Fórum destinado a grupos fechados de RPG


    [Nádia DeWitt] - Beast

    Compartilhe
    avatar
    Tellurian

    Mensagens : 96
    Data de inscrição : 02/02/2018

    [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Tellurian em Qui Mar 01, 2018 10:18 am

    I will be right to you
    And together we can
    stand up to the beast
    You see… suppression
    is a motherfucker prison
    So I hand you the key to your cell
    You've got to love you neighbor
    Love your neighbor
    And let your neighbor, love you back

    Beast - Nico Vega



    O dia de Nádia mal tinha começado e seu celular apitava recebendo uma mensagem:

    COÉ RAPAZIADA! Sammy na área
    Sussurra-no-Vento tá chamando nóis pro CAern hj a noite

    VAMO BOTAR PRA QUEBRÁ OU NEM?

    Não era a mensagem que esperava receber naquela manhã, verdade seja dita, manter aquela 'vida dupla' estava a cada dia mais cansativo. Nádia sentia a divisão dentro de si: existia aquela parte instintiva, talvez genética e mística que sabia precisar fazer parte de toda aquela coisa. Tudo ligado a Nação Garou e ao seu dever como Garou, seu dever como Cria de Fenris; existia um pequeno 'lema' na sua Tribo de defina exatamente como se sentia às vezes: Entre os Crias de Fenris você NÃO é livre para fazer o que quer.

    Era verdade. Essa era a outra parte de si, a que queria se ver livre para fazer o que quisesse, para viver sua vida, tocar suas músicas e ser apenas uma jovem adulta 'normal', mas não podia. Nádia não era livre para fazer o que quisesse e não apenas em sua Tribo, mas na sua essência.

    Porém, além da mensagem de Samuel, havia outra ainda menos interessante: uma mensagem de Munin, avisando que Nádia deveria ir até o Caern dos Crias de Fenris ainda naquela manhã.

    Não é que ela tivesse problemas com seus irmãos de Tribo... Mas aqueles tipos de chamados geralmente não terminavam bem, os Crias eram... Ortodoxos ao seu modo e Nádia tinha uma visão diferente das coisas e essas visões às vezes acabavam em conflito... E os Crias gostavam de conflitos. Não era uma mistura muito boa... Mas ela também não podia se negar a fazer isso, sabia que por trás de mensagem de Muninn existia um Ancião que mandará enviar a mensagem... E irritar os Anciões nunca era boa coisa.





    avatar
    Nadia DeWitt

    Mensagens : 8
    Data de inscrição : 09/03/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Nadia DeWitt em Sex Mar 09, 2018 8:54 pm


    O show ontem a noite foi épico. Era a única palavra que Nadia podia usar pra definir aquela experiência.

    Naquela noite Kate é quem tinha cantado e parecia tão inspirada que Nadia podia jurar que de sua boca saiam chamas. Era isso ou a bebida.

    De qualquer forma o trio de baixo, guitarra e bateria estava com tanta sincronia que levaram o pub a loucura. Dificilmente iria esquecer daquela noite.

    Mas boas noites não duram para sempre. Acordando com um pouco de ressaca e um celular que vibrava Nadia voltava a sua realidade.
    E a realidade era seu apartamento com latinhas, roupa e toda bagunça imaginável ao redor. Levantou da cama pra perceber que ainda tinha uma das botas no pé direito e nem tinha trocado de roupa.

    -Ah que saco, eles nem vão me deixar dormir direito antes de encher com essa merda - disse lendo a primeira mensagem - Droga eu achei que ia conseguir aquele outro Pub pra tocar mas nem vai rolar, vou ter de desmarcar com a Kate e o Rob

    Kate a baixista e Rob o baterista não faziam parte desse outro mundo de Nadia, mundo que a maior do tempo lhe enchia a paciência.

    Tropeçando em suas coisas ela também leu a segunda, ainda mais importante.

    -C@#$% eu não vou ter nem a manhã de folga!? - disse lendo revoltada -

    -Ok ok Munin, fala pro velhote que eu vou - obviamente não ia escrever exatamente isso:

    "Sério?  Neutral  Tá, eu to indo pra aí" mandou a mensagem

    Foi no banheiro e jogou uma água no rosto pra acordar. Trocou de roupa e colocou seus óculos escuros.
    Ia ver a melhor forma de ir pra lá, talvez chamar um carro ou algo do tipo.

    "Que saco, dava pra pelo menos ter falado pra eu ir a tarde"
    avatar
    Tellurian

    Mensagens : 96
    Data de inscrição : 02/02/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Tellurian em Seg Mar 26, 2018 12:57 pm



    Não houve uma resposta para Nádia, geralmente não havia quando se tratava daqueles assuntos. Mas ela sabia que não precisava de uma.

    As terras dos Kuhn não eram tão próximas a Bray quanto Nádia gostaria que fosse, eles eram como diziam ser sua Tribo: preferiam terras distantes e isoladas, com ligações fortes com a natureza e a vida rústica, do que as cidades. Um carro seria uma ótima ideia.

    [...]

    A viagem para lá demorava cerca de 40 minutos, no carro uma música de uma banda inglesa tocava baixinho.

    "But I crumble completely when you cry
    It seems like once again you've had to greet me with goodbye
    I'm always just about to go and spoil a surprise
    Take my hands off of your eyes too soon

    Nádia não tinha certeza do motivo de ter sido convocada tão "as presas" daquela maneira, não era algo muito natural de ser feito, logo após a mensagem de Munnin, ela também recebeu um SMS de Samuel, avisando que os Anciões os queriam ver àquela noite. Será que uma coisa estava relacionada a outra? Enquanto pensava sobre essas possibilidades, o carro parou. Ele deixou Nádia à beira de uma estrada de terra, além dali era propriedade privada e ele não tinha permissão para continuar - Nádia sabia bem o por quê de ser uma propriedade privada -, teve de esperar o carro se afastar, para se anunciar com um uivo e esperar a resposta: a sua passagem tinha sido permitida.

    [...]

    Ela teve que caminhar alguns minutos por uma estrada de terra, já dentro dos territórios dos Kuhn. Tudo bem, podia não gostar daquele tipo de lugar, mas devia admitir que era bonito, ao seu modo.


    Depois de algum tempo, pode ver o portão da fazenda Kuhn, uma belíssima fachada para o que havia atrás daquelas terras, ali boa parte dos Parentes e famílias dos Crias de Fenris viviam numa pequena vila em volta do Caern, que ficava mais a dentro da floresta.

    Nádia pode ver Sunna, uma das filhas do Ancião. Era uma Parente de sangue puro com uma beleza raríssima entre eles. Sunna tinha os olhos azuis tão claros que pareciam água e os cabelos longos e loiros como pequenos fios de puro ouro. Ela sorriu e Nádia se sentiu impelida a sorrir de volta, sem saber o por quê; mas entendia todo o furdunço em volta daquela garota: já tinha ouvido aqui e ali que apesar de jovem - Sunna parecia não ter mais do que 12 anos - a garota já tinha recebido diversas propostas de um casamento arranjado.

    Sunna:

    Sunna abriu o portão para Nádia e a cumprimentou, mas logo indicou para onde os outros estavam. Nádia teve que seguir a trilha que dava a uma clareira e lá encontrou não apenas Munnin, mas Mayla e o Ancião Erik.

    Mayla era um dos problemas, Nádia achava. Ela era a "Cria de Fenris modelo" e havia de certa forma, uma rivalidade amigável entre ambas, mas Nádia logo notou a avantajada barriga da jovem Philodox.

    - Veja só quem resolveu se juntar a nós. - Disse Mayla, cruzando os braços em cima da barriga. Munnin apenas observou, dando de ombros e Erik parecia não tão atento quando gostaria.

    - Sente-se, Nádia. - Disse o Ancião. - Há algo em que talvez você possa ajudar.

    avatar
    Nadia DeWitt

    Mensagens : 8
    Data de inscrição : 09/03/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Nadia DeWitt em Sex Abr 13, 2018 2:51 pm

    ”E la vou eu, pra um longo caminho até o meio do nada pra fazer não sei o que e pra provavelmente levar bronca por algo que eu fiz ou não fiz. Yay” bufou só de imaginar todo o trajeto.

    Pediu um carro para lá, pelo menos teria a companhia de sua música até encarar os problemas que obviamente envolviam uma chamada tão às pressas.




    Tirou os fones de ouvido a tempo de ouvir a música no rádio do carro.

    A guitarrista poderia ficar um bom tempo discutindo sobre bandas inglesas, influências, como o punk foi morto e ressuscitado e como ela mesmo assim gostava de estilos que fariam seus amigos punks vomitarem só de citar os nomes.

    Poderia passar horas falando das nuances da guitarra, de como os estilos diferentes surgiram através dos trabalhos inovadores de músicos que quiseram ser diferentes e fazer as coisas fora do padrão imposto à eles. Histórias que a inspiravam, música a inspirava muito também.

    Mas não estava entre os amigos, muito menos onde queria estar e a música não valia para aquele mundo que adentrava conforme se afastava da civilização.

    Frustrante.

    Roía as unhas, consumida pela ansiedade que crescia.

    ”Será que deu algum problema? Pra me chamar será que eu to envolvida? Ahhh, que merda, eu achei que tinha ficado um bom tempo sem tomar alguma punição...mas eu fiz alguma coisa?”

    Logo tinha chegado, mais rápido do que percebera. Não disse nada ao motorista e apenas saiu do carro, esperando ele se afastar antes de uivar para se anunciar.

    -Ei de casa, cheguei!

    Foi pela estrada de terra. Espanou um mosquito perto de seu rosto.

    ”Por que não fazer uma chamada por skype? Veria a cara daquele velhaco e ele veria essa garota aqui muito menos fula com a vida por ter que andar por essa estrada toda e sem se preocupar em trazer repelente!”

    Nadia preferia a noite, a barulheira e a confusão da cidade, mesmo que o lugar fosse bonito. Talvez ela pudesse curtir mais o lugar se não tivesse de ir a ele sempre que fosse uma reunião ou para levar sermão ou alguma punição.

    Na entrada viu aquela garota, Sunna. Nadia estava de cara fechada mas forçou um pequeno sorriso quando Sunna olhou diretamente para ela.
    Normalmente acharia esse tipo de pessoa “certinha” muito sem graça mas a garota carregava uma aura própria, talvez fosse sua beleza ou algo mais.

    ”E já estão atrás de você Sunna. Hmpf” imaginava se ela era alguém que se sentia presa a essa vida também. Dificilmente. Nadia não conhecia mais ninguém que carregasse essa vontade de sair dali como ela. Talvez se pudesse mostrar pra ela a vida fora daquela bolha um dia...

    -Hey Sunna! - cumprimentou ela acenando com os dedos em v - -Por ali? Valeu!

    Começou a se dirigir para a clareira mas se virou antes.

    -Err, Sunna...como tá o humor do ancião hoje? - era bom estar preparada.




    -Yo! Cheguei - disse de forma bem informal se anunciando quando chegou na clareira.

    ”O Ancião, check. Munnin, check. Mayla perfeitinha, check” acenou com a cabeça para os três mas quando notou a barriga de Mayla não conseguiu evitar fitar ela por mais alguns instantes.

    ”Bloody Hell, ela tá grávida? Eu fiquei tanto tempo fora assim!?”

    - Veja só quem resolveu se juntar a nós. -

    ”A agressividade continua no ponto”

    -Como eu podia recusar um convite tão chamativo
    - respondeu sarcástica.

    ”Isso aqui é o chá de bebê?”

    O Ancião mandou ela se sentar, o que Nadia prontamente acatou o fazendo da forma mais desleixada possível.

    ”Espera, eu ajudar? Eu não to aqui pra levar bronca!?”

    -Err...claro. Pode falar chefia
    avatar
    Tellurian

    Mensagens : 96
    Data de inscrição : 02/02/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Tellurian em Sab Abr 21, 2018 9:55 am

    Quando Nádia chamou por Sunna, a jovem voltou seu rosto na direção da Garou, os olhos claros fitando-a com curiosidade, mas Sunna sorriu a pergunta e quase riu: seu riso um som gostoso e estranhamente reconfortante.

    - Acho que igual a todos os dias. - Comentou, naquela simplicidade cativante. - As coisas tem sido boas para nós esse ano. Os bons espíritos tem zelado pela terra e pela Tribo. - Aquilo para Nádia talvez soasse como um "bom, talvez ele não esteja tão mal humorado como você imagina." Mas foi tudo que Sunna pode dizer, logo Nádia ouviu outra vez feminina - a matriarca da família - chamando pela jovem. Sunna acenou e se afastou. Seu pequeno momento de aparente paz próxima a Parente tinha acabado.

    O caminho até o local indicado por Sunna era tranquilo, uma trilha já bastante usada e visível, por dentro das terras dos Kuhn. Nádia não teve que caminhar muito para ouvir o som da água ou das conversas e logo conseguiu avistar o grupo.

    Mayla revirou levemente os olhos, enquanto se levantava, os olhos de Erik estavam na loira. Ela limpou as roupas, antes de começar a falar.

    - Retornarei ao Caern. Estamos esperando noticias da Dama-da-Guerra-rhya. - Nádia sabia que aquele nome não era muito citado, mas era temido. A Dama-da-Guerra era uma Anciã Ahroun da sua Tribo, líder de um Caern na Noruega ou Alemanha e Mayla era filha dela. Parte do motivo dos Crias terem algum pedaço de terra na Irlanda eram por conta da Dama. Ela era, em muitos quesitos, um poderoso aliado que os Kuhn conservavam e que os Fiannas, os Presas e os Senhores das Sombras tratavam com cuidado. O Ancião moveu a cabeça para ela, Mayla se afastou, desaparecendo na trilha e deixando Nádia com os outros dois.

    Erik começou a preparar o que parecia um cigarro artesanal, Nádia pode sentir cheiros como canela e tabaco. Munnin ficou em silêncio também, durante o processo. - Nossos irmãos da América precisam de ajuda.- Disse o Ancião, após acender o cigarro. Essa era a vantagem de Erik comparado aos outros Anciões com quais Nádia já tivera que lidar: ele era direto ao assunto. - As matilhas vão ser chamadas hoje, porque algo que acontecia na América virou até nossas terras e aqui nossos irmãos americanos não podem caçar, seria interessante, Nádia, que você conseguisse falar com o emissário dos americanos. Acho que vocês duas vão se dar bem. O que me diz?
    「R」
    [/i]
    avatar
    Nadia DeWitt

    Mensagens : 8
    Data de inscrição : 09/03/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Nadia DeWitt em Qui Maio 03, 2018 4:42 pm

    ”Do jeito que essa menina sorri parece até que vai ser uma conversa agradáel com chá” pensou reagindo a expressão de Sunna.

    -Hmmm, obrigado Sunna - disse agradecendo a resposta sincera dela. Talvez para ela as coisas realmente iam muito bem, afinal ela provavelmente era a pessoa mais bem ajustada ali...acenou um tchau pra ela e se dirigiu a reunião.

    Um caminho tranquilo para uma conversa nem tão tranquila. Ignorou o desconforto de Mayla e se focou nas palavras de Erik que já saia.

    ”A Dama de Guerra!? Hmmm isso tá ficando interessante. O que eles estão esperando da velhinha?” admirava um pouco a história dela, afinal não existia nada mais punk que uma mulher capaz de lutar e ajudar a conquistar todo um território.

    ”Ahn? Americanos? Que *&#@$ a gente tem a ver com os americanos? Eles que se virem” pensou mas apenas fechou a cara. Já não tinha muita paciência para os garous locais, quanto mais para estrangeiros americanos folgados.
    -E o que exatamente é essa coisa que acontecia na américa que agora está aqui? - perguntou já esperando que não receberia a resposta que queria. Já estava de mal-humor mas servir de babá de uma americana era a melhor maneira de estragar ainda mais seu dia.

    ”E eu achando que ia conseguir fugir pra ir no pub hoje”

    Bufou e coçou a cabeça.

    -Você pensou nisso direitinho né? - sorriu meio sarcástica, não sentia que tinha muita escolha - Tanto faz, pode ser - concluiu cruzando os braços.

    -E onde está a emissária?
    avatar
    Tellurian

    Mensagens : 96
    Data de inscrição : 02/02/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Tellurian em Sab Maio 05, 2018 2:44 pm

    - A matilha dela está perseguindo algo e esse algo aparentemente veio para cá. Como não é território dela, seja lá do que estejam atrás, a tarefa agora será repassada. - O Ancião fez uma pausa, ignorando a falta de vontade de Nádia de fazer parte de tudo aquilo: Entre os Fenris, você nunca era livre para fazer o que quisesse.

    Com a última pergunta, o Ancião olhou para Munnin que moveu a cabeça e se levantou, fazendo um gesto para Nádia segui-lo.

    Munnin era um sujeito engraçado, Nádia não se lembrava de vê-lo falar muito, o que era estranho para um Ragabash. Enquanto andavam, afastando-se de onde o Ancião tinha ficado, ele não parecia muito interessado em conversar. Sendo assim, se a jovem não puxasse assunto ele também não o faria. Eles deixaram o riacho para trás e retornaram à fazenda, mas não pararam na casa principal. Passando por lá, Nádia pode ver o resto dos membros da família: Sunna, Máni, Freya e a matriarca da família.

    Munnin guiu Nádia para longe da casa principal, na direção de alguns celeiros e árvores. Enquanto andavam ela pode ver uma figura próxima a uma árvore e conforme se aproximavam ela ficou cada vez mais clara:

    A jovem estava de cabeça para baixo, as pernas segurando o corpo num tronco de árvore, enquanto ela subia e descia no que parecia um exercício físico. Ela tinha os cabelos loiros muito claros, presos numa trança única que quase encostava no chão quando o corpo descia. Tinha o corpo de uma lutadora também, mas não excessivamente cheio de músculos (algo como a Ronda nos dias de gloria). Quando eles finalmente se aproximaram, a jovem parou o que fazia, mas continuou pendurada de cabeça para baixo. Nádia agora podia ver seu rosto...

    A primeira coisa que provavelmente chamaria a atenção de Nádia era o rosto, ela seria uma jovem como qualquer outra, se não fosse o lado esquerdo da face, onde cicatrizes lhe desfiguravam parcialmente o rosto.

    Cicatrizes:


    Ela desceu da árvore, sem parecer ter muitos problemas com isso e Nádia logo soube que era uma Fostern. Ela se aproximou, então Munnin falou na língua Garou (ele não falava inglês e a jovem não falava Gaelico).

    - Nádia "A-Tormenta-Rubra", essa é Kristanna "O-Lado-Mais-Escuro-da-Lua". - Apresentou ele, Kristanna estendeu a mão para a jovem Ahroun. - Ela vai te mostrar a cidade, Kristanna e vai te levar para a Assembleia hoje. - A loira moveu a cabeça em positivo e voltou seus olhos para Nádia.


    「R」
    avatar
    Nadia DeWitt

    Mensagens : 8
    Data de inscrição : 09/03/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Nadia DeWitt em Ter Maio 22, 2018 12:38 am

    -Hmpf, então a gente cuida da bagunça que os americanos não conseguem? Típico. Ok - sabia que não tinha escolha ali, ia ter de lidar com mais essa obrigação.

    Qualquer indicio de bom humor em Nadia se desfez ao receber sua missão de babá, então nem tentaria falar com o Ragabash calado.
    Passava diante da casa principal: aquelas pessoas, tão bem ajustadas naquele mundo, faziam parte daquilo tudo. Não podia evitar sentir uma intensa vontade de pegar um spray de tinta e pintar algo bem ofensivo naquela casa, mas lhe faltava o spray e a coragem para aquele ato.

    Talvez um dia. Talvez o dia chegasse em que Nadia cortasse esses laços, se é que isso é possível...

    "Ah que legal, a nossa visita é um morcego" pensou ao ver a mulher de cabeça pra baixo.
    "Um morcego cheio de cicatrizes aliás"

    Ela estendia a mão ao se apresentar. "Tão cortês, tão americana". Ergueu a mão em resposta e a cumprimentou.

    -É, eu sou a sua babá hoje - respondeu com certo sarcasmo, mas era mais direcionado ao Ragabash do que a americana.

    Bufou, ela claramente não parecia satisfeita com a obrigação.

    -Me diz aí Kris - disse já abreviando seu nome - Você bebe?

    Um sorriso se ocultava no canto de sua boca.
    avatar
    Tellurian

    Mensagens : 96
    Data de inscrição : 02/02/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Tellurian em Ter Maio 22, 2018 10:05 pm

    - E quantas vezes você cuidou da "bagunça que os americanos não podem"? - Aquela foi a única frase que o Ragabash soltou para Nádia, seus olhos passando pela jovem Ahroun muito de leve. Os ragabash tinham aquele... Toque, de fazer não apenas uma pergunta, mas várias em uma única frase, além do tom repreensivo que ela carregava: ele estava claramente alertando a jovem sobre seus comentários - ela não sabia qual era o problema com os Americanos e até onde ele se lembrava, nenhum deles tinha tido contato com as Seitas da América além das assembleias da Tribo e viagens "políticas" - mas era certo: um Cria ajudava o outro.

    Quando as duas foram apresentadas, ele ficou em silêncio, analisando não apenas Nádia, mas Kristanna também.

    [...]

    A primeira vontade que Kristanna teve, quando Nádia abriu a boca, foi lhe dar um soco no meio da cara e lhe arrancar uns dentes. Mas aquela Kristanna paio curto tinha ficado uns anos lá atrás - ao menos esperava isso - a loira moveu seu olhar da jovem para o rapaz e depois de volta para a jovem. Não tinha gostado do termo "babá" e a primeira impressão que teve fora a de desrespeito - tudo bem, ela era uma Rotagar - estava acostumada a não ser levada muito a sério, mas Nádia era uma Cliath - um posto abaixo do seu - Kristanna era uma "visita" e tudo aquilo somou-se num pequeno incomodo que ela ocultou com a maestria dos manipuladores - não se chamava Lado Mais Escuro da Lua a toa.

    Kristanna voltou o rosto para o outro Ragabash e moveu a cabeça levemente, ele retornou o gesto e afastou-se, despedindo-se das duas.

    Por um momento, a loira pegou-se recordando-se de si, talvez na mesma idade da jovem a sua frente - e era estranho pensar nisso, se fosse considerar que talvez fosse o quê? Três ou quatro anos mais velha? Mas ela se viu muito mais nova, muito mais inexperiente e muito mais rebelde do que costumava ser. Por um breve instante, sentiu-se enjoada em saber que um dia tinha tido aquele tipo de comportamento.

    - Não sou muito fã. - Falou Kristanna, parecendo não se importar muito com a abreviação do nome. - O Ancião é seu pai? - Quis saber, enquanto pegava a mochila surrada no chão.

    「R」
    avatar
    Nadia DeWitt

    Mensagens : 8
    Data de inscrição : 09/03/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Nadia DeWitt em Dom Maio 27, 2018 1:13 am

    - E quantas vezes você cuidou da "bagunça que os americanos não podem"?

    A pergunta tinha sido certeira. Emburrada Nadia só murmuraria:

    -Mas pelo menos eu faço música melhor que eles... - murmuraria ranzinza e com uma careta pelas costas dele.

    Nadia não tinha nada de "concreto" contra os americanos, mas sentia que tudo o que ela não gostava tomava proporção maior quando estava de mau-humor como hoje.

    Pelo visto as duas concordavam em não gostar daquela situação. Nadia sentia certo incomodo nela, mas talvez estivesse presa por obrigações também.
    Deu um sorriso cínico para o Ragabash enquanto ele saia. A vontade era de socar a cara dele com esse ar de responsável pra cima dela mas fazer o que...

    -Não importa, eu vou te mostrar os melhores pubs da cidade. Não que tenham muitos - disse mas na verdade não ia saber mostrar outra coisa além dos lugares que já frequentava. Era isso ou a garagem que usavam pra banda e lá era seu santuário.

    -Meu pai? - reagiu meio nervosa só com a possibilidade.

    "Deus me livre"

    -Não, ele não é
    - respondeu - As vezes ele acha que é

    Começariam a andar. Tinham um longo caminho e longas horas pra se suportarem, era melhor fazer isso um pouco mais suportável.

    -Olha, deixa eu ser sincera Kris - iria olhar para os lados para garantir que estariam só as duas - Eu não planejei nada disso pro meu dia e eu realmente estava a fim de fazer outras coisas hoje. Mas aqui estamos, cheias de obrigações

    Era sincera nisso.

    -Então vamos pra cidade, eu te mostro como é tudo por lá, a gente bebe umas no pub, te respondo o que quiser saber e a gente volta. Got it? - falaria a ultima frase forçando um sotaque americano estereotipado.[/b]
    avatar
    Tellurian

    Mensagens : 96
    Data de inscrição : 02/02/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Tellurian em Dom Maio 27, 2018 11:11 am

    O Ragabash não tinha respondido sobre a música, achava que um dia talvez Nádia entendesse que ela não conseguiria salvar Gaia com uma guitarra. Ele deixou as duas lá, talvez entendesse porque o pai tivesse dado aquela 'missão' à Nádia, talvez não. Agora era apenas esperar pelo melhor.

    [...]

    Kristanna continuava se mexendo, enquanto a jovem Ahroun falava, os olhos claros focados no caminho à frente. Tinha uma coisa ou outra em mente, mas nada muito fixo ainda, mas começava a questionar o motivo de terem mandado Nádia até ali. Quem estava recebendo a lição ela ou Nádia? Mas uma coisa era certeza: Kristanna não tinha a menor intenção de entrar em um Pub. Enquanto andavam - e Nádia falava - logo puderam avistar um descampado, onde alguns carros estavam estacionados - a maioria eram carros provavelmente usados na fazenda -, mas Kristanna parecia estar se dirigindo para um deles. Uma pickup vermelha, parada deliberadamente de mal jeito. A loira tateou os bolsos da calça e retirou as chaves. Ela jogou a mochila na caçamba e observou Nádia por um instante. Respirou fundo.

    - Eu tenho tipo... 13 irmãos, oficialmente, claro, da mesma mãe e do mesmo pai. Três casais de gêmeos e os outros únicos, uma porra de uma família gigante. Fora os outros bastardinhos perdidos do meu pai por aí. Meu pai é tipo... Um dos maiorais na jogada, sabe? Ele é o líder da segunda maior Seita puramente Fenris dos EUA. Ele é um mestiço que chegou no topo e você deve saber bem como nossa Tribo trata os mestiços. Ele conseguiu casar com a melhor Parente da geração dele. Minha mãe é tipo... A Parente mais pura que vimos em anos. E no meio dessa merda toda tem eu. Eu não nasci com o sangue puro da minha mãe, eu não sou uma mestiça igual meu pai, ele não é realmente meu pai, apenas me adotou quando casou com a minha mãe e me deu a permissão de usar o nome dele como o meu. Eu nasci na Lua do Trapaceiro. Então, por algum tempo, eu fui um pouco como você. Eu torcia o nariz para as regras, revirava os olhos para os Anciões. Então um dia eu entendi que de um jeito ou de outro, você tem que jogar o jogo, mas é você quem decide, ou você torce o nariz e é obrigada a jogar do jeito deles, ou você balança a cabeça para o que dizem, deixa eles felizes e joga do seu jeito. - Kristanna de uns tapinhas no ombro de Nádia e abriu a porta do carro, entrando no lado do motorista e ligando o veiculo.

    Não gostava de dar lições - na verdade nem considerava aquilo uma lição -, mas algo pelo qual realmente tinha passado. Bateu a porta, esperando a garota entrar para sair com o carro.

    「R」
    avatar
    Nadia DeWitt

    Mensagens : 8
    Data de inscrição : 09/03/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Nadia DeWitt em Ter Maio 29, 2018 7:03 pm

    Nadia falava mas Kristanna parecia pensar em outra coisa, muito menos parecia estar prestando tanta atenção no que falava. Isso era irritante.

    "Caramba se foi ela que estacionou então eu devia ter trazido um capacete ou algo do tipo"

    Quando viu Kris a encarando antes de falar já imaginava algum comentário sarcástico ou pelo menos uma resposta a altura para direcionar a raiva daquela manhã nela.

    Mas o discurso parecia tão direcionado a ela que Nadia perdeu as respostas rápidas sarcásticas que tinha. Se identificava tanto com ela que chegava a ser irritante.
    Literalmente pulou até o banco do passageiro, calada.

    Após segundos ela teria uma resposta.

    -Um dia eu não vou jogar o jogo de ninguém - respondeu mais para si mesma.

    "Ah mas que merda, até a estrangeira quer me dar sermão hoje"

    -Vamos logo Kris, você quase parece alguém legal então eu vou colocar um som adequado - disse mexendo no rádio e colocando em alguma estação que sabia que tocava algo mais próximo com o que curtia.


    Em seguida colocaria os pés na frente do painel de forma bem desleixada.
    avatar
    Tellurian

    Mensagens : 96
    Data de inscrição : 02/02/2018

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Tellurian em Qua Maio 30, 2018 11:08 am

    Nádia tinha conquistado a antipatia de Kristanna - não que a maioria das pessoas não o fizessem com frequência -, mas aquele pequeno momento em que ela parecia tão pouco disposta a ser quem era e a fazer o que tinha que fazer deram a Kristanna mais do que vontade de não tê-la por perto. Era o tipo de companheiro que não gostaria de ter em sua matilha, por exemplo. Não sentia-se segura tendo de confiar sua vida a uma pessoa não inclusa naquela causa.

    Quando Nádia pôs o pé no painel, Kristanna apenas suspirou: era um carro alugado e não estava disposta a pagar por qualquer dano feito nele, mas não disse nada, manobrou para sair e logo estava na pequena estrada de barro. Kristanna não prestava muita atenção na música, podia ouvir a batida e o ritmo, mas sua cabeça estava em outro lugar ficou contenta quando saíram da estrada de terra e pegaram o asfalto, mas essa sensação também não ia durar muito tempo.


    Continua aqui
    「R」

    Conteúdo patrocinado

    Re: [Nádia DeWitt] - Beast

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Jul 17, 2018 4:07 pm