Fóruns Gráficos
Créditos
» Skin obtida de The Captain Knows Best criado por Neeve, códigos acrescentados por Weird e baseado no tema The Walking Dead Theme criado por Hardrock. Graças aos suportes e tutoriais de Hardrock, Glintz e Asistencia Foractivo.
» Versão Elysium adaptada por Nêmesis, Rossin e Persephone.
Narradores
Personagens Ativos
Últimos assuntos
» Capítulo 9
Hoje à(s) 12:27 am por Jae-ki

» @moonjaesun
Ontem à(s) 9:20 pm por Moon Jae-Eun

» We are Hope
Ontem à(s) 6:44 pm por Primula Rhododendron

» @ohmygyuri
Ontem à(s) 4:26 pm por Nam Gyuri

» @han.cherry
Ontem à(s) 3:34 pm por Han Somin

» 08 de Outubro - The BBG's Family
Ontem à(s) 3:14 pm por Tulipay Kay

» [PONTUAÇÕES]
Ontem à(s) 12:41 pm por Starry Night

» @taeyoon_gb
Seg Dez 17, 2018 10:43 pm por Tae Yoon

» - Capítulo 1 -
Seg Dez 17, 2018 10:40 pm por Lara Annete Darlington


Capítulo 4

Página 3 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por The Crown RPG em Sex Abr 13, 2018 12:31 pm

MISOO - 09/04/2019 - TERÇA-FEIRA. INTERVALO
Eun Bi não sabia como tinha sobrevivido àquela aula. Apesar de Misoo ter ficado mais silenciosa do que o normal naquele dia, a bailarina tinha outros motivos para se desconcentrar - motivo que sentava no fundão e, constantemente, a fazia olhar discretamente para trás e dar um suspiro - ou dois, três, muitos. Estava bem suspirante nesse dia.


Quando aquela tortura acabou, o cérebro dela tinha um pouco de fumaça. Deitou a cabeça na apostila, derrotada, mas não manteve essa postura por muito tempo. Logo levantou-se e se esticou um pouco antes de arrumar o blazer. Os longos cabelos negros estavam bem alisados e a franja era dividida por um arquinho vermelho. Tentou ser discreta de novo ao olhar para trás, mas dessa vez, Jae Ki a encarava também.

E não era de qualquer jeito.


As bochechas dela acabaram corando e ela deu um sorriso tímido enquanto mexia na ponta das mechas e olhava para Misoo de novo. Estava tentando se focar na amiga, mas quando Jae Ki fazia aquelas caras, ficava um pouco difícil segurar a expressão.

Deixaria a mochila na sala mesmo, pegando só a carteira e o celular, como geralmente fazia. Não demorou para que a amiga abraçasse seu braço. Trocaram um sorriso cúmplice e começaram a caminhar na direção da saída da sala.

- Desculpa, eu sei que é maldade. Mas eu estava numa sinuca de bico. Ao mesmo tempo em que queria te contar, não sabia se você estava com humor para ouvir.


Admitia falando num tom mais baixo. Quando saíram da sala, procuraram ficar num canto mais discreto - estavam esperando por Mia também, mas a porta do segundo ano ainda estava fechada. Próximas à janela, no fim do corredor, as duas puderam conversar com certa paz.

- Mais ou menos. - Ajeitou o cabelo de princesa. - Vou ter que te passar a coreografia do iKon, Love Scenario. Mas só fizemos a metade, então, será bem tranquilo. - Umedeceu os lábios. - Mas ontem a professora pediu para que a gente repetisse algumas danças. Minhyun-shi e sunbae precisaram fazer Don’t Recall com a Jimin e o Ro Young-shi. E eu precisei dançar Now do Troublemaker com o Taemin, a Bomi, Ryu, Beom Su e Miran.

Olhou para os lados enquanto falava.

- Só que o Jae Ki está no clube também e ele ficou meio aborrecido. Com certa razão, embora eu não vá dizer isso para ele. - Até falou mais baixo. - É só uma dança, mas eu também ficaria irritada.

Porque era igualmente ciumenta, mas não sabia precisar ainda o quão ciumenta era. Ontem mesmo ela já deu uma investida em Ye Ji quando ela foi se apresentar para o garoto. Talvez fosse muito e não soubesse.

- Aí no fim da aula, ele estava esperando por mim do lado de fora. Eu me expliquei e tal e aí… - Eun Bi hesitou e levou a mão até a boca, contendo o sorriso. - Ele me beijou...Calma! Foi aqui, bem aqui. - Indicou a região da testa, mas era o suficiente para deixá-la toda boba. - Nem sei o que dizer, Sussu...Foi tão...nho.

Escondeu o rosto com as duas mãos e deu alguns pulinhos no mesmo lugar.
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Kim Sun-Hee em Sex Abr 13, 2018 1:40 pm

Quando sentiu os braços de Jung-Mi a corresponderem, rodeando o corpo delicado, Sunny instintivamente estreitou ainda mais os próprios, temendo que ele escapasse. Não havia necessidade para palavras... Ali, alheios aos acontecimentos externos, os dois não precisavam de mais nada, apenas saberem que teriam o apoio um do outro nos momentos mais obscuros.

Sessenta segundos.

Sessenta segundos de uma ilusão perfeitamente cheia de cacos.

Afinal, não há eternidade que não chegue ao fim.

E logo nos primeiros indícios de que era a hora de despertar... Sunny o apertou com mais força, numa clara recusa. Não queria que terminasse, ainda não... Mas só estava prolongando o sofrimento. Por isso, ela cedeu, deixando as mãos desenharem as riscas de Jung-Mi conforme o Park impunha uma distância mais agressiva do que aqueles poucos centímetros revelavam entre os dois. Próximas dos punhos, as palmas interromperam o breve processo de tocá-lo e prestes a tombarem rentes as laterais, Jung-Mi envolveu seus dedos e prontamente recebia uma resposta. Inconscientes ou não, eles buscavam o contato, aproveitando os resquícios antes das incertezas voltarem a moldá-los.

Ela encarou as mãos unidas e parecia tão certo...

Tão certo quanto difícil.

O olhar subiu ao rosto de Jung-Mi, observando as lágrimas que continuavam molhando a expressão novamente séria. Ela não estava num estado diferente também.

Era o momento da despedida.

Embora imaginasse que ele diria aquilo, Sunny sentiu o coração despedaçar – e isso ocorria com uma frequência bastante perigosa... – porque, no fundo, queria ouvir outra coisa...

Queria que ele desfizesse o ontem.

Mas isso não ia acontecer.

Ela não o interrompeu. O que mais poderia dizer?

Jung-Mi fez uma escolha...

E para cada qual, existe uma consequência.

O silêncio funcionou como resposta e, provavelmente, teria sido melhor para o espírito dele que a bolsista o xingasse ao invés de fitá-lo com a carinha meiga e os olhos brilhando graças as lágrimas. Todavia, não. Sunny, de fato, entendia tais decisões, apesar do possível efeito dominó que estas desencadeariam. Porém, ela não era o tipo de menina que esperava...

E, bem lá nos confins da consciência, já concluía o desfecho daquela história.

Alimentar esperanças seria o mesmo que implorar para sofrer... Mas seus sentimentos não desapareceriam assim, tão de repente. Na verdade, à medida que prendia o olhar nas costas de Jung-Mi, Sunny podia jurar que não havia a menor possibilidade de esquecê-lo.

Então, pela segunda vez...

Ele foi embora, deixando-a perdida no interior de uma espessa neblina.

Depois do episódio, qualquer concentração e energia esgotaram-se. Sunny, perto do fim do expediente, não previu a intensa vertigem e, por sorte, um dos colegas de trabalho a amparou. O corpo não aguentou toda a pressão do dia e ela nem reclamou assim que alertaram o irmão mais velho quando ele veio buscá-la. Já em casa, Sun-Hee tomou um banho demorado e chorou mais uma penca para não correr o risco de demonstrar tristeza diante da família, o que levantaria questões. Finalmente, após um jantar reforçado, ela foi para o quarto e demorou a reunir coragem em pegar o envelope na mochila. Com paciência, espalhou o conteúdo sobre a cama, e embora fosse o seu rosto e as paisagens do festival congeladas nas imagens... Ela enxergava Jung-Mi nas fotografias.

Pegou a foto que tinha escolhido como favorita e a apertou contra o peito enquanto soluçava.

Por quê?

Por que tinha que ser assim?


Sunny se encolheu em posição fetal, ainda segurando a “lembrança” na altura do coração. E num surto de raiva e tristeza, ela começou a desaguar os sentimentos dentro da solidão que aprendera a se adaptar desde que tudo...

Mudou.

Há tanto tempo e, mesmo assim, a sensação permanecia presente como uma sombra.

[...]

Os dias que seguiram à segunda-feira foram... estranhos. Nada na rotina de Sunny parecia fora do lugar, porém ela não controlava a inquietação. Às vezes, ficava muito calada e pensativa... Distante... Até nas aulas saiu prejudicada porque demorava mais tempo para entender o conteúdo e a dificuldade triplicava por conta das constantes dores de cabeça.

Como avisou a ela, Jung-Mi não tentou qualquer aproximação e a passarinha não escutou nada a respeito do namoro dele com MiSoo.

Entretanto, nenhuma angústia comparou-se com a que passou no Clube de Música e no Grêmio Estudantil. Jung-Mi participava de ambos e era destaque nos dois. Mas, sem dúvida, o pior momento foi descobrir que ele e o violino tornavam-se uma peça só quando juntos. Tratou-se de uma das coisas mais lindas que Sunny já viu na vida e, inclusive, um novo método de tortura. Não sabia mesmo como iria aguentar... Ele tocava com tanta tristeza que até ousava pensar que a mesma refletia a sua. Perto das dores que Jung-Mi causava nela, as ameaças e sentenças da Rainha de Gelo sequer tinham espaço de fazê-la sofrer.  

Apenas na quinta-feira que ela encontrou uma brecha.

Não teria Clube naquele dia.

Como de costume, almoçou com os amigos e nem Kim ou Lee-Hi tocaram no nome de Jung-Mi, mas Sunny sabia que estavam preocupados. Evitava o assunto, puxando outros, não dando chance ou, ao menos, deixando claro que não desejava falar. E foi desse jeito desde terça-feira. Por causa da agitação, Lee-Hi não teve como perguntá-la e agora os horários delas duas no próprio Café Literário quase não batiam.

Quando terminou de comer, despediu-se do grupo e se apressou até o serviço. Lá, ela trocou o uniforme por roupas mais simples e vestiu o avental. Hoje, Sunny atenderia as mesas para recolher e servir os pedidos, mas no fim, acabava fazendo um pouco de tudo e não se importava.

Isso mantinha a mente ocupada.  
QUINTA-FEIRA. 3.30 P.M. CAFÉ LITERÁRIO

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
192

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Convidado em Sex Abr 13, 2018 2:47 pm


Antes de sair da sala, MiSoo arrumou o material com todo o cuidado, apesar de estar apressada e só pegou o necessário antes de voltar a segurar o braço da amiga para se afastarem um pouco da sala.


- Ohh. Não precisava se preocupar mais comigo. E depois, quando eu li a mensagem eu já estava melhor mesmo. - meneou a cabeça, concordando consigo mesma, enquanto caminhavam sem pressa - A halmoni e eu fizemos muuuuitas compras! Mesmo que no começo, quando você falou em shopping, eu não estava com muita vontade, mas depois da conversa que tive com a halmoni, o ânimo começou a voltar aos poucos. - deu um sorrisinho fofo a amiga - Mas boa parte de eu ter melhorado também devo a você, que ficou ao meu lado mesmo eu estando super chata e não querendo dar muita atenção ao que você estava tentando me falar. Sabe, até pensei em fazer um doce bem gostoso para você já que eu estava na casa da halmoni, infelizmente voltamos tarde do passeio e eu ainda tinha deveres para fazer. Da próxima vez prometo que faço. O que você quiser!

Puxou a ponta da trança embutida que tinha feito no cabelo com um pouco da ajuda da avó e deixou sobre o ombro, segurando as mãos da amiga em seguida.

- Agora você já pode contar. Não tem ninguém por perto pra espionar! - inclinou-se como se fossem contar um segredo e olhou para os lados estreitando os olhos, como se brincasse de ser um informante ou algo assim.

- Love Scenario… Hm…. - fez uma expressão pensativa, com direito a pousar o dedo sob o queixo - Ara. - concordou com a cabeça e sorriu,  mas fez uma careta ao ouvir EunBi mencionar sobre a dança que as duplas repetiram - Com o Taemin? Essa professora bateu a cabeça? Não é possível que os professores não saibam que o ele fez com você! Mas que irritante! - inflou as bochechas, soltou a amiga e cruzou os braços - Ele é um perigo! Vou pedir para ela acabar com a palhaçada quando e estiver presente no clube! - desabafou tudo o que achava sobre a situação de uma vez só, porque para ela era um absurdo que deixassem sua querida EunBi perto daquele touro descontrolado.

Bufou. Tinha mesmo feito falta naquele clube. Se fosse expulsa por proteger a amiga do agressor, era o de menos! O importante era proteger a amiga!

- O deli… O JaeKi-shi também está no clube? - ergueu as sobrancelhas, surpresa com a notícia - Bom… Ahn… Então um gosto vocês têm em comum! - tentou ver o lado bom da presença do garoto no clube - Mas até eu ficaria meio aborrecida com essa dança. Não gosto da coreografia de Now, não sou profissional como você. Me incomoda um pouco sim. Vai ver é por isso que prefiro tênis! Pelo menos meus adversários ficam bem longe de mim, do outro lado da quadra. - deu uma risadinha, depois de comentar isso em tom de piada - Bem, eu entendo se ele ficou irritado ao ver você dançar com o Taemin…. Aquilo… Foi ele que tirou você da água e foi quase agredido pelo Taemin. - isso porque não sabia da briga que tiveram, saber só reforçaria a opinião de MiSoo - Quem não ficaria irritado? Se ele gosta de você, imagino que deva ser bem estressante ter que ficar só olhando você dançar Now com Taemin… - fez novamente a expressão pensativa, desta vez tentando manter bem longe o pequeno incômodo que ter que dividir a amiga com JaeKi ainda lhe causava, mas que estava tentando trabalhar sobre para conseguir aceitar.

Era um trabalho difícil, mas ontem tinha feito mais uma promessa a si mesmo e iria ser mais tolerante com o que acontecia na escola e com as escolhas de seus amigos. Era o mínimo que poderia fazer para não repetir a cena deplorável do dia anterior.

MiSoo continuou ouvindo e arregalou os olhos com a última parte.

- Be-beijo!? - falou meio alto, sem querer, mas logo levou as mãos a boca, cobrindo-as com força para que mais nada idiota saísse dali enquanto EunBi se explicava melhor - Aish! Na testa. - quase deu um suspiro aliviado, mas sorriu para a amiga quando a viu super animada sobre isso - Que bom, né? Quero dizer, que bom que isso lhe deixou tão feliz! - tentou acompanhar um pouco da animação da amiga - Talvez ele não seja tão delinquente assim… Embora tenha gritado com você, ameaçado minha mochila, me chamado de rato… Acho que ele tentou me ajudar ontem, quer dizer, na verdade eu não tenho certeza… - coçou a cabeça atrás da orelha - Tanto faz! - abanou o ar, como se afastando a conversa - O importante é que isso deixou você feliz! Espero que dê tudo certo com vocês… De verdade. - o sorriso vacilou um pouco ao dizer a frase, mas era mesmo o que MiSoo desejava a sua melhor amiga.


Depois que EunBi tirou as mãos do rosto, MiSoo aproveitou para dar um abraço nela como se estivesse reforçando o quanto desejava que essa alegria dela perdurasse muito.


— Ross
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Won-Bin em Sab Abr 14, 2018 1:18 am



A forma como Bomi entrelaçava os dedos e se aproximava faziam Won sentir o coração bater muito mais acelerado. Não se ofendeu quando ela negou pegar a blusa, afinal, era meio esquisito fazer isso mesmo.

- Você está me convidando para ser uma espécie de cobaia sua?

Won começou a tossir de nervoso.

-Não, não! Não cobaia! Eu não vou fazer você experimentar café ruim - tentou consertar - Mas eu confio que você vai me dizer se a bebida está ruim de verdade

Percebeu que ela parecia preocupada com ele, mas não sabia se era o jeito simpático e cuidador de Bomi ou algo mais...

- Ya! Quando sua mão melhorar, você não quer me dar umas aulinhas não?

Won ergueu o olhar, como se tivesse recebido uma grande notícia.

Eu nunca treinei nada porque minha om…- Travou. - meu pais acham que era melhor atividades mais...ahm...leves. Mas eu acho que uma menina tem que saber se defender não? Você me ensina alguns golpes quando estiver bom? Prometo que serei uma aluna disciplinada.

Os olhos de Won brilhariam. Ensinar algo tão legal quanto artes marciais e ainda mais para Bomi!!!

-Yaaa, ia ser demais! - ele realmente estava empolgado - Eu posso te ensinar algumas coisas sim! Na minha opinião todo mundo pode aprender um pouco de artes marciais, não é só saber lutar afinal... - sentiu que estava em modo nerd do esporte.

Sorriu concluindo que iria sim ajuda-la nisso.

Ficou feliz em ve-la orgulhosa ao falar de sua colocação. Mesmo que não fosse grande coisa para o nível de Wangjo, para Won ela era sim alguém muito inteligente.
Mais uma vez ela também não o julgava quando ele sentia que estava passando vergonha ou falando demais. Coisas que Won não deixaria de notar.

- Eu também achei muito legal. - Cruzou os braços. - Amanhã devo ter meus horários no Rádio, então, eu poderei programar melhor nossos almoços. Na proxima vez, vamos ter um pouco de curry!

-Então será curry - concordou, mas concordaria com qualquer comida que ela sugerisse.
Sentia que não queria ir embora, que talvez pudesse estender aquele momento mais um pouco. Só mais um pouco.

Won iria, sem colocar os fones de ouvido, e pelo menos uma vez viraria de costas para olhar o portão.

Acabou que ficou o caminho todo para casa sem ouvir música, sua mente estava ocupada se lembrando de tudo o que tinha feito com ela no dia: teve a oportunidade de conversar com ela não só uma vez, mas duas. Seu desejo se realizou de forma dupla.

Em casa, na cama, encarando o teto não conseguiria deixar de pensar em Bomi sorrindo e ajeitando o cabelo.

Dormir não levou muito tempo, mas podia ficar até ansioso pelo dia de amanhã se possibilitasse ver ela mais uma vez.

...


A realidade de um novo dia era o suficiente para que a pressão daquela escola e o que ia encarar naquele dia tornassem aquela uma manhã mais complicada de se acordar.
Tinha completado uma semana inteira, o ciclo completo, e sentia como se o mundo tivesse mudado e anos tivessem se passado mas na verdade aquilo era só o começo.

Sua atenção estava dividida nas complicadas matérias de sexta-feira e na visão das costas de Bomi. A teria cumprimentado quando chegasse na sala como faria questão de fazer todos os dias, conforme tinha prometido a ela.
Sorriria para ela se ela olhasse para ele, de forma simpática.

Tinha pensado em mandar uma mensagem para ela na noite anterior, mas decidiu dar algum espaço, não queria que ela o achasse estranho ou algo do tipo.

Não falou muito com Kang e Jaeki, afinal tinham aulas complicadas, ia deixar para conversar no almoço. Tinha também uma certa ansiedade em conversar com Bomi no intervalo, mas ela teve de sair correndo sem chance nem de se aproximar.

"Aish, de volta ao mundo real Won. Você vai ter que correr pra acompanhar"

Olhou para Jaeki. Ainda estava incomodado com a forma como ele agiu ontem, então apenas observou ele responder que hora ele pretendia fazer a "conversa".
Não ia parecer tão feliz e simpático com Jaeki esse dia.

- Qual vai ser Won? Vai rolar agora ou no almoço? Olha já aviso que se for almoço, me deixem comer antes, eu consigo acabar em dez minutos, aí tô livre depois. Você que sabe, queria fora da escola né?

-A gente pode fazer a conversa agora, no intervalo, se a gente for pra um lugar mais reservado. Talvez o lago - respondeu um pouco mais sério que o normal.

Se concordassem ele começaria a andar até lá, sem esperar muito.

Café Beautiful

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
223

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por The Crown RPG em Sab Abr 14, 2018 2:48 pm

JAE KI E WON- 09/04/2019 - TERÇA-FEIRA. INTERVALO
- Acho que todos nós estamos pensando no fim da aula. - Kang disse com uma cara ligeiramente desanimada. - Terça-feira é, definitivamente, o pior dia. E olha que eu gosto de estudar. Mas enfim, seus clubes hoje são legais? Won e eu temos música!

Um pouco de animação finalmente surgiu.

O garoto não era tolo. Dava para perceber que o clima estava um pouco estranho com os amigos desde ontem. Alguma coisa no discurso de Jae Ki não tinha sido bem vinda por Won Bin. Considerando que Won era o mais reservado dos três - ou talvez o mais tímido mesmo - ele talvez ficasse constrangido com algumas perguntas.

Conseguia compreender. Assim como sabia que Jae Ki tinha lá sua razão. Para Kang era um pouco difícil porque os dois eram muito geniosos - no julgamento de Kang - então, se ele dissesse algo errado, podia parecer que estava tomando um partido e não era bem isso.

Alongou-se um pouco enquanto seus amigos trocavam olhares com as meninas. Apesar dele ser o “Mestre Bang Bang Bang”, começava a achar as meninas daquela turma muito problemáticas para seu espírito indomável. Acabava que era o mais sossegado, sem criar ilusões com nenhuma daquelas riquinhas. Talvez ele fosse o único a acabar seguindo o conselho de Jae Ki. Conselho que nem o próprio seguia.

Vai entender.

Pegou sua mochila apenas por precaução. Mesmo que as pessoas tivessem parado um pouco com aquela perseguição com os bolsistas, Kang era acostumado a receber os mais variados tipos de trotes. E gostavam de envolver seu material. Então, ele preferia sempre manter por perto, mesmo que fosse um peso extra. Colocou a mochila nas costas e olhou para Jae Ki.

- Mas eu acho que realmente podíamos evitar confusão. Só hoje, sabe? A gente nunca consegue comer em paz sem visitar a secretaria. Não é não, Won?

Tentou pedir ajuda, mas o amigo ainda estava olhando para a porta. Só voltou a olhar quando Jae Ki chamou atenção daquela forma. Quando Won sugeriu um lugar reservado, Kang apontou para ele.

- Bora pegar as frutas e comer lá perto do lago. Quer dizer, nas árvores, porque o último lugar que o Jae deve tá querendo visitar é o lago...hehehe..lembrança infeliz, desculpa.

Engoliu em seco e fez sinal de que pararia de falar. Foi andando entre os dois porque de algum modo achava que assim poderia conter os ânimos. Era engraçado como ele era o mais alto dos três, porém, o mais magricela. O blazer ficava um pouco esquisito nele, apesar dele ter seu certo grau de charme.

Quando os três saíssem, veriam Misoo dando um abraço em Eun Bi. Elas estavam na horizontal, para o corredor e o rosto da bailarina não podia ser visto. Contudo, Misoo parecia tranquila ou feliz, de modo que não deveriam estar se consolando por tristeza. E sim comemorando alguma coisa.

Kang olhou por um segundo, acenando para Misoo, mas se perguntando o que poderia ser. Seu lado fofoqueiro, digo, investigativo sempre falava mais alto. Bastou, contudo, olhar para Jae Ki que ele se lembrou da cena do dia anterior. O sorriso cúmplice foi inevitável, mas ele fez sinal de zíper na boca, prometendo que não contaria nada.

Os meninos encontrariam a máquina sem fila e poderiam pegar o que quisesse. O processo seria rápido. A rádio do colégio estava no ar e os integrantes do clube eram apresentados. O capitão - aquele com voz envolvente e ligeiramente troll do dia anterior apresentava sua equipe. No momento, ele estava entrevistando os mais velhos. Não dava para saber se Kim ou Bomi já tinham falado, mas Won não ouviria de toda forma - estariam um pouco longe da transmissão que ficava concentrada no prédio e na quadra, mas não na altura do lago.

Os três poderiam se acomodar debaixo de uma arvore frondosa. Kang usou sua mochila para sentar em cima e já abriu a latinha de suco, todo feliz. Deu um longo gole e olhou para os amigos.

- E então? Qual é a pauta de hoje?
(C) Ross


MISOO - 09/04/2019 - TERÇA-FEIRA. INTERVALO
- Sua halmoni realmente faz milagres não é Sussu? Fico feliz e aliviada por saber que você teve um bom fim de dia! - Era sincera em suas palavras. Se preocupava muito com Misoo e, por um instante, ficou com muito medo no dia anterior.

Nunca antes tinha visto a amiga tão...quebrada. O impacto foi maior do que ela poderia ter imaginado. Mas agora com as coisas mais tranquilas e o sentimento em ordem, achava que a amiga estava ótima. Era um grande alegria.

Abriu um pouco os lábios e curvou as sobrancelhas num arco ao ouvir que ela também tinha sido responsável pela melhor dela. O sorriso veio logo em seguida e ela segurou nas mãos de Misoo. Apertou com carinho antes de tomar o braço dela - ou ter o braço tomado, porque as duas se movimentaram na mesma hora e rendeu uma risadinha cumplice delas.

Eun Bi levou a amiga até perto da janela, no fim do corredor e da sala. Mia ainda não tinha saído e a verdade era que preferia contar aquilo apenas para sua melhor amiga. Não era como se não gostasse de Mia, pelo contrário. Mas havia certos segredos e situações da vída que ela preferia compartilhar apenas com a pessoa que ela seria capaz de dividir um rim, se fosse preciso - a amizade delas era nesse nível, aos olhos da bailarina.

Começou contando sobre a aula de dança, falando qual seria a coreografia delas. Concordou que a música era aquela, mas depois se sentiu um pouco culpada por contar sobre Taemin e a dança. Coçou a cabeça.

- Não foi nada demais. E nós dançamos mesmo essa música no festival. A professora não deve saber da situação do lago, mas eu também não quis causar desconforto. O Taemin não me provocou, sabe? Parece que provocou o Jae Ki. Na verdade, ele tem dado o espaço que eu queria. Talvez tenha se arrependido do que fez.

Ponderou.

- Não estou defendendo, tá? Eu fiquei muito decepcionada com ele. Mas ele é o meu parceiro de dança, Misoo. O que eu posso fazer? - Cruzou os braços, franzindo as sobrancelhas. - Não quero que você brigue com a professora por isso. Nesse sentido, eu estou bem.

Olhou para a amiga quando ela quase chamou Jae Ki de delinquente, mas sorriu diante do esforço dela. Meneou de modo positivo, confirmando que ele estava lá e que tinham sim um gosto em comum.

Ficou quieta quando ouviu o discurso sobre a dança. Lembrava-se como Misoo tinha ficado desconfortável por ter dançado aquilo também, mas no fim das contas, mandou super bem na apresentação. O que a deixou feliz, de verdade, foi que ela concordou com Jae Ki sem nem perceber. E mais do que isso, dizia que gostava dela. As bochechas foram corando de novo porque ela nem tinha chegado na parte mais importante de sua narrativa.

E quando veio, não conseguiu se conter, escondendo o rosto com as duas mãos.

- Ele não é nem um pouco delinquente. - Confirmou, mas então Misoo começou a elencar as coisas que ele tinha feito.

A bailarina engoliu em seco e foi se aproximando, a sacudindo um pouco para que ela parasse de falar dos defeitos dele. Se fossem apontar tudo o que Jae Ki já tinha feito nos últimos dias, elas ficariam o intervalo inteiro ali. Mas Eun Bi partiu em defesa.

- Ele também recuperou meu celular de bandidos, brigou com os bandidos, mergulhou no lago para me salvar, me salvou no sábado. Ele sabe ser adorável quando quer.- Suspirou de um jeito apaixonado, olhando para o horizonte.

Não ouviu muito bem sobre ele ter ajudado - ou quase - no dia anterior. Ainda estava revivendo as cenas que citou.

- Me deixou feliz sim.

Encarou a amiga e deu uns pulinhos quando recebeu o abraço. Sossegou nos braços dela, deitando a cabeça no ombro e olhando na direção da janela. Quem olhava para o corredor era Misoo. Ela veria Kang, Jae Ki e Won saindo da sala de aula.

Kang estava no meio e ao olhar para as duas, acenou de modo amistoso para Misoo. Eles não se demoraram, contudo, seguindo de modo até apressado para algum lugar. A porta do 2º ano abriu e os alunos meio que se misturaram, por isso Eun Bi não os viu quando soltou o abraço.

Mia saía da sala dando um suspiro e passando a mão na nuca, bagunçando um pouco o cabelo curto. Sacou o celular para procurar pelas meninas, mas nem precisou. Ergueu a mão, falando.

- Ya! - Aproximou-se. - Nossa, finalmente vamos conseguir passar um tempo juntas, né?

- Sim, Mia-yah! Você andou muito sumida.

- Só se for de confusão, né? Vocês que se metem numa confusão atrás da outra. Não cansam não? - Perguntou de modo engraçado.

Eun Bi deu uma risada.

- Falando em confusão, como ficou a última, Misoo-yah? - Mia foi bem direta enquanto enfiava o celular no bolso. - É uma Sra Park?
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Convidado em Sab Abr 14, 2018 4:31 pm


MiSoo ouvia a explicação de EunBi fazendo uma careta e mudando o peso do corpo de um lado do outro.

- Arrependido, Ubiyah? Aish. Eu só vou acreditar se primeiro o Taemin vier até você, se desculpar e dizer que se arrependeu e depois demonstrar que não vai agir mais como um vilão de novela. - bufou - Antes disso eu não acredito. Ainda acho muuuuuito ruim a atitude de jogar alguém que não sabe nadar no lago! Quem garante que ele não vá fazer algo pior se tiver a oportunidade?

Estava preocupada com sua amiga perto daquela pessoa que tinha se mostrado tão perigoso para o bem da bailarina. Por causa dele EunBi tinha ferido o pé também!

- Você poderia trocar de parceiro de dança! - respondeu com um sorrisinho petulante, mas não continuou no assunto - Okay, okay. Não farei nada com a professora, por enquanto. Mas se as coisas ficarem ruim, não vou ficar com medo de falar. Você é a melhor dançarina dela, tem que ser tratada direito! - disse com convicção, mesmo sem saber da habilidade de tudo mundo do clube.

Depois disso começaram a falar de JaeKi. MiSoo ainda não estava 100% contente com ele, mas já estava melhor do que antes e agora ainda se esforçava para ver o lado bom dele e do sentimento que a amiga e o garoto dividiam.

MiSoo se surpreendeu ao ouvir sobre o beijo, mas não, ainda não era tão “grave” assim.

- “Nem um pouco delinquente”...? - repetiu a frase de EunBi, estreitando os olhos e começando a falar das partes ruins do garoto das quais lembrava - Aish! Eu teria lhe salvado no sábado se a ommoni não houvesse se metido! - respondeu de um jeitinho marrento, que logo se dissolveu em um dos conhecidos risos de MiSoo que indicavam que estava só implicando de brincadeira.

Tinha ignorado o jeito apaixonado que EunBi falou, pois se tivesse prestado atenção certamente teria revirado os olhos e implicado um pouco mais.

- Então espero que continue feliz! - mas se ele fizesse EunBi chorar, ia dar um jeito de quebrar o garoto no meio, foi o que pensou ao abraçar a amiga.

MiSoo alisava delicadamente os cabelos da amiga e visualizou o trio saindo da sala, deixando o cabelo de EunBi um pouco de lado para corresponder o aceno de Kang e sorrir gentilmente para ele e para quem mais acenasse. Mas os garotos não se demoraram muito e saíram, talvez estivessem com pressa de ir para o refeitório comer. Já MiSoo tinha pouca vontade de ir até lá. Não estava pronta para lidar com os olhares, mas logo achava que estaria.

A garota soltou EunBi e sorriu para ela. Ia avisar que os garotos tinham acabado de passar, mas Mia surgiu no meio de alunos de segundo anos e tirou a atenção da tenista sobre isso.

- Mia-yah! Que saudades! - quase pulou em cima da garota mais velha para abraçá-la também e concordou com a cabeça com o comentário de EunBi - Estava escondida por aí?

- Aish! - estreitou os olhos mais uma vez - Se ainda eu fizesse de propósito! Daqui a pouco eu tenho que me mudar da Coreia se continuar assim! - pousou as mãos nas laterais da cintura.

A tenista fez um biquinho ao ouvir Mia mencionar a “última confusão”. Os ombros tinham até caído um pouco.

- De novo isso de Sra. Park?? - bufou - Não, ainda não sou. - abaixou o tom de voz, se tornando um pouco mais inseguro - Não falei com ele ainda… Mas… Aigo! Estou com vergonha… - cobriu o rosto com as mãos - E nervosa… - falou com a voz abafada pelas mãos.

— Ross
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por The Crown RPG em Sab Abr 14, 2018 7:23 pm

MISOO - 09/04/2019 - TERÇA-FEIRA. INTERVALO
Eun Bi não estava chamando Taemin de santo, nem coisa do tipo. Sabia - e como sabia! - que ele tinha agido de modo muito maldoso, cruel, quase insano. Mas o que ela quer dizer foi que ele não fez nada depois disso. Era um pouco estranho ou, no mínimo, curioso. Taemin não era conhecido por ser uma pessoa paciente ou calculista. Ele era bem impulsivo e quando queria algo, ele não analisava as chances não.

Por isso Eun Bi achava que alguma coisa tinha acontecido. Nem que fosse o mínimo de peso na consciência dele. No entanto, ela não estava desculpando ou o livrando da responsabilidade.

Não.

Só achava que desde que ele ficasse longe dela, sem aborrecê-la, eles poderiam conviver bem. Sem se falar, porém, bem.

Depois que passaram por esse tópico e focaram no que realmente importava para Eun Bi, a expressão da bailarina mudou completamente. De pensativa e angustiada, ela ficou fofa, leve, feliz, romântica. Deu uma risada gostosa quando Misoo repetiu a fala dela daquele jeito, cerrando os olhos.

- Só um pouquinho bad boy, mas não é delinquente… - Falou fazendo uma manha e riu de novo. - Da próxima vez você pode ser minha Amazona de Armadura Branca. - Levou a mão até o peito, num drama como se fosse uma princesa em apuros, que precisasse de salvação.

O abraço veio logo em seguida e acabou que Eun Bi nem viu Jae Ki saindo com os meninos. O segundo ano começou a sair da sala e Mia foi de encontro a elas. A garota mais velha olhou animada para Misoo e a amparou quando ela deu aquele pulinho. Apesar de ser uma unnie, elas não se tratavam de modo formal, usavam sufixos bem próximos.

- Não, não. Eu estive um pouco ocupada só. Acho que todas estivemos, mas eu não estava indo pra secretaria toda hora. - Fez uma careta para elas.

-Nem me lembre, unnie. - Bufou. - Faltam 4 louças do almoço para lavar.[/color]

- Nossa… - Lamentou pela sorte delas. Olhou para Misoo e deu uma leve risada. - Exageraada. Não foi a primeira, nem será a última vez. Tenho certeza disso.

Foi então que Mia mencionou a última confusão e fez aquela pergunta. Eun Bi ficou um pouco mais séria, pois também estava ansiosa pela resposta de Misoo. Porem, algo fez a sobrancelha de Mia se arquear.

- Ainda não é? - Levou a mão até a boca, dando uma risadinha de implicância fraternal. - Apesar de você ser a doida que está pensando demais, eu percebi esse “ainda”. Mas seu nervosismo é compreensível. Eu também estaria, se fosse você.

- Você está deixando a Sussu mais nervosa ainda, Mia-yah.

- Miane, não quero que você perca seu controle. Mas é verdade. Acho que você é a única menina desse colégio que hesitaria em aceitar namorar um Park. Não é, Bibi?

- Ahm… - Eun Bi ponderou. - Eu não sei dizer. Nunca nem pensei na possibilidade. Ele sempre esteve num patamar tão elevado que nunca pensei que fosse opção.

- Wae? Vocês dois são bonitos, formariam um casal bonito, se fosse o caso.

- De. Mas não é comum ranking 1 se misturar com uma ranking 2 com pais separados. De todo modo, eu realmente não sei. Hoje eu diria que não aceitaria, mas se acontecesse antes, quem sabe?

- Ta vendo? Nem você recusaria. Só a Misoo mesmo.

Elas conversavam de modo cúmplice e baixinho, mas tanto Mia quanto Eun Bi ficaram um pouco coradas quando o próprio Jung Mi saiu da sala. Não parecia que ele tivesse ouvido alguma coisa, mas, mesmo assim, foi um sustinho que elas passaram. O garoto saiu sozinho da sala e olhou para os dois lados apenas para ter uma visão do perímetro.

Quando o olhar recaiu em Misoo e as amigas, ele hesitou por um instante e a expressão super fechada se suavizou. De certo modo, parecia até um pouco tímido. Ele mexeu a cabeça de leve, num cumprimento silencioso, mas não forçou uma aproximação, simplesmente tomou o caminho do corredor e partiu.

Mia e Eun Bi continuara em silêncio e com a boca ligeiramente aberta.
(C) Ross
[/quote]
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Jae-ki em Sab Abr 14, 2018 7:56 pm


Quando Kang perguntou sobre os clubes, Jae-ki logo respondeu com um sorriso suave:

- O meu vai ser artes. Esse é o clube que eu tô mais afim. Música parece difícil, hein.

Ele estava animado para o clube, mas não tanto quanto antes, depois do que aconteceu no clube de dança, sabia que devia ser cauteloso. Embora não conseguisse pensar em como arte poderia ser ruim, não dava para prever se alguém como Taemin estaria por lá ou uma professora doida. A parte boa era que de arte ele geralmente mandava bem, mesmo que usasse materiais diferentes, sabia ser criativo e tinha um bom olho para detalhes.

Jae-ki pegou sua mochila depois de enfiar seu material dentro, também não andava sem ela. Ouviu o que Kang tinha a dizer sobre evitar confusão. Jae sorriu, seus amigos eram mesmo diferentes. Se eles soubessem o quanto ele parava na secretária em sua antiga escola, era praticamente uma rotina. Nem achava que tinha ido tanto a secretaria assim. Mas agora tinha que ser um garoto "bonzinho", respirou fundo ao pensar nisso.

Percebeu que Won estava muito calado, era visível que devia estar chateado, mas Jaeki não entendia o motivo. Para ele o único que tinha motivos para ficar aborrecido era ele mesmo! E no fundo ainda estava chateado, porém não planejava brigar ou algo assim. Depois de fazer a pergunta ao amigo, ouviu a resposta fria dele, isso o fez fechar um pouco o semblante. "Aishh... Sério isso? Eu não fiz nada para ele agir assim." Em seguida ouviu a sugestão de Kang e concordou, porém suspirou quando ele mencionou do lago. Apoiou a mão no ombro do amigo e disse:


- Foca nas frutas Kang, gaja!

Enquanto andavam para fora da sala, Jae-ki reparou em MiSoo abraçando a amiga, parecia tudo normal. Era uma pena que não pudesse ficar conversando com Eun-bi mais vezes, gostava tanto desses momentos. Ainda bem que as coisas no clube de dança tinham se acertado, ao menos era o que achava. Notou o olhar de Kang e arregalou os olhos tentando avisá-lo para ser discreto, o amigo logo o respondeu fazendo sinal de zíper. Sabia que provavelmente ele não aguentaria guardar o segredo, mas tinha que treiná-lo para isso ao menos. Só de lembrar donque houve seu coração até voltava a bater acelerado. Era incrível como um gesto tão simples tinha o poder de deixar ele tão louco. Nunca havia sentido algo assim por causa de um beijo na testa, não que tivesse beijado outras garotas assim. No caminho tentava imaginar o que Eun-bi tinha pensado sobre isso. Será que para ela também era como ele sentia?

Chegando na máquina de comida, Jae-ki sabia o que queria, pegou bastante coisa já que não poderiam voltar, algumas bananas e duas maçãs, uma garrafa de água, e por fim pegou mais uns morangos, gostava do sabor mais azedo. Quando chegaram ao local escolhido, Jae-ki sentou em cima da mochila também para não sujar a calça. Era até um bom lugar, bastante verde, um vento fresco. Talvez pudesse trazer Eun-bi ali também, não devia ter câmeras. Já comia sua maçã quando Kang começou a falar, esse amigo sempre falava de um jeito diferente. De onde ele tinha tirado pauta? De boca ainda cheia, Jae respondeu:


- Olha só... A parada é que Won tava esperando o momento certo pra me contar aquelas coisas, né? Foi pra isso que a gente marcou, ué. - Apontou a maçã mordida para Won -Então acho que ele que começa.



— Ross


avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
275

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Convidado em Sab Abr 14, 2018 10:35 pm


MiSoo fez uma careta excessivamente pensativa com EunBi corrigindo ela. “bad boy”, não delinquente! Tinha diferença? Para MiSoo, se tinha diferença, não era muita coisa, exceto que usava esse termo nos filmes para denominar um cara mais… Rebelde. indômito?

- Aish! - deu um largo sorriso - Amazonas de Armadura Branca! Ah… Mas eu nem sei cavalgar… - fez um biquinho inconformado - Pensando bem até no lago eu poderia ter lhe salvado,se ele não estivesse mais perto! É claro que ia conseguir lhe puxar de lá, sou muito forte! - flexionou os braços, que estava escondidos sob a camada as camadas da camiseta e do casaco.

Abraço e aceno dados, Mia demorou apenas instantes para se juntar a dupla e MiSoo estava feliz em poder vê-la novamente. Tanto que pulou nos braços dela.

- Só fomos uma vez esse ano! - MiSoo falou, corrigindo a ideia de Mia - Não somos frequentadoras assíduas da secretaria.

EunBi mencionava a louça que ainda teriam que fazer e MiSoo já tinha outra careta de desgosto estampada no rosto. Iam até perder o clube de ténis por culpa disso, provavelmente!

Quando tirou uma risada de Mia, ao falar que teria que sair da Coreia por tantas confusões que criava ali, MiSoo acabou a acompanhando na reação e rindo junto.

- Ainda bem que estudo inglês. Já tenho algumas possibilidades como rota de fuga. - comentou em meio aos risos.


O riso deu lugar a expressão emburrada. Mia continuava lhe chamando de Sra. Park.

- Eu que sou a exagerada! - exclamou antes de corrigir a amiga.

Mia continuava implicando e MiSoo apertou os lábios, respirando fundo antes de respondê-la.

- Por pensar de menos eu já estou criando os planos para sair da Coreiaaa! - lembrou a garota, mesmo que não se passasse de uma brincadeira - Claro que estou nervosa. Olha toda essa bagunça e… - suspirou, segurando o resto da frase para si e concordando com o comentário posterior de EunBi.

A conversa estava elevado o nervosismo da tenista.

Ficou mais quieta quando Mia começou a comentar sobre MiSoo ser a única que poderia rejeitar Jung Mi. Então todo mundo tinha o mesmo interesse?

- Você vê? - apontou para EunBi depois do comentário dela - Faço das palavras dela as minhas. Nunca pensei também.

Continuou a ouvir a discussão das duas acerca do garoto. Os dois eram bonitos, de fato, mas só isso era suficiente para formar o casal? Aí sim MiSoo ao lado dele faria menos sentido.

MiSoo fez outra careta e cruzou os braços com a explicação final de EunBi. “Hoje” não aceitaria, hm? Mas não conseguia mesmo ver EunBi com ele e por isso fez o comentário:

- Eu não acho que a Ubiyah iria namorar com ele. Não combinam. Ele combinaria muito mais com… - ia mencionar a BoMi, mas freiou o comentário ali mesmo, não querendo enfiar a garota na conversa de jeito nenhum e se forçando a trocar o assunto repentinamente - Rankings iguais… - simplesmente falou isso, erguendo as mãos abertas em frente ao corpo.

O trio notou que Jung Mi finalmente saia da sala, mas apesar das amigas corarem e até mesmo MiSoo se encolher um pouco em seu canto, a garota não deixou de manter o olhar firme na direção dele. Mesmo que estivesse nervosa e com vergonha, o observava com determinação.

- Aish. Ainda tenho que falar com ele… - resmungou baixinho - Mas… Mas… É melhor fazer isso logo, não? Podem esperar um momento? - engoliu em seco, inflou o peito, se enchendo de determinação e buscou o olhar das amigas uma última vez antes de se afastar delas e ir atrás do garoto.

Em vez de chamá-lo, apertou o passo e o segurou pelo braço, na altura do cotovelo.

- Por que está fugindo se temos que conversar hoje? - disse de modo firme, fitando seus olhos com uma expressão séria e indecifrável, como se a garota de agora não lembrasse em nada a de ontem.



Por fim, depois da expressão séria, deu um sorrisinho ao garoto.


— Ross
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Won-Bin em Dom Abr 15, 2018 12:41 pm



- Acho que todos nós estamos pensando no fim da aula. - Kang disse com uma cara ligeiramente desanimada. - Terça-feira é, definitivamente, o pior dia. E olha que eu gosto de estudar. Mas enfim, seus clubes hoje são legais? Won e eu temos música!

Assentiu com a cabeça, ainda meio sério, o clima não estava ficando menos pesado.

-É, hoje é o dia mais puxado. Sim, tem música também. Se for tão bom quanto teatro vai ser legal - respondeu de forma bem simples.

Pegou sua mochila também seguindo o exemplo dos amigos.

"Eu tenho a impressão que hoje também não vai ser um intervalo em paz"

-Ok, vamos pegar frutas
- disse concordando, sem tirar um pouco a seriedade. Não se sentia bem com a situação.

Não se sentia bem em ser pressionado a contar as coisas como estava sendo agora, muito menos na confusão que sentia ao saber que Jae-ki falava e sabia de coisas da Bomi que ele não sabia, afinal levou tanto tempo pra conseguir sequer conversar a sós com ela por conta das confusões de Jae e Eunbi...saber que ele mesmo conseguira isso era incomodo.

Ao ver Misoo abraçando Eunbi sentiu um pouco de alívio: ainda havia amizade entre elas e motivo para comemoração mesmo com a confusão de ontem, mas ainda restava saber se ela e BoMi estavam bem também.
Won acenou brevemente para Misoo e seguiu o caminho em seguida. Notou que Kang parecia saber de mais algo pelas expressões que dava para Jae-ki.

Pegou uma água e uma maçã e foi com os dois para a parte mais afastada.

@Jae-ki escreveu:- Olha só... A parada é que Won tava esperando o momento certo pra me contar aquelas coisas, né? Foi pra isso que a gente marcou, ué. - Apontou a maçã mordida para Won -Então acho que ele que começa.

"O momento certo que você não me chantageasse pra contar pra ser mais exato"

Suspirou, se fosse pra fazer isso que fosse logo.

-Eu conheci a Bomi antes de entrar pra Wangjo, no fim das férias quando saiu o resultado da prova. Ela quase foi atropelada porque eu tirei ela da rota de colisão de uma moto - explicou sobre como conhecia ela antes. Kang já saberia desses detalhes.
-Quando eu vi que ela estava na nossa sala eu fiquei confuso, eu achei que eu nunca ia ver ela de novo

Nem tocou na maçã ainda.

-Acontece que durante essa semana toda na Wangjo eu só consegui conversar com ela, pessoalmente e sem confusão de gente indo para secretaria ou algo do tipo, anteontem no domingo - cruzou os braços - Eu gosto dela, só não sei bem como fazer isso funcionar. Meu pai é policial vocês sabem, e ele conhece o nome da família dela por um caso antigo que ele investigou no passado e simplesmente odeia sequer ouvir do nome dessa família. Então por enquanto eu quero saber porque, e aí eu vejo o que fazer...

Resumiu bastante a história toda, mas achou que deu as informações sem omitir muita coisa.

-Algo mais que quer saber, Jae-ki? - parecia aborrecido e realmente estava.

Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
223

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Jae-ki em Dom Abr 15, 2018 4:31 pm


Jae-ki ouvia o seu amigo Won com atenção enquanto mastigava sua maçã e já ia para próxima. Para ele não havia tempo ruim para comer, comia quando estava feliz e também comia quando estava chateado.

Finalmente Jae-ki conseguia ouvir Won explicar que gostava da Bo-mi. Era tão melhor quando conseguia entender as coisas, agora poderia ajudar mais o amigo a conversar com a garota. A parte ruim era o pai dele, Jae podia imaginar o porquê disso, sabia uma parte da história. Mas não entendia porque Won ficava com essa cara de aborrecido, isso só o fazia irritar-se também. " Aishh... Será que Won tá achando é culpa minha ele não ter falado com a Bo-mi antes?". Não, não podia ser isso. Mas então por que? Cada vez mais os dragões pareciam mais diferentes dele do que tinha imaginado.

- Eu não sei se tem mais, Won, se eu soubesse não teria perguntado - Respondeu sério - Quando alguém me conta uma coisa, eu não saio contando pros outros. Por isso eu não ia contar da Bo-mi se vocês não tivessem nada ver.  

Jae-ki respirou fundo antes de começar a contar o que tinha combinado, em voz baixa:

- Eu acho que sei porque o seu aboji tá assim. A Bo-mi me falou que o avô dela foi preso pelo próprio pai, para limpar o nome da família.  Ela é uma garota muito legal, foi quando a gente foi expulso da secretária. Aí ela me deu uns conselhos e me contou isso. E falou também que teve problemas com os alunos daqui por causa disso da família, mas de algum jeito ela e o irmão dela lá conseguiram resolver. Ela também me explicou dos ranking de riqueza e tal. 

Jae-ki mastigou alguns morangos antes de finalizar o relato:


-  E no intervalo, eu vi ela passando com a cara branca, como se tivesse passando mal. Eu acabei indo lá ver se ela tava bem. Aí a Bo-mi me disse que tinha visto algo, ou ouvido, sei-lá, uma coisa que não podia ter ouvido. Parece que de uma pessoa que ela tem muito medo, mas que ninguém notou. Aí eu falei para ela não ficar com medo porque tinha gente que ia proteger ela, tipo você, o Won. Ela não entendeu bem, mas eu falei isso porque você tá sempre tentando ajudar os outros mesmo. E antes que fique mais irritado, eu não disse mais nada de você.

Após terminar de contar tudo, Jae-ki respirou fundo, estava também meio chateado pela forma como o amigo agia, e por isso também disse:

- Tá na cara que você odiou me contar. Eu só queria ajudar, mas não vou te obrigar mais a aceitar minha ajuda. E quer saber, não precisa me contar mais se você não quer, falou? Eu já entendi, cada um escolhe para quem vai contar. Só não coloca depois a culpa em mim.  

Jae-ki continuou comendou suas frutas, embora fosse curioso e achasse ruim o amigo lhe esconder as coisas, não queria mais ver essa cara aborrecida dele. Não podia obrigá-lo mesmo a contar, além disso o devia muito para criar uma discussão sobre isso.


— Ross


avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
275

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Won-Bin em Seg Abr 16, 2018 1:22 am



Won apreciou não ter sido interrompido enquanto falava. Jae-ki ouvia com atenção tudo o que dizia.

- Eu não sei se tem mais, Won, se eu soubesse não teria perguntado - Respondeu sério - Quando alguém me conta uma coisa, eu não saio contando pros outros. Por isso eu não ia contar da Bo-mi se vocês não tivessem nada ver.

Não tirou a expressão séria. Ele podia ter razão mas por que ele não disse nada? Afinal ele falava tanta coisa, por que essa conversa foi omitida?

- Eu acho que sei porque o seu aboji tá assim. A Bo-mi me falou que o avô dela foi preso pelo próprio pai, para limpar o nome da família. Ela é uma garota muito legal, foi quando a gente foi expulso da secretária. Aí ela me deu uns conselhos e me contou isso. E falou também que teve problemas com os alunos daqui por causa disso da família, mas de algum jeito ela e o irmão dela lá conseguiram resolver. Ela também me explicou dos ranking de riqueza e tal

-Hmmm, dessa parte do avô da família eu sabia mas eu não tenho detalhes... - a expressão de incomodo começava a mudar para a expressão que fazia quando queria investigar algo.

"Pelo menos ele está me contando agora"

- E no intervalo, eu vi ela passando com a cara branca, como se tivesse passando mal. Eu acabei indo lá ver se ela tava bem. Aí a Bo-mi me disse que tinha visto algo, ou ouvido, sei-lá, uma coisa que não podia ter ouvido. Parece que de uma pessoa que ela tem muito medo, mas que ninguém notou. Aí eu falei para ela não ficar com medo porque tinha gente que ia proteger ela, tipo você, o Won. Ela não entendeu bem, mas eu falei isso porque você tá sempre tentando ajudar os outros mesmo. E antes que fique mais irritado, eu não disse mais nada de você.

Arregalou os olhos, sentiu o sangue subir.

"De quem ela tem medo? Yerin?"

Colocou a mão no queixo, pensativo com tudo o que ouvira. No fim Jae-ki não tinha muito mais do que ele sabia, tirando o detalhe de que era o assunto do avô era sensível a ela e a família e isso a prejudicou no passado.

- Tá na cara que você odiou me contar. Eu só queria ajudar, mas não vou te obrigar mais a aceitar minha ajuda. E quer saber, não precisa me contar mais se você não quer, falou? Eu já entendi, cada um escolhe para quem vai contar. Só não coloca depois a culpa em mim

-O que eu odiei foi ser pressionado a contar. Se eu não quero falar das coisas na hora é porque eu tenho um motivo. A hora de falar sobre isso seria boa justamente agora, não no meio da sala de aula ou durante as confusões do intervalo, muito menos por celular - disse tentando soar menos irritado do que antes.

-Meu pai está brigado comigo justamente por assunto, eu não quero colocar mais lenha na fogueira, por isso eu falo pouco. Mas agora eu preciso pensar no que fazer em seguida. Não só pro meu problema, mas para o que vamos fazer aqui na Wangjo...

O mapa mental surgia na sua mente.

-O resto da semana em paz, os ricos que odeiam a gente quietos e nada acontecendo aos bolsistas...isso vai acabar, em breve e eu tenho quase certeza disso - as coisas não seriam fáceis aos dragões - Ou a gente se prepara pro que vem aí, ou a gente não vai durar mais um mês

-Eu tenho um plano, ou pelo menos um conceito de plano. Eu quero sua ajuda Jae-ki, mas não pode acontecer da forma confusa que a gente tem feito as coisas. E Kang... - olhou sério para o amigo - A gente tem que aprender a ser discreto. Tipo, discreto pra valer

Não queria criticar o amigo, sabia que não fazia por mal, mas foram várias vezes que ele com a língua entre os dentes que os prejudicaram.

-Quero confiar em vocês pra fazer isso. Quero descobrir porque meu pai odeia a família dela e tentar consertar isso, também quero proteger ela, a gente, e quem precisar dos caras ruins da escola

Respirou fundo.

-Confesso que não gostei do fato que você falou com ela e nem comentou com a gente. Você não sabia, eu sei, mas eu...eu não gostei, só isso

Foi sincero, afinal era esse o melhor traço que os três compartilhavam.

Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
223

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Dong Hee Kyung em Seg Abr 16, 2018 3:44 am


[ Casa da Stella ]


Sentindo o joelho arder, Dong chegou na toca da canceriana, no buraco da praia calcado nas profundezas da areia... Digo, a primeira coisa que notou era aquele perfume, um cheiro adocicado mas que não seria enjoativo. Cumprimentou a senhora Jun, certificando-se de saber como estava passando e também o futuro Stello. Ser convidado para o jantar era o paraíso, aquela mensagem anterior sobre ele comprar ou esquentar, não soava tão atraente como  com aquela bela jovem arrancadora de pelos de joelho. Comeria sim e agradeceu muito pela cortesia, mas prometendo que não faria bagunça, era daquelas visitas chatas que não queriam dar trabalho mesmo os donos da casa se oferecendo.

Ao chegar no ps4, Dong não tinha a pretensão de fazer ciumes nela, a escolha foi um jogo de luta para realmente baterem um no outro, sentia que jogar cooperativo seria muito politizado, luta era algo em que eles se soltavam mais. Kyung não procurou por jogar com Min Ho naquele momento, teria outras chances de interagir com o amigo e não seria no covil da carangueja, naturalmente.

O virgo tinha bom senso nesses quesitos por mais viciado que fosse. Foi divertido duelar contra ela isso fez um pensamento germinar em sua cabeça, por que não fazer um canal no youtube sobre jogos e chamar Stella e seus amigos? Já que ela gostava tanto... seria um sucesso ver uma garota gamer dando surras num bando de nerds viciados, uma representante legitima das personagens femininas nos games!

Não... talvez estivesse exagerando, quando o horário bate Dong retorna a realidade, ao planeta onde vivem. Se levantou e arrumou os controles, colocando proximo ao console, lado a lado bem enfileiradinho. Ainda teve a pretensão de mexer nas laterais do console com a mão, no intuito de "ajeita-lo" na posição correta aos seus olhos.

Ele se apresenta a professora, igualmente. - Seja bem vinda, me chamo Dong Hee Kyung é um prazer, alias, uma honra. Não irei atrapalhar prometo. - Quando as duas começam a aula, o garoto envia mensagens aos amigos dizendo que estava acompanhando as lições, e que pareciam, muito mais complexas do que eles viam em filmes ou seriados. O ambiente daquela casa era otimo, junto da profissional.. e motivação de Stella, ficava... ainda melhor. Quem dera fosse assim, ao falar de natação com o pai dele, mas nem de longe.

E por falar em pai... uma surpresa ocorre quando o Sr Jun chegava, o homem não parecia ter problemas em ver a visita que talvez, nem fosse mais inesperada, no fim, valeu muito a pena ter desistido de se viciar com Min-Ho. Moido mas satisfeito, Dong seguiu para sua morada acompanhado do leal motorista que já deveria estar calvo de fazer tal trajeto...

Os dias dele seriam ocupados e isso era uma coisa maravilhosa para alguém feito Hee Kyung, se manter estudando era se manter em sintonia com suas habilidade de memorizar e dissertar, amava escrever e aprender, desafios intelectuais se desabrocham atraentes, ele já estava concluindo que se matar de estudar parecia mais gostoso que jogar. Um nerd daqueles, alguém poderia concluir. Muitos dos termos de informática aprendidos ele já conhecia, as teorias se revelam básicas mas esta era a premissa da professora, prepara-los para o que estava por vir, novamente, Dong teria que pensar no seu famigerado projeto, contaria com a ajuda dos seus amigos, especialmente, para pensar num novo nome que não fosse tão chamativo ou pejorativo, pois ele teme que a professora não goste do termo.


Quanto o clube de xadrez... seria uma conversa um pouco diferente. Nesse tipo de ambiente você aprende muito sobre táticas, estratégias... basicamente, como ler as pessoas e prever seus movimentos, através de gestos... ou pequenas atitudes. Esses jogos apesar de considerarem como bobos ou coisa de nerds, eram usados na antiguidade por reis e até mesmo para traçar guerras. Por ser o senhor Chung, o aluno já poderia ficar com um pé atrás mas... no meio desse ambiente o homem se mostrava mais solto, digamos assim. Kyung evitou dizer que preferia ele lecionando sobre esse tema do que matemática.

No fim até mesmo Xadrez ou Sudoku não escava da premissa dos numeros e calculos. Finalmente chegou um dia em que dispunha de tempo vago...

Ele planejou uma ida até o café onde a mãe era proprietária, Dong não e recordava de ter visitado o lugar mesmo sendo avido por cafeina (talvez por medo de dar prejuizo ou exagerar nas doses).

Convidou Stella e Min-Ho previamente... mas sem avisar que os dois estariam presentes (Eles achariam que só o garoto estaria lá). Chamou Jun por que... bem, não precisava exatamente de uma razão para estar com ela por perto, na verdade, esperava que gostasse do local pois ela gostava mais de chá. Ho por outro lado, ele queria quitar algumas saídas já que havia uns dias que escutava coisas como "só sai com ela agora, esqueceu dos amigos".

Aguardou os dois figura na entrada da cafeteria para então... passar pela porta, afim de inspecionar como era o local por dentro. Dong sabia que Sunny trabalhava lá e ve nessa ida... uma boa chance de talvez, conhecer melhor aquela bela e doce jovem. Até que estava bem arrumadinho, a franja penteada para um dos lados, blusa de manga comprida e calça jeans negra, claro, sem deixar de faltar a grossa armação escura de seus óculos.

Dias e Migues adentro

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seul, Coreia do Sul

Data de nascimento :
09/09/2003

Mensagens :
118

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por The Crown RPG em Qua Abr 18, 2018 2:56 am

MISOO - 09/04/2019 - TERÇA-FEIRA. INTERVALO
Eun Bi fez uma cara engraçada quando Misoo disse que seria capaz de salvá-la do lago. Seria mesmo uma linda prova de amizade, mas...Preferia do jeito que tinha sido. Quantas chances ela teria de ser carregada por Jae Ki sem levantar suspeitas ou coisa do tipo? O melhor seria não ter caído no lago, verdade, mas até que o resultado final tinha sido positivo.

Pelo menos fazia com que ela suspirasse algumas - muitas - vezes quando se lembrava.

Com a chegada de Mia, esse tópico foi deixado de lado. Eun Bi era um pouco mais contida na frente da unnie. A pessoa que ela mais confiava era Misoo e por isso contava tudo para ela, até os detalhes. Com a unnie ela era um pouco mais sucinta.

As meninas concordavam que fazia muito tempo que não se reuniam e Mia colocava a culpa nas vezes que elas se metiam em confusão. A garota deu uma risada com o argumento de defesa de Misoo.

- Mas só tem uma semana de aula. E quantas vezes já foram para a enfermaria? Ou apareceram num vídeo?

- Unnie! - Eun Bi disse um pouco mais alto, mas logo fez um beicinho invocado e mexeu na ponta do cabelo. - Nós já entendemos...Não precisa ser tão ruim ou repetir. Aish… - Cruzou os braços e virou a cabeça para o lado.

- Talvez eu devesse colocar um pouco de juízo na cabeça de vocês mesmo. - Mia não se abalou com o muxoxo de Eun Bi e continuava com aquela postura superior, de quem era mais maduro e sabia conduzir melhor suas decisões.

Colocou as mãos no quadril, alimentando essa imagem. Porém, logo quis saber sobre Misoo e o tal namoro-fake-possivelmente-não-fake com Jung Mi. Era um pouco difícil não deixar a menina nervosa, porque o simples tema já a deixava angustiada. Por isso mesmo, Mia tentava ajudar e aquele comentário sobre ela ser diferente, era, na verdade, um elogio. Durante a conversa direta com Eun Bi, a bailarina disse que nunca tinha pensado nisso por conta dos rankings, mas hoje tinha a certeza de que diria não.

E talvez fosse chamada de maluca por isso. Afinal, se ela estivesse no lugar de Misoo, trocaria o príncipe pelo pebleu mais ferrado daquele colégio. Mas sentimentos não seguiam a razão, eram opostos, na verdade.

Foi uma surpresa ouvir que de Misoo que eles não combinavam. Pelo menos para Mia que estava avaliando a aparência e popularidade dos dois. Mas talvez a tenista tivesse razão. Ela era, afinal, mais próxima dele do que qualquer uma das meninas ali. Antes que a conversa continuasse, o próprio garoto saiu da sala e deixou tanto Mia quanto Eun Bi sem palavras.

Não era apenas a presença dele, mas também o fato dele ser o tema da conversa. As meninas coraram e trocaram um olhar discreto. Jung Mi não notou - ou fingiu não notar - apenas reverenciando de modo polido e firme as três. Nada disse e logo se virou para continuar seu caminho. pelo corredor.

Misoo chegava à conclusão que era melhor ir de encontro ao tema do que continuar enrolando. Quando ela pediu para que as amigas a esperassem por um minuto, as duas encararam com certa estranheza.

Seria rápido?

- Ahm...Vamos esperá-la no refeitório, que tal?

- De… - Eun Bi concordou. - Qualquer coisa, você já sabe. - Mostrou o celular.

Porém, elas não se moveram, deixando que Misoo fosse primeiro na direção do garoto. Jung Mi estava quase no fim do corredor - devido às longas pernas que os membros de sua família tinham - quando foi pego de surpresa pela menina. O braço se dobrou um pouco e ele virou a cabeça de lado, permitindo que ela visse seu perfil. Ele arqueou uma das sobrancelhas até reconhecer a pessoa.

Depois do que tinha acontecido na sala, ele não esperava que ela fosse ter aquele tipo de iniciativa. Muito menos que tivesse coragem de falar aquilo para ele.

Jung Mi virou-se de frente para ela. Talvez ele fosse mais alto do que ela tinha reparado antes - parecia maior por conta da postura séria que tinha.

- Fugindo? - Perguntou num tom de dúvida e a voz saiu um pouco mais rouca do que o esperado. Não tinha falado muito naquele dia, afinal.

A expressão séria dela fazia com que ele a encarasse com mais atenção. Conseguia compreender porque ela estava tendo essa postura agora. Não era a mesma pessoa de ontem. Mas era a pessoa que tinha a resposta para a proposta “de ontem”. Ele enfiou uma mão no bolso e assentiu.

- Eoh. Se está se sentindo disposta para conversar, vamos. Para onde gostaria de ir?

O garoto preferia que fosse num lugar reservado, porque eles já tinham se exposto demais. Porém, conhecendo minimamente a tenista, imaginava que ela quisesse do lado de fora. Porque ela parecia o tipo de pessoa que precisava de bastante ar puro diante de uma situação complexa. Talvez, por isso mesmo, ela tenha se sufocado tanto dentro da sala.

Quando Misoo dissesse o lugar, ele simplesmente seguiria ao lado dela. Mantinha uma distância respeitável dela, sendo educado como sempre - e cavalheiro, porque se precisasse abrir portas para que passassem, ele o faria e permitiria que ela fosse na frente.

Eun Bi e Mia acenariam discretamente para ela, caso ela olhasse para trás antes de seguir com Jung Mi.
(C) Ross


JAE KI E WON- 09/04/2019 - TERÇA-FEIRA. INTERVALO
Os três dragões não pareciam tão animados ou unidos como nos primeiros dias. Uma tensão parecia cercá-los e, não era para menos. Aquela era a primeira vez que eles conversavam sério, como se fosse uma “Discussão de Relação” anunciara, porém, não seria a primeira “briga”. Na semana passada, eles também tiveram uma discussão acalorada que quase colocou fim na amizade que mal tinha começado.

Kang sinceramente esperava que isso não se tornasse uma rotina. Nenhuma amizade resistia a esse tipo de coisa. Era importante que eles deixassem as coisas claras, mas se fossem brigar por tudo, talvez fosse melhor nem seguir com isso. Era o que ele pensava, mas ainda assim, lutaria por eles.

Por isso, dessa vez, ele se calou.

E se calou completamente enquanto os amigos falavam.

Enquanto Jae Ki tivesse comida, talvez ele ficasse bem. Mas Won estava mesmo chateado por ter que se expor dessa forma. Tinha sobrado até para o próprio Kang. Tudo bem que, às vezes, a língua dele tomava vida própria e ele se atropelava. Mas não fazia isso por mal. Ficou comendo seu melão e olhando para cada um que falava.

Já sabia bastante coisas sobre Bomi também, mas ficou curioso sobre a história do intervalo. Era possível que ela ficasse mais branca ainda?? O que ela tinha visto? Uma assombração?? Fez umas caras engraçadas enquanto comia mais um pedaço e se mantinha quieto.

Quando Won voltou a falar, ele focou suas atenções. À essa altura, já tinha comido tudo e eles já tinham falado demais. Ajeitou-se e começou.

- Bom. Já que estamos sendo totalmente sinceros e tentando armar um plano, vamos combinar algumas coisas?

Esperou pelo “siim”, mas se não viesse, ele continuaria mesmo assim.

- Eu não sei muito bem como funciona esse lance de amizade, mas eu acho que para funcionar, tem que rolar um esforço coletivo. Jae Ki, eu já te disse várias vezes que você é muito extremista e leva as coisas de um jeito 8/80. Não é assim, tá? Eu sabia das coisas do Won porque a gente vai junto pro trabalho. Quer dizer, não mais - uma pausa - porque agora temos os clubes, mas na semana passada inteira fomos juntos pro trabalho e porque a gente se vê até no fim de semana. Não é questão de preferência ou falta de confiança, é tipo “na hora do aperto”. E agora que já deixamos tudo claro, não vamos continuar criando desconfianças ou problemas com isso, ok? Será cansativo se tivermos que ter esse tipo de conversa toda hora.

Foi bastante sincero, uma característica que os três compartilhavam.

- Vamos respeitar o espaço um do outro. Sei que nem sempre vocês estão afim de conversar, mas é importante sabermos que, mesmo assim, quando estivermos mais calmos ou confortáveis, podemos contar uns com os outros. - Estava bastante sério. - Peço desculpas pelas vezes que minha língua foi maior que a boca, mas se é pra começarmos do zero, sendo 100% honestos…

Os chifrinhos quase começaram a surgir na cabeça dele.

- Jae Ki beijou a Eun Bi ontem. - Apontou para o amigo, mas já foi desviando. - Na testa, mas beijou. Eu vi! Eu viii…Pervertido.

Se escolheu e se escondeu atrás de Won.

- E também não vou poupá-lo da verdade, Won. Isso que você sentiu não é incômodo, “não gostei” é o mesmo que ciúmes. - Deu um tapinha no ombro dele. - É bom que não assista aos vídeos da última apresentação do colégio. Porque a Bomi faz dança e o parceiro dela foi o Ryu Ji. Eu vi o video… - Olhou para Jae Ki. - É uma mini super produção. E bom, também tinham Misoo, um garoto que não sei quem é, aquele amigo do Taemin dançando com a garota que senta com ele (Jiran e Miran) e aquela metida que faltou ontem com o outro menino da nossa turma (Eun Na e Beom Su). Eles dançaram Now do Troublemaker. Tem vídeo no canal do youtube do colégio, mas eu não veria se fosse vocês.

Um belo de um filho da mãe. Já estava até segurando a mochila para que não pegassem seu celular - estava no seu histórico - mas se quisessem ver, podiam fazer isso com os próprios celulares.

Apresentação, caso queiram ver:

(C) Ross


SUN HEE E HEE KYUNG- 11/04/2019 - QUINTA FEIRA. 4:30 P.M
O convite feito por Dong naquela antes do primeiro tempo de quinta-feira, foi recebido nos celulares de Stella e Min Ho. O garoto estava sem falar com Dong há três dias, mas ao ler aquele convite, imaginou - com razão - que o amigo estava tentando fazer as pazes ou recompensá-lo pelo abandono. Não respondeu imediatamente, apenas trocando um breve olhar.

Ele com certeza iria, mas Min Ho tinha aquele jeito peculiar de fazer as coisas.

Já Stella ficou sem saber o que pensar ou dizer. Ficou lendo aquela mensagem, tentando ver se havia algo a mais por trás daquilo. Não tinha clubes naquele dia, porém, tinha pilates/fisioterapia ate umas 15h, então, perguntou se podia se encontrar por volta das 4:30 P.M. Com as agendas combinadas, todos teriam um tempo para ir até em casa, trocar de roupa e esse tipo de coisa. O café ficava num bairro de fácil acesso para eles, próximo de universidades e residências de jovens.

Stella não comentou com Sunny que eles iriam porque também queria fazer uma surpresa para ela. Desde segunda-feira, percebeu que a amiga andava um pouco para baixo. Na terça pareceu ainda pior, mas ela nem imaginava que o motivo estava presente na sala delas.

Eram precisamente 4:30 P.M quando Dong chegou todo arrumado daquele jeito. De pé, bem em frente ao café, mas de costas para a porta, estava Min Ho olhando para o relógio, como se estivesse contando os segundos. Dong sabia que seu incomum amigo era uma pessoa que levava as coisas extremamente ao pé da letra. E horário era algo sagrado para ele - tanto que chegava vinte minutos antes e ficava fazendo hora em frente a casa de Dong quando tinham reuniões. Ali não seria diferente.

Assim como Hee Kyung, Min Ho estava “arrumado”. Usava um suéter xadrez preto e branco por cima de uma blusa, calça jeans e all star. Era uma tentativa de hipster nerd que acabava combinando com ele, mas não ficava tão casual e bem como Dong. O cabelo ainda tinha um pouco de gel, colocando para o lado.

Ergueu a cabeça, encarando o garoto quando ele chegou e cerrou os olhos.

- Pontual, como deveria ser. Pelo menos para isso, já que para nossos compromissos do mundo virtual, não tem sido. - Franziu as sobrancelhas, fazendo uma cara aborrecida e cruzou os braços. - Que cheiro é esse? Por que você passou perf….

A frase ficou pelo caminho porque assim que o sinal fechou, Stella começou a atravessar a rua. O vento ainda balançou um pouco o vestido e o cabelo dela, dando aquela sensação de que câmera lenta ou comercial. A menina olhava na direção dos carros, mas logo chegou até eles e deu um sorrisinho.


Não diria que não ficou decepcionada por ver que não estaria apenas com Dong, mas ela sabia disfarçar melhor do que Min Ho. O garoto até olhou para Hee Kyung, bufando.


- Por isso que você chegou no horário! Golpe sujo.

Stella juntou as mãos em frente ao corpo e sorriu para eles.

- Olá… - Ajeitou o cabelo. Estava usando um vestido bem bonitinho e leve, mas carregava um casaco no caso de sentir frio mais tarde. Olhou para Dong e Min Ho, mas preferiu focar na fachada do prédio. - O café é bem bonito..Tem aspecto parisiense.


(Referência Entrada)

E ela tinha morado na França, então, podiam confiar no que ela dizia. Por um instante, ela até podia pensar que estava mesmo em Paris, se fechasse os olhos e eliminasse Min Ho dali. Esperou o anuncio para que entrassem.

Sunny talvez tivesse tido a impressão que conhecia o menino que passou os últimos dez minutos parado do lado de fora. Porém, ela nunca tinha visto Min Ho com outra roupa além do uniforme. Além disso, a mente dela estava muito perturbada, cheia de problemas para ficar se preocupando com isso também.

Contudo, quando o trio entrou pela porta, fazendo o sininho bater, não houve mais enganos. A primeira coisa que Sunny podia perceber era que tanto Stella quanto Dong estava bastante arrumados - como se tivessem se esforçado para aquele momento. Seria para vê-la, pelo café ou por que estavam saindo juntos? Contudo, eles ainda estava carregando Min Ho com eles - o que destoava um pouco, até pela cara aborrecida dele.

Stella abriu um amplo sorriso para a amiga e não demorou em se aproximar.

- Surpresaa! - Disse animadinha quando chegou perto e a abraçou, mesmo que ela estivesse no meio do serviço e com avental. - Hee Kyung-shi estava curioso para vir também e guardei o segredo para fazer uma surpresinha mesmo. Você trabalha num lugar tão fofinho! Parece mesmo um café de Paris…


(Referência Interior - Parte do Café!)
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Jae-ki em Qua Abr 18, 2018 1:28 pm


Jae-ki fez um bico quando ouviu Won Bin falando sobre o quanto odiava ser pressionado. Não achava que tinha pressionado o amigo. Jae continuava comendo suas frutas, embora estivesse invocado.

Continuou ouvindo o amigo, a história do pai dele realmente parecia complicada. Jae-ki não tinha essa preocupação dos seus pais aceitarem, mas podia imaginar como deveria ser. Isso também só reforçava sua aversão por policiais, deviam sempre se achar os donos da verdade. Também prestou atenção quando Won falou sobre como iriam agir na escola, seu semblante foi ficando menos invocado a medida que foi ouvindo o amigo dizer que queria sua ajuda. Só não concordava em proteger todo mundo como ele falava. Eles eram bolsistas, já era difícil proteger a si mesmos, os ricos tinham seu próprio dinheiro para protegê-los.

Mas foi quando Won confessou que não gostou sobre o lance da Bo-mi, que Jae-ki arregalou os olhos. Agora sim Won estava se sentindo da mesma forma que ele havia sentido.  

- Mas eu falei pro Kang no almoço que conversei com ela, e eu ia te falar no intervalo...

Não continuou a frase porque já imaginava que os amigos soubesse o que tinha acontecido no intervalo.  Havia comentado da Bo-mi sim, mesmo que não tivesse a intenção de contar as palavras dela, não antes de saber se tinha algo entre Won e ela. Sua frutas já tinha acabado, então pegou a garrafa de água e bebeu enquanto ouvia Kang se pronunciar. Não falou o sim que o amigo esperava, mas o ouviu falar. Fez de novo o bico invocado quando ouviu Kang o chamar de extremista de novo, por que sempre tinham que o criticar? " Eu já sei disso, aish... "

Mas de qualquer forma Jae-ki já tinha decido não discutir mais sobre isso, ia deixar que os amigos contassem o que queriam, claro que usaria isso ao seu favor também. Ouvia Kang se desculpar pela língua escorregadia quando quase se engasgou com água ao ouvir ele contar do beijo.

- Kang!! - Exclamou entre tossidas - Eu... Cof...

Isso deu tempo para ouvir Kang falando que Won estava com ciúmes! Agora entendia o motivo da cara invocada do amigo, tudo fazia mais sentido. Só que Kang também falou daquela maldita dança, e só de ouvir Jae-ki já sentia o sangue esquentar de raiva. Por que ele tinha que lembrar sobre isso?


- Ani! Ani! - Olhou para Won Bin - Não veja Won, é sério, só de lembrar eu... Aishhh... A professora de dança é uma maluca que fica influenciando elas a dançar essas coisas. Aishh...

Jae respirou fundo e comentou:

- Eun-bi foi muito ingênua... Mas sério, a aula de dança foi horrível... Tirando o beijo no final... Que nem foi um beijo mesmo, ela tava muito perto... Eu não aguentei... E... E Kang é exagerado! Eu não sou pervertido! Mas, mas... É melhor você não ver, passado é passado. Não perde seu tempo com isso, pensa no agora.

Realmente era revoltante como o dinheiro fazia as pessoas parecerem confiáveis aos olhos dos outros, como o Taemin. Se Jae tivesse feito metade do que esse garoto fez já estaria preso ou cheio de processos. Mas o loiro não sofreu nada. E os pais dela ainda deixavam ela dançar esse tipo de música. Jae não entendia como pais tão ricos podiam deixar Eun-bi ser tão desprotegida e ingênua, talvez só pensassem em compras. Jae-ki não queria ver a dança de novo, era doloroso para ele, e se tinha sido no passado, que ficasse no passado, sabia que Eun-bi e ele eram amigos no passado. Mesmo se decidissem ver, não iria. Esperaria a reação dos amigos e então continuaria a falar mais:


- Caras, eu já entendi, eu vou ser um aluno otário agora, não vou mais entrar em confusão. E Won não precisa ficar com ciúmes. Eu só acho a Bo-mi legal e mais nada. Vocês sabem que sou louco pela Bibi - Confessou - Eu acho que tô sacando esse lance do seu aboji. Deve ser coisa de policial que não quer misturar a família com uma que já teve um criminoso. Mas é só você não contar pra ele que tá saindo com ela. E se você quer mesmo saber, por que não mexe nas coisas do seu pai quando ele tiver fora?

Jae-ki olhou para baixo mexendo na grama, de fato o amor era muito complicado, era uma pena que até Won tivesse caído nessa, parecia um caminho sem volta.


— Ross


avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
275

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Won-Bin em Qui Abr 19, 2018 2:10 am



Aquela amizade havia começado de forma tão intensa entre os dragões mas também era cheia de altos e baixos. Os laços entre eles eram fortes mas as dificuldades se mostravam ser tanto quanto.

Notou o silêncio de Kang, afinal, isso sim era algo raro com ele. Jae-ki ainda tentava se justificar um pouco, mas nesse ponto nem valia a pena ficar revirando isso.

Cruzou os braços e ouviu quando Kang queria combinar algo.

Assentiu com a cabeça diante das palavras ele, eram sinceras e Won concordava: precisam se dar espaço mas também confiar um no outro.

Ficou sério até ouvir:

- Jae Ki beijou a Eun Bi ontem. - Apontou para o amigo, mas já foi desviando. - Na testa, mas beijou. Eu vi! Eu viii…Pervertido.

Arregalou os olhos.

-Mas o que!? Como assim!? - por um instante perdeu a seriedade. Aquilo foi o quebra-gelo perfeito, então Jae-ki realmente estava fazendo algum progresso...
Sorriu de forma leve para Jae-ki. Mesmo diante do ciúme e de tudo o que rolava, era justamente o que ele queria

- E também não vou poupá-lo da verdade, Won. Isso que você sentiu não é incômodo, “não gostei” é o mesmo que ciúmes. - Deu um tapinha no ombro dele. - É bom que não assista aos vídeos da última apresentação do colégio. Porque a Bomi faz dança e o parceiro dela foi o Ryu Ji. Eu vi o video… - Olhou para Jae Ki. - É uma mini super produção. E bom, também tinham Misoo, um garoto que não sei quem é, aquele amigo do Taemin dançando com a garota que senta com ele (Jiran e Miran) e aquela metida que faltou ontem com o outro menino da nossa turma (Eun Na e Beom Su). Eles dançaram Now do Troublemaker. Tem vídeo no canal do youtube do colégio, mas eu não veria se fosse vocês.

Won cruzou os braços, meio contrariado mas sabia que não era mentira.

-É talvez seja mesmo - admitiu olhando para o chão.

Um vídeo...seus níveis de ciúme iriam até as alturas. Jae-ki o alertava para não assistir pois ele mesmo sabia que ele ia se sentir mal por isso.
Mas não fugir das batalhas não era um objetivo desse novo Won? Iria memorizar a referencia para assistir mais tarde em casa. Talvez mesmo com o Ryu como par ele ainda queria ver a Bomi dançando...

Descruzou os braços e respirou fundo.

-Odeio quando Kang tem razão, mas pior que é o caso - disse meio brincando.

Jae-ki e suas ideias eticamente duvidosas.

-Meu pai não é bobo de deixar as coisas de casos antigos dando sopa em casa. Eu preciso descobrir por fora

As dificuldades vinham como ondas, mas essa amizade ainda era uma muralha que resistia.

-Vou confiar em vocês, dragões. Podem confiar em mim também - levantou a mão direita e fechou o punho.
-A partir de hoje começamos o Projeto Dragão. A gente vai compartilhar as coisas que sabemos e nos ajudarmos

Colocou o punho fechado mais para frente. Estava esperando o fist-bump dos dois.

-Vamos não só sobreviver nessa escola, a gente vai dar o nosso melhor

Wangjo

— Ross
avatar
Dorama
Localização :
Seoul

Mensagens :
223

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Jae-ki em Qui Abr 19, 2018 2:08 pm


Jae-ki fez um bico pensativo quando Won descartou sua ideia sobre olhar as coisas do pai em casa. Esses policiais, sempre tão desconfiados, nem confiava no próprio filho. Deveriam pensar então em outra coisa. Jae poderia tirar muitas outras ideias de onde veio essa. Mas por hora era melhor deixar para discutir essas estratégias outro dia. Só falou em voz baixa uma ideia para ficar no pensamento de Won:

- Se conseguisse a senha do computador dele...

Em seguida ouviu Won falando sobre confiança, será que finalmente iriam confiar nele? Jae-ki não sabia de onde seu amigo tirava essa ideia de projeto, mas era até maneiro. Pelo menos agora reconheciam que ele tinha potencial para ajudar nos dragões. Era como se os dragões estivessem voltando ao que eram antes, ou se tornando como era mesmo para ser. Talvez o problema de tudo tinha sido a falta de conhecimento um sobre o outro. Jae acenou com a cabeça concordando:


Não deixou Won no vaco e deu o soquinho que ele esperava. Porém logo depois lembrou que faltava avisar outras coisas ao amigo. Antes não achava que era necessário falar sobre o professor Kim a eles, pois era uma coisa sua, um dever seu, mas depois de ver Won interagindo com os amigos de Sunny, era melhor avisar antes que os próprios amigos pudessem estragar tudo sem querer.

- Mas caras, ainda tem uma parada. Eu achei que não tinha nada ver com vocês, mas vocês podem acabar me ferrando sem saber...

Jae-ki olhou dessa vez para Won, porque Kang meio que já sabia, pois tinha presenciado a cena.

- Won, é que não acho uma boa os dragões serem amigos do Kim e da Sun-Hee. Vou te falar... - Respirou fundo antes de continuar - O aboji dela foi meu professor de matemática, e por causa dele que eu tô aqui. Ele que me falou da bolsa, e foi ele que fez minha matrícula, eu teria perdido se não fosse ele, por causa de uns problemas... E até meu uniforme foi ele que comprou... Ele fez muito por mim, então não posso faltar com ele. É muito importante, então pra retribuir eu prometi proteger a filha dele, só que vigiando ela de longe.

Dessa fez Jae-ki continuou falando para os dois amigos:

- E a Sun-Hee é teimosa, ela não quis minha ajuda e ainda quer ser minha amiga. Mas caras, vocês sabem, se os dragões ficarem amigos deles, quando alguém quiser nos atingir, pode acabar pegando nela. Eu já fico super preocupado com a Bibi, mas ela já tá exposta, então não tem muito jeito. Mas a Sun-Hee ainda dá tempo de evitar isso.

Lançou um olhar para Won e depois para Kang antes de perguntar:

- Essas coisas é só pra ficar entre nós! Eu não posso ferrar a filha do professor Kim, eu não estaria aqui se não fosse por ele... Eu sei que vocês curtem fazer amizade... Mas só dessa vez com eles, tentem ser menos... Não precisam ignorar, só não parecerem bons amigos, saca? Podem fazer isso por mim?


— Ross


avatar
Dorama
Localização :
Songpa- gu

Data de nascimento :
07/05/2004

Mensagens :
275

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Kim Sun-Hee em Qui Abr 19, 2018 4:52 pm

Não tinha como comparar o serviço no balcão de livros com aquele de servir as mesas e recolher os pedidos. Embora o primeiro fosse igualmente trabalhoso, Sunny gostava mais e sentia que ficava menos cansada. Afinal, na Cafeteria, ela circulava toda hora pelos espaços e passava a maior parte do tempo em pé. E, nesse percurso constante indo para lá e cá, vez ou outra, o olhar pairava na entradinha do estabelecimento, onde um garoto - do lado de fora - agia como uma estátua, completamente parado e de costas, impedindo-a de ver o rosto dele. Porém, mesmo assim, Sun-Hee carregava a estranha sensação de conhecê-lo de algum lugar, mas não teve chances de aprofundar a certeza. Graças ao começo das aulas, o Café sempre se encontrava cheio. Talvez, mais adiante, seria o caso da Sra. Dong cogitar a possibilidade de arranjar um novo funcionário, apesar de que nenhum dos atuais membros da equipe reclamem sobre os frequentes horários de pico.

Estava terminando de limpar uma das várias mesas quando o trio adentrou no ambiente e prontamente os reconheceu. Sunny deixou o paninho para juntar as mãos enquanto fitava Stella, Dong e Min-Ho com um sorriso que alcançava as orelhas.


Independente da aparência cabisbaixa há dias, a alegria em vê-los era verdadeira. Adorava quando as pessoas apareciam ali porque tratava-se de um lugar muito especial... Queria que todos descobrissem como era incrível e acolhedor, principalmente seus amigos. Por isso que vivia os convidando.

Ela abriu os braços para receber o abraço de Stella e a apertou de levinho.

- Surpresa mesmo! Como estão??? – exclamou conforme se afastava – Bem-vindos, senhores e senhorita! – de brincadeira, os reverenciou, tratando-os como faria com outros clientes – Será um prazer atendê-los!

Sobre o comentário de Stella, Sunny assentiu, concordando com ela.

- Uhum! É uma graça, né? A Sra. Dong tem um gosto excelente. Além de fofinho, o Café é bastante charmoso, mas sou suspeita para falar.

Finalmente encarou Dong e Min-Ho, e mesmo surpresa com a presença do amigo rabugento de Kyung junto deles, Sun-Hee também demonstrou alegria em vê-lo e ficou imaginando na história que Dong inventou para trazê-lo, já achando graça antes de sequer saber. De toda forma, adorava visitas e iria se esforçar para que Min-Ho se divertisse como Stella e Dong, que... aliás... estavam impecavelmente vestidos, não? Curioso... Não que costumassem andar de maneira desleixada, mas não lembrava-se de perceber tamanha preocupação em outro momento.

- Eu acho inacreditável que, até hoje, não tenha vindo, Dong, mas espero que aprecie, e estou ainda mais animada que você, Min-Ho, veio com eles! Já adianto que o café daqui é o mais gostoso de toda a Seul! – e Stella tinha a confirmação do professor Lee de que Sunny não exagerou.

Sorriu e piscou de um jeitinho cúmplice.


- Aqui, ó – apontou para a mesa que acabou de limpar – Sentem, podem sentar. Vou pegar o cardápio.

Demoraria o tempo dos três se ajeitarem ou escolherem outro local. Então, entregaria um para cada. A lista de opções, tanto de lanches, bebidas e sobremesas, era extensa e cobria todos os gostos. Mais uma razão para Sunny amar aquele trabalho, além do contato diário com os livros.

- Fiquem à vontade, pessoal. Quando quiserem fazer os pedidos, é só falarem comigo. Hoje vocês não tiveram clubes? Quinta-feira é o meu único dia “livre” – enfatizou as aspas na última palavra – Minha rotina nunca foi tão apertada como agora.
 
QUINTA-FEIRA. 4.30 P.M. CAFÉ LITERÁRIO

— Ross


Última edição por Kim Sun-Hee em Sab Abr 21, 2018 9:49 pm, editado 3 vez(es)
avatar
Dorama
Localização :
Seul

Data de nascimento :
20/04/2002

Mensagens :
192

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por The Crown RPG em Qui Abr 19, 2018 11:42 pm

JAE KI E WON- 09/04/2019 - TERÇA-FEIRA. INTERVALO
- É verdade, você me falou, mas eu não vi o Won ontem, Jae Ki. - Comentou. - Eu saí contigo, lembra? E nossos horários ficaram desencontrados. - Espreguiçou-se um pouco. - Quer dizer, eu não contaria para ele, de todo modo.

Queria dizer que sabia controlar a língua, às vezes. E aproveitou a deixa para colocar seu ponto de vista sobre aquela situação.

Por não gostar muito de manter esse tipo de clima, ele resolveu colocar seus chifrinhos de diabinho de fora e contou situações para seus amigos. Jae Ki foi o beijo e para Won - talvez numa tentativa de ajudá-lo a avaliar os próprios sentimentos - falou do vídeo. Mesmo dizendo que não recomendava que visse, ele deu o modo de chegar até ele. Bastaria que Won ficasse com a pulga atrás da orelha para ir atrás.

Jae Ki logo começou a se defender enquanto Won dava umas risadas e ponderava sobre o que Kang falou. O amigo não concordava muito sobre essa ingenuidade não, mas não falaria mais sobre isso. A missão do tema tinha sido concluída, afinal, a conversa voltou a ficar mais leve e eles pareciam mais entrosados.

Tanto que eles conseguiram falar sobre a situação complicada envolvendo o pai de Won. Jae Ki tinha dado uma ideia boa, porém perigosa.

- Concordo com o Jae Ki, mas na real eu acho um pouco arriscado. O Won não está muito bem com o pai e isso o deixa magoado. Se o Sr. Hwang descobrir, vai ser pior. - Suspirou. - Mas a gente pode ajudar…

Coçou de levinho o queixo.

- Eu já falei que a gente encontra tudo na internet. Mas se você conseguir as senhas do seu pai, a gente futuca, não precisa ser você. - Escondeu os lábios. - Ou você pode falar com alguém do trabalho dele. Não tem ninguém lá que possa te ajudar nisso?

Kang não entraria em mais detalhes sobre algumas coisas. Mexer com dados podia tomar uma conotação ilegal e ele realmente não queria se ferrar. Mas se pesquisasse um pouco...quem sabe. Mal sabia ele que o próprio Jae Ki tinha associação com pessoas desse meio. Um deles, inclusive, passava pela área externa. Kai tinha a expressão aborrecida de sempre e segurava uma caixinha de suco enquanto andava para outro canto, querendo explorar as possibilidades daquele colégio.

Não olhou na direção de Jae Ki nem nada. Não parecia disposto a implicar com ninguém naquele dia.

Já Kang, continuou coçando de leve o queixo, pensando. Mas Won não queria focar nesse assunto e Jae Ki trouxe outra história.

Era curioso perceber como Kang não parecia surpreso com essa história também. Acabava que ele já sabia de tudo justamente porque se comunicava. E o engraçado era que não tinha ido à secretaria nenhuma vez! Não precisava se meter em brigas ou acontecimentos para ser bem informado.

O discurso de Jae Ki começou fazer bastante sentido, mas no fim, Kang tinha uma cara engraçada. Olhou para Won e para Jae Ki de novo.

- Você está se escutando? - Apontou para ele. - Sabe, Jae Ki… - Coçou a cabeça, tentando achar as melhores palavras enquanto suspirava. - Eu não sei se você sabe, mas a Sun Hee é bolsista também. E isso, por si só, já é motivo para ela ser um alvo. Eu acho que mantendo longe, você só a expõe mais ao perigo. Precisamos ficar juntos, não separados.

Fez o gesto “juntos” e “separados”.

- Você não tá protegendo por ser afastar. E tipo, eu nem falo com ela ou o amigo dela, mas acho que são pessoas legais. Você vai perder a chance de conviver com pessoas legais por isso? Pense que se você fizer amizade com ela, o seu ex professor ficará feliz também. Quem sabe você não vai vê-lo ou coisa do tipo? Você é tão inteligente, mas às vezes parece que não pensa direito.

Kang disse daquele jeito engraçado, porém sincero dele. Chegou até a olhar para Won de novo, como dissesse “posso com isso?”
(C) Ross


SUN HEE E HEE KYUNG- 11/04/2019 - QUINTA FEIRA. 4:30 P.M
Stella logo tomou a frente para abraçar a amiga de modo caloroso. Gostava de ver as pessoas que gostava felizes e o sorriso de Sunny por conta da surpresa foi o motor necessário para fazer a canadense se aproximar. Min Ho continuou um pouco mais atrás, ao lado de Dong e com aquela expressão de sem amigos.

- Estou bem! E você? Muito trabalho hoje? Parece um pouco cheio, espero que não seja um incômodo…

Olhou ao redor e o movimento, por conta das voltas às aulas, realmente estava aumentando. A dona do estabelecimento não quis chamar mais funcionários porque o lugar tinha quase um ano e achou que seria precipitado aumentar a quantidade de funcionários antes de ver o resultado. Porém, o lugar era mesmo um sucesso e as expansões estavam mais próximas do que imaginavam.

O comentário de Sunny em relação à Sra. Dong atraiu a atenção de Stella e Min Ho. A menina tinha se esquecido desse detalhe e olhou para ele com uma expressão de…

- É mesmo, Hee Kyung-shi! Como você nunca veio antes?

Perguntou meio surpresa. Sunny também seguia na mesma linha, mas ambas falavam de um jeito carinhoso, não pressionando ou coisa do tipo. Só Min Ho mantinha aquela postura super séria e não era muito participativo. Em compensação, Sun Hee continuava sendo gentil e se esforçava para trazê-lo à conversa. Os esforços pareciam em vão, porém, ele comentou sobre o café.  

- Tenho certeza que sim. A dona é a mãe do Dong e ele é viciado em café. Claro que ela fez isso por ele.

Isso fazia tanto sentido, de tantas formas…

Talvez Dong até se sentisse um pouco culpado por isso. Ele não tinha ido nem na inauguração porque tinha um compromisso que gostaria mais de ter ido, mas a mãe não falou nada, nem pareceu magoada com isso. Às vezes Min Ho parecia um pouco cruel por apontar essas coisas.

Stella ficou com os lábios meio abertos, mas logo se sentou. Pigarreou algumas vezes, olhando o cardápio por alguns instantes, mas encarando Sunny com a pergunta.

- Hoje também não tive clubes. Fui para a fisioterapia e combinei com Hee Kyung-shi de virmos aqui.

- Fez o mesmo comigo. Só não falou que tinha combinado com a Jun. - Sentou-se também. - Quero um cappuccino, depois vejo o que comer.  
(C) Ross
avatar
Dorama
Localização :
Coreia do Sul

Mensagens :
1270

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Convidado em Sex Abr 20, 2018 2:10 am


Enquanto EunBi repreendia Mia pelo comentário, MiSoo acompanhava com uma careta bem contrariada. Vídeos? Não queria nem lembrar disso. A tenista só bufou em resposta ao novo comentário da garota sobre colocar juízo na cabeça delas.

Pouco depois Jung Mi passava perto delas e MiSoo ficava determinada a ter a conversação que tinha adiado para aquele dia. Avisou as meninas, acreditando que não precisaria de muito tempo para conversar, mas, aparentemente, as garotas discordavam e queriam esperar no refeitório.

- Não tem um lugar menos lotado de gente para isso? - suspirou, não podia tirar as amigas de perto da comida assim - Esqueçam, podem ir. Ligarei sim se necessário. - deu um sorrisinho enquanto meneava em concordância.

MiSoo acenou para elas e foi atrás do garoto daquele jeito quaaase sorrateiro, puxando-o brevemente pelo braço em vez de se comunicar como uma pessoa normal. A garota curvou os lábios em descontentamento com a reação tão desinteressante dele. Podia até tentar negar que estava fugindo, mas… A reação não convencia MiSoo.


Tudo bem. Ela sorriu mesmo assim. Mesmo que fosse recebida desse jeito.


- Por mim poderíamos conversar aqui mesmo, afinal, você já gritou sobre isso para todo mundo mesmo… - deu de ombros, mas ficou um pouco constrangida de ter dito da maneira que disse e tentou corrigir - Mas tudo bem, escolheremos outro lugar então. Perto da quadra de tênis, como da outra vez. Que tal? - sorriu mais um pouco, tentando o incentivar.

Após ele concordar MiSoo começou a caminhada de um jeito rápido e apressado. Queria chegar logo no lugar antes que a ansiedade tirasse o melhor dela, ou que perdesse a coragem que precisava.

Quando chegaram ao mesmo banco da outra vez, MiSoo indicou para que ele sentasse, mas ela mesma não o fez. Estava meio que agitada demais para sossegar ali. Ela ficou pensativa por uns instantes, mas precisava dizer algo, qualquer coisa para que as palavras tomassem a iniciativa de sair de sua boca… Talvez um pouco impulsivas demais… Mas seria isso bom ou ruim?

- Ahn… Jung Mi-shi… - coçou atrás da orelha, um pouco nervosa com o que pensava em dizer - Você deve gostar mesmo de mim para não se importar em atingir outras pessoas com o que você fez no refeitório… - MiSoo tinha a trança presa entre mãos, segurando-a com força - Até mesmo a Yewon. Se ela não fosse tão irritante, eu teria ficado com pena dela. Ahn… - não, talvez não fosse o que deveria dizer - Quero dizer… Se os papéis fossem invertidos e você estivesse no lugar dela… - não, não era isso também - O que quero dizer… Não, esqueça isso. - não ia tentar enfiar na cabeça dele o quão era angustiante ser exposta desse jeito, como ele fez e como ele tinha feito uma grande bagunça com a atitude dele… Já tinha tentado explicar isso no dia anterior.

MiSoo respirou fundo e apertou os lábios, tomando mais um pouco de coragem para falar de algo que estava martelando em sua cabeça.

- Por que você continua a ser assim? - engoliu em seco antes de continuar - Essa pose tão… Séria, tão… Distante, que continua aí, não importa o que você mesmo diga. Precisa ser assim com todos?  Como vou acreditar no que diz sobre mim, se você mantém a mesma postura comigo ou com os outros? - esfregava a ponta dos dedos no cabelo trançado na medida que se sentia mais nervosa em revelar parte do que pensava - Você queria me proteger…? - embora MiSoo ainda tivesse alguma dúvida que persistia dentro de si se a reação não foi só por causa da confusão que ela criou na saída dos vestiários - Eu nunca soube de uma polêmica que protegesse alguém. - na verdade servia para o oposto - Ahn… Talvez eu esteja falando demais… Mianeyo, eu falo muito quando estou nervosa… - cobriu o rosto com as duas mãos, também morrendo de vergonha.

Estava difícil responder direito.

— Ross
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum