressiva para cima de nós do nada!! - respondeu, se defendendo, irritada com aquela conversinha de Yerin e por ouvir ela a chamando de “namorada” de Jung Mi.

MiSoo não chegou a olhar diretamente para o rosto de Yerin, pois sabia que não ganhava nada olhando para aquela face de cera que só sabia mostrar ódio e frieza. Não tinha nada dentro daquela casca além disso. Yerin, assim como Yewon, era um caso perdido, sem dúvidas. Sua frase foi diretamente para o inspetor.

Na hora que Jung Mi falou sobre meias verdades, MiSoo estreitou os olhos em sua direção.

“E que tal mentiras completas!?” - era sua vontade de dizer na cada dele, na verdade, gritar mesmo.

- Pffff! - a garota bufou, de modo meio debochado quando ouviu Yerin alegar ser totalmente honesta.

Essa aí era mais erradas que todas as amigas juntas! E o que ela fez com os colegas naquele vídeo? Não contava?? Certamente não era alguém à se confiar! O diretor deveria saber disso!!

Mas o “outro” assunto também está disputando atenção da cabecinha de MiSoo.

Quem ficaria feliz se tornando a “namorada” de alguém sem ao menos ter sido consultada antes!?

MiSoo poderia até ficar lisonjeada e emocionada que alguém como o rei da classe a chamasse de namorada na frente de todo mundo, mas seu cérebro estava em uma sintonia totalmente diferente nesse momento. Era óbvio que era uma mentira, talvez até uma vingança muito maldosa! Muito embora ele houvesse lhe protegido de Yewon e suas palavras am,aras, mas… Precisava mesmo de ajuda?? Podia quebrar a carinha irritante daquela criatura peçonhenta se quisesse!!

Parecia que todo o mundo queria lhe proteger agora… Será que parecia mesmo tão fraca assim?? Tão delicada? Nem EunBi, que era uma bailarina, era frágil assim! Aliás, EunBi parecia bem perigosa quando queria… Bem que MiSoo queria ser como ela… EunBi era meio que seu modelo de garota…

Talvez Yewon estivesse certa nisso também… Um parasita que tentava ser como BoMi e EunBi… Mas não era nada como elas.

Jung Mi voltou a arrastá-la e MiSoo fez mais uma careta. A situação estava toda errada! Agora todo mundo ia acreditar...

- Ya! O que você está pensando, Jung Mi-shi?? - inquiriu de modo meio ríspido, mordendo os lábios, mas seguindo ele para onde tinham que ir agora - Aquela garota vai ficar completamente louca agora! Eu.. Eu não estou entendendo nada!Você está fazendo isso para se vingar por eu ter chamado Park Hyun Hee mais cedo?? Aishhhh! - falava de modo muito agitado e nervoso, movendo o braço livre freneticamente - Eu não sabia, sinto muito!! Não sabia que estavam brigados! Eu não fiz por querer! Eu não devia… - e abaixou o tom da voz, voltando a sentir o rosto corar de novo após expulsar o que estava preso em seu peito sobre a situação - Por que fez isso…? Nós não… - começou a resmungar e abaixou o rosto, cobrindo-o com a mão livre.

Estava com taaaanta vontade de se encher de Peppero agora… Encher a boca deles!! Estava tão ansiosa que quase tremia e tão constrangida… Não tinha coragem de olhar para mais ninguém… Muito menos os amigos… Será que acreditavam no que tinham ouvido? Mas o próprio Jung Mi afirmava!! Quem não acreditaria?? Assim iria parecer que MiSoo estava escondendo isso de todo mundo… Todos iriam ficar irritados com ela, achando que não confiava em ninguém para revelar isso… MAS NEM ELA SABIA!!

Quer dizer… Nem era verdade!!

Ou será que Jung Mi tinha sentimentos por MiSoo???

A garota ficou se dividindo entre essa batalha mental e a tentativa de arrancar uma explicação descente do herdeiro Park no caminho para a secretaria. Por enquanto nem pensava em que tipo de punição receberia por seus atos. Mas já sabia que seria injusto, pois nem queria ter se metido em mais confusão, já lhe bastava a que tinha criado minutos antes!!

MiSoo não conseguia pensar direito em situações tão estranhas, ou inéditas!

O que deveria fazer???
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Jae-ki em Dom Fev 25, 2018 11:45 pm

Jae-ki estava mais preocupado em Eun-bi se "desarrumar" do que com a briga em si, ao menos inicialmente, tanto que falou mais do que devia. Mas enquanto a segurava pelos braços e a tentava afastar dali, ficou surpreso ao ver o estado enfurecido de sua bailarina. Na verdade até lembrava ele mesmo! Ficou preocupado ao notar que ela tinha lágrimas nos olhos, notou que ela tinha machucado o pé de novo porque evitava pisar com ele. Era uma situação bem louca, Eun-bi fora de si quando deveria ser ele o estourado, e um pedaço de cabelo da outra garota na mão dela.

- Eun-bi! Você se machucou?!- Perguntou preocupado enquanto ela gritava e o chamava de doido.

Porém a outra, Yewon continuava gritando e xingando a bailarina. Por mais que Eun-bi quisesse ser largada para avançar na outra, Jae-ki não permitiria isso, ainda mais sabendo agora que ela tinha se machucado. Mas os xingamentos de Yewon realmente o aborreceram, Jae-ki lançou um olhar para trás para gravar o rosto da sua próxima inimiga.

- Ya!! Dackchyeo Colle! *(cala a boca va...)- Gritou de volta para YeWon, em seguida respondeu aos apelos de Eun-bi - Não vou deixar você se machucar por causa dessa ttorayi!

Jae-ki realmente entendia o que Eun-bi sentia, já tinha várias vezes se enfurecido como um selvagem, era até contraditório que quisesse manter ela calma. Porém uma coisa era ele se machucar, outra era deixar que a bailarina se ferisse ou que vissem a calcinha dela! Queria fazer algo contra Yewon, não entendia o que estava acontecendo, mas já estava do lado Eun-bi automaticamente, aparentemente a amiga dela, MiSoo, estava sendo alvo também. Jae-ki imaginava que devia ser algo simples, talvez estivessem com inveja porque Eun-bi era muita bonita e por isso devia tá inventando motivos para xingar ela e suas amigas.

Já ia xingar mais Yewon, porém parou ao ouvir a voz de Jung-Mi. Não sabia o que ele tinha haver com isso, apesar de ter ouvido os gritos de Yewon, ainda não tinha parado para entender o que estava acontecendo porque tinha outras preocupações na mente, como a honra de Eun-bi. Conforme ouvia as palavras de Jung-Mi, Jae-ki foi ficando boquiaberto, não imaginava que ele fosse namorado da MiSoo. Ele parecia até um cara bacana, Jae só achava que ele poderia ter aproveitado para ter xingado também. " Então é isso? Elas estavam brigando por causar dele? Então por que ela atacou a Eun-bi? Que saekki! Ela que se atreva de novo a encostar na Eun-bi! Vai saber com quem ta mexendo..." Não ficou com pena quando a garota começou a chorar.

Ele olhou para Eun-bi e perguntou preocupado:

- Como você tá?

Até que o inspetor chegou, Jung-Mi contava o que tinha acontecido, ia tudo bem até que Yerin resolveu se intrometer e Jae-ki gravou isso! Era uma dedo-duro! Pessoas assim tinham um tratamento "especial" na sua gangue, mas em Wangjo as coisas eram diferentes! Para alguém como Jae-ki um delator assim era uma pessoa do pior tipo. Antes que pudesse se intrometer, o inspetor saiu apontando quem iria para a secretaria, Jae afrouxava a mão para largar Eun-bi com cuidado e se ela precisasse de apoio a ajudaria. Porém de repente o inspetor apontou para ele! Como assim? Terminou se soltar Eun-bi com cuidado e reclamou coçando atrás da cabeça, como sempre fazia quando era acusado, culpado ou não:


- Mwo??! Aishh... Eu não fiz nada!

Não podia ser! A história se repetiria igual na outra escola? Seria culpado de algo que não fez? Se contasse para alguém o quanto tentava não se meter em problemas, ninguém acreditaria, pois os problemas praticamente se atiravam contra ele! Jae-ki logo ficou preocupado, era um bolsista, não podia ser suspenso ou expulso! Por que o inspetor apontou logo para ele? O garoto fez um bico invocado e deixou que Bo-mi ajudasse a amiga.

Enquanto seguiam o caminho para a secretaria, Jae-ki nunca tinha se sentido tão preocupado com isso, era algo normal para ele, já tinha perdido a conta de quantas vezes havia feito o caminho para a direção, quantas vezes havia limpado a escola como castigo... Porém em Wangjo as coisas mudavam. Tinha dado tanto trabalho para conseguir essa bolsa, não podia perder assim tão facilmente. Jae não entendia até que ponto ia a rigidez das regras de Wangjo, mas sabia que ir para secretária não era boa coisa. "Tô ferrado... Tô ferrado... Eles vão escolher alguém para por culpa...Aigoo, não vou deixar colocarem a culpa em mim dessa vez! Eles vão ter que me ouvir!" Suspirava e bufava várias vezes enquanto vários pensamentos agitados passavam por sua mente. Mordia os lábios angustiado. Olhou para Won enquanto caminhavam e murmurou em voz baixa:

- Aishh Won, não podemos ser suspensos...  Isso é tão injusto! Jiral.. Jiral... Já tô vendo tudo, vão por a culpa em mim, não pode acontecer isso... Eu não fiz nada... Mas eles não podem nos expulsar por isso, não fizemos nada, certo?

Em seguida lançou um olhar protetor a Eun-bi, pelo que parecia elas falavam sobre Misoo, tinha algo estranho nisso, elas não sabiam que MiSoo namorava? Então elas omitiam essas coisas das amigas? Logo MiSoo que parecia ser tão contra ele, isso era até um pouco interessante. "Então MiSoo quer escolher os caras que andam com sua amiga, mas não conta sobre seu namorado... Que grande amiga hein ... "

Jae-ki passou a mão no ombro de Won Bin, antes de dar um passo rápido para perto da bailarina, em voz baixa disse para ela:


- Não se preocupa Eun-bi, vou te defender, tô do seu lado.

Voltou a ficar do lado de Won, atrás delas, estava mesmo preocupado. Sabia como era fácil colocarem a culpa nele, mas ao menos deveriam acreditar na Eun-bi. Tinha que tentar se manter calmo, não tinha batido em ninguém, então não podia ser suspenso, podia? Jae-ki vai seguir até a direção com o semblante preocupado, era tão difícil evitar ir para secretária. Porém estava determinado a não sair da sala do diretor sendo culpado, faria ele ouvir a verdade! Ao menos tentaria com muito insistência!
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Won-Bin em Seg Fev 26, 2018 2:14 am


Won já tinha aceitado que seria completamente impossível conseguir passar pelo ensino média sem ser notado. A confusão era como uma furacão e volta e meia ele estava bem no centro dela.

No centro de três garotas se arranhando, puxando cabelo e gritando.

Fez menção de impedir que elas continuassem a puxar cabelo e se arranharem, mas não podia arriscar machucar alguma delas, só lhe restava tomar os tapas acidentais e empurrões. Misoo por exemplo parecia que ia conseguir empurra-lo a qualquer momento e Eun-Bi não desistia de arrancar o cabelo.

"Você achou uma namorada bem esquentada, Jae-ki..."

Olhou preocupado para o arranhão em Misoo e jogou o corpo um pouco mais para trás, criando mais distância entre elas.
Elas continuavam discutindo e Won não entendia muito bem a origem da briga mas o assunto era um tanto claro: essa tal Yewon estava revoltada com Misoo e a chamava de vários nomes.

Fez menção de gritar algo para interferir mas a presença de alguém cortou a chance.

"E se não é a Santa Realeza!?" só depois de tanto tempo alguém mais surgia para interferir.

E ainda fez aquela declaração...Misoo namorada!?

"Bem isso aqui escalou muito rápido. Que!?" e pelo choque dela era uma informação meio inédita para ela também. Será que mantinham segredo até então?

Como da última vez o Inspetor chegava depois de tudo já ter acontecido. Uma escola milionária que só tinha um inspetor que sempre estava ausente.

Jung-Mi trazia a versão que protegia Misoo e Yerin a que protegia a amiga. Compreensível, mas infelizmente ela tinha razão: os dois lados se agrediram afinal.

"Tsc, esse é o tipo de coisa que eu falei pro Jae-ki não fazer porque ia dar confusão. Nós somos os delinquentes mas as garotas protagonizam essas coisas na Wangjo"

-Ótimo, uma visita ao diretor... - isso começaria um hábito de visitas semanais a sala dele?
Fez um sinal com a mão aberta para que Jae-ki não se exaltasse. Era crucial que os dragões se mantivessem calmos se não queriam tomar culpa nessa situação toda.

@Jae-ki escreveu:- Aishh Won, não podemos ser suspensos... Isso é tão injusto! Jiral.. Jiral... Já tô vendo tudo, vão por a culpa em mim, não pode acontecer isso... Eu não fiz nada... Mas eles não podem nos expulsar por isso, não fizemos nada, certo?

-Jae, não. Agora não é hora pra se desesperar. A gente vai contar o que aconteceu e pronto, só isso - respondeu somente para Jae-ki.
Sentia uma calma esquisita como se toda a adrenalina do momento culminasse num momento de claridade em sua mente.

Procurou com o olhar onde Kang estava, se o visse apenas acenaria com a cabeça como um sinal de "está tudo bem".
"Pobre Kang, vai ficar abandonado na sala de novo"

Assentiu com a cabeça para Jae-ki quando ele tocou seu ombro: iriam caminhar diante do general-diretor mas tinham a parceria dos dragões.

Se viu mais uma vez ao lado de Eun-bi e...Bo-Mi. Eram as confusões de seus amigos que os aproximavam tantas vezes.

"Uma surpresa até pra elas. Ou o Jung-Mi inventou isso agora ou ela escondia"

-Por que eu tenho a impressão que nem a Misoo sabia disso? - comentou para Jae, Bo-Mi e Eun-bi - Ela olhou com uma cara tão assustada quando ele disse aquilo...

Mas não era só isso que incomodava Won.

-Mas enquanto rolava ninguém fez nada, só ficaram olhando... - disse mais para si mesmo. Era mais fácil compreender porque tantas coisas ruins aconteciam em Wangjo: a inércia era a perpetuação desses problemas.

Jae-ki parecia determinado a proteger Eun-Bi. Won entendia isso.

"Vou ter de estender os pedidos de calma que faço ao Jae-ki pra essas meninas também..."

Andou até a diretoria com o máximo de tranquilidade que podia, afinal, estava do lado de Bo-Mi novamente e não conseguia tirar esse fato da cabeça.

Queria um assunto para conversar com ela mas a situação era tão ruim que era impossível de novo.
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
206

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por The Crown RPG em Seg Fev 26, 2018 10:40 pm

[HYUN-HEE]

A resposta debochada de Hyun-Hee fez um bico invocado surgir nos lábios de Chaeyoung. A garota ainda encheu as bochechas e cruzou os braços, sem deixar de encará-lo. O garoto já tinha se levantado, mas ela continuava sentada e com as pernas esticadas. O bico não durou muito porque o sorriso cretino a fazia ter vontade de rir. Descruzou os braços e escondeu os lábios por um segundo, engolindo o sorriso e o encarando de novo.

- Duvido. Você? Um bom cozinheiro? - Disse meneando negativamente. - Agora você realmente vai ter que trazer um dosirak da próxima vez. Mas não precisa me dar na boquinha não, eu não sou um bebê.


Fez uma careta para ele, mexendo o nariz no processo. Podia dizer que era uma cozinheira razoável, mas não viu reais motivos para compartilhar aquilo naquele momento. Via mais como um momento para ele falar e se soltar, não ela.

- Certo, a segunda coisa…- E fez o “dois” com os dedos. - Eu me arrependi de ter jogado o broche em você e o quero de volta...por favor.

Começou falando com uma certa dose de arrogância e até mesmo ousadia, mas terminou fazendo uma carinha fofa, demonstrando que não era tão mandona assim. Enquanto ele a encarava de modo enigmatico, ela ficava fazendo mil carinhas, levando as mãos até as bochechas, piscando mais rápido e fazendo beicinho.


- Jebal, jebal~~~ - Quase que cantarolava.

Parou assim que ele começou com aquela resposta. Apoiou as duas mãos no chão, meio que espalmadas e fez um “o” com a boca.

- Mwo!? Você está mentindo! Você não daria minha joaninha para qualquer uma. - Não é? Tinha dito com bastante certeza, mas sabe-se lá o que ele podia fazer na raiva. Ficou encarando de modo apreensivo, até que ele disse a verdade e ela bateu palmas. - êêêêê

Parou de comemorar com a condição.

E isso era até mesmo um pouco engraçado, de certo modo. Hyun-Hee podia ser muitas coisas, mas não era muito esperto - pelo menos ela achava que não. Ele continuava falando de favores e favores, sem perceber que ela nem via como uma dúvida. Afinal, ela mesma tinha dito antes que não cumpriria nenhum acordo, nem nada! E, mesmo assim, ela estava ali.

Por favor?

Não, não era por isso.

Dessa vez foi ela quem manteve o sorrisinho enigmático, mas meneou positivamente.

- Tudo bem. Eu peço desculpas por ter descartado seu presente daquele modo, mas eu estava com raiva. - Simplesmente admitiu, sendo bem transparentes sobre suas emoções.

Levou a mão até a dele, tomando como apoio para se levantar. Ainda apoiou a outra no chão e logo se ergueu, começando a bater na saia e na meia para tirar qualquer poeira. Passou o cabelo para trás, ajeitando as mechas e depois de ter certeza de que estava apresentável, o encarou.

- Você vai pagar? Que gentil, então quero dois Choco Heim. Não me diga que não tem dinheiro pra isso. - Deu uma cotovelada de leve nele e se virou na direção da porta do terraço.

Começaria o caminho de retorno para o refeitório. Com sorte, ela conseguiria comer um antes do intervalo acabar. Mas era mais provável que enfiasse na mochila para depois. Mesmo que o estômago reclamasse, ela não se arrependia. Disso não. Tinha gostado do tempo que teve com ele, além de sentir que pôde ajudá-lo, de alguma forma. Não sabia ou entendia a profundidade de seus gestos porque não pensava muito nisso. Achava que uma boa ação simplesmente precisava fluir, caso fosse calculada, já perdia um pouco do propósito.

Chaeyoung manteria a conversa tranquila, mas não andava muito colada nele. Apesar do abraço que eles compartilharam - e ainda nem tinham visto que a foto já tinha se espalhado pela escola - ela não sabia quais eram os limites e preferia se manter de modo respeitoso.

Enquanto caminhava, ficava mexendo num dos anéis de sua mão esquerda.

Quando chegassem até o corredor dos armários, pelo caminho que tinham adotado antes para irem até o terraço, eles perceberiam algo estranho. A garota parou ao identificar aquele soluço típico de choro e fez uma carinha preocupada. Nem tinha visto ainda quem estava chorando, mas logo se prontificava a ajudar.

[SUNNY]

Os passos de Jung-Mi para se retirar do refeitório junto de MiSoo vinham numa cruel câmera lenta para Sunny. Onde mesmo ela já tinha visto uma imagem como aquela? Ah sim...Ontem, no domingo que parecia pertencer a uma outra realidade ou outra vida. As diferenças das cenas eram muitas...Mas no momento, a magoada bolsista só veria o pior lado de tudo e concluiria o óbvio.

Ele mentiu para ela.

E a feriu mais do que cada uma daquelas agressoras que tacavam ovo, peixe e tinta nela. Não era de hoje que Sunny sabia que os ferimentos que não podiam ser vistos na carne, eram os que mais doíam.

Diferente da leveza que houve na manhã anterior, Jung-Mi carregava uma expressão séria, extremamente fechada e aborrecida enquanto tirava, de modo urgente e protetor, sua namorada dali. Os dois chegaram a se encarar por uma fração de segundos que caberia no infinito. Tanta coisa foi dita...E tantas outras simplesmente passaram, assim como o próprio menino.

Havia firmeza no olhar dele, mas também havia culpa e o eco do que ele dissera a ela no domingo: aquele era o peso do nome Park.


Talvez ela não entendesse o que isso tinha a ver, mas estava ali. As pessoas paravam, as pessoas se agrediam, as pessoas recuavam, tudo por conta de um nome. Alvos eram colocados ou retirados por uma associação ao nome. E era isso que Sunny testemunhava com os próprios olhos agora. Jung-Mi abaixou o olhar, sentindo os ombros carregados, de novo. Não havia espaço para paz ou serenidade, era uma constante guerra interna que, bem de vez em quando, permitia curtas pausas.

Após a partida dele, havia o presente e as pessoas que a cercavam.

Na mesa dela, apenas Lee-Hi conseguia ter uma pequena dimensão do que se passava com a amiga. Afinal, ninguém ali sabia o que tinha acontecido no dia anterior. Nem mesmo Kim, que se aproximou para ter outro tipo de conversa séria com ela, mas foi desarmado com aquela expressão. Antes ele vinha cheio de razão, querendo esclarecer uma história que tinha ouvido, mas diante daquela Sunny tão...perdida, ele apenas deixou isso de lado, por enquanto e ofereceu o que estava ao seu alcance: apoio.

Deu um passo à frente, ficando mais próximo a ela, de modo que ninguém percebesse o quão fragilizada ela estava. Também a apoiou de forma discreta e efetiva para que ela não caísse. Ajeitou os óculos de armação grossa com a mão livre e acenou para as meninas antes de sair com Sunny.

Mal deram dois passos e a pequena começou a disparar de um jeito que não deu para ser muito discreto. Joo-Hyuk respirou fundo e andou o mais rápido que suas pernas doloridas da educação física permitiam. Apesar dele ser alto, tinha um péssimo condicionamento físico. Mesmo assim, por amizade, ele se esforçava. Verdade fosse dita, encontrá-la não foi nada difícil.

Difícil foi encontrar palavras para o que estava por vir.

- Sun...ny? - Arregalou os olhos atrás das lentes grossas, realmente assustado com aquela visão.

Mal conseguia ver os olhos dela e a expressão estava tão contorcida. Será que ela estava passando muito mal? Ele não era burro! Sabia que aquela cena de Jung-Mi tinha mexido com ela. Não tinha acreditado nem em 10% do que ela disse no sábado, só não sabia que...que...bom…

- Você…?


Segurou as mãos dela que agarravam seu uniforme. Logo percebeu que segurar as mãos não seria o suficiente, por isso apoiou os ombros e os braços dela. Conforme ela revelava aquela verdade de seu coração, a mão dele foi fechando mais e mais naquela região. Kim estava travado e prensava os dedos longos no uniforme dela. Seu rosto foi ficando vermelho porque o sangue dele estava engrossando.


Joo-Hyuk não era o tipo de pessoa que alimentava ódio dos outros. Ranço, às vezes, mágoas também...Mas...ódio? Apenas uma pessoa tinha vaga reservada para o ódio, mas agora, com as palavras e, principalmente, o choro de sua amiga, percebia que ele tinha acabado de abrir mais uma vaga.

O queixo dele tremeu puxando um pouco da tristeza de sua melhor amiga para si. Passou a lingua suavemente pelos dentes, entre os lábios e não permitiu que ela caísse. Puxou Sunny para perto, envolvendo num abraço carinhoso e protetor. Queria tirá-la dali, queria levá-la para a casa dela, deixar Tea no colo dela e servir um chocolate quente. Talvez comprar um livro novo para que ela ficasse feliz.


Qualquer coisa!

Mas, no fundo, ele sabia que nada disso adiantaria.

Como ele sabia?

Porque o sentimento era conhecido por ele também. A rejeição, a verdade por ser trocado por alguém superior, alguém que ele nunca seria. Isso doía, feria o ego...Magoava a alma. Kim só conseguia abraçá-la e passar a mão nas costas dela, como se a consolasse.

- Ne, ne…. - Respirou fundo. - Não chore assim, Sunny...Acalme-me.

Pedia, mas parecia mais algum conselho para si mesmo. Sua vontade era correr o pátio atrás daquele imbecil e socá-lo ele desmaiar, mas não podia fazer isso. Fechou os olhos e levou a mão até a nuca dela, permitindo que chorasse o quanto quisesse.

Sem que percebessem, eles logo ganhariam a companhia de outra dupla que estava voltando do terraço. Sunny deu um soluço mais alto que fez Kim soltar um.

- Shh...shh…

- Sunny? Kim?

A voz de Chaeyoung foi ouvida no fim do corredor. Ela vinha acompanhada de Hyun-Hee, mas assim que identificou os dois, correu até eles, adiatando-se da frente do garoto.

- O que você tem? O que aconteceu??

Kim meneava negativamente, ainda protegendo Sunny, mas não conseguia falar.

- Vocês se machucaram?

- Ani…Mas… - Olhou para Hyun e então para Chae de novo. Chae ficou revezando o olhar entre Kim e Sunny, verdadeiramente preocupada com os dois.

[DONG]

O silêncio logo foi interrompido pelo murmurinho das mesas, tão logo o grupinho foi retirado do refeitório. Ha-Neul fez um “phew”, arregalando os olhos fofoqueiros e se ajeitando na cadeira. Min-Ho continuava com a expressão emburrada, bem aborrecido com aquelas cenas. So-Na parecia indiferente e Ui-Jin estava bem encolhido, mexendo no celular. Kim pediu licença, indo até Sunny de uma vez.

Dong poderia perceber que algo estava errado com a nova amiga de Stella e que aquilo foi o suficiente para mudar a expressão dele. Os dois logo saíram - ou ele saiu acelerado de Sunny - e não demorou para que a própria Stella se aproximasse.

Como não imaginava que Dong estava um pouco aborrecido com ela, a canadense parou ao lado dele, na mesa redonda.

- Dong-shi… - Cumprimentou e olhou para os outros. - Oi, meninos... - Acenou, mas foi um pouco mais respeitosa com Ha-Neul e Sona por conta da diferença de idade.

Ui-Jin acenou de volta, Min-Ho fez a cara de sempre e Ha-Neul sorriu.

- Bom dia, Stella-shi! Como vai? Já conhece a Sona-shi, não é?

Sona a encarou quando foi mencionada e as duas trocaram um breve olhar amistoso.

- Sim, conheço a unnie. - Sorriu para ela - Como vocês estão? Sua perna está melhor, Dong-Shi?


- Machucou a perna, Dong? - Ha-Neul ficou um pouco preocupado.

- Eu não disse que ele caiu? - Min-Ho retrucou.

- Mas a ponto de se machucar? Caramba!! - Ha-Neul comentou. - Ei, Stella-shi, chama a Lee-Hi e a amiga dela pra sentar aqui também.

- Por que? - Min-Ho não conseguia conter a lingua.

Sona o encarou, achando aquele menino uma incógnita. Porém, Ui-Jin também estava se perguntando isso e acabou enfiando ainda mais a cara na mesa. Não bastava Sona e Stella?! Ainda queriam chamar as outras meninas mais velhas?

- Ah, não tem problema… - Stella ficava desconfortável com Min-Ho, mas na verdade estava ali por Dong e ainda esperava pela resposta dele. - Ahm...A gente nem conseguiu ficar muito tempo na biblioteca. Eu recebi a foto que viralizou e aí Sunny ficou muito preocupada com a unnie…

Chaeyoung, no caso, mas como ela estava de costas, talvez fosse um pouco difícil reconhecer.

- Você chegou a pegar o meu chá? - Colocou uma mecha de cabelo atrás da orelha.


Os olhares de Min-Ho e Ui-Jin foram direto para a latinha que Dong estava bebendo e acabou atraindo a atenção de Stella. Ela arqueou uma das sobrancelhas e o encarou de novo.

[MISOO]

A própria MiSoo tinha sido pega de surpresa com aquela história. Convenhamos, quem não seria? Porém, as reações dela, ao invés de levantarem suspeitas, apenas pareciam confirmar tudo. Do jeito que as coisas seguiam, a tenista parecia desesperada porque não esperava que tudo aquilo fosse vir à tona agora, como se Jung-Mi a surpreendesse por contar a verdade. Ninguém estava pensando que ela estava chocada por ser uma mentira.

Pelo menos não num primeiro momento, claro que depois que a poeira baixasse - se é que um dia baixaria - poderiam começar a pensar em outras possibilidades. Mas agora, não tinha como pensar diferente.

Até porque estava tudo ali, tão nítido e óbvio que apenas um cego não perceberia!

Havia a história do bonsai, a implicância que ela tinha com ele e que sumiu depois das férias, as conversas em privado que eles tinham...o jeito que ele a defendera na sala. E a última vez que foram vistos juntos, entrando no refeitório. As pessoas só não enxergaram porque não quiseram! Aquilo era muito óbvio.

Gyu-Sik foi uma das pessoas que não quis enxergar.

E agora que tudo se desenrolava bem diante dele, o garoto nem ao menos sabia como reagir. Via as exclamações e a vergonha de MiSoo, mas aquilo, de algum modo, só alimentava o sentimento negativo que crescia dentro dele. Não conseguia entender como tinha sido tão burro por achar que...ao contar certas opiniões para Jung-Mi, aquilo só atrairia a atenção do Park para com MiSoo.

Por que ela tinha omitido aquilo? Por que ela queria que eles fossem mais próximos?

Ela era tão cruel assim? Será que ela era...egocêntrica e somente agora Gyu-Sik percebia? Bem que MiSoo gostava de um elogio, talvez ajudasse a alimentar o ego crescente dela. Só não imaginava que ela fosse capaz de agir assim com pessoas que queriam o bem dela e sempre estiveram por perto.

O garoto nem ficou para ver o desfecho. Antes mesmo que Jung-Mi a puxasse e esbarrasse com o inspetor, ele deu meia volta e saiu do refeitório pela lateral. Ryu-Ji estava travado, sem saber para onde ir: com Gyu-Sik, para a diretoria, cuida de Bomi. Como viu que a gêmea de seu amigo estaria acompanhada das amigas, ele seguiu até Gyu-Sik. Não tinha entendido porque Jung-Mi fez aquilo! Que traição!!

Talvez MiSoo não tivesse reparado nas expressões de Gyu, mas ele não estaria lá quando ela pensasse em procurá-lo também. Na verdade, ela estava tão atordoada que nem reparou nos outros olhares. Muito menos no de Sunny, muito embora Jung-Mi tivesse encarado a bolsista mais do que aos outros - como ele seguia na frente, era até um pouco difícil prever isso também.

MiSoo e Jung-Mi foram os primeiros a saírem do refeitório, deixando os outros dois grupos para trás, aos cuidados do inspetor. O novo casal não percebia, mas pelo ritmo que andavam, estavam praticamente correndo - eles eram atletas, mesmo não tendo o melhor físico de todos. Tinham ganhado uma distância considerável dos outros e a tenista ainda não via a expressão de Jung-Mi.

Aquele dia estava testando todos os limites dele e Jung não sabia até quando conseguiria conter o que vinha guardando dentro de si.

Conseguia filtrar as perguntas iniciais dela, mas assim que MiSoo falou de Hyun-Hee, o garoto parou no meio do caminho para o prédio da diretoria e virou-se para MiSoo. Com a brusca parada, a tenista bateria contra ele, mas seria amparada pelos ombros.

- ….. - Jung-Mi a encarava com o maxilar bem tenso e os olhos vermelhos com sentimentos conflitantes - Vingança. Você acha que eu faria isso por vingança?


Perguntou com cuidado e isso era muito perigoso porque havia uma fúria prestes a ser libertada ali, mas ele continuava falando de...modo...muito...calmo.

- Considere um retorno. Vingança é muito forte. Se você não sabia da minha situação com Park Hyun-Hee, é porque realmente me julgava sem nem ao menos me conhecer. - Engoliu em seco, cerrando um pouco os olhos. - Eu fiz o que precisava ser feito, mas não se preocupe, essa situação que parece embaraçosa e impossível demais para você, não será para sempre. É só até essa fofoca baixar.

Dizia isso porque MiSoo parecia consternada demais por ser a namorada dele. E, bom, não seria a primeira menina a rejeitá-lo, ele até que sabia lidar com isso.

- Você não precisa gostar de alguém para fingir que namora. E eu também não abusarei do título, não tema por isso. Eu só quero te proteger…


Mas ao dizer isso para MiSoo, ele a olhou de modo diferente. Porque ao falar a última frase, não foi o rosto da tenista que ele viu e sim o de outra pessoa.


O herdeiro pareceu sofrer com aquilo e deixou, finalmente, uma expressão de sofrimento. E isso poderia levar a outro tipo de interpretação para MiSoo: será que ele realmente estava gostando dela e sofrendo com uma possível reação negativa dela?! Era uma das possibilidades para ela pensar. Outra que poderia pensar era numa espécie de sacrifício…

Jung-Mi suspirou, fechando os olhos e engolindo em seco. Ao erguer os olhos, via os grupos separados que se aproximavam.

- Vamos. Você tem que se defender na diretoria. - Deslizou a mão do braço até a mão de MiSoo, não o pulso, dessa vez, e continuou a caminhar.

Virou-se de costas para ela e passou a mão pelo rosto.

[HYEMIN]

O grupo de Hyemin seguia na frente do quarteto, o inspetor ia entre os dois grupos para que eles não entrassem em conflito de novo. Yewon olhou de modo ameaçador para Eun-Bi e logo arrancou à sangue frio o resto do megahair dela, voltando a ter o cabelo channel.

Quando Hyemin se aproximasse de Yerin, veria que a melhor amiga estava bastante estranha. Os olhos dela sempre tão opacos e sem vida, carregavam um brilho poucas vezes visto. Era uma expressão...de riso. Mas Yerin escondia os lábios e ajeitava o cabelo. Logo se ocupou em abraçar o braço de Hyemin e seguir com o grupo.

As quatro meninas passariam pelas mesas de Sunny e Dong, mas ninguém chegou a se encarar. Hayoung ainda estava escondendo o olho que tinha machucado e não chegou a falar com o primo também. Ao chegar na porta, Hyemin veria Ji-Ran segurando o braço de Mi-Ran e Taemin com cara de riso. Diferente de Yerin, ele nem escondia que tinha achado aquela cena hilária.

A rainha de gelo fechou os olhos, abaixando a cabeça porque não estava aguentando ver Yewon com todo aquele cabelo pendurado. Era ridículo demais!

Fez um carinho na mão de Hyemin, a tranquilizando. Elas não tinham feito nada de errado! Só tentariam atenuar a pena de Yewon, porque, no fim das contas, elas ainda precisavam umas das outras.

- Que humilhação, eu não to acreditando nisso! - Yewon diminuiu o passo e começou a desabafar com algumas lágrimas no rosto enquanto ajeitava o aplique. - Que ódio!!

Yerin respirou fundo e disse com a voz sem nenhum resquício de risada.

- Você foi muito precipitada, Won-Ah. - Falou o óbvio. - Mas pelo menos agora você sabe a verdade.

- E o que isso me adianta?! Eu tô revoltada!!

- Namoros acabam, sabia? - Yerin disse de modo simples. - Eu só acho que já temos problemas demais para lidar. Se bem que…

Yerin olhou para trás por um instante e começou a fazer cálculos mentais.

- As amigas de MiSoo andam bem coladas com os bolsistas, não? - Ponderou. - No fim, eu acho que seria questão de tempo até algo do tipo acontecer. Mas tanta coisa interessante aconteceu ali…

A rainha mordeu o lábio internamente.

- Você ao menos pode fingir que se importa e tentar me consolar?!

- Querida, eu estou trabalhando nisso agora! Se você fosse um pouquinho menos idiota, talvez percebesse isso!

- E o que exatamente você está fazendo pra me ajudar?!

- Você tá com muita raiva, não é? Mas já percebeu que um confronto direto não dará certo, eu espero…

- Se eu pegá-la sozinha, com certeza acabo com ela.

- E quantas vezes você a vê sozinha?

- Nunca.

- Então...Primeiro você tem que deixá-la sozinha, Yewon-Ah…O que aquela escandalosa mais parece gostar nessa vida?

- Tenis. Jung-Mi.

Yerin revirou os olhos, meneando negativamente.

- As amigas. - Deu logo a resposta, porque achou que ficariam mil anos ali até Yewon colocar o cérebro pra funcionar.

- Mas a gente já não vai prejudicar as amigas daquela insolente?

- Quem disse que vamos machucar as meninas? Tsc, tsc... a gente vai...mostrar quem a MiSoo é de verdade e separar o grupo.

Yewon parou por um instante, levando as mãos até a boca. No impulso, ela foi até Yerin e a abraçou. A rainha fez uma cara “o que?!”, mas deu um tapinha no ombro dela antes de empurrá-la porque odiava contato físico assim.

- Você é tão inteligente, amiga! Eu sabia que você daria um jeito…

- Eu sei. Sobra em mim, falta em você - Suspirou, meio cansada. - Só controle esse ódio e aceite a punição que te derem, entendeu?

O grupo ficava naquele diálogo aos cochichos. Elas eram verdadeiras cobrinhas que se comunicavam sibilando. O inspetor andava mais atrás, preocupado em separar os dois blocos, não prestava atenção no que diziam.

Uma vez que Yewon tivesse entendido como proceder, Yerin abraçaria o braço de Hyemin de novo - o único contato físico que ela gostava.

- Fique calma, você só precisa dizer o que aconteceu. Yewon bateu, mas as outras foram muito, muito mais agressivas, hm? É só isso o que tem que dizer. Não precisa dizer o motivo principal.

Que estava entrando no prédio principal naquele exato instante, acompanhado de MiSoo.

[WON E JAE]

Jae-Ki ainda segurava Eun-Bi antes da chegada do inspetor. A bailarina estava mesmo furiosa, apesar da dor que sentia no pé. Tanto que estava com os olhos mais marejados e o rosto vermelho. Quando percebeu que o garoto gritava aliando-se a ela, Eun-Bi ficou um pouco mais calma e menos resistente ao toque dele.

- Ela enfiou o salto no meu pé… - Resmungou quase fazendo beicinho, numa imagem oposta à violência anterior.- Doeu…

Disse o óbvio e agora Jae-Ki gritava por ela.

De certo modo, achou bem fofo. Completando a situação, ela ainda estava carregando um pedaço do aplique de Yewon. Era uma cena e tanta mesmo.

A chegada de Jung-Mi e aquela revelação toda, mudou bastante o contexto. Bomi não tinha se envolvido fisicamente, ainda mais depois de ser empurrada, mas agora parecia atordoada. Não por gostar de Jung-Mi ou coisa do tipo, mas sim porque…MiSoo nunca tinha dito nada! E...e oppa?!?!

Jung-Mi puxou MiSoo para fora dali, mas encontravam o inspetor no meio do caminho. No fim das contas, os dois grupos estavam indo para a diretoria. Alguns iam pela segunda vez em menos de uma semana!!

Como o inspetor mandou que Jae-Ki soltasse Eun-Bi, ela começou a se aproximar de Bomi e as duas seguiram de braços dados e carinhas emburradas. Quando Won olhasse para a mesa, veria Kai comendo as frutas de Jae-Ki, assistindo tudo aquilo com uma cara divertida e Kang fazendo um belo de um “facepalm”.

E a história de não serem mais dragões retardados!?

Que tal dragões que escapavam de tretas?!

Como se não bastasse, quando passassem pela porta, ainda seriam encarados por Taemin e Ji-Ran. O loiro parecia achar graça, apesar de imaginar que não sobraria para nenhum dos dois. Só era mesmo divertido vê-los rumando para lá e tão tensos assim.

Enquanto as duas caminhavam na frente, elas conversavam sobre a história de Jung e MiSoo. Foram interrompidas com a aproximação de Jae-Ki. Eun-Bi olhou para ele e sentiu as bochechas corarem. Acompanhou com a cabeça, olhando para trás e disse.

- Obrigada… - Mas por que ele não estava andando ao lado dela?!

Aish, garoto tonto!

Já Won, perceberia que Bomi estava bem chateada. Ela virou levemente a cabeça para ele também, mas meneou negativamente.

- Será que era porque não sabia mesmo?

- Bomi-yah…- Eun-Bi a encarou.

- Ela abriu espaço para duvidas, Eun-Bi-yah…

- Mas eu ainda prefiro acreditar nela…

Bomi virou a cara, respirando fundo e formando aquela expressão séria de novo.

- Desculpa, meninos, vocês não tem nada com isso… - Disse mais para explicar o humor dela.

Quanto ao comentário de terem ficado só olhando, elas pareciam agir como se fosse bem...normal isso acontecer. Não parecia nenhuma novidade…

[DIRETORIA]
(Sala da Srta. Yang)

A senhorita Yang observava todos aqueles rostos que estavam diante dela, em sua sala. A sala era confortável, mas ficou apertada com todas aquelas presenças. Umedeceu os lábios e olhou para o inspetor Cha.

- Briga no refeitório, Srta. Yang. Yeun MiSoo, Soo Yewon e Choi Eun-Bi estavam se batendo.

A Srta. Yang olhou para as três senhoritas.

- E os outros?

- Testemunhas.

Yang fez uma cara de “é sério isso?!”. Para testemunhar precisam de quantos?! Ela cruzou os braços de novo.

- Park Jung-Mi, Oh-Yerin e Hwang Won-Bin ficam junto das três. Os outros podem esperar lá fora. Caso eu precise de mais testemunhas, eu chamo.

- Esse não? - O inspetor apontou para Jae-Ki.

- Por que eu o manteria aqui, Inspetor Cha?

- Ele estava agarrando a Choi Eun-Bi.

- Agarrando? - Arqueou uma das sobrancelhas.

- Me segurando, Srta Yang! Segurando! Para que eu não batesse mais nela e…aishhh

Bomi deu um beliscão nela para que calasse a boca, ela já estava se acusando! Hayoung meneou negativamente.

- Certo. Então ele espera lá fora junto de Seo Hyemin, Dong Hayoung e Yoon Bo-Mi. Podem ir.

Fez sinal para que se retirassem. Quando saíssem, ela olharia para MiSoo.

- O que tem a dizer, Srta. Yeun?





> Dong, você decide se foca na interação da sua mesa ou se vai reparar nas pessoas que estão no refeitório tbm. Os que saíram foram: Hyemin, Jaeki, Won, MiSoo, Jung, Bomi, Eun-Bi, Yewon, Hayoung, Sunny, Kim, Gyu-Sik, Ryu-Ji. Fora Hyun e Chae que já estavam fora. Mas ainda tem npcs ali que você pode querer prestar atenção. Se for o caso, indique que tipo de pessoa, expressão ou reação você tá procurando.

> Depois da MiSoo, o Won pode falar, se quiser, mas pretendo responder rapido i.iv

> Hyemin e JaeKi estão do lado de fora, podem interagir

> Metade do turno ficou sem foto pq eu to correndo :BBBBBBBB e queria postar hoje >DDDDDDD
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1244

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Convidado em Ter Fev 27, 2018 1:31 am

Era difícil prestar atenção quando tantas coisas tão esquisitas, malucas, irritantes, aconteciam ao mesmo tempo!! E também era ainda mais complicado quando se estava morrendo de vergonha daqueles olhares julgadores. As pessoas que importavam agora lhe veriam como uma mentirosa!! Como lidar com isso??

Não. O que esse garoto tinha na cabeça agora?? Para MiSoo a atitude dele não tinha quase sentido nenhum, ao menos que fosse uma vingança! Só poderia ser!

A garota esperou por as perguntas em ordem na cabeça e, após falar com o inspetor, começou sua busca para conseguir compreender o que era tudo aquilo… Estava ansiosa demais para analisar o que acontecia, mas precisava desesperadamente saber por qual motivo PRECISAVA passar por uma mentirosa na frente dos amigos. MiSoo ainda tinha um pouco daquela raiva acesa por Yewon queimando em seu interior.

Mas, de repente, Jung Mi parou no meio do caminho e MiSoo só percebeu quando deu de cara nele e em seguida o garoto a segurou pelos ombros.

A garota o encarou de volta com uma expressão muito séria e descontente. Sabia que aquele ato repentino dele de precisar a encarar não podia ser um sinal de uma resposta muito boa. Estava pronta para  ouvir aquilo que mais temia.

- Eu não vejo porque alguém, porque qualquer um tomaria tal atitude. - respondeu de modo firme, fitando aqueles olhos avermelhados sem fraquejar.

Se preocuparia com aquela expressão depois que entendesse o que raios estava acontecendo!

- Retorno… - torceu os lábios, bastante incomodada com as novas atitudes do amigo.

Se estava irritado ou decepcionado com ela que falasse em sua cara em vez de vir com joguinhos idiotas e incompreensíveis! MiSoo não fez por mal e não tinha ideia do que ter lhe julgado anteriormente tinha a ver com isso! Seus colegas não eram seu irmão! Não tinham nada a ver com isso! MiSoo não saia ignorando ou sendo indiferente às pessoas à sua volta porque estava irritada com sua família. Ninguém naquela escola tinha nada a ver com o que acontecia com ela.

- Você fez o que precisava ser feito? - repetiu as palavras dele mais uma vez - Você precisava mentir? - mordeu os lábios com força e franziu as sobrancelhas,mas não desviou o olhar.

- Escute, Jung Mi-shi. - continuava com a firme expressão séria, mas os olhos davam algum sinal de fraquejar quando as lágrimas os faziam brilhar com maior intensidade - Eu peço desculpa pelo que fiz mais cedo e agradeço por você querer me proteger. - engoliu em seco e, em seguida, respirou fundo, se esforçando para não deixar as lágrimas escaparem - Mas eu não preciso, eu NÃO QUERO que alguém finja algo que não sente para me proteger! Eu não preciso da proteção de ninguém! Por que vocês todos acham que precisam arriscar o próprio pescoço, brigar, inventar ou mentir quando algo acontece? - aumentava o tom, pois as palavras entaladas PRECISAVAM atravessar sua garganta - Eu não preciso que ninguém tenha pena de mim à ponto de precisar FINGIR ser meu namorado! Eu não preciso da proteção do seu nome e não preciso que achem que fico escondendo esse tipo de coisa! Eu já lidei com coisas MUITO piores! Aquela garota não é nada! É só uma mimada que acha que o nome e o rank dela podem resolver tudo! E você está fazendo igual á ela! - agora era impossível segurar as lágrimas e MiSoo abaixava um pouco o rosto para limpá-lo com a manga, retornando o discurso em seguida, tentando manter a mesma postura - Pode ser que ninguém nuuunca goste de mim, mas mesmo assim vou continuar abominando uma atitude dessas! Uma mentira! E criada sem nem ao menos me consultar! Eu não sei o que passa pela sua cabeça, mas se quiser fazer algo, que seja do modo certo!! Suas intenções podem até serem boas, mas não justifica usar o nome dos outros ao bel prazer!


Tinha ignorado o modo com a olhou, pois dentro dela tinha mistura a centelha de raiva que ainda queimava silenciosamente e a impulsividade que ouvir os motivos da mentira lhe davam. Só depois de terminar de falar é que perceber o sofrimento no rosto dele e recuou um pouco, começando a se arrepender de ter aberto a boca para falar demais.Não sabia mais como interpretar aquilo… Tinha falado tanto e de modo tão ríspido... Tinha magoado ele com suas palavras? Mas também estava magoada…

MiSoo deixou os ombros caírem e tentou se afastar mais, mas ele a segurou pela mão, dizendo que deveriam ir à secretaria.

Não. Ainda estava muito incomodada com a atitude dele para aceitar que segurasse sua mão. Ela podia ter feito uma possível briga estourar entre os irmãos, mas seu ato não tinha sido intencional, não queria ninguém ferido com aquilo. Mas uma mentira era desferia com consciência… E no caso dele, provavelmente inconsequência!! Quem era a pessoa inconsequente e impulsiva ali!?? MiSoo apreciava a proteção que os amigos queriam dar uns aos outros, mas não daquele jeito, atropelando todo mundo, pensado de um modo completamente egoísta. Um namoro não era uma mentira pequena que podia até ser ignorada. Era algo sério. Envolvia os sentimentos das pessoas. Definitivamente não era um fingimento que a tenista apreciaria.

MiSoo desvencilhou a mão da dele em um gesto brusco, sem olhar mais para o rosto de Jung Mi e disparou na frente, esfregando o rosto mais uma vez, lutando contra as lágrimas e respirando fundo para reaver o controle. Já não bastava a marca vermelha no rosto, teria os olhos na mesma cor? Não podia aparecer assim na frente do diretor e do resto do pessoal, mas… Já estava na porta diretoria. A garota engoliu em seco, apertou os punhos e encheu bem os pulmões de ar mais uma vez antes de ser a primeira a entrar. Não sabia porque estava tão mal, mas sentia o arrependimento de suas palavras à Jung Mi lhe sufocarem agora. Pela segunda vez falava daquele jeito com ele. De modo agressivo, despejando tudo o que estava pensando e sentindo no momento. Era mesmo impossível controlar toda sua impulsividade… Mas e se ele realmente sentisse alguma coisa por MiSoo?? A garota não conseguia acreditar muito, mas se fosse mesmo uma possibilidade, tinha provavelmente o feito mudar de ideia agora…

Ela entrou na diretoria falando em murmúrios, cabisbaixa e de ombros caídos. Completamente derrotada por si mesma. Era muito mais fácil lidar com o bullying que sofria do que com a tristeza causada por um amigo.
MiSoo sentou-se em uma cadeira enquanto esperava os outros chegarem e uniu as mãos sobre as coxas, segurando-as intensamente para tentar conter a ansiedade que crescia tanto que parecia que transbordaria à qualquer momento. A atenção ficava nas mãos, nas unhas que quase atravessavam sua pele.

Quando todos já estavam lá, MiSoo mantinha a mesma atitude. Controlando as unhas e as lágrimas. Mantendo a respiração calma. Desejando que aquilo acabasse logo. Com vergonha de erguer os olhos para as próprias amigas. EunBi tinha acabado de confessar o que sentia pelo bolsista… Como ela veria MiSoo se acreditasse que sua melhor amiga escondia algo tão importante assim? Estavam juntas desde sempre. A única coisa que MiSoo realmente escondia era toda a pressão que sua mãe recentemente começou a depositar sobre a caçula. Não conseguia mentir para ela, para nenhuma delas, só que nesse caso temia que contar poderia causar um problema ainda maior! Não tinha contado também do dia anterior… Mas… Meio que não sabia como fazer isso sem falar sobre o que a mãe fez… E queria antes se certificar que as amigas não ficassem sabendo do inferno que sua casa continuava sendo mesmo depois de MinJi ir embora.


Mas… Estava sendo injusta com todos eles, não? Principalmente com Jung Mi, depois de tudo o que acabou por dizer…

Ouviu as conversas entre a vice-diretora, o inspetor e os envolvidos em silêncio, apertando os lábios quando ouviu EunBi praticamente se denunciar, mas não olhando para ela.

Só quando a pergunta foi dirigida à ela que MiSoo ergueu a cabeça e olhou direto para a Srta. Yang, ainda brigando com aquele maldito choro que teimava em querer escapar por seus olhos.

- YeWon apareceu de repente… - contava em uma voz embargada e fraca - Apertando todos os botões da máquina de bebidas após eu ter colocado o meu dinheiro e gritando nomes horríveis contra EunBi e eu. - a raiva tinha ido embora, não conseguia se irritar por relembrar de toda a cena, estava se sentindo decepcionada demais consigo mesma para se importar com a atitude ridícula de Yewon - E começou a me empurrar. - parou por aqui, baixando o rosto de novo.

Não sabia o que dizer sobre EunBi. Ela tinha acabado de se dedurar e ainda tinha mesmo arrancado o cabelo da cobrinha. Queria fazer algo por ela… Mas o quê?

- A EunBi não tem culpa de nada… Mas as palavras da Yewon foram muito vergonhosas e difamadoras. Foram mentirosas. - virou o rosto em direção à amiga, sem conseguir conter a dor no olhar - Se alguém deve ter culpa de algo aqui, sou eu. Eu fui a causa de toda essa confusão. Eu sinto muito. - não estava se referindo exatamente à briga, mas… - Pode me punir, Senhorita Yang…


Tinha feito a amiga brigar, o amigo mentir… Era definitivamente a culpada por fazer as pessoas próximas de si acreditarem que era alguém tão frágil a ponto de precisar de tudo aquilo. Não se importava com o que os outros diziam. Era nisso que acreditava.

Tinha pedido para ser a pessoa que levava a punição, mas começou a sentir-se ainda mais agitada quando se lembrou que os pais seriam avisados sobre isso. Não tinha preparo algum para lidar com eles também depois de uma manhã tão desastrosa! Precisava tentar algo...

- E... Ahn... - precisou tomar um pouco de coragem para avisar o que queria na frente de todas as testemunhas, puxando as mechas do cabelo para frente do corpo e alisando-as compulsivamente, enquanto mordia uma porção interna dos lábios - E peço que, se forem ligar aos meus pais, liguem para minha halmoni, por favor Não quero incomodá-los no meio de seu trabalho logo pela manhã com algo assim... - também não deixava de ser verdade que preferia não atrapalhar ninguém, mas era melhor que fosse sua halmoni à ouvir o que tinha acontecido na escola, não queria ter ainda mais punições do que já estava tendo naquele dia.


Última edição por Mi Soo em Ter Fev 27, 2018 7:10 pm, editado 1 vez(es)
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Jae-ki em Ter Fev 27, 2018 8:56 am

Jae-ki estava preocupado e ao mesmo tempo enfurecido, ver Eun-bi assim tão tristinha, tão "frágil" e machucada o fazia ansiar por querer se vingar de Yewon. Mas teria sua chance depois, agora não dava mais porque estavam seguindo o inspetor. Enquanto conversavam no caminho, Jae tentava manter a calma. Não sabia como eram as regras de Wangjo e por isso acabava pensando no pior. Mas ainda assim, sua mente pensava em proteger Eun-bi. Não sabia se ela já tinha ido para a diretoria antes, mas seu lado protetor queria tranquilizá-la, por isso se aproximou e disse aquilo.

Antes de voltar ao lado de Won ouviu o obrigada dela, isso o fez deixar escapar um sorriso no canto da boca. Won Bin parecia otimista e tentava acalmá-lo. Won também levantava algumas dúvidas sobre Misoo. Pela respostas das garotas, dava para ver que Eun-bi gostava da amiga, porque preferia acreditar nela. Jae no entanto era mais neutro e não ficava surpreso com a possibilidade de Misoo ter omitido isso. Preferiu não comentar sobre o assunto, já que não tinha notado a expressão de MinSoo e nem queria se meter na amizade dela com Eun-bi. Quando Won comenta sobre ninguém ter feito nada, Jae simplesmente o responde:

- Sério que tá surpreso com isso? A maioria não tá nem aí mesmo...

Jae se perguntava em que lugar seu amigo tinha vivido, sabia como o amigo era bonzinho demais, e o achava meio ingênuo por esperar o melhor das pessoas. Quando entraram na sala da direção, Jae-ki viu um rosto familiar, o da senhorita Yang. Isso o lembrava que ainda não tinha pagado sua dívida. "Aishh... Eu ainda tô devendo... Isso não vai ser bom..." Era até estranho o quanto a presença dela começava a se tornar familiar para Jae-ki, esperava que isso fosse só passageiro, logo pagaria sua dívida e não teria nada haver com essa mulher. Não deixaria acontecer como na outra escola. O inspetor explicava quem estava envolvido na briga, mas quando ouviu a escolha da Senhorita Yang ficou surpreso! Como assim ele ficaria do lado de fora?! Foi tão fácil assim?

- Mwo?

Até o inspetor apontou para Jae-ki, e quando ele disse o motivo, Jae arregalou os olhos! A forma como ele falava o fazia parecer um pervertido! Mas a bela Eun-bi logo respondeu explicando o que tinha acontecido, porém acabou se entregando ao mesmo tempo. "Aishh Eun-bi.. Não precisava falar tanto... Mas valeu por me defender..." Jae sentia pela bailarina, ela parecia realmente encrencada, tinha tanto que ensinar a ela, principalmente como falar com gente da direção, não que ele fosse muito bom nisso, já que na maioria das vezes se dava mal de qualquer forma. A senhorita Yang continuou com a ideia dele sair! Mas como defenderia Eun-bi assim?

- Mas eu vi tudo, essa garota pisou no pé machucado na Eun-bi! E... - Parou de falar ao notar a expressão da Senhorita Yang, não podia abusar da sorte, caía a ficha de que tinha se dado bem, então engoliu o resto de suas palavras e assentiu - Eu tenho sair que né? Araso...

Jae-ki iria insistir mais, porém já tinha se livrado da confusão, pelo menos era o que parecia, e não podia arriscar, ele era o que menos podia ser suspenso, ele e Won, já que eram bolsistas, além disso pela cara da senhorita Yang percebeu que tinha que sair mesmo, então foi a contra-gosto, antes de sair, passou a mão no ombro do amigo ao passar por ele o lançou um olhar demorado, um olhar de sobrancelhas franzidas como se estivesse implorando. De certa forma tinha sido uma boa coisa sair da diretoria, estaria calmo e comemoraria se não fosse por Eun-bi estar ali presa e precisando da sua ajuda. Era até estranho como ele tinha se livrado tão facilmente! Logo lembrou de Kang e pensou como seu amigo diria: Era um milagre! Do lado de fora, estava aflito, seu amigo estava lá dentro e principalmente Eun-bi estava. Logo depois de sair já reclamava com Bo-mi, já que era a única que ele conhecia do lado de fora:

- Aigoo! Nem acredito que me livrei... Essa foi fácil demais... Eu me livrei né? Mas eu queria tá lá para defender ela! Acha que a Eun-bi vai se dar muito mal? Como castigam os alunos aqui?

Pelo menos Jae-ki acreditava que Eun-bi não seria expulsa, ela era rica, a senhorita Yang não faria uma coisa dessas com a bailarina certo? Mas e se ela fosse castigada? Parecia tão injusto, não sabia quem começou primeiro, mas era muito fácil para ele ficar do lado de Eun-bi, mesmo se fosse ela que começou, com certeza tinha boas razões para isso. Podia imaginar a bailarina com o pé machucado e triste tendo que passar por um castigo, isso não podia acontecer! Ainda bufando de raiva, avisou a Bo-mi:

- Toma conta, vou tentar ouvir o que tão falando...

Jae grudou o ouvido na porta, tentava ouvir alguma coisa,  estava nervoso e queria ouvir o que iam falar da sua bailarina. Esperava que Won Bin fosse esperto para resolver isso, acreditava no amigo, já tinha visto as habilidades dele quando mentiu pra salvá-lo do próprio pai policial. Então tinha esperanças que Won conseguiria de novo. "Vamos Won, desenrola isso..." Porém nem demorou um minuto assim, pois seus olhos pararam nas outras garotas, Hyemin e Hayoung. " Aigo... Essas devem ser as amiguinhas daquela colle que machucou a Eun-bi..." Jae-ki não ficaria quieto, se desgrudou da porta, e disse com uma voz bem carregada de sotaque das ruas:


- Ya, vocês são amigas daquela garota não é?

Em seguida andou até elas, se esticou para olhá-las mais de cima e de uma forma intimidadora disse:

- Olha se algo acontecer com a Eun-bi... Eu não vou ficar só olhando, não estão indo contra ela, mas contra mim. E vocês não vão querer comprar briga comigo... Não vai adiantar chorar depois... Então é melhor começar a torcer para Eun-bi não ser castigada. E nem pensem em se meter com ela de novo.   
avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
253

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 3

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 13 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum